P&D/DESIGN/8/ OITAVO/ CONGRESSO/ BRASILEIRO/ DE/ PESQUISA/ &/ DESENVOLVIMENTO/ EM/ DESIGN/ / CADERNO/ DE/ RESUMOS/ &/ PROGRAMAÇÃO

/

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / /
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

/ / /
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

/ / /
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

/ / /
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

/

/

/

/

P&D/DESIGN/8/ OITAVO/ CONGRESSO/ BRASILEIRO/ DE/ PESQUISA/ &/ DESENVOLVIMENTO/ EM/ DESIGN/ / CADERNO/ DE/ RESUMOS/ &/ PROGRAMAÇÃO
PRISCILA LENA FARIAS/ ROMERO TORI/ EDSON DO PRADO PFUTzENREUTER/(ORG.)/
/ AEND | BRASIL/ ASSOCIAÇÃO DE ENSINO E PESQUISA DE NÍVEL SUPERIOR DE DESIGN DO BRASIL / PROGRAMA DE ESTUDOS PÓS-GRADUADOS EM DESIGN/ CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC / SÃO PAULO/ 08 - 11 DE OUTUBRO, 2008 / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

/ / /
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

REALIZAÇÃO Centro Universitário Senac/ Campus Santo Amaro Programa de Estudos Pós-graduados em Design Av. Engenheiro Eusébio Stevaux 823/ Santo Amaro São Paulo/ SP/ CEP 04696-000 T11 5682 7300/ www.sp.senac.br

COMISSÃO ORGANIZADORA Priscila Lena Farias, Dra. / Centro Universitário Senac / FAU-USP (Presidente da Comissão Organizadora) Romero Tori, Dr. / Centro Universitário Senac / USP (Presidente do Comitê Científico) Ágata Tinoco, Dra. / FAAP / ESPM | Cyntia Santos Malaguti de Sousa, Dra. / Centro Universitário Senac | Denise Dantas, Dra. / Centro Universitário Senac | Edson do Prado Pfutzenreuter, Dr. / Centro Universitário Senac | Jofre Silva, Dr. / UAM | Marcos da Costa Braga, Dr. / FAU-USP | Marlivan M. de Alencar, Dra. / Centro Universitário Senac | Rogério Junior Correia Tavares, Dr. / Centro Universitário Senac | Adriana Valese, Mestre / UAM | Alessandro Danielli Nicola, Mestre / Centro Universitário Senac | Ana Paula de Campos, Mestre / Centro Universitário Senac | Manuela Dellape, Mestre / Centro Universitário Senac | Milton Francisco, Mestre / FAAP | Zuleica Schincariol, Mestre / Mackenzie | Alexandre Romão de Andrade, Mestrando / Centro Universitário Senac | Elisa Galvão Pontes, Mestranda / Centro Universitário Senac | Fernanda Romero, Mestranda / Centro Universitário Senac | Delfim Cesário Junior, Especialista / Centro Universitário Senac | Gerson Bonilha Junior, professor / Centro Universitário Senac | Pericles Eugenio Martins Ramos, professor / Centro Universitário Senac

COLABORADORES CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC Ana Cristina Osakabe / Apoio do Programa de Estudos Pós-graduados em Design | Lucas Diegues do Nascimento / estagiário P&D DESIGN 2008 | Marcela Carla Santaella Mamede / estagiária SBDI | Raphaela Joyce Nobre Simon / estagiária SBDI | Renata Lopes Toscano / estagiária P&D DESIGN 2008

ASSESSORIA DE IMPRENSA In Press Porter Novelli Assessoria de Comunicação DESIGN GRÁFICO Guilherme Falcão Pelegrino ASSISTENTE DE DESIGN Adriana Hiromoto FOTOGRAFIAS Mario Ladeira Todos os títulos e resumos neste programa foram reproduzidos exatamente como nos originais enviados pelos autores, os quais são responsáveis pelo conteúdo e informações apresentadas nos textos.

/

/

/

/

P&D/ 2008 8º CONGRESSO BRASILEIRO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM DESIGN
/ / / /

/
/ /

/
/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

É com grande satisfação que o Centro Universitário Senac, através do seu Programa de Estudos Pós-graduados em Design, realiza a oitava edição do P&D Design - Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design, promovido pela AEND|Brasil. Realizado bianualmente desde 1994, este é sem dúvida o principal evento científico da área no Brasil. Com temática abrangente, congrega pesquisadores das mais diversas especialidades, contribuindo de forma decisiva para o avanço do conhecimento no campo, influenciando o ensino, a pesquisa e a prática do design. Este ano, o evento reúne um total de 548 trabalhos trabalhos (240 artigos completos, 236 artigos resumidos e 72 artigos de iniciação científica), de autores filiados a instituições de 10 países diferentes. Graças ao trabalho criterioso e intenso de 166 doutores, das principais instituições de ensino e pesquisa brasileiras, e de algumas estrangeiras, envolvidos em 2694 avaliações cegas, foi possível selecionar o que há de melhor e mais atual na pesquisa e desenvolvimento em design. A seleção mais rígida se deu na trilha dos artigos completos, que representam o estado-da-arte da produção científica e tecnológica da área. De 903 trabalhos submetidos nessa modalidade, apenas 240 (27%) foram selecionados, e mais 128, após convite do comitê científico, foram convertidos para artigos resumidos. Visando-se promover amplas discussões e trocas de experiências, foram montadas sessões técnicas com temas transversais, com artigos completos e resumos expandidos selecionados pelos próprios coordenadores de sessão, que tiveram participação ativa ao longo do processo. Foi também reservado um período de 30 minutos, ao final de cada sessão, para discussão entre os participantes, mediada pelo coordenador. O evento foi enriquecido com um dia inteiro, precedendo os três dias dedicados a sessões técnicas e palestras convidadas, durante o qual ocorrerão duas mesas redondas e diversos workshops. Como já é tradicional no P&D Design, contaremos com a presença de palestrantes nacionais e internacionais especialmente convidados, que trarão o que há de mais interessante e atual nas fronteiras da pesquisa em design. A programação inclui, ainda, o lançamento de livros e periódicos, e a realização de reuniões de entidades científicas. A organização do evento contou com a colaboração de professores e estudantes das mais importantes instituições de ensino superior de design da cidade de São Paulo, e também de funcionários do Centro Universitário Senac, que deram o melhor de si nos últimos meses. Contou também com o auxílio de agências de fomento, apoiadores externos e diversos parceiros. A excelência dos trabalhos selecionados foi garantida pelo esforço dos pesquisadores integrantes do Comitê Científico e da Comissão de Avaliação, que

