Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
UFRR -Prova (Vestibular 2007)

UFRR -Prova (Vestibular 2007)

Ratings: (0)|Views: 4,450 |Likes:
Published by Ilzo Costa Pessoa
Uploaded from Google Docs
Uploaded from Google Docs

More info:

Published by: Ilzo Costa Pessoa on Dec 21, 2011
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/14/2013

pdf

text

original

 
 
UUFFRRRRVVEESSTTIIBBUULLAARR22000077
 PPRROOVVAAOOBBJJEETTIIVVAA
P
ág. 1/24
 
 
 
UUFFRRRRVVEESSTTIIBBUULLAARR22000077
 PPRROOVVAAOOBBJJEETTIIVVAA
P
ág. 2/24
 
LÍNGUA PORTUGUESA ELITERATURA BRASILEIRAQuestão n
o
1
A alternativa que representa adequadamente oromance “Senhora” é:(A)
 
romance que, mesmo rompendo a coerência danarrativa por meio de um final feliz,desenvolve as relações afetivas dospersonagens a partir dos conflitos provocadospela hierarquia social e econômica,confrontando o poder do indivíduo ao poder dodinheiro na figura de um herói suspenso que,ao invés de casar-se com uma herdeira defamília abastada, é comprado por uma moçarica, vendendo, desta forma, sua liberdade porstatus social.(B)
 
romance idealista que desenvolve as relaçõesafetivas das personagens, buscando conciliar omedo e a crueldade de forma que o temor sedissipe e a crueldade se transforme emtolerância, num epílogo repleto de encontros eno qual os protagonistas, escapando da morte,dão exemplo de coragem e generosidade.(C)
 
romance folhetim, com final trágico, publicadocom a intenção de atingir o grande público etravar uma discussão sobre os papéismasculinos e femininos na sociedade,buscando modelar os comportamentosadequados a uma Senhora e a um cavalheirorespeitáveis numa sociedade conservadora eelitista por meio de lições de moral eentusiasmo pelos padrões franceses deelegância vigentes na época.(D)
 
romance neoclássico com padrão formal rígido,no qual os protagonistas, a Senhora quecomanda uma grande fazenda e o jornalistaFernando Seixas, envolvidos numa aura demistério e glamour, freqüentam as festas dacorte, mergulhando em intrigas amorosas epolíticas que desembocam num surpreendentefinal, que deixa ambíguos os destinos dospersonagens principais.(E)
 
romance de forte teor humorístico em que asrelações afetivas se dão todas em inversões declasses sociais e, embora pleno de sensohumor, está, por outro lado, propenso adespertar no leitor a crítica política e odesprezo pelos preconceitos raciais, mostrando,por meio da história de amor da Senhorabranca e de Fernando Seixas, um comercianteem ascensão e ex-escravo, as resistências que asociedade do século XIX estimulava comrelação ao matrimônio entre brancos e negros.
Questão n
o
2
Assinale qual dos seguintes fragmentos de“Senhora” apresenta-se com a acentuação gráficatotalmente CORRETA:(A)
 
“Entendo o que você quer dizer; o dinheiro fazdo feio bonito, e da tudo, até saúde. Mas reparebem, os seus maiores admiradores são justamente aqueles que não podem pretendersua riqueza; uns casados, outros já velhos...”(B)
 
“Guardando com a viúva as deferênciasdevidas à idade, a moça não declinava uminstante do firme propósito de governar suacasa e dirigir suas ações como entendesse.”(C)
 
“Seus olhos já não têm aqueles fulvoslampejos, que despedem nos salões, e que, aigual do mormaço, crestam. Nos lábios, em vezdo cáustico sorriso, borbulha agora a flord’alma a rever os íntimos enlevos.”(D)
 
“A ferocidade da mulher enganada, sanha aleoa ferida, nunca teve para exprimi-la, nemmesmo na exímia cantora, uma voz maisbramida, um gesto mais sublime. As notas quedesatavam-se dos lábios de Aurélia, possantesde vigor e harmonia, deixavam após si umfrêmito, que lembrava o silvo da serpente,sobretudo quando este braço mimoso etorneado distendia-se de repente com ummovimento hirto para vibrar o supremodesprezo."(E)
 
“Sim, senhora; a minha franqueza está em dizera verdade, e não em escondê-la. Demais, isso éo que todos vêem e repetem.”
Questão n
o
3
O livro “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, écomumente apontado como expressão de umaliteratura:(A)
 
simbolista, de efeito estético que a aproxima dodiscurso filosófico.(B)
 
modernista, preocupada com as rupturasformais e com a crítica política.(C)
 
romântica, que contrapõe a moral dos padrõesclássicos à ousadia dos novos-ricos.(D)
 
modernista-regionalista, de cunho social,preocupada com as representações políticas.(E)
 
realista, que se aprofunda nas relaçõeshumanas e nas representações dos personagens.
Questão n
o
4
“Vidas Secas”, de Graciliano Ramos, mostra:(A)
 
uma família de retirantes do sertão nordestinopassando fome e sede em São Paulo.(B)
 
