Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
5Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
6ef Prova Port Total Gabarito

6ef Prova Port Total Gabarito

Ratings: (0)|Views: 1,316|Likes:
Published by Luis Lopes

More info:

Published by: Luis Lopes on Jun 02, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

10/22/2013

pdf

text

original

 
 
E
XAME DE
S
ELEÇÃO E
C
LASSIFICAÇÃO DE
C
ANDIDATOS
 
À
M
ATRÍCULA NO
6
º
A
NO DO
E
NSINO
F
UNDAMENTAL
 P
ROVA DE
P
ORTUGUÊS
 –
 
2012U
NIDADE
E
SCOLAR
 _________________ N
OME DO
(
A
)
 
C
ANDIDATO
(
A
)
:
 
.................................................................................................................................................................................................................
N
ÚMERO DA
I
NSCRIÇÃO
:
 
.......................................................
R
IO DE
J
ANEIRO
,
 
27
DE NOVEMBRO DE
2011D
ADOS A
S
EREM
P
REENCHIDOS
P
ELA
B
ANCA
E
XAMINADORA
:G
RAU
O
BTIDO
 R
UBRICA DOS
E
XAMINADORES
:
..........................................................................................................................................................................................................
M
INISTÉRIO DA
E
DUCAÇÃO
 C
OLÉGIO
P
EDRO
IID
IREÇÃO
-G
ERAL
 D
IRETORIA DE
E
NSINO
 
 
 
Texto IA bola: ontem e hoje
5Você sabia que em tumbas egípcias, há cerca de 2.000 anos antes de Cristo, jáhavia desenhos que representavam pessoas brincando de bola? Os modelos variavambastante de acordo com a época e o lugar.No antigo Japão, as bolas de futebol eram feitas com fibras de bambu. Oschineses usavam crinas de animais, enquanto os romanos usavam tiras de couro epenas de aves.Atualmente, existem as bolas de couro e bolas de plástico dos mais diferentestipos, tamanhos e cores para cada modalidade de esporte.
(Revista
Recreio 
. São Paulo: Abril, outubro de 2001, ano 2, nº 83)
Texto II
5101520253035
 
O pai deu uma bola de presente ao filho. Lembrando o prazer que sentira aoganhar a sua primeira bola do pai. Uma número 5 sem tento oficial de couro.Agora não era mais de couro, era de plástico. Mas era uma bola.O garoto agradeceu, desembrulhou a bola e disse "Legal!". Ou o que osgarotos dizem hoje em dia quando gostam do presente ou não querem magoar ovelho.Depois começou a girar a bola, à procura de alguma coisa.
Como é que liga?
perguntou.
Como, como é que liga? Não se liga.
 
O garoto procurou dentro do papel de embrulho.
 
Não tem manual de instrução?O pai começou a desanimar e a pensar que os tempos são outros. Que os
 
tempos são decididamente outros.
Não precisa manual de instrução.
O que é que ela faz?
 
Ela não faz nada. Você é que faz coisas com ela.
 
O quê?
 
Controla, chuta...
 
Ah, então é uma bola.
 
Claro que é uma bola.
Uma bola, bola. Uma bola mesmo.
Você pensou que fosse o quê?
Nada, não.O garoto agradeceu, disse "Legal" de novo, e dali a pouco o pai o encontrouna frente da tevê, com a bola nova do lado, manejando os controles de umvideogame. Algo chamado
Monster Ball 
, em que times de monstrinhos disputavama posse de uma bola em forma de
blip 
eletrônico na tela ao mesmo tempo quetentavam se destruir mutuamente. O garoto era bom no jogo. Tinha coordenação eraciocínio rápido. Estava ganhando da máquina.O pai pegou a bola nova e ensaiou algumas embaixadas. Conseguiuequilibrar a bola no peito do pé, como antigamente, e chamou o garoto.
Filho, olha.
COLÉGIO
 
PEDRO
 
II
 
 –
 
MEC
 
E
XAME DE
S
ELEÇÃO E
C
LASSIFICAÇÃO AO
6
º
A
NO DO
E
NSINO
F
UNDAMENTAL
-
 
2012P
ROVA DE
P
ORTUGUÊS
 
 
 
O garoto disse "Legal" mas não desviou os olhos da tela. O pai segurou a bolacom as mãos e a cheirou, tentando recapturar mentalmente o cheiro de couro. A bolacheirava a nada. Talvez um manual de instrução fosse uma boa ideia, pensou. Masem inglês, para a garotada se interessar
.(Luís Fernando Verissimo. In:
Comédias para se ler na escola 
. p.41-42.)
Texto IIIÉ uma partida de futebol
Bola na trave não altera o placarBola na área sem ninguém pra cabecearBola na rede pra fazer um golQuem não sonhou em ser um jogador de futebol?A bandeira no estádio é um estandarteA flâmula pendurada na parede do quartoO distintivo na camisa do uniformeQue coisa linda é uma partida de futebolPosso morrer pelo meu timeSe ele perder, que dor, imenso crimePosso chorar se ele não ganharMas se ele ganha, não adiantaNão há garganta que não pare de berrarA chuteira veste o pé descalçoO tapete da realeza é verdeOlhando para a bola eu vejo o solEstá rolando agora, é uma partida de futebolO meio campo é o lugar dos craquesQue vão levando o time todo pro ataqueO centroavante, o mais importanteQue emocionante, é uma partida de futebolO goleiro é um homem de elásticoSó os dois zagueiros têm a chave do cadeadoOs laterais fecham a defesaMas que beleza é uma partida de futebol
(In: letras.terra.com.br/skank/72339/ - acessado em 04/11/2011)
Texto IV
 
Português 
 –
2012 
 
Colégio Pedro II 
 –
MEC 6º Ano do Ensino Fundamental 

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->