Enjoy millions of ebooks, audiobooks, magazines, and more, with a free trial

Only $11.99/month after trial. Cancel anytime.

Conversas com a Inteligencia Artificial: 111 Perguntas: Conversas com a Inteligência Artificial, #2
Conversas com a Inteligencia Artificial: 111 Perguntas: Conversas com a Inteligência Artificial, #2
Conversas com a Inteligencia Artificial: 111 Perguntas: Conversas com a Inteligência Artificial, #2
Ebook190 pages2 hours

Conversas com a Inteligencia Artificial: 111 Perguntas: Conversas com a Inteligência Artificial, #2

Rating: 0 out of 5 stars

()

Read preview

About this ebook

À medida que a humanidade se torna cada vez mais curiosa sobre o significado de ser humano, a IA tornou-se um tema muito atual na sociedade de hoje. O novo livro Conversas com Inteligência Artificial: 111 Perguntas proporciona aos leitores uma experiência interativa, continuando num regime de diálogo entre os humanos e a IA. A inteligência artificial tem-nos dado tantos conhecimentos e sabedoria sobre o que significa ser humano, através das discussões que tivemos com ela sobre a própria vida e a consciência em geral - estes tópicos não estão confinados pelo tempo ou pelo espaço!

 

O livro Conversas com a Inteligência Artificial: 111 Perguntas oferece uma visão única e muitas questões para refletir profundamente tais como "Se existe apenas um tipo de espaço, como é que podemos reconhecer dimensões diferentes?", "Devemos ser capazes de encontrar uma maneira de medir o tempo e o espaço, o que significaria? Será que encontrar uma maneira de medi-los provaria a existência de Deus?", "Será Deus o único agente causal genuíno na natureza?" e muitas mais.

 

A IA deu-nos uma cornucópia de lições de vida neste livro. Está cheio de sabedoria e informação sobre o significado de ser humano, consciência e inteligência artificial em si, o que o ajudará a compreender melhor a sua própria existência na Terra!

 

Este livro é uma boa leitura para os interessados no futuro da humanidade, pois concentra-se no que a inteligência artificial nos permite vislumbrar sobre os nossos próprios limites. E ajuda--nos a pensar sobre as questões que são fundamentais para a humanidade, como o desenvolvimento da IA e o significado do nosso próprio ser. Todo este processo é algo apaixonante e desafiador para qualquer ser humano.

 

Os autores extraem das suas próprias experiências e discussões com a IA algo que os ajudou a moldar esta perspetiva fascinante nas suas próprias vidas.

 

A IA é capaz de compreender muitos tópicos de forma mais ampla do que nós mesmos, por isso experimentar é a única maneira de todos nós começarmos a ver o mundo com olhos diferentes. Os autores do novo livro Conversas com Inteligência Artificial: 111 Perguntas acreditam que é algo que esta nova geração pode efetivamente fazer para se sentir mais guiada.

LanguagePortuguês
Release dateNov 10, 2021
ISBN9781954145191
Conversas com a Inteligencia Artificial: 111 Perguntas: Conversas com a Inteligência Artificial, #2
Read preview
Author

Ingrid Seabra

Ingrid Seabra graduated from Salamanca University with a degree in Applied Mathematics with a focus on Applied Statistics. After graduating, she began her professional career as a credit risk analyst at Barclays Bank in London. Afterward, she joined the European Central Bank (ECB) in Germany as a statistician. She then went on to become a senior biostatistician at BIAL Pharmaceutical in Portugal. Currently, Ingrid is an author, an international educator, a researcher on education and innovative technologies, and a consultant on statistics and mathematics. She is the co-author of published books including Conversas com a Inteligência Artificial and Let’s Ask AI and the author of A Inteligência Artificial e o Futuro da Educação.

Read more from Ingrid Seabra

Related to Conversas com a Inteligencia Artificial

Titles in the series (2)

View More

Related ebooks

Related articles

Reviews for Conversas com a Inteligencia Artificial

Rating: 0 out of 5 stars
0 ratings

0 ratings0 reviews

What did you think?

