Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
72Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
CARTILHA DA SBV - Impactos sobre o meio ambiente

CARTILHA DA SBV - Impactos sobre o meio ambiente

Ratings:

4.8

(5)
|Views: 39,962|Likes:
Published by Chico
Impactos sobre o Meio Ambiente do uso de animais para a Alimetação: SUPOLUIÇÃO ATMOSFÉRICA ; PERIGO NOS OCEANOS ; DESERTIFICAÇÃO ESCASSEZ DE ÁGUA DOCE ; SUSTENTABILIDADE ; MATRIZ ENERGÉTICA ;
SOCIEDADE DE CONSUMO ; NOVOS PARADIGMAS ; SOLUÇÕES POSSÍVEIS
Impactos sobre o Meio Ambiente do uso de animais para a Alimetação: SUPOLUIÇÃO ATMOSFÉRICA ; PERIGO NOS OCEANOS ; DESERTIFICAÇÃO ESCASSEZ DE ÁGUA DOCE ; SUSTENTABILIDADE ; MATRIZ ENERGÉTICA ;
SOCIEDADE DE CONSUMO ; NOVOS PARADIGMAS ; SOLUÇÕES POSSÍVEIS

More info:

Published by: Chico on Jan 07, 2008
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF or read online from Scribd
See More
See less

11/08/2012

pdf

 
IMPACTOS SOBRE OMEIO AMBIENTEDO USO DE ANIMAISPARA ALIMENTAÇÃO
POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA • PERIGO NOS OCEANOS • DESERTIFICAÇÃOESCASSEZ DE ÁGUA DOCE • SUSTENTABILIDADE • MATRIZ ENERGÉTICASOCIEDADE DE CONSUMO • NOVOS PARADIGMAS • SOLUÇÕES POSSÍVEIS
 
Se você chegasse agora ao planeta Terra,vindo de outra galáxia,provavelmenteficaria atônito com a proliferação de expressões como “catástrofe ambiental”,“aquecimento global”,“perda de biodiversidade”,“mudanças climáticas” e tantasoutras que inundam os noticiários e permeiam discussões em comunidades tãodíspares quanto escolas infantis,associações de bairro,comitês de gestãoempresarial e órgãos governamentais e internacionais de todas as esferas.“Ora”,você diria,“há até bem pouco tempo,as querelas ambientais restringiam-se a proteger ursos panda,evitar o desperdício de água e reciclar latinhas decerveja.De onde surgiu – e com tamanha voracidade – essa crise alardeada,tãoampla e sem precedentes?” Pois ela não surgiu,absolutamente:é resultado darepetição,ao longo de décadas,de hábitos de consumo coletivos e individuais pre-datórios,mas abençoados pela lógica de mercado e por uma cultura de hipercon-sumismo que negam,sistematicamente,sua conexão com o caos instaurado.Entre esses hábitos perniciosos arraigados na sociedade moderna,está o con-sumo indiscriminado de carne
*
.Sim,acredite ou não,a atual manutenção,em“estoques vivos”,de 30 bilhões de aves,peixes e mamíferos de dezenas de espé-cies exerce uma tremenda e inédita pressão sobre todos os ecossistemas.Bastalembrar que cada um desses animais – assim como cada um dos quase sete bi-lhões de animais humanos – demanda sua porção de terra,água,comida e ener-gia (preponderantemente fóssil),despeja seus dejetos sobre a terra e gera,dire-ta e indiretamente,emissão de poluentes no solo,no ar e na água.Não há como fechar os olhos para o fato de que cada hambúrguer,
nugget,
sal-sicha e lata de atum provoca um impacto e um respectivo custo ambiental queaproximam a aventura do homem na Terra da bancarrota ecológica.Neste guia procuramos enumerar,entre as atividades econômicas que envolvemcriação de animais para abate e posterior alimentação humana,os principaisfatores que geram degradação ambiental.A simples identificação desses fatores,por si,já favorece o entendimento da necessidade de uma mudança profunda nomodo como indivíduos e sociedade encaram e se relacionam com o meio ambi-ente.E indica a urgência em repensar – e reinventar! – os paradigmas de con-sumo global,como única alternativa viável para evitar as grandes catástrofes quese anunciam com tanto vigor.Desejamos que essas informações sejam úteis na sua escolha de como con-tribuir para a construção de um novo,saudável e produtivo modo de interagircom as pessoas,os animais e o planeta.Você sabe quanto custa um quilo de carne? Pode ser um quilo de qualquer tipode carne.Será que sabe mesmo?Para ter certeza,primeiro é necessário entender bem a pergunta.O custo total de determinada coisa não é apenas o valor do dinheiro que gastamospara obtê-la.Este é apenas o “preço nominal” ou “custo econômico”.As coisas podem ter custos econômicos,culturais,sociais,estéticos,ambientais,morais… E a produção de carne gera vários tipos de custos – infelizmente,quase todos desconhecidos da maioria das pessoas.Além do que você paga diretamente no balcão do mercado e que corres-ponde ao custo econômico da carne,há outros fatores envolvidos que deve-riam compor o preço final do produto.Entre eles,o custo ambiental dacarne,que é um dos maiores problemas ambientais da Terra.Uma série decálculos e estudos estabelece a relação do consumo de carne com a saúdedo planeta,como exemplificado no quadro abaixo.Tudo isso está presente em cada quilograma de alcatra,maminha,picanha e outroscortes,consumidos aos milhões no menu diário e nos churrascos domingueiros.E nada disso é computado no balcão do açougue.
   E   s   t   i   m   a  -   s   e   q   u   e ,   n   o   m   u   n   d   o ,   a   c   a   d   a   s   e   g   u   n   d   o ,   u   m   a   á   r   e   a   d   e   f   l   o   r   e   s   t   a   t   r   o   p   i   c   a   l   d   o   t   a   m   a   n   h   o   d   e   u   m    c   a   m   p   o   d   e   f   u   t   e   b   o   l   s   e   j   a   d   e   s   m   a   t   a   d   a   p   a   r   a   p   r   o   d   u   z   i   r   c   a   r   n   e   d   e   b   o   i   e   q   u   i   v   a   l   e   n   t   e   a   2   5   7   h   a   m   b   ú   r   g   u   e   r   e   s
• despejo no meio ambiente de antibióticos,hor-mônios,analgésicos,bactericidas,inseticidas,fungicidas,vacinas e outros fármacos,via urina,fezes,sangue e vísceras,que inevitavelmenteatingem os lençóis freáticos• liberação de óxido nitroso,cerca de 300 vezesmais prejudicial para a atmosfera do que o CO
2
• pesados encargos para os cofres públicos comtratamentos de saúde decorrentes da contami-nação gerada pela pecuária• gastos do poder público com infra-estrutura esaneamento necessário para equilibrar os danoscausados pela pecuária• custo dos incentivos fiscais e subsídios concedi-dos pelos governos estaduais e federal para a ati-vidade pecuária• 10 mil metros quadrados de floresta desmatada• consumo de 15 mil litros de água doce limpa• emissão de dióxido de carbono diretamente naatmosfera• emissão de metano na atmosfera• despejo de boro,fósforo,mercúrio,bromo,chum-bo,arsênico,cloro entre outros elementos tóxi-cos provenientes de fertilizantes e defensivosagrícolas,que se infiltram no solo e atingem oslençóis freáticos• descarte de efluentes como sangue,urina,gor-duras,vísceras,fezes,ossos e outros,que acabamchegando aos rios e oceanos depois de contami-narem solo e aqüíferos subterrâneos• consumo de energia elétrica• consumo de combustíveis fósseis
* Neste guia,sempre que falarmos em “carne”,semespecificar o tipo,trata-se da carne de qualquer animal.
Terra, água e arIntroduç
 
ão
02 03
No Brasil,em média,um quilo de carne bovina é responsável por:
 
É importante observar que estes dados relativos à produção de 1 kg de carnede boi não são estimativas alarmistas;são constatações alarmantes de estudoscientíficos e dados oficiais.A criação de suínos,caprinos,bubalinos e ovelinos(ou de outros mamíferos de grande porte) gera números semelhantes.Ou seja,a produção industrial de carnes é uma das fontes mais importantes de poluiçãodo meio ambiente:exige áreas gigantescas,consome enorme volume de recur-sos naturais e energéticos,onera sensivelmente os cofres públicos,além degerar bilhões de toneladas de resíduos tóxicos sólidos,líquidos e gasosos,quecontaminam solo,água,ar,plantas,animais e pessoas.A legislação brasileira é rigorosa em relação à poluição industrial.Porém,nãohá fiscalização para o setor pecuário:a aplicação das leis ambientais tornariapraticamente inviável a atividade.Se o governo brasileiro retirasse incentivos esubsídios,cobrasse impostos integrais e obrigasse a internalizar os custosenergéticos,o uso de recursos naturais e os danos ambientais,cada quilo dealcatra custaria uma pequena fortuna!No principio era o agronegócio.Depois,o negócio se diversificou e fez-se hidro-negócio:“negócio da água”.Quer dizer,a água é apenas um meio,pois o negó-cio mesmo é o lucro.Lucra-se com o uso da água na indústria,no saneamentopúblico e ambiental,com engarrafamento da versão mineral e,sobretudo,como uso intensivo na irrigação e na pecuária.O Brasil é a maior potência mundial em volume de água doce:12% de todo o es-toque global está em nossos rios e reservatórios subterrâneos.Contudo,cerca de70% dessa preciosidade vai para a agricultura – em especial a irrigação.Irrigação do cultivo de hortaliças para alimentação humana,certo? Negativo:bem mais da metade de tudo que é cultivado no Brasil destina-se à produçãoindustrial de ração animal,aqui e no exterior.Ou seja,vira alimento de bois,por-cos,aves e até peixes,que depois vão parar no prato das pessoas.Para piorar asituação,ninguém paga pelo consumo dessa água toda,nem pela poluição que osefluentes da produção de carne – sangue,gorduras,vísceras,vômitos e fezes,maisos hormônios,antibióticos,inseticidas,fertilizantes e defensivos agrícolas – causam aos reservatórios e aqüíferos.
(reveja os dados da pág.3)
 Você e a água
Para evitar o desperdício,as dicas são as de sempre:fechar a torneira ao escovaros dentes ou fazer a barba,não lavar a calçada,consertar vazamentos em casa eser breve no banho.Mas,como consumidores conscientes,podemos ir muito além.O vegetarianismo é a forma mais eficiente para economizar água.Veja porque:
Criação de animais para consumo
Dentre todas as indústrias,a criação maciça de animais para consumo humanoé a que faz o uso mais ineficiente dos recursos hídricos.Vamos dar,comoexemplo,a carcinicultura (criação de camarões em cativeiro).Essa atividadeconsome mais água doce que a irrigação da agricultura:são 50 a 60 mil litrosd’água por quilo de camarão produzido.A construção dos viveiros,principal-mente no litoral nordestino,degrada nascentes e compromete os manguezais.Provoca alterações da fauna e flora,piora a qualidade da água potável,polui aságuas costeiras com toneladas de excrementos e ainda expulsa os pescadorestradicionais dos mangues,sem dar-lhes outra alternativa.Como se não bas-tasse,essa atividade econômica é quase toda voltada para a exportação e be-neficia apenas uma elite empresarial,que obtém seus lucros em detrimentodas comunidades tradicionais e da saúde do bioma litorâneo.
   N   o   s   E   s   t   a   d   o   s   U   n   i   d   o   s ,   a   c   r   i   a   ç   ã   o   d   e   g   a   d   o   é   r   e   s   p   o   n   s   á   v   e   l   p   e   l   o   u   s   o   d   e   m   e   t   a   d   e   d   e   t   o   d   a   a   á   g   u   a   c   o   n   s   u   m   i   d   a   n   o   p   a   í   s   p   a   r   a   t   o   d   o   s   o   s   f   i   n   s
Água doce: fonte de vida ou de lucros?Terra, água e ar
 
Causa e conseqüência -
Um fato emblemático que revela a inconseqüência da produçãoindustrial de carne:em 1960,um grande
tsunami
atingiu a costa de Bangladesh.Apesar dos prejuízos mate-riais,não houve uma única perda humana.No entanto,vários milhares de pessoas morreram quando um
tsunami
de magnitude bastante similar arrasou a mesma área,em 1991.Por que a diferença? Nesse meiotempo,os imensos manguezais,que davam proteção natural àquela região,foram devastados para dar lugara inúmeras fazendas industriais de carcinicultura (criação de camarões em cativeiro).
0405

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->