Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword
Like this
3Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
Apostila Adubos e Adubacao 2012

Apostila Adubos e Adubacao 2012

Ratings: (0)|Views: 141 |Likes:
Published by jeander123

More info:

Published by: jeander123 on Jun 22, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/29/2012

pdf

text

original

 
UNIVERSIDADE DE SÃO PAULOESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA “LUIZ DE QUEIROZ”DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLOLSO-526 ADUBOS E ADUBAÇÃO- APOSTILA DE AULAS PRÁTICAS -ANÁLISES E RECOMENDAÇÕES DE CORRETIVOS E FERTILIZANTES6ª ediçãoAutores:Prof. Dr. Godofredo Cesar VittiProf. Dr. Luís Ignácio ProchnowMsc. Fernanda Latanze MendesMsc. Gean Carlos Silva MatiasEngº Agr. Rodrigo Coqui da SilvaPiracicaba, fevereiro de 2011.
 
 2
1. INTRODUÇÃO1.1. Generalidades
O sucesso na atividade agrícola só pode ser obtido quando se empregamtécnicas adequadas e específicas para cada propriedade. Não é diferente para omanejo químico do solo, onde só um programa bem conduzido de análise químicade terra, interpretação dos resultados, recomendações de corretivos e fertilizantes efinalmente, aplicação correta dos insumos podem resultar em adequada nutrição dasplantas.Na disciplina de Química e Fertilidade do Solo (LSO-300) os alunos foramtreinados, por meio de aulas teórico-práticas e exercícios, no que diz respeito àanálise química de terra e interpretação dos resultados. Esta apostila de aulaspráticas foi preparada para retomar deste ponto, fazendo com que os alunospossam, a partir dos dados analíticos, emitirem recomendações de calagem eadubação que conduzam a produtividades economicamente viáveis.Para que este objetivo seja atingido faz-se necessário conhecer alegislação de fertilizantes, saber interpretar os resultados de suas análises, prepararfórmulas a partir de fertilizantes simples e saber manusear tabelas de adubação.Tudo isto foi previsto de tal forma que esperamos que ao final os alunos possamestar seguros de suas recomendações agronômicas quanto à aplicação de insumosbásicos, como corretivos, gesso agrícola e fertilizantes.
1.2. Objetivo
Alimentar (adubar ou fertilizar) a planta, para nutrir o homem e o animal, demaneira adequada e econômica, sem causar danos ao ambiente.Lembrem-se o homem se alimenta da planta, ou planta transformada (animal)e a planta se alimenta do solo ou do substrato, e somente adubando a planta épossível a produção de alimentos, fibras, energia.
1.3. Composição da planta
A planta é formada de: ar x água x solo
 
 3
a) 95% da massa seca de uma planta tem origem no ar e na água, através dosdenominados macronutrientes orgânicos: C, H e O, ou seja, carbono (C) doCO
2
, hidrogênio (H) da H
2
O e oxigênio (O
2
) do CO
2
e da H
2
O, na reaçãosimplificada da fotossíntese;
6
CO
2
+
6
H
2
O C
6
H
12
O
6
+
6
O
2
 b) 5% da massa seca da planta tem origem no solo, através dos elementosminerais (nutriente: elemento essencial ou benéfico para o crescimento eprodução dos vegetais), classificados em (Anexo V- Apostila Legislação –Capítulo I, página 2:I. Macronutrientes:Macronutrientes primários: nitrogênio (N); fósforo (P
2
O
5
); potássio (K
2
O);Macronutrientes secundários: cálcio (Ca ou CaO); magnésio (Mg ouMgO); enxofre (S).II. Micronutrientes: boro (B); cloro (Cl); cobalto (Co); cobre (Cu); ferro (Fe);manganês (Mn); molibdênio (Mo); níquel (Ni); silício (Si); zinco (Zn).
Figura 1
. Relação solo, planta, atmosfera.
 
luz

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->