CENTRO UNIVERSITÁRIO DA FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE BARRETOS – UNIFEB ENGENHARIA DE PRODUÇÃO / MECÂNICA / QUÍMICA

RELATÓRIO 2 FÍSICA: ASSOCIAÇÃO DE RESISTORES

Aluno Gustavo T. Delgado Fabricio Ap. dos Santos Yago Fernandes Fernando. F de Mendonça Giovane Ripamonte Locci Denilson Oton Reis

RA 516684 517958 516592 517419 517941 516459

Curso Eng. Quim

Eng. Quim

BARRETOS 2012

Sumário
1. 2. 3. Objetivos: .............................................................................................................................. 1 Introdução: ............................................................................................................................ 1 Fundamentos Teóricos: ......................................................................................................... 1 3.1. 3.2. 4. Associação em Série ...................................................................................................... 1 Associação em Paralelo ................................................................................................. 3

Materiais e Métodos: ............................................................................................................ 3 4.1. 4.2. Materiais: ...................................................................................................................... 3 Métodos: ....................................................................................................................... 3

5.

Resultados: ............................................................................................................................ 4 5.1. 5.2. Circuito 1 – Associação em Série ................................................................................... 4 Circuito 2 – Associação em Paralelo.............................................................................. 4

6. 7. 8.

Discussão: .............................................................................................................................. 5 Conclusão: ............................................................................................................................. 6 Referências Bibliográficas: .................................................................................................... 6

RELATÓRIO 2 – FÍSICA GERAL E EXPERIMENTAL III

Título : Associação de Resistores
1. Objetivos:
O objetivo deste experimento é aprensentar elementos básicos constituintes de um circuito elétrico simples, possibilitando após medições com auxilido de intrumentos determinar a resistência equivalente das associações dos resistores em suas formas.

2. Introdução:
Ao decorrer de nossas vidas utilizamos vários aparelhos elétricos empregados resistores. Em muitos destes circuitos onde são

um único resistor deve ser

percorrido por uma corrente elétrica maior que a suportada, então neste caso devem ser utilizados recursos de associações de resitores afim de que a resitencia final do circuito suporte a corrente que por ele será passada. Quanto aos recursos de

associações dos resitores os mesmo podem se classificar em associações em série ou em paralelo conforme estudaremos a seguir.

3. Fundamentos Teóricos:
3.1. Associação em Série A associação em série de resistores se caracteriza por apresentar vários resitores ligados um após o outro em sequência de forma que a corrente elétrica que atravessa o circuito é obrigada a passar por um resitor após outro para percorrer todo o circuito, daí se da o nome de associação em série. (Figura 1)

Figura 1 Associação de resistores em série.

1

A associação série fornece um único caminho para a corrente elétrica pois o circuito possui uma única malha e nenhum nó. Portanto, todos os resistores são percorridos pela mesma corrente fornecida pela fonte de tensão. Assim:

Em cada resistor que a corrente percorre há uma queda de tensão, isso devido a fato de resistencia presente no circutio .

Como sabemos que V = R.I e substituindo na equação anterior:

Sabendo que a corrente em todos os resistores da associação é a mesma fornecida pela fonte, temos:

A relação entre a tensão da fonte e a corrente por ela fornecida é a resistência equivalente do circuito. Então:

2

3.2. Associação em Paralelo Pode ser dito que a combinação de resistências está em paralelo quando a diferença de potencial resultante em cada uma das resistências é igual a diferença de potencial aplicada ao circuito.

Figura 2: Associação de resistores em paralelo

Normalmente , a corrente é diferente em cada resistor pois a mesma se divide, como a carga não pode se acumular nem ser extraída, portanto a corrente total no circuito deve ser igual a soma das correntes que passam nos resistores, o mesmo pode ser aplicado a ddp.

Para qualquer número de resistores conectados em paralelo, o inverso da resistência equivalente é igual a soma dos inversos das resistências individuais. Na associação em paralelo, o valor da resistência equivalente é sempre menor que o valor da resistência de qualquer resistor presente na associação.

4. Materiais e Métodos:
4.1. Materiais: Multímetro, Resistores, Protoboard.

4.2. Métodos:

3

Em um protoboard foram desenhados dois circuitos o primeiro com a associação dos resistores em série e posteriormente em paralelo. Após a montagem de cada circuito com o auxilio de um multimetro, foram medidas a resistências equivalentes do circuito total e anotadas.

5. Resultados:
5.1. Circuito 1 – Associação em Série Foram associados em série dois resistores R1 e R2 com resistências nominais respectivas de 470Ω e 220Ω conforme demonstrado abaixo.

Figura 3 Diagrama de associação em série circuito 1

Após a medição do circuito foi obtida a resistência equivalente de 676Ω

5.2. Circuito 2 – Associação em Paralelo Foram associados em paralelo dois resistores R1 e R2 com resistências nominais respectivas de 470Ω e 220Ω conforme demonstrado abaixo.

Figura 4: Diagrama de associação em paralelo circuito 2

Após a medição do circuito foi obtida a resistência equivalente de 147Ω

4

6. Discussão:
Para o circuito 1, temos uma associação em série onde através da aplicação da fórmula e considerando as resistências nominais obtemos a resistência equivalente no circuito conforme abaixo:

O valor nominal de Req= 690Ω aproxima-se do valor medido no circuito de 676Ω considerando se variações, o que comprova a teoria da associação de resitores em série.

Para o circuito 2, temos uma associação em paralelo onde através da aplicação da fórmula e considerando as resistências nominais obtemos a resistência equivalente no circuito conforme abaixo:

O valor nominal de Req= 150Ω aproxima-se do valor medido no circuito de 147Ω considerando se variações, o que comprova a teoria da associação de resitores em paralelo.

5

7. Conclusão:
Observamos que a resistência equivalente da associação em série é sempre maior que qualquer uma das resistências da associação e na ligação em paralelo, a resistência equivalente é sempre menor que qualquer uma das resistências da associação. Nas associações em série a corrente que passa em cada resistor é sempre igual, e a diferença de potencial é menor quanto maior for o valor da resistência. A soma das diferenças de potenciais obtidas em cada resistor é igual a resistência que passa pelo circuito. Nas associações em paralelo, a diferença de potencial é que é igual em todos os resistores, e a corrente é que varia de resistor para resistor, ela é maior nos resistores de menor valor, a soma da corrente que passa em cada resistor é a corrente que passa no circuito.

8. Referências Bibliográficas:
HALIDAY, J; RESNICK, R; WALKER, J. Fundamentos da Física – Mecânica. Vol.1 – 1996 – LTC – Rio de Janeiro. SILVA, D.N. FÍSICA – Série Novo Ensino Médio – 2003 – Ed. Artica – São Paulo

6

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful