Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Untitled

Untitled

Ratings: (0)|Views: 85 |Likes:
Published by manechinide

More info:

Published by: manechinide on May 11, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as TXT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/11/2012

pdf

text

original

 
VI.2:Qualidadesdotexto:Coerência,Coesão(III)CoerênciaeprogressãotextualApescaAffonsoRomanodeSant’AnnaoaniloanzoloazulosilênciootempoopeixeaagulhaverticalmergulhaaáguaalinhaaespumaotempoaâncoraopeixeagargantaaâncoraopeixeabocaoarrancoorasgãoabertaaáguaabertaachagaabertooanzolaquelíneoágilclaroestabanadoopeixeaareiaosolApesardospoucoselementosdecoesão,temosumtextocoerenteporqueháunidadedesentidoqueédadaapartirdoprópriotítulo;eletambéméelementodereferênciaeativaoconhecimentodemundo.Aspalavras,assim,ganhamsentidoevemosquesetratadadescriçãodeumapescaria,situaçãoquecorrespondeaoesquemaquetemosarquivadonamemória.Comojádissemos,acoerênciaéotododesentidoemqueresultaotexto.Paraqueelaseestabeleça,éprecisoobservaranão-contradiçãodesentidosentrepartesdotexto,oqueseconstróipelosmecanismosdecoesãojáexplicitados.Alémdisso,deacordocomFiorin&Platão(1999),háváriosníveisquedevemserlevadosemconta,comoonarrativo,ofigurativo,otemporal,oargumentativo,oespacialeodelinguagem.Paratodoseles,doistiposdecoerênciasãofundamentais:acoerênciaintraeextratextual.Aprimeiracorrespondeàorganizaçãoeencadeamentodaspartesdotexto,aopassoqueasegundapodeestarrelacionadatantoaoconhecimentodemundocomoaoconhecimentolinguísticodafalante.Noentanto,hátextosquepodemserincoerentesaparentemente.Paraseverificarseotextotemsentido,éprecisoconsiderarváriosfatoresquepodemlevaràatribuiçãodesignificadoaotexto.Sãoeles:ocontexto,asituaçãocomunicativa,ogênero,o(s)intertexto(s).Essesfatoresdeterminamascondiçõesdeproduçãoederecepçãodeumtexto.Éprecisoterconhecimentodessascondiçõespargarcoerente(ounão)umtexto.Paraexemplificar,umtextoliterário,porserficcional,admiteousodalinguagemfigurada,aopassoqueumtextocientíficonãoaadmite.Portanto,sehouverousodeumametáforaemumtextocientífico,porexemplo,esteserájulgadoincoerente.Vejamosumtextoparamelhorilustraroquefoiditoatéaqui.Oleão,oburroeoratoUmleão,umburroeumratovoltavam,afinal,dacaçadaquehaviamempreendidojuntos(1)ecolocaramnumaclareiratudoquetinhamcaçado:doisveados,algumasperdizes,trêstatus,umapacaemuitacaçamenor.Oleãosentou-senumtroncoe,comvoztonitruantequeprocuravainutilmentesuavizar,berrou:—Bem,agoraqueterminamosummagníficodiadetrabalho,descansemosaqui,camaradas,paraajustapartilhadonossoesforçoconjunto.Compadreburro,porfavor,você,queéomaissábiodenóstrês,comlicençadocompadrerato,você,compadreburro,vaifazerapartilhadestacaçaemtrêspartesabsolutamenteiguais.Vamos,compadrerato,atéorio,beberumpoucodeágua,deixandonossograndeamigoburroempazparadeliberar.Osdoisseafastaram,foramatéorio,beberamágua(2)eficaramumtempo.Voltarameverificaramqueoburrotinhafeitoumtrabalhoextremamentemeticuloso,dividindoacaçaemtrêspartesabsolutamenteiguais.Assimqueviuosdoisvoltando,oburroperguntouaoleão:—Pronto,compadreleão,aíestá:queachadapartilha?Oleãonãodisseuapalavra.Deuumaviolentapatadananucadoburro,prostrando-onochão,morto.Sorrindo,oleãovoltou-separaoratoedisse:—Compadrerato,lamentomuito,mastenhoaimpressãodequeconcordaemquenãopodíamossuportarapresençadetamanhainaptidãoeburrice.Desculpeeuterperdidoapaciência,masnãohaviaoutracoisaafazer.Hámuitoqueeunãosuportavamaisocompadreburro.Mefaçaumfavoragora—dividavocêobolodacaça,incluindo,porfavor,ocorpodocompadreburro.Vouatéorio,novamente,deixando-lhecalmaparaumadeliberaçãosensata.Maloleãoseafastou,oratonãoteveamenordúvida.Dividiuomontedecaçaemdois:deumlado,todaacaça,inclusiveocorpodoburro.Dooutroapenasumratinhocinza(3)mortoporacaso.Oleãoaindanãotinhachegadoaorio,quandooratochamou:—Compadreleão,estáprontaapartilha!Oleão,vendoacaçadivididademaneiratãojusta,nãopôdedeixardecumprimentarorato:—Maravilhoso,meucarocompadre,maravilhoso!Comovocêchegoutãodepressaaumapartilhatãocerta?Eoratorespondeu:—Muitosimples.Estabeleciumarelaçãomatemáticaentreseutamanhoeomeu—éclaroquevocêprecisacomermuitomais.Traceiumacomparaçãoentreasuaforçaeaminha—éclaroquevocêprecisademuitomaiorvolumedealimentaçãodoqueeu.Comparei,ponderadamente,suaposiçãonaflorestacomaminha—e,evidentemente,apartilhasópodiaseresta.Alémdoque,souumintelectual,soutodoespírito!—Inacreditável,inacreditável!Quecompreensão!Queargúcia!—exclamouoleão,realmenteadmirado.—Olha,juroquenuncatinhanotado,emvocê,essacultura.Comovocêescondeuissootempotodo,equemlheensinoutantasabedoria?—Naverdade,leão,eununcasoubenada.Semeperdoaumelogiofúnebre,senãoseofende,acabeideaprendertudoagoramesmo,comoburromorto.MORAL:SÓUMBURROTENTAFICARCOMAPARTEDOLEÃO.(1).Aconjugaçãodeesf
 
orçostãoheterogêneosnadestruiçãodomeioambienteécoisamuitocomum.(2).Enquantoestavambebendoágua,oleãoreparouqueoratoestavasujandoaáguaqueelebebia.Masissojáéoutrafábula.(3).Osratosdevemsecontentaremsealimentarderatos.Comodiziamoslatinos:Similiasimilibuscurantur.(FERNANDES,Millôr)11www.uol.com.br/millor(acessoem05/12/06)Aoanalisarmosotexto,podemosverificaroseguinte:Notexto,acoerêncianarrativaéestabelecida,primeiramente,pelaseqüênciadeaçõesqueseencadeiam:oleãopropõeumdesafioaoburroeaorato,ambosaceitam,masoburronãocaptaaverdadeiraintençãodoleãoeacabamorto;orato,porsuavez,aoveroburromorto,entendeamensageme,parapreservarsuavida,fazadivisãodoalimentoconsideradajustaparaoleãoe,assim,obtémsucesso.Naseqüênciatemporal,anarrativaapresentaumasucessãodefatosqueestabeleceaprogressãotemáticadotextoarespeitodaexploraçãodohomempelohomem,oudaleidasobrevivênciaemumasociedadecompetitiva,tema(s)este(s)queé(são)figurativizado(s)pelosanimaispartilhandooalimento,emquesedestacaasoberaniadoleãonacadeiaalimentar.Afimdeseconcretizara“verdade”dotexto,hátambémacoerênciaespacial,vistoqueosanimaisencontram-seemumafloresta,ambientequeconcretizaocenárioemquesedesenvolveahistória.Comosetratadeumtextoficcional,acoerênciaéestabelecidapelacriaçãodessemundopossívelemqueospersonagensseinserem.Quantoàlinguagem,écoerenteaotipodetexto,quepermiteousodocoloquial,afimdeaproximaraproximar-sedointerlocutordessetipodetexto.Porisso,ovocabulárioéacessíveleháconstruçõespróximasàoralde,como“Mefaçamumfavor”,emqueopronomeoblíquoiniciaaoração,umaformaqueanormapadrãorejeita.Háum“jogo”depressupostosesubentendidos,quecaracterizamotextocomoliterárioeconsisteemumaestratégiaargumentativaparaadefesadopontodevistaimplícitodeque“venceomaisforte”.Dessaforma,podemosconsideraresteumtextocoerente,poisobservamostantoacoerênciainterna,comoacoerênciaexternadele.Aprimeiracorrespondeaosfatoresligadosaoconhecimentolingüístico,jáapresentadosanteriormente,aopassoqueasegundarelaciona-seàscondiçõesdeproduçãoe/ourecepçãodtexto,taiscomoogênero,asituaçãocomunicativaeasrelaçõesintertextuais.Nessesentido,podemosverificarque,porsetratardeumacrônica,éumtextoquetratadetemadocotidiano,emumalinguagemcoloquial,masqueconstróiopiniãopelasestratégiasargumentativas.Alémdisso,demodosubentendido,fazalusãoaoutrostextosexistentes,dotipofábula,quepressupõemaexistênciadeuma“moral”,recursoquesedenominaintertextualidade.Pode-senotarqueporesserecursoháconstruçãodeumaironiaemrelaçãoàmoral,queéapresentadadeumamaeira“subvertida”,istoé,demodoalevaroleitoràreflexãosobreaestupidezhumanaemsuasrelaçõessociais.SugestãodeatividadeSugerimosque,paraamadurecersuacompetêncialeitora,escolhaumoutrotextonarrativo,atémesmoumanovafábula,edesenvolvasuaanálise,contemplandoosaspectosabordadosatéaqui.EXERCÍCIOS1)Observeatentamenteestasfrases:I.Encontreibelasaspalavrasoqualnãoduvidodasinceridadedequemasescreveu.II.Descobriaverdadedecujalhefaleihátrêsmesesatrás.Nessasfrasesocorremerros,assimdescritos:AfaltadecoesãoemI:opronomerelativo―oqual
nãoestáemacordocomoantecedente.BfaltadecoesãoemII:opronomerelativo―decuja
estásolto(semfunção);aexpressão―hátrêsmesesatrás
éredundante;Cfaltadecoesã.DfaltadecoesãoedecoerênciaemII,apenas.EfaltadecoesãoedecoerênciaemI,apenas.2)Leiacomatençãooparágrafoseguinteeassinaleaalternativacorreta.―Osproblemasdecorrentesdodivórciovêmsuscitandopolêmicasentreosqueseinteressamporessasquestões.Ainstabilidadeeconômicaesocialdosnossosdiasmuitotemcontribuídoparaagravarasituaçãodasfamíliasdeclassemédia.
(apudGARCIA,Othon.Comunicaçãoemproamoderna.FGV:1980,p.476.)AOtextosegueanormacultaeapresentacoesãoecoerência.BAcoerênciadotextoéprejudicadaporqueainstabilidadeeconômicaesocialnãoécausadoagravamentodasituaçãodaclassemédia.COtextoéincoerenteporqueosegundoperíodo,aoinvésdeestabelecerumarelaçãológicacomoprimeiro,iniciaumanovatemática.DAcoerênciadotextoéprejudicadaporqueodivórcionãoémaisumaquestãopolêmica.EOtextoécoerenteporque,aocontráriodoqueafirma,nãoapenasfamíliasdeclassemédiasedivorciam.3)Assinaleaordememqueosfragmentosaseguirdevemserdispostosparaseobterumtextocomcoesão,coerênciaecorretaprogressãodeideias.I.Porissotemtantoconsumidorconfusoporaí,porissohátantagentepostergandoconsumo,semsaberqueprodutocomprar,comodecidirentreasdezenasdealternativas,semainformaçãonecessáriaparaavaliar.II.Talvezsejaessaarazãodaquedadapublicidadenamaioriadosjornaisenatelevisão.Nemnossoscomerciaissabemmaisvenderoprodut
 
