Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
5Activity

Table Of Contents

Andei léguas de sombra
A alcova
Ao longe, ao luar
Aqui onde se espera
As horas pela alameda
As minhas Ansiedades
Assim, sem nada feito e o por fazer
As tuas mãos terminam em segredo
Às vezes entre a tormenta
Atravessa esta paisagem o meu sonho
Autopsicografia
(?) Azul ou verde ou roxo
Baladas de uma outra terra
Bate a luz no cimo
Brilha uma Voz na Noute
Canção
Cerca de grandes muros quem te sonhas Conselho
Cessa o teu canto!
Chove. É dia de Natal
Chove. Há silêncio, porque a mesma chuva
Chove ? Nenhuma chuva cai
Começa a ir ser dia
Como a noite é longa !
Como inútil taça cheia
Como uma voz de fonte que cessasse
Conta a lenda que dormia
Contemplo o lago mudo
Contemplo o que não vejo
Dá a surpresa de ser
Da minha idéia do mundo
De onde é quase o horizonte
De quem é o olhar
Ditosos a quem acena Marinha
Dizem que finjo ou minto
Dizem?
Dobre
Dorme enquanto eu velo
Dorme, que a vida é nada!
Dorme sobre o meu seio
Do vale à montanha
Durmo. Se sonho, ao despertar não sei
Ela canta, pobre ceifeira
Ela ia, tranqüila pastorinha
Elas são vaporosas Minuete Invisível
Em Busca da Beleza
Em horas inda louras, lindas
Em plena vida e violência
ALÉM-DEUS
I) Abismo
II) Passou
III) A Voz de Deus
IV) A Queda
V) Braço sem Corpo Brandindo um Gládio ( Entre a árvore e o vê-la )
Entre o bater rasgado dos pendões
Entre o luar e a folhagem
Entre o sono e sonho,
Eros e Psique
Esqueço-me das horas transviadas Passos da Cruz
Esta espécie de loucura
Feliz dia para quem é
Flor que não dura
Foi um momento
Fosse eu apenas, não sei onde ou como
Fresta
Fúria nas trevas o vento
Glosa
Gomes Leal
Grandes mistérios habitam
Ilumina-se a Igreja por Dentro da Chuva
Intervalo
Isto
Liberdade
Não digas nada!
Não: não digas nada!
O Andaime
O Maestro Sacode a Batuta
O que me dói não é
Pobre velha música!
Põe-me as mãos nos ombros
Sonho. Não sei quem sou
Sorriso audível das folhas
Tenho Tanto Sentimento
Teus olhos entristecem
Tomamos a Vila depois de um Intenso Bombardeamento
Vaga, no azul amplo solta
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Cancioneiro - Fernando Pessoa

Cancioneiro - Fernando Pessoa

Ratings: (0)|Views: 679 |Likes:

More info:

Published by: Alexsandro Alberto Penha on Dec 09, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/16/2011

pdf

text

original

You're Reading a Free Preview
Pages 5 to 47 are not shown in this preview.

Activity (5)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
helena liked this
anacnunes liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->