Welcome to Scribd. Sign in or start your free trial to enjoy unlimited e-books, audiobooks & documents.Find out more
Download
Standard view
Full view
of .
Look up keyword
Like this
1Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
A chama dupla tradução esther perel

A chama dupla tradução esther perel

Ratings: (0)|Views: 20|Likes:
Published by Stephani

More info:

Published by: Stephani on Jun 24, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/25/2013

pdf

text

original

 
 
+++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++=========================================================================================================================================================================++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++ ________________________________________________________________________________________ 23Capítulo 2A Chama DuplaConciliar IntimidadeSexualidade e Desejo, RevivendoEsther Perel"O amor é sobre ter e desejo é sobre o querer." Esta é a principal observaçãoque a terapia de guias de Esther Perel, enquanto ela trabalha com casais reclamandode perda do desejo. Ela observa que a falta de desejo não necessariamenterefletir uma relação desordenada e que os sulcos eróticos fazem parte do serum par amoroso, cuidadoso. Ela estabelece um paradoxo: os ingredientes próprios quenutrir o amor são muitas vezes aqueles que corroem a paixão erótica. Transforma o Perelabordagem terapêutica habitual em sua cabeça com esta sugestão: primeiro melhoraro sexo, um melhor relacionamento vai seguir.A fim de conciliar o paradoxo de que, inevitavelmente, existe entre o desejopara uma intimidade que tudo sabe ea paixão intensa que acompanhao desconhecido e imprevisível, é necessário cultivar mistério etolerar separação. Como ela observa, "o desejo hesita em consistência e édirigimos pela ausência e saudade. Fantasy "e imaginação constituem-chaveingredientes no desejo libertador e não despertar, a insistência, exigências,ou negociação. Não são as técnicas inovadoras que ela é depois, mas a experiênciade expectativa em torno do mistério do outro e do desconhecidoem nós mesmos.Em sua descrição do caso fascinante, Perel ilustra como a únicaprojetos eróticos de Alicia e Roberto desenvolveram e foram inicialmente eficazem apoio à sua vida erótica. Mas na sua relação atual que têmDesde o tratamento de distúrbios desejo sexual: A Casebook Clínica.Editado por Sandra R. Leiblum.Copyright 2010 by The Guilford Press. Todos os direitos reservados.24 O tratamento dos distúrbios do desejo sexualcaído os papéis familiares de perseguidor e alienador, que satisfaz nenhum dos dois.Além disso, a forma como são emocionalmente organizado em torno de si étambém uma reminiscência de suas famílias de origem, o que inevitavelmente entorpece todas as formas deexpressividade sexual.A terapia envolve os parceiros a descobrir e libertar-sea partir de seus blocos eróticos. Como tantas mulheres, não gosta de Alicia Roberto sexualfranqueza, o que ela experimenta como carência. Ela quer que a sedução etransgressão para levantá-la de suas proibições interiorizadas. Para Roberto familiaridade,raças conteúdo e que valoriza o conforto e intimidade de estimular seu desejo.Uma vez que eles são encorajados a usar sua imaginação e para descobrir novasmaneiras de seduzir e sedutora entre si, os seus aumentos de desejo erótico.Perel conclui seu capítulo com a lembrança de que em relacionamentos de longo prazo,engajamento ativo e dolo são necessários para nutrir o erotismoe manter o desejo.Esther Perel, MA, LMFT, é um terapeuta conjugal e familiar praticandoem Nova York. Ela é a autora de acasalamento em cativeiro: Conciliar oErótico eo Nacional, que foi traduzido para 24 idiomas. Elaé reconhecido como um dos teóricos mais originais e provocantes na
 
domínio da terapia sexual hoje.O doméstico eo eróticoComo um terapeuta de casal, vejo jovens e velhos, casados ou não, gays, bissexuais,e em linha reta, com passaportes de todo o mundo. Abundância temmudou nos meus 25 anos de prática privada, mas não de abertura de meus pacienteslinhas. Eles tendem a ir para algo como isto: "Nós nos amamosmuito, mas não temos sexo. "Em seguida, eles vão se mudar para descreverrelações que estão abertos e amorosos, mas sexualmente sem graça. Tempo enovamente eles me dizem da relação paradoxal entre domesticidadee desejo sexual. Eles valorizam a estabilidade, segurança e previsibilidadede uma relação de compromisso, eles perdem a empolgação, novidade,e mistério que o erotismo prospera.Quando eles reclamam da apatia da sua vida sexual, elesàs vezes deseja sexo mais freqüente, mas eles sempre querem "melhor"sexo. Eles querem recuperar o sentimento de conexão, a brincadeira,e renovação que o sexo usado para permitir que eles.Modernos casais comprometidos têm uma longa lista de álibis sexuais quepretendem explicar a morte de eros. Eles estão muito ocupados, muito estressados,e muito cansado para o sexo. Eventualmente lamentações sobre as crianças, oscasa, a trilha fora do trabalho, e os obstáculos mais complexos e nuançadasA Chama Duplo 25apresentar: os casais que são tão bons amigos que não podem sustentaramantes que são amantes; assim definido na espontaneidade que nunca acontece no sexotudo. Eu vejo as lutas de poder que se transformar em impasses eróticos, emocionalarranjos que são excessivamente familiar e descaradamente desexualizing.Alguns clientes se sentem tímido, outros rejeitados e alguns são simplesmenteconfuso, todos eles, no entanto, experimentaram uma perda genuína.Então, por que o sexo tão grande que muitas vezes desaparecem para os casais que se amamoutro, como sempre? Por que não a intimidade boa garantir boasexo? Por que a transição para a parentalidade desastre feitiço erótico? Latanós queremos o que já temos? Por que é proibido tão erótico? Quandonós amamos, como se sente, e quando nós desejamos, como ele é diferente?Eu procuro para sondar as ambigüidades do amor e do desejo em longo prazorelações, para explorar os medos e ansiedades que surgem quando nossa buscade segurança e os confrontos de segurança com a nossa busca por paixão e aventura.Buscamos a previsibilidade de um lado, e prosperar na descobertae aventura no outro. Psicanalista Steven A. Mitchell (2002)faz com que o ponto de que estes são dois fundamental, ainda opostas humanonecessidades que nos puxam em direções diferentes. Parceiros de hoje precisam negociarsuas necessidades duplos para familiaridade e novidade, o seu desejo de certezae surpresa. No entanto, é difícil gerar entusiasmo e antecipaçãocom a mesma pessoa que olhamos para o conforto e estabilidade.No Ocidente, nós tomamos para concedido a idéia de que o casamento é a chavepara tudo. Voltamo-nos para uma pessoa para cumprir o que uma aldeia inteira(Amigos, família, comunidade alargada), uma vez entregue. Esperamos que o nossoparceiros para ser o principal fornecedor para os nossos vínculos emocionais, afornecer as experiências de ancoragem de vida. Intimidade e transparênciano casamento romântico são fundamentais, para ajudar-nos transcendera solidão da existência moderna e ser um baluarte contra as vicissitudesda vida cotidiana. Buscamos a segurança, como sempre fizemos, mas agoranós também queremos o nosso parceiro para nos amar, amar-nos, e nos excitar. Paraa primeira vez na história, não temos sexo, porque queremos oito criançasou porque é dever conjugal da mulher; casais de hoje contar comdesejo e satisfação sexual como ingredientes essenciais para um casamento feliz. Euacredito que devemos reconhecer que a conciliação, o erótico eo domésticonão é um problema que podemos resolver, é um paradoxo conseguimos.O Numbing do DesejoTerapia de casal tradicional acredita que os problemas sexuais derivam
 
problemas de relacionamento. A comunicação deficiente, falta de intimidade, e26 O tratamento dos distúrbios do desejo sexualressentimentos acumulados são algumas das explicações dadas paraexplicar o entorpecimento do desejo. Saiba mais sobre o Estado da Uniãoprimeiro, ver como ela se manifesta no segundo quarto. A premissa é queum relacionamento conturbado não é igual a sexo, melhorar o relacionamento emocional,eo desejo se seguirão.Mas a minha prática sugere o contrário. Eu ajudei a abundância de casaislustre de seu relacionamento e ele não fez nada para o sexo. Ele fez umadiferença na cozinha, mas pouco fez para o quarto. Fortalecimentoo carinho eo afeto de companheirismo muitas vezes não é suficiente paragerar o desejo erótico. Em tais situações, eu inverter a terapêutica tradicionalprioridades, perguntando sobre a sexualidade dos sócios em primeiro lugar. Torna-seuma janela para o auto, a dinâmica do casal e suas famílias deorigem. Eu inverter a equação: melhorar o sexo, ea relação vaiseguir. Sexo não é uma metáfora para a relação, mas sim um paralelonarrativa, aquele que fala sua própria língua.Amor e desejo que eles se relacionam e de conflito, e aqui reside omistério do erotismo. As regras de desejo não são as mesmas que as regrasde cidadania. Nem sempre é a falta de proximidade que reprimedesejo, mas a proximidade excessiva. Muitos casais estão decepcionados aodescobrir que a proximidade eo conforto que eles são exatamente o que desejamencharca o fogo. Mais intimidade nem sempre faz por mais sexo. Emfato, às vezes as próprias qualidades que nutrem a intimidade de aterramento,familiaridade, a continuidade pode e ser sexualmente deflação e drene opaixão direito de nossos relacionamentos.Estabilidade, compreensão e compaixão são as servas deuma relação próxima e harmoniosa, enquanto erotismo vive da novidade,mistério, eo inesperado. Existe uma relação complexa entreamor e desejo entre a vida emocional de um casal juntos e suavida física em conjunto, e estes nem sempre correspondem. O que éemocionalmente satisfatório não é necessariamente sexualmente excitante. Essa é umapor que razão, para o desgosto de muitos, muitas vezes você pode "consertar" a relaçãoe não vai fazer nada para o sexo. Sexualidade gera intimidadesó às vezes.Se o amor é de ter, o desejo é sobre o querer. O amor querdistância contrato, e minimizar a ameaça, ela quer para recolher otensão. Ela procura proximidade e quer saber o amado. Desejobalks em consistência e é dirigimos pela ausência e saudade. Para algunsde nós, o amor eo desejo são inseparáveis. Mas para muitos outros, emocionalintimidade inibe a expressão erótica. Para eles, o carinho, proteçãoelementos que promovem o amor bloquear a liberdade ea consciência unselfque o prazer erótico de combustível.A Chama Dupla 27Deixe-me ilustrar: Pense em um menino que se senta confortavelmente aninhadaem seu colo. Em algum ponto, ela pula e sai correndo. A uma distância,ela pára, gira, e obter suas sugestões do adulto, ela acabou de sair. Seo adulto diz: "Vá em frente, garoto, o mundo é um lugar bonito commuito para descobrir. Divirta-se, "a criança se afasta e corre mais.Ela experimenta tanto a liberdade ea conexão, e ao mesmo tempotempo, a segurança do amor e da autonomia da vontade. Esta criança que jogos de esconde-esconde, um dia, voltar ao erotismo como a versão adultade esconde-esconde, onde ela vai manter a diversão e descoberta,alternando entre os perigos de se esconder e procurar eo relevode encontrar e ser encontrado.Há, no entanto, um outro cenário, com um resultado muito diferente.Desta vez, o adulto diz: "O que é tão bonito lá fora? Não está sendo

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->