Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
casamento.

casamento.

Ratings: (0)|Views: 342 |Likes:
Published by khaty2011
DIREITO DAS FAMÍLIAS
DIREITO DAS FAMÍLIAS

More info:

Published by: khaty2011 on Dec 04, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

06/19/2014

pdf

text

original

 
 ______________________________________________________ 
Profª Carolina Marques.Duarte
.
02
CASAMENTO.CASAMENTO.Sumário:1.Conceito.2.Natureza jurídica do casamento.3.Finalidade.4.Direito e deveres do casamento.5.Pressupostos e requisitos de existência, validade e regularidade docasamento.
1. CONCEITO
:
É o vínculo jurídico entre o homem e a mulher que visa o auxíliomútuo material e espiritual, de modo que haja uma integração fisiopsíquica e aconstituição de uma família.
1
 
2. NATUREZA JURÍDICA DO CASAMENTO.
 
2.1 TEORIAS SOBRE A NATUREZA JURÍDICA DO CASAMENTO:
I-) TEORIA CONTRATUALISTA:
A noção de contrato remonta ao direito canônicoque via o casamento não só como sacramento, mas também como um contratonatural, decorrente da natureza humana.Então para essa teoria o matrimônio é um
contrato civil,
regido normas comunsa todos os contratos, aperfeiçoando-se apenas pelo simples consentimento dosnubentes. Essa concepção sofreu algumas variações, pois há os que nele vêem um
contrato especial
; em rao de seus efeitos peculiares o se lhe aplicam osdispositivos legais dos negócios jurídicos relativos à capacidade das partes e vícios deconsentimento.
II-) CONCEPÇÃO INSTITUCIONALISTA:
para a teoria francesaanticontratualista, o casamento seria uma
instituição social,
refletindo uma situação
1
E. Espínola,
 A família no direito civil brasileiro, p.239;
 Nelson Bassil Dower,
Curso renovado de direito civil,
SãoPaulo, Nelpa, v.4, p.16.
DireitoCivil VI –
Família e Sucessões
.
1
 
 ______________________________________________________ 
Profª Carolina Marques.Duarte
.
 jurídica que surge da vontade dos contratantes, mas cujas normas, efeitos e formaencontram-se preestabelecidos em lei. As partes são livres podendo cada um escolhero seu cônjuge e decidir se vai casar ou não; uma vez acertada a realização domatrimônio, não lhes é permitido discutir o conteúdo de seus direitos e deveres, omodo pelo qual se dará a resolubilidade da sociedade ou do vínculo conjugal ou ascondições de legitimidade da prole, porque não lhes é possível modificar a disciplinalegal de suas relações. O estado matrimonial é, portanto, um estatuto imperativo preestabelecido, aoqual os nubentes aderem. Convém explicar que esse ato de adesão dos que contraemmatrimônio não é um contrato, uma vez que, na realidade, é a aceitação de umestatuto tal como ele é, sem qualquer liberdade de adotar outras normas.
III-) DOUTRINA ECLÉTICA OU MISTA – NATUREZA HÍBRIDA ( contrato +instituição):
O
 
casamento é um
ato complexo,
ou seja, é concomitantementecontrato (na formação) e instituição (no conteúdo).
 
Logo:
=
CONTRATOCASAMENTO 
+
 
=
INSTITUIÇÃO
2.2 NOTAS DIFERENCIAIS ENTRE CONTRATO E INSTITUIÇÃO.
 CASAMENTOCONTRATO
 No matrimônio a simples vontade dosnubentes não tem o condão de constituí-O contrato tem no acordo devontade dos contraentes seu principal
DireitoCivil VI –
Família e Sucessões
.
2
AcordodeAval dalei
 
 ______________________________________________________ 
Profª Carolina Marques.Duarte
.
lo; requer, necessariamente, a intervençãoda autoridade eclesiástica ou civil parahomologar ou sancionar tal acordo.elemento. Os consortes não podem, de modoalgum, adicionar cláusulas, disciplinar asrelações conjugais e familiares de formacontrária à estabelecida em lei,
salvo aoque concerne aos interesses patrimoniais,embora limitadamente.
No contrato, as partes estipulamlivremente as condições e termos. As normas que regem o casamentosão de ordem pública, porque ocasamento domina todo o sistema social,pois confere o estado os direitos e deveresdos cônjuges; o estado e a legitimidadedos filhos. As normas que regem os contratossão de ordem privada.Não podem ser dissolvidos por mútuoconsentimento ou pelo distrato. Somentepoderá ser resolvido nos casos expressosem lei (CF, art. 226, § 6°). Podem ser dissolvidos por mútuoconsentimento ou pelo distrato. A instituição é feita para durar. O contrato é precário, desata-secomo foi formado, extinguindo-se com opagamento. 
3. FINALIDADE.*
Instituição da família matrimonial
:
que é uma unidade que se origina docasamento e pelas inter-relações existentes entre marido e mulher e entrepais e filhos (CC, art. 1.513).
 *
Procriação e educação da prole
: consequência lógico-natural e não essencial domatrimônio (CF/88, art.226, § 7º). Observe-se que a falta de filhos não afeta ocasamento, tanto que alguns casais optam por não ter filhos. Ademais, a lei permite
DireitoCivil VI –
Família e Sucessões
.
3

Activity (3)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Manuel Fernando Pessoa added this note
com que idade deve-se casar?

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->