Welcome to Scribd, the world's digital library. Read, publish, and share books and documents. See more
Download
Standard view
Full view
of .
Save to My Library
Look up keyword or section
Like this
29Activity
0 of .
Results for:
No results containing your search query
P. 1
G S - Lords of the Underworld 08 - A Rendição Mais Sombria (rev. PRT)

G S - Lords of the Underworld 08 - A Rendição Mais Sombria (rev. PRT)

Ratings: (0)|Views: 3,472|Likes:
Published by Anna Mendes

More info:

Published by: Anna Mendes on Jul 04, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/10/2013

pdf

text

original

 
GENA SHOWALTER O livro de StriderSérie Senhores do Submundo livro 08Sinopse
Possuído pelo demônio da Derrota, Strider não pode perder um desafio sem sofrer dor inimaginável. Para ele, nada fica no caminho da vitória. Até Kaia, umaHarpia encantadora que o tenta deixando-o à beira da rendição. Conhecida entre seu povo como A Decepção, Kaia deve levar para casa o ouronos Jogos das Harpias ou morrer. Strider é uma distração que ela não pode se permitir porque ele vem com uma agenda própria — roubar o primeiro prêmio,um antigo artefato divino, antes que o vencedor possa ser identificado. Mas
 
quando a competição esquenta, apenas um prêmio importará — o amor quenenhum dos dois achava que fosse possível...
Disponibilizado do InglêsTradução: Tininha e GriseldaParticipações especiais: Ana Banana e ClaudiaRevisão: FidalgaRevisão Final: FidalgaFormatação: FidalgaProjeto Revisoras Traduções
Comentário Fidalga:
 A Gena não nos decepciona neste livro. As demonstrações de poder são feitas através de batalhas no melhor estilo Quentin Tarantino, e estão presentes em todo o livro. Faz muito tempo que não me divertia tanto com umromance. Dei muitas gargalhadas com as expressões, apelidos e na linguagemdivertida que a autora usa no decorrer da história. Homens poderosos, mulheresguerreiras e um sexo pra lá de quente, literalmente, faz desse livro uma excelenteleitura. Na minha opinião, Strider, mesmo com o ego do tamanho de uma oceano, dáum banho nos outros Senhores do Submundo
.
E vamos combinar... Ele esta podendo!!! Rssss Ô mo Pai!
Comentário Ti:
Primeiro quero agradecer a todas as pessoas que nos apoiaram nesselivro. Nós o fizemos para pessoas amantes de uma boa leitura, como nós. Só foi  possível pela parceria com a Fidalga, que é quase uma Harpia... rs. Valeu amiga.O livro é muito bom, as Harpias realmente são muito divertidas e bem humoradas e euestava esperando por esse livro há muito tempo. E não me decepcionei. É maravilhoso,as passagens em que Kaia dá apelidos aos guerreiros é hilária. Muito bom, recomendo.Mas também tem passagens tensas onde temos um vislumbre do próximo livro, quecomo já sabemos é do Paris. Não vejo a hora, apesar de saber que será um livro maissombrio. Mas sou apaixonada pelos Senhores. Vale a pena. 
Prólogo
Mil e quinhentos anos atrás…Ou um milhão de anos atrás… (depende de pra quem você pergunta).Pela primeira vez, os jogos do bicenterio das Harpias terminou com maisparticipantes mortos que vivos, cada um dos sobreviventes sabia que a culpa era de KaiaSkyhawk de quatorze anos de idade.O dia começou inocentemente. Com o sol da manhã brilhando, Kaia passeou peloacampamento superlotado de mãos dadas com sua amada irmã gêmea, Bianka. Tendas detodos os tamanhos espalhadas pela área, e muitas fogueiras crepitavam para afastar o frioda madrugada. Os aromas de biscoitos surrupiados e mel cobriam o ar, enchendo suaboca de água.Para sempre amaldiçoadas pelos Deuses, Harpias podiam comer o que elasroubavam ou ganhavam. Se elas comessem qualquer outra coisa, adoeciamhorrivelmente. Eno o cada manhã de Kaia foi bem escasso: um bolo de arrozamanhecido e meia jarra de água, os quais ela surripiou da sela de um humano.
2
 