o,sósabemcriaremoções,sensaçõespositivas,marcas―amigas
ou―socialmenteresponsáveis
.oprodutoéhojeconsideradodémodé.III.Aimpressãoqueoconsumidorteméadequetodoprodutoéexatamenteigual,oquemudasãoas―emoções
escondidasnosanúncios.Vende-seumestilodeviver,umaatitudeperanteavida,masoprodutoemsi,nempensar.IV.Estamosnocaminhoerrado.Precisamosvoltaravalorizarasequipesdevendascomosefazianopassado,voltaracontratarpessoasquesaibamvenderenãosomentetirarpedidos.V.Seasuaempresanãoestácrescendo,talvezoproblemanãosejaapolíticaeconômicadoministroPalocci,ataxadejurosouocâmbio.Provavelmentevocêémaisumdaquelesqueseesqueceramdequevendasétudoaquiloqueéprecisofazerparaqueumavendasejaconcretizada.AIV–II–III–I–VBI–IV–III–II–VCIV–V-III–I–IIDII–V–IV–I–IIIEI–V–IV–III–II4)LeiaotextodeOswalddeAndrade,quevemaseguir:InfânciaOcamisolãoOjarroOpassarinhoOoceanoAvisitanacasaqueagentesentavanosofáAdolescênciaAqueleamorNemmefaleMaturidadeOSr.ESr
 
