DIREITO DA NACIONALIDADE NACIONALIDADE = o vínculo jurídico político que liga um indivíduo a um certo e determinado Estado, fazendo dele um componente

do povo, capacitando-o a exigir sua proteção e sujeitando-o ao cumprimento de deveres impostos (origem: idéia de que os nascidos no território tinham a mesma origem, porque tinham a mesma língua, costumes e tradições de seus antepassados) Conceitos conexos: (a) povo = é o conjunto de pessoas que fazem parte de um Estado (elemento humano) - o povo está unido ao Estado pelo ´vinculo jurídico da nacionalidade. (b) população = é o conjunto de habitantes (residentes) de um território, país ou região (é mais amplo que o conceito de povo, pois engloba nacionais, estrangeiros e apátridas ou polipátridas, tendo conotação econômica). (c) nação = agrupamento humano, em geral numeroso, cujos membros, fixados num território, são ligados por laços históricos, culturais, econômicos e lingüísticos. (d) cidadão = é o nacional (nato ou naturalizado) no gozo dos direitos políticos e participantes da vida do Estado. Em se tratando de um aspecto da soberania estatal, a competência para legislar sobre nacionalidade é exclusiva do próprio Estado (art. 22, XIII e XV, da CF) Espécies: 1) primária (ou originária) = resulta do nascimento a partir do qual, através de critérios sangüíneos, territoriais ou mistos, será estabelecida; 2) secundária (adquirida) = adquire-se por vontade própria após o nascimento, e em regra pela naturalização. Critérios de atribuição de nacionalidade originária (brasileiros natos), aplicados a partir do nascimento: (a) ius sanguinis - será nacional todo o descendente de nacionais, independentemente do local de nascimento (a CRFB exige requisito adicional: a condição jurídica do ascendente (brasileiro nato ou naturalizado) deve ser contemporânea ao nascimento); (b) ius soli - será nacional o nascido no território do Estado, independentemente da nacionalidade de sua ascendência (esta é a regra adotada na Constituição). Hipóteses de aquisição originária: a Constituição Federal prevê exaustiva e taxativamente as hipóteses de aquisição da nacionalidade originária - somente serão brasileiros natos aqueles que preencherem os requisitos do art. 12, inciso I (os nascidos na República Federativa do Brasil*, ainda que de pais estrangeiros, desde que estes não estejam a serviço de seu país (ius soli)**; os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira, sejam natos ou naturalizados, desde que qualquer deles esteja a serviço da República Federativa do Brasil*** (ius sanguinis + critério funcional); os nascidos no estrangeiro, de pai brasileiro ou mãe brasileira (natos ou naturalizados), desde que sejam registrados em repartição brasileira competente ou venham a residir na República Federativa do Brasil e optem, em qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade brasileira (ius sanguinis + critério residencial + opção confirmativa****). *território nacional - terras delimitadas pelas fronteiras geográficas, com rios, lagos, baías, golfos, ilhas, bem como o espaço aéreo e o mar territorial; os navios e as aeronaves de guerra brasileiros, onde quer que se encontrem; os navios mercantes brasileiros em alto mar ou de passagem em mar territorial estrangeiro; as aeronaves civis brasileiras em vôo sobre o alto mar ou de passagem sobre águas territoriais ou espaços aéreos estrangeiros.

não pela ocorrência de um fato natural.os nascidos no estrangeiro. exercício de profissão ou posse de bens suficientes à manutenção própria e da família. II. há necessidade de requerimento à Justiça Eleitoral e permanência. II.abrange serviço diplomático. Não existe direito público subjetivo à obtenção de naturalização.envolve a conjugação de dois requisitos: ambos os pais estrangeiros + um dos pais. ****opção = declaração unilateral de vontade de conservar a nacionalidade brasileira primária. a. (2) se for estrangeiro originário de países de língua portuguesa. Obs. de 2007. pela redação do texto constitucional. a serviço do seu país de origem (não serviço particular nem para terceiro país). que se configura ato de soberania. a. bom procedimento. fundação pública) da União. de pai brasileiro ou mãe brasileira. e 116. seja ele um apátrida ou heimatlos). mas para o exercício de direitos políticos. ***critério funcional . ler e escrever em português. Os requisitos a serem preenchidos variam: (1) se for estrangeiro não originário de países de língua portuguesa (art. pronúncia ou condenação no Brasil ou no exterior por crime doloso a que seja cominada pena mínima de prisão. de cinco anos de residência no país. 22. e 109. no mínimo. ausência de condenação penal e requerimento do interessado (é o único caso em que. do Estatuto do .2) extraordinária. no mínimo. a qual foi restabelecida pela EC nº 54. de 1994. sem perder sua nacionalidade portuguesa*). A Emenda Constitucional de Revisão nº 3. A naturalização extraordinária envolve a aquisição da nacionalidade pelo estrangeiro que preencha os seguintes requisitos: residência fixa no país há mais de quinze anos ininterruptos (antes era 30). X.arts.1) ordinária e (b. desde que fossem registrados em repartição brasileira competente (embaixada ou consulado) -. existe direito subjetivo daquele que cumpriu as exigências constitucionais. suprimiu a hipótese tradicional de aquisição de nacionalidade originária . abstratamente considerada superior a um ano). serviço consular. 12.**exceção à aplicação do critério territorial . salvo a de 1988. pode lhe ser reconhecidos os mesmos direitos inerentes ao brasileiro naturalizado. inexistência de denúncia. XIII e XV. dá-se com a fixação da residência (cujos efeitos ficam suspensos até a opção). sociedade de economia mista. subsistem com fundamento no artigo 12. 112 da Lei nº 6. que constavam na Constituição de 67/69 e. mas por um ato voluntário (seja ele um estrangeiro. não havendo qq referência à lei). e (3) se for português residente no Brasil (se houver reciprocidade. § 2º. serviço público de outra natureza prestado aos órgãos da administração centralizada ou descentralizada (autarquias. empresa pública. dos Municípios ou do Distrito Federal. sendo a opção uma condição confirmativa e não formativa da nacionalidade (Justiça Federal). pois a aquisição. da CRFB).815 exige capacidade civil sg lei brasileira. porém com uma formalização final de caráter jurisdicional (arts. dos Estados. primeira parte (na forma da lei) . A naturalização ordinária envolve um procedimento que tramita perante o Ministério da Justiça até a decisão final do Presidente da República. Hipótese de aquisição não originária: brasileiro naturalizado é aquele que adquire a nacionalidade brasileira de forma secundária. 115. boa conduta e boa saúde. I e II. *O Ministério da Justiça é o órgão com atribuição para o reconhecimento da igualdade de direitos e deveres entre os portugueses equiparados e os brasileiros naturalizados. embora não reproduzidas expressamente na Constituição de 88. deve estar no território brasileiro. Alguns autores sustentam a existência de outras duas hipóteses de naturalização. A naturalização pode ser: (a) tácita (prevista nas Constituições de 1891 e seguintes. ser registrado como permanente no Brasil (visto permanente). residência contínua pelo prazo de quatro anos. ou (b) expressa (pq depende de requerimento). exceto o português residente no Brasil (exige-se residência por um ano ininterrupto e idoneidade moral). apesar de provisória. a qual se subdivide em: (b. que a suprimiu).

que hajam sido admitidos no Brasil durante os primeiros cinco anos de vida. 89. o Ministro das Relações Exteriores (art. por suas posições estratégicas nos negócios do Estado – não. oficiais das Forças Armadas e Ministro da Defesa. (b. Só existem quatro exceções: cargos (art. LI). extradição (art. e (b) conclusão de curso superior (os nascidos no estrangeiro que. (b) adquirir outra nacionalidade. como condição para permanência em seu território ou exercício de direito civis. Tratamento diferenciado: a Constituição não estabelece distinção entre brasileiros natos e naturalizados. função (arts. e (c) quando adquirida com fraude à lei. radicados definitivamente no território nacional. em virtude de atividade nociva ao interesse nacional (ação de cancelamento de naturalização). até dois anos após atingir a maioridade).o constituinte fixou dois critérios para a definição dos cargos privativos de brasileiros natos: a linha sucessória (arts. propriedade de empresa jornalística e de radiodifusão sonora e de sons e imagens (art. em virtude do princípio da igualdade.1) de reconhecimento de nacionalidade originária pela lei estrangeira.Estrangeiro: (a) radicação precoce (os nascidos no estrangeiro. de modo inequívoco. façam curso superior em estabelecimento nacional e requeiram a nacionalidade até um ano depois da formatura). 5º. Cargos . por sentença judicial. . vindo residir no país antes de atingida a maioridade. 87)) Perda da nacionalidade: (a) tiver cancelada sua naturalização. 79 e 80) e a segurança nacional (diplomas. 222). 12. salvo nos casos: (b.2) de imposição de naturalização pela norma estrangeira ao brasileiro residente em Estado estrangeiro. e 90). porém. desde que manifestem a intenção de adquirir a nacionalidade brasileira. VII. § 3º).