Talvez se apropriasse do biscoito de um membro de um clã rival, ela pensou, entãoagitou sua cabeça. Não, ela só teria que permanecer um pouco faminta. Sua espécie nãovivia com muitas regras, mas as que elas tinham, reverenciavam. Tais como: nuncadormir onde os humanos poderiam encontrá-la, nunca revelar uma fraqueza pra qualquerum e, o mais importante, nunca roubar o único pedaço de comida de uma de sua própriaespécie, ainda que você a odiasse.— Kaia? — Sua irmã disse, seu tom curioso.— Sim?— Eu sou a mais garota mais bonita aqui?— Claro. — Kaia não tinha sequer que olhar ao redor para confirmar esse fato. Biankaera a menina mais bonita no mundo inteiro. Às vezes ela se esquecia e tinha que serlembrada.Enquanto Kaia tinha um repugnante cabelo ruivo como uma vassoura e olhos de umcomum cinza dourado, Bianka tinha um luxurioso cabelo negro, brilhantes olhos cor âmbare era a imagem de sua exaltada mãe, Tabitha a Maligna.— Obrigado. — Bianka disse, sorrindo com satisfação. — E eu acho que você é a maisforte. Sem dúvida.Kaia nunca se cansava de ouvir elogios da sua irmã. O que tornava uma Harpia maispoderosa era o respeito que ela recebia de todos. Mais que qualquer coisa, Kaia almejavarespeito.— Mais forte, até que… — Ela estudou as Harpias na área, procurando alguém para secomparar.Aquelas que tinham idade suficiente para participar dos testes tradicionais de poder eastúcia se alvoroçavam perto, preparando-se para o evento restante — A Última Imortalde Pé. As espadas assobiavam quando eram arrastadas de suas bainhas. Sons de metalcontra pedra enquanto punhais eram afiados.Finalmente, Kaia viu uma candidata para sua comparação.Eu sou mais forte até que ela? Perguntou, apontando para uma mulherbrutamontes com músculos salientes e grossas cicatrizes cruzando e adornando seusbraços.As lesões que causaram aquelas cicatrizes devem ter sido realmente severas. Aimortalidade fazia sua espécie se curar rápida e eficientemente, raramente permitindoqualquer evidência para mostrar uma vida difícil.— Sem dúvida. — Bianka disse lealmente. — Aposto que ela ia correr e se esconder sevocê decidisse desafiá-la.— Sem dúvida você está certa. — Realmente, quem não correria dela? Kaia treinoumais duro que qualquer pessoa e derrubou até seu próprio instrutor. Duas vezes.Ela não queria se vangloriar, mas sempre treinava mais duro do que qualquer outraHarpia em seu clã. Quando todo mundo parava durante o dia, ela continuava até o suorescorrer pelo seu peito como um riacho, até seus músculos tremerem pela tensão… atéque seus ossos não podiam mais suportar o seu peso.Um dia, talvez um dia em breve, sua mãe se orgulharia dela. Por que, apenas algumasnoites atrás, Tabitha deu um tapinha no ombro dela e disse que suas habilidades nolançamento de adagas melhoraram um pouco. Melhorou um pouco. Jamais um elogio maisdoce deixou a boca de Tabitha.— Vamos. — Bianka disse, arrastando-a. — Se nós não nos apressarmos, não teremostempo para tomar banho no rio, e eu realmente quero estar com a minha melhoraparência quando assistir nosso clã destruir a concorrência. Novamente.Só de pensar sobre os prêmios que sua mãe colecionaria fez o pequeno corpo de Kaiase inchar de orgulho.Os Jogos das Harpias começaram há milhares de anos como uma forma dos clãs “discutiremsuas queixas sem causar uma guerra bem, sem causar mais guerras bem como também permitir aos clãs aliados mostrar sua superioridade, mesmo um contrao outro. Os anciãos de cada uma das vinte tribos se encontravam e concordaram sobre ascompetições e prêmios.Desta vez, cada vencedor das quatro batalhas ganhava cem peças de ouro. OsSkyhawks já ganharam duzentas dessas peças. Os Eagleshields ganharam uma.
3

Activity (29)

You've already reviewed this. Edit your review.
1 hundred reads
1 thousand reads
Rachel Jenkins liked this
Amanda Peralta liked this
Claudia Ramos liked this
Patricia Barbosa liked this
Luandra Pimenta liked this
Mariana Monteiro liked this

You're Reading a Free Preview

Download
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->