Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
40Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Direito Civil II (parte I)

Direito Civil II (parte I)

Ratings:

4.5

(4)
|Views: 4,166 |Likes:
Published by pedrolamounier

More info:

Published by: pedrolamounier on Dec 01, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/12/2014

pdf

text

original

 
 DireitoCivil II
(Terceiro Período)
Primeira Avaliação
2007
 Professor Pedro Eustáquio Scapolatempore
Telefone: 32645202
 
 2
Direito das Obrigações
Primeira Avaliação: 18/09 (terça-feira)Segunda Avaliação: 13/11 (terça-feira)Doutrina: Caio Mário da Silva Pereira
 
Art. 233 até o art. 420.
Noção Histórica das Obrigações
 
 Na Grécia antiga não havia, propriamente, uma definição de obrigação,embora já houvesse uma certa noção dessa figura jurídica;
 
 No direito romano, por sua vez, também não se conhecia a expressãoobrigação, mas o seu equivalente histórico teria sido a figura do
nexum
,espécie de empréstimo que conferia ao credor o poder de exigir do devedor ocumprimento de determinada prestação, sob pena de responder com o seu próprio corpo, podendo, inclusive, ser reduzido a condição de escravo, o quese realizava por meio da
actium manus iniectionem,
ação pela qual o credor  podia vender o devedor como escravo, além do rio Tibre;
 
Percebe-se, pois, que, no direito romano, no tocante a execução dasobrigações, a execução recaia sobre a pessoa do devedor;
 
Somente no séc. IV a.C através da lei
 papiria poetilia
, os romanos suprimiramessa forma de execução, a qual, tudo indica já estava em desuso;
 
Dessa forma, conclui-se que, do ponto de vista formal, o grande diferencial doconceito moderno de obrigação para seus antecedentes históricos está no seuconteúdo econômico, deslocando-se a sua garantia da pessoa do devedor parao seu patrimônio;
 
Tal modificação valorizou a dignidade humana, ao mesmo tempo em queretirou a importância central da obrigação do indivíduo no pólo passivo;
 
Código de Napoleão de 1804 consagrou expressamente tal conquista do direitoromano, prevendo em seu artigo 2093 que “os bens do devedor são a garantiacomum de seus credores”, regra fundamental para a construção teórica,moderna do direito das obrigações.
 
O direito não é estático, vai se desenvolvendo de acordo com a própriasociedade. A sociedade exige sua alteração.
 
 No direito romano utilizava-se
nexum
quase como sinônimo de obrigação.
 
Exceções hoje: depositário infiel e pensão alimentícia;
José Roberto de Faria – Direito Civil II – Aula Digitada Não Revisada
 
 3
 
Conceito de Obrigação: é a relação jurídica, de caráter transitório, estabelecidaentre devedor e credor, cujo objeto consiste numa prestação pessoaleconômica, positiva ou negativa, devida pelo primeiro ao segundo, garantindo-lhe o adimplemento através de seu patrimônio.
 
Relação jurídica: dois pólos (A --- B) são pressupostos na relação jurídica, éde caráter transitório, pois necessita ter início, meio e fim. Em alguns casos aobrigação nasce e morre instantaneamente, como na compra de uma gravata;
 
Via de regra, as obrigações são bilaterais, existe um pólo passivo e um póloativo. Mas na compra da gravata, quem é o devedor e quem é o credor;
 
Em toda e qualquer obrigação assumida, seja pelo devedor ou credor, ele busca uma satisfação econômica e pessoal;
 
Obrigações positivas: de dar, de fazer, ou negativas, de não fazer, de não dar;
 
O devedor que não cumpre com a sua obrigação, vai ser suportado pelo patrimônio;
Elementos:
1.
 
Sujeito Ativo: a pessoa a quem deve ser fornecida ou que tem o direito deexigir a prestação. Em resumo: o beneficiário da obrigação, ou seja, o credor;2.
 
Sujeito Passivo: nada mais é do que o devedor, isto é, aquele de quem o credor  pode exigir o cumprimento da obrigação;3.
 
Objeto: elemento material que o devedor tem de fornecer ao credor, e que este pode exigir daquele;4.
 
Vínculo Jurídico: une os dois sujeitos por causa da prestação, compreende, portanto, de um lado o dever da pessoa obrigada, e, de outro, aresponsabilidade em caso de inadimplemento. O devedor obriga-se, o patrimônio responde.
 
Sujeito Ativo = credor 
 
Sujeito Passivo = devedor 
 
Objeto = elemento material
 
Vínculo Jurídico une o sujeito ativo ao sujeito passivo
 
Alguns incluem a Causa como elemento, mas no direito brasileiro isso édesnecessário, pois não importa o motivo do débito não tem relevância, odevedor deve honrá-lo se preenche os requisitos da lei.
José Roberto de Faria – Direito Civil II – Aula Digitada Não Revisada

Activity (40)

You've already reviewed this. Edit your review.
Alan Santos added this note
Excelente! gostaria de todo o CC assim!!
Alan Santos liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
Antonio Bispo added this note
Muito bom. Antônio bispo
Bruna Cavalcante liked this
Cleude Oddenino liked this
Rosangela Falcao added this note
Adorei!
Val Rosa Santos liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->