Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Asterisk

Asterisk

Ratings: (0)|Views: 115|Likes:
Artigo submetido ao SBRC
Artigo submetido ao SBRC

More info:

Published by: Mauro Tapajós Santos on Mar 20, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as ODT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/20/2012

pdf

text

original

 
TelSL1 – Solu
çã
o de telefonia sobre redes de dados para pequenascorpora
çõ
es utilizando softwares livres
Celso Henrique Ribeiro, Rafael Antonio Souza Spotto, Mauro Tapajós Santos
Curso de Bacharelado em Ci
ê
ncia da Computa
çã
oUniversidade Cat
ó
lica de Bras
í 
lia (UCB) – Bras
í 
lia, DF – Brasil
celsohr@gmail.com, rafaelspotto@uol.com.br, maurotapajos@gmail.com
Abstract:
 Nowadays functions offered by PSTN and Internet protocolsdevelopment moves IT sector for building new VoIP applictions. Plain computer  systems can make available functions commonly found on expensive public or  private telephone switches or PABX. Now this article shows that is possible tobuild full PABX services upon a local IP network for users. In order to do this, Asterisk, a free software system developed in Linux which supports analog and digital technology, can be used to deal with VoIP protocols and calls routing between PSTN and data network. Here, Asterisk will be used as a PABX solutionover local IP data network together with softphones running on workstations.
 Resumo:
As atuais funcionalidades oferecidas pelo sistema telefônico e odesenvolvimento de protocolos Internet, estimulam o setor de TI a criar aplicações VoIP. Sistemas computacionais podem implementar diversas funcionalidades normalmente encontradas em centrais telefônicas privadas, que são caras e proprietárias. Pode-se disponibilizar sobre uma rede IP e com softwares livres, várias das funcionalidades encontradas no serviço de telefoniaconvencional. O Asterisk, um sistema em software livre desenvolvido em Linux eque integra tecnologia analógica e digital, pode fazer o controle completo doroteamento de chamadas e serviços suplementares usando os protocolos padrões VoIP. Aqui ele será usado como solução de PABX em rede local, juntamente com, softphones de distribuição livre rodando sobre estações deusuários.
1. Introdução
O sistema telenico atual dispõe de diversas funcionalidades que facilitam acomunicação entre usuários e é marcado por enormes investimentos para implantação emanutenção. Na maior parte dos casos, são necessários altos investimentos, para fazer usodessas vantagens, considerando a necessidade de aquisição e operação de centraistelefônicas que oferecem essas funcionalidades.Voz sobre IP-VoIP é uma tecnologia que cria a possibilidade de integraaplicações de voz e dados numa mesma rede, facilitando a manipulação das informações,aumentando ainda mais a interatividade entre usuários do mundo inteiro, e reduzindocustos de gerenciamento e operão, quando comparado a ligões telefônicasinterurbanas convencionais usando a PSTN.O Asterisk é um exemplo de sistema de telefonia digital via software, de plataforma livre, e que pela abrangência de recursos, pode ser uma alternativa.
 
