P. 1
Engenheiros Do Sec XIX e Ecletistas - Historia Da Arquitetura e Urbanismo II

Engenheiros Do Sec XIX e Ecletistas - Historia Da Arquitetura e Urbanismo II

|Views: 94|Likes:
Published by Willami Borges
fala sobre a historia da arquitetura da engenharia e arquitetura
fala sobre a historia da arquitetura da engenharia e arquitetura

More info:

Published by: Willami Borges on Sep 11, 2012
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/29/2014

pdf

text

original

- Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX

-

André Bersot Higuti 15115-7

1

Arquitetura e Urbanismo 4B

- Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX -

Introdução
Falaremos sobre a Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX. O século XIX, que foi o período entre 1801 a 1900 foi marcado pelo avanço da arquitetura que seguia por dois pontos distintos: de um lado, arquitetos que buscavam inspiração nos estilos de arquitetura do passado, combinando diferentes estilos históricos em uma única obra, que ficou conhecido como
Arquitetura de Estilo (Ecletismo), e por outro lado, as grandes Obras Arquitetônicas e de Engenharia que eram realizadas com os novos materiais: O

ferro, o vidro e o concreto armado, que surgiram com a revolução industrial.

Ecletismo
Por volta de 1840, na França, em reação ao predominante estilo grecoromano os arquitetos começaram a propor em suas obras, a retomada de outros estilos históricos, como por exemplo, o Gótico e o Romântico. A figura principal do ecletismo foi o francês César Denis Daly (1181-1893), que entendia o movimento eclético como “o uso livre do passado”. Não se tratando de uma atitude de simples cópia, mas da capacidade e habilidade do arquiteto em recompor e combinar as características mais importantes destes estilos à arquitetura da época. Este estilo foi logo adotado pela burguesia, já que atendia aos seus desejos e necessidades - modernidade, progresso, conforto, melhoria no padrão de vida. Graças às exigências da classe burguesa, a arquitetura residencial evoluiu na parte técnica com a planta, e principalmente as instalações sanitárias recebem mais atenção. Os equipamentos e serviços urbanos como hotéis de maior porte, grandes lojas, escritórios, bolsas de valores, bancos, teatros, sedes de governos, repartições públicas foram construções privilegiadas pelo novo estilo, que se tornou um grande modismo. A arquitetura passava a ser, naquele momento, um instrumento de demonstração de poder de uma classe social. Para atender a tantas aspirações e exigências para a satisfação das necessidades da classe burguesa, o ecletismo adotou os mais variados elementos decorativos, sem preconceitos de épocas e de culturas. Foram utilizados: florões, ordens gregas, talantes, máscaras, folhas de acanto, cartelas, rosáceas e capitéis variados, chegando a combinações únicas.

Progressos da Engenharia e Arquitetura
A produção industrial de ferro na Grã-Bretanha deu origem ao progresso na arquitetura do século XIX. A primeira obra com a utilização do ferro foi no ano de 1777, com a construção da ponte sobre o rio Savern, em Coalbrookdale, por Abraham Darby III, descente direto de Abraham Darby. Não demorou muito e o ferro passou a ser empregado em obras

André Bersot Higuti 15115-7

2

Arquitetura e Urbanismo 4B

Doenças e pestes se proliferaram entre a população mais pobre. Novas tecnologias eram colocadas à disposição de construtores e arquitetos. Brasil Durante a segunda metade do século XIX. Nesse período houve a mudança da forma de governo. Com o surgimento cada vez maior de indústrias.. que tiveram suas construções influenciadas pela arquitetura inglesa. as cidades que possuíam um modelo medieval de concepção “arquitetônica”. com o uso do ferro como estrutura de uma edificação. na Inglaterra. As peças metálicas usadas na estrutura e no acabamento são de grande importância e. como coberturas de galpões. Diversos problemas como a falta de saneamento básico. assim. Com o crescimento industrial. grande parte dessa população continuavam sem emprego fazendo crescer a taxa de desemprego do país. inicialmente com propósitos meramente utilitários. porém com o surgimento de maquinas que facilitavam o trabalho manual. Contexto Histórico Europa No século XVIII. Um caso à parte na arquitetura do século XIX foram as estações ferroviárias. etc. e depois com fins mais ambiciosos. As peças metálicas podem ser observadas em gradis. começava a união entre indústria e arte. não estavam suportando o inchaço populacional oriundo da migração populacional com o intuito da busca de emprego e melhoria de vida. moradia digna e alimentação cresceram. a sociedade brasileira passava por mudanças fundamentais nos campos políticos. Às singelas estações são formas simplificadas e adaptadas das estações ferroviárias inglesas. A revolução industrial proporcionou grandes avanços à arquitetura. sacadas. já que o transporte ferroviário brasileiro no século XIX estava nas mãos das companhias inglesas. sociais e na forma de viver e entender a nova realidade. iniciava-se o processo da Revolução Industrial. foi feita a Constituição e a substituição do trabalho escravo pelo trabalhador André Bersot Higuti 15115-7 3 Arquitetura e Urbanismo 4B .Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - arquitetônicas. Onde as maquinas ganhavam cada vez mais força e a produção de produtos em série revolucionaram as cidades da época. a população mais pobre migrava para as cidades industriais com a finalidade da busca por emprego.

1898) Arquiteto francês (6/11/1825-3/8/1898). Por conta da jornada de trabalho ser extremamente abusiva. Também como. o crescimento das pequenas províncias a pólos atrativos para a população do país.. de transporte urbano e gás. Entre 1850 e 1860. por meio de paralisações. companhias de navegação. bancos. Principais Características Ecletismo Charles Garnier (1825 . Teatro Ópera de Paris André Bersot Higuti 15115-7 4 Arquitetura e Urbanismo 4B . Jean-Louis Charles Garnier nasce na capital francesa e ingressa na Escola de Belas-Artes em 1842. influencia o desenho arquitetônico de sua época. ao longo dos anos. por meio de revistas e jornais em circulação. a busca por melhores condições de trabalho. mais confortável e condições de proporcionar aos seus filhos o estudo em escolas e faculdades. Os Grandes fazendeiros migravam para São Paulo e Rio de Janeiro em busca de uma vida melhor. surgiram às primeiras grandes greves. empresas de mineração. onde o Operariado. As cidades cresciam com a chegada das primeiras indústrias. foram inauguradas cerca de 70 fabricas que produziam artigos que até então vinham do exterior. Este processo de industrialização proporcionou. Responsável pelo projeto da Ópera de Paris. e a mão-de-obra infantil e feminina que eram usadas de maneira indiscriminada. companhias de seguro e estradas de ferro foram construídas. Foram criados também. Alem das indústrias. o acesso à informação. e de outras obras de estilo neobarroco.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - assalariado. podia chegar a 16 horas.

Theatro Municipal do Rio de Janeiro Tommazio Bezzi Em São Paulo.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Francisco de Oliveira Passos O Theatro Municipal. o ecletismo classicizante paulista assume traços peculiares de influência italiana e mais diversidade de modelos e estilos históricos. André Bersot Higuti 15115-7 5 Arquitetura e Urbanismo 4B . entre 1903 e 1909. projetado pelo arquiteto italiano Tommazio Bezzi e construído entre 1882 e 1885. Theatro Municipal do Rio de Janeiro Em comparação ao estilo desenvolvido no Rio.. é claramente inspirado no Ópera de Paris e aparece como o maior símbolo do ecletismo no Brasil. o primeiro monumento marcante do novo movimento arquitetônico é o Museu Paulista (conhecido como Museu do Ipiranga). projetado por Francisco de Oliveira Passos e edificado na avenida Central.

de poder e cultura erudita de ares europeus que inundava o gosto da elite. onde como em um crescente.. tornouse professor.1928) Sua carreira profissional teve.1900). André Bersot Higuti 15115-7 6 Arquitetura e Urbanismo 4B . assim. realizada em 1777 por Abraham Darby III. atual sede da Pinacoteca do Estado de São Paulo Pesp (1897 . depois vice-diretor e. dois veios que se complementavam: o de engenheiro e o de docente da Escola Politécnica de São Paulo.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Ramos de Azevedo (1851 . diretor. cujos empreendimentos urbanísticos e empresariais aumentavam através do rendimento da produção cafeeira e do constante fortalecimento de um Estado que se tornava rico em termos econômicos. Arquitetura e Engenharia de Ferro Abraham Darby III Primeira obra de engenharia de ferro: a ponte sobre o rio Severn. Dedicado tanto a área acadêmica. Liceu de Artes e Ofícios. quanto às construções que tomavam parte do então do atual modelo de reformas da capital paulistana. por fim.

a vedação vertical do palácio foi feita com placas de vidro que não desempenhavam qualquer tipo de função estrutural ou suporte. seriam de ferro fundido e as paredes de vidro. em 1851.. O travamento da estrutura. Henri Labrouste (1868-1878) André Bersot Higuti 15115-7 7 Arquitetura e Urbanismo 4B . A construção do Palácio de Cristal ficou concluída em apenas 12 meses. Logo. Os princípios estabelecidos por Paxton no seu projeto revelaram-se verdadeiramente revolucionários. necessário devido à sua altura. Os pilares. pilares e vigas.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Joseph Paxton Joseph Paxton. realizou o projeto do Palácio de Cristal. assim como as vigas. em Londres. apenas de vedação. era feito através de barras colocadas em forma de "X“. as vigas seriam na estrutura as nervuras das folhas nas regiões em que se encontram praticamente paralelas. baseando-se na estrutura de uma Vitória-Régia. Após a colocação da estrutura básica. Palácio de Cristal de Londres.

O monumento foi construído por Gustave Eiffel para ser exposto temporariamente na Feira Mundial. tornou-se um dos monumentos mais famosos do mundo.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX Salão da Biblioteca Biblioteca Nacional de Paris Gustave Eiffel A Torre Eiffel. Quase foi destruída em 1909. Fazes da construção -Torre Eiffel Jules Saulnier André Bersot Higuti 15115-7 8 Arquitetura e Urbanismo 4B . um emblema da modernidade francesa. erguida em 1889 para as celebrações do centenário da revolução francesa. mas também uma das mais populares obras arquitetônicas do mundo ocidental. Torre Eiffel Sua estrutura não é apenas um ponto de referência reconhecido no mundo inteiro. realizada naquele ano na capital francesa. e só foi salva por ter sido descoberto seu uso para transmissão de sinais de rádio. Desde então..

Devido a arquitetura original do edifício de Chicago é considerado o primeiro arranhacéu do mundo. pisos e coberturas. que estão em alta até os dias atuais. e demolido em 1931 para dar lugar ao Edifício Campo. E.A. em relação às melhorias que cada movimento trouxe a arquitetura da época e também. Foi o primeiro edifício a der construído com a utilização de aço estrutural. Cada um trouxe benefícios ao desenvolvimento da forma de construção ao projeto e elaboração. A inovação veio com a utilização do ferro e do concreto armado como estrutura das edificações.U. Acredito que ambos os movimentos contribuíram para a arquitetura como um todo. As mudanças surgiram também na parte técnica das residências com a planta. construído em 1884 em Chicago.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX Fábrica de chocolate Meunier. dois andares foram construídos. gerando conforto e melhoria no padrão de vida de todos. Home Insurance Building (1885) Relevância para a História da Arquitetura O desenvolvimento da arquitetura no século XIX foi de grande importância.. Isso possibilitou a construção de edifícios mais altos do que os que já haviam sido construídos. O surgimento de novos materiais. Ele tinha 10 andares e a uma altura de 42 m. Em 1890. como o ferro. sem sombra de dúvidas foi um marco na evolução da engenharia e arquitetura. gerando influencias nas gerações posteriores. gerando assim projetos mais arrojados com desenhos diferenciados. e pela facilidade de uso. Principalmente as instalações sanitárias. André Bersot Higuti 15115-7 9 Arquitetura e Urbanismo 4B . que neste século receberam mais atenção. sustentando lajes. em Noisiel-sur-Marne (1871-1872) William le Baron Jenney O Home Insurance Building. Pela resistência e praticidade que esses materiais oferecem. Illinois. o vidro e o concreto armado.

em 1890. A técnica empregada foi basicamente a da alvenaria de tijolos cerâmicos. às margens do rio Ipiranga. imperadores e barões paulistas do café. a partir do final do século XIX. em toda transformação arquitetônica de São Paul. uma novidade para a época (a cidade ainda estava acostumada a construir com taipa de pilão). André Bersot Higuti 15115-7 10 Arquitetura e Urbanismo 4B . Em 1909. Como não existiam trabalhadores familiarizados com a execução de ornatos. Conta com um acervo de mais de 125 mil peças. O Edificio O edifício tem 123 metros de comprimento e 16 metros de profundidade com uma profusão de elementos decorativos e ornamentais. meses após o acontecimento. foi baseado no de um palácio renascentista. Para a construção do monumento foi contratado como arquiteto o engenheiro italiano Tommaso Gaudenzio Bezzi. a mão-de-obra contratada era toda italiana. muito rico em ornamentos e decorações.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - ANÁLISE DE OBRAS MUSEU IPIRANGA História Surgiu a idéia de erguer um monumento em homenagem a independência do Brasil no local da proclamação. Foi adotado como estilo arquitetônico. o paisagista belga Arsênio Puttemans executou os jardins ao redor do edifício. trajes e utensílios que pertenceram a figuras da história brasileira como bandeirantes. o modelo de palácio renascentista. por falta de verbas e de entendimentos quanto ao tipo que seria criado. entre mobiliários. de uma forma mais simplificada. Este desenho de jardim foi substituído. eclético. O estilo arquitetônico. As obras encerraram-se em 15 de novembro de 1890. Cinco anos mais tarde. No entanto. que há muito tempo estava em alta na Europa e viria marcar época. somente após 68 anos de proclamação que a idéia foi concretizada com a inauguração de um monumento. Tommaso Bezzi utilizou. o eclético.. no primeiro aniversário da República. Atualmente o museu é um dos ícones da cidade e sua importância é marcada tanto pela imponência do prédio e de suas instalações quanto pela grande parte da história do Brasil que ele abrange. foi criado o Museu de Ciências Naturais. que se transformou no Museu Paulista.

Casa do Grito e Parque da Independência. IPHAN. pelo paisagismo do alemão Reinaldo Dierberger. CONPRESP ---CONDEPHAAT Parque da Independência.. até os dias atuais. CONDEPHAAT e pelo CONPRESP. em sua maior parte. desenho que se mantém.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - provavelmente na década de 1920. IPHAN Museu Paulista. Monumento à Independência. O Arquiteto Tommaso Gaudenzio Bezzi nasceu em Turim em 1844 e nessa cidade formou-se engenheiro-arquiteto. André Bersot Higuti 15115-7 11 Arquitetura e Urbanismo 4B . Pratimônio Brasileiro O Museu do Ipiranga é tombado pelos três níveis.

.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Imagens Desenho s/ autor e s/data Estudo de Projeto Loteamento de terrenos André Bersot Higuti 15115-7 12 Arquitetura e Urbanismo 4B .

Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Estudo de terraplanagem Planta 1 pavimento André Bersot Higuti 15115-7 13 Arquitetura e Urbanismo 4B ..

Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Planta 2 pavimento Museu Paulista ..hoje André Bersot Higuti 15115-7 14 Arquitetura e Urbanismo 4B .

Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Escadaria Jardin André Bersot Higuti 15115-7 15 Arquitetura e Urbanismo 4B ..

pseudônimo do arquiteto francês Albert Guilbert. e o Isadora. que tinha capacidade para 1. o prédio começou a ser erguido. O teatro é um dos símbolos do projeto republicano para a então capital do Brasil. com a colocação da primeira das 1.739 espectadores. sobre a verdadeira autoria do projeto “Áquila”. nomeado pelo presidente Rodrigues Alves. Rio Branco) criada com referenciais aos boulevares parisienses e rodeada por magníficos exemplares de arquitetura eclética. vice-presidente da Associação dos Arquitetos Franceses. em março de 1904. a cidade do Rio de Janeiro. Como decisão final resolveu-se pela fusão dos dois projetos. lançou um concurso para a apresentação de projetos para a construção do Teatro Municipal. que teve o revezamento de 280 operários em dois turnos de trabalho – no dia 14 de julho de 1909 foi inaugurado pelo presidente Nilo Peçanha o Teatro Municipal do Rio de Janeiro. foram recebidos sete projetos. Também foram recrutados artesãos europeus para fazer vitrais e mosaicos. André Bersot Higuti 15115-7 16 Arquitetura e Urbanismo 4B . quatro anos e meio mais tarde.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - TEATRO MUNICIAL DO RIO DE JANEIRO História Construído no começo do século XX. o prefeito Pereira Passos. construindo. em 2 de janeiro de 1905. pelo fato de ser filho do prefeito. Os dois primeiros colocados ficaram empatados: o Áquila. é um dos mais belos e importantes teatros do país. Ao termino do prazo do concurso. Feitas as alterações no projeto. em 15 de outubro de 1903. O resultado deste concurso foi motivo para uma longa polêmica na Câmara Municipal. em tempo recorde para uma obra na época. Para decorar o edifício foram chamados os mais importantes pintores e escultores da época. Na época. o prefeito Francisco Pereira Passos promoveu uma grande modernização do centro do Rio de Janeiro. pois ambos correspondiam com uma mesma tipologia. Finalmente. que se dizia feito pela seção de arquitetura da Prefeitura. pseudônimo do engenheiro Francisco de Oliveira Passos. acompanhada pelos principais jornais da época. e do suposto favoritismo de Oliveira Passos. a Avenida Central (hoje Av. trouxe a tona a idéia e. a partir de 1903.. Então em 1903.180 estacas de madeira de lei sobre as quais se assenta o edifício.

lustres de cristal. As esculturas em sua fachada são de autoria de Rodolfo Bernardelli. o Pano de Boca e o Plafond (teto sobre a platéia) foram elaborados por Eliseu Visconti.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - O Edificio Projetado por Francisco Oliveira Passos em estilo eclético. nas abóbadas e nas decorações parietais são obras de Henrique Bernardelli e Rodolfo Amoedo. tem a particularidade de ter uma decoração em estilo assírio. O Arquiteto Francisco Oliveira Passos Pratimônio Brasileiro O Teatro Municipal é tombado pelos níveis. As pinturas em suas rotundas. no subsolo do teatro. de Charles Garnier. INEPAC -IPHAN -- André Bersot Higuti 15115-7 17 Arquitetura e Urbanismo 4B .. O restaurante Assirius. mosaicos. inspirado na Ópera de Paris (1875). colunatas e escadarias de mármore. INEPAC e pelo IPHAN. vitrais. O foyer (Salão Nobre). o Teatro ostenta uma ornamentação requintada com bronzes dourados.

Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Imagens Construção Construção André Bersot Higuti 15115-7 18 Arquitetura e Urbanismo 4B ..

Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Avenida Central Plafond ..Teto André Bersot Higuti 15115-7 19 Arquitetura e Urbanismo 4B .

Foyer André Bersot Higuti 15115-7 20 Arquitetura e Urbanismo 4B .Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Plafond – Detalhe Salão Principal ..

.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Sala de Espetáculos Escadaria principal André Bersot Higuti 15115-7 21 Arquitetura e Urbanismo 4B .

Dia André Bersot Higuti 15115-7 22 Arquitetura e Urbanismo 4B .Noite Fachada ..Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Fachada .

htm http://www.iphan.asp http://www.br/M1R1.inepac.br/arqviol/PRODUCAO/UFF_outros/Grade.cfm?fuseaction=termos _texto&cd_verbete=357&cd_item=8&cd_idioma=28555 http://www.htm http://www.gov.org.br/institucional/inst211/inst211.rj.br/arquitextos/arq000/esp324.br/historia.asp?id_pagina=1345 http://www.br/destinosturisticos/hpg_pagina.Arquitetura dos Engenheiros do Século XIX - Fontes da Internet http://www.rj.gov.br/historia.unicamp.gov.com.br http://www.arq.vitruvius.franciscodeassis.arq.htm http://www.com/sp/o-que-visitar/pontos-turisticos/210-museu-doipiranga-paulista http://www.cidadedesaopaulo.uff.ingenium.br André Bersot Higuti 15115-7 23 Arquitetura e Urbanismo 4B .br/aplicexternas/enciclopedia_IC/index.descubraminas.html http://www.br/Enciclopedia/1.br/iel/memoria/Ensaios/LiteraturaInfantil/conthist.br// http://portal.itaucultural.asp Fontes da Internet FASE 2 http://www.br/arquitetura-13.htm http://www.usp.mundofisico.com.patricialanza.html http://www.theatromunicipal..vitruvius.com.joinville.asp http://www.mp.udesc.com.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->