Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
0Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
MANTORRAS

MANTORRAS

Ratings: (0)|Views: 2 |Likes:
Published by Rita Vairinhos

More info:

Published by: Rita Vairinhos on Mar 20, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/20/2012

pdf

text

original

 
Queridas madrinhas/ padrinho, 
  Aqui segue a história do Mantorras para que as novas madrinhas e o padrinho fiquem apar de tudo desde o momento em que este patudo se cruzou no nosso caminho.Segue também um
agradecimento grande e sentido
às madrinhas Ana M., SusanaL. e Susana S. que, desde o inicio, têm estado ao lado deste patudo e acreditaram sempre queele ia ser um cão normal e ia poder ser adoptado, mesmo quando mais ninguém acreditava.Segue um
agradecimento igualmente grande
às novas madrinhas, Carla P. e CeliaH. e ao padrinho Vitor D., que completaram a mensalidade em falta. O Mantorras foi aindaapadrinhado pela Celia com a ração sensitive de que precisa.
MANTORRAS
O Mantorras foi abandonado à porta do nosso abrigo. Deixaram-no amarrado a umposte, com uma corda tão apertada ao pescoço que os seus olhos pareciam que iam saltar.Estava um dia de chuva torrencial mas nem isso impediu que ali o deixassem, sem água nemcomida, ao frio e à chuva. Imediatamente lançamos apelo para o colocar em hotel, o abrigoestava lotado e o Mantorras (por ser tudo novo para ele) não se dava com cães nem cadelas(essa relação ainda hoje está complicada com os cães - tencionamos castrar o Mantorras paraver se este comportamento muda).Demoramos 3 dias até conseguirmos soltar o Mantorras. Ele ladrava e tentava morder.Nesse terceiro dia lá conseguimos algum progresso, o Mantorras estava mais calmo. Lançamosa mão sobre a sua cabeça para lhe fazer uma festa mas o Mantorras não sabia o que isso era.Percebemos naquele momento... Fechou muito os olhos como se lhe fôssemos bater e quandopercebeu que "aquilo" afinal sabia bem, abriu-os e olhou-nos com uma ternura enorme. Desdeesse dia que salta para nós como se nos conhecesse desde sempre, tornamo-nos os seusmelhores amigos, os únicos até então.
 
Soubemos mais tarde que o Mantorras vivia num galinheiro de um bêbado (fechado),fazia de guarda mas começou a comer as galinhas (porque será?), quem nos contou nunca quisrevelar o sítio em concreto, mas a verdade é que mesmo que soubéssemos o sítio nadapoderíamos fazer, porque em Portugal os animais continuam pouco ou nada protegidos pelasfracas e parcas leis.O Mantorras está em hotel desde então, mas continua a precisar muito de uma família.Já o levamos ao veterinário várias vezes pela sua magreza/ diarreias, e depois de muitasanálises, todas elas normais, o diagnóstico foi: stress por estar numa boxe. O Mantorras tem,pelo menos enquanto está no hotel, que comer ração sensitive para que as diarreias atenuem.O Mantorras é um cão eufórico,
quer viver a vida que nunca teve oportunidadede viver, e quer viver tudo HOJE
, é o cão do CARPE DIEM :) Mas é um cão que consegueser igualmente equilibrado (se estivermos umas horas com ele a passear ele acalma, deixa defazer aquela força doida para puxar a trela e deixa de dar saltos à canguru).
No fundo, o Mantorras só precisa de atenção, de umafamília disposta a cuidar dele em troca do muito amor que ele tem para dar. 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->