Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Modernização da agricultura e as mudanças no Cerrado goiano

Modernização da agricultura e as mudanças no Cerrado goiano

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 1,121 |Likes:
Published by UEGMORRINHOS

More info:

Categories:Topics, Art & Design
Published by: UEGMORRINHOS on Feb 02, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/28/2013

pdf

text

original

 
MODERNIZAÇÃO DA AGRICULTURA E AS MUDANÇAS NO CERRADO GOIANORESUMO:
Esse artigo tem o objetivo de discutir as formas com que a agricultura no Cerradogoiano vem se modernizando e quais as conseqüências desse processo. Com a modernização daagricultura a taxa de participação do campo, na formação de produtos agregados, ganhouqualidade. A partir de levantamento bibliográfico pode-se observar os avanços trazidos àagricultura possibilitou ao estado alcançar índices de crescimento na economia o que geroutambém problemas ante à questão ambiental, com o uso da tecnologia, o que acarretou ocomprometimento da biodiversidade do Cerrado goiano.
Palavras chaves:
Cerrado. Agricultura. Modernização.
Introdução
O presente artigo traz várias discussões sobre os modernos métodos que a agricultura vemutilizando nas ultimas décadas e as ações provocadas por estes no Cerrado goiano. A proposta éretratar que mesmo sendo muito importante para a economia e o crescimento do país, aagricultura tem provocado muitos danos ao solo pelo seu uso intensivo, principalmente dadegradação da vegetação nativa do Bioma Cerrado. Objetiva-se também mostrar alternativas quevenham minimizar os problemas ambientais provocados pela modernização da agriculturadecorrente do desenfreado e preocupante uso e ocupação do solo.Através de levantamento bibliográfico buscamos discutir as agregações ao meio naturalprovenientes da industrialização da agricultura, propondo alternativas para um manejo maisapropriando do solo.Desde seu descobrimento, o Brasil é um país voltada as atividades essencialmenteagrícolas ou ligadas à utilização da terra. Já no ínício do século XVI, o extrativismo do pau-brasil
Daiane Guimarães SousaDaianne Ferreira BuenoLuciana Alves da SilvaMagaly Pires da SilvaSelma Perreira
 
foi a base da economia colonial, utilizando principalmente mão-de-obra indígena. Por volta soséculo XVI, produção de cana-de-açúcar nos engenhos do Nordeste movimentou a economia egerou boas dividas para o governo Português que utilizou a prática da escravidão do ser humano.No século XIX, a produção de café tornou-se o centro das atenções no mercado brasileirosobretudo após a independência no Brasil Imperial. Os grandes fazendeiros cultivavam a lavouracafeeira, visando especialmente à exportação. A mão-de-obra escrava foi aproveitada até ocorrera abolição da escravatura, quando começou a ser utilizado o trabalho livre remunerado, como odos imigrantes estrangeiros.Portanto, observa-se que a agricultura sempre esteve presente na história do Brasil econtinua sendo o sustentáculo da sua economia até a atualidade, como a expansão das lavouras desoja, arroz, milho, cana-de-açúcar e outras, sempre com tendência à monocultura. SegundoWanderley, 1995. p à monocultura. Segundo Wanderley, (1995. p 45).
No Brasil, a história agrícola está ligada do processo de colonização no qual adominação social, a política e a economia da grande propriedade foram privilegiadas.Assim, a grande propriedade impôs-se como modelo socialmente reconhecido e recebeuestímulos expressos na política agrícola que procurou modernizar e assegurar suareprodução, podendo-se concluir que a agricultura familiar sempre ocupou um lugarsecundário na sociedade brasileira.
Diante disso, podemos dizer que apesar do desenvolvimento industrial nas últimasdécadas, o Brasil ainda mantém sua estrutura agrária voltada para as atividades agrícolas, com afinalidade de suprir as industrias com a matéria-prima produzida no campo.
1. Modernização da agricultura Brasileira
A partir de meados da década de 1960, a agricultura brasileira inicia o processo demodernização como a chamada Revolução Verde. Emergem dessa década, com o processo demodernização da agricultura, novos objetivos e formas de exportação agrícola originandotransformações tanto na pecuária, quanto na agricultura.Como conseqüência desse processo são apontados além de acirrada concorrência no quediz respeito a produção, os efeitos sociais e econômicos sofridos pela produção envolvida comatividades rurais.
A agricultura, via de regra, é considerada fundamental no processo de desenvolvimentoeconômico de qualquer nação. Ao propiciar a expansão não apenas da produçãoagropecuária como também das atividades industriais correlatas, além de contribuir para
 
o crescimento econômico, ela também conduz ao aumento do bem-estar social dapopulação ao resultar na geração de novos empregos e de renda. (SOUZA, 1997. p. 130).
A modernização na agricultura brasileira se instalou no centro-sul brasileiro, macro regiãoque engloba Goiás, Mato Grosso do Sul, o Sudeste da Bahia e região Sul e Sudeste, sendo agentedessa adaptação às necessidades do modo de produção empresas capitalistas que penetravam e oprocesso produtivo dos empreendimentos econômicos urbanos.A mecanização, foi a materialização nesse processo de modernização da agriculturabrasileira, configurando a forte articulação entre agricultura e indústria, os agricultores, diante danecessidade da reestruturação para levar à produtividade, apoiaram-se nos insumos industriais:máquinas, sementes, agrotóxicos, fertilizantes, adquirindo dividas e dependência estatal. Nessesentido, Habermas (1990, p. 62) afirma que.
A modernização a partir de Max Weber é vista como um processo concretodesencadeando principalmente pelo capitalismo e que reúne em conjunto cumulativo einterativo de processos ligados à formação de capital e mobilização e de recursos, aodesenvolvimento das forças produtivas e ao aumento da produtividade do trabalho, aoestabelecimento de poderes políticos centralizados e a formação de identidades nacionais,a expansão de direitos (...) a secularização de valores de valores e normas, etc.
A introdução do capital industrial no campo promoveu o enriquecimento dos grandesprodutores em detrimento dos produtores desmecanizados, o que favoreceu para formação deuma mão-de-obra de reserva: bóia-fria.Dessa forma verifica-se que a modernização da agricultura brasileira delineou novoscontornos no campo, onde o controle financeiro era regido pelos interesses do complexoagroindustrial e o pequeno produtor pelos do grande proprietário rural.
2. A modernização da agricultura no Estado de Goiás
A ocupação no cerrado iniciou-se no século XVIII com a abertura e assentamentos depovoados para a exploração de ouro e pedras preciosas. Em meados do século XX, ás áreas doCerrado eram consideradas sem valor tanto estético como econômico. Sua vegetação era vistacomo algo sem nenhuma beleza e por isso sua única utilidade era a retirada de maneira para afabricação de carvão, o que até então era realizado numa proporção que não chegava a afetar a

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->