Enjoy millions of ebooks, audiobooks, magazines, and more

Only $11.99/month after trial. Cancel anytime.

Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php

Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php

Read preview

Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php

Length:
326 pages
2 hours
Released:
May 9, 2022
Format:
Book

Description

Escolhendo um Framework PHP é uma coleção de livros criados para auxiliar programadores PHP na tarefa de decidirem qual das ferramentas, entre tantas existentes atualmente, é a mais adequada para seu projeto. Neste livro, iremos explorar o Zend Framework 3 para conhecer sua estrutura, funcionalidades e entender como trabalhar com ele na prática
Released:
May 9, 2022
Format:
Book


Related to Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php

Related Books

Related Articles

Book Preview

Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php - Jaime Da Costa Pereira Neto

Jaime da Costa Pereira Neto

Escolhendo um framework PHP

ZEND FRAMEWORK

versão 3

1ª edição

João Pessoa

2020


© Jaime da Costa Pereira Neto, 2020

Editora Clube de Autores

Rio de Janeiro - RJ

TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

É proibida a reprodução total ou parcial, de qualquer forma ou por qualquer meio sem a permissão do autor (Lei nº 9610/1998).

ÍNDICE


Escolhendo um framework PHP

Introdução

Escolhendo um Framework PHP  é uma coleção de livros criada para auxiliar programadores PHP na tarefa de decidirem qual framework, entre tantos existentes atualmente, é o mais adequado para seu projeto.

A decisão de criar este conteúdo como uma coleção dividida em livros separados para cada framework , em vez de um livro único com todos, foi pensando em permitir que cada profissional escolha aqueles frameworks  em que deseja focar, e que tem interesse de conhecer, além de facilitar a leitura.

Visão geral

Criar uma mesma aplicação em diversos frameworks PHP, a fim de ter uma base comparativa entre eles. O sistema deve ser simples, mas deve abordar diversos fatores que mostre o que cada framework oferece e a facilidade para usar os componentes descritos nos requisitos.

É bom deixar claro que o objetivo aqui não é  dar um curso completo de todos os frameworks , e sim permitir que o leitor aprenda na prática como trabalhar com eles, e tenha capacidade de entender as vantagens e desvantagens de cada um, tornando-o capaz de decidir qual abordagem é mais adequada para o projeto que precise implementar.

Objetivos

Com esse projeto será possível ter uma visão geral de como cada um dos frameworks abordados lidam com as seguintes características:

Estrutura de pastas

Configurações

Padrão MVC

Conexão com banco de dados

Rotas e uso de métodos HTTP

Autenticação

Autorização

Envio de E-mails

Criação de templates

Validação de formulários

Exibição de mensagens de erro

Paginação

Para alguns frameworks iremos nos aprofundar mais, ou menos, em algumas dessas características, dependendo do quanto elas são relevantes para o funcionamento de cada um, assim como outras características que julgarmos importantes.

Em alguns casos pode ser que o framework não utilize alguns dos conceitos listados, ou não tenham uma implementação própria, exigindo que utilizemos a implementação padrão do PHP ou alguma biblioteca externa. Nesses casos, deixaremos a implementação em aberto para que o leitor faça da maneira que preferir.

Especificações

O sistema será um blog com as seguintes características:

Modelos

Permissões

Telas

Telas de administração

Apenas usuários do tipo admin podem acessar as telas de administração.

Telas públicas

Todos os tipos de usuários podem acessar as telas públicas, incluindo visitantes:


Pré-requisitos

Composer

Composer é uma ferramenta para gerenciamento de dependências em PHP. Ele permite que você declare as bibliotecas dependentes que seu projeto precisa e as instala para você.

Ou seja, com o Composer , você especifica quais pacotes o seu projeto precisa, assim como suas dependências, e ele se encarrega de baixá-los e salvá-los num local apropriado dentro de seu sistema. E se, num dado momento, você precise adicionar, atualizar versão ou remover algum pacote, ele faz tudo isso pra você de forma prática.

Além disso, ele permite que você distribua o código do seu projeto sem que seja necessário incluir os pacotes adicionais que você utiliza, já que, quem for utilizá-lo, poderá dar um simples comando, e o Composer irá baixá-los.

