Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
66Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Surgimento da sociologia, Positivismo e Émile Durkheim

Surgimento da sociologia, Positivismo e Émile Durkheim

Ratings:

5.0

(1)
|Views: 50,671|Likes:
Published by Isabela
Toda a teoria sobre: Surgimento da Sociologia, Positivismo, Émile Durkheim, além de questões discursivas para reflexão e questões de vestibulares.
Toda a teoria sobre: Surgimento da Sociologia, Positivismo, Émile Durkheim, além de questões discursivas para reflexão e questões de vestibulares.

More info:

Published by: Isabela on Mar 28, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/12/2015

pdf

text

original

 
 O SURGIMENTO DA SOCIOLOGIAO POSITIVISMOA SOCIOLOGIA DE ÉMILE DURKHEIMNome:_____________________________________Turma:__________
 
Unidade I
O SURGIMENTO DA SOCIOLOGIA
A Sociologia no século XIX surgiu num momento de desagregação da sociedade feudale consolidação da sociedade capitalista. O que propiciou o seu nascimento foram astransformações econômicas políticas e culturais que ocorreram no século XVIII, comoconseqüência das Revoluções Francesa e Industrial, que iniciaram e possibilitaram a formaçãode um processo de instalação definitiva da sociedade moderna. O seu surgimento aconteceu a partir da necessidade de se realizar uma reflexão sobre as transformações, crises e antagonismosde classes, experimentados pela nascente sociedade industrial.
Fatores responsáveis pelo o surgimento de uma ciência da Sociedade:
1- Fatores Intelectuais
Transformações surgiram nas formas de pensamento. A Reforma Protestante foi umacontecimento religioso decisivo para tais transformações. A razão passou a ser o principalelemento para conhecer, explicar a natureza e a sociedade. A contribuição de alguns pensadores,a partir do século XVI, foi fundamental para o surgimento da Sociologia e das ciências sociais.Houve um florescimento de utopias, descrições pormenorizadas de sociedades ideais: ThomasMorus (1478 -1535) - A Utopia; Jean Bodin (1530 -1596) – A República; Francis Bacon (1561-1626) – Nova Atlantis; Campanella (1568 -1634) – A cidade do Sol. Todos estes pensadoresapresentaram seus projetos de uma nova sociedade.Houve o emprego sistemático da razão com: Maquiavel (1469 -1527); Hobbes (1588-1679); Descartes (1596 -1650). A contribuição do pensamento francês nos séculos XVII eXVIII foi extraordinária. Afirmavam que à luz da razão (Iluminismo) é possível modificar aestrutura da velha sociedade feudal: Condorcet (1742 -1794) – queria aplicar os métodosmatemáticos no estudo dos fenômenos sociais; Montesquieu (1689 -1755) em
O Espírito dasleis,
afirmava que os fenômenos políticos estavam sujeitos às leis naturais, invariáveis enecessários tanto quanto os fenômenos físicos; Rousseau (1712 -1778) teve uma influênciadecisiva na formão da democracia burguesa e, conseqüentemente, na mudaa dasinstituições sociais.Vários aspectos do Iluminismo prepararam o surgimento das ciências sociais no séculoXIX. O primeiro deles foi a sistematização do pensamento científico. Os efeitos de novosinventos, como o pára-raios e as vacinas, o desenvolvimento da mecânica, da química e dafarmácia, eram amplamente verificáveis e pareciam coroar de êxitos as atividades científicas.Claro está que a sociedade européia da época não se dava conta das nefastas conseqüências quea Revolução Industrial do século XVIII traria para o mundo tradicional agrário e manufatureiro.Aos olhos dos homens da época, eram vitoriosas as conquistas do conhecimento humano, nosentido de abrir caminho para o controle sobre as leis da natureza.As idéias de progresso, racionalismo e cientificismo exerceram todo um encanto sobre amentalidade da época. A vida parecia submeter-se aos ditames do homem esclarecido.Preparava-se o caminho para o amplo progresso científico que aflorou no final do século XIX.Se esse pensamento racional e cientifico parecia válido para explicar a natureza, intervir sobre ela e transformá-la, ele poderia também explicar a sociedade vista como um elemento danatureza. E a sociedade, da mesma forma que a natureza, poderia ser conhecida e transformada.
2- Fatores Sócio-Culturais
2
 