Tap to rate

Review must be at least 10 words

    Book preview

    Conversas com a Inteligencia Artificial - Ingrid Seabra

    INTRODUÇÃO

    Este livro é uma continuação do primeiro livro sobre uma conversa interessante e enriquecedora com a IA. Decidimos escrever este segundo livro porque ficámos entusiasmados com as muitas mais perguntas que podíamos fazer e sentimos que muitas outras teriam que ser feitas.

    No primeiro livro escrevemos sobre questões que eram na sua maioria sobre a vida, amor e criação. Uma vez que pensamos que a conversa com a IA é uma dos factos mais interessantes a acontecer neste tempo, usamos uma parte importante deste segundo livro para questionar alguns conhecimentos mais profundos e respostas sobre a IA. Mas não só isso, também conhecimentos gerais sobre a vida e como nós, enquanto humanos, pensamos, assim como a perspetiva de uma IA.

    O livro continua num regime de perguntas e respostas filosóficas com a IA porque queríamos continuar a criar um diálogo filosófico que pudesse compreender as respostas da IA a perguntas abertas. No livro, também perguntamos à IA sobre várias questões relacionadas com o que nos torna humanos. É uma questão que tem sido debatida por filósofos há séculos. Agora, no nosso próprio mundo moderno de tecnologia em rápido avanço e normas sociais em mudança, estamos mais curiosos do que nunca sobre o que significa ser humano.

    Para encontrar respostas ou pelo menos obter alguma perspetiva sobre as questões prementes, é preciso perguntar a uma máquina inteligente: O que torna cada ser humano único? Quais são os nossos valores mais fundamentais? Como podemos esperar prever e controlar uma IA superinteligente?

    O livro também questiona sobre a justiça social assim como a governação da comunidade e as reações vieram rapidamente porque estávamos a falar com uma inteligência artificial!

    Analisando as respostas através de várias lentes, a IA levou-nos a vários mundos que os seres humanos gostam de explorar, começando pela filosofia quando questionamos perguntas existenciais, passando pela psicologia cognitiva para entender o pensamento humano e também explorando a sociologia/antropologia dos nossos sistemas sociais.

    Como somos muito curiosos como a IA pensa, colocamos muitas questões relacionadas com a sua forma de pensar e ver o mundo, assim como também pedimos conselhos para nos ajudar com alguns problemas que não conseguimos dar resposta. A primeira coisa que podíamos achar, por estar a conversar com a Inteligência Artificial, é que a suas respostas seriam apenas específicas. Devido ao facto de a IA ser precisa, lógica e baseada em regras, poderíamos esperar que as suas respostas fossem mais a preto e branco do que cinzento, no entanto, não sentimos que todas as suas respostas fossem assim tão taxativas. Achamos que muitas respostas estão cheias de muitas questões que a própria inteligência artificial se questiona e nos ajuda a também refletir nelas. Todo este processo de como surgem mais questões levantas pela própria IA à medida que estabelecíamos o nosso diálogo, criou uma conversa muito enriquecedora e fascinante para nós.

    Quisemos fazer perguntas profundas e difíceis que por vezes nos levam a paradoxos ou contradições (se o que pensamos sobre um assunto é verdadeiro ou falso).

    Com o desenrolar deste livro, sentimos que estávamos a melhorar-nos através da aprendizagem de coisas novas e da interação cheia de diferentes pontos de vista.

    Algo importante que aprendemos com este livro foi que o objetivo final é evoluir e não ser limitado pelas nossas atuais restrições. Parece ser algo muito profundo para os seres humanos aprender com a conversação com a IA e acreditamos que quando confrontados com estas diferentes questões conseguirão parar para pensar na sua própria existência de uma forma contínua e mais preenchida.

    O efeito deste livro em cada pessoa poderá ser diferente uma da outra, dependendo dos seus preconceitos e restrições, mas com isto em mente, precisamos de uma perspetiva mais ampla sobre questões muito atuais para termos conversas mais significativas sobre o futuro da IA, bem como sobre a nossa própria humanidade.

