Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
6Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Flexibilidade e equilíbrio em mulheres idosas pelo método pilates estudo de caso - Thulio Moutinho

Flexibilidade e equilíbrio em mulheres idosas pelo método pilates estudo de caso - Thulio Moutinho

Ratings: (0)|Views: 228 |Likes:
Published by Thulio Moutinho

More info:

Categories:Types, Research
Published by: Thulio Moutinho on Apr 04, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/13/2012

pdf

text

original

 
251
Fisioterapia Ser • vol. 6 - nº 4 • 2011
Relato de Caso
Flexibilidade e equilíbrio em mulheresidosas pelo método pilates: estudo de caso
Flexibility and balance in womenelderly pilates method: a case study 
Thulio Moutinho Silva
1
 , José Elias Filho
 2
1.Graduado Fisioterapia, Professor Lab. Lín-guas Redentor2.Professor Faculdade Redentor graduado emFisioterapia.
Endereço para correspondência:
ThulioMoutinho Silva –
 
Rua Manoel Turíbio deFarias, 345 – Apart. 2, Centro – Armaçãode Búzios – CEP 28950-000
Fone: 22-8813-1203E-mail: thulioms@gmail.comRecebido para publicação em 09/08/2011 eaceito em 12/10/2011, após revisão.
Resumo
O equilíbrio e a flexibilidade em idosos são comprometidos, isso porque háalterações nos sistemas sensório-motor que associam às várias doenças crônico-degenerativas. O Método Pilates possui seus benefícios decorrentes dos movi-mentos e princípios aplicados. O estudo teve o objetivo de avaliar os efeitos doMétodo Pilates solo e bola no equilíbrio dinâmico e estático e a flexibilidade corpo-ral em curto período de treino em mulheres idosas sendo realizados por exercíciosde alongamento muscular e contração isométrica. Foram estudados dois indivídu-os do gênero feminino, idosas, com idades de 65 e 72 anos, que tiveram três avali-ações com testes de flexibilidade e equilíbrio antes, durante e após serem submeti-das ao Método Pilates durante aproximadamente dois meses por vinte sessões. Osresultados foram analisados e evidenciaram que houve diferenças significativasentre antes, durante e após as sessões; com aumento de flexibilidade e ganho deequilíbrio nas duas participantes do Método Pilates.
Palavras-chave
: Método Pilates, flexibilidade, equilíbrio postural, idosos.
 Abstract
Balance and pliability are compromised in the elderly, because there are changesin sensory-motor systems that combine the various chronic diseases. The PilatesMethod has its benefits resulting from the movements and principles applied. Thepurpose of this study was to evaluate the effects of the Pilates Method Mat andball in the static and dynamic balance and body pliability in a short period of training in older women being held by stretching exercises and isometric contraction.Two healthy female individuals, Aged, with ages of 65 and 72 years who had threeassessments with tests of pliability and balance before, during, and after beingsubjected to the Pilates Method for about two months for twenty sessions. Theresults were analyzed and showed that there were significant differences betweenbefore, during and after the sessions, with increased pliability and gain balance intwo participants in the Pilates Method.
Key-words
: Pilates method, pliability, postural balance, aged.
 
Fisioterapia Ser • vol. 6 - nº 4 • 2011
252
Introdução
Grande parte dos estudos relacionados ao equilíbrio e fle-xibilidade é desenvolvida com indivíduos idosos. As mudan-ças na composição corporal são associadas aos processos deenvelhecimento, em parâmetros fisiológicos e neurofisiológi-cos, nos sistemas sensoriais, no sistema neuromuscular e navelocidade do processamento de informações, fatores que jus-tificam os inúmeros estudos com idosos
1
.A queixa de desequilíbrio aumenta com o avançar da ida-de. O comprometimento nos idosos é decorrente de altera-ções associadas a várias doenças crônico-degenerativas, fre-qüentes em faixa etária mais avançada, assim como de altera-ções relacionadas à idade sobre os sistemas sensório-motor,envolvidos no mecanismo do controle postural. Esse com-prometimento em idosos gera mais chances de experimentareventos de queda de forma recorrente, e em geral apresentammúltiplas limitações que podem ser decorrentes de disfunçõesmultissensoriais, musculoesqueléticas e cognitivas.A Flexibilidade pode ser definida como a habilidade demover uma articulação pela amplitude de movimento esperadasem causar estresse à unidade musculotendínea, e depende daelasticidade muscular, capacidade de distensibilidade dos liga-mentos e tendões, maleabilidade da pele e tolerância à dor. Temsido caracterizada na literatura de duas maneiras: estática(mantida durante ou mais cinco segundos em uma determinadafaixa de alongamento, alcançada após lenta condução do mús-culo até o ponto específico) e dinâmica ou balística (sendo aamplitude aferia com movimentos contínuos)
2
.Alguns fatores intrínsecos influenciam na flexibilidade.São eles: período do dia, temperatura do ambiente, gênero,idade. A magnitude de flexibilidade pode ser proporcional àidade de um indivíduo. Assim, quando há uma redução daflexibilidade durante o processo de envelhecimento, podeocorrer uma perda parcial da independência dos movimen-tos, evoluindo para uma perda total dessa independência como aumento da idade. A perda da flexibilidade e, conseqüente-mente, da amplitude de movimento, observada em indivíduosapós a quarta década de vida, tem sido relacionada às altera-ções biológicas associadas à idade, rigidez e atrofia muscu-lar. Diminuição da elasticidade, aumento do colágeno tipo I ereorganização das unidades motoras, esse déficit da flexibili-dade em indivíduos idosos aumenta a taxa de morbidade emortalidade, aumenta o uso de medicamentos, declíniocognitivo e a freqüência de quedas e fraturas.Diversos estudos mostram que o exercício físico traz be-nefícios para o idoso, no tangente à flexibilidade e equilíbrio,entre esses benefícios pode-se destacar a melhora na forçamuscular, desempenho físico, amplitude de movimento, mar-cha do idoso, mobilidade, percepção de saúde, qualidade devida e bem-estar. Sendo considerando os benefícios fisiológi-cos e psicológicos induzidos pelos exercícios físicos, essessejam sempre inseridos no atendimento de indivíduos idosos
3,4
.Utilizou-se o método Pilates como tipo de intervenção, ométodo no formato solo e bola, com base na cultura oriental,combina noções de concentração, equilíbrio, percepção, con-trole corporal e flexibilidade, e da cultura ocidental, destacan-do a ênfase relativa à força e ao tônus muscular, o Pilatesconfigura-se pela tentativa do controle o mais conscientepossível dos músculos envolvidos nos movimentos. Josephchamou a junção de “contrologia”. O método se baseia emfundamentos anatômicos, fisiológicos e cinesiológicos, e écompreendido em seis princípios, centro de força, concentra-ção, controle, precisão, respiração e fluidez de movimento
5
.Este estudo vem mostrar que o método pilates solo ebola com exercícios cinesiológicos podem trazer benefíciostangentes ao equilíbrio e flexibilidade utilizando os princípiosclássicos expandidos por Pilates. Princípios e exercícios queestudos publicados confirmam a eficácia como Faria et al.
6
dizque os exercícios são para alongar, fortalecer e estimular osistema circulatório e a oxigenação do sangue; e Silva et al.
7
relatam que os exercícios de Pilates em idosos apresentamalteração na flexibilidade e melhora a força e a mobilidade,que geralmente estão alterados devido a presença de doen-ças degenerativas, como atrite e também auxilia na manuten-ção da pressão arterial, além de influenciar na calcificaçãoóssea. Segundo Lord et al.
8
encontraram melhoras em relaçãoa ocorrência de quedas após um programa de alongamento ,flexibilidade e equilíbrio.Além disso, o método Pilates envolve exercícios de ca-deia cinética fechada, que podem fornecer a necessária com-pressão e descompressão para promover a nutrição para asarticulações e cartilagem para reduzir o risco degenerativo
9
.O objetivo deste estudo é avaliar os efeitos do métodopilates solo e bola no equilíbrio dinâmico e estático e a flexibi-lidade corporal em curto período de treino em mulheres ido-sas sendo realizados por exercícios de alongamento muscu-lar e contração isométrica.Levando em consideração os déficits de equilíbrio e fle-xibilidade em idosos, teve-se como propósito utilizar a inter-venção do Método Pilates solo e bola para verificar se háalterações significantes, já que equilíbrio e flexibilidade emidosos são componentes bem relevantes e primordiais paraAVD’s (Atividades de Vida Diárias).
Metodologia
Este trabalho foi aprovado pelo comitê de ética em pes-quisa da Faculdade Redentor sob o número de protocolon°025/2010 e sendo regido sob os termos da resolução n° 196de 10 de outubro de 1996 do Conselho Nacional de Saúde.Foram selecionados aleatoriamente na comunidade localdois indivíduos idosos do gênero feminino, de 65 e 72 anos,com condições de realizarem exercícios, sem critérios de sele-ção, foram informados sobre a pesquisa e lavraram o termo deconsentimento livre e esclarecido.Os indivíduos começaram as sessões de Pilates sendoavaliados na primeira sessão, após a décima e na última, sen-do essas avaliações para mensurar o equilíbrio dinâmico eestático que após a triagem foram submetidos aos seguintestestes,
Timed “Up and GO” Test; Berg Balance Scale
; Al-cance Funcional; dedo-chão e dedo-pé.Os indivíduos foram submetidos a vinte sessões do mé-todo Pilates solo e bola, com duração de uma hora e freqüên-
 
