Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Maya

Maya

Ratings: (0)|Views: 850|Likes:
Published by Polly Peçanha

More info:

Published by: Polly Peçanha on Apr 25, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/21/2013

pdf

text

original

 
 
 
 
 JOSTEIN GAARDER 
MAYA
 O ROMANCE DA CRIAÇÃO
 
 Tradução de Maria Bragança
FICHA TÉCNICA
 
 Título original:
 Maya 
 
 Autor:
 Jostein Gaarder 
 
 Tradução:
 Maria Bragança 
 
Capa:
Ilustração de Quint Bacbholz 
Carl Hansen Verlag Munchen Wien 2000
 
Fotocomposição:
 Multitipo
 — 
 Artes Gráficas, Lda.
 
Impressão e acabamento:
Tipografia Peres 
 
1.
a
edição, Lisboa, Maio, 2001
 
2.
a
edição, Lisboa, Agosto, 2001
 
Depósito legal n.° 167 796/01
 
 
Prólogo
 Jamais vou esquecer aquela úmida e tempestu-osa manhã de janeiro de 1998 em que Frank aterris-sou em Taveuni, uma pequena ilha do arquipélagoFiji. Trovejara a noite inteira, e, antes do café da ma-nhã, os donos do Maravu Plantation Resort tiveramde cuidar do conserto de um problema na instalaçãoelétrica. Como a câmara frigorífica corria perigo, ofe-reci-me para ir de carro a Matei buscar os novos hós-pedes, que chegariam à linha de mudança de data no vôo da manhã, vindos de Nadi. Angela e Jochen Kiessaceitaram agradecidos minha ajuda, e Jochen me elo-giou dizendo que numa situação crítica sempre se po-dia contar com um britânico.O sério norueguês chamou minha atenção as-sim que entrou no jipe em companhia de um casal deamericanos. Tinha cerca de quarenta anos, estaturamediana e cabelos louros, como a maioria dos escan-dinavos, mas olhos castanhos e um semblante um tan-to abatido. Apresentou-se como Frank Andersen, elembro que cheguei a pensar que talvez pertencesseàquela rara categoria de seres humanos que a vida to-da se sentem oprimidos na Terra pela brevidade daexistência e pela falta de espírito. Essa suposição sedissipou quando, naquela mesma noite, soube que eleera biólogo evolutivo. Para quem já tem certa predis-posição à melancolia, a biologia evolutiva deve seruma ciência bem pouco reconfortante.

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->