indicaram palestrantes convidados. e participaram da montagem das sessões técnicas. Priscila Farias/ Presidente da Comissão Organizadora Dr. Esperamos que todos os presentes desfrutem da intensa programação do evento e da diversificada vida cultural e noturna da cidade de São Paulo. Sejam bem-vindos ao evento e a São Paulo! São Paulo.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / colaboraram com a definição da temática e dos critérios de avaliação. que muito contribuirá para o amadurecimento da pesquisa em design no Brasil. e estamos confiantes de que tudo isso resultará em uma excelente ocasião para a relexão e a discussão de alto nível. Romero Tori/ Presidente do Comitê Científico . conduziram o rigoroso processo de avaliação cega dos artigos. 08 de Outubro de 2008 Dra. Agradecemos a todos.

Dra. Dra. Dra. / UNESP-Bauru Júlio Carlos de Souza van der Linden. Dr. / FAU-USP Marizilda Menezes. Dr. Dra. França Carla Galvão Spinillo. / Université Paris 1/ Sorbonne. / ESDI-UERJ Wilson Kindlein Júnior. / UAM José Carlos Plácido da SIlva. Dra. Dra. / PUC-Rio Sandra Regina Rech. Dr. Dra. Dra. / UFRGS Luiz Antonio Luzio Coelho. / UFRGS . Dr. Dra. / UDESC Solange Galvão Coutinho. / UFPR Andre Menezes Marques das Neves. Dr. Dr. Dra. Dra. / Centro Universitário Senac / FAU-USP Marcos da Costa Braga. Dr. / PUC-Rio Dijon Moraes Júnior. Dr.COMITÊS / / / COMITÊ CIENTÍFICO / / Romero Tori. Dra. Dr. / UAM Lia Buarque de Macedo Guimarães. / UFSC Ricardo Wagner. Dr. / UNIRITTER Marcelo Marcio Soares. / UnB Jofre Silva. / PUC-Rio Luiz Antonio Vidal de Negreiros Gomes. Dra. Dr. / FEEVALE Rejane Spitz. / UEMG Ernesto Giovanni Boccara. / Centro Universitário Senac / FAAP / UNICAMP Eugenio Andrés Díaz Merino. / PUC-Rio André Luiz Battaiola. Dr. / UNESP-Bauru Monica Moura. / UFSC Guilherme Silva da Cunha Lima. Dr. / UNIRITTER Kathia Castilho. Dra. Dr. / UFPE Andrea Pereira. Dra. / UFPR Alfredo Jefferson de Oliveira. / Centro Universitário Senac / USP (Presidente) / Edson do Prado Pfutzenreuter. Dr. / UAM Rafael Cardoso. Dr. / Centro Universitário Senac Denise Berruezo Portinari. / UFPR Claudia Renata Mont’Alvão. Dr. / Centro Universitário Senac Priscila Lena Farias. Dr. Dr. Dr. / FAU-USP Daniela Kutschat Hanns. Dr. Dra. / UFPR Washington Dias Lessa. Dra. Dr. Dr. / ESDI-UERJ Itiro Iida. / UFMG Bernard Darras. / PUC-Rio Ricardo Triska. / UFPE Maria Cecilia Loschiavo dos Santos. / UFPE Stephania Padovani. Dra. / PUC-Rio Clice de Toledo Sanjar Mazzilli. / FAU-USP / Ágata Tinoco. / UFRJ Rita Maria de Souza Couto. / PUC-Rio Regina Heidrich. / ESPM / FAAP Aguinaldo dos Santos. Dra. Dr.

