1

EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA QUINTA VARA DO JÚRI DA CAPITAL –
052.12.003475-3 - Controle 569/12 - IP 1496/12 - DHPP

O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO representado pelo Promotor de Justiça signatário, com base no procedimento inquisitório anexado, feito epigrafado, vem propor ação penal pública incondicionada, oferecendo denúncia em face da indiciada ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA, portadora do RG 53.673.690-X-SP, qualificada a fls. 332, pela prática do crime de homicídio doloso, triplamente qualificado, pelo motivo torpe, recurso que impossibilitou a defesa do ofendida e meio cruel, além de destruição e ocultação de cadáver, contra a pessoa de MARCOS KITANO MATSUNAGA, fato ocorrido no dia no dia 19 de maio de 2012, pouco depois das 20h, no interior do apartamento nº 172-A do edifício localizado na Rua Carlos Weber, 1376, Vila Leopoldina, São Paulo.
_______________________________________________________________ 052.12.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga

2

OS FATOS A indiciada ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA, que antes fora enfermeira, trabalhando em centro cirúrgico, era “garota de programa” e se apresentava integrantes como do site “acompanhante”, MClass, rótulo das nessa especializado

atividade, quando conheceu a vítima MARCOS KITANO MATSUNAGA, com quem passou a ter relações sexuais mediante paga, no final do ano de 2004. Marcos era casado e tinha uma filha, e ante a frequência com que se relacionavam, se tornaram amantes, por um período aproximado de três anos, até que aquele se divorciou e decidiram se casar, o que aconteceu no dia 8 de junho de 2009, sob o regime da comunhão parcial de bens (fls. 253). O casal Marcos-Elize já demonstrava sinais de dificuldade no relacionamento, quando a denunciada engravidou, posteriormente dando à luz a criança , em 15 de abril de 2011, e seis meses após, o relacionamento se deteriorou.
_______________________________________________________________ 052.12.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga

por coincidência.12. fato que gerou o ódio incontido. Antes de efetuar uma viagem ao Estado do Paraná. no dia 19 de maio.3 As constantes brigas do casal. com ofensas recíprocas e até agressão física por parte de Elize. e por telefone. esta lhe informava a entrada e saída do marido. Elize procurou uma agência de detetives. fez com que passassem a dormir em quartos separados no mesmo imóvel. conforme combinou com a empregada. monitorava o detetive. E no mesmo dia o concretizaria.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . contratando seus serviços para acompanhá-lo e comprovar o fato. Elize retornou de viagem. com o plano sórdido elaborado. inclusive realizando filmagens do romance em locais públicos. era do mesmo site MClass que antes pertenceu. _______________________________________________________________ 052. Convencida de que Marcos estava tendo “um caso”. no dia 17 de maio. Elize fez o pagamento de parte do valor ajustado com o detetive. e enquanto estava ausente. O detetive forneceu os detalhes e os locais onde o marido se encontrava com a nova amante. quando teve conhecimento de que realmente Marcos estava tendo um “caso” com uma garota de programa. e que.

na região da fronte esquerda. Nesse ínterim. orientado de frente para trás e de cima para baixo (fls. Conseguiria se vingar e ficaria rica. ficando com a filha herdeira do enorme patrimônio do pai. conforme consta das gravações de CFTV do elevador (fls. Eliza dele se aproximou e efetuou um único disparo. a denunciada Elize detalhou a este as investigações já desenvolvidas e as provas materiais. _______________________________________________________________ 052. viu cair por terra o casamento e a vida confortável. junto com a filha e ao adentrarem no apartamento. 443/444). depois casada com milionário. Discutiram. o executaria. Marcos foi buscá-la no aeroporto. resolveu matá-lo. auxiliar de enfermagem e garota de programa. 84). com uma pausa enquanto Marcos desceu à portaria para buscar uma pizza.4 Oriunda de família pobre. armou-se de uma pistola Imbel. calibre “380.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . 456). Exímia atiradora. nº 41655 (uma das quatro armas registradas em seu nome) com carregador contendo 15 cartuchos e quando Marcos chegou com a pizza.12. Beneficiária única de seguro de relevante valor (fls. e retornando às 20h02m.

