Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 5 - Entrando Numa Fria

True Blood - Escravos do Amor - Capítulo 5 - Entrando Numa Fria

Ratings: (0)|Views: 22,294 |Likes:
Published by WE LOVE TRUE BLOOD
Mais um capítulo fresquinho de nossa novela mericana.
Mais um capítulo fresquinho de nossa novela mericana.

More info:

Published by: WE LOVE TRUE BLOOD on Feb 10, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/07/2013

pdf

text

original

 
Temporada 01 Capítulo 05 
Entrando Numa Fria
Let's not make it a nightmare.
Sookita não acreditava no que tinha ouvido de seu irmão, parecia que tudocaminhava para Eric Henrique Colunga. Seria uma punição que estavasofrendo por ter enganado Bill? Por ter agido como uma moça de poucaclasse? Sem dúvida precisava ir à igreja se confessar e pagar penitência,pensou tristemente.“Sook, por favor, minhas bolas estão em jogo nesse momento. Esse vampirovai me procurar, os vampiros devem estar me farejando, eu não sei o quefazer.”, ele disse passando a mão na bochecha vermelha por causa do tapaque levou de sua irmã.“Você é um homem da lei. Como foi se envolver com esse tipo de coisa? Nãodeveria parecer um foragido, deveria é prender os bandidos. Vovó está serevirando no túmulo de decepção e você vem falar de suas bolas?”“Não tenho tempo para te explicar isso agora, a cagada já está feita e se vocênão me ajudar, vou virar comida de vampiro em dois tempos.”“Justo com aquele Eric? Ele é odioso, monstruoso e perverso. É o diabo empessoa.”“Desde quando você sabe tudo isso sobre Eric? Achei que sua vida eratrabalhar, amar e rezar...”, ele não conteve uma risadinha.“Isso não é da sua conta”, respondeu Sookita desconversando. “O fato é...como um policial foi se envolver numa tramoia dessas. Estou decepcionada...muito.”“Eu sei, estou desesperado... eu jamais teria te revelado sobre o tráfico se nãoestivesse sem alternativas. Me sinto um pouco mal...”.“Um pouco mal? Acho que quando criança você deve ter batido a cabeça, só
 
pode. Não consigo encontrar uma explicação. E claro, você quer que eu teajude como? Te entregando pra policia? Estou a um passo de fazer isso, nãome provoque muito.”.“Você é namorada do prefeito, tem uma certa influência, qualquer coisa quepossa fazer por mim vai valer... qualquer coisa.”“Você é louco de pensar que irei envolver Bill nessa sujeira. Ele é um vampiro,Jason, que parte você não entendeu...”, ela deu uma batida com a mão nacabeça do irmão.“Tudo bem, Sook, nem sei por que vim pedir sua ajuda... perdi meu tempo.”,disse Jason se retirando da casa de sua irmã.“Ah, meu deus”, ela disse exasperada. “Volte aqui, seu tonto”.Jason estava abrindo a porta quando ouviu o pedido de sua irmã, começou achorar e correu para os braços dela, entre soluços ele dizia:“Estou com os dias contados, eu sinto isso...sou jovem demais pra morrer,tenho toda uma vida pela frente. Eu prometo que jamais farei bobagem assim,vou ser correto daqui pra frente. Juro.”“Jason, eu só acreditaria se você confessasse isso para o Padre João AntônioMaria. Acho que você só entrará na linha se seguir o caminho da retidão.”“Eu vou, me confesso, viro um novo homem... mas por favor, me ajude!”“O que eu posso fazer por você? Sabe que não posso falar com o Bill, peçaqualquer outra coisa...”“Preciso de ajuda para esconder o que peguei, depois eu me livro desse Vquando a poeira baixar.”“Deixe eu ver se entendi, você quer esconder o V aqui na minha casa, acertei?”perguntou Sookita com olhar zangado.“Não sei, apenas tenho que me livrar dessa coisa toda. Não vou poder vender,porque podem me rastrear, não sei...só quero me livrar disso.”“Não posso esconder o V aqui, Jason. Serei sua cúmplice no tráfico e isso sóvai piorar nossa situação.”“Não tem aquela fazenda abandonada do velho Ramirez que morreu ano
 
passado? Ele não tinha parentes, nem nada, lá está abandonado.”, ele disseparando de chorar.“Sim, está abandonada. Acho que você poderia esconder lá temporariamenteaté achar um local melhor.”Sookita balançou a cabeça em reprovação ao seu irmão, levantou-se do sofá edisse:“Vou preparar um chá para te acalmar.”.------------------------------------------------Sam estacionou em frente à casa antiga da família Montenegro. Olhou em voltae percebeu que o terreno estava em silêncio, exceto pelos insetos que faziambarulho. Será que Sookita não estava em casa? Resolveu tentar a sorte, poisprecisava mesmo falar com sua funcionaria e amiga. Na verdade, não sabia seela ainda o queria como amigo, depois dele ter a agarrado contra a suavontade.Respirou fundo para criar coragem e apertou a campainha. Nada, ninguémrespondeu. Mas ele não ia desistir tão fácil e apertou de novo. Escutou passose esperou...Sookita abriu a porta rapidamente. Ela estava vestindo shorts e uma camisetacor de rosa, tinha os cabelos molhados. Sam não podia deixar de notar que elasegurava o pente em uma das mãos. Ele ficou atordoado com essa visão, elaera mais bonita do que ele lembrara, e os cabelos molhados prontos paraserem massageados, dava um toque todo especial.“Oi, Sookita!” diz Sam timidamente.“Oi”“Posso entrar?”“O que você quer aqui, Sam?”, falou rispidamente.“Precisamos conversar, você sabe.”“O que eu sei Sam, é que esperava aquilo de qualquer homem, menos devocê. Como pode? Depois de tantos anos de lealdade...você sabe que eu souuma mulher comprometida...”.

Activity (5)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 thousand reads
1 thousand reads
1 hundred reads

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->