uma família vítima da seca, no sertãonordestino, vivendo situações-limite que a
 
 
UUFFRRRRVVEESSTTIIBBUULLAARR22000077
 PPRROOVVAAOOBBJJEETTIIVVAA
P
ág. 3/24
 
aproximam da vida dos animais e da paisagemao redor.(C)
 
um casal enamorado sofrendo as agruras daseca no sertão nordestino.(D)
 
um casal enamorado fugindo da opressão desuas famílias e sofrendo as agruras da fome eda sede em São Paulo.(E)
 
uma família cujas relações intolerantes entreseus membros secaram os vínculos afetivos,causando uma grande tragédia.
Questão n
o
5
O livro “Vidas Secas”, de Graciliano Ramos,apresenta-se:(A)
 
em texto contínuo, sem divisões em capítulos.(B)
 
em capítulos interligados pela continuidade datrama e preocupados com a linearidadetemporal dos fatos.(C)
 
em capítulos que se constituem em quadrosdestacáveis, como se fossem narrativasautônomas, mas que, paradoxalmente, dãounidade a uma obra desmontável.(D)
 
em texto contínuo, sem divisões em capítulos,que se fragmenta em seu discurso interno,representando uma literatura de cunhoclaramente modernista.(E)
 
em treze capítulos, apresentando em cada umdeles um dos membros da família mostrada nolivro.
Leia o texto e responda a questão a seguir:
Não faz muito tempo assim, um deputado-cartoladisse para quem quisesse ouvir que, quando vendeuum craque para o La Coruña, da Espanha, ele teveum trabalhão para depositar numa conta na Suíçaparte do dinheiro devido ao jogador, como haviasido combinado. Comunicou o fato atelespectadores de uma mesa-redonda com a mesmatranqüilidade com que sonegou a informação àReceita. Quem tem dinheiro, poder, notoriedade ouum bom advogado não costuma passar por grandesapertos. No retrato da nossa pátria-mãe tãodistraída, jogadores de futebol são os adventíciosque chegam aos andares de cima da torre social,como recompensa por um talento excepcional, oque, convenhamos, é mérito raro. Mas isso não lhesconfere isenções fiscais.Se o Leão ficar arisco para repentinos sinaisexteriores de riqueza, vai empanturrar-se debanquetes fora dos gramados.
(Flávio Pinheiro. Veja, 27 de agosto de 1997, comadaptações)
Questão n
o
6
Assinale o item INCORRETO em relação ao texto:(A)
 
A expressão "devido ao" (l. 5) indica relaçãosintática de causa.(B)
 
O pronome "ele" (l. 3) se refere a "deputado-cartola" (l. 1).(C)
 
O substantivo "jogador" (l. 5) se refere a "umcraque" (l. 3).(D)
 
O agente dos verbos "Comunicou" (l. 6) e"sonegou" (l. 8) é o mesmo dos verbos "disse"(l. 2), "vendeu" (l. 2) e "teve" (l. 3).(E)
 
As palavras "trabalhão" (l. 4) e "apertos" (l. 11)contribuem para conferir informalidade aotexto.Para resolver a questão nº 7, leia atenciosamente otexto a seguir:
NÓS, OS PALHAÇOS
O carioca, outrora alegre e gentil, virou grosseiro eirritadiço.Sai de casa pela manhã, como quem vai para umabriga; mantém para o colega de bonde, ônibus oulotação, uma atitude de "mentalidade antipática", e,para com o motorista ou cobrador, de beligerânciaem potencial. Não cede lugar a nenhuma senhora, edefende a tese de que todas as senhoras e senhoritasvão à cidade para apenas comprar um carretel; e,quando cede lugar a uma dama bonita, acha queadquiriu, com isso, direito de ser louco eimediatamente amado pela mesma.O chofer considera todo colega um "barbeiro" etodo o pedestre um débil mental com propensão aosuicídio. O garçom irrita-se porque o freguês tem aveleidade de lhe pedir alguma coisa, e cada freguêsacredita ter o privilégio natural de ser servido emprimeiro lugar. Em resumo: o próximo a quemoutrora chamávamos de cavalheiro, é hoje um"palhaço".Ainda ontem eu vinha para casa de táxi e esse quasese chocou com um carro particular. Quase aomesmo tempo vieram os dois gritos:- PALHAÇO!- PALHAÇO!Confesso que eu mesmo, que não entrei naconversa, me senti um pouco palhaço. Ou pelomenos, um membro do circo, esse vasto circo deneurastênicos.
 RUBEM BRAGA, Português Textos e Testes,Édison de Oliveira e Paulo Simões, Editora doProfessor, Porto Alegre, pp. 84-85.
Questão n
o
7
Com referência aos vários aspectos fonéticos, julgue os itens abaixo.Marque "
C
" para as corretas e "
E
" para as erradas.

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 hundred reads
Isa Perrencelli liked this
Débora Pires liked this
Shamera Vivenny added this note
eu gostaria de saber os cálculos das questoes de físicas 33 e 36
Sabrina Costa liked this
Raphael Belckior liked this
Eudocio Rafael liked this
Thayná Araújo liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->