Palavra Ázima 6 by Marina Bagni by Marina Bagni - Read Online

Book Preview

Palavra Ázima 6 - Marina Bagni

You've reached the end of this preview. Sign up to read more!
Page 1 of 1

info@integralbible.com

ACENOS SOBRE A VIDA DA AUTORA

Marina Bagni é nata a Gênoa (Itália), onde se formou em Letras e Filosofia; trabalhou como professora e pesquisadora, especializando-se, sobretudo em filosofia metafísica, patrística e escolar, discorrendo pela história geral da teologia e, depois, na teologia especulativa e na teologia fundamental (ou epistemológica); enfim, ao estudo comparado das religiões.

Após vários anos de pesquisas incessantes, foi constrangida, com pesar, a admitir que nem a filosofia, nem a teologia, nem a ciência comparada das religiões, examinadas em seu complexo desenvolvimento, foram capazes de responder às questões que tanto desejava entender em relação a existência de Deus e de uma vida após a nossa limitada existência terrena

Todo o conhecimento que havia adquirido, a havia levado, invés, para mais longe ainda de Deus do que estava no início.

Assim, tendo perdido todo interesse pelas matérias que se revelaram tão falimentares, preferiu esquecer o argumento, frequentando cursos de arte dramática e se dedicando a escrever textos teatrais e cinematográficos.

Em consequência de um roteiro que estava elaborando, foi envolvida, também, no ambiente político, empenho que a levou a viajar, continuamente, de Roma (onde habitava) a muitas cidades da Itália e de outras nações.

Em 1999, foi chamada a pregar o Evangelho. Durante uma de suas viagens, encontrou um Pastor Evangélico que revolucionou toda a sua vida, e foi usado pelo Espírito Santo para cura-la de uma enfermidade muito séria e dolorosa no estômago.

Depois de haver conhecido e Verdadeiro Jesus, testemunhado nas Sagradas Escrituras, não pôde mais continuar com suas atividades precedentes; assim, sob a Palavra de Mateus 6 (transcrita abaixo), deixou todas as coisas e entregou a si mesma, seu conhecimento e experiência a serviço se seu amado Mestre.

24 Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. 25 Por isso vos digo: Não andeis cuidadosos quanto à vossa vida, pelo que haveis de comer ou pelo que haveis de beber; nem quanto ao vosso corpo, pelo que haveis de vestir. Não é a vida mais do que o mantimento, e o corpo mais do que o vestuário? (Mateus 6,24-25).

31 Não andeis, pois, inquietos, dizendo: Que comeremos, ou que beberemos, ou com que nos vestiremos? 32 Porque todas estas coisas os gentios procuram. Decerto vosso Pai celestial bem sabe que necessitais de todas estas coisas; 33 Mas, buscai primeiro o reino de Deus, e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas. 34 Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal (Mateus 6,31-34).

Assim, iniciou a estudar, dia e noite, a Palavra Bíblica e, após dois anos (2001), começou a pregar debaixo da autoridade do Pastor que a havia evangelizado.

Ele havia criado uma igreja em Roma, onde, sucessivamente, a Autora foi encarregada de pregar e, em dezembro de 2003, foi consagrada Pastora.

Esta foi somente uma confirmação de um outro mandato que Marina havia recebido do Alto, um ano antes, no início de setembro de 2002, quando o Espírito do Mestre lhe havia encarregado de pregar e de escrever livros para ajudar no entendimento dos Textos Sagrados, para que, com a aproximação de seu Retorno, aqueles que estariam interessados em conhecer o autêntico Jesus, Palavra de Deus testemunhada na Bíblia, pudessem recebe-lo em seu coração e, juntamente com Ele, o seu Espírito e a sua Vida eterna.

O Senhor orquestrou a sua vida de maneira sobrenatural, enviando-lhe ministros e profetas, até mesmo de países distantes, que confirmaram a sua chamada e a sua missão e a ajudaram a crescer em Cristo, juntamente com sua família, com a qual, em 2007, foi morar no norte da Itália.

Seus pais, após presenciarem a sua experiência pessoal com Jesus Vivente, iniciaram a estudar as Sagradas Escrituras, foram batizados por imersão total e no Espírito Santo e a apoiaram em seu serviço de pregação em muitas igrejas Evangélicas.

Giovanni Paolo, seu filho, também recebeu o Batismo Escritural nas águas e no Espírito e cresceu debaixo dos ensinamentos da Palavra de Deus. Atualmente, vive perto de Milão, com a mãe, os avós maternos e Serena, assistente da autora, e colabora com eles.

A Autora sempre dedicou seu tempo em escrever livros, como o Senhor ordenou, trabalho que deixava somente se era convidada a pregar em igrejas, conferências, congressos e eventos semelhantes, na Itália ou no exterior, afirmando, em todos os lugares a Soberania da Palavra de Deus sem contaminação de doutrinas humanas.

Em 2008 foi chamada, pela ‘Missão Italiana pelo Evangelho’ (MIE) a ensinar ‘Apocalipse’ e ‘Catolicismo a luz das Escrituras’, nos Cursos de Atualização Teológica para Pastores e Anciãos (CATMA), em Vico Equense - Sorrento, papel desempenhado até o fim do curso, em 2015.

Depois deste período, Marina se retirou, provisoriamente, do ensinamento, para poder acelerar a revisão e conclusão da série de livros que o Senhor lhe deu para escrever, tendo, como objetivo final, a liberação do maior número de almas possível, conduzi-las a Salvação efetiva para a Vida eterna, que consiste em nascer de novo e obedecer ao real Jesus Cristo, testemunhado nas Integrais Escrituras.

A REDAÇÃO

AGRADECIMENTO AOS MEUS COLABORADORES E A FINALIDADE DA OBRA

Esta coleção de estudos bíblicos, de que o presente volume é uma parte, foi elaborada com a ajuda de alguns colaboradores, que, no decurso dos anos, dedicaram o seu tempo para o processamento de documentos eletrônicos do material por mim escrito em folhas de papel ou gravados em fitas cassetes.

Agradeço de coração a estes preciosos colegas, que foram o meu suporte neste trabalho; me sustentaram, sem hesitações ou dúvidas, com a sua assistência espiritual e com a sua participação ativa no processo de elaboração, não só do presente volume, mas também de muitos outros que já estão prontos, e aqueles que estão em processo de conclusão:

GIOVANNI BAGNI

OFELIA BAGNI

SERENA PANCRAZI

GIOVANNI PAOLO CAPURRO

Giovanni e Ofelia são meus pais, que o Senhor, em sua imensa bondade, tem me dado a alegria de tê-los próximos nesta empreitada.

Serena é uma querida irmã na fé, que decidiu ficar ao meu lado para combater, através da digitação destes livros, a batalha espiritual para a libertação do maior número de almas possível, da prisão dos principados e dos poderes das trevas.

Giovanni Paolo é o filho que, em sua misericórdia, me deu o Salvador: ele apoia a nossa pequena equipe seja colaborando na transcrição e organização dos estudos, seja se ocupando dos problemas informáticos e das programações externas.

Um especial reconhecimento ao nosso diretor de redação, Giovanni Bagni, que tem colocado ao pé da cruz a sua grande paciência, experiência, e o seu escrupuloso cuidado no exame da transcrição e na revisão de todo o material recebido.

14 Bem-aventurados aqueles que guardam os seus mandamentos, para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas (Apocalipse 22,14).

O nosso trabalho tem um único objetivo: o de resgatar o maior número de almas do engano das falsas doutrinas, das filosofias, das teologias e religiões humanas, para conquista-las para Jesus Cristo.

3 Porque isto é bom e agradável diante de Deus nosso Salvador, 4 Que quer que todos os homens se salvem, e venham ao conhecimento da verdade. 5 Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem. 6 O qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo (I Timóteo 2,3-6).

8 Porque, se em vós houver e abundarem estas coisas, não vos deixarão ociosos nem estéreis no conhecimento de nosso Senhor Jesus Cristo. 9 Pois aquele em quem não há estas coisas é cego, nada vendo ao longe, havendo-se esquecido da purificação dos seus antigos pecados (I Pedro 1,8-9).

Jesus Cristo é gerado de Deus, a verdade de Deus foi testemunha da Sagrada Escritura, o único caminho que conduz ao Pai e o único conhecimento que se traduz em Vida Eterna, para todos aqueles que se aproximam com um coração sincero a Sua Palavra Ázima, isto é, a Sua Palavra íntegra e genuína, que é livre do fermento venenoso das teorias do conhecimento humano.

5 E, passando seus discípulos para o outro lado, tinham-se esquecido de trazer pão. 6 E Jesus disse-lhes: Adverti, e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus. 7 E eles arrazoavam entre si, dizendo: É porque não trouxemos pão. 8 E Jesus, percebendo isso, disse: Por que arrazoais entre vós, homens de pouca fé, sobre o não terdes trazido pão? 9 Não compreendeis ainda, nem vos lembrais dos cinco pães para cinco mil homens, e de quantas alcofas levantastes? 10 Nem dos sete pães para quatro mil, e de quantos cestos levantastes? 11 Como não compreendestes que não vos falei a respeito do pão, mas que vos guardásseis do fermento dos fariseus e saduceus? 12 Então compreenderam que não dissera que se guardassem do fermento do pão, mas da doutrina dos fariseus (Mateus 16,5-12).

Até mesmo o apóstolo Paulo, guiado pelo Espírito Santo, advertiu a todos aqueles que se desviam da pura e íntegra verdade bíblica, ou seja, do verdadeiro Pão Ázimo da Vida que é Jesus Cristo, a Palavra do Deus Vivo.

6 Não é boa a vossa jactância. Não sabeis que um pouco de fermento faz levedar toda a massa? 7 Alimpai-vos, pois, do fermento velho, para que sejais uma nova massa, assim como estais sem fermento. Porque Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós. 8 Por isso façamos a festa, não com o fermento velho, nem com o fermento da maldade e da malícia, mas com os ázimos da sinceridade e da verdade (I Coríntios 5,6-8).

Somente Jesus, o Verbo de Deus, certificado pela Sagrada Escritura, e a nossa bem-aventurada esperança, e somente nele, e nenhum outro, existe salvação.

11 Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. 12 E em nenhum outro há salvação, porque também debaixo do céu nenhum outro nome há, dado entre os homens, pelo qual devamos ser salvos (Atos 4,11-12).

11 E vi o céu aberto, e eis um cavalo branco; e o que estava assentado sobre ele chama-se Fiel e Verdadeiro; e julga e peleja com justiça. 12 E os seus olhos eram como chama de fogo; e sobre a sua cabeça havia muitos diademas; e tinha um nome escrito, que ninguém sabia senão ele mesmo. 13 E estava vestido de uma veste salpicada de sangue; e o nome pelo qual se chama é a Palavra de Deus (Apocalipse 19,11-13).

PREFÁCIO

A suposta ‘primazia de Pedro é uma doutrina mentirosa divulgada pelos falsos apóstolos da denominada ‘igreja romana’; mas, a Palavra das Escrituras afirmam diversamente (Mateus 16,13-18).

15 Disse-lhes ele (Jesus): E vós, quem dizeis que eu sou? 16 E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. 17 E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque to não revelou a carne e o sangue, mas meu Pai, que está nos céus. 18 Pois também eu te digo que tu és Pedro (do grego ‘pequena pedra’), e sobre esta Pedra (do grego ‘Grande Pedra’, que sou Eu, o Cristo) edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela (Mateus 16,15-18).

Os funcionários do consórcio romano inventam, com uma leitura distorcida, uma ‘primazia’ que Pedro nunca teve e que teria rejeitado se o tivessem oferecido: com um jogo de palavras, confundem a Única Pedra Angular, que é Cristo, com o nome de Pedro, fingindo não compreender que quando o Salvador disse a Pedro aquelas famosas Palavras: tu és Pedro, e sobre esta Pedra edificarei a minha igreja, Mateus 16,18, se refere ao reconhecimento de que Pedro havia feito sobre o próprio Jesus como o Cristo, o Filho do Deus Vivente (Mateus 16,16).

De fato, em grego, o nome Pedro, Πέτρος (Petros), no masculino, significa ‘pedra’, pequena pedra; enquanto o termo Pedra, Πέτρα (Petra), no feminino, com que Jesus aludiu a si mesmo, o Cristo, quer dizer, ‘Grande Pedra’, Rocha ou Penhasco.

