7

1 INTRODUÇÃO Em meio a uma economia turbulenta, uma globalização que gera riquezas concentradas e diante de tamanha impotência do Estado, surgem propostas alternativas de gestão social. A desigualdade socio-econômica é um problema que afeta atualmente a maioria dos países, principalmente os menos desenvolvidos, tendo como causa a distribuição desigual de renda de um país. No Brasil a desigualdade social é considerada um problema histórico e ocupa a oitava posição do indíce de desigualdade social e econômica no mundo (http://pt.wikipedia.org). O surgimento de organizações não governamentais (ONGs), mais recentemente conhecidas como empresas do terceiro setor, tem o objetivo principal de gerar serviços de caráter público. As ONGs são organizações que não fazem parte do Estado, nem a ele estão vinculadas, mas que se revestem de caráter público, uma vez que se dedicam às causas e problemas sociais, ambientais, politicos, religiosos, culturais, enfim, parcelas da sociedade desassistidas pelo poder público, sem objetivar retorno financeiro. Um exemplo notório dessas organizações não-governamentais é a Evolução Clínica-Escola, que se tornou imprescindível na vida de mais de 70 famílias por ela assistidas. Preocupada com uma ação social transformadora e baseada em valores como solidariedade e confiança mútua, entidades como a Evolução Clínica-Escola não contam com um modelo de gestão adequado, uma vez que se defrontam no dia-a-dia com a escassez de recursos, tanto físicos como financeiros. A necessidade emergencial de parcerias que proporcionem a geração de renda e a sustentabilidade da organização reproduz um clima de incerteza diária comprometendo o cumprimento efetivo dos seus objetivos.

8

2 JUSTIVICATIVA DA ESCOLHA Nos últimos anos o modelo de exclusão e cronificação1 que antes era visto nos manicômios e imperava como forma de tratamento passou a ser contestado pela sociedade, levando a idealização e implementação de novas formas de tratamento para que a pessoa, portadora de transtornos de comportamento, pudesse exercer seu papel de cidadão, voltando assim, ao universo familiar e comunitário. Lancetti (2001), nos coloca que em alguns desses estabelecimentos, os familiares eram impedidos de ver o interno durante os primeiros dias até meses de internação. Para Silvia ET AL (2001), “a substituição do enclausuramento nos hospitais psiquiátricos pelo cuidado comunitário das pessoas que sofrem com transtornos mentais é a meta fundamental da organização de serviço de saúde”. Dentro desta reconstrução de paradigmas surge o papel da Evolução Escola-Clínica. Esta organização não governamental possibilita a inclusão social dos portadores de sofrimento psíquico à comunidade e à família, oferecendo uma equipe capacitada de profissionais para receber e lidar com esse público. Uma instituição imprescindível na comunidade em que atua - em novembro de 2000 obteve o reconhecimento como entidade de utilidade pública - mas, ao mesmo tempo, por ser uma organização não governamental, enfrenta diversas dificuldades, como serão citadas no decorrer deste trabalho. Essas dificuldades, frente aos seus pontos fortes e o potencial de amplitude de ação, despertaram o interesse da equipe e foram decisivos para a realização do Trabalho de Conclusão de Curso, com a elaboração de um Plano de Comunicação Integrada adequado e eficaz para a Escola-Clínica Evolução.

____________________________________________________ 1

Substantivo relativo a crônico, adjetivo que significa "que dura muito tempo, entranhado, persistente". (dicionário Aurélio). Segundo a psicóloga Vanda C. Pignataro Pereira, a cronificação pode ser interpretada como um resultado indesejável advindo de uma terapêutica seja como algo intrínseco à doença ou até como algo que vai além dela (quando o individuo torna-se objeto, ou seja, sem voz, vez, desejos, escolhas, direitos e deveres, gerando assim profundas relações de dependência com a instituição).

9

3 ANÁLISE DA SITUAÇÃO

As organizações voluntárias, independentes do estado e de caráter filantrópico, têm sua existência comprovada há vários séculos. Embora na sua feição moderna, somente após a II Guerra Mundial foram denominadas de organizações não governamentais (ONGs), na nomenclatura do sistema de representação das Nações Unidas, por possuírem relevância suficiente para justificar sua presença formal nos diversos órgãos internacionais, mesmo não sendo governamentais. A filosofia que permeia a ação destas organizações é o desejo humano de ajudar outras pessoas, sem que, necessariamente, se obtenha algo em troca. Tal concepção baseia-se no conceito de gestão social, o qual, segundo Tenório (1998), caracteriza-se por "um gerenciamento mais participativo, dialógico, no qual o processo decisório é exercido por meio de diferentes sujeitos social”. Ainda segundo Tenório (2003, p.11):

As ONGs caracterizam-se por serem organizações sem fins lucrativos, autônomas, isto é, sem vínculo com o governo, voltadas para o atendimento das necessidades de organizações de base popular, complementando a ação do Estado. Têm suas ações financiadas por agências de cooperação internacional, em função de projetos a serem desenvolvidos, e contam com o trabalho voluntário.

Conforme artigo de João Helder Diniz2, com origem ou sustentação no entorno da gestão social, a estrutura organizacional das ONGs foi construída tendo como referência as seguintes orientações institucionais originais:
a. As fortes orientações ideológicas, caracterizadas principalmente pelas concepções do

Welfare State (Estado de Bem Estar Social) que surgiram com a cooperação internacional, logo após a II Guerra Mundial;
b. As orientações religiosas, principalmente vinculadas à Igreja Católica e às Igrejas

Evangélicas;
c. As idéias desenvolvimentistas, baseadas no modelo de desenvolvimento preconizado

pela cooperação internacional;
d. O voluntariado, com a utilização de mão-de-obra não remunerada para execução das

atividades básicas da organização;
____________________________________________________

2

João Helder Diniz é Mestre em Administração de Empresas pela UFPE - Universidade Federal de Pernambuco e é gerente de Desenvolvimento Econômico da ONG Visão Mundial (World Vision), sendo responsável pela execução de programas de microfinanças urbano e rural, comércio justo, educação profissional e implantação de empresas comunitárias.

10

e. A informalidade da ação, onde não se dava importância para o planejamento prévio

das atividades, tampouco para a organização administrativa dos processos desenvolvidos;
f.A independência em relação ao Estado e ao mercado, ou seja, o distanciamento e

autonomia em relação à imposição governamental e principalmente à manipulação das empresas lucrativas;
g.

A igualdade e participação democrática na gestão dos processos administrativos,

com ampla participação dos stakeholders, doadores, militantes e funcionários, nos processos de tomada de decisão e execução dos programas; h. O caráter reivindicativo e denunciador, caracterizado por uma postura crítica e propositiva em relação às políticas públicas e à ação governamental. Portanto, as ONGS constituíram-se em organizações não funcionais e distintas, que não se adequavam aos modelos clássicos de organização e às teorias gerenciais, essencialmente desenvolvidos para organizações de caráter público ou privados. Na América Latina foi a partir da década de 70 que essa estratégia se firmou, mediante ações com base em políticas sociais de desenvolvimento comunitário e trabalhos de auto-ajuda, assistência e serviços nos campos de consumo, da educação de base, e da saúde. Um dos principais problemas que as ONGs enfrentavam era a falta de financiamento, bem como, uma indefinição no que tange a fixação de objetivos e metas. Na década de 80, as ONGs passaram a enfrentar desafios que superavam formas de gestão: Índices mais altos de inflação, democratização do governo, agravamento da pobreza, crescimento do setor informal da economia e principalmente o descrédito do Banco Mundial, desconfiado do destino dos recursos alocados em programas de desenvolvimento social. Estes tipos de problemas foram arrastados até a década de 90, quando as ONGs passaram ainda a enfrentar um aumento vertiginoso do Terceiro Setor, fragmentando as doações e diminuindo os financiamentos, que começaram a ser direcionados pelo Banco Mundial a regiões da África e Leste Europeu. Nas duas últimas décadas, uma onda de mudanças constantes e de transformações nas esferas política, social, econômica e cultural, ocorreu em todo o mundo, obrigando as ONGs a experimentarem sucessivos ajustes organizacionais na sua estrutura e prática de intervenção na sociedade. Tais ajustes organizacionais são entendidos como mudanças ocorridas na estrutura e no contexto organizacional das ONGs, as quais indicam uma tendência de reprodução das modernas práticas gerenciais próprias das empresas lucrativas.

11

Os ajustes organizacionais levam a uma transição ideológica das ONGs, do conceito de gestão social para o conceito de gestão estratégica. Esta transição tem provocado alterações conceituais nas orientações institucionais originais das ONGs, tornando-as mais funcionais dentro de uma lógica imposta principalmente pelas regras atuais do mercado. Em virtude dessa tendência, percebe-se a comunicação organizacional como grande aliado às ONGs. A comunicação pode, e deve ser utilizada no Terceiro Setor como forma de captação de recursos.

“Junto a investidores potenciais, a comunicação organizacional da ONG precisa identificar, inicialmente, que parceiros e patrocinadores poderiam expressar interesse em ter a marca da sua organização associada à causa social na qual atua a ONG” (FREIRE, 2003).

Não há dados precisos sobre o número de Organizações não governamentais na Bahia. De acordo com dados da ABONG (Associação Brasileira de Organizações não Governamentais), a Bahia conta com 25 organizações filiadas à entidade. Contudo, sabe-se que esse dado é irrisório, e não condiz com a realidade. 3.1 Terceiro Setor Apesar das ONGs terem chegado ao Brasil há mais de 20 anos, o termo Terceiro Setor é recente. Apenas na última década o termo ganhou força, sendo utilizado para caracterizar uma atuação não estatal que visa o interesse público, englobando associações com fins públicos, porém, de caráter privado. A designação “terceiro setor” engloba vários termos, entre eles: sociedade civil sem fins lucrativos, grupo, organização da sociedade civil, organização não governamental (ONG), setor de caridade, atividade filantrópica, centro, instituto, rede, liga, núcleo, lar, instituição, fraternidade, serviço. Com a aprovação do Código Civil, em vigor desde janeiro de 2002, ficou estabelecido que os nomes juridicamente corretos fossem associação e fundação, cada uma delas com características distintas. Poucos anos antes, em 1999, aprovou-se a Lei 9.790 – Organizações da Sociedade Civil de Interesse Pública, também conhecida como Lei do Terceiro Setor.

cada vez mais. Por outro lado. uma vez que a avaliação e o monitoramento dos projetos devem atingir diferentes públicos: empresas patrocinadoras. criada graças ao empenho e à experiência acumulada pelo conselho da comunidade solidária. A tendência é que. O aperfeiçoamento da comunicação é outro aspecto importante. entre outros aspectos. pela falta de apoio da mídia e de um marco legal satisfatório.790/99. quanto aos resultados das ações. De modo geral. Instituiu também a possibilidade dessas organizações celebrarem "termos de parceria" com o poder público para a execução de determinados projetos.12 3. começam a aparecer algumas diretrizes que tornarão as ONGs mais eficientes. sua participação na implementação de políticas públicas se vê ameaçada pela ausência de credibilidade de muitas entidades.2. no que diz respeito tanto aos aspectos contábeis. 3. os requisitos para que uma entidade sem fins lucrativos (associação ou fundação) possa receber do governo federal a qualificação de Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP).1 Profissionalização: Tendência e Avanços Pelo fato de desenvolver atividades tão heterogêneas e de se relacionar com públicos diversos. Outra questão que se coloca é a possibilidade de conflitos com a esfera estatal e com as empresas privadas. algumas tendências podem ser verificadas nos próximos anos. Parte significativa do trabalho das ONGs está direcionado às áreas onde o estado não está presente.2. em razão do crescimento da prestação de serviços por organizações sem fins lucrativos. sejam exigidos rigor e transparência na prestação de contas. . como será visto a seguir: 3. denominada marco legal do terceiro setor. governo e beneficiários.2 O Marco Legal: Tendência e Avanços No ano de 1999. programas e metas para superar as profundas desigualdades sociais. as perspectivas de crescimento para o terceiro setor tornaram-se evidentes. o terceiro setor tem enorme necessidade de profissionalização técnica e administrativa. cuja competitividade e eficiência só vêm aumentando.2 Tendências e Avanços do Terceiro Setor Diante da incapacidade do estado Brasileiro em propor estratégias. Apesar de oferecerem uma impressão caótica. foi publicada a lei 9. voluntários. Esta lei disciplina.

