Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
14Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Amor e Liberdade - OSHO

Amor e Liberdade - OSHO

Ratings: (0)|Views: 205|Likes:
Published by Claudia

More info:

Published by: Claudia on Oct 29, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

09/09/2012

pdf

text

original

 
Relacionamento: Amor e Liberdade
- OSHO -
Primeiro Seja - Relacionar-se é uma das maiores coisas da vida: é amar,compartilhar. Para amar é preciso transbordar de amor e para compartilhar épreciso ter (amor). Quem se relaciona respeita e o possui. A liberdade dooutro o é invadida, ele permanece independente. Possuir é destruir todasas possibilidades de se relacionar. Relacionar é um processo. Relacionamentoé diferente de relacionar-se: é completo, fixo, morto. Antes devemos nosrelacionar conosco mesmos e escutar o corão para a vida ir além dointelecto, da lógica, da dialética e das discriminações. É bom evitarsubstantivos e enfatizar os verbos. A vida é feita de verbos: amar, cantar,dançar, relacionar, viver.O Outro Dentro de Você - Nada machuca mais do que quando um sonho éesmagado, uma esperaa morre, o futuro se torna escuro. A frustrãorepresenta uma parte muito valiosa no crescimento espiritual. A novapsicologia esbaseada nas experiências da escola mais antiga, tantra.Qualquer um que seja dependente de alguém, odeia essa pessoa.Ciúme - Quando há atração sexual e o ciúme entra é porque não há amor. Hámedo, porque o sexo é uma exploração. O medo se torna ciúme. Não se podeamar alguém o-livre, pois o amor existe se dado livremente, quando oé exigido, foado e tomado. Quanto mais controlamos, mais "matamos" ooutro. As causas do ciúme eso dentro de s; fora eso as desculpas. Oamor não pode ser ciumento. Ele é sempre confiante. Confiaa o pode serfoada. Se ela existir, segue-se por ela. Seo, é melhor separar, paraevitar danos e destruição e poder amar outra pessoa. Quando amamos alguém,confiamos que o quererá outro. Se quiser, o amor e nada pode serfeito. atras do outro tornamo-nos conscientes de nosso próprio ser. num profundo relacionar-se o amor de alguém ressoa e mostra suaprofundidade: assim nos descobrimos. Outra forma de autodescoberta, sem ooutro, é a meditação. Só há dois caminhos para chegar ao divino: meditação eamor.Do Sexo ao Samadi - temos uma energia que, no mais baixo, é sexual.Refinada, transforma-se pela alquimia da meditão e torna-se amor ouorão. O sexo é o femeno mais importante da vida. É natural, o exigepreocupação. Represo é esconder energias impedindo sua manifestão etransformação. Até hoje nenhuma sociedade encarou o sexo naturalmente. Osexo revela que somos dependentes. As pessoas egoístas o contra o sexo (?)Nele sempre o risco de rejeição. Nele nos tornamos animais, porque
 
naturais. Quando aceitamos o passado, o futuro se torna uma abertura. Otantra usa o ato sexual rumo à integridade, se nos movermos nelemeditativamente, sem controle, com loucura, sem tempo, sem ego,naturalmente. Tantra é um longo caminho do sexo ao samadi. Samadi é osupremo gol; sexo é só o primeiro passe. Uma pessoa se torna Buda quando osexo é transformado em Samadi. É bom mover-se no sexo, mas permanecerobservador. A meditação é a experiência do sexo sem sexo. O sexo é um fim emsi mesmo e no presente. Sem amor o ato sexual é apressado. Sem pressa,estando no presente, caminha-se para a comunhão, a entrega, aespiritualidade, o relaxamento, o fluir, a fuo, o êxtase, o Samadi. o necessidade de ejaculão. Quanto mais observamos, mais nossos olhos ocapazes de ver, mais o perceptivos. "O homem e a mulher o dois polosdiferentes, o polo positivo e negativo da energia. Seu encontro provoca umcircuito e produz um tipo de eletricidade. O conhecimento dessa eletricidadeé possível se o peodo de pula puder ser mantido por um peodo maislongo. Então uma alta carga, produzindo uma auréola de eletricidade evoluipor si mesma. Se as correntes dos corpos estiverem num abraço total ecompleto, pode-se até mesmo ver um lampejo de luz na escuridão."Relacionamento como um Espelho - O amor se relaciona, mas não érelacionamento, que é algo acabado. Ele é como um rio fluindo,interminavelmente. flores do amor que desabrocham após uma longaintimidade. Relacionar-se significa que estamos sempre começando, sempretentando nos tornar conhecidos. A alegria do amor esna explorão daconsciência. Quando investigamos o outro, fazemos o mesmo conosco.Aprofundando-nos no outro, nos aprofundamos em nós mesmos. Tornamo-nosespelhos para o outro e o amor torna-se meditação. Quando mais descobrimos,mais misterioso o outro se torna: o amor é uma aventura constante. Quandoestamos apaixonados, a linguagem não é necessária. O amor não escraviza, nãoé possesivo nem exigente. Ele liberta, permitindo aos amantes voarem alto,em direção a Deus. Quando apreciamos nossa solidão, nos tornamosmeditadores. quem é capaz de ser feliz sozinho pode contribuir com afelicidade de outro.Amor Verdadeiro - Quando dependência o maturidade nem amor, necessidade. Usa-se o outro, o que é desamoroso. Ninguém gosta de serdependente, porque a dependência mata a liberdade. Os homens sempre queremmulheres que sejam "menos" do que eles. A maturidade vem com o amor e acabacom a necessidade. Amor é luxo, abundância. É ter tantas canções no coração,que é preciso cantá-las, o importando se quem ouça. Quando somosautênticos, temos a aura do amor. Quando não, pedimos amor aos outros. Quemse apaixona não tem amor e, assim, não pode dar. Quem é maduro não cai deamor, mas se eleva nele. Duas pessoas maduras que se amam, ajudam-se a setornarem mais livres. Liberdade, moksha, é um valor mais elevado que o amor.Por isso é que o amor não vale a pena se a destruir.Solidão e Solitude - Na solitude estamos constantemente encantados conosco
 
mesmos. Ela é abençoada, um profundo preenchimento, que nos mantém centradose enraizados. Ela é independente. Todos o um fim em si mesmos. Ningmexiste para ser usado. Quem esno pico da solitude se atrai por quemtambém esteja só. Dois solirios olham um para o outro, mas dois queconheceram a solitude olham para algo mais elevado. Se eso felizes consigomesmos, tornam-se companheiros. As palavras felicidade e acontecimento m amesma raiz em inglês. Porque a felicidade simplesmente acontece. Para serfeliz é preciso deixar acontecer. O caminho do amor deve ser tomado comtremenda consciência e o da consciência, com tremendo amor. Depois de cadaexperiência profunda nos sentimos sós e tristes: seja um grande amor ou umameditação. Por isso muitos evitam experncias profundas. A solitude é belae livre. É um momento em que o outro não é necessário. Após essa liberdade oamor é possível. O amor traz solitude e a solitude traz amor. a solioo cria amor; apenas necessidade. Ela pode matar. Dois solirios oconseguem se relacionar porque isso o ocorre a partir da necessidade.Solitude é uma flor desabrochando, é positiva, sauvel. o amor dá acoragem de sermos sós. assim acumulamos energia até transbordar etransformar-se em amor. Sós, acumulamos amor, celebração, dança, energia,prazer, vida. o excesso de energia possibilita o orgasmo, que o é umalívio, mas celebrão. Quando os amantes se afastam, readquirem suasolitude, beleza e alegria. A alegria traz a necessidade de compartilhar. Apaixão é muito pequena diante da compaixão. Solitude é mover-se para dentroe amor é mover-se para fora. Ambos os movimentos são enriquecedores.Terminando um relacionamento - Onde houver consciência, há revolta contra arepetição menica. Totalidade é a base da liberdade. Simpatia o é amor.Não se resolve problemas dentro da mente, pois ela é o problema, que não seresolve com respostas, por não ser um problema intelectual, mas existencial.Em vez de pensar é melhor entrar no silêncio, que é a porta a caminho dadivindade. Relacionamento não é amor e amor o é relacionamento. Este épronto e fechado e o amor é fluir. Relacionamento é estrutura; amor énão-estruturado. Amor é um processo, um estado de ser. As pessoas amorosasnão precisam de relacionamentos. O relacionamento torna-se necessário quandoo amor está ausente, ele o substitui. É preciso muita coragem parapermanecer aberto, sem criar um relacionamento. O amor acontece, nós não ofazemos acontecer: podemos nos tornar disponíveis. O amor vem do nada,como um solavanco e só é possível entre iguais. Se escolhemos alguém que temmedo de aprofundar é porque nós também temos. Quando o amor se aprofunda,aumenta a liberdade. Elevar-se no amor é um aprendizado, uma mudança, umamaturidade. É algo espiritual. Quem é sábio não impõe sua idéia a ninguém. Avida é incerta, a insegurança é seu próprio esrito. a morte é certa.Nunca devemos perguntar sobre problemas dos outros.Casamento - Ninguém nasce para o outro. Amor e liberdade andam juntos. Ela éuma expressão do amor. "Dar" liberdade é confiar. O crescimento precisa deliberdade. De todas as artes, o amor é a mais sutil e precisa ser aprendida.Amor é felicidade, harmonia, saúde. Um grande amante essempre pronto a

Activity (14)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
likaklein liked this
Raul Calligaris liked this
Raul Calligaris liked this
ThaísCarvalho liked this
DeePak André M liked this
Manhana Aguiar liked this
s_a_ liked this
danisouza7528031 liked this
annacruz liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->