Considerado um software maduro e estável, possui recursos suficientes que permitemsubstituir o PABX existente ou complementá-lo com tecnologia VoIP. É um sistema que permite criar soluções de telefonia com vários ramais internos e funcionalidadesavançadas, como caixa de mensagens, transferência de chamadas e resposta interativa devoz.Possibilita ainda, interligar servidores Asterisk em uma rede IP, permitindoligações de longa distância sem usar a rede de telefonia pública. Além disso, este sistema pode se conectar a rede pública por meio de um hardware específico.Como objetivo do trabalho, foi proposta e implementada uma solução paraimplantação da tecnologia de Voz sobre IP numa rede Ethernet local de pequeno porte,utilizando o Asterisk, sem interligação com a rede pública de telefonia, explorando asdiversas funcionalidades disponíveis em sua arquitetura.
2. Telefonia
A estrutura do sistema de telecomunicações evoluiu muito ao longo do tempo, passandode uma tecnologia puramente analógica para uma crescente utilização de sistemasdigitais.A voz, que é de natureza analógica, precisa ser convertida em sinal digital parautilização em redes digitais, como redes TCP/IP por exemplo, e na recepção, o sinal precisa voltar a sua forma anagica. Para tanto, o utilizados os CODEC’s(Codificador/Decodificador).
2.1. Canais FXS e FXO
Para promover a comunicação de um sinal de voz em codificação analógica, proveniente de um telefone convencional conectado a uma rede de dados, com a redePSTN, é necessário utilizar uma interface física. Normalmente, essa interface é um hardware, por exemplo a placa Zaptel X100P,que apresenta porta(s) para telefones analógicos internos e porta(s) para a rede PSTN,respectivamente FXS e FXO.FXO – 
 Foreign Exchange Office
: é a porta utilizada para possibilitar acomunicação com um PABX ou com uma central telefônica da rede PSTN.FXS – 
 Foreign Exchange Station
: é a porta utilizada para possibilitar acomunicação com um telefone analógico.
2.2. Centrais Privadas de Comutação Telefônica (PABX)
Centrais Privadas de Comutação Telefônica – CPCT, são centrais que podem ser utilizadas por qualquer entidade onde o tráfego telefônico interno se caracteriza por volumes consideráveis e o custo de usar uma grande quantidade de linhas externas setorna indesejável.Estas centrais são conhecidas também por PBX (
 Private Branch Exchange
), deoperação manual e PABX (
 Private Automatic Branch Exchange
), de operaçãoautomática, que podem estar interligadas ou não a uma central de comutação da RedePública de Telefonia – PSTN
[2]
.O PABX se liga a PSTN por um determinado número de linhas ou troncos,dispondo de linhas internas (ramais) em quantidade superior ao número de troncos. A
 
grande vantagem do PABX é o seu menor custo de operação quando comparado com autilização direta da rede pública, por não haver tarifação das chamadas internas e por demandar menor número de linhas/troncos que o número total de terminais atendidos
[2]
.O PABX pode utilizar tanto a comutação analógica como a digital, e desta formatratar adequadamente chamadas de terminais e canais analógicos ou digitais, codificandoo sinal de acordo com o desejado e encaminhando para o caminho especificado.Atualmente, programação computacional é utilizada nestas centrais, com o objetivo decontrolar chamadas e integrar novos serviços e funcionalidades.O custo de aquisição de um PABX privado ainda é alto, apesar das reduções provocadas pela evolução digital. Contudo, centrais programadas em software dedistribuição livre, como o Asterisk, podem ser implementadas junto com equipamentosmultimídia (placa de som, fone e microfone),
 softphones
também livres e hardwaresadequados aos canais analógicos ou digitais, exigindo investimentos menores efavorecendo o uso dos serviços e funcionalidades avançados.
2.2.1. Funcionalidades do PABX
O PABX é considerado uma evolução do PBX. Pode gerenciar as comunicaçõesde voz dentro de uma empresa, concentrando várias linhas e ramais de colaboradores,oferecendo uma rie de facilidades e serviços avançados, como transferência dechamadas, chamada em espera e resposta interativa de voz-IVR. Pode também gerar informações das chamadas, para fins de controle, bilhetagem e tarifação.
3 – Voz sobre IP – VoIP
Um dos mais relevantes problemas que dificultam a popularização da tecnologia VoIP, éa obtenção de uma sinalização compatível com as redes existentes e que supra asnecessidades emergentes de interconexão. Uma solução única e unanimizada ainda aindanão foi definida, mas algumas já existem: H.323, SIP e MGCP.A definição de qual arquitetura usar deve considerar as características de cadauma e a situação em questão. Será visto no ítem 5, a análise feita sobre o protocolo que seadequa às situações de uso do Asterisk. Contudo, é relevante destacar alguns pontos dosdois conjuntos de protocolos de sinalização VoIP mais importantes, descritos na Tabela 1:
Tabela 1 – Comparação das arquiteturas Sip e H.323
AspectoSIPH.323Complexidade
Documento de 128 páginas, o que refletemais simplicidade.Documento de 736 páginas, o que refletemaior complexidade para implementação.Apenas 37 tipos de cabeçalhos demensagens diferentes.Faz uso de centenas de mensagens.Formatação textual, facilitando oentendimento visual rápido do tráfego.Formatação binária.Realiza as operações de forma única paratratamento da uma mesma tarefa.Sua completa interoperabilidade exige adefinição de funcionalidades por perfil.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->