Transformações ocorridas na vida política e econômica da Europa: A expansãomarítima, as grandes navegações, a descoberta do mundo novo, o comércio ultramarino, asreformas protestantes, a formação dos Estados nacionais modernos, as revoluções burguesas, aascensão da burguesia, bem como o desenvolvimento cientifico e tecnológico, são o pano defundo para compreender esses fatores sócio-culturais que iriam alterar profundamente as formasde explicar a natureza e a sociedade. Os fatores sócio-culturais trouxeram:1-
Transformações na ordem tecnológica
 – Novo modo de produção com o uso da máquina.
 2- Transformações na ordem econômica
 – Pela concentração de capitais de grandes empresas provocando a acumulação de riquezas.
3
-
Transformações na ordem social – 
Pela intensificação do êxodo rural e conseqüente processo de urbanização, desintegração de costumes e instituições, novas formas de organizaçãoda vida social, a emergência e a formação de um proletariado de massas, o trabalho assalariado,
secularização
(atitude alheia às coisas sagradas difuo de um espírito crítico e deobjetividade diante dos fenômenos sociais).
3-Fatores Sociais
A Revolução francesa trouxe o poder político à burguesia, destruiu os fundamentos dasociedade feudal e promoveu profundas inovações na vida social.A Revolução Industrial trouxe crises e desordens na organização da sociedade, o quelevou alguns pensadores a concentrar suas reflexões sobre as suas conseqüências.Toda essa nova mentalidade, reforçando a crença na materialidade da vida e no poder daciência, orientou a formação da primeira escola científica do pensamento sociológico, o
 positivismo
.
A crise das explicações religiosas e o triunfo da ciência
O anticlericalismo
Um aspecto de especial importância no pensamento desse período, sobretudo aquele deorigem francesa, foi o anticlericalismo. Entre os filósofos e os literatos que se insurgiram contraa religião, em particular contra a Igreja Católica, destaca-se Voltaire, que, não se atendosomente à propagação de idéias anticlericais, também moveu processos
 
 judiciais contra a IgrejaCatólica, a fim de rever antigas condenações da Inquisição. Voltaire chegou a comprovar ainjustiça de alguns veredictos eclesiais e a obter indenizações para as famílias dos condenados.Dessa forma, a Igreja foi questionada como fonte de poder secular, político e econômico,na medida em que se imiscuía em questões civis e de Estado. Tal questionamento levou a umadescrença na doutrina e na infalibilidade eclesiásticas, assim como ao repúdio à secular atuaçãodo clero. Esse processo denominado por alguns historiadores “laicização da sociedade”, por outros, “descristianização”, atingiu seu apogeu no século XIX. Nesse período desenvolveram-sefilosofias materialistas e o próprio estudo da religião como instituição social, em suas origens efunções.
A Igreja como objeto de pesquisa
A existência da Igreja como instituição social foi discutida por alguns pensadores esociólogos do século XIX. Emile Durkheim a considerava um meio de integrar os homens emtorno de idéias comuns. Karl Marx a julgava responsável por uma falsa imagem dos problemashumanos, ligada à acomodação e à submissão pregadas por sua doutrina.Defendida por uns, repudiada por outros, a Igreja perdia, de qualquer maneira, oimportante papel de explicar o mundo dos homens; passava, ao contrário, a ser explicada por eles. A religião começou a ser encarada como um dos aspectos da cultura humana, como algocriado pelos homens com finalidades práticas relativas à vida terrena, e não apenas à vidafutura. Assim, a Igreja e sua doutrina sofreram um processo de dessacralização, em que seeliminou muito de seu aspecto sobrenatural e transcendente. Toda religião — em especial ocatolicismo — era agora vista de maneira favorável ou desfavorável, conforme sua inserção navida concreta e material dos homens, como promotora de valores sociais importantes para aorientação da conduta humana. Na filosofia, grandes pensadores sistematizaram o pensamentolaico e anticlerical. Feuerbach, filósofo alemão, atacou a concepção segundo a qual o homemhavia sido criado por Deus, invertendo a situação ao afirmar que o homem criara Deus à sua
3

Activity (66)

You've already reviewed this. Edit your review.
isaaze liked this
Camila O. Santos liked this
1 thousand reads
1 hundred reads
muito bom
Adeilson Recla added this note
muito boa esse site so faltou alguem responder as respostas
Aurely Medeiros liked this
Andreia Araujo added this note
Só faltou as respostas.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->