Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Direito Eleitoral - TSE

Direito Eleitoral - TSE

Ratings: (0)|Views: 150 |Likes:
Published by jrobertocosta

More info:

Published by: jrobertocosta on Apr 27, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/27/2012

pdf

text

original

 
Professor Will
 profwill@pop.com.br Direito Eleitoral07/06/2011
Fixamente
Constituição Federal:Art. 1º/ 12 a 17/ 92 a 102/118 a 121Código Eleitoral lei 4737/65Art. 1º ao 81Crimes eleitorais art. 297 a 313Lei 9.504/97Art. 1º ao 16 e do 56 ao 62Lei dos partidos políticos
9.069/95Art. 1º ao 7º e do 16 ao 22Lei da Reforma Eleitoral
1.234/2009Toda a leiResolução 21.538/03Art. 1º ao 47 e do art. 58 ao 68Inelegibilidade LC 64/90 atualizada pela LC 135/2010
ficha limpa
 
TV justiça, Brasil Eleitor, tudo sobre direito do Eleitor;
 
1 vez por semana as sessões plenárias do TSE transmitidas as sextas
feiras 12:30;
└segunda feira –
a tarde / sábado 1 hora da manhã
 
6 às 7
segunda a sexta: prova final TV justiça.
 
Internet
aulas de constitucional do João Trindade e Administrativo daFernanda Marinela.
 
Site ILB, direito eleitoral, curso online
grátis.
Conceito de Direito Eleitoral
 
Para Tales Tácito o direito eleitoral é o ramo do direito constitucionalmais dinâmico porque além de atender interesses políticos dacomunidade é o responsável pelo mecanismo que garante asobrevivência da democracia.
 
Para Dijalma Pinto o direito eleitoral é ramo do direito público quedisciplina a criação dos partidos políticos, o ingresso do cidadão nocorpo eleitoral, o registro das candidaturas, a propaganda eleitoral, oprocesso eletivo e a investidura no mandato.
 
Finalidade do direito eleitoral:
iluminar os caminhos obscuros dademocracia. Dar esperança ao povo que é detentor do poder. Art. 1º, CF
 povo em sentido lato sensu.
Origens da Justiça eleitoral:
 1º escopo se deu na Inglaterra 1896 por Disráe.
 
No Brasil foi criada pelo decreto 21.076/1932. Na era Getúlio Vargas.Nesse período as eleições eram coordenadas pelo poder legislativo.Voto de paróquia: influência da Igreja Católica, que coordenava o processoeleitoral.
 
Somente na CF de 1934 que a justiça passou a ser órgão do poder judiciário.Existindo o STE (primeiro nome do TSE até 1943). Se consolidou comocúpula, em primeiro de junho de 1965, do poder judiciário em matériaeleitoral.
Objetivo:
disciplinar a escolha feita pelo povo, dos ocupantes dos
cargoseletivos.
 
Interpretação:
buscar sempre o interesse público.CF/88 e Direito eleitoral
ligação originária.CF/88 regulamentou os direitos políticos do art. 14 ao 16.A CF:- Dispôs sobre os partidos políticos no art. 17;- Manteve a justiça eleitoral como órgão do poder judiciário da União noart. 92, V e 118 ao 122.- Regulamentou a eleição para presidente e vice presidente da repúblicaart. 76 a 83;- Art. 2, 4 e 5 ADCT
regulamentou mandato, plebiscito e referendo.- Cria e estabelece o direito do povo requerer estas formas. Art. 62, §2º -iniciativa popular.
Institutos regulatórios
I.
 
Exercício da soberania popular:
sufrágio universal (voto direto,secreto, universal e periódico). Sendo aplicado por meio de plebiscitoe referendo.Plebiscito
lei 9.799/98, regulamenta no art. 2º.Referendo
lei 9.799/98, regulamente do art. 2º, §2º.
Plebiscito:
é uma consulta formulada ao povo para que delibere sobre matériade acentuada
relevância constitucional
,
administrativa e legislativa.
Ultimo plebiscito: 07/09/1993
monarquia e república;
 
A CF determina que para criação de membro federativo deve haverplebiscito e lei complementar com a nova administração(legislativo/administrativo/judiciário
3 méritos).
 
 
 
Natureza jurídica é de lei ordinária;
 
 
Art. 49, CF
somente o congresso Nacional pode
convocar plebiscito eautorizar referendo.Referendo:
convocado posteriormente a
ato legislativo
ou
administrativo
 cumprindo ao povo a ratificação ou a rejeição.Ultimo referendo: 23/10/2005
estatuto do desarmamento (2 méritos
 legislativo e administrativo).
Iniciativa popular:
apresentação a Câmara dos Deputados de projeto de lei queseja subscrito no percentual de 1% do eleitorado nacional divido em 5 estados,com pelo menos 0,3% em cada um deles.
 
O percentual da iniciativa popular conforma a Doutrina: 5% doeleitorado nacional.
 
Pode ser por lei complementar ou ordinária;
 
Natureza jurídica da iniciativa popular: de lei, seja ela ordinária oucomplementar.
 
A base de calculo da iniciativa popular é de 0,5%.
Fontes do Direito Eleitoral
PrimáriaPróprias: que disciplinam o ordenamento eleitoralSubsidiárias/ impróprias
serão aplicadas apenas na omissão da norma.
Primária:
é a CF; art. 22, I
compete privativamente a União legislar sobredireito eleitoral.
Própria:i.
 
Código eleitoral
 
lei 4.737/65
é uma lei ordinária, mas aorganização e a competência da justiça eleitoral foram recepcionadasna forma de lei complementar.
ii.
 
Lei das eleições
 
lei 9.504/97, atualizada pelas leis 10.408/02;11.300/06; 11.313/06, todo esse conjunto atualiza diretamente odireito eleitoral.
 iii.
 
Lei dos partidos políticos
 
lei 9.096/95 atualizada pela 9.259/97.
 iv.
 
Lei da anistia de multa
 
lei 9.996/2000
 v.
 
Lei complementar de inelegibilidade
 
LC 64/09 atualizada pela LC135/2010 (ficha limpa).
 
 
Rol taxativo das fontes próprias do Direito eleitoral, irão discipliná-lo.Subsidiarias ou impróprias:
 
Só em caso de omissão da normaI.
 
Código de Processo penal;II.
 
Código de Processo Civil;

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->