Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
70Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Tce

Tce

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 37,813|Likes:
Published by Traumn

More info:

Published by: Traumn on Nov 12, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

10/23/2013

pdf

text

original

 
RESUMO 
 
O Traumatismo Cranioencefálico constitui a principal causa de óbitos eseqüelas em pacientes multitraumatizados. Entre as principais causas estão:acidentes automobilísticos (50%), quedas (21%), assaltos e agressões (12%),esportes e recreação (10%). No Brasil, anualmente meio milhão de pessoasrequerem hospitalização devido a traumatismos cranianos, destas, 75 a 100 milpessoas morrem no decorrer de horas enquanto outras 70 a 90 mildesenvolvem perda irreversível de alguma função neurológica. Em função desua alta ocorrência e malignidade, este artigo de revisão bibliográfica abordarátópicos referentes ao traumatismo cranioencefálico, fornecendo um maior conhecimento sobre o tema; destacar a importância do tratamentofisioterapêutico no tocante à melhora dos déficits funcionais nestes pacientes.Conclui-se que a prevenção é o principal artifício utilizado para redução do altoíndice de mortalidade e morbidade deixado por tal trauma atras deprogramas e campanhas de prevenção de acidentes direcionadosprincipalmente às suas principais vítimas: crianças e adultos jovens.
INTRODUÇÃO
O traumatismo cranioencefálico (TCE) é uma agressão ao cérebro, nãode natureza degenerativa ou congênita, mas causada por uma força físicaexterna, que pode produzir um estado diminuído ou alterado de consciência,que resulta em comprometimento das habilidades cognitivas ou dofuncionamento físico. Pode também resultar no distúrbio do funcionamentocomportamental ou emocional. Este pode ser temporário ou permanente eprovocar comprometimento funcional parcial ou total, ou mau ajustamentopsicológico
9
.O TCE pode ser provocado por acidente de trânsito (60 a 70%), quedas(20%) e outras causas mais raras como agressões e projétil de arma de fogo
5
.Os pacientes vítimas de TCE são a quarta principal causa demortalidade nos EUA nos últimos 40 anos, enquanto que entre as pessoas de 1a 45 anos se encontram em primeiro lugar. A mortalidade dos pacientes vítimasde TCE está em torno de 40% e não está limitada somente aos paísesdesenvolvidos, sendo o TCE bastante presente em todo mundo. Infelizmente,mais da metade das mortes por TCE ocorre no local do trauma, sem tempohábil para reanimação
5
.O presente estudo de revisão bibliográfica tem como objetivo um maior conhecimento sobre o tema. Para isso, serão abordados os seguintes tópicos:conceito, incincia fisiopatologia, tipos, quadro clínico, classificão,complicações, seqüelas, diagnóstico e tratamentos. Quanto aos tipos detratamentos, será destacado a importância da fisioterapia em proporcionar uma
 
melhor qualidade de vida aos pacientes com TCE descrevendo as técnicasmais utilizadas para tal propósito.
CONCEITO
O TCE constitui qualquer agressão que acarrete lesão anatômica oucomprometimento funcional do couro cabeludo, crânio, meninges ou encéfalo.É a causa de morte mais freqüente entre os 2 e 42 anos de idade
4
.
INCIDÊNCIA
A incidência de TCE é maior para homens que para mulheres em maisde 2:1. Mais de 50% dos pacientes com TCE está entre as idades de 15 e 24anos
9
.
FISIOPATOLOGIA
É importante que sejam compreendidos os mecanismos da leocerebral, visto que conseqüências sensoriomotoras, cognitivas,comportamentais e sociais diretamente seqüenciais à injúria
5
.As lesões primárias ocorrem segundo a biomecânica que determina otrauma. As lees secundárias ocorrem segundo alterações estruturaisencefálicas decorrentes da lesão primária bem como de alterações sistêmicasdecorrentes do traumatismo. O objetivo principal do tratamento é evitar ouminimizar as lesões cerebrais secundárias
4
.
Lesão Primária
Decorrente da ação da força agressora, ou seja, ligada ao mecanismodo trauma. Nos TCE dois tipos de fenômenos biomecânicos podem ocorrer 
4
:a) Impacto: certa quantidade de energia é aplicada sobre uma árearelativamente pequena, sendo dependente da intensidade e do local doimpacto;b) Inerciais: o cérebro sofre em condões de mudaa abrupta demovimento: acelerão ou desaceleração por absorver esta energiacinética.Principais lesões primárias:a) Fraturas
3
;b) Contusões e lacerações da substância cinzenta: lesões corticaisatingindo cristas das circunvoluções. Pode-se observar extravasamento desangue em forma de hemorragia subpial. Mecanismos geralmenteassociados são a aceleração e desaceleração rotatórias (base do lobofrontal e pólo temporal anterior), compressão direta, lesões por contragolpelocalizadas no pólo oposto ao impacto. Achados mais específicos são a
 
hemorragia e a necrose (sangue extravasado comprime células próximascausando isquemia focal). Resultado é lesão anóxica das células neuronaise gliais, tumefação e fragmentação dos axônios com desmielinização dasfibras
4
;c) Lesão axonal difusa: é secundária ao cisalhamento das fibras mielínicascom degeneração walleriana da bainha de mielina das fibras seccionadas.Esta lesão ocorre quando uma força de impacto com um componente deaceleração rotatória atinge os feixes de fibras perpendicularmente, fazendoque ocorra uma cizalhamento. Pequenas lesões petequiais são freqüentesno corpo caloso e nos pedúnculos cerebelares superiores e, mais tarde,surge dilatação ventricular por retração da substância branca, em virtude doprocesso de degeneração
3
. É característico de leo de panquimacerebral sendo que o coma dura mais de 6 horas
7
. 
Lesão Secundária
As causas destas lesões podem surgir no momento do traumatismo ou apósum certo peodo de tempo. Do ponto de vista clínico manifestam-setardiamente. Do ponto de vista terapêutico, sobre as lesões primárias nãopodemos agir, todavia nas secundárias, em muitos casos pode-se atuar interrompendo o processo fisiopatológico de seu desenvolvimento, evitando oagravamento da lesão
4
.Principais lesões secundárias:a) Hematomas intracranianos classificam-se em:Extradurais: coleção sangüínea entre o crânio e a dura-máter polaceração de um vaso meníngeo, de um seio venoso ou de sangramentodiplóico. Localiza-se freqüentemente na região temporal. Quadro clínico: inícioassintomático e posteriormente hemiparesia contralateral, sinais de HIC
4
. Opaciente passa por um intervalo lúcido, ou seja, fica inconsciente e de repenteele volta a ter uma certa consciência. Tratamento é cirúrgico
5
.Subdurais: caracteriza por uma coleção sangüínea entre a dura-máter eo cérebro
5
. A causa mais comum é a ruptura traumática de veias cortico-meníngeas que vão do córtex aos seios durais. Freqüentemente em regiõestemporais e frontais. Tratamento é cirúrgico e prognóstico menos animador queo anterior 
4
.Intraparenquimatosos: coleção compacta de sangue alojada dentro doparênquima cerebral. A localização preferencial é no lobo temporal e, emseguida, no lobo frontal
4
. É uma lesão mais séria e tem um volume de sangueacima de 5 ml. Geralmente este paciente vai evoluir para o coma
5
.b) Hipertensão intracraniana: é uma das complicações mais freqüentes doTCE e a principal causa de óbito no momentos iniciais da evolução. A

Activity (70)

You've already reviewed this. Edit your review.
Moreno Moreno liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Michela Papadiuk liked this
pcovre liked this
Carlos Alberto Correia added this note|
interessante,obrigada.
Danielle Torres added this note|
ESSE TEXTO ME TIROU MUITAS DUVIDAS.....OBRIGADA..
Luis Baratta liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->