Todos visam assegurar isenção ou imunidades no pagamento de tributos ao poder público.13 OSCIP são ONGs que obtêm um certificado emitido pelo poder público federal após comprovar o cumprimento de certos requisitos.2. 3. e que atenda em áreas típicas do setor público. Apesar dos avanços. em especial o fórum econômico mundial. representantes de entidades e movimentos da sociedade civil de 131 países. a existência de normas de controle e prestação de contas e a possibilidade de realização de auditoria externa independente. com os "atestados de utilidade pública" e com os "certificados de fins filantrópicos". na Suíça. as leis que disciplinam. Uma das principais características do fórum social mundial é seu aspecto plural: no segundo encontro. cujo interesse social mereça ser financiado pelo Estado ou entidade privada. de Davos. . A grande novidade é que essa legislação delimita o perfil desejável para entidades do terceiro setor. fomentam e controlam a atuação das entidades do terceiro setor. o grande destaque tem sido o Fórum Social Mundial. que passa pela reforma da legislação atual. A Escola-Clínica Evolução já possui um estatuto próprio. de Porto Alegre. mas ainda não se enquadra como OSCIP. Um dos problemas é a superposição: a lei das OSCIP convive com as "leis de incentivos fiscais". apenas as Obras Sociais Irmã Dulce possui esta nomenclatura. o aperfeiçoamento das entidades (em especial no que diz respeito à melhoria de sua gestão). havia 35 mil participantes cadastrados como "ouvintes" e outros 15 mil "delegados". a institucionalização das redes de comunicação e o amadurecimento de propostas para políticas públicas alternativas. são ainda incipientes no Brasil. dentre os quais a ONG de origem francesa Attac e o líder Brasileiro do terceiro setor Oded Grajew. realizado em 2002. traz a possibilidade das ONGs participarem do planejamento de projetos de interesse público. pela própria novidade da matéria. Outras exigências são a prática de boa governança. Um deles é a criação de um Estatuto devidamente registrado.3 Articulação: Tendência e Avanços A tendência é o fortalecimento do papel articulador das instituições do terceiro setor. Ao indicar as atividades em que as entidades podem atuar. em âmbito nacional e internacional: a consolidação de uma agenda voltada para o social. gerando conflitos de interpretação. Em Salvador. O fórum é fruto de uma organização que reúne entidades e personalidades. Dos encontros globais. “seu marco legal”. proposto como alternativa aos encontros das potências econômicas. Há um trajeto a ser cumprido para o seu aperfeiçoamento.

Na prestação de serviços. Com freqüência. 3. pressão política sobre o Estado. Por fim. O terceiro setor pode e deve aumentar sua capacidade de exercer pressão sobre o poder instituído: na execução de determinadas ações. Trata-se de um processo de natureza política. A questão central é fazer a mediação entre a demanda social e a formulação de políticas públicas".INESPI. na implementação dos direitos da cidadania e na definição das prioridades orçamentárias.4 Interação com o Estado: Tendência e Avanços A interação do terceiro setor com o Estado se dá em três níveis principais: prestação de serviços. órgãos públicos contratam ONGs quando necessitam de um determinado gerenciamento social. Como observou Silvio Caccia Brava. Trata-se de uma tendência já em curso. por exemplo. as ONGs levam vantagem aos olhos da administração pública. 3.mesmo que tais ações sejam implantadas por ONGs.2.2. por exemplo. com sugestões e exemplos alternativos de ação. "A questão central das ONGs não é fazer atenção direta à pobreza. mananciais ou invasões. o terceiro setor tem a missão de criar soluções para as áreas desamparadas pelo Estado como. Têm um quadro técnico especializado em temas locais e custam menos. que se dá em a população adquirir consciência das obrigações devidas pelo Estado ao cidadão . na remoção de favelas de áreas degredadas. pois não visam o lucro no sentido empresarial. mantenedora do Instituto de Educação Especial e Pesquisa sobre Psicose Infanto-Juvenil . a Associação de Pais e Amigos de Crianças e Adolescentes com Distúrbios de Comportamento – Evolução. é provável que a principal dificuldade nas articulações futuras seja canalizar o anseio dos interessados em participação efetiva.14 Se estas são as tendências nas quais as instituições do terceiro setor têm obtido maior sucesso.5 Avaliação dos Resultados: Tendência e Avanços . e apoio.

15 O trabalho das ONGs tem avaliação consistente nas áreas em que há parceria com políticas públicas. têm sido feitas de modo disperso. É preciso. As grandes entidades.2. 3. Essas avaliações. Da mesma forma. questionar a gestão das ONGs no sentido de capacitá-las. sob pena de os recursos não serem mais canalizados. não sistematizado. portanto. Talvez seja este o principal desafio do terceiro setor nos próximos anos: combater o desperdício de recursos e a sobreposição de atividades. como a Fundação Abrinq e o Instituto Ayrton Senna.6 Riscos: Tendência e Avanços . também têm demonstrado maior preocupação em avaliar o impacto de seus projetos. porém. as agências internacionais exigem relatórios quanto aos resultados dos recursos aplicados.

quanto maior o nível de dependência financeira e das alianças estratégicas constituídas com o Estado e o mercado. a capacidade de pressão e mobilização social das ONGs. tendo na maioria das vezes que concordar com a agenda de trabalho imposta pelos financiadores. consequentemente. denunciadora e propositiva das ONGs. tal profissionalização representa apenas uma inserção. tornando-as responsabilidade apenas de um setor ou departamento da organização. os jargões administrativos das empresas privadas. menor será o caráter reivindicativo e denunciador. pragmatismo. excelência empresarial. fazendo com que as mesmas constituam-se meramente prestadoras de serviços ou intermediadoras na relação doadora e beneficiária. contudo. eficácia e efetividade).1 A Legislação . sem influência sobre o todo. A tendência predominante entre as ONGs é a setorização das ações de advocacy (defesa de direitos e cidadania). O aumento da dependência em relação aos recursos governamentais. Muitas vezes. Os valores originais das ONGs (altruísmo. as ONGs buscam fortalecer o sentido de missão institucional e a vivência dos valores organizacionais professados.1 Fatores Político Legais 4. eficiência. sem análise crítica. tem dado lugar a uma postura de negociação dos recursos necessários à sobrevivência organizacional. às fontes multilaterais e às empresas lucrativas. pode gerar nas ONGs a perda crescente de sua autonomia em relação ao Estado e ao mercado.1. 4 ANÁLISE DO MACROAMBIENTE 4. cedendo lugar à pressão pela profissionalização da sua estrutura e das ações desenvolvidas.) estão sendo progressivamente substituídos por valores de mercado (competição. Em contraponto. individualismo. ajuda mútua. de sua sobrevivência organizacional. nas modernas práticas administrativas sendo absorvidos. direito à livre expressão e organização. foco nos "clientes". inclusive. Assim. adquirindo um caráter mais de prestação de serviços ao estado e ao mercado. etc. A capacidade crítica.16 Progressivamente. sem. solidariedade. profissionalismo. como forma de garantir a preservação de sua identidade enquanto ONG e. de reivindicação e proposição de novos caminhos tem se enfraquecido. esta postura representar avanços significativos na prática social das ONGs.

Funcionários que participam como voluntários do terceiro setor são considerados indivíduos capazes de se dedicar a atividade sem cunho financeiro. sem espaço para altruísmo. e com muita dignidade têm prestado serviços à população menos assistida e vítimas da exclusão social. Filantropia se define por ser uma ação continuada de doar dinheiro ou outros bens a favor de instituições ou pessoas que desenvolvam atividades de grande mérito social. que assumem um compromisso que requer disciplina e responsabilidade. Neste artigo se inseriu uma nova Lei de número 10.790/99 ainda não atingiu tais objetivos. É a base de sobrevivência do Terceiro Setor. a lei 9.17 Apesar de ter sido criada para elaborar projetos. O Voluntariado têm sido considerado também um diferencial importante quando o assunto é empregabilidade. publicada no Diário Oficial da União em 19/02/1998. integrante de uma família com renda per capita inferior a ½ salário mínimo – preferencialmente egresso de unidades prisionais ou cumprindo medida socioeducativa – receba um auxílio financeiro de no . foi promulgada a Lei 9. Esta Lei considera que O serviço voluntário é uma atividade sem remuneração. Este artigo prevê que jovens entre 16 e 24 anos. Mesmo permeados por um sentimento de solidariedade social. A maior parte do quadro de profissionais das ONGs são preenchidas por voluntários. Para regulamentar tal situação. Porém muitas associações ultrapassaram todas as dificuldades. gerar recursos e mobilizar pessoas. muitas empresas do segundo setor recorrem a ações filantrópicas para consolidar uma imagem institucional positiva. que dispõe sobre as condições de exercício do trabalho voluntário.608/98. denominada de Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego para Jovens. diferenciando-se da acirrada concorrência. Através de ações concretas de cidadania. motivação e capacidade de interação social. além de ter qualidades destacadas como a disciplina. Em 22 de outubro de 2003 foi acrescentado a esta Lei o artigo 3º. no qual devem constar o objeto e as condições de seu exercício. Esta atividade somente pode ser exercida através da celebração do termo de adesão entre a entidade e o voluntário.748. muitas entidades começaram a ter problemas trabalhistas com a questão de vínculo empregatício. seja ela pública ou privada. uma vez que os voluntários muitas vezes cumpriam cargas horárias fixas e diárias de trabalho. prestada por pessoa física à uma entidade de fins não lucrativos.

dedica parte do seu tempo. como uma atividade espontânea e não remunerada. São basicamente normas de conduta para aqueles profissionais responsáveis pela captação de recurso dentro do Terceiro Setor. seja ela pública ou privada.790/99 que regulariza o Termo de Parceria que são as “Organizações da Sociedade Civil do Interesse Público”.608/98. como por exemplo. op. Esta entidade reúne pessoas ligadas à Captação de Recursos no Terceiro Setor. O candidato a beneficiário desta Lei precisa cumprir várias exigências.00. e muitas outras ações que eram pontos de conflito administrativo dentro das organizações. que fundamenta a ação dos voluntários.cit. Abraçar uma causa não pode ser visto como um meio para se atingir um objetivo. bem como a legislação vigente no país. são alguns exemplos de leis que norteiam as ações das organizações sem fins lucrativos. Outros exemplos de forças públicas que interferem nas ações de qualquer empresa. Existem instituições que fundamentam e regularizam algumas ações rotineiras destas instituições. O Código de Ética possuem capítulos que cobrem a legalidade. Estabelece princípios e valores como integridade. sem remuneração alguma a diversas atividades. respeito à informação e honestidade em relação à intenção do doador. Associação Brasileira de Captadores de Recursos. também defende a transparência nas informações. devido ao seu interesse pessoal e ao seu espírito cívico. a ABCR. taxas e regulamentações que podem viabilizar ou não os projetos traçados pela instituição. promove condutas éticas elevadas a serem seguidas por seus associados e para todos aqueles que se propõem a captar recursos no campo social. os direitos do doador. são os Códigos de Ética de cada profissional ligado a ela. de bem-estar social ou outros campos” (Centro de Voluntariado de São Paulo.13). sua principal ferramenta de ajuda às causas que abraçam. A Lei 9. é necessário realmente querer fazer a diferença. A Organização das Nações Unidas define o trabalho voluntário como: “O voluntário é o jovem ou o adulto que. sempre comprometida com o progresso das condições de sustentabilidade da organização. organizada ou não. Para isso ela desenvolveu um Código de Ética que disciplina a prática profissional. à confidencialidade e lealdade aos doadores. a remuneração. e a lei do Voluntariado 9. É a entidade que defende elevados padrões de ética e valores para uma atividade que pode e deve ser nobre. p. transparência. 4. Estas forças estão ligadas às leis.18 máximo R$ 150. mas esta é uma Lei ainda muito discutida pelas empresas do Terceiro Setor.2 Fatores Sócio-Culturais . ou para se ter absolvição de alguma ação malfadada.

