Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword or section
Like this
15Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Direito processual penal - sujeitos no processo

Direito processual penal - sujeitos no processo

Ratings:

4.0

(1)
|Views: 925|Likes:
Published by marcosp_art

More info:

Categories:Types, Research, Law
Published by: marcosp_art on Apr 14, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/20/2014

pdf

text

original

 
Processo Penal 
– 
TRF 2° REGIÃO
 
– 
(Técnico Judiciário
– 
Área Adm.)
 
Teoria e exercícios comentadosProf. Renan Araujo
– 
Aula 02
 
Prof.Renan Araujo
www.estrategiaconcursos.com.br
Página
1
de
40
 
AULA 02: SUJEITOS DO PROCESSO PENAL: JUIZ;MP; ACUSADO E SEU DEFENSOR; ASSISTENTES;AUXILIARES DA JUSTIÇA
SUMÁRIOPÁGINAApresentação da aula e sumário01I
Introdução02II - Juiz02III
Ministério Público07IV - Acusado09V
Defensor12VI
Dos Assistentes15VII
Dos Auxiliares da Justiça: Peritos eIntérpretes19VIII - Exercícios para praticar22IX
Questões Comentadas28Gabarito40
Salve, salve, meu povo!Estudando muito?Na aula passada (
aula 01
), nós estudamos
 
a ação penal, seu
 
conceito, características e espécies.
Hoje vamos estudar
 
quem são os atores do processo penal, ou
 
seja, os sujeitos do processo penal.
Meu povo, não percamos mais tempo! Vamos ao trabalho!
 
Processo Penal 
– 
TRF 2° REGIÃO
 
– 
(Técnico Judiciário
– 
Área Adm.)
 
Teoria e exercícios comentadosProf. Renan Araujo
– 
Aula 02
 
Prof.Renan Araujo
www.estrategiaconcursos.com.br
Página
2
de
40
 
I
INTRODUÇÃO
Sujeitos do processo são as pessoas que atuam, de maneiraobrigatória ou não, no processo criminal. Podem ser:
 
Sujeitos essenciais
 
Casos devam, necessariamente, fazerparte do processo criminal. São apenas três: Juiz, acusador(MP ou querelante) e acusado (ou querelado), bem como odefensor deste;
 
Sujeitos acessórios (não-essenciais)
 
São aqueles quenão necessariamente atuaram no processo, agindo somenteem alguns casos. Exemplo: Assistente de acusação.
Sujeito do processo não é necessariamente aquele que integraa relação processual.
Sujeito do processo é toda pessoa que pratica atono processo. A relação processual, por sua vez, é composta pelos sujeitosque possuem interesse no processo (Juiz, acusador, acusado, defensor,assistente). Pode ocorrer de um sujeito não possuir nenhum interesse nacausa (perito, por exemplo). O interesse do Juiz se constitui na prestaçãoda tutela Jurisdicional em nome do Estado.Os sujeitos do processo estão regulamentados nos arts. 251 a 281 doCPP. Vamos estudá-los individualmente.
II
JUIZ
O sujeito processual, na verdade, é o Estado-Juiz, que atua noprocesso através de um órgão jurisdicional, que é o Juiz criminal.
 
Processo Penal 
– 
TRF 2° REGIÃO
 
– 
(Técnico Judiciário
– 
Área Adm.)
 
Teoria e exercícios comentadosProf. Renan Araujo
– 
Aula 02
 
Prof.Renan Araujo
www.estrategiaconcursos.com.br
Página
3
de
40
 
O Juiz criminal possui alguns poderes:a)
Poder de polícia administrativa
 
Exercido no curso doprocesso, com a finalidade de garantir a ordem dos trabalhos e adisciplina. Ao contrário do que a nomenclatura possa transparecer, nãoestá relacionada à força policial, mas ao conceito administrativo de poderde polícia (limitação ou regulamentação das liberdades individuais). Estáprevisto no art. 251 do CPP, dentre outros:
 Art. 251. Ao juiz incumbirá prover à regularidade do processo emanter a ordem no curso dos respectivos atos, podendo, paratal fim, requisitar a força pública.
b)
Poder Jurisdicional
 
Relativo à condução do processo, no quetoca à atividade-fim da Jurisdição (instrução, decisões interlocutórias,prolação da sentença, execução das decisões tomadas, etc.). Dividem-seem: b.1) Poderes-meio (atos cuja prática é atingir uma outra finalidade
 a prestação da efetiva tutela jurisdicional), que dividem-se em atosordinatórios e instrutórios; b.2) Poderes-fins (que são relacionados àprestação da efetiva tutela jurisdicional e seu cumprimento), dividindo-seem atos decisórios (dizem o direito, condenando, absolvendo, etc) e atosexecutórios (colocam em prática o que foi decidido);Existem determinadas hipóteses nas quais o Juiz não pode atuar,pelo fato de se considerar
 prejudicada a sua condição deimparcialidade
. São as hipóteses de impedimento ou suspeição.As hipóteses de
impedimento
estão previstas no
art. 252 do CPP
,
 
e são consideradas como ensejadoras de incapacidade absoluta paraatuar no processo:

Activity (15)

You've already reviewed this. Edit your review.
Evelin Lima reviewed this
Rated 4/5
o conteúdo é bem claro e objetivo, porém o questionário já vem com as respostas selecionadas :/
1 thousand reads
1 hundred reads
rguilhen liked this
Jack Souto liked this
dnokaneda liked this
dnokaneda liked this
dnokaneda liked this
binagat liked this

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->