Existem algumas formas diferentes de instalá-lo, mas a forma mais prática, para linux ou mac, é rodando uma linha de comando. No caso do windows, basta baixar o arquivo de instalação e executá-lo. O site oficial do Composer é https://getcomposer.org . Nele você encontra as orientações para instalá-lo no seu sistema operacional.

Banco de dados MySQL

O MySQL será o banco de dados que vamos utilizar em nossos exemplos. Você pode instalá-lo a parte, ou utilizar alguma das opções de pacotes que empacotam Apache, PHP e MySQL juntos, como o XAMPP, para linux e windows, ou o WAMP, para windows.

IDE (Ambiente de Desenvolvimento Integrado)

IDE é o software que você vai utilizar para codificar. A escolha de uma IDE é algo muito pessoal, e pode ser desde um editor de textos comum, quanto uma ferramenta com funcionalidades que auxiliam a codificação, como autocomplete de código, colorização de partes específicas de cada linguagem, etc. Existem até aqueles programadores que preferem utilizar o VIM.

Algumas das IDEs mais populares para PHP, são: PHPStorm, Netbeans, Eclipse, Zend Studio, Visual Studio Code, Sublime Text, Notepad++, além de várias outras.


Sobre o Zend Framework

O Zend Framework , frequentemente chamado de ZF , já passou por algumas reformulações que mudaram completamente sua estrutura.

A primeira versão do framework , hoje chamada de ZF1 , foi lançada em 2005, e já tinha uma estrutura bastante robusta. É bastante lembrada pelos enormes nomes de classes cheios de underscores , que eram usados para resolver a falta de namespaces , ainda inexistentes na versão corrente do PHP.

Em 2010 foi lançada a segunda versão, o ZF2 , já com namespaces  e com um código mais organizado, facilitando a manutenção do código. Permaneceu com uma estrutura robusta, mas sofreu principalmente com a concorrência de outros frameworks que começaram a ganhar bastante mercado. Uma das principais críticas feitas pela comunidade era quanto ao desempenho na execução do código, bem inferior aos concorrentes.

Antes de lançar uma nova versão, foi lançado o micro framework   Zend Expressive , para os casos em que você deseja algo menos robusto que um framework  completo, mas que atenda às necessidades do seu sistema. Geralmente utilizado para criação de middlewares .

Finalmente, em 2016, foi lançado o ZF3 . Uma das principais diferenças em relação às versões anteriores é que ele foi dividido em diversos pacotes que podem ser instalados separadamente segundo às necessidades do sistema, sem que seja necessário ter aquela estrutura robusta inteira dentro do projeto. São 61 pacotes ao todo, e foram criados para funcionarem de forma bastante desacoplada, na medida do possível, causando o mínimo de dependência possível entre eles. Além disso teve uma melhoria significativa no desempenho, ficando pelo menos 4 vezes mais rápido que o ZF2 .

O Zend Framework  é famoso por ter seu código muito bem testado, e por ter grandes empresas investindo nele, como Google e Microsoft. É provavelmente o framework  mais robusto e completo, principalmente para aplicações muito grandes. Também é famoso por sua documentação bem completa. Porém, tem uma das maiores curvas de aprendizagem dentre os frameworks , e por isso tem perdido muita popularidade.

Outra característica, é que a Zend oferece treinamento e certificação, o que é muito interessante para empresas que têm interesse em trabalhar com este framework  e querem se certificar de ter seu time preparado para usá-lo da melhor forma possível. Para complementar, também oferece uma IDE otimizada para trabalhar com o ZF , o Zend Studio, e um servidor específico chamado Zend Server.

O site oficial do framework  é o https://framework.zend.com . Lá você encontrará a documentação para todas as versões. Neste livro trabalharemos com o ZF3 .

Template Engine

O ZF  não utiliza nenhum template engine por padrão. Os arquivos das views  são nomeados como .phtml , para diferenciar do restante, indicando que eles contêm tanto código PHP quanto HTML. Nesses arquivos utilizamos

You've reached the end of this preview. to read more!
Page 1 of 1

Reviews

What people think about Zend Framework 3 - Escolhendo Um Framework Php

0
0 ratings / 0 Reviews
What did you think?
Rating: 0 out of 5 stars

Reader reviews