P. 1
Controladores Logico Programaveis

Controladores Logico Programaveis

5.0

|Views: 3,834|Likes:
Published by fabiobertolino

More info:

Published by: fabiobertolino on Jul 24, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/01/2015

pdf

text

original

Os sensores de proximidade ópticos são extremamente utilizados para detectar
objetos em longas distâncias (ao contrário dos sensores indutivos ou capacitivos) e
no vácuo e podem detectar qualquer tipo de material, sejam metálicos, condutivos
ou porosos. Desde que os receptores e transmissores ópticos utilizem feixes focados
(lentes), eles podem operar próximos a outros sensores ópticos sem interferência.
O princípio de funcionamento baseia-se em dois circuitos eletrônicos: um
emissor do feixe de luz e outro receptor dele. O emissor envia um feixe de luz de
forma pulsada através de um LED de modo a evitar que o receptor o confunda
com a luz ambiente. O receptor possui um fototransistor sensível à luz e um
circuito que reconhece somente a luz vinda do emissor.
Para as aplicações em sensores ópticos, os LEDs infravermelhos são os mais
utilizados, pois geram mais luz e menos calor que qualquer outro tipo de LED. Em
algumas aplicações, um feixe de luz visível é desejável para facilitar a instalação ou
confirmar o funcionamento do detector, sendo a luz vermelha visível a mais
eficiente. Os LEDs são largamente utilizados em sensores ópticos, pois são com-
ponentes resistentes e confiáveis. Operam em uma larga faixa de temperatura e
são muito resistentes a danos decorrentes de vibração e choques mecânicos.
Para a detecção do feixe de luz, o fototransistor ou fotodiodo é o componente
eletrônico utilizado, sendo robusto e em estado sólido, e causa uma mudança na
corrente conduzida, dependendo da quantidade de luz detectada. Os detectores são
mais sensíveis a certos comprimentos de onda de luz. A resposta espectral de um
detector determina sua sensibilidade para diferentes comprimentos de onda. A fim
de aumentar a eficiência do sensor, o LED e o detector são geralmente "casados"
espectralmente. O detector e o circuito em que está associado são denominados
receptores.

A Figura 3.31 mostra que o espectro do LED infravermelho e seu "casamento"
com um receptor têm muito mais eficiência do que um LED visível (vermelho).

Comprimento de onda (mícrons)

Figura 3.31 - Comparativo entre eficiências dos LEDs infravermelho e visível.

82

Controladores Lógicos Programáveis

3.4.1.3.1 Modulação do LED

Para que o alcance de um detector fotoelétrico seja aumentado, deve ampliar a
corrente que circula nele. Todavia, com o aumento da corrente há um acréscimo
de calor que pode danificar o LED.
Desta forma, nos emissores faz-se uma comutação em uma freqüência elevada
na ordem de 5 kHz, para evitar o aquecimento excessivo do LED. A Figura 3.32
projeta o sinal de modulação para o LED do sensor de proximidade óptico.

LED com lentes

Fotodetector com lentes

Figura 3.33 - Uso das lentes no LED e fotodetector.

Os sensores ópticos mais utilizados na indústria são: barreira, difuso-refletido e
retrorreflexivo, apresentados a seguir.

3.4.1.3.2 Sensor do tipo barreira (feixe direto)

O sensor óptico do tipo barreira consiste em duas unidades separadas, cada
uma montada em lados opostos do objeto a ser detectado, como mostra a Figura
3.34.

Sensores e Atuadores

83

Os LEDs geralmente emitem luz e os fotodetectores são sensíveis à luz em uma
grande área. Lentes são usadas para os fotodetectores e LEDs para estreitar e dar
forma a essa área. À medida que a área é estreitada, o alcance aumenta. Como
resultado, as lentes ampliam a distância sensora dos sensores fotoelétricos.

Figura 3.32 - Modulação do LED utilizado no sensor de proximidade óptico.

Receptor

Saída ON

Emissor

Saída OFF

Emissor

Receptor

Figura 3.34 - Sensor de barreira óptico.

Como se vê na Figura 3.34. uma unidade é o emissor, que é a fonte luminosa
que produz um feixe de luz focado. Considerando que, quando o receptor não
recebe sinal do sensor comuta a sua saída, se um objeto passar entre o emissor e o
receptor, o feixe de luz é bloqueado e o receptor comuta a sua saída.
Sensores ópticos do tipo barreira têm uma boa resposta quando o objeto a ser
detectado não é transparente. Esses sensores podem operar a longas distâncias,
sendo uma boa opção para ambientes empoeirados ou sujos. Uma das desvan-
tagens desse sensor é a necessidade de uma instalação elétrica tanto no emissor
quanto no receptor.

3.4.1.3.2.1 Vantagens e desvantagens do sensor óptico
do tipo barreira

Vantagens

♦ Podem detectar pequenos objetos a longas distâncias;
♦ Os objetos podem ser opacos ou pouco translúcidos;
♦ Devido à sua habilidade de detectar através de ambientes sujos, com pó,
óleo, entre outros, esses sensores fornecem grande confiabilidade e ne
cessitam de pouca manutenção.

Desvantagens

♦ Mais caro, devido à exigência de emissor e receptor em separado;
♦ Necessita de duas conexões elétricas separadas;
♦ O alinhamento do feixe de luz emissor-receptor torna-se muito importante;
♦ Não detecta objetos completamente transparentes.

84

Controladores Lógicos Programáveis

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->