Dra. Dra. Dra. / PUC-Rio Flavio Cauduro. / PUC-Rio Ernesto Giovanni Boccara. / EPUSP Fábio Campos. / CEFET-SC Agda Carvalho. Dr. Dra. / UAM Claudia Mont’Alvão. Dra. Dr. / USP Jorge Neves. / UAM Dulce Maria Holanda Maciel. Dr. Dra / Mackenzie Benamy Turkienicz. / FAU-USP João de Souza Leite. / UFMG Aniceh Farah Neves. Portugal José Carlos Plácido da SIlva. Dra. Dr. / PUC-Rio Claudio Magalhães. Dr. Dr. Dr. / UNESP Joel Lacerda. Dr. Dr. / Centro Universitário Senac Daniela Kutschat Hanns. Dr. Dra / UNESP Anna Paula Silva Gouveia. / Centro Universitário Senac / UNICAMP Ariane Cole. / CEFET-SC Jofre Silva. Dra. / FGV-RJ Itiro Iida. / UFPR Alberto Cipiniuk. / Centro Universitário Senac / FAU-USP Gisela Belluzzo de Campos. . / PUC-Rio Andrea Pereira. / Universidade do Minho. / UNISINOS Giorgio Giorgi. / UFPE Haroldo Gallo. Dr. / Mackenzie Elisa Pontes (avaliadora de artigos de iniciacão científica) / Centro Universitário Senac Enrique Renteria. Dr. Dr. / PUC-RS Gabriela Celani. / Centro Universitário Senac Dijon Moraes Júnior. Dr. Dra. Dra. Dra. Dr. Dr. / UESC Alfredo Jefferson de Oliveira. / UNICAMP Isabella Perrotta. Dr. Dra. / UAM . Dr. Dr. / UNESP Adriano Heemann. Dr. Dra. Dr. / UNIRITTER João Bezerra de Menezes. / PUC-Rio Alexandre Farbiarz. Dr. Dr. / Mackenzie Cibele Taralli. / Centro Universitário Senac Eliana Silva. Dr. Dr. Dr./ UNISINOS Fabricio Silveira./ Centro Universitário Senac Aglair Bernardo. / Centro Universitário Senac Denise Berruezo Portinari. / UNISINOS Fausto Mascia. / PUC-SP Clice de Toledo Sanjar Mazzilli. / UFPR Carlos Tadeu Siepierski. / UFSC Evelise Ruthschilling. Dr. Dr. / FAU-USP Celso Scaletsky. / UFRGS Carla Dias. / UAM Gustavo Borba. / UNESP-Bauru Kathia Castilho. / PUC-Rio Carla Spinillo. Dr. Dra. / PUC-Rio Júlio Carlos de Souza van der Linden. Dra. / UAM Jorge Boueri. / UFPR André Monat. Dr. / UFSC Aguinaldo dos Santos. / UNISINOS Hans Waechter. Dr. Dr. / FAU-USP Clylton Fernandes. / UNICAMP Gilmar Hermes. / Centro Universitário Belas Artes de São Paulo Carlos Zibel Costa. / UFRGS Fabio Parode. Dr.CADERNO/ DE/ RESUMOS COMISSÃO DE AVALIAÇÃO / / Abilio Santos Filho. PUC-Rio André Battaiola. Dr. Dra. / Centro Universitário Senac Filipe Xavier da Costa. Dr. Dr. Dr. Dr. Dra. Dr. / FAU-USP Claudia Marinho. Dr. / UEL Cyntia Malagutti Sousa. Dr. / UEMG Drausio Vicente Camarnado Jr. / PUC-Rio Denise Dantas. / UFF Alexandre Reis. Dra. / UNISINOS Charles Vincent. Dr. / UFPE André Villas-Boas. Dr. Dr. Dr. Dr . / Centro Universitário Senac Eugenio Andrés Díaz Merino. / ESDI-UERJ André Neves. Dra. / PUC-Rio João Eduardo dos Santos. / UnB Jackeline Farbiarz. Dr. / UNICAMP Hermes Renato Hildebrand. / UAM Jorge Bassani. Dra. Dr. / UFPE Fernando Fogliano. Dr. / UESC Edson Pfutzenreuter. Dra. / UNISINOS Flavia Nizia Ribeiro. Dra. / PUC-Rio Cleomar Rocha. / UFPE Cristiane Zerbetto. Dr. Dr. Dra.

Dra. / UFSM Rejane Spitz. Dr. UFRJ Virginia Cavalcanti. / UNESP Maristela Ono. Dr. Dra. Dr. / Centro Universitário Senac Reinilda Minuzzi. Dra. Dra. / FAU-USP Luciane Fadel. Dra. / Centro Universitário Senac Priscila Arantes. Dra. Dr. Dra. / PUC-Rio Vera Nojima. / UNESP Luiz Antônio Coelho. Dr. Dra. Dr. Dra. Dr. / UFSC Marco Rossi. / FAU-USP Maria Antonia Benutti. Dr. / FAU-USP Roger Tavares. / UAM Sandra Makowiecky. Dr. / ESDI-UERJ Luis Carlos Paschoarelli. Dra. / UniverCidade / ESDI/UERJ Vania Ulbricht. / PUC-Rio Luiz Antonio Vidal de Negreiros Gomes. / Centro Universitário Senac Priscila Farias. / UEMG Luís Cláudio Nascimento. Dra. / UDESC Sérgio Nesteriuk. / UFPR Virginia Souto. / Universidade de Sorocaba Luiz Gomez. Dra. / Centro Universitário Senac Rita Maria Couto. Dra. / UFSC Leonardo Castillo. / UFPE Leila Gontijo. Dra. / UNB Washington Lessa. / Mackenzie Nilton Gamba Junior. / PUC-Rio Ricardo Triska. Dr. Dr. Dra. / Centro Universitário Senac Lucy Niemeyer. Dr. Dr. Dra. / UFSC Luiz Porto. / Centro Universitário Senac / USP Rosane Fonseca de Freitas Martins. Dra. Dr. Dr. / UFPE Stephania Padovani. Dr. Dra / PUC-Rio Vicente Cerqueira. Dr. / Centro Universitário Feevale Regina Cunha Wilke. Dr. / UNESP-Bauru Mauro Baptista. / UDESC Sandra Regina Ramalho e Oliveira. Dra. Dr. Dr. Dra. Dra. Dra. Dra. / UNOESC Lucio Agra. Dra. / UFPR Suzana Barreto Martins. Dra. Dra. Dra. Dr. / Centro Universitário Moura Lacerda Maria Irene Szmrecsanyi. Dr. Dr.UNESP Paulo Reyes. / UAM Monica Moura. / UFPE Lia Krucken. / UAM Rafael Cardoso Denis. / PUC-Rio Nubia Bernard . Dra. Dr. / UTFPR / UFPR Marizilda Menezes. / UNISINOS Polise Moreira De Marchi. /PUC-Rio Roberto do Nascimento. Dra / UDESC Marília Gonçalves. Dra. Dra. Dra. / UDESC Nara Silvia Marcondes Martins. / UNESP Maria Augusta Pisani. / Centro Universitário Belas Artes de São Paulo Maria Cristina Volpi. / UFSC Ricardo Wagner. Dra. Dra. / UEL Rosane Preciosa. Dra. Dra. / UFPE Laerte Sznelwar. Dr. / PUC-Rio Manuela Neves. / UFPE Virginia Kistmann. / FAAC . / Centro Universitário Senac Romero Tori. / FEC-Unicamp Paula Katakura.COMITÊS / / / Katia Araujo. / UFRGS . Dr. / UFRJ Rita Stano. / UNESP . Dra. / UNESP Marcos da Costa Braga. / UAM Monique Vandresen. Dra. Portugal Mara Sant’Anna. Dr. / UAM / UFSC Vania Valente. / Centro Universitário Senac Regina Lara. Dra. Dr. / UNESP-Bauru Luisa Paraguai. / EPUSP Laura Martins. Dra. / UAM / PUC_SP Silvio Barreto Campello. / UAM / UEL Sydney Freitas. Dra. / UNESP Vera Damazio. Dr. Dr./ ESDI-UERJ Wilson Florio. Dra. Dra. / UFPE Solange Galvão Coutinho. / Universidade do Minho. Dra. / FAU-USP Maria Luiza Calim de Carvalho Costa. / FMU/FIAM Paula Landim. / UNICAMP Wilson Kindlein Júnior. Dra. Dra. / PUC-Rio Regina Heidrich. Dra. / UNIFEI Rita de Cássia Oliveira.Bauru Robinson Salata. / UNIRITTER Luiza Novae. / Mackenzie Rachel Zuanon. Dra. Dra. / UFRJ Maria de Fatima Mattos.

