You are on page 1of 1

Em reunião geral realizada hoje, dia 15 de Janeiro, os docentes deste agrupamento

reafirmaram a sua posição unânime, de não empreender quaisquer acções que tenha a
ver com este modelo de avaliação, com simplificações ou sem elas, que de resto só
vieram desvirtuar ainda mais o já desacreditado Decreto Regulamentar 2/2008 de 10
de Janeiro, por força da introdução de diferentes despachos e emendas,
salientando-se também que algumas das alterações introduzidas pelo Decreto
Regulamentar 1-A/2009 vigoram apenas este ano.

Continuam a exigir a sua substituição por um modelo de avaliação exequível, justo


e transparente, capaz de contribuir para o fim que alegadamente persegue: uma
Escola Pública de qualidade.

Face ao facto de os avaliadores virem a ser avaliados pelo Órgão de Gestão,


podendo ser-lhes atribuído o Muito Bom ou Excelente, estes propuseram solicitar ao
referido Órgão que os parâmetros a atribuir na sua avaliação não ultrapassassem o
Bom, de forma a ficarem em igualdade de circunstâncias com os restantes colegas,
dando provas de uma grande dignidade perante um Ministério que não tem feito senão
afrontar os Docentes deste país e cujas tendências actuais vão no sentido de
semear a desordem e a desunião na classe.

Foi aprovada uma Moção por unanimidade a qual será assinada por todos os presentes
e por outros docentes do Agrupamento que assim o entenderem e que por razões
várias não puderam estar presentes. Assim que forem feitas as alterações aprovadas
na RGP, será tornada pública.