Esta Verdade de que Jesus é o Cristo, o Filho do Deus Vivente, é a Grande Pedra Angular indestrutível, que Venceu a morte, sobre a qual o Nazareno funda a sua autêntica igreja de nascidos de novo. Pedro é morto, mas, Jesus é Ressurreto e possui as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1,18).

18 E o que vivo e fui morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém. E tenho as chaves da morte e do inferno (Apocalipse 1,18).

Além disso, o mesmo Mandato confiado a Pedro, é atribuído, logo após, por Jesus, também a todos os outros discípulos sem distinção (Mateus 18,18), porque se trata de uma promessa futura, que se realizará sobre todos os cento e vinte (homens e mulheres) batizados pelo Espírito Santo, no sótão, no dia de Pentecostes (Atos capítulo 2). Tanto é verdade, que Jesus, falando com Pedro, usa o futuro (edificarei), não o presente; e, como é o Filho de Deus que fala, seria agora, depois de dois mil anos, de começar seriamente a entender o que o Mestre pretende se comunicar.

A pedra angular, a qual o inferno não pode vencer, é Cristo, não Pedro. Leiamos o que o autêntico Pedro, conduzido pelo Espírito, escreve, não a uma determinada classe de pessoas ‘privilegiadas’, mas, a todos, indistintamente, os nascidos de novo das comunidades cristãs fiéis:

4 E, chegando-vos para ele, pedra viva, reprovada, na verdade, pelos homens, mas para com Deus eleita e preciosa, 5 Vós também, como pedras vivas, sois 2 edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo (I Pedro 2,4-5).

Portanto quem era, quem é, quem será para sempre a Pedra Angular da sua igreja? Quem é, quem será para sempre a Pedra Eleita, preciosa, invencível pelo inferno, isto é, pelo Seol? Pedro ou Cristo? Pedro, nesse texto, sustém que é Cristo. De fato, Pedro morreu. Cristo morreu e Ressuscitou. Com certeza, a Pedra Invencível é Cristo.

De novo, a Pedra de tropeço, para os desobedientes, é a Palavra; e a Palavra é Cristo, não Pedro.

6 Por isso também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; E quem nela crer não será confundido. 7 E assim para vós, os que credes, é preciosa, mas, para os rebeldes, A pedra que os edificadores reprovaram, Essa foi a principal da esquina, 8 E uma pedra de tropeço e rocha de escândalo, para aqueles que tropeçam na palavra, sendo desobedientes; para o que também foram destinados (I Pedro 2,6-8).

Quem era, quem é, quem será a Pedra de tropeço na qual os desobedientes se batem? No trecho Bíblico acima, está escrito, pelo próprio Pedro conduzido pelo Espírito, que a Pedra de tropeço é a Palavra (I Pedro 2,8), isto é, Jesus. Jesus é a Palavra de Deus, não Pedro; portanto Jesus é a Pedra de tropeço, não Pedro.

O Salvador, não Pedro, é a Pedra Angular da Palavra, rejeitada pelos sacerdotes homicidas que esmagará aqueles que sobre ela caírem (Mateus 21,44).

A parábola dos vinicultores homicidas também convalida o que foi dito até aqui. Foi o próprio Mestre a comparar os membros da casta sacerdotal a trabalhadores assassinos:

35 E os lavradores, apoderando-se dos servos, feriram um, mataram outro, e apedrejaram outro. 36 Depois enviou (o dono da vinha) outros servos, em maior número do que os primeiros; e eles fizeram-lhes o mesmo (Mateus 21,35-36).

Os servidores do proprietário da vinha espelham os fiéis profetas que falaram segundo a sua Vontade e sempre foram perseguidos, presos, mortos pela casta sacerdotal incrédula e idólatra. Depois de mencionado os delitos cometidos pelos líderes sacerdotes contra os profetas, Jesus preanuncia a sua próxima morte através destes:

37 E, por último, (o dono da vinha) enviou-lhes seu filho, dizendo: Terão respeito a meu filho. 38 Mas os lavradores, vendo o filho, disseram entre si: Este é o herdeiro; vinde, matemo-lo, e apoderemo-nos da sua herança. 39 E, lançando mão dele, o arrastaram para fora da vinha, e o mataram (Mateus 21,37-39).

A este ponto, o Messias declara àqueles que executam o castigo adequado para aqueles vinicultores assassinos, isto é, por aqueles ministros fraudulentos:

42 Diz-lhes Jesus (aos líderes sacerdotes): Nunca lestes nas Escrituras: A pedra, que os edificadores rejeitaram, Essa foi posta por cabeça do ângulo; Pelo Senhor foi feito isto, E é maravilhoso aos nossos olhos? 43 Portanto, eu vos digo que o reino de Deus vos será tirado, e será dado a uma nação que dê os seus frutos. 44 E, 3 quem cair sobre esta pedra (que sou Eu, o Cristo, a Palavra), despedaçar-se-á; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó (Mateus 21,42-44).

Na Nova Aliança o verdadeiro Jesus, documentado nas Escrituras, destrói toda casta sacerdotal, puramente machista e hierárquica e instaura um Novo Sacerdócio aberto a uma nação que dê os seus frutos (Mateus 21,43), ou seja, todos os nascidos de novo, homens e mulheres, que, em virtude de seu Sacrifício, se tornaram filhos de Deus e sacerdotes do Pai e do Cordeiro (Apocalipse 1,6; Apocalipse 5,10; Apocalipse 20,6).

O Filho do Deus Vivo é a Pedra rejeitada pela casta sacerdotal e que se tornou a Pedra Angular (Mateus 21,42), isto é, a Pedra sobre a qual é edificada a sua igreja obediente de cristãos regenerados, filhos de Deus e sacerdotes do Evangelho em submissão ao Único Sumo Sacerdote, Jesus Cristo, que é a Palavra do Pai.

Em regime de Nova Aliança, qualquer tipo de ‘ordem sacerdotal’ que, agrupando as mais geniais argumentações, queira acrescentar ou sobrepor ao Único Sacerdócio segundo a Ordem de Melquisedeque estabelecido pelo Filho, resulta em clara contradição com aquela Verdade que é o próprio Cristo; portanto, se demonstra contra Cristo e anticristo. A congregação romana se tornou, tristemente conhecida, desde os primeiros séculos sucessivos a Obra da cruz, por enganar as multidões com uma dissimulação comparada àquela da casta sacerdotal levítica.

A astúcia da ilícita casta católica, de seu ilegal papa, da sua falsa ordem sacerdotal, foi, sem dúvida, particular, pois, conseguiu permanecer até os dias de hoje, no meio do mar morto de suas mentirosas tradições, de seus dogmas perniciosos, de suas doutrinas mentirosas, de seu ‘batismo’ ineficaz, da sua ‘missa de sacrifício’ anti Escritural, sobre a sua precária jangada de declarações subjetivas de homens que se apropriaram, indevidamente de supremacias absurdas, no mais completo desprezo pelo verdadeiro Jesus, a Palavra de Deus testemunhada nas Sagradas Escrituras.

Somente na totalidade da Palavra podemos encontrar a completa Verdade (Salmos 119,160; João 16,13). Qualquer pessoa que pretenda afirmar um conceito espiritual se apoiando sobre um único texto das Escrituras e transcurando todos os outros que o completam e esclarecem o seu autêntico significado, não pode dizer nada de Biblicamente confiável.

CAPÍTULO I: A PEDRA ANGULAR DA VERDADEIRA IGREJA É CRISTO; NÃO PEDRO

O PAGANISMO DA FALSA IGREJA ROMANA VEM DESDE AS TRADIÇÕES IDÓLATRAS DO IMPÉRIO DE ROMA

Jesus Cristo, a Palavra Viva de Deus testemunhada nas Sagradas Escrituras, recebeu do Pai, como recompensa de seu Sacrifício e de sua Ressurreição, o nome que está acima de todos os nomes, o Senhor Absoluto e a Suprema Soberania, a qual, a ninguém é dado a faculdade de se paragonar ou de se auto exaltar.

Traduziremos, literalmente, do grego, o que nosso irmão Paulo escreve aos nascidos de novo da comunidade de Filipos:

5 De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, 6 Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, 7 Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; 8 E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente (submisso) até à morte, e morte de cruz. 9 Por isso, também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu um nome que é sobre todo o nome; 10 Para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho dos que estão nos céus, e na terra,