/ / / / 08/SUMÁRIO/ / / / / / / / / / / / / /12 TEMÁTICA DO EVENTO / / / / / / / / / / /14 PALESTRANTES CONVIDADOS / / / / / / / / / / /17 PROGRAMAÇÃO GERAL / / / / / / / / / / /18 PROGRAMAÇÃO POR DIA / / / / / / / / / / /250 /282 /283 /284 INDICE DOS TRABALHOS POR SESSÃO / / / / / / / / / / / / COMO CHEGAR AO CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC / / / / / / / / / / / MAPA DO CAMPUS E ACESSO A INTERNET / / / / / / / / / / / PLANTA DO PRÉDIO ACADÊMICO 1 / / / / / / / / / / / / .

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /26 RESUMOS E HORÁRIOS DOS EVENTOS DOS WORKSHOPS & EVENTOS PARALELOS / / / / / /38 RESUMOS E HORÁRIOS DAS PALESTRAS / / / / / / / / / /44 RESUMOS E HORÁRIOS DAS SESSÕES TÉCNICAS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /220 RESUMOS E HORÁRIOS DAS SESSÕES DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /285 /286 PLANTA DO CENTRO DE CONVENÇÕES / / / / / / / / / / / / TELEFONES ÚTEIS / / / / / / / / / / / / / .

Desta forma. através de consulta à comunidade de pesquisadores na área de Design. tanto em relação a instituições quanto a indivíduos. objetos de estudo e abordagens presentes no campo. e para isso definimos uma temática que visa abrigar a diversidade de escopos. organizado em 2005 pelo Comitê de Assessoramento da área de Desenho Industrial do CNPq. e para a organizacão dos anais. / / / / / / / / / / / / /12 . enquanto que os ‘tópicos’ agrupam as ‘especialidades do design’ indicadas no mesmo. Também foram solicitados a indicar seus conflitos de interesse. As categorias e tópicos também foram adotadas como critério para a montagem das sessões técnicas. Ao cadastrar-se como parecerista. o sistema de submissão distribuiu os trabalhos de forma compatível entre os pareceristas. os membros da Comissão de Avaliação foram solicitados a indicar seus tópicos de interesse para avaliação. Ao submeter um artigo.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / TEMÁTICA DO EVENTO/ CATEGORIAS/ TÓPICOS / / / / / O P&D Design têm como objetivo construir um painel amplo do estado da pesquisa em design. os autores foram solicitados a descrever seu trabalho escolhendo uma das 6 categorias. As categorias definidas para o P&D DESIGN 2008 seguem as ‘sub-áreas do design’ listadas no documento. e de um a três dos 12 tópicos do evento. A lista de categorias e tópicos de interesse que norteiam a temática do P&D Design 2008 teve origem no documento REVISÃO DA TABELA DE ÁREAS DO CONHECIMENTO SOB A ÓTICA DO DESIGN.

