Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
158Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Avaliação de Estoque

Avaliação de Estoque

Ratings:

4.5

(6)
|Views: 66,359|Likes:
Published by OMNIFERIUS

More info:

Published by: OMNIFERIUS on Dec 13, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, DOC, TXT or read online from Scribd
See More
See less

07/23/2013

pdf

text

original

 
Avaliação de Estoques
 
1. Considerações Iniciais
As pessoas jurídicas tributadas com base no lucro real deverão promover o levantamento e a avaliação dos seusestoques ao final de cada período de apuração, observando que a avaliação se dará:a) ao final de cada trimestre, no caso de apuração trimestral do Imposto de Renda; b) ao final do ano-calendário, no caso de apuração anual do Imposto de Renda;c) na data do Balanço ou Balancete, para as pessoas jurídicas que optarem pela apuração anual e suspenderemou reduzirem o pagamento do Imposto de Renda durante o ano-calendário.
2. Obrigatoriedade de Avaliação das Mercadorias para Revenda e das Matérias-primas
Conforme dispõe o item II do art. 183 da Lei nº 6.404/76, as mercadorias, as matérias-primas e os bens emalmoxarifado serão avaliados pelo custo de aquisição.Os bens de revenda e os ingredientes de produção, adquiridos de terceiros, devem ser avaliados:a) pelas pessoas jurídicas que mantenham inventário permanente:
a.1) pelo custo médio ponderado; oua.2) pelo custo das aquisições mais recentes;
 b) pelas pessoas jurídicas que não mantenham inventário permanente:
 b.1) pelos últimos custos de aquisição, segundo inventário físico (PN CST nº 6/79).
2.1. Períodos de apuração
As pessoas jurídicas tributadas pelo lucro real deverão apurar o Imposto de Renda por períodos trimestrais,encerrados nos dias 31 de março, 30 de junho, 30 de setembro e 31 de dezembro de cada ano-calendário,observando-se que:a) nos casos de incorporação, fusão ou cisão, a apuração da base de cálculo e do imposto devido será efetuadana data do evento; b) nos casos de pagamento do imposto por estimativa, a pessoa jurídica fica obrigada à apuração do lucro realem 31 de dezembro de cada ano ou na data do evento nos casos de extinção, liquidação, cisão e incorporação (§1º do art. 220 e parágrafo único do art. 221 do RIR/99).
2.2. Pagamento do imposto mensal por estimativa
A pessoa jurídica que optar pelo pagamento mensal do imposto por estimativa e resolver levantar balanço ou balancete mensal e apurar o lucro real para suspender ou reduzir o Imposto de Renda deverá promover, ao final decada período de apuração, levantamento e avaliação dos estoques.Ressalte-se que, embora haja a obrigatoriedade de efetuar o levantamento e avaliação dos estoques existentes, estádispensada a escrituração do Livro Registro de Inventário (art. 12 da IN SRF nº 93/97).
2.3. Pessoas jurídicas tributadas com base no lucro presumido ou optantes pelo SIMPLES
Conforme determina o inciso II, parágrafo único do art. 190 e o inciso II do art. 527 do RIR/99, as pessoas jurídicasoptantes pela tributação do Imposto de Renda com base no lucro presumido, assim como as Microempresas e asEmpresas de Pequeno Porte que estão enquadradas no regime do SIMPLES, ficam obrigadas a proceder aolevantamento e à avaliação dos estoques em 31 de dezembro de cada ano-calendário.
3. Avaliação dos Estoques de Mercadorias e Matérias-primas
As mercadorias, as matérias-primas, os bens de revenda e os ingredientes de produção serão avaliados pelo custo deaquisição. O valor dos bens existentes no encerramento do período-base poderá ser o custo médio ou das últimasaquisições.
3.1. Composição do custo de aquisição
O custo de aquisição de mercadorias destinadas à revenda é composto pela soma do valor pago pela mercadoria, dovalor do transporte, do seguro até o estabelecimento do adquirente, dos tributos não recuperáveis pagos na aquisiçãoou importação, os gastos com o desembaraço aduaneiro, e a contribuição ao FUNRURAL devida pelo produtor rural, quando a pessoa jurídica adquirente tenha assumido o ônus do seu pagamento (art. 289 do RIR/99). Não são computados no custo de aquisição os impostos recuperáveis pagos na aquisição dos bens.Relativamente aos impostos importa observar que não são recuperáveis quando o adquirente dos bens não pode secreditar do imposto por meio de escrituração fiscal, assim, temos que:a) Imposto sobre Circulação Mercadorias e Serviços (ICMS) - no caso de estar incluído no preço pago, e se nãofor recuperável fiscalmente, deve integrar o custo de aquisição, entretanto, se for recuperável não integrará ocusto de aquisição;
 