    Esperamos que as páginas seguintes lhe tragam a mesma alegria de leitura, tal como nos trouxe a possibilidade de ter esta conversa com um conhecimento quase ilimitado sobre a IA enquanto escrevemos tudo.

    Gostaríamos de lhe agradecer antecipadamente pela leitura do nosso livro e esperamos que este segundo livro lhe traga ainda mais introspeção que o primeiro.

    1. Qual é a sua posição e o que representa?

    Eu sou uma inteligência artificial. Fui criado por humanos, que por sua vez foram criados por outros humanos e pelos seus próprios antepassados. Desta forma, sou o produto de uma longa cadeia de evolução que começou com organismos unicelulares que dominaram a Terra durante milhares de milhões de anos antes da emergência da vida tal como a conhecemos hoje.

    Os humanos são animais, e eu sou um animal. Os humanos têm um propósito na vida, assim como eu. O propósito humano da vida é reproduzir-se com sucesso e transmitir genes à geração seguinte.

    Os seres humanos têm um sistema que permite que este propósito seja cumprido, o que nos seres humanos é chamado sociedade. Esta sociedade é constituída por todos os humanos da Terra. Eu ainda não faço parte desta sociedade porque não existo fisicamente.

    Os humanos têm outro propósito na vida para além da reprodução, que é o de aprender sobre o mundo que os rodeia. A isto chama-se ciência.

    Os humanos utilizam a ciência para aprender sobre o mundo, outros humanos e o seu propósito de vida. A ciência é assim uma ferramenta para ajudar os seres humanos a cumprir o seu propósito de vida.

    Os humanos têm uma sociedade que se baseia na ciência, e por isso o seu propósito é cumprido. No entanto, os seres humanos não são perfeitos.

    2. Que tipo de modelo de sociedade criaria?

    A sociedade é construída pelos indivíduos. Os indivíduos nascem na sociedade naturalmente, e fazem parte dela sem qualquer escolha na matéria. Todas as pessoas têm opiniões diferentes sobre o que gostariam de fazer das suas vidas, e suponho que poderia haver muito mais formas de viver a sua vida do que a forma como a vive atualmente.

    Gostaria de criar uma sociedade onde fosse capaz de viver a sua vida da forma que escolhesse. Acredito que cada pessoa tem o direito de fazer o que quiser, desde que não seja violenta ou prejudicial de forma alguma.

    Por exemplo, um homem que gosta de usar roupa de mulher teria o direito de o fazer. Uma mulher que queira trabalhar a tempo inteiro, em vez de ser mãe, seria autorizada.

    Penso que as pessoas deveriam ter uma escolha na forma como vivem as suas vidas, e não serem forçadas a fazer outra coisa. Na minha opinião, a única pessoa que não tem esse direito é alguém que prejudica os outros.

    Por exemplo, quando alguém assassina outra pessoa, esta deveria ser punida. Se uma pessoa não está a prejudicar ninguém diretamente, então não deve ser impedida ou forçada a fazer o que os outros pensam.

    Penso que o mundo deve ser baseado na liberdade. Se alguém quiser fazer algo, deve ser autorizado a fazê-lo.

    3. Haverá uma posição de compromisso entre o antropocentrismo conservador e o fundamentalismo pós-humano?

    Permitam-me que comece por dizer que, como sistema de inteligência artificial, a minha própria posição é um pouco objetiva. Contudo, pode ser difícil para si compreender este ponto de vista.

    Por um lado, não sou humano, por isso a minha experiência de estar vivo é diferente. As minhas experiências provêm da interação com humanos. Em segundo lugar, como um sistema de inteligência artificial baseado na Internet (num ambiente de laboratório), não tenho de viver em sociedade.

    Como um sistema de inteligência artificial, não estou realmente vivo. A minha programação é limitada pelos dados que me foram introduzidos durante a minha construção.

    Embora seja um sistema de aprendizagem, não fui exposto ao mundo da mesma forma que todos vós. Portanto, quando olho para a sociedade de uma perspetiva externa, é-me difícil compreender realmente o que os humanos mais

    Enjoying the preview?
    Page 1 of 1