/ / 2/ DESIGN DE PRODUTOS design. arte e tecnologia. / / 10/ ASPECTOS COMUNICACIONAIS DO DESIGN design e semiótica/ design e teorias da comunicação. / / 12/ ASPECTOS SOCIAIS DO DESIGN design e cultura/ design social/ design e ensino/ design e gestão/ design e antropologia/ design e política. / / 4/ DESIGN PARA AMBIENTES CONSTRUÍDOS design de interiores/ design e ambiente construído/ design e arquitetura/ design e urbanismo. diagramas e mapas/ design de sinalização. materiais e processos de fabricação/ design de transportes/ design de mobiliário. / / / / / /13 . materiais e processos de fabricação/ ecodesign. / / 8/ DESIGN SUSTENTÁVEL design e sustentabilidade/ design. / / 9/ ASPECTOS ARTÍSTICOS DO DESIGN/ design e cultura/ design e estética/ design. / / 3/ DESIGN PARA MEIOS ELETRÔNICOS E DIGITAIS design de interfaces digitais/ design de processos interativos e imersivos/ design de redes/ design de jogos / design de movimento. / / 7/ DESIGN. / / 11/ ASPECTOS FILOSÓFICOS DO DESIGN/ design e estética/ design e estudos de subjetividade/ design e ética/ design e semiótica. ERGONOMIA E USABILIDADE ergonomia e usabilidade de interfaces humanocomputador/ ergonomia informacional/ ergodesign. / / 6/ DESIGN DA INFORMAÇÃO design de sistemas de informação e comunicação/ design da informação para mídia impressa/ design da informação para mídias digitais/ design de pictogramas.TEMÁTICA/ DO/ EVENTO / / / CATEGORIAS / I/ TEORIA E CRÍTICA DO DESIGN II/ HISTÓRIA DO DESIGN III/ METODOLOGIAS DO DESIGN IV/ PEDAGOGIA DO DESIGN V/ PROJETOS EM DESIGN VI/ DESIGN E TECNOLOGIA / / / / / TÓPICOS / 1/ DESIGN GRÁFICO design editorial/ design de superfícies para indústria gráfica/ design de sinalização/ design de embalagens/ design de tipos/ tipografia. / / 5/ DESIGN TEXTIL E DE VESTUÁRIO design de moda/ design de jóias/ design têxtil/ design de superfícies para indústria textil.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PALESTRANTES CONVIDADOS / / / / / ANANThAPURAM G. Desenvolve um trabalho para “reposicionar” o bambu artesanal através do design qualificando produtos para que cheguem a zonas urbanas e mercados de exportação. ITÁLIA Engenheiro químico pelo Politécnico de Milão é professor na área de ciência e tecnologia dos materiais do Departamento de Química Física Aplicada do Instituto Politécnico de Milão. Bombay há quase 40 anos.FAUUSP. DR. Autor de diversos artigos científicos na área de materiais para aplicações biomédicas. 2003. “Daniel Senise . Bienal de São Paulo (1996). Trabalha com pesquisa e consultoria na área de concepção estratégica e projetos de inovação na área dos sistemas de produto e serviços. É fundador do Bamboo Studio no IIT onde desenvolve pesquisas e projetos a partir do uso do bambu. / . Ele é o presidente da Sociedade Italiana de Biomateriais. Foi Curador de Exposições Temporárias do MACUSP (1990/1992) e Curador Geral do MAMRJ (1998/2000). DR. prof Rao é colaborador do Centro de Design Industrial no Indian Institute of Technology. INDUSTRIAL DESIGN CENTRE/ INDIAN INSTITUTE OF TECHNOLOGy/ BOMBAy. com foco especial em alimentação (food design). exposições e simpósios científicos. da 1a. material pelo qual tem um interesse especial por sua característica ecofriendly e pela tradição de seu uso em milhares de famílias na Índia. ITÁLIA ALBERTO CIGADA. SP: Publifolha. desde 2004 integra o comitê científico e o corpo docente do Mestrado em Design Estratégico organizado pelo consórcio Polidesign. Bienal de São Paulo (1992). vice-presidente da Sociedade Italiana de Biomecânica em Ortopedia e Traumatologia e secretário do Centro Interuniversitario de Pesquisa em Materiais para a Engenharia Biomédica (CIRMIB). SP: Editora W11. Professora convidada em outras escolas e universidades. RJ: Andréa Jacobsen. 2004. Participa de equipes nacionais e internacionais de pesquisa e é ativamente envolvida na organização e gerência de eventos. Foi também Curador Adjunto da 23a. POLITECNICO DI MILANO. 2002. entre outros.Amélia Toledo”. / / Com formação em Engenharia Mecânica e pósgraduação em design pela National Institute of Design de Ahmedabad. “Arte brasileira hoje”. Bienal de Johannesburgo (1995) e Curador da Representação Brasileira da 25a. / / ANNA MERONI. BRASIL Agnaldo Farias é Professor Doutor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo . DRA. designer e doutora em Design Industrial é pesquisadora do Departamento IDACO do Politécnico de Milão e leciona design industrial e design de serviços na Faculdade de Design desta instituição. Atualmente é consultor de curadoria do Instituto Tomie Ohtake. É autor dos livros “As Naturezas do Artifício . POLITECNICO DI MILANO. RAO. / / / /14 Arquiteta. É autora de artigos científicos e colaboradora no livro Design Research Now: Essays and Selected Projects (Board of International Research in Design). INDIA AGNALDO FARIAS FAU-USP.The piano factory”.

/ / premiados pela IBM Research Pat Goldberg Best Paper Award em Ciência da Computação. Trabalha com design e construção de ambientes interativos físicos e com teatro computacional. BRASIL CLÁUDIO SANTOS PINhAREZ. / / CRISTINA TRISTÃO DE ANDRADE. foi o responsável pela área de Consumer Experience Design da Motorola/América Latina. WATSON RESEARCH LAB. Em 2003 seu trabalho foi reconhecido pela Hispanic Engineers National Achievement Awards Conference (HENAAC). Em 2005 recebeu o Prêmio Sergio Motta com a instalação multimídia interativa Atrator Poético. Desde 1995 é membro do SCIArts. Autora de diversos artigos sobre design gráfico. Nos quatro últimos anos ele tem liderado o projeto Everywhere Interactive Displays. CENTRAL ST. Nova Zelândia. Atua como professor de fotografia digital e desenvolve pesquisas que envolvem o uso e a compreensão das novas tecnologias da imagem em sua inserção na cultura e produção de conhecimento. onde desenvolve projetos de espaços interativos e investiga as interfaces físicas para a informação. DRA. desenvolvendo novas formas de interação em ambientes de computação ubíqua baseados em projetores interativos direcionáveis. Tem experiência na área de Engenharia de Materiais e Metalúrgica. Autor do livro O designer humilde: lógica e ética para inovação (Rosari). atua como professora associada da UFRJ. CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC – SP. gelificação. e curadora do Central Lettering Record. UFRJ. BRASIL ChARLES BEZERRA. DR. Doutor pelo Institute of Design do Illinois Institute of Technology. lecionou na Universidade Federal de Pernambuco. Pesquisador na IBM TJ Watson. / / /15 . uma equipe interdisciplinar que desenvolve projetos na intersecção entre arte. e na University of Otago. ciência e tecnologia. amido termoplástico. Tem artigos Doutor e mestre em Comunicação e Semiótica pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo é Engenheiro Civil. Físico com Especialização em Engenharia de Computação e Fotógrafo. BRASIL Charles Bezerra é diretor executivo do GAD’Innovation. incluindo a premiada série Great Ideas. EUA/BRASI Doutor pelo MIT Media Lab. atuando principalmente nos seguintes temas: reologia. co-autora (com Phil Baines) do livro Signs: lettering in the environment (Laurence King 2003) e de diversos trabalhos de design editorial. modificação química e caracterização estrutural. Pinhanez é cientista da computação e artista midiático. IBM T. DR. Com mais de 10 anos de experiência como consultor na área de design estratégico. / / Com doutorado sanduíche (UFRJ/ RWTHAachen) em Ciência e Tecnologia de Polímeros pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (1984). Realizou estágios após o doutorado no CERMAV-CNRS e no IFR-BBSRC. com ênfase em Polímeros. / / FERNANDO FOGLIANO. DRA. designer. GAD’ DESIGN. PerCom’03 e ICVS’03. da Penguin Book. Atuou como pesquisador visitante na ATR-MIC em Quioto e na Sony Computer Science Laboratory em Tóquio.PALESTRANTES CONVIDADOS / / / / CAThERINE DIXON. MARTINS SCHOOL OF ART AND DESIGN. letreiramento e tipografia. É autora de diversos artigos científicos na área. J. UNIVERSITy OF THE ARTS LONDON/ REINO UNIDO Doutora pela Open University. DR. pesquisadora e professora.

