You are on page 1of 3

Músculos e Trígonos do Pescoço

Músculos superficiais do pescoço
pescoço. Platisma – Lâmina de músculo fina e larga, situada no tecido subcutâneo do Recobre a face anterolateral do pescoço. Suas fibras originam-se na fáscia que recobre as partes superiores dos músculos deltoide e peitoral maior e estendem-se súperomedialmente até a margem inferior da mandíbula, onde se fundem aos músculos da face. Inferiormente, as fibras divergem, formando uma falha anterior à laringe. Movimentos se dão: a partir da fixação superior traciona a pele; a partir da fixação inferior ajuda a abaixar a mandíbula e puxa os ângulos da boca para baixo (como numa careta). Esternocleidomastóideo – É um músculo em forma de fita, possui duas cabeças: o tendão redondo da cabeça esternal se fixa ao manúbrio do esterno e a cabeça clavicular, carnuda, fixa-se na parte superior do terço medial da clavícula. As duas cabeças unem-se à medida que passam para cima em direção ao crânio. Como fixação superior, temos: o processo mastoide do temporal e a linha nucal superior do occipital. Ponto de referência muscular no pescoço e divide-o, de cada lado, em dois trígonos, anterior e posterior. Movimentos podem ser bilaterais: sozinhos, curvam o pescoço, e acompanhados dos extensores do pescoço podem protrair o queixo. Unilateralmente fletem e giram lateralmente o pescoço. Trapézio – Músculo triangular, grande e plano, que cobre a face póstero-lateral do pescoço e tórax. Sua inserção superior se faz no terço medial da linha nucal superior, protuberância occipital externa, ligamento nucal, processos espinhosos de C7 a T12 e lombares e sacrais. Sua inserção inferior é no terço lateral da clavícula, acrômio e espinha da escápula. Seus movimentos elevam, retraem e giram (abaixam) a escápula.

Trígonos do pescoço
Didaticamente, cada lado do pescoço é dividido em dois trígonos, um anterior e outro lateral (ou posterior), pelo músculo Esternocleidomastóideo. Esses trígonos denominam-se: Trígono cervical lateral, limitado anteriormente pela margem posterior do Esternocleidomastóideo, posteriormente pela margem anterior do trapézio, inferiormente (base) pelo terço médio da clavícula e seu ápice é onde os músculos Esternocleidomastóideo e trapézio se encontram na linha nucal superior do occipital. Trígono cervical anterior, limitado anteriormente pela linha mediana do pescoço, posteriormente pela margem anterior do Esternocleidomastóideo, superiormente pela margem inferior da mandíbula e seu ápice é na incisura jugular. Trígono Cervical Lateral: o assoalho do trígono cervical lateral normalmente é formado pela fáscia pré-vertebral que se estende sobre quatro músculos: • Esplênio da cabeça; • Levantador da escápula; • Escaleno médio; • Escaleno posterior;

O ventre inferior do musculo omo-hióideo divide o trígono cervical lateral em um grande trígono cervical lateral, superior e um pequeno trígono omo-clavicular inferior. O músculo omo-hióideo é um dos músculos infra-hióideos que atuam abaixando o osso hióide e a laringe durante a fonação e a deglutição. É um músculo que possui dois ventres unidos por um tendão intermediário que se conecta à clavícula por uma alça fascial. O grande trígono cervical lateral superior, também é denominado de trígono occipital, porque a artéria occipital aparece no seu ápice. Uma estrutura importante que passa por este trígono é o nervo acessório. O trígono omoclavicular é indicado no pescoço pela fossa supraclavicular. É um trígono de grande importância porque a veia jugular externa e a artéria supraescapular cruzam este trígono superficialmente e a artéria subclávia se situa profundamente nele. Este trígono também é frequentemente chamado de trígono subclávio pela presença desta artéria. Trígono Cervical Anterior: este trígono é subdividido em quatro trígonos menores. O trígono submandibular é uma área glandular entre a margem inferior da mandíbula e os ventres anterior e posterior do músculo digástrico (trígono digástrico). Seu assoalho é formado pelos músculos milo-hióideo, hipoglosso e constritor médio da faringe. A glândula submandibular quase preenche esse trígono. Os linfonodos submandibulares se situam de cada lado da glândula e ao longo da margem inferior da mandíbula O trígono submentual – abaixo do queixo – é uma área suprahióidea ímpar, limitada inferiormente pelo corpo do hióide e lateralmente pelos ventres anteriores direito e esquerdo dos músculos digástrico. Seu assoalho é formado pelos músculos milo-hióideos. O ápice do trígono submentual é na sínfise da mandíbula. Este trígono contém diversos pequenos linfonodos submentuais. Também contém pequenas veias que se unem para formar a veia jugular anterior. O trígono carótico é uma área vascular limitada pelo ventre superior do músculo omo-hióideo, ventre posterior do músculo digástrico e margem anterior do Esternocleidomastóideo. É uma área importante porque a artéria carótida comum sobe no seu interior. No nível da margem superior da cartilagem tireóidea, a artéria carótida comum se divide em interna e externa. O trígono muscular é limitado pelo ventre superior do omo-hióideo, margem anterior do Esternocleidomastóideo e o plano mediano do pescoço. Este trígono contém os músculos infra-hióideos e vísceras do pescoço, como as glândulas tireoide e paratireoide. Músculos do trígono anterior: o hióide fornece fixações para os músculos suprahióideos e infra-hióideos. Esses músculos se fixam ou movem o hióide e a laringe. O grupo supra-hióideo inclui o milo-hióideo, gênio-hióideo, estilo-hióideo e o digástrico. • Milo-hióideos – sustentam a língua e elevam-na e o hióide quando se deglute ou protrai a língua. • Genio-hióideos estão acima do milo-hióideo, onde reforçam o assoalho da boca. • Estilo-hióideos – elevam e retraem o hióide, alongando o assoalho da boca. • Digástricos – possuem dois ventres que descem em direção ao hióide e são unidos por um tendão intermediário. Uma alça fibrosa derivada da fáscia cervical permite seu deslizamento para frente e para trás porque conecta este tendão ao corpo e ao corno maior do hióide. O grupo infra-hióideo inclui os músculos que se encontram abaixo do hióide. Estes quatro músculos fixam o hióide, esterno, clavícula e escápula e abaixam o hióide e a laringe durante a deglutição e a fonação. Também trabalham com os supra-hióideos para estabilizar o hióide.

Compreendem quatro músculos dispostos em dois planos: • Superficiais – esterno-hióideo e omo-hióideo; • Profundos – esternotireóideo e tíreo-hióideo;