Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more ➡
Download
Standard view
Full view
of .
Add note
Save to My Library
Sync to mobile
Look up keyword
Like this
3Activity
×
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Carta Aberta de várias ONG sobre a remoção progressiva dos subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis

Carta Aberta de várias ONG sobre a remoção progressiva dos subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis

Ratings: (0)|Views: 2,601|Likes:
Published by Quercus ANCN
Várias organizações não governamentais, entre as quais a Quercus, apelam aos Governos de todo o Mundo para implementarem ações concretas para a remoção progressiva dos subsídios governamentais atribuídos à produção e consumo dos combustíveis fósseis.
Várias organizações não governamentais, entre as quais a Quercus, apelam aos Governos de todo o Mundo para implementarem ações concretas para a remoção progressiva dos subsídios governamentais atribuídos à produção e consumo dos combustíveis fósseis.

More info:

Published by: Quercus ANCN on Jun 20, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See More
See less

06/20/2012

pdf

text

original

 
 
Assunto:
Carta Aberta de várias ONG sobre a remoção progressiva dos subsídiosatribuídos aos combustíveis fósseisLisboa, 12 de Junho de 2012Exma. Sr.ª Ministra do Ambiente,Dr.ª Assunção CristasVárias organizações não governamentais, entre as quais a Quercus, apelam aosGovernos de todo o Mundo para implementarem ações concretas para a remoçãoprogressiva dos subsídios governamentais atribuídos à produção e consumo doscombustíveis fósseis.Estimativas globais recentes sobre o valor total destes subsídios anualmenteatribuídos apontam para 730 mil milhões de dólares USD (cerca de 583 mil milhões deeuros).Em tempo de crise económica à escala global e perante os efeitos negativos dasalterações climáticas e da procura crescente de fontes de energia mais limpas efiáveis
1
, os subsídios para os combustíveis fósseis constituem uma forma de usoirracional e irresponsável dos impostos pagos pelos contribuintes e dos investimentosdos Governos de todo o Mundo.Já em 2009, os líderes mundiais do G20 reconheceram esta realidade e assumiram ocompromisso para “eliminar de forma progressiva e racionalizar, a médio prazo, ossubsídios atribuídos aos combustíveis fósseis, enquanto asseguram o apoio aospaíses mais pobres”. Um compromisso semelhante foi acordado na reuniãosubsequente dos líderes da APEC (Associação da Cooperação Económica Ásia-Pacífico), onde mais de 50 países presentes reforçaram esta ambição.As organizações não governamentais signatárias desta carta aberta, entre as quais aQuercus, congratulam-se perante o compromisso assumido pelos líderes mundiais doG20. No entanto o progresso na sua concretização tem sido lento.Mais recentemente, o Painel de Alto Nível para a Sustentabilidade Global doSecretário Geral das Nações Unidas apelou inequivocamente para a remoçãoprogressiva destes subsídios no seu relatório “Resilient People Resilient Planet: AFuture Worth Choosing”. Este Painel de Alto Nível para a Sustentabilidade Global -presidido pela Finlândia e África do Sul, e constituído pelos principais decisorespolíticos de 20 países incluindo a União Europeia, os Estados Unidos da América, o
1
Apesar do contributo importante das energias renováveis para diminuir os impactes ambientais da produção deenergia, os subsídios atribuídos às energias renováveis não são mais do que uma pequena fração dos subsídios aoscombustíveis fósseis, as chamadas fontes convencionais e mais poluentes. Consultar o Relatório da AIE, “WorldEnergy Outlook 2011”, p.530
 
Brasil, a Índia, a China, a Federação Russa - recomenda a “remoção progressiva dossubsídios para os combustíveis fósseis e o uso racional de outros subsídios, comefeitos perversos e de distorção de mercado, até 2020.”
 A próxima Cimeira do G20 e da Cimeira da Terra Rio+20 (a Conferência das NaçõesUnidas para o Desenvolvimento Sustentável), a acontecerem em Junho próximo,constituem oportunidades únicas para os líderes mundiais consolidarem os seuscompromissos políticos para a implantação de ações concretas nesta matéria.
As organizações não governamentais abaixo listadas, representando milhões decidadãos em todo o Mundo, apelam aos líderes mundiais para aproveitarem estaoportunidade histórica para reafirmarem o seu compromisso através de açõesconcretas, para eliminarem estes subsídios, claramente ineficientes e perversos,e reencaminharem este dinheiro para ações que garantam um futuro energéticomais sustentável.Os Governos de todo o Mundo presentes nas Cimeiras do G20 e Rio+20, e emespecial Portugal, deverão considerar quatro passos fundamentais para traduzireste compromisso em ações concretas:1) Definir planos para a remoção progressiva dos subsídios para oscombustíveis fósseis até 2015
Em Setembro de 2009, na cidade de Pittsburgh (EUA), os líderes mundiais do G20comprometeram-se a "eliminar ou racionalizar, de forma progressiva e a médio prazo,os subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis, proporcionando um apoio específicopara os países mais pobres".No entanto, e perante a inação dos Governos para cumprirem este compromissohistórico, os líderes mundiais deverão estabelecer, o mais rapidamente possível, ummútuo acordo para remover os subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis até2015.
2) Aumentar a transparência e a coerência nos relatórios de comunicaçãosobre estes subsídios
A elaboração de um inventário de todos os subsídios atribuídos para a produção econsumo dos combustíveis fósseis constitui um primeiro passo para aumentar atransparência e a coerência deste compromisso. A comunicação e a reforma sobreestes subsídios deverão ser consideradas em separado.Até ao momento, não existe conhecimento público suficiente sobre os subsídiosatribuídos aos produtores de combustíveis fósseis em muitos países. É imperativo queos governos se comprometam, de forma completa e justa, a divulgar publicamente ovalor de todos os subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis, a fim de definir planosde reforma informados e robustos para estes subsídios.
2
Resilient People Resilient Planet: A Future Worth Choosing, Recommendation 27f., page 18, Available athttp://www.un.org/gsp/TheGSP.
 
3) Incorporar programas de assistência e salvaguarda para os países emdesenvolvimento, bem como os grupos mais pobres e vulneráveis
A remoção progressiva dos subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis, em especialpara o seu consumo, só poderá ser bem sucedida através da incorporação desalvaguardas para os grupos mais pobres e vulneráveis, bem como assistênciafinanceira, ajuda técnica e de capacitação nos países em desenvolvimento, quandonecessária.
4) Identificar ou estabelecer um organismo internacional para facilitar eapoiar a reforma dos subsídios atribuídos aos combustíveis fósseis
Um organismo internacional deverá ser identificado ou criado com o propósito deapoiar os esforços dos Governos para a eliminação progressiva dos subsídios para oscombustíveis fósseis. Este organismo deverá ser transparente e equilibrada paraincluir a representação de países desenvolvidos e países em desenvolvimento, e tercompetência para avaliar os compromissos dos países para atingir este objetivo. Oorganismo deverá definir e rever, de forma adequada e regular, os relatórios decomunicação sobre estes subsídios elaborados por todos os países. Estes relatóriosde comunicação deverão incluir uma lista de todos os subsídios existentes para oscombustíveis fósseis, bem como as ações e custos assumidos pelos Governos paraeliminar estes subsídios e submeter a métodos de monitorização e verificaçãoverdadeiramente independentes.O momento atual obriga ao fortalecimento dos compromissos políticos, maisorientados para a ação, no sentido da transição da economia global baseada no usode combustíveis fósseis para uma economia mais “verde”, baseada em fontes deenergia mais limpas e renováveis.Persistir na subsidiarização dos combustíveis fósseis não contribui para asustentabilidade global, dada a necessidade de reduzir a dependência doscombustíveis fósseis que contribuem para o aquecimento global. Os passosfundamentais, acima referidos, são críticos para essa transição, e as organizações nãogovernamentais apelam veementemente para os Governos empreenderem esforçosadicionais na definição de metas e prazos para a remoção progressiva dos subsídios,a comunicação acerca dos subsídios existentes e o apoio internacional para a suaremoção progressiva.Agradecendo desde já a V/ melhor atenção, apresentamos,Nuno SequeiraPresidente da Direção NacionalQuercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->