espaço e superfície na arquitetura contemporânea. e da coletânea de textos de Villém Flusser O mundo codificado (Cosac Naify. Autor de American Design in the Twentieth Century pela Editora da Manchester University. PUC-RIO. EUA Doutor pela Tesside University do Reino Unido. em busca de desvendar as relações entre o trânsito de massa e a experiência pessoal de viagem. MIT MEDIA LAB. /16 . do Media Lab | MIT. Foi curador da Making Buildings. Graduado em História da Arte pela Universidade de Boston e pelo Instituto Pratt de Nova Iorque. especialista em Plásticos pela Universidade Mackenzie. com MBA em Economia de Empresas pela USP e Especialização em Marketing pela ESPM. É também organizador do premiado O Design Brasileiro. / / JEFFERSON GARBELLOTI. Atualmente ocupa o cargo de Gerente Comercial Nacional da Eastman do Brasil. Antes do Design (Cosac Naify. DR. Ele detém 30 patentes nos EUA e recebeu três Mitsubishi Electric Invention Awards. está conduzindo uma pesquisa para um novo livro. / / / / / Engenheiro de Materiais. Autor dos livros Spatial Augmented Reality: Merging Real and Virtual Worlds e Computational Photography: Synthesis Lectures on Computer Graphics and Animation. onde desenvolveu um novo método chamado Shader Lamps.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / GREGORy VOTOLATO. MBA EASTMAN DO BRASIL Doutor pela Universidade da Carolina do Norte. 2005). e do livro Uma Introdução à História do Design (Edgard Blücher. exposição que discutiu a “manufatura” de estrutura. A Travel History (Reaktion Books. Arquiteto pela Escola de Design de Rhode Island. Recebeu em 2003 o Prêmio Global Indus Technovator. atuando no mercado de chapas plásticas há mais de 10 anos. Ship. / / RAFAEL CARDOSO. BUCKINGHAMSHIRE COLLEGE OF ART AND DESIGN/ REINO UNIDO / / RAMESh RASkAR. concedido MIT para projetos de inovação em tecnologia a nível mundial e em 2004 o Prêmio de TR100 Technology Review. BRASIL Doutor em História da Arte pela University Of London | Courtauld Institute Of Art. a ser publicado em 2009. atualmente é líder do grupo de pesquisa Camera Culture. Autor de diversos artigos sobre história do design e história da arte. 2005). DR. 2004). que trabalha no desenvolvimento de novas ferramentas de captação e difusão da experiência visual. Transport Design. Seu último livro. Atualmente. DR. 2007) mapeia a evolução do design de veículos de transporte. usando projetores e câmeras baseados em realidade espacial aumentada. que possibilita introduzir elementos sintéticos no mundo real.

A a ST.04.R) Sessões Técnicas ST5 (ST.05. Agda Regina de Carvalho/ Prof.A a ST.03.02.P) Intervalo Palestra 3/ Anna Meroni Reunião Comitê Científico Intervalo Palestra 5/ Agnaldo Farias Assembléia SBDI Apresentação Ballet Triádico Assembléia AEND|Brasil P&D DESIGN 2008 Jantar por adesão Palestra 7/ Charles Bezerra Seção de encerramento /17 .03. 2 e 3/ 1o andar DESIGN GRÁFICO E COMUNICAÇÃO VISUAL (TRABALHOS DE ALUNOS) Prof.Q) Intervalo para Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra 4/ Catherine Dixon Coffee-break Sessão IC-02 (IC.A a ST.A . Roger Tavares (organização) Centro de Convenções/ Salas Multiuso 1.A a ST.IC.A .01.01.03.IC.A a ST. Dr.02.R) Coffee-break Sessões Técnicas ST3 (ST.05.02.02.A .IC. Ernesto Giovanni Boccara/ Prof. Mestre José Alves de Oliveira Prédio Acadêmico/ Ala A/ térreo A RECONSTITUIÇÃO DOS FIGURINOS DO BALLET TRIÁDICO DE OSkAR SChLEMMER NA BAUhAUS (1917-1933) Profa.01.06.PROGRAMAÇÃO GERAL / / / PROGRAMAÇÃO GERAL / EVENTOS PERMANENTES INTERFACE CORPO E GAMES Prof.01. Dra.I) 08 DE OUTUBRO QUARTA-FEIRA Credenciamento Workshops & 3º Simpósio Senac de Materiais/ Mutações 09 DE OUTUBRO QUINTA-FEIRA Credenciamento Sessão de Abertura Welcome Coffee 10 DE OUTUBRO SEXTA-FEIRA 11 DE OUTUBRO SÁBADO Sessões Técnicas ST2 (ST.07.A a ST.I) Intervalo para Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra 6/ Greg Votolato Coffee-break Sessão IC-003 (IC.03.04.P) Sessões Técnicas ST4 (ST.R) Coffee-break Sessões Técnicas ST6 (ST. Lúcio Agra Prédio Acadêmico/ Ala F/ 1o andar / / PROGRAMA GERAL / 08H00-09H00 09H00-09H45 09H45-10H30 10H30-11H00 11H00-11H30 11H30-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-18H00 18H00-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 Reunião coordenadores de Programas de Pósgraduação em Design Happy-hour Workshops & Mesa redonda: O Design e as Tecnologias Interativas Intervalo para Almoço Artigos Premiados P&D Design 2008 Palestra 1/ Rafael Cardoso Intervalo para Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra 2/ Anantpuran G Rao Coffee-break Sessão IC-01 (IC.F) Sessões Técnicas ST1 (ST. Dr.R) Sessões Técnicas ST7 (ST.06. Dr.A a ST.07.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PROGRAMAÇÃO 08/10/2008. QUARTA-FEIRA / AUDITÓRIO 01 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-14H00 14H00-16H00 16H00-16H30 16H30-18H00 18H00-20H00 20H00-20H30 Happy Hour Credenciamento 3º Simpósio Senac de Materiais Coffee-Break 3º Simpósio Senac de Materiais Almoço Design e Tecnologias Interativas Coffee-Break Design e Tecnologias Interativas Reunião dos Programas de Pós-graduação em Design Design Atitudinal Design Atitudinal AUDITÓRIO 03 ACADÊMICO/ C237 ACADÊMICO/ C146 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-14H00 14H00-16H00 16H00-16H30 16H30-18H00 18H00-20H00 20H00-20H30 Almoço Hiperrealismo Vetorial Coffee-Break Hiperrealismo Vetorial Coffee-Break ACADÊMICO/ A106 ACADÊMICO/ A107 Fabricação Digital e Prototipagem Rápida Fabricação Digital e Prototipagem Rápida Fabricação Digital e Prototipagem Rápida Software Livre para Tipografia Digital Fabricação Digital e Prototipagem Rápida Software Livre para Tipografia Digital /18 .

PROGRAMAÇÃO 08/10 / / / ACADÊMICO/ C239 ACADÊMICO/ C243 ACADÊMICO/ A118 ACADÊMICO/ C134 Criatividade Sustentável Coffee-Break Criatividade Sustentável Almoço Life Cycle Design Coffee-Break Life Cycle Design What an Emotion! Design em E-Paper Anatomia do Padrão What an Emotion! Design em E-Paper Anatomia do Padrão What an Emotion! Design em E-Paper Anatomia do Padrão What an Emotion! Design em E-Paper Anatomia do Padrão ACADÊMICO/ C138 ACADÊMICO/ C148 GASTRONOMIA/ ENOLOGIA GASTRONOMIA/ COZINhA 1 Coqueteis Clássicos Coffee-Break Coqueteis Clássicos Almoço Biônica Aplicada ao Design de Produtos Coffee-Break Biônica Aplicada ao Design de Produtos Infografia Alimento como Ferramenta/ Utensílio Infografia Alimento como Ferramenta/ Utensílio /19 .

01.A Intervalo P3/Anna Meroni Reunião Comitê Científico AUDITÓRIO 02 AUDITÓRIO 03 IC.L Almoço Coffee-break Jantar por adesão SALA C239 SALA C241 SALA C242 SALA C243 AUDITÓRIO 01 Credenciamento Sessão de abertura Fomento à Pesquisa e Desenvolvimento em Design no Brasil/ Mesa Redonda Welcome Coffee Palestra 1/ Rafael Cardoso Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra2/Anantpuran G.01.I ST. QUINTA-FEIRA / 08H00-09H00 09H00-09H30 09H00-10H30 10H30-11H30 11H30-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-18H00 18H00-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 / 08H00-09H00 09H00-09H45 09H45-11H00 11H00-11H30 11H30-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-18H00 18H00-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 /20 Coffee-break IC. Rao Coffee-break IC.B ST.01.J ST.01.01.B IC.C .01.01.A ST.C ST.K ST.01.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PROGRAMAÇÃO 09/10/2008.01.I ST.01.01.

01.H ST.N ST.01.F ST.O ST.01.01.01.M ST.PROGRAMAÇÃO 09/10 / / / AUDITÓRIO 04 SALA C149 SALA C233 SALA C235 SALA C237 Coffee-break Almoço Coffee-break IC.01.01.01.F IC.01.G IC.01.H SALA C244 SALA C245 SALA C247 SALA C254 Coffee-break Almoço Coffee-break ST.G ST.D ST.P /21 .01.E IC.01.D IC.E ST.01.01.

M Intervalo ST.C ST.J Almoço ST.02.02.L ST.04.D ST.A Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra 4/ Catherine Dixon Coffee-break IC.B ST.K ST.B IC.04.02.02.M ST.03.02.D ST.03.04.K ST.D AUDITÓRIO 01 AUDITÓRIO 02 AUDITÓRIO 03 AUDITÓRIO 04 / 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 SALA A225 SALA C235 SALA C237 SALA C238 ST.02.03.02.02.M /22 .C ST.03.02.03.04.C IC.J ST.C ST.03.L ST.D ST. SEXTA-FEIRA / 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-18H00 18H00-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 Apresentação Ballet Triádico ST.K ST.04.04.04.03.L ST.A Coffee-Break ST.B ST.01.02.J Coffee-Break ST.04.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PROGRAMAÇÃO 10/10/2008.03.B ST.02.A Intervalo Palestra 5/ Agnaldo Farias Assembléia SBDI IC.A ST.

03.04.I Almoço IC.F ST.F IC.N Coffee-Break ST.H ST.P ST.H ST.Q ST.O ST.02.F ST.G IC.H ST.04.E Coffee-Break ST.03.E ST.02.03.03.02.R ST.02.G ST.04.Q ST.03.04.02.02.03.N Almoço ST.G ST.P ST.I ST.02.O ST.E ST.N ST.04.04.G ST.I ST.02.I SALA C239 SALA C242 SALA C243 SALA F280 SALA E284 ST.04.O ST.P ST.02.02.E Intervalo IC.03.02.F ST.Q ST.03.04.03.04.PROGRAMAÇÃO 10/10 / / / SALA C149 SALA A205 SALA A207 SALA A214 SALA A216 ST.04.02.H IC.02.03.02.R Intervalo ST.02.R /23 .

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PROGRAMAÇÃO 11/10/2008.C IC.J ST.03.05.B ST.C ST.07.M Coffee-break ST.07.D ST.05.06.06.M ST.A ST.05.J Coffee-break ST.D ST.A Coffee-break ST.L ST.03.05.07.A Assembléia AEND | Brasil Palestra 7/ Charles Bezerra Artigos Premiados P&D Design 2008 Sessão de Encerramento IC.K ST.06.07.B ST.A Almoço Lançamento de livros e periódicos Palestra 6/ Greg Votolato Coffee-break IC.D AUDITÓRIO 01 AUDITÓRIO 02 AUDITÓRIO 03 AUDITÓRIO 04 / 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 20H30-20H45 SALA C241 ASLA C242 SALA C243 SALA C244 ST.05.07.L ST.B IC.06.K ST.07.M /24 .06.03.06.03.C ST.K ST. SÁBADO / 08H00-09H00 09H00-10H30 10H30-11H00 11H00-12H30 12H30-13H30 13H30-14H00 14H00-15H00 15H00-15H30 15H30-16H15 16H15-17H45 17H45-19H00 19H00-20H00 20H00-20H30 20H30-20H45 ST.J Almoço ST.05.05.05.07.06.B ST.07.D ST.C ST.06.L ST.

07.Q ST.05.05.H ST.PROGRAMAÇÃO 11/10 / / / SALA C149 SALA C233 SALA C235 SALA C237 SALA C239 ST.07.06.P ST.05.P ST.I Coffee-break IC.P ST.N ST.E Almoço ST.I ST.05.O ST.06.G ST.F ST.05.07.07.07.N Almoço ST.05.E ST.06.R Coffee-break ST.06.06.O ST.03.F ST.F ST.G ST.H ST.E Coffee-break ST.06.07.06.05.05.07.N Coffee-break ST.R ST.07.05.F ST.07.03.H ST.06.O ST.Q ST.06.G ST.Q ST.07.06.E IC.R /25 .I SALA C245 SALA C247 SALA C254 SALA C256 SALA C257 ST.05.

/ / / / /26 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

/ / / / RESUMOS/ &/ HORÁRIOS/ DOS/ WORKSHOPS/ &/ EVENTOS/ PARALELOS/ 08/ DE/ OUTUBRO/ 2008 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

a resistência mecânica e a hidrofobicidade garantem a boa aceitação dos plásticos. a termoplasticidade.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / EVENTO 3º SIMPÓSIO SENAC DE MATERIAIS DESIGN E MUTAÇõES/ O DESAFIO DIANTE DA TRANSITORIEDADE CyNTIA MALAGUTI (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) 8 DE OUTUBRO/ 9H00 / ÀS / 12H45 CENTRO DE CONVENÇÕES / AUDITÓRIO 1 Coordenação Data e Horário Local Sobre o Evento / / / / / / / / / / 09h00 / / 09h10 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /28 A exploração da materialidade como linguagem projetual. No entanto. como fungos e bactérias. acumulam-se em aterros sanitários e na natureza em geral. As soluções para minimizar o problema incluem o desenvolvimento de tecnologias eficientes para a reciclagem e a utilização de materiais biodegradáveis. Dentre essas famílias. este simpósio procura confrontar pesquisas e aplicações de novos materiais. Esses materiais são degradados biofisicamente. esses materiais apresentam desvantagens quando descartados. por ação das enzimas produzidas pelos microrganismos. Em sua terceira edição. Propriedades como a baixa densidade. Também se discutirá como a dinâmica da inovação nesse campo tem impactado o ensino do design e potencialidades de atuação para o designer. durante anos. ABERTURA A ESFINGE DOS MATERIAIS MUTANTES / PESQUISA. APLICAÇõES EXPERIMENTAIS OPORTUNIDADES CRISTINA TRISTÃO DE ANDRADE (INSTITUTO DE MACROMOLÉCULAS / UFRJ) Nos últimos cinqüenta anos. estima-se que esse valor tenha ultrapassado 100 kg anuais por indivíduo. e podem ser classificados em quatro famílias. Dados mostram que cerca de 52 milhões de toneladas de material plástico sintético são lançadas anualmente no meio ambiente. Na maioria dos países europeus. apenas uma é de . assim como experimentações sensório-interativas. tem crescido o volume de plásticos consumido pelas sociedades industrializadas. Polímeros ou plásticos biodegradáveis podem ser definidos como uma família de polímeros que sofre degradação por ação de organismos vivos. a ponto de exigir soluções urgentes. A poluição ambiental chegou a níveis muito elevados. através da experimentação com novos materiais e matérias-primas criadas a partir de transformações e combinações de materiais tem sido uma prática crescente do design contemporâneo. Resistentes à ação de microrganismos.

simplicidade de conformação e baixo custo. da família dos poliésteres termoplásticos. tomado da abreviação de “Special Target Informant Development Program” reflete o propósito de seu desenvolvimento – desempenho aliado a versatilidade. O nome comercial “Spectar”. o material deixa de ser um condicionante do design e o design é que passa a condicionar o desenvolvimento de novos materiais. fibra de acetato de celulose e outros materiais químicos básicos. é capaz de acompanhar o movimento do sol. cujos produtos fazem parte do dia-a-dia das pessoas ao redor do mundo. A quarta família é formada a partir de produtos da indústria petroquímica. Uma de suas recentes pesquisas deu origem ao Glasspec (Spectar). entre outros mercados. enfim. O conhecimento de ponta atualmente inverte a ordem natural do processo projetual. matérias-primas para a indústria de tintas. Criar. o que tem contribuído para intensificar a competição com os polímeros sintéticos. A segunda e a terceira famílias são formadas por meio da fermentação da biomassa. através da reorganização autônoma de sua forma. terceira e quarta classes encontram-se disponíveis comercialmente e apresentam propriedades interessantes. LIBERDADE DE PROJETO. A primeira família é constituída de polímeros obtidos a partir de fontes advindas de produtos agrícolas. Entre estes se destacam poliésteres para embalagens. com base num processo permanente de pesquisa e desenvolvimento. quimicamente conhecido como Polietileno Tereftalado modificado com Glicol (PETG). / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /29 . O texto propõe discutir a construção do sentido da obra através de uma perspectiva integradora. as demais são originárias de fontes renováveis. com sede nos EUA.200 produtos químicos. Produz e comercializa mais de 1. Alguns desses polímeros biodegradáveis das segunda.EVENTOS/ PARALELOS / / / origem fóssil. considