Temporada 02 Capítulo 17

Depois do Vendaval
By We Love True Blood

He'll regret it till his dying day, if ever he lives that long.

Eric não conseguia se focar nas conversas a sua volta, só aturava aquele grupo de vampiros no Martillo porque tinham dinheiro e gastavam muito na boate. Observava Sookita ao longe posando de virtuosa, como sempre fez desde que a conheceu. Ainda estava chocado consigo mesmo pelo quanto se deixou enganar por ela e o Prefeito. Inicialmente não havia acreditado no que Pam disse geralmente sua sócia sentia ciúmes de qualquer uma que se aproximava dele. Mas agora não poderia negar o tolo papel que desempenhou naquela missão. Antes era ele quem saia por cima de tudo, agora havia sido passado para trás. O prefeito ganhou a primeira batalha, e ele não deixaria que ganhasse o resto também. Após Jessica fofocar sobre o casamento de Bill e Sookita, Eric só pensava em como iria se vingar dos dois, não era apenas Bill o culpado. Sookita fez parte da tramoia, o seduziu na casa perto de Tijuana e soube jogar perfeitamente com a fome dele por sangue. Ele questionava a possibilidade de Sookita também ter armado o sequestro pelo senador. Ele não pensou duas vezes em assumir a responsabilidade pelo erro cometido na missão, não aceitaria a culpa cair em uma mulher, não era um covarde. Só que tudo agora estava desabando em sua cabeça, acreditava que o plano de Bill era de que ele morresse perante o senador, mas conseguiu escapar estragando tudo. E pensar que ajudou mais ainda o prefeito ao assumir toda culpa e poupar a Santa Virgem que era noiva o tempo todo dele. Agora enfrentaria os longos depoimentos e a tortura que a Autoridade adorava oferecer para seus vampiros errantes e estúpidos como ele. Havia sido torturado outras vezes, mas a sensação que tinha era que nunca seria capaz de se acostumar com tal coisa. E dessa vez ele realmente não estava esperando, pois durante toda a missão pensou que tudo fosse sair bem. Após mandar o recado através de Pam para a Santa Virgem Sookita. Eric

puxou Jessica e a beijou com violência, esperando que Sookita percebesse o quanto a desprezava. Não havia outro sentimento nesse momento, apenas desprezo. Não ligava para a vampira ruiva, admitia que fosse gostosa, e a levaria para seu escritório mais tarde. Ainda não tinha um plano definido na cabeça, mas depois que tudo aquilo passasse, ele iria descobrir a melhor maneira de acabar com o sorriso cínico na cara do prefeito. Pam voltou batendo o salto com força no chão. Eric sabia que ela estava brava quando fazia isso. Ela fez um movimento com a cabeça indicando o escritório. Ele se levantou sem vontade após a partida de Sookita. Voltou-se na direção dos vampiros: “Desculpem-me, tenho um rápido problema para resolver. Vou chamar Carmelita para continuar atendendo todos vocês.”, ele fez um movimento com a cabeça. Segurou o ombro de Jessica, levou os lábios perto do ouvido da vampira e disse num sussurro: “Daqui uma hora, vá até o meu escritório.” Ela sorriu de volta para ele, passando a língua pelos lábios. Eric deu de ombros, esse tipo de sedução feminina não o afetava mais. Bastava estalar o dedo, e todas vinham correndo. Exceto Sookita, balançou a cabeça tentando não pensar nesse assunto. Pam já o aguardava, estava com cara de poucos amigos e com os braços cruzados. Acompanhou os movimentos dele até sentar na poltrona e disse: “Bom, acho que já pode me explicar o que foi aquilo lá fora.” “Explicar o que? Não vou me aproveitar muito da filha do prefeito. Deixo um pouco pra você.” “Muito gentil de sua parte, mas não foi sobre isso que perguntei. O que a dançarina veio fazer aqui?” “Como eu vou saber, foi você quem falou com ela. Deveria ter perguntado se tivesse dúvidas.”, respondeu irritado. “Por que será que tenho a impressão que você não me contou tudo? O que realmente aconteceu na maldita missão, Eric?”, perguntou sem rodeios. “Eu não comi ela se é isso que quer saber.”, ele gritou mais alto do que

gostaria. “Eu tentei, não sou de ferro. Você sabe que as mulheres cismam comigo.” Pam não estava acreditando no que estava ouvindo, seu maker dizendo que foi dispensado pela noiva do prefeito. Sua cabeça estava girando, seu sangue fervia de ódio, se ela pudesse matar a tal Sookita ou até mesmo Eric, não seria uma má ideia. “Então foi por isso que você se apaixonou por ela? Só porque não teve o que quis...”, perguntou com os olhos cerrados. “Desde quando você sabe como o meu pau pensa?”, a mão dele tremia de raiva após dizer isso. “Desde que você passou a agir como idiota e pegar a filha sem sal do prefeito... só por isso.” “Não te dei ordens para cuidar da minha vida amorosa. Não me force a tomar certas atitudes.”, ele a encarou friamente após levantar da poltrona. “Quero ver se tem coragem, perdido do jeito que você anda... vai fazer o que? Me colocar no Banquinho da Vergonha?” Ele se aproximou de Pam, colocou as duas mãos no ombro dela. Deu um leve beijo nos lábios e disse: “Não se intrometa em assunto que não é seu. Não vou ter o coração machucado por qualquer dançarina. Já sou bem crescidinho.”, ele soltou uma risada sarcástica e aumentou a pressão de suas mãos no ombro da vampira. “Não me obrigue a te machucar...” “Espero mesmo que não, pois não pretendo te dizer ‘Eu avisei’ futuramente.” “Não estou com paciência para conversa de amiguinhas. Vai encher a Carmelita...”, ele a jogou na direção da porta. Pam olhou para ele com raiva, saiu do escritório pisando fundo e bateu a porta com força. Quase deu um encontrão em Jessica. A moça a olhou irritada e desviou, entrando em seguida no escritório de Eric sem bater na porta.