e por isso enfrenta as dificuldades inerentes aos períodos de transição. 89% dos recursos do SUS para psiquiatria) e atende um número pequeno de pacientes. No Sudeste estão 42. Os portadores de transtorno mental. Mas ainda é uma abordagem nova. perigosas.1% da população. são mais de 338 mil ONGs e fundações em todo o país. No Nordeste estão 23. como uma maneira de captar recursos ilicitamente. segundo o levantamento. aponta para o crescimento no número de associações e fundações sem fins lucrativos. comportamental. Por outro lado mostra também a outra face da moeda desta mesma sociedade. uma associação de pais e amigos de portadores de distúrbio de comportamento. segundo o conselho Nacional de Saúde. Este modelo passou a ser contestado também por intensificar o sofrimento mental. esse crescimento mostra que a sociedade não espera mais soluções empresariais ou governamentais para os seus anseios e necessidades. ainda são excluídos socialmente. em terceiro lugar. .7% da população. No Centro-Oeste estão 6. No Norte estão 4. com isso levou a idealização de novas formas substitutivas ao regime manicomial.4% das entidades e 42. Vários questionamentos surgiram quanto ao tratamento dessas pessoas.6% dos brasileiros. divulgada no mês de agosto de 2008. ela os cria e luta pra mantê-los.19 Durante várias décadas o modelo hospitalocêntrico predominou como forma de tratamento aos portadores de transtorno mental.6% da população.7% das entidades e 14. Ou seja. Atualmente. estigmatizados como pessoas violentas. A distribuição dessas organizações tende a acompanhar a da população. No Sul. como é o caso das ONGs fraudulentas.4% das associações e 7.8% das organizações e 8% dos brasileiros. Os leitos hospitalares convencionais tendem a manter os pacientes internados por longos períodos (mais da metade dos leitos ficam ocupados por pessoas internadas há vários meses ou anos). encontram-se 22. e por isso participam pouco da oferta efetiva de serviços. o modelo hospitalocêntrico é também uma das causas do baixo acesso da população ao atendimento. é que surge a Escola Clinica Evolução. a perda do direito de cidadania e do convívio familiar. Uma pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além de ser pouco eficaz e de favorecer o isolamento e a segregação. que se utiliza da boa fé destas iniciativas. sem condições de reabilitação. porque concentra os recursos financeiros (ainda hoje.7% das instituições e 27. em parceria com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA). Neste contexto de novos modelos de instituições que supram de fato as necessidades dessas pessoas especiais juntamente com a família.

o trabalho voluntário não cabe mais da maneira que outrora por diversos fatores. psicologia. segundo o . Em cumprimento a Lei do Voluntariado a Evolução também recebe voluntários de Penas Judiciárias alternativas. dentre outros. mas não é uma rotina e nem por muito tempo. este item não compõe sequer a ficha de inscrição do aluno. e um deles é o alto índice de desemprego frente à demanda de subsistência pessoal.3 Fator Religioso Quando o assunto é religião. Como um desempregado poderá dedicar-se ao trabalho voluntário? Como organizações com responsabilidades tão sérias podem depender somente deste modelo filantrópico? Na Evolução Escola-Clínica existem mães de alunos que colaboram com algumas ações. segundo o FMI. é certo que nenhuma entidade enquadrada no Terceiro Setor pode impor suas convicções religiosas ao favorecido como um sistema de troca pela assistência recebida. que dita no inciso VII do artigo 5º: “(. Medido por paridade de poder de compra. 4.) Ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política.. Ângela Augusta Costa Vidigal. o papel das ONGs está sendo repensado. a Clínica Escola Evolução conta principalmente com o trabalho profissional e remunerado de uma equipe multidisciplinar”. mas ainda assim existe uma carência de voluntários pelo significado fiel a palavra. cantina e há também grupos de alunos de faculdade de pedagogia. como limpeza. entre outros motivos. afirmou que “É muito difícil manter alguém comprometido por muito tempo sem nenhum retorno financeiro. por isso. seu produto interno bruto ultrapassa 1. Angela Vidigal. uma vez que atitudes como esta vão contra a Constituição Brasileira. educação física. que executam trabalhos de estágio. A presidente da Instituição no ano de 2008. tornando-o a nona maior economia do mundo em 2007. fixada em lei.4 Fator Econômico O Brasil tem um mercado livre e uma economia exportadora. afirma que a instituição não mistura assunto de filantropia com religiosidade.” Reafirmando isso. econômico e político.20 Concomitante a esse crescimento vem o questionamento sobre o papel do voluntário.. No atual contexto social.8 trilhão de dólares. e a décima maior economia. E que apesar de uma maioria pertencer a uma determinada religião. salvo se as invocar para eximir-se de obrigação legal a todos imposta e recusar-se a cumprir prestação alternativa. 4.

jun. fazendo-a a segunda maior das Américas. Em uma outra pesquisa.. 2002) .realizada em 35 países.. especialista em terceiro setor formado pelas organizações privadas sem fins lucrativos que geram bens e serviços voltados à promoção sócio-econômica e cultural. Por outro lado se as Organizações do Terceiro Setor não conquistam a sustentabilidade elas correm o risco de trabalharem por sazonalidade econômica: a economia está bem. 2002)”. atrás apenas dos Estados Unidos da América (Database. E um dos objetivos da Escola Clinica Evolução é não depender de assistencialismo.o setor emprega 39. a comunicação passa a ter importância vital para o terceiro setor. e que em 2002 juntas chegaram a um investimento de R$ 4. que são: qualidade de produtos e serviços (80%). (Um sensível olhar sobre o terceiro setor. 2008).21 Banco Mundial.) As perpectivas para um futuro próximo são otimistas: 39% das empresas analisadas admitiram que pretendem ampliar seus investimentos sociais em breve. incluindo o Brasil . a partir do momento em que. O terceiro setor faz mais do que buscar atender às necessidades da sociedade que o governo e a iniciativa privada não conseguem. as empresas privadas estão aumentando seus investimentos e consequentemente seu envolvimento com o terceiro setor. o setor emprega 1. “(.. cada vez mais. 4.. Dentro desta tendência. mas em épocas de crise. as empresas dedicam verbas assistenciais.) mais da metade das empresas do Brasil (59%) realiza algum trabalho social.8% da população em idade de trabalhar. agrega valores corporativos ao que antes era percebido apenas como doação e profissionaliza suas ações. As organizações sem fins lucrativos já empregam 46% das vagas oferecidas pelo setor público no mundo. as pessoas estão empregadas logo podem doar. p. sobre a construção da imagem corporativa apontou os três maiores destaques. 2006. "O terceiro setor é um grande empregador. diz Lester Salamon.2 milhões de pessoas. catedrático da Universidade Johns Hopkins. renda e emprego. muito maior do que as pessoas imaginavam". a primeira verba a ser cortada é ao do assistencialismo.146). Segundo pesquisa do The Johns Hopkins Center for Civil Society Studies (Gazeta Mercantil.5 Fator Tecnológico . Nesse contexto. respeito ao cliente (74%) e ética (67%).5 milhões de pessoas ou cerca de 6. segundo o Instituto de Estudos da Religião (ISER). realizada pela InterScience. Ele é uma força econômica que gera. No Brasil. p.7 bilhões (Rits.(INTERSCIENCE. 2003. Dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – Ipea .32) apontam que (.

Tamanha é a dimensão da transformação que a tecnologia vem provocando em toda sociedade. Se. sendo algumas vezes pouco divulgada ou de difícil acesso ao usuário comum. e posteriormente as escritas. A tecnologia é tão importante para as organizações não-governamentais quanto para qualquer empresa na economia interligada de hoje. 97% das casas possuem aparelho de televisão. governo federal. um dia. especialmente no mundo organizacional. a televisão. física e sócio-econômica. garantia de maior liberdade social.7% contam com telefone fixo. eficientes e sustentáveis no atendimento àqueles que vivem à margem da vida moderna. o telefone. estão projetos e ações que facilitam o acesso de pessoas de baixa renda às Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC). as ONGs muitas vezes não têm os recursos e o conhecimento para acessar as tecnologias capazes de torná-las organizações mais eficazes. A tecnologia traz a democratização da informação e a inclusão digital. levar a informática às comunidades de baixa renda chegou a ser considerada uma ação supérflua. como a Internet.22 O aparecimento de uma nova tecnologia provoca numa sociedade mudanças profundas em todas as esferas – psíquica. Já as regiões Norte e Nordeste se encontram bem abaixo. Pesquisas atuais indicam que no Brasil. os satélites. com os telégrafos visuais. passando de 16. com 10% e 8. (UNESCO. diferentemente da maioria das empresas. No entanto. A evolução das tecnologias nada mais é que a evolução do pensar humano. artigo de luxo. o rádio. respectivamente. e 68% telefone celular. a eletricidade trazendo evoluções como o telégrafo.6% em 2005 para 19. revelando a evolução do pensamento humano. sendo o tempo e o espaço as dificuldades mais urgentes de serem vencidas. A inclusão digital volta-se também para o . bancos.5%. Foi assim com as civilizações orais. com 25% dos domicílios tendo acesso ao equipamento.6% em 2006. desde o Homo erectus ao Homo sapiens. Houve um aumento na presença de computadores nos domicílios. a difusão do livro e o surgimento dos jornais. dentre outras. 2008) Vivemos uma revolução silenciosa. aumenta hoje entre os brasileiros a compreensão de que é um meio para a promoção da melhoria da qualidade de vida. num esforço para criar formas de vencer obstáculos. mais de 90% têm rádio. enquanto 49. geração de conhecimento e troca de informações. Esse fenômeno pode ser observado ao longo de toda a história da humanidade. A internet pode ser um instrumento muito interessante para reunir e compartilhar informações relevantes ao meio social. As regiões Sul e Sudeste ficam acima da média nacional. Entre as estratégias da inclusão digital de grandes empresas. a invenção da imprensa. computadores e novas mídias.

A inclusão digital pode reduzir o ritmo da exclusão social e promover a integração das pessoas carentes na sociedade.htm é possível captar doações e esclarecer a sociedade sobre os projetos e pesquisas sobre os portadores de transtorno de comportamento. através dos profissionais e voluntários envolvidos. . A inclusão digital insere-se no movimento maior de inclusão social. Dessa forma. sua idoneidade e os resultados conquistados. e é desta imagem que depende a confiabilidade do público para com a empresa.evolucao. Mas essa divulgação ainda é sub-utilizada. e assim produzir e disseminar conhecimento. A Escola-Clínica Evolução por exemplo. reduzindo a injustiça social brasileira.23 desenvolvimento de tecnologias que ampliem a acessibilidade para usuários com deficiência física ou mental. Através do endereço eletrônico: http://www. bem como pode tornar uma pessoa com deficiência física total completamente autônoma. visto que no seu quadro de funcionários não há um profissional com domínio de ferramentas de tecnologia.org. 5 ANÁLISE DO MICROAMBIENTE A situação financeira de uma instituição é a principal responsável pela imagem que é projetada para a sociedade. a fim de se ter um melhor aproveitamento dos programas disponíveis. utiliza o web site como forma de divulgação do seu trabalho.br/index. a importância de um plano estratégico de ações que vise orientar e treinar os funcionários desta Instituição no manuseio dos equipamentos. um dos grandes objetivos compartilhados por diversos governos ao redor do mundo nas últimas décadas. Percebe-se então. toda a sociedade pode ter acesso a informações disponíveis na Internet. não só em suas atividades cotidianas como também no ambiente de trabalho. do mesmo modo que ninguém auxiliará uma ONG – com a doação de dinheiro ou de serviços – se não tiver uma boa impressão dos serviços por ela prestados. Uma boa imagem se inicia dentro da própria instituição. Um consumidor não comprará um produto que não conhece ou não confia. otimizando os dados e as informações do dia-a-dia da Evolução Escola-Clínica.

colegas de escola Empresas situadas próximas ao local de ou de trabalho dos beneficiários. haverá problemas na captação de recursos e no estabelecimento de parcerias duradouras.823/0001-91. voluntários e conselheiros.1 Apresentação da ONG Evolução Escola-Clínica Empresa: Associação de pais e amigos de crianças e adolescentes com distúrbios de comportamento – Evolução Escola–Clínica.22). 5. Segundo Eder Polizei “o microambiente refere-se aos influenciadores mais próximos da empresa/conceito e dos impactos mais imediatos no plano de maketing” (2005.184. haverá problemas com o trabalho social. Se as pessoas que são atendidas não estiverem satisfeitas. Desta forma entram em questão os facilitadores. que muitas vezes aparecem como parceiros. poderá boicotar seu trabalho. . doadores. • Beneficiários diretos. CNPJ Nº 15. etc. Outras organizações do terceiro setor que prestam • • • • • serviços complementares ao da sua ONG. abrigo. Os públicos-alvo ou stakeholders são os indivíduos diretamente ligados a instituição e que influenciam suas ações e o reflexo delas no ambiente externo. Governos locais. mas de pessoal qualificado.24 Uma ONG para sobreviver não necessita apenas de dinheiro. Empresas parceiras e seus funcionários. desenvolvimento das atividades e /ou próximas ao local de residência dos Funcionários. p. nº 500 – Imbuí – Salvador – BA. Doadores. assim como se a comunidade do entorno não estiver satisfeita. e principalmente. ou até mesmo voluntários. remédios. alimentação. Fornecedores e seus funcionários. familiares. Interna e externamente podemos pensar em vários grupos de pessoas que podem ser influenciados pelo trabalho de uma ONG: • • beneficiários. infra-estrutura. se os financiadores não estiverem satisfeitos. material didático. Rua Alberto Fiúza.

apenas 40% dos alunos atendidos possuem condições financeiras de arcar com esta mensalidade. no valor de R$ 600. filhos de funcionários . serviços de apoio e terapia familiar. a instituição obteve o reconhecimento como entidade de utilidade pública. a equipe busca sempre proporcionar aos seus alunos um ambiente acolhedor e harmonioso interligando atividades físicas. Ela estipula uma taxa mensal de contribuição. com idades entre 10 a 37 anos. A relação entre os profissionais da Evolução se dá de forma harmoniosa e respeitosa. Dentro de uma interdisciplinaridade. mantenedora do Instituto de Educação Especial e Pesquisa sobre Psicose Infanto-Juvenil – INESPI. As salas de aula são organizadas por faixa etária e de acordo com o desenvolvimento intelectual e motor de cada aluno. filhos de funcionários do Banco do Brasil. aproximadamente. 80 alunos.00 per capita (PLANSERV). com a presença do comportamento autista e outros transtornos invasivos do desenvolvimento. sem fins lucrativos. No contexto atual. fundada em 23 de julho de 1984. em meio período ou integral. a Evolução Escola-Clínica atende diferentes camadas sociais. pessoa jurídica de direito privado. Os outros 60% se dividem entre: alunos filhos de servidores públicos.00 para alunos de tempo integral.25 A associação de pais e amigos de crianças e adolescentes com distúrbios de comportamentos. contendo em cada classe uma média de 10 alunos. e desde então foca suas atividades no desenvolvimento de ações que visam à inclusão social dos portadores de necessidades especiais. é uma entidade civil. que através do convênio paga o valor mensal de R$ 135. educativas e de sociabilidade. assim como. onde a prefeitura paga o valor de R$ 32. Porém. oferecendo acompanhamento clínico e pedagógico. na cidade do Salvador. Evolução Escola-Clínica. A Evolução Escola-Clínica atua nas áreas de educação e saúde e está sediada no bairro do Imbuí. O motivo da criação da Escola-Clínica foi à necessidade e a preocupação de pais de crianças e adolescentes portadores de distúrbios severos de comportamentos em oferecer um suporte pedagógico e clínico aos seus filhos. A associação atende famílias com portadores de deficiência intelectual. a associação atende. políticos ou religiosos. Verbas Por ser uma associação filantrópica. regendo-se por um Estatuto.00 (CASSI). Em novembro de 2000.00 para alunos de meio turno e R$ 900.

a Ágata Esmeralda que envia aproximadamente R$ 100. psicóticos. As Obras Sociais Irmã Dulce (OSID) enviam grupos de crianças à Escola-Clínica Evolução e pagam um auxílio mensal. .00. pedagógicas e clínicas. além de contribuir com o desenvolvimento dos alunos.Desenvolver estudos e pesquisas sobre os portadores de distúrbios de comportamento.65. contabilizando um saldo (receita versus despesas) em torno de R$ -2. Muitas mães de alunos ajudam como voluntárias na limpeza e organização do espaço. doações em dinheiro através de conta bancária. socialização dos portadores de transtorno de comportamento.000. hipercinéticos e outros) extensivo a seus familiares. Contudo. pagam mensalmente um valor em torno de R$200. . Objetivo geral da instituição Disponibilizar um atendimento especializado e de qualidade aos portadores de transtorno de comportamento. A Escola-Clínica Evolução aceita. tratamento. orientação. .Despertar na população em geral o exercício de cidadania na sua relação com portadores de distúrbios de comportamento. Existe também uma parceria com uma organização não governamental (ONG) italiana. e por isso não conseguem contribuir com nenhum valor previamente fixado. correspondente pelo grupo de 6 crianças.00. o que vem a somar em meio a um trabalho mantenedor. treinamento assim como. A maioria dos alunos pertence a uma camada social menos favorecida.26 ativos e inativos da Petrobras que através do PAE (Plano de Assistência aos Excepcionais).Proporcionar precipuamente. com filial em Salvador. associando-se noções de conteúdos pedagógicos voltados para o mesmo fim.00 por criança de até 13 anos de idade. Objetivos específicos da instituição . recreativas.Defender os interesses de portadores de distúrbios de comportamento (autistas. . através do desenvolvimento de atividades funcionais. Apenas os recursos captados através de parcerias e patrocínios.000. Não existe verba para a comunicação.955. Apresenta um faturamento bruto anual em torno de R$ 366. essa conta só é divulgada em momentos esporádicos. ainda.00. em torno de R$ 1.

transparência. Missão Atender crianças e adolescentes com deficiências mentais graves. esportivo. valorização do indivíduo. educativo. Projetos institucionais A Evolução Escola-Clínica tem alguns projetos para melhorar o ambiente de seus alunos. Valores Respeito.Estimular a integração e a solidariedade entre os seus associados e familiares. orientando e estimulando para que possam viver de modo mais autônomo. Mas para executá-los ela precisa do apoio de empresas. profissionalismo. . integrando-os a família e a comunidade. Visão proposta Ser uma organização não governamental auto-sustentável. Os principais projetos são: • Construção de cobertura da quadra de esportes a fim de possibilitar o uso de um espaço Construção de uma piscina com dimensões maiores da já existente (20m comprimento coberto para atividades recreativas. cívico e cultural dos portadores de distúrbios de comportamento por todos meios lícitos e possíveis. respeitando suas individualidades. e referência na Bahia. . moral e cívica de crianças e adolescentes com deficiências mentais e distúrbios de comportamento. oferecendo tratamento clínico e pedagógico. eventos e festas do calendário cultural. parceria e ética. recreativo.Promover o desenvolvimento e aprimoramento moral. como uma instituição voltada para a educação. competência. artístico.27 . . de profissionais liberais e da comunidade. • por 10m de largura) possibilitando o uso da atividade de maior aceitação pelos alunos.Proporcionar condutas funcionais que possibilitem a inserção dos portadores de distúrbios de comportamento nos seguimentos das atividades sociais.

hidroginástica. a estatura e o grau de deficiência de cada um. Dificuldade na comunicação. É necessário que a família esteja integrada ao tratamento. Hidrobiofilia (atividade realizada na piscina que através de jogos e atividades lúdicas tem por objetivo estimular o domínio da linguagem corporal da criança). são ministrados pela equipe interdisciplinar. Terapias corporais e Ludoterapia (psicoterapia realizada através do lúdico. a Evolução Escola-Clínica oferece aos pais serviços como: terapia familiar. crônicas e que comprometem o desenvolvimento normal de uma criança. Iniciar o trabalho de inclusão informatizada. Assim. psicologia. por vezes. Serviços A Evolução Escola-Clínica oferece aos seus alunos serviços especializados no tratamento de transtornos neuropsiquiátricos. Psicoterapia. • • • Construção de mais duas salas para ampliação do número de atendidos. além de estimular a capacidade de raciocínio dos alunos. no entanto. Além desses serviços. entenda-o e acima de tudo.28 • Compra de uma máquina de prensar garrafas plásticas para ajudar na auto-sustentação Projeto horta e floricultura: ampliar o espaço reservado tanto para atividades da empresa realizando campanhas na comunidade. assistência social e cursos de artes. Psicomotricidade. consultorias para escolas e creches. da brincadeira. receba apoio para enfrentar com coragem a difícil tarefa que é ter uma criança especial em casa. precisa ser vista como algo que vai além do atendimento as crianças. Hidroterapia. A ação da Evolução. Fonoaudiologia. • Estratégias de Captação de Recursos. As aulas visam o desenvolvimento motor e psíquico. as turmas são divididas de acordo com a idade. que tem por objetivo facilitar a expressão da criança). Construção de um espaço próprio para o funcionamento de uma padaria. para facilitar o aprendizado. como autismo e hipercinesia: doenças graves. resistência ao contato físico e a afetividade são algumas características identificadas em crianças com autismo. . • ocupacionais e profissionalizantes dos alunos como também promover feiras e venda dos produtos na comunidade. nos relacionamentos sociais. palestras e cursos de capacitação. Tratamentos oferecidos: Psicopediatria. Assim. Observa-se que o material de construção já foi doado em fevereiro de 2009 pela empresa Ferreira Costa e o maquinário pelo programa Fome Zero. massagem corporal.

02 cozinhas. Uma casa paralela a escola onde as mães de alunos que muitas vezes ficavam ociosamente aguardando o término do horário escolar. área verde. 02 refeitórios. Somado a esta estrutura a Evolução mantêm um Clube de Mães. através de uma parceria com o SESC (Serviço Social do Comércio). agora recebem aulas de artesanato gratuitas. todas com banheiro próprio. brinquedoteca. Sua estrutura física é composta por treze salas. Tudo isso planejado de forma adequada às necessidades especiais dos alunos. a Escola-Clínica Evolução possui uma sede ampla. piscina.000 m2 de área total. Sala de aula Piscina Horta Funcionários . visando sempre o seu bem estar. com aproximadamente 10.29 Hidrobiofilia Psicomotricidade Fonoaudiologia Estrutura Para conseguir disponibilizar todos os serviços. horta. sendo 10 salas de aula e 03 consultórios. canteiro de flores ornamentais e mini zoológico.

Sua equipe técnica é formada pelo seguinte quadro: EQUIPE ESCOLA CLINICA EVOLUÇÃO – ANO 2009 Presidente Vice-presidente 1ª Secretária 2ª Secretária 1ª Tesoureira Conselho Fiscal Conselho Fiscal Conselho Fiscal Suplente Suplente Suplente Coordenador Técnico Assistente Social Professores de Educação Física Psicóloga Psiquiatra Coordenadora Pedagógica Recreadores Célia Santos Carvalho Evanil Santana Pinto Ana Lúcia Santos Pereira Maria Antonieta Santos da Silva Maria Angélica Mendonça Cunha José Carlos de Alcântara Pinto José Gonçalves de Carvalho Jaciara Cavalcante de Souza Cleonice Brito Pereira Mônica Cristiana Ferreira de Assis Luzia Costa de Araújo Jaciara Cavalcanti de Souza Geisa Andrade de Souza Cristiano Marcos de Souza Lima Leonardo Silva Pinheiro Ana Selma dos Santos Souza Márcia Andrade Pinho Marcya Gleyse Chianca de Brito Alice Martins Sena Daniela Antunes de Menezes Domingas Bispo de Jesus Enio da Silva Dias Francisco Carlos Fernandes Novaes Luciene Jesus de Souza Marcelo de Araújo Santos Machado Raimunda dos Santos Ana Lívia Silva de Jesus Ednalva Rodrigues Rocha Ednilson de Jesus Santos José Antônio Santos de Jesus Maria Antonia Soares da Silva Marinalva Farias dos Santos Continua Auxiliares de Serviços Gerais . porém respeitam suas individualidades. formada por profissionais com conhecimentos específicos para atender as crianças. trabalhando de forma única e integrada. psiquiatria. fonoaudiologia e educação física. a Escola-Clínica Evolução conta com uma equipe técnica multidisciplinar. Os funcionários da Evolução buscam na transdisciplinaridade. através de votação feita pelos pais dos alunos. Eles atuam nas áreas de pedagogia. uma interação máxima entre as disciplinas. psicologia. psicoterapia.30 Para dar suporte a toda estrutura oferecida. O quadro diretivo da instituição muda a cada dois anos.