 b) Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) - no caso de o adquirente ser indústria, não compõe o custo de produção, se, entretanto, o adquirente for comerciante varejista ou atacadista não equiparado à indústria, o IPIcomporá o custo de aquisição;c) Imposto de Importação (II) - compõe o custo do produto em razão de não ser recuperável.
3.2. Frete cobrado como despesa acessória
As despesas de frete e seguro cobradas como despesa acessória ou mesmo quando pagas a transportadoindependente e a empresa seguradora compõem o custo das mercadoria e matérias-primas.
3.3. Custo de importação de mercadorias e matérias-primas
O custo de aquisição de mercadorias ou matérias-primas importadas diretamente pela empresa compreende, além dovalor da operação cambial, frete, seguro e impostos não recuperáveis, todos os demais gastos com o desembaraçoaduaneiro.Para facilitar o controle das importações é recomendável que, para cada importação de mercadorias ou matérias- primas, seja aberta uma conta específica de importação em andamento para receber os débitos de todas as despesasincorridas, tais como despesas de fretes, seguros, comissões, despesas bancárias, despesas com desembaraçoaduaneiro e aquisição de moeda estrangeira. Não é demais observar que, por ocasião do recebimento das mercadorias ou matérias-primas, o saldo da conta"Importação em Andamento" deverá ser transferido para a conta de estoque que abriga os referidos bens. No caso de o contrato de importação previr o pagamento a prazo, o valor a pagar, expresso em moeda estrangeira,deverá ser convertido em reais com base na taxa cambial (para venda) vigente na data do desembaraço aduaneiro.Observe-se que a variação cambial incorrida até a data da entrada dos bens no estabelecimento do adquirente deverácompor o custo de aquisição e o ajuste das variações cambiais apuradas. A partir dessa data será contabilizado comodespesa financeira.
4. Critérios de Avaliação de Estoque
Conforme dispõe o art. 295 do RIR/99, os estoques existentes na data do encerramento do período de apuração poderão ser avaliados pelo custo médio ponderado, móvel ou fixo, (observando que o custo médio fixo será apuradoao final de cada mês) ou pelo custo dos bens adquiridos ou produzidos mais recentemente (PEPS, Primeiro a Entrar,Primeiro a Sair) sendo admitida, ainda, a avaliação com base no preço de venda, subtraída a margem de lucro.
4.1. Apuração do custo médio
A avaliação pelo custo médio consiste em avaliar o estoque pelo custo médio de aquisição apurado em cada entradade material ponderado pelas quantidades adicionadas e pelas anteriormente existentes (PN CST nº 6/79).Exemplo 1:Admitindo que, no período de um mês, a empresa XYZ teve a seguinte movimentação no estoque de mercadoria, asaber:• em 1º/10 - compra de 300 unidades ao custo unitário de R$ 250,00;• em 10/10 - compra de 200 unidades ao custo unitário de R$ 255,00;• em 15/10 - venda de 200 unidades;• em 20/10 - compra de 100 unidades ao custo unitário de R$ 265,00;• em 25/10 - venda de 140 unidades.
4.1.1. Média ponderada (móvel)
HistóricoEntradasSaídasSaldosQuant.CustounitárioR$
Total R$
Quant.Custounitário R$Total R$Quant.Custounitário R$Total R$
1º/10 Compra 300 250,00 75.000,00 300 250,00 75.000,0010/10 Compra 200 255,00 51.000,00 500 252,00 126.000,0015/10 Venda 200 252,00 50.400,00300 252,00 75.600,0020/10 Compra 100 265,00 26.500,00 400 255,25 102.100,0025/10 Venda 140 255,25 35.735,00260 255,25 66.365,00Totais 600 152.500,00 340 86.135,00260 255,25 66.365,00
4.1.2. Média ponderada (fixa)
Esta forma de apuração do custo é diferente do método anterior porque nesse caso deverá ser apurado o custo médiodas compras efetuadas no período inteiro.
 
