Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
40Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Direito Civil II (parte I)

Direito Civil II (parte I)

Ratings:

4.5

(4)
|Views: 10,382|Likes:
Published by pedrolamounier

More info:

Published by: pedrolamounier on Dec 01, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

03/12/2014

pdf

text

original

 
 DireitoCivil II
(Terceiro Período)
Primeira Avaliação
2007
 Professor Pedro Eustáquio Scapolatempore
Telefone: 32645202
 
 2
Direito das Obrigações
Primeira Avaliação: 18/09 (terça-feira)Segunda Avaliação: 13/11 (terça-feira)Doutrina: Caio Mário da Silva Pereira
 
Art. 233 até o art. 420.
Noção Histórica das Obrigações
 
 Na Grécia antiga não havia, propriamente, uma definição de obrigação,embora já houvesse uma certa noção dessa figura jurídica;
 
 No direito romano, por sua vez, também não se conhecia a expressãoobrigação, mas o seu equivalente histórico teria sido a figura do
nexum
,espécie de empréstimo que conferia ao credor o poder de exigir do devedor ocumprimento de determinada prestação, sob pena de responder com o seu próprio corpo, podendo, inclusive, ser reduzido a condição de escravo, o quese realizava por meio da
actium manus iniectionem,
ação pela qual o credor  podia vender o devedor como escravo, além do rio Tibre;
 
Percebe-se, pois, que, no direito romano, no tocante a execução dasobrigações, a execução recaia sobre a pessoa do devedor;
 
Somente no séc. IV a.C através da lei
 papiria poetilia
, os romanos suprimiramessa forma de execução, a qual, tudo indica já estava em desuso;
 
Dessa forma, conclui-se que, do ponto de vista formal, o grande diferencial doconceito moderno de obrigação para seus antecedentes históricos está no seuconteúdo econômico, deslocando-se a sua garantia da pessoa do devedor parao seu patrimônio;
 
Tal modificação valorizou a dignidade humana, ao mesmo tempo em queretirou a importância central da obrigação do indivíduo no pólo passivo;
 
Código de Napoleão de 1804 consagrou expressamente tal conquista do direitoromano, prevendo em seu artigo 2093 que “os bens do devedor são a garantiacomum de seus credores”, regra fundamental para a construção teórica,moderna do direito das obrigações.
 
O direito não é estático, vai se desenvolvendo de acordo com a própriasociedade. A sociedade exige sua alteração.
 
 No direito romano utilizava-se
nexum
quase como sinônimo de obrigação.
 
Exceções hoje: depositário infiel e pensão alimentícia;
José Roberto de Faria – Direito Civil II – Aula Digitada Não Revisada
 
 3
 
Conceito de Obrigação: é a relação jurídica, de caráter transitório, estabelecidaentre devedor e credor, cujo objeto consiste numa prestação pessoaleconômica, positiva ou negativa, devida pelo primeiro ao segundo, garantindo-lhe o adimplemento através de seu patrimônio.
 
Relação jurídica: dois pólos (A --- B) são pressupostos na relação jurídica, éde caráter transitório, pois necessita ter início, meio e fim. Em alguns casos aobrigação nasce e morre instantaneamente, como na compra de uma gravata;
 
Via de regra, as obrigações são bilaterais, existe um pólo passivo e um póloativo. Mas na compra da gravata, quem é o devedor e quem é o credor;
 
Em toda e qualquer obrigação assumida, seja pelo devedor ou credor, ele busca uma satisfação econômica e pessoal;
 
Obrigações positivas: de dar, de fazer, ou negativas, de não fazer, de não dar;
 
O devedor que não cumpre com a sua obrigação, vai ser suportado pelo patrimônio;
Elementos:
1.
 
Sujeito Ativo: a pessoa a quem deve ser fornecida ou que tem o direito deexigir a prestação. Em resumo: o beneficiário da obrigação, ou seja, o credor;2.
 
Sujeito Passivo: nada mais é do que o devedor, isto é, aquele de quem o credor  pode exigir o cumprimento da obrigação;3.
 
Objeto: elemento material que o devedor tem de fornecer ao credor, e que este pode exigir daquele;4.
 
Vínculo Jurídico: une os dois sujeitos por causa da prestação, compreende, portanto, de um lado o dever da pessoa obrigada, e, de outro, aresponsabilidade em caso de inadimplemento. O devedor obriga-se, o patrimônio responde.
 
Sujeito Ativo = credor 
 
Sujeito Passivo = devedor 
 
Objeto = elemento material
 
Vínculo Jurídico une o sujeito ativo ao sujeito passivo
 
Alguns incluem a Causa como elemento, mas no direito brasileiro isso édesnecessário, pois não importa o motivo do débito não tem relevância, odevedor deve honrá-lo se preenche os requisitos da lei.
José Roberto de Faria – Direito Civil II – Aula Digitada Não Revisada

Activity (40)

You've already reviewed this. Edit your review.
Alan Santos added this note|
Excelente! gostaria de todo o CC assim!!
Alan Santos liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Bruna Cavalcante liked this
Antonio Bispo added this note|
Muito bom. Antônio bispo
Cleude Oddenino liked this
Val Rosa Santos liked this
Juliana Motta liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->