AmadeuParticipamaV.Ex
 
OfeliznascimentoDesuafilhaGilbertaLeiaasafirmações:I.Apesardotextonãoapresentarelementoscoesivos,épossívelatribuirumsignificadoaele.II.OstítulosInfância,AdolescênciaeMaturidadecolaboramparaqueseestabeleçaaunidadedesentidodotexto.III.Emcadaestrofe,opoetanosapresentaflashesquecaracterizamcadaumadastrêsgrandesfasesdavida.IV.Afaltadeelementoscoesivosnotextoimpedequeoleitordepreendasuaunidadedesentidodotexto,ouseja,otextonãoécoerente.Assinaleaalternativacorreta:AApenasasafirmaçõesI,IIeIIIestãocorretas.BApenasasafirmaçõesII,IIIeIVestãocorretas.CApenasasafirmaçõesIeIIIestãocorretas.DApenasasafirmaçõesIIeIVestãocorretas.ETodasasafirmaçõesestãocorretas.5)AssinaleaalternativacorretaA"Aprovaestádifícil,mascomoestudeibastanteconseguirealizá-lacomfacilidade"Substituiraadversativamas,porporém,significariaalterar,totalmente,osentidodafrase,tendoemvistaorompimentodoprincípiodacoesão.BCoesãoéummecanismoquesepreocupacomasgrandesestruturastextuais,nãodizendorespeito,portanto,àescolhadosvocábulosqueformamasfrases.CApresençadosconectivose,pois,assim,etc.,époucoimportanteparaseconstruiraestruturacoesivadasfrases.DTendoemvistaquecoesãoecoerênciasãoinstânciasdistintas,édesnecessárioverificarcomosearticulamparaconfigurarossentidostextuais.EAestruturaçãosequencialdepalavras,frases,enunciados,mecanismoessencialparagarantiraprocedêncialinguísticadostextos,éconhecidaporcoesão.6)Assinaleaalternativaquetransgrideasr

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->