253
Fisioterapia Ser • vol. 6 - nº 4 • 2011
cia semanal de duas a três vezes, de acordo com a disponi-bilidade delas, realizados no Centro de atendimento clínicode Itaperuna do município de Itaperuna/Rio de Janeiro, noperíodo de 01 de outubro a 03 de dezembro de 2010. Osexercícios do protocolo foram: supinado, pronado, decúbitolateral, estabilização, equilíbrio e sentado, possuindo suasvariâncias de acordo com as condições dos indivíduos.Começando com exercícios básicos com treino de equilíbrioe flexibilidade, após a segunda avaliação foram realizadosos exercícios intermediários com treinos de equilíbrio e flexi-bilidade e na penúltima sessão inserimos os exercícios avan-çados dosando repetições e tempo de duração, para que aspacientes consigam executar com treino de equilíbrio e flexi-bilidade sem dores, as fontes desses exercícios foram livrose revista de Pilates, utilizando um cronograma para melhordistribuição dos exercícios.Todas as sessões foram supervisionadas pelo profissio-nal fisioterapeuta responsável por este estudo, foram utiliza-dos para a triagem fita métrica, fita adesiva simples,estetoscópio e uma balança digital; Foi preciso acessóriospara a realização dos exercícios de acordo com a sessão pro-posta pelo pesquisador, como:
thera-band 
amarelo e verme-lho, de intensidade suave e média respectivamente, bastãode madeira, cadeira para assento, bolas suíça tamanho 55 e65, colchão (MAT), bola cravo 6cm e halteres de 0,5Kg e 1Kg,utilizando músicas instrumentadas durante as sessões comoé recomendado pelo método Pilates.
Timed “Up and GO” Test
(TUG)
Avalia a mobilidade e o equilíbrio sendo amplamente uti-lizado por ser de fácil aplicação, esse teste quantifica em se-gundos a mobilidade funcional através do tempo que oindividuo realiza a tarefa, ou seja, em quantos segundos elelevaria levantando de uma cadeira padronizada com apoio debraços, caminhar três metros, virar-se e volta rumo à cadeirasentando novamente.É considerado pelos autores como desempenho normalpara adultos saudáveis um tempo até 10 segundos; entre 10,01e 20 segundos considera-se normal para idosos, os quaistendem a ser independentes na maioria das atividades devida diária; no entanto, acima de 20,01 segundos gastos paraa realização da tarefa, é necessária avaliação mais detalhadado indivíduo para verificar o grau de comprometimento funci-onal. Shumway-cook
10
, trazem algumas considerações a cer-ca da aplicação do TUG como preditor de quedas em idosos.
 Berg Balance Scale
No teste
 Berg Balance Scale
ou Escala de equilíbrio de
 Berg
nos mostra o resultado da escala de 14 tarefas comunsque envolvem o equilíbrio estático e dinâmico sendo pontu-ado de 0-4 com 5 alternativas, com a pontuação máxima de 56pontos. Estes pontos devem ser subtraídos caso o tempo oua distância não sejam atingidos, o sujeito necessite de super-visão para a execução da tarefa, ou se o sujeito apóia-se numsuporte externo ou recebe ajuda do examinador. O teste ésimples, fácil de administrar e seguro para a avaliação doidoso. Sendo necessários alguns equipamentos e a sua exe-cução leva-se em torno de 15 minutos.Na amplitude de 56 a 54, cada ponto a menos é associadoa um aumento de 3 a 4% abaixo no risco de quedas, de 54 a 46a alteração de um ponto é associada a um aumento de 6 a 8%de chances, sendo que abaixo de 36 pontos o risco de quedasé quase de 100%.
Alcance Funcional
Determina o quanto o idoso é capaz de se deslocar den-tro dos limites de estabilidade anteriormente e lateralmente,são colhidos dados antropométricos como: peso, altura, com-primento dos braços, pés e base de suporte, o indivíduo éinstruído que tome a seguinte posição: em pé, descalço, per-pendicular a parede, próximo ao início da fita métrica, com ospés paralelos numa posição confortável, sem tocá-la, com oombro fletido em 90° e o cotovelo estendido. O punho perma-nece em posição neutra e os dedos estendidos, a fita métricaé presa à parede, paralela ao chão, posiciona-se na altura doacrômio, a medida inicial corresponde à posição em que oterceiro metacarpo se encontrava nesta fita, é instruído a in-clinar-se para frente, o máximo possível, sem perder o equilí-brio ou dar um passo e são feitas três tentativas de alcancefuncional e a média destas é registrada. No caso dos Alcan-ces funcionais laterais, esquerda e direita a inclinação é late-ral com o indivíduo paralelo à parede.O teste mostra que os idosos que alcançam 25,4cm oumais não possuem risco de queda, já os que alcançam entre15,2cm e 25,4cm têm um risco duas vezes maior de cair eidosos que alcançam menos que 15,2cm têm quatro vezes achance de queda
11
.E para mensuração do grau de flexibilidade corporal foiusado dois teste tradicionais utilizados em vários estudo:
Dedo-Pé
Teste realizado na posição sentado e as pernas em exten-são, e faz o comendo pra alcançar com o dedo médio o pé emdorso-flexão, sendo que a mensuração é realizada com fitamétrica e sendo feita com a distância entre o 3° quirodáctilo eo hálux e quando ultrapassado o limite, são registrados valo-res negativos;
Dedo-chão
Com intuito da mensuração de flexibilidade corporal co-loca-se o sujeito descalço na beira de uma plataforma de 40centímetros e instrui-o a “tentar tocar o chão com a ponta dodedo médio, com os joelhos retos” nenhum incentivo é reali-zado e a mensuração da distância entre a ponta do dedo mé-dio e a borda da plataforma horizontal é medida e indo além dasuperfície de pé são registrados como valores negativos.Todos os testes foram analisados por gráficos criadospelo Microsoft Office Excel 2007 nos resultados e discus-sões adiante.
Resultados e discussão
A seguir serão apontados em gráficos os achados relati-vos a equilíbrio e flexibilidade em participantes idosas, inclu-indo a análise dos valores encontrados de acordo com o pe-ríodo proposto de vinte sessões. Por fim, será analisada aexistência de resultados obtidos pelo estudo.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->