) * (A. dentre as instituições integrantes da Rede Social.S. são avaliadas condições pessoais.) Motorista Juarez Costa de Oliveira (A.G. Os beneficiários atendidos passam por uma entrevista psicossocial onde é possibilitado um espaço para reflexão sobre o ato infracional cometido. que tem como objetivo dar suporte ao Poder Judiciário.Central de Apoio e Acompanhamento às Penas e Medidas Alternativas da Bahia.G. a mais adequada. São exemplo de universidades: • • • • • UNEB UCSAL UFBA UNITINS UNIJORGE EDUCAÇÃO FISICA PSICOLOGIA SERVIÇO SOCIAL FONOAUDIOLOGIA Também fazem parte do Programa de Voluntariado o CEAPA-BA .G. e são cadastrados como voluntários com ações determinadas e com supervisão de um membro da Escola. O CEAPA é um Projeto implantado pela Secretaria de Justiça e Direitos Humanos do Estado da Bahia em parceria com o Ministério da Justiça e o Conselho Arbitral da Bahia. sociais e habilidades para o cumprimento da pena ou medida.G.S.31 Sandra Maria Santana Santos Valdir Soares Campos Gerson de Jesus Lisboa Limpeza Anete Maria de Matos (Auxiliar de Serviços Gerais – A.G.) Auxiliar de Escritório Wellington Barbosa da Silva Rosineide Barbosa do Carmo Manutenção Simião Bispo da Silva (A.S. bem como. Auxiliar de serviços Gerais) Voluntários Grupos de Faculdade são recebidos freqüentemente pela instituição em caráter de estágio obrigatório para conclusão de curso.S. Fornecedores .) Porteiro Pedro de Jesus Lisboa (A. considerando o perfil do beneficiário e as demandas institucionais.G. A partir dessa avaliação é indicada.S.S. Ministério Público e Defensoria Pública na fiscalização e acompanhamento das penas e medidas alternativas.) Cozinheira Raimunda Maria Santana Santos (A.

localizada na Rua Rio Grande Sul. para alunos de 2 a 16 anos. passou a funcionar como o Centro de Formação e Acompanhamento Profissional (Cefap). capacitação para o trabalho e a inclusão social das pessoas com deficiência mental”. Nem mesmo a merenda escolar chegou à quantidade suficiente para abastecimento da Instituição. já que as organizações não concorrem para dominar o mercado. que tem como missão “Promover saúde. localizado na Av Jequitáia. o Laboratório de Análises Clínicas (Labac) e o Centro Médico (Cemed). RPG. Concorrência Direta Toda análise de mercado exige entre outras coisas uma identificação dos “concorrentes”. foram colocados o Centro Educacional Especializado (Ceduc). como era de costume. onde funcionam o Centro de Diagnóstico e Pesquisa (Cedip). A APAE divide suas atividades em duas unidades. preocupados com o atendimento as crianças com deficiência mental. Até mesmo a Secretaria de Educação. por um grupo de pais. A Escola-Clínica Evolução trabalha uma vertente própria que são as crianças portadoras do autismo e debilidade mental. Foi fundada em 3 de outubro de 1968.Água de Meninos. neste ano de 2009. 343 . O prédio da Jequitáia. a APAE conta também com mais três casas alugadas. mas trabalham juntas na solução dos problemas sociais existentes. não enviou material escolar. e que conseqüentemente são concorrentes quando o assunto é captação de recursos. A análise dos pontos fortes e fracos de cada uma das organizações congêneres é muito importante para evidenciar as nossas possibilidades de mercado. No terceiro setor é mais comum o termo “organizações congêneres”. sem fins lucrativos. Salvador.32 A Evolução Escola-Clínica não possui parceria com fornecedores. Hoje. a Administração. Terapia . neste campo atual as organizações congêneres são: • APAE A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais Salvador é uma instituição filantrópica.Salvador. o Centro de Estudos e Difusão de Tecnologia (Cedit). destinado aos aprendizes a partir dos 16 anos. 545 . Nas instalações da Pituba. Dentro do contexto baiano existem algumas ONGs que já possuem um reconhecimento público da sua imagem enquanto instituição sem fins lucrativos. a Central de Captação de Recursos e o anexo que abriga os serviços de Fisioterapia (Estimulação Precoce. educação.

entregue à AMA pelo presidente Fernando Henrique Cardoso. A AMA foi fundada em 1983.D. síndrome que se difere do autismo clássico por não apresentar retardo global no desenvolvimento cognitivo ou de linguagem. sendo o autismo ainda pouco conhecido.Decreto n. como o "Prêmio Bem Eficiente". uma área de lazer para os alunos do Ceduc. Existe uma unidade que atende aqui em Salvador na Rua Macedo Aguiar. por um grupo de pais de Autistas . A AMA Já realizou encontros regionais e nacionais.24/06/91).beneficente e sem fins lucrativos .06/11/86 e Federal . Na época da fundação da AMA. o objetivo da Instituição continua sendo o mesmo: atender a pessoa com deficiência mental com serviços de qualidade e o firme propósito de torná-lo cidadão. Através de campanhas na televisão foi possível esclarecer o real papel da ONG.189 . 23. da sociedade. no Brasil. Estadual Decreto n.também luta para manter-se financeiramente. Este espaço era cedido pelo pastor Manuel de Jesus Thé. Por sua natureza de pesquisa na área do autismo e por haver uma população carente para ser atendida. Ao longo de sua história a AMA conquistou reconhecimento como Instituição de utilidade pública (Utilidades Públicas: Municipal . Recebeu.U. • ABRE . 98 – Pituaçu. pai de César. a Instituição . da Unesco e Poder Executivo Federal (1998). respeitando seus direitos e deveres.33 Ocupacional e Psicologia). cursos e congressos e continua trazendo profissionais estrangeiros altamente qualificados que dão apoio técnico a todo o trabalho realizado pela Instituição. prêmios pelo trabalho realizado. • AMA Associação de Amigos do Autista. o Núcleo de Apoio às Mães do Ceduc e o Núcleo de Apoio às Mães do Cedip. que funcionava no quintal de uma igreja batista. Em 40 anos de trabalho. 26.103 .20/11/86.O. da Kanitz e Associados (1997 e 2005) e o "Prêmio Direitos Humanos". tornava-se muito difícil conseguir ajudas e arrecadar fundos. em São Paulo. A APAE atende a uma clientela formada pelos 700 alunos e aprendizes do Ceduc e do Cefap. portador de Síndrome de Asperger.e antes de completar um ano de fundação já tinha uma escola.

arte (projeto de Recuperação através da arte). jardinagem. cursos profissionalizantes (tecelagem. 5. grupos. etc. Concorrência Indireta Os concorrentes indiretos da Evolução Escola-Clínica são todas as organizações não governamentais. assistência social. que necessitem de doações e voluntariado para suas atividades. que tem como objetivo promover a formação de crianças. Brotas. associações. há mais de 20 anos.Projeto Águia Dourada: organização não-governamental. restauração artística de móveis e penteado étnico) e campanhas informativas (prevenção à deficiência e contra o abuso sexual). Isto não significa que as organizações passarão a definir sua atuação a partir de critérios estranhos à sua missão. Philip Kotler . . Mercado de atuação: São Paulo e Salvador. em situação de risco.2 PFOA Pontos Fortes . necessidades e desejos dos públicos que pretende atingir e concentrar-se em promover sua satisfação. trabalha. Mercado de atuação: Salvador.CIPÓ Comunicação Interativa: organização civil sem fins lucrativos.sustenta que as organizações sem fins lucrativos podem e devem utilizar-se dos conceitos de marketing para a realização de seus propósitos. esporte e recreação (capoeira. O conceito de concorrência é amplamente usado pelas empresas.. futebol. portadores de deficiência mental e/ou distúrbios de conduta através de: educação especial.34 (Associação Bahiana de Recuperação do Excepcional) localizada na Rua Frederico Costa 89/93. através do uso qualificado e criativo das tecnologias da informação e da comunicação. ou que desviem a atenção para o que não seja o papel. significa que uma organização sem fins lucrativos será bem sucedida se começar seu planejamento de marketing por compreender as percepções. na habilitação e reabilitação de crianças e adolescentes. terapias e tratamentos. Boca do Rio e adjacências. natação e patinação). Pelo contrário. Abaixo alguns exemplos: . sem fins lucrativos. cujo objetivo é desenvolver atividades educativas com crianças e jovens do bairro de Pituaçú. importância e serviço prestado por ela na comunidade e sociedade. Salvador por exemplo representa a capital do Nordeste com o maior número de ONGs. e embora não seja utilizado pelo Terceiro Setor. serigrafia. adolescentes e jovens de classes populares.

h) Falta de investimento em comunicação e informática. gerando mais um caminho para a divulgação e o apoio. g) Não sistematização do trabalho direcionado aos pais dos alunos. d) Recursos públicos disponíveis para ONGs. d) Tradição (ONG com mais de 20 anos de atuação). e) Estrutura física: sede própria e ampla. como a hidrobiofilia e a ludo terapia. e) Estrutura física sem manutenção. j) Não há parcerias sólidas. Ameaças . i) Ausência de um programa de captação de renda e auto-sustentabilidade. b) Crescimento do número de estudantes que buscam desenvolver seus trabalhos universitários em organizações não governamentais. c) Falta de profissionalização da estrutura de gestão. b) Ausência de programas educativos personalizados.000 m2 de área total. f) Pouco reconhecimento por parte da comunidade e sociedade.35 a) Variedade de profissionais com alto conhecimento técnico. c) Utilização de técnicas modernas no tratamento de distúrbios mentais. b) Equipe interdisciplinar. com aproximadamente 10. Pontos Fracos a) Falta de Recursos (saldo negativo na relação receita versus despesas). d) Inexistência de um planejamento estratégico. Oportunidades a) Incremento no número de empresas privadas que buscam apoiar ações de responsabilidade social. k) Localização desfavorável (pouca visibilidade por situar-se em rua sem saída). c) Área de atuação pouco explorada.

c) Falta de apoio governamental no que tange o âmbito institucional. nas escolas em que os alunos não necessitam de cuidados especiais. através de palestras. cursos e treinamentos. e) Auto-resistência na profissionalização e adoção de ações estratégicas. • • • • • segmento. Criação de um material institucional de divulgação. Projeto de reciclagem de conhecimentos para os Parcerias com instituições públicas e privadas. Estruturação e atualização do site. f) Crescente aumento no número de associações e instituições sem fins lucrativos. Programa interdisciplinar entre os colaboradores. pessoas físicas e jurídicas. b) Crise econômica que gera inadimplência dos alunos e escassez de doações por parte da comunidade. um programa de inclusão para alunos portadores de necessidades especiais. • . A justificativa é que o MEC (Ministério da Educação) pretende implantar. g) Falta de conhecimento da sociedade sobre o tema abordado pela ONG. Trocas de experiências com ONGs do mesmo Programas de captação de recursos. 5. d) Credibilidade quando o assunto é ONGs.3 Ações emergenciais • • • Alteração da identidade visual. Planos de gestão. públicos interno e externo.36 a) Corte de verba por parte do Estado para escolas especiais.

a globalização e as demandas de um mercado cada vez mais consumista. haja vista a falta de recursos humanos e financeiros. políticas e ações institucionais da organização. Com o crescimento desenfreado do comércio. promoção. práticas. dentre outros. seja ela instituição pública ou privada. Dentro de um mercado cada vez mais competitivo. a era da informação. .37 6 PLANO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA 6. merchandising. A comunicação de marketing abrange propaganda. torna a comunicação empresarial um desafio de proporções maiores do que as dependências internas de uma empresa. ainda mais se o assunto for à imagem empresarial. marketing direto. é representada pelo conjunto sinérgico da comunicação interna.1 Diagnóstico A comunicação existente entre a organização. comunicação institucional e comunicação de marketing. a dificuldade de reconhecimento da imagem é ainda maior. publicidade. atrair e reter a atenção de clientes ou investidores é uma tarefa árdua e de grande complexidade. já a comunicação institucional abrange ações que visam divulgar informações aos públicos de interesse como: objetivos. E quando o assunto é organização sem fins lucrativos.

