You are on page 1of 4

Orlando Mendes Gonçalves

Prisões em Portugal: Reintegração

Docentes: Professor Doutor José Casqueiro Cardim


Professora Doutora Susana Garcia

Lisboa 2009
Orlando Mendes Gonçalves
Prisões em Portugal: Reintegração

Trabalho realizado no âmbito da unidade curricular de Seminário I


do curso de Sociologia, 2º ano no presente ano lectivo 2008/2009

Docentes: Professor Doutor José Casqueiro Cardim


Professora Doutora Susana Garcia

Lisboa 20
Índice

1. Introdução…. ………………………………………………………………………................…….4

2. Enquadramento Conceptual e Teórico

2.1. Relato Histórico …………………………………………….......................................….. 6


2.2. Primeiros Estabelecimentos Prisionais …………….........................................…………. 8
2.3. Os Grandes Reformadores ……………………….......................................………..…….9
2.4. O sistema Prisional Português ………………….......................................….…………..10
2.4.1. A perspectiva Histórico-Legislativa no Século XX ……........................……..10
2.4.1.1. Regulamento das cadeias civis do continente do reino e ilhas
adjacentes, de 1901.......................................................................................11
2.4.1.2. Reforma da Organização Prisional de 1936 ......................................11
2.4.1.3. Reforma Prisional de 1979 ………………...............…....………….
12

3. Definição de Conceitos

3.1.Prisão Preventiva…………………………………........................………………………13
3.2. Prisão domiciliaria ………………………………………………..................…………..13
3.3. Pena Prisão Efectiva…………………………………………………..............................14
4. Desenvolvimento do Tema

4.1 Situação Prisional na actualidade em Portugal ……………………………..............……15


4.2. Distribuição dos reclusos por situação penal …………………………………................16
4.3. Ensino / Educação Escolar entre a População Prisional …………………...............……19
4.4. Formação profissional ………………………………………….........………............….20
4.4.1. Modalidades de formação aplicáveis no contexto prisional ...……..............…21
4.4.1.1. Formação profissional especial………………………….............…21
4.4.1.2. Qualificação Inicial ………………………………............………...21
4.4.1.3. Reciclagem, actualização, aperfeiçoamento ………...........…….….21
4.4.1.4. Qualificação e reconversão profissional…………………............... 22
4.4.1.5. Educação e formação de adultos ………………………..............… 22
4.5. Reclusos estrangeiros nos estabelecimentos prisionais portugueses ……..........……..…24
4.6 Reincidência um número desconhecido ….....……………………........…...........…..….25
4.6.1. Reclusos libertados ……………………………………..........…..…. 26
4.6.2. Reincidência um dos dados desconhecidos em Portugal…............….26
4.6.3 Espanha um exemplo a seguir...............................................................26

4.7. Condições de saúde: números preocupantes …………………………................………


28
5. Considerações finais ……………………………………………..………………...............……... 29

6. Referências Bibliográficas ………………………………………..............……………………….32

7. Bibliografia …………………………………………………………..............……………………34

8. Anexos.............................................................................................................................
Índice de Quadros

Quadro 1. Número de estabelecimentos prisionais em Portugal …………………….…15

Quadro 2. Distribuição dos reclusos por situação penal, sexo e tipo de

estabelecimento/lotação e taxa de ocupação no 3º Trimestre de 2008 ………….…..16

Quadro 3. Número de arguidos em processo-crime nos tribunais de

1º Instância (2006) …………………………………………………………………..17

Quadro 4. Crimes registados pelas autoridades policiais por categoria de crime …....... 18

Quadro 5. Habilitações literárias dos reclusos …………………………………….……19

Quadro 6. Reclusos existentes em 31 Dezembro segundo a situação penal,

em formação e em actividade por espécies de estabelecimento ………………..…..20

Quadro 7. Reclusos existentes em 31 de Dezembro/2006 por escalões etários ……….. 22

Quadro 8. Reclusos existentes em 31 de Dezembro/2007 segundo o sexo e escalões de

idade por países de nacionalidade ……………………………………….…………. 24

Quadro 9. Reclusos saídos no ano de 2007, segundo o motivo da saída, por espécie de

estabelecimento. ……………………………………………………..………………25