além muito forte. de molde a inviabilizar definitivamente eventual exame pericial de confronto do projétil com a pistola. Marcos veio a óbito. se aproximou de seu pescoço e o seccionou. Enquanto a vítima Marcos agonizava.5 Tinha que ser assim. bem como comprovação de disparo recente.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . _______________________________________________________________ 052. pois Marcos. Eliza armou-se de uma faca. era lutador de artes marciais o que inviabilizaria o confronto físico. substituiu o cano da arma utilizada por um outro que mantinha. bem mais alto. cuja causa mortis deveu-se a choque traumático (traumatismo crâneo encefálico por agente pérfuro-contundente –projétil de arma de fogo (bala) e associado à asfixia respiratória por sangue aspirado devido a decapitação. com o mesmo ódio incontido.12. Não poderia lhe dar qualquer chance de se defender. Excelente atiradora e conhecedora de armas. conseguindo decapitá-lo. conforme evidenciado no laudo de exame de corpo de delito (exame necroscópico) constante de fls. 455/457.

conforme comprovam as fotos de fls.. junto com a cabeça e as roupas que Marcos usava. Sabia que o joelho é preso por cartilagem e ligamento. e acondiciou-os em três malas de viagem. sabia onde realizar os cortes. na região da cintura. inseriu as partes. para onde arrastou o corpo. esquartejá-lo e transportá-lo para local distante. 49/50 e 460/481. Por ter trabalhado em centro cirúrgico e conhecedora da anatomia humana.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga Iria . separando a genitália e as coxas do tronco.6 Perpetrado o crime.atividade que lhe consumiu a noite toda . e para isso já tinha também previamente desenvolvido um plano. era o momento de se livrar do indesejável cadáver.12. Da mesma forma cortou a barriga. Dotada de conhecimento na área de enfermagem. em sacos plásticos apropriados para lixo. dentro de um quarto destinado aos hóspedes. Após o esquartejamento . e assim cortou as pernas. o que lhe facilitaria o transporte. colocou-o em prática. em termos ósseos. _______________________________________________________________ 052. dividindo o peso. com antebraço e mão. Cortou os braços.

conforme comprovam as filmagens de CFTV (fls. retornando para a região da Grande São Paulo. foram encontradas as mangas da camisa. Um pouco mais à frente (1 km) estava uma perna e um pé. placas EQC-4141 para jogar em local bem distante.7 Realizada a difícil tarefa. sentido Caucaia do Alto (2. passou a limpar todo o local. com panos e água. domingo às 1h30m). muito bem. Na mesma Estrada dos Pires até a Rua Bragança (1.3 km após). Assim.5 km) estavam o tronco e o quadril. colocou-as no seu veículo Mitsubishi Pajero. Mais à frente (600 m) estava a outra perna. 444/445). _______________________________________________________________ 052. desceu com as três malas pelo elevador de serviço (no dia 20 de maio de 2012. Na Estrada dos Pires.12. Aliás. Enquanto a babá ficava em casa com a criança do casal. Saiu com destino ao Estado do Paraná seguindo pela Rodovia Raposo Tavares. foram encontradas mãos e braços. próximo à igreja. Continuando na Estrada dos Pires. livrou-se dos pedaços do corpo. Mais adiante (100 m) estava a cabeça. mas desistiu da empreitada.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . onde conhecia bem.

003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . quando foi fiscalizada e autuada pela Polícia Rodoviária por estar com o licenciamento do auto vencido (fls. e as levou aos pais dele. 67. de que a vítima saíra de casa porque tinha outra mulher. Enquanto a família procurava Marcos. 395 e os BOs. Elize retornou ao apartamento apenas às 22h48m (fls. e como conhecia sua senha. _______________________________________________________________ 052. No dia 21de maio (segunda-feira) foi até a agência de detetives retirar as filmagens feitas com Marcos e a amante.8 As partes foram sendo jogadas em beira de estrada.12. em uma distância percorrida de 4. cuja mostra visava concretizar a parte final de seu plano. Após toda essa jornada. 446). 22.2 km. apanhou um notebook da vítima. 321/323). 63. 13. e ainda com as malas e partes do cadáver. com a mesma finalidade de fugir à eventual suspeita de autoria. conforme comprova o laudo de fls. encaminhou emails para a empresa de sua propriedade. de fls. 36/39). supostamente sendo do falecido. informando que estava tudo bem (fls.