A ONG não possui um trabalho freqüente de comunicação integrada. através do envio de FAX com relatório de alunos. equipe técnica. principalmente. quando houve um trabalho de comunicação e mudança da marca por estudantes de uma faculdade UCSAL (Universidade Católica do Salvador). voluntários. Através de contatos feitos da equipe deste projeto com a presidente da Evolução. de alteração da identidade visual. não se comunica regulamente com nenhum público específico e não dispõe de verba destinada para a comunicação. Para que uma organização atinja seus objetivos estratégicos é preciso que seus colaboradores estejam comprometidos com estes. na prestação e na comunicação do valor para o cliente”. um site com conteúdo voltado para a comunidade do Imbuí. voluntários e alunos). uma cartilha sobre o que é o autismo e um folder institucional. patrocinadores.38 Criar uma estrutura de comunicação integrada que reúna formas viáveis de comunicação para uma ONG. Com a comunidade já houve uma divulgação no "Portal do Imbuí". funcionários. ou seja. muito menos. impossibilitando o vôo e a evolução da mesma. A marca existente não está condizente com o nome da Escola-Clínica Evolução. Não existe uma pessoa específica que coordena esse mural. garante a sobrevivência de uma instituição como a Escola-Clínica Evolução. o qual não existe mais. A borboleta simboliza a transformação. Externamente. visitantes e possíveis investidores. mídia ou sociedade de forma geral. coordenação. a comunicação é precária. órgãos estatais e secretarias do Estado). monitoramentos e etc. 701) através da afirmação: “o marketing interno requer que todas as pessoas da organização aceitem os conceitos e objetivos do marketing e se envolvam na escolha. p. além de apresentar-se apenas na cor azul. Foram produzidos. a Evolução Escola-Clínica precisa da implantação de um plano integrado de comunicação para o público interno (direção. equipe de educadores. a liberdade e a alegria em suas cores. a comunicação com os parceiros se dá. A borboleta desenhada na marca está enclausurada em um quadrado. parentes de alunos. seja ela com seus clientes. pessoas jurídicas. Possui dois murais onde ficam dispostas algumas informações administrativas e dirigidas aos pais dos alunos. Apenas parte deste material foi distribuída nas . uma padronização no modo e no conteúdo do que é divulgado. estagiários. bem como para o público externo (voluntários/doadores. A fim de proporcionar o desenvolvimento de um trabalho eficaz na divulgação da imagem e captação de recursos. Isto é reforçado por Kotler (2006. Internamente. detectamos uma ação imediata. sugerida pela própria presidente. encaminhamentos.

que não é atualizado com freqüência. Possui um potencial de crescimento. Profissionalização da área administrativa. em alguns pontos. respeitando suas individualidades. A divulgação de eventos. que aliados à falta de recursos financeiros interferem no crescimento da organização. e-mail (evolucao@evolucao. contudo.3 Públicos-alvo • • Público interno (direção. equipe de educadores. a maioria.evolucao. A Evolução Escola-Clínica. ainda se encontra arquivado na ONG. 6. porém. 6. por vezes realizados na própria comunidade ou dentro da Instituição. exclusivo. integrados à família e a comunidade. Não utiliza a comunicação de forma adequada e não fideliza seus diversos públicos. exclusivamente. A Evolução Escola-Clínica possui um site na internet (www.br). orientando e estimulando para que possam viver de modo autônomo. parentes de alunos. pois apresenta para a comunidade através de um trabalho sólido e eficaz. que trafega somente na Rua Alberto Fiúza. oferecendo tratamento clínico e pedagógico.br) e telefone (3231-1502) Dispõe de uma extensa área física. visitantes e possíveis estagiários. a localização não facilita a sua visibilidade (situa-se em uma rua sem saída). órgãos estatais e secretarias do Estado). coordenação. Integrar a comunicação de forma planejada e organizada é o principal diferencial para instituições que buscam destaque e reconhecimento público.2 Problemas • • • Ausência de um trabalho de comunicação integrada. Público externo (voluntários/doadores. patrocinado por um vereador. voluntários e alunos). buscou-se elaborar um planejamento de comunicação integrada que desperte a atenção de investidores e voluntários para a Instituição.org. possui também alguns problemas de ordem administrativa (falta de profissionalização e equipamentos). A fim de proporcionar melhores oportunidades para a Escola-Clínica. equipe técnica.org. . por um carro de som. investidores (pessoas jurídicas. Missão Corporativa: atender crianças com deficiências mentais graves. um serviço especializado e. Falta de programas para a captação de recursos.39 imediações da Instituição.no bairro do Imbuí. além de problemas com sua comunicação. é feita.

4 Objetivo geral de comunicação Divulgar através de campanhas e eventos. Estreitar relacionamento com ONGs do mesmo segmento. Criar portfólio institucional. Estabelecer com seus clientes internos e externos com vistas a atrair novos parceiros e investidores. Aumentar o quadro de voluntários. Aumentar a visibilidade da ONG junto à sociedade. o trabalho da ONG e sua área de atuação. Estreitar o relacionamento com a comunidade (Imbuí). 6. 6. através de novas parcerias. Auxiliar na captação de recursos para a ONG.5 Objetivos específicos de comunicação • Conscientização do público externo e interno: esclarecimento sobre os distúrbios de comportamento. bem como esclarecimento sobre temas gerais pertinentes ao trabalho da ONG. uma relação de transparência e confiabilidade. Intensificar a comunicação com os diversos públicos. • • • • • • • Estruturar a sinalização interna e externa.6 Objetivos de marketing • • Prestar a sociedade serviços de educação e saúde.40 6. objetivando assim um comprometimento deste com a instituição. Estruturar e atualizar a comunicação virtual (site na internet). aumento no quadro de voluntariados e patrocinadores. de forma a gerar um reconhecimento do público.7 Estratégias de comunicação e marketing . Fidelizar os doadores e parceiros. • • • 6. o trabalho desenvolvido pela Evolução EscolaClínica.

que proporcionará uma interação maior e facilitará a persuasão que a captação de parceiros e voluntários exige. colaboradores. investidores. de forma a facilitar futuros contatos e para viabilizar as ações seguintes. doadores. voluntários e sociedade em geral (imprensa. principalmente quando o assunto for captação de recursos. B) Mailing: selecionar e cadastrar dados. a futuros parceiros. Uma comunicação “cara a cara”. . atualizando seus públicos quanto às ações recentes e eventos realizados pela Instituição. ou na opinião pública. órgãos do governo. bem como. como ter o nome da Instituição divulgada em eventos da empresa. Relações Públicas: gerar no público geral.41 Marketing Direto: Estabelecer um relacionamento direto com os públicos-alvo da Escola-Clínica Evolução. C) Ferramentas de comunicação: Buscar desenvolver instrumentos de comunicação direta com os clientes como mala direta on-line. concentrando-se no relacionamento criado com funcionários. folhetos. convites para eventos. A) Criar Portfólio institucional com o objetivo de apresentar. house organs e etc. entidades. a Instituição e seu trabalho desenvolvido junto aos portadores de transtorno de comportamento. com ações presenciais junto à comunidade. A) Envolver o cliente através de uma comunicação mais individualizada. etc. Também objetivará construir e reforçar a imagem institucional junto a seus públicos de interesse. parceiros. de forma mais persuasiva e direta. O telemarketing por ser uma ação mais invasiva buscará agir como um mediador entre a Instituição e seu cliente. estabelecendo uma relação direta. D) Telemarketing: selecionar e cadastrar por finalidade e ação nomes de clientes. por segmento de atuação de clientes. parceiros e investidores. troca de mailing list entre os seus parceiros e voluntários. de modo a gerar uma resposta imediata. parceiros e investidores de forma a facilitar futuros contatos. apresentar suas carências e deficiências. voluntários. Venda Pessoal: envolver o cliente direto com uma comunicação individualizada. B) Oferecer vantagens em troca de parcerias. boa vontade em relação à organização.

B) Manter relações com a imprensa. de forma a evitar uma dependência direta das doações esporádicas. a título de troca de experiências e ajuda mútua. A) Formar. B) Integrar a comunidade aos trabalhos desenvolvidos pela Escola-Clínica Evolução. com objetivos que diferem dos comerciais. Promoção: A) Realizar eventos sociais com seus diversos públicos. sem nenhuma forma de garantia. Mix de Marketing Produto/Serviço: tratamento de transtornos neuropsiquiátricos. como autismo e hipercinesia: doenças graves. Neste público podem-se incluir também organizações que desenvolvem trabalhos semelhantes.). B) Manter atualizado as técnicas de tratamento e ensino para crianças e jovens portadores de síndrome de autismo e outras deficiências. D) Buscar estreitar relações com órgãos públicos e grupos de interesse direto e com compatibilidade ética e social da Escola-Clínica Evolução. crônicas e que comprometem o desenvolvimento normal de uma criança. bem como participá-los da metas planejadas para a Instituição. A) Buscar uma forma de auto-sustentabilidade para a Escola-Clínica Evolução. Praça: . C) Fazer comunicações e promover eventos institucionais. com o objetivo de divulgar projetos da organização.42 associações. manter ou resgatar a boa imagem da Instituição perante a sociedade. sindicatos etc. informando a comunidade local sobre a Instituição e seu trabalho. através de palestras e debates com profissionais da área.

equipe técnica.1.43 A) Aumentar o reconhecimento do trabalho social desenvolvido pela Escola- Clínica Evolução para a sociedade geral. visitantes e possíveis investidores (pessoas jurídicas. Um bom posicionamento no mercado é vital para uma marca e estabelecer uma imagem clara na mente do consumidor. utilizando como forma a sinalização. Mas depende também de uma afinidade entre objetivos. contribuindo na criação da imagem institucional e na captação de recursos. coordenação. voluntários e alunos) e público externo (voluntários/doadores. começando com as comunidades vizinhas e adjacentes. parentes de alunos. 7 PLANO DE AÇÕES 7. órgãos estatais e secretarias do Estado). equipe de educadores. posicionando o produto de forma objetiva só é possível com um trabalho integrado entre as áreas de comunicação e marketing. B) Facilitar o conhecimento do público quanto à localização da sede da Instituição. especialmente quando o assunto é ONG. Focar nos resultados é o grande desafio quanto se trabalha com questões sociais ainda tão desconhecidas na sociedade em geral. Período: Portfólio: Março e Abril de 2010 VT Institucional: Dezembro de 2010 Objetivo: Facilitar a apresentação da Evolução Escola-Clínica junto a seus públicos. Justificativa: . estagiários. Programa “Imagem Institucional” Tipologia: Portfólio Institucional e VT Institucional Público-alvo: Público interno (direção. metas e captação de recursos.

por exemplo. visitas na organização. principalmente para as ONGs que precisam constantemente captar recursos de terceiros. Para finalização do material (portfólio e VT). e em visitas para captação de recursos junto ao possível investidor. por parte do público. estagiários. equipe de educadores. a Evolução buscará o apoio de empresas/organizações interessadas no seu patrocínio. Eventos realizados. no site. visitas e o dia-a-dia da Escola-Clínica serão registrados através de fotografias e filmagens. sua missão. quem é a Instituição. voluntários. bem como se apresentar de forma fidedigna e transparente para possíveis investidores. dentre outras. No portfólio constarão informações como: histórico. a Instituição tornará a sua imagem conhecida e poderá.44 A Evolução não possui um documento de apresentação da organização. o que gera. que primeiramente criará um esboço do material que será apresentado à Evolução. Descritivos e mecânica: Durante o ano serão coletadas informações a serem utilizadas pelo profissional responsável pela criação do portfólio. no site de relacionamento Orkut. traduzindo através das imagens a atuação da Instituição na sociedade. Ao final do ano um VT institucional será produzido e disponibilizado para visualização em eventos. Público-alvo: Sociedade em geral . um desconhecimento das suas ações e características enquanto ONG. visão. sendo este ajustado de acordo com os interesses e necessidades da instituição. quais os serviços oferecidos. Programa “Site Evoluído” Tipologia: Página na internet personalizada e atualizada. O portfólio e o VT são ferramentas de comunicação com função informativa e persuasiva. O VT institucional por sua vez integrará este programa. equipe técnica. bem como doações. abrindo as portas da Evolução e mostrando os trabalhos desenvolvidos por seus alunos. bem como agenda de eventos e o dia-a-dia de toda sua equipe. Através destes instrumentos de divulgação. indispensável para qualquer organização. 7.2. doadores. participar de programas de captação de recursos.

ele se tornou uma necessidade básica para organizações de um mundo globalizado. Descritivos e mecânica: O site será reformulado de modo a conter informações atualizadas sobre a Evolução Escola-Clínica como: histórico. missão. agenda de eventos como debates. segurança e velocidade. quadro de funcionários.45 Período: Imediato Objetivo: Reformular o site da Evolução Escola-Clínica. cursos. números de contato da instituição. 7. Esta ferramenta possibilita projetar a imagem de sua organização na internet disponibilizando o acesso de pessoas do mundo todo e. voluntários. estrutura.3 Programa “Bem localizado” Tipologia: Sinalização interna e externa Público-alvo: . Também disponibilizará um espaço para doações com informação de conta corrente e agência da EscolaClínica Evolução. com isso abrindo novos caminhos para arrecadação de doações. visão. Ter uma página na internet tornou-se indispensável também para organizações não governamentais em geral. dentre outras. recursos modernos de animação. Deve ser utilizada de forma inteligente correspondendo positivamente aos objetivos da Instituição. informação sobre distúrbios de comportamento. chats. aliado à redução dos preços cobrados pelo acesso à rede. localização. objetivos. com recursos modernos e informações atualizadas. a internet deixou de ser um mero instrumento de pesquisa para tornar-se uma ferramenta de comunicação muito poderosa. Google Earth (mapa de localização). Justificativa: Um site na internet não é mais um artigo de luxo. fóruns. jogos e VT institucional. Com o aumento da interatividade.

Descritivos e mecânica: Será feita uma parceria com a Central do Outdoor. substituindo as placas já existentes por placas modernas e padronizadas. A sinalização interna da sede da EscolaClínica melhor distribui os setores e departamentos. bem como um meio de comunicação. Programa “Amigos da Evolução” Tipologia: Ação externa . a ser colocado no início da ladeira. fazendo o percurso desde a entrada do bairro do Imbuí pela Av. equipe de educadores. onde está situada a Evolução Escola-Clínica. o que facilita a circulação das pessoas na Instituição. orientando quanto ao acesso de pessoas à Instituição. A Central do Outdoor disponibilizará 10 (dez) placas de outdoor. Período: Imediato Objetivo: Estruturar a sinalização interna e externa tornando a imagem da Evolução Escola-Clínica mais conhecida e acessível para seus públicos facilitando a localização. criando uma linguagem visual única. 7. coordenação. A sinalização interna será reformulada.46 Público externo (parentes de alunos. Também será criado um totem indicativo triface. estagiários e voluntários). uma vez que esta empresa possui uma cota para apoio de ONGs e causas sociais. até a sede da Evolução Escola-Clínica. sendo todas confeccionadas em placas de PVC. Justificativa: A sinalização correta em vias públicas que antecedem à Escola-Clínica é um guia facilitador de acesso. material de custo acessível e resistente.4. comunidade e possíveis investidores) e público interno (direção. equipe técnica. a partir do momento em que leva ao conhecimento da comunidade a imagem da Evolução. Paralela e pela orla.

e a ONG. O período em que esta ação será realizada (oportunamente em datas como Natal e Réveillon) facilita a aceitação e a participação do público em geral. dentre outros. visitantes e possíveis investidores). do site oficial da Instituição e comunidades de relacionamento como o Orkut. permitirá uma ampliação do alcance da ação a partir do momento que atingirá tanto a comunidade local. Ações como esta podem servir para criar uma consciência de responsabilidade social. desfavorecida. que durante 15 dias farão uma divulgação da campanha pelas ruas do bairro. proprietários de bares e restaurantes do Imbuí. informando o dia da coleta das doações em cada rua. Também haverá divulgação através de notas enviadas à imprensa. que frequentam a região. depende da contribuição de doadores e voluntários para manter um ambiente educacional favorável para o bom aprendizado dos alunos. Uma parceria estabelecida com os proprietários dos bares e restaurantes do Imbuí. levando ao conhecimento de todos os seus programas e a sua relevância social. Período: Dezembro de 2009 e Janeiro de 2010. já que nesta ocasião todos se abrem para reflexões que dizem respeito ao seu papel enquanto ser humano e social. seja entregue junto à conta dos clientes um folheto informativo sobre a Instituição. bem como arrecadar recursos como: livros. financeiramente. como os visitantes de outros bairros. material de limpeza. suas ações e o programa “Amigos da Evolução”. e proporcionará um estreitamento na relação da Evolução com a comunidade em que está inserida. cedidos por voluntários. alimentos. Objetivo: Estreitar o relacionamento entre a comunidade do Imbuí e a Evolução Escola-Clínica. Sugere-se que além da exposição de cartazes nos locais. . Justificativa: A maioria dos alunos da Evolução Escola-Clínica é. muitas vezes. Descritivos e mecânica: Para a realização desta ação será utilizado um ou mais carros de som.47 Público-alvo: Público externo (voluntários/doadores. material escolar.

Desta forma. bem como as futuras metas a . Programa “Muito obrigado!” Tipologia: Café da manhã Público-alvo: Voluntários. e divulgar de forma direta e efetiva sua imagem e aumentar o quadro de voluntários junto ao cadastro.fevereiro Objetivo: Fidelizar os doadores e parceiros. funcionários. haverá uma exposição com a avaliação das metas da Instituição. Justificativa: Dentro do quadro de crescimento do número de voluntários e parceiros. enfim. porque quando o assunto é ONG.48 Outro ponto a ser negociado como forma de agregar valor ao parceiro e à Escola. todos que de alguma forma contribuíram para o crescimento e ganho social da organização. parceiros. mostrando transparência em suas ações através da prestação de contas e agradecer aos contribuintes pelas doações e outras formas de ajuda.5. Durante o evento. transparência é fator fundamental na sobrevivência e manutenção do seu quadro de doações e voluntários. parentes de alunos. 7. é que toda a porcentagem extra que o bar/restaurante do Imbuí obtiver durante uma semana. seja revertida para a Evolução Escola-Clínica. intenciona-se reunir recursos emergenciais à manutenção da instituição. é de crucial importância a realização de um evento de agradecimento pela dedicação e fidelidade à Evolução Escola-Clínica. Período: Início de cada ano letivo . É importante também prestar conta do destino dado às suas doações. Descritivos e mecânica: O café da manhã será realizado na sede da Evolução Escola-Clínica.

equipe técnica. levantando novas visões e proporcionando novos aprendizados através de ciclos de palestras. coordenação. comunidades e possíveis investidores). curso ou treinamento. acaba por disseminar a discriminação e o preconceito. que oferece cursos de artesanato e qualificação profissional. brindes produzidos no Clube de Mães mantidos pela própria Instituição. . cursos e treinamento. gerando um afastamento completo de possíveis investidores e amigos desses indivíduos portadores da síndrome. de modo a não estacionar o crescimento da Instituição. Público-alvo: Público interno (direção. atualizar e esclarecer assuntos sobre temas diversos que influenciam no desenvolvimento pessoal e intelectual de cada indivíduo que compõe a Evolução EscolaClínica. julho e novembro. entre eles o autismo. Justificativa: Um dos quesitos básicos para o crescimento pessoal e intelectual do indivíduo é o conhecimento. equipe de educadores. a ser realizada nos meses de março.6. como forma direta de agradecimento das mães pela atenção dispensada à Instituição e indiretamente a seus filhos. Esta exposição visa demonstrar o destino das próximas doações. dando início a um novo desafio.49 serem alcançadas. 7. O desconhecimento de muitas pessoas sobre os distúrbios de comportamento. e voluntários) e público externo (parentes de alunos. pois quanto mais se usa mais se tem. Ainda neste evento serão distribuídos através de sorteios. e quanto mais se tem mais se pode ter. Período: Trimestral. Objetivo: Informar. O conhecimento é um fator de suma importância. Programa “Reciclar conhecimentos é Evoluir” Tipologia: Palestra. estagiários.

e contará com a presença de especialistas da área de saúde. e contará com a presença de um palestrante (contratado ou voluntário) específico para cada tema abordado. O tempo definido para cada palestra. social e institucional. motivação. cursos ou treinamentos serão realizados na sede da Evolução Escola-Clínica. Descritivos e mecânica: As palestras. o autismo é apenas parcialmente conhecido pelos médicos e totalmente ignorado por grande parte da população. para que todos possam realizar um intercâmbio de idéias e experiências. Por se tratar de um investimento de baixo custo. motivação e etc. site da Instituição e site de relacionamento Orkut. cartazes a serem colocados nos murais dos bares distribuídos por todo o bairro. No mês de março os temas abordados serão ligados ao empreendedorismo. No mês de novembro. Espera-se a presença de no mínimo 30 pessoas para cada palestra curso ou treinamento. o balanço das ações do ano corrente e a elaboração do plano estratégico da Instituição serão levados ao público participante do evento. a difusão do conhecimento. inclusão digital. já que o seu processo de transmissão e retransmissão é contínuo e eficiente. possibilitando uma integração entre os participantes. além de participarem de um coffee break. e temas . tornam-se temas de grande importância a serem abordados de forma transparente para todos os públicos da Instituição. comunicação integrada. o desenvolvimento sustentável. notas de divulgação enviadas à imprensa. O treinamento e o uso adequado das ferramentas disponíveis. convite a ser enviado à comunidade local e possíveis investidores. Em julho o tema em destaque será o esclarecimento sobre os distúrbios do comportamento. o planejamento das ações e o esclarecimento sobre as causas e os efeitos desta síndrome. curso ou treinamento é de no máximo uma hora. a economia e administração brasileira. O investimento em informação é uma iniciativa chave a longo prazo. bem como o entendimento sobre o ambiente em que a Instituição está inserida. No evento os convidados receberão folhetos.50 Ainda hoje. envio de mala direta além do telemarketing. atendimento ao público. folders ou tablóides que falarão sobre os temas abordados. O público-alvo deste programa será estimulado a discutir temas em questão como empreendedorismo. com a possibilidade de servir de base catalisadora para a aprendizagem de outros assuntos até mesmo em níveis mais elevados. atendimento ao público. em uma sala já existente. contribuindo de forma positiva para o desenvolvimento humano. pode ser utilizado indefinidamente. O evento será divulgado através de informativos fixados nos murais da Evolução. assim como.

Sugere-se que no convite seja solicitada a participação do público-alvo através de doações (monetária. Objetivo: Estreitar relacionamento com ONGs do mesmo segmento. equipe técnica. as ONGs modelos convidadas. neste evento. Período: Bimestral. . Assim. executar e colher bons frutos. material escolar). eficazes e tendências. economia brasileira. 7. nos meses de abril e outubro. síndrome do comportamento – autismo e outras síndromes – e etc. estagiários e voluntários da Evolução e de ONGs do mesmo segmento.51 recentes sobre a administração. desenvolvimento sustentável. estabelecendo um processo de troca de experiências no que tange a metodologia de educação sócio-comunitária aplicada. como APAE e Obras Assistenciais Irmã Dulce. projetos/programas eficientes. porém muitas vezes o caminho errado põe a perder todo o esforço e dedicação exercidos. Como conceitualmente a função de uma ONG é ajudar a comunidade.7. ONGs mais experientes e que obtêm sucesso em suas ações demonstrarão como conseguiram planejar. Programa “O poder do exemplo” Tipologia: Workshop Público-alvo: Coordenação. a satisfação de compartilhar o segredo do sucesso com a Escola-Clínica Evolução e demais convidadas. alimento. equipe de educadores. estímulo e evolução. teriam. vestuário. Justificativa: Algumas ONGs têm estímulos para exercer atividades e planejar ações. iniciando assim um processo de informação.

na qual poderão contribuir com uma quantia em dinheiro. estagiários. 7. bem como uma humanização do contato com seus clientes e comunidade em geral. Com estes cadastros será possível a escola manter um mailing list . visitantes e possíveis investidores. Objetivo: Criar cadastros de pessoas da coordenação. voluntários e alunos) e público externo (voluntários/doadores. onde acontecerá um workshop de idéias. Justificativa: O estímulo e a lealdade à instituição. notas de divulgação enviadas à imprensa e mailing list. proporcionam uma troca de valores que possibilita um ganho social para ambas as partes. através do site. serão dirigidos ao espaço aberto e coberto da Evolução Escola-Clínica. Programa “Identificando amigos fiéis” Tipologia: Ação de fidelização através de mailing list. e a partir daí. Ao final do workshop. equipe técnica. Público-alvo: Público interno (coordenação. visitantes e possíveis investidores).52 Descritivos e mecânica: Inicialmente todos os participantes serão convidados a conhecer a Instituição. voluntários e alunos. As ONGs convidadas indicarão os pontos positivos e negativos da estrutura física e institucional da Evolução. treinamentos e workshop. os convidados visitarão uma exposição de cartazes feitos pelos próprios alunos da Evolução Escola-Clínica com a seguinte frase: “Ajudar é evoluir – Dê você também a sua contribuição”. bem como cadastros de voluntários/doadores. e eventos realizados na Instituição como palestras. Período: Ao longo de cada ano. expondo na seqüência as ações que deram certo em suas ONGs e dicas de como planejar e estruturar melhor a Instituição. equipe de educadores. estagiários.8. equipe de educadores. equipe técnica. cursos. mantendo-o sempre atualizado. Folhetos também serão entregues contendo informações de conta bancária e outras formas para futuras doações. O evento será divulgado através do site oficial.

visitantes e possíveis investidores que se apresentarem na Escola-Clínica. entre outros assuntos.9 Programa “Universidade parceira” Tipologia: Contratação de funcionários Público-alvo: Estudantes de universidades e faculdades de Salvador. Voluntários/doadores. Período: Imediato Objetivo: Aumentar o quadro de voluntários contratando estagiários da área de comunicação e informática. e-mail. preencherão uma ficha cadastral e os alunos veteranos atualizarão seus dados já cadastrados. eventos. Através do mailing serão enviados boletins eletrônicos (News) mensais. No ato da matrícula. com informações sobre a Instituição e o seu trabalho. divulgar. dentre outros.53 atualizado. balanços. aproximar e fidelizar seus doadores e parceiros. fidelizar e manter contato com todos os seus públicos. seja para fazer qualquer tipo de doação ou apenas para visitar. porém com informações de suma importância para a organização como: nome. tornando-se este imprescindível no desenvolvimento de estratégias de telemarketing e comunicação dirigida. agradecer. com o objetivo de esclarecer. destaques do mês. através de seu responsável. também preencherão uma ficha cadastral simples. endereço. Descritivos e mecânica: A cada início de ano todo o público interno atualizará seu cadastro diretamente com a pessoa responsável do setor de administração. telefones para contato. ferramentas que dão suporte ao marketing de relacionamento e que detectam as necessidades e as oportunidades de captação de novos recursos. Com os dados cadastrais a organização pode interagir. matérias esclarecedoras sobre as síndromes de comportamento. profissão. Justificativa: . os alunos novos. 7.

atualização e disparo do mailing. manutenção dos equipamentos de informática e etc. e para isso deverão contar com um profissional especializado. estabelecer parcerias com mídias e etc. uso da marca. auxílio na organização dos eventos institucionais. relacionamento com a imprensa. comunidade. tendo os estagiários uma carga horária de 05 (cinco) horas/dia. bem como. tendo a Instituição o compromisso de sempre manter os estagiários dentro da estrutura organizacional da Evolução Escola-Clínica.10 Programa “Divulgando a Evolução” Tipologia: Divulgação da Evolução Escola-Clínica para a sociedade em geral. Isso porque. O estagiário de informática será responsável pela atualização do site. Sugere-se a contratação de um estudante de Relações Públicas. que possa intermediar o desenvolvimento de habilidades fundamentais para o crescimento da Instituição. a credibilidade de uma ONG é percebida pela forma como ela se comunica com os seus públicos. textos do portfólio. atrofiam o desenvolvimento da Instituição e por tal motivo deve ser encarado como prioridade por parte da ONG. Seus funcionários deverão estar cientes de sua importância enquanto difusores da imagem positiva da Evolução. textos do material de divulgação dos programas. 7. A desatualização do site. treinamento do quadro de funcionários no que diz respeito ao uso das tecnologias e programas disponíveis. investidores e etc. que possam contribuir de forma positiva para a execução das ações do plano de comunicação. Descritivos e mecânica: O estagiário de comunicação será responsável pela criação e atualização de todas as ferramentas de comunicação como: release. A contratação será intermediada por programas de estágio como o CIEE. O contrato será renovado a cada seis meses. . formadores de opinião. faz com que a comunicação da Evolução Escola-Clínica torne-se vulnerável a pouca confiabilidade e desconhecimento da Instituição por parte do público em geral. experientes na área de comunicação e informática. Público-alvo: Sociedade em geral.54 A carência de recursos financeiros para contratar profissionais. o relacionamento distante com a imprensa. a não organização e não atualização do mural.

vídeos institucionais. desta forma. . Justificativa: São poucas instituições que oferecem serviços como o da Evolução Escola-Clínica. Através de uma divulgação eficaz será possível apresentar à sociedade o papel e a importância da Evolução Escola-Clínica e. existem muitas famílias que enfrentam o preconceito ou a falta de recursos para educar indivíduos com distúrbios de comportamento. Descritivos e mecânica: Através de parcerias com meios de comunicação como TVs. rádios e jornais.55 Período: Ao longo de 2010. conseguir inserções de entrevistas em programas e telejornais locais. Aproveitar o mês de aniversário da Instituição para facilitar o enfoque institucional. entrevistas e banners institucionais em jornais impressos. citação em todas as entrevistas e eventos que a ONG participar. Utilizar os meios de comunicação simultaneamente para que um reforce o outro ampliando seu alcance. uniformes. ampliar sua arrecadação. em contrapartida. site. Objetivo: Aumentar a visibilidade da ONG junto à sociedade através dos meios de comunicação de massa. Em contrapartida incluir a marca dos parceiros em materiais de divulgação. parcerias e atuação. entrevistas e spots institucionais em programas e propaganda de rádio.

Após aprovação da mesma. sem qualquer ônus. Período: Abril de 2009. 72). livre e colorida. de acordo com as considerações destacadas pela presidente da EscolaClínica. A borboleta desenhada na marca está enclausurada em um quadrado. que solicitou um desenho de uma borboleta em movimento. Justificativa: A marca existente não está condizente com o nome da Escola-Clínica Evolução. a liberdade e a alegria em suas cores.56 8 AÇÃO REALIZADA 8. impossibilitando o vôo e a evolução da mesma. A borboleta simboliza a transformação. . além de apresentar-se apenas na cor azul. Objetivo: Alterar a marca da Evolução. a nova marca passou a estar inserida nas ações acima planejadas. Público-alvo: Sociedade em geral.1 Programa de Identidade Visual Tipologia: Alteração de Identidade Visual da Escola-Clínica (ver pág. Descritivos e mecânica: Através de parceria com o diretor de criação Jader Felix foi alterada a marca da Evolução.

é indiscutível a importância da comunicação integrada. De forma indireta. principalmente quando se trata de organizações não-governamentais. por conseqüência. A Evolução Escola-Clínica desenvolve um trabalho social de fundamental importância para a comunidade em que está inserida. ações que envolvam a comunicação como forma de integrar beneficiários. como forma de alcançar objetivos estratégicos de marketing. aumenta o rol de novos voluntários. possibilita a consolidação de uma imagem institucional positiva. voluntários e colaboradores ao ambiente da organização. eventos realizados. ações de divulgação de imagem. reconhecimento do público e criação de novas estratégias para a captação de recursos. Por tudo isso. Elaborar um plano de comunicação integrada tem como objetivo principal auxiliar a Escola-Clínica no que tange a divulgação da imagem institucional. justificando que ações de comunicação podem trazer sustentabilidade e visibilidade para esta organização. Esses quesitos são de suma importância para qualquer instituição. gera credibilidade. Estruturar a comunicação para que lhe traga resultados favoráveis. dentre outros. bem como consolidar sua imagem institucional perante seus públicos-alvo. ou que proporcionem conhecimento e informação. a divulgação da imagem. Para isso. ações planejadas e executadas. alcance seus objetivos. no que se refere às suas atividades. transformam o público interno em multiplicadores das ações da instituição da qual fazem parte. na busca de crescentes evoluções organizacionais. o aumento do número de parceiros como objetivos principais e imprescindíveis para a . e. porém precisa obter um reconhecimento desta. histórico da instituição. e por conseqüência contribuem para que esta. tornam a instituição conhecida e receptora de recursos. as ações aqui propostas têm a captação de recursos.57 9 CONSIDERAÇÕES FINAIS Em meio ao grande universo de ONGs e a crescente dificuldade em mobilizar recursos para as suas atividades. a divulgação direcionada a seus públicos-alvo de material fotográfico.

Luiz Alex Silva. REFERÊNCIAS Bibliográficas AMARANTE. OGDEN. CORRÊA. Um sensível olhar sobre o terceiro setor. Loucos pela Liberdade. Eudósia Acunã (org. BERTON Luiz. 1998. 2007. Solange Maria. Karina Medeiros. São Paulo: Saraiva. Jair Teixeira. 2006. técnicas e práticas. Trad. Crescitelli. promovida pela PUC . Revista Época.). São Paulo: Summus. Areforma psiquiátrica. às Modernas Práticas Administrativas. Vera Ribeiro. Ensaio sobre Determinismo Tecnológico. 20ª ed. Manuel. São Paulo Setembro. 231p. In: INTERCOM. Rio de Janeiro: Fiocruz 1999 DINIZ. (Org. Comunicação integrada de marketing: conceitos. SARAIVA. LIMA. QUINTEIRO. Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação . Bruno. João Helder. REIS.Terceiro Setor: Dilemas e Polêmicas. Edson. 2006. Ed Saraiva. ONGs e o mercado: uma aproximação perigosa (artigo baseado nas conclusões de dissertação de mestrado: O Reflexo dos Ajustes das Organizações Nãogovernamentais Internacionais – ONGs. sobre o seu Caráter Institucional-original.) FERNANDES. PIMENTA. Trabalho Voluntário e Direitos Humanos. Monografia apresentada ao Curso de Aperfeiçoamento de Direitos Humanos e Direitos dos Cidadãos. Administração estratégica da competência empreendedora à avaliação de desempenho.). Maria Laetitia.58 continuidade e concretização dos inúmeros projetos de crescimento almejados pela Evolução Escola-Clínica. P. James R. setembro 2001. Campo Grande /MS. São Paulo: Pearson Prentice Hall.. DESVIAT.XXIV Congresso Brasileiro da Comunicação. 2ed.

ibge. Comunicação empresarial e planos de comunicação: integrando teoria e pratica. Mauricio. Fernando G.pdf TAVARES.cfm> . 2003. 2007.br/rets/edicoes_a/ed150800_2/re_opiniao. (org.org.org. 7.) Gestão de ONGs: Principais Funções Gerenciais. Disponível em: <http://www. Disponível em: www.br/> CIPÓ COMUNICAÇÃO INTERATIVA (on line). Disponível em: <http://www.brasilia.portaldovoluntario. Rio de Janeiro: FGV.org.unesco.br/> UNESCO (on line).br/> IBGE (on line).aguiadourada.org. TENÓRIO. Disponível em: <http://www. São Paulo: Atlas.br/ biblioteca/p_voluntarios/ monografia _trabalho _voluntario. ed. Disponível em: <http://www.org.br/home/> PROJETO ÁGUIA DOURADA (on line).cipo. Disponível em: <http://www.59 Minas. 132p.evolucao.html> ROTARY (on line). Disponível em: <http://www.br/> EVOLUÇÃO ESCOLA-CLÍNICA (on line).gov.org/> RETS (on line).rotary.br/projetos.rits.apaesalvador. Disponível em: <http://www. Revista para o terceiro setor. Disponível em: <http://www.org. Eletrônicas APAE SALVADOR (on line).org.

60 APÊNDICES .