A utilização desse método para avaliação dos estoques implica que as vendas sejam registradas somente ao final decada mês, ocasião em que serão baixadas pelo valor médio apurado.
Data
Histórico
EntradasSaídasSaldosQuant.CustounitárioR$
Total R$
Quant.Custounitário R$Total R$Quant.Custounitário R$Total R$
1º/10 Compra 300 250,00 75.000,00 300 250,00 75.000,0010/10Compra 200 255,00 51.000,00 500 252,00 126.000,0020/10Compra 100 265,00 26.500,00 600 254,17 152.500,0031/10Venda 340 254,17 86.417,80240 254,17 61.000,00Totais 600 152.500,00 340 254,17 86.417,80240 254,17 61.000,00
Exemplo 2:Admitindo os mesmos dados do exemplo anterior, temos:
4.1.3. Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair (PEPS)
Pelo método conhecido como PEPS ou Fifo (Primeiro a Entrar, Primeiro a Sair) as saídas de estoque são avaliadasconsiderando-se os custos de aquisição, obedecendo a ordem de entrada das mercadorias ou matérias-primas.De acordo com esse critério, as baixas serão efetuadas a partir das primeiras compras efetuadas; desta forma, o custoconsiderado será o das compras mais antigas e o estoque sempre será avaliado pelos custos das aquisições maisrecentes.
DataHistóricoEntradasSaídasSaldosQuant.CustounitárioR$Total R$Quant.CustounitárioR$Total R$Quant.Custounitário R$Total R$
1º/10 Compra 300 250,00 75.000,00 300 250,00 75.000,00300 250,00 75.000,0010/10Compra 200 255,00 51.000,00 200 255,00 51.000,00500 126.000,00100 250,00 25.000,0015/10Venda 200 250,00 50.000,00200 255,00 51.000,00300 76.000,00100 250,00 25.000,0020/10Compra 100 265,00 26.500,00 200 255,00 51.000,00100 265,00 26.500,00400 102.500,0025/10Venda 100 250,00 25.000,00160 255,00 40.800,0040 255,00 10.200,00100 265,00 26.500,00140 35.200,00260 67.300,00Totais 600 152.500,00 340 85.200,00260 67.300,00
4.1.4. Primeiro quadro comparativoCom base nos dados extraídos dos quadros demonstrativos acima e admitindo que a receita líquida de vendas do período seja de R$ 220.000,00, vamos demonstrar por meio de análise comparativa as diferenças ocorridas emfunção dos métodos adotados para avaliar os estoques.
Custo médioMédia ponderadamóvel
 
Média ponderadafixaPEPS (Fifo)
Receita quida de vendas R$ 220.000,00 R$ 220.000,00 R$ 220.000,00Custo das mercadoriasvendidas(R$ 86.135,00) (R$ 86.417,80) (R$ 85.200,00)Lucro bruto R$ 133.865,00 R$ 133.582,20 R$ 134.800,00
Pelo quadro comparativo, é possível observar as diferenças nos valores do lucro apurado no período, em razão deatribuição de critérios diferentes, considerando a mesma quantidade e a mesma receita de vendas.
4.1.5. Ultimo a Entrar, Primeiro a Sair (UEPS)
Este método de avaliação dos estoques não é permitido pela legislação fiscal brasileira, porém nada impede que sejautilizada para fins gerencias. A razão pela qual sua utilização não é permitida se deve ao fato de os estoques serem

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->