A morte foi produzida por meio cruel. 456). Marcos recebeu o projétil de cima para baixo. vingando-se da traição do marido. pela tentativa de segmentar o corpo em vida.12.9 Assim ocorrendo. Agiu impelida por motivo torpe. e com objetivo de ficar com o valor do seguro de vida e a administração dos bens a serem herdados pela filha. caso ambos estivessem em pé (fls. _______________________________________________________________ 052. com o tiro sendo disparado à curta distância. a indiciada ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA praticou um crime de homicídio triplamente qualificado. utilizou de recurso que impossibilitou a defesa da vítima.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . o que seria impossível de acontecer. e em situação de altura superior. pois mesmo sendo de estatura maior. conforme prova a perícia (fls. para evitar que a outra amante fosse a causa da separação e lhe causasse prejuízos sociais e materiais. Para a prática do crime. 455/457). que evidenciou zona de tatuagem e queimadura nas margens do ferimento.

457). (fls. _______________________________________________________________ 052. meio cruel e utilizando recurso que impossibilitou a defesa da vítima.12. Por final. a conduta de ainda deverá ser agravada genericamente pela condição de cônjuge da vítima. in fine. portadora do RG 53. a vítima ainda estava viva quando sofreu asfixia respiratória por sangue aspirado devido à decapitação. III e IV. inciso II. denuncio ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA. além da destruição e ocultação de cadáver.690-X-SP.673. A indiciada ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA também praticou o crime de destruição e ocultação de cadáver. agravada pela condição de cônjuge da vítima. letra “e” . todos do Código Penal Brasileiro. § 2º. incisos I.10 Conforme conclusão pericial. como incursa no artigo 121. onde possivelmente seriam devoradas por animais. Ex positis. artigo 211 e artigo 61. adequando a conduta da indiciada ao tipo penal descrito como homicídio qualificado pelo motivo torpe. ao esquartejá-lo e depois lançar as partes em local ermo.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga .

seja a ré citada para responder a acusação por escrito. adequada a conduta aos tipos penais correspondentes.689. 406.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga .12. de 9 de junho de 2008. observando-se o disposto no artigo 406 do Código de Processo Penal. requeiro que sejam estas ouvidas como testemunhas do juízo (art. em audiência de instrução prevista no artigo 411 do mesmo dispositivo.11 REQUERIMENTO Ante todo o exposto. com as alterações trazidas pela Lei nº 11. Excedido o rol de testemunhas (art. 209 do CPP). as do juízo e as que eventualmente sejam indicadas pela acusada. _______________________________________________________________ 052. requer-se. do perito legal e da ilustre autoridade policial que desenvolveu a investigação. recebida e autuada a presente. § 2º do CPP). Não sendo hipótese de absolvição sumária. seja procedida à inquirição das testemunhas abaixo arroladas. ante a complexidade do caso e necessidade de ouvida do médico legista.

até final condenação. para. São Paulo. juízo natural dos crimes dolosos contra a vida.12 Após.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . seja interrogada a acusada. ser proferida sentença de pronúncia para submeter ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA a julgamento pelo Egrégio Tribunal do Júri.12. ao final. e com o encerramento da instrução e realizado o debate final ou juntada de memoriais. 19 de junho de 2012 JOSÉ CARLOS COSENZO Promotor de Justiça _______________________________________________________________ 052.

30/149/193 7 – Nathalia Vila Real Lima . 162 3 – Valter Sérgio de Abreu -fls. 455/457 (requisitar) 3 – Ricardo Salada – Perito DHPP .requisitar _______________________________________________________________ 052. 363 8 – Amonir Hercilia dos Santos – fls. 234 TESTEMUNHAS DO JUÍZO 1 – Dr Mauro Gomes Dias – fls.12.13 ROL DE TESTEMUNHAS 1 – Mauro Kitano Matsunaga – fls.fls. 514 (requisitar) 2 – Dr Jorge Pereira de Oliveira – fls. 199 5 – Horácio Rubem D’Abramo – fls.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . 172 (requisitar) 4 – René Henrique Gotz Licht – fls.399 6 – Luiz Carlos Lózio – fls. 26/145/196/239 2 – Willian Coelho de Oliveira – fls.

contra a Ofereço.12. 2. seja pela forma de cometimento. cujo vencimento dar-se-á no dia 20 de junho de 2012. dentro do prazo legal. Conforme requerimento posto na parte final da inicial da ação penal proposta. causou verdadeira comoção social em São Paulo.12. seja pelo recebimento do procedimento em razão da prisão.14 V TRIBUNAL DO JÚRI DA COMARCA DA CAPITAL 052. via prisão temporária. em treze laudas.003475-3 – Controle 569/12 – DHPP Denunciada – ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA Meritíssimo Juiz: 1.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . em separado. aqui se apura um crime gravíssimo. ARAÚJO denúncia KITANO indiciada ELIZE MATSUNAGA. _______________________________________________________________ 052. praticado pela denunciada contra o marido. seja pelo status social. cuja repercussão. seja porque há custódia cautelar.

e certamente para supedanear o eminente Magistrado quando da decisão interlocutória. requeiro que tais profissionais. nos termos do art 406. culminaram pelo conhecimento – e confissão – da autoria pela própria esposa. bem como a situação em que foi encontrado o cadáver. espalhadas por estradas de terra. _______________________________________________________________ 052. Assim. no interior do seu lar. 209 do CPP).12. e o médico legista que elaborou um laudo de fôlego. somente poderão ser melhor informadas ao juízo pelo Delegado de Polícia que realizou a brilhante investigação. além de efetuar a reconstituição. relacionados na denúncia. ou partes dele. sejam ouvidas como testemunhas do juízo (art. e fundamentalmente a causa mortis.15 As investigações que se iniciaram pelo desaparecimento da vítima Marcos Kitano Matsunaga. pela fundamental importância para o desate da questão.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . as partes do corpo da vítima. Apesar da confissão. a dinâmica dos fatos e forma didática para se descrever as lesões. conseguindo juntas todas as peças. pelo perito legal que realizou as perícias de coletas de materiais. uma vez que o número limite (8 testemunhas. ou melhor. § 2º do CPP) foi preenchido.

com a propositura de ação penal pública incondicionada. antiga garota de programa e amante da vítima quando ainda era este casado com outra. _______________________________________________________________ 052.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . repugnante. Pessoa dissimulada. Despiciendo dizer que se trata de um dos crimes de maior repercussão na história desta terra. Requeiro a vinda de Folha de Antecedentes criminais e extração de certidões do que nela vier constando. não apenas pelo status social da vítima. a acusada de forma vil. que seja decretada a Prisão Preventiva da denunciada ELIZE ARAÚJO KITANO MATSUNAGA. através da denúncia. inclusive do Estado do Paraná.16 3.12. PRISÃO PREVENTIVA Requeiro neste ato. nojenta. mas pelo requinte de crueldade. ignóbil. viu o mesmo filme ser projetado para si. sequer pelos legistas. nunca experimentado. já antes mencionado. e que assumiu o posto de esposa ao se desfazer aquele matrimônio.

Chegou de viagem. carros. contratou um detetive para acompanhar as aventuras do marido. as brigas se iniciaram e a situação se tornou insustentável.12. perder o status de milionária.000. viu na morte do marido a sua independência. o apartamento dúplex. Extraindo dos fatos concretos que poderia perder o posto de esposa. conhecedora de armas e enfermeira com conhecimento de anatomia humana. Ele era alto e lutador de artes marciais. ela se armou com uma pistola calibre “380. não afetou sua obstinada sede de vingança.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga .17 Após pouco tempo de casados. na cabeça e condições materiais. perder os bens materiais. carregada. para a nova amante do marido. todavia.00 – fls. mulher. do perigo. Exímia atiradora. 64). sem a menor noção do risco. Estava no Estado do Paraná e fez tudo aquilo que idealizou em detalhes. com tudo pronto. frágil fisicamente. e ela miúda. compras. e dele se aproximou. Ficaria com a guarda natural da filha e receberia um seguro de vida de grande valor (R$ 600. empregadas. Enquanto o marido. desferindo um tiro na fronte. desceu pelo elevador para receber uma pizza. Isso. _______________________________________________________________ 052.

decapitando-a. ainda foi buscar os vídeos onde o falecido estava com outra. Mandou email do próprio notebook da vítima. agonizando. deixando familiares em desespero. Dissimulada. e ainda fez as pessoas saírem à procura da vítima. o laudo diz que piorou: caída no chão. estando as malas com as partes do corpo da vítima consigo. de cima para baixo? E houve lesões e queimaduras próximo à entrada do projétil. próprio de quase “queima-roupa”. foi parada pela Policia Rodoviária por estar com documentação vencida. Depois de tudo isso. ainda em vida. imaginando sequestro. recebeu a multa. em razão do tiro próximo.12. poderia desferir um tiro.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . assinou e saiu. Não satisfeita com a vingança. tudo isso. Se estava ruim para a vítima. _______________________________________________________________ 052. cujas partes jogou a animais e urubus.18 Questão de nenhuma complexidade para o desate a qualquer infante: como uma mulher mais baixa que o marido. não teve a acusada a menor piedade. retalhou o corpo como se estivesse na faina diária de açougueiro. usando a senha que descobriu. A causa mortis decorreu do tiro recebido e asfixia do sangue decorrente da decapitação.

Pegou o computador que usou para a falsa mensagem e o destruiu. Era o tempo passar. não ser incriminada e ficar rica. para posterior envio a este juízo. Aquela que saía com seu marido. Retirou o cano da arma que usou e o substituiu por outro. Dançou! Fez um monte de bobagens.19 De posse destes. com a filha. Há diligências ainda em andamento. _______________________________________________________________ 052. disse na polícia que morre de medo . de molde a impossibilitar uma perícia que a prejudicasse. ainda foi a outro shopping. sem remorso. depois prorrogada. dia 20. digna de bandidos sem escrúpulos. certamente vai inviabilizá-las.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga temem-na. mas sem qualificação. lançando no lixo de um shopping e a faca usada em outro. foi exibi-los à família da vítima. com vencimento para amanhã. Depois. e com ela em liberdade. Testemunhas dela.12. Foi decretada sua prisão temporária. sem sofrimento. onde adquiriu uma bolsa que é objeto de desejo da mulherada.

como a rival. A sociedade não como essa. covardes Muitas diligências em andamento. hediondo. _______________________________________________________________ 052. documentos em respondam em liberdade a acusação. trago. A revolta da sociedade poderá impor a tentativa de “justiça a manu militari”. primeiramente. nem é necessário aprofundar-se em argumentação. o médico legista declarou quem em 35 anos de servidor. para garantir a própria integridade física e a vida da ré. por paradoxo. nunca viu uma atuação símile.12.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . como fundamento a conveniência da instrução criminal. e que poderão ser prejudicados Para garantia da ordem pública. Só quatro! Há necessidade de várias diligências como o reconhecimento e eventual acareação. pode aceitar que assassinas.20 Para decretação da PRISÃO PREVENTIVA. que provocou repulsa na sociedade. posto que existe comprovação nos autos que poderá intimidar testemunhas. Até. Em entrevista. um vizinho. pela barriga. bancos. como buscas. principalmente ao cortar a vítima pelo meio. o pastor e a empregada. pois se trata de um crime bárbaro.

o tempo se encarrega de impedir a localização das testemunhas.12. São Paulo.21 Para a efetiva aplicação da lei penal. basta. também. assim o requeiro. em manifesto favorecimento ao criminoso e triunfo da impunidade. como em liberdade a ré vulnera a aplicação da lei penal e impede a regular instrução criminal. certamente desaparecerá. transcende que é de rigor seu segregamento provisório nos termos dos artigos 311 e seguintes do Código de Processo Penal. notadamente aqueles com o rito diferenciado conferido à apuração dos crimes dolosos contra a vida. à saciedade. dizer que após a soltura. a dificuldade de se instruir um processo criminal em uma megalópole como São Paulo. Sabe-se.003475-3 – Controle 569/12 – 5ª Vara do Juri – 4º Promotor de Justiça Elize Araújo Kitano Matsunaga . 19 de junho de 2012 José Carlos Cosenzo Promotor de Justiça _______________________________________________________________ 052. Com base nesse fundamento legal. Assim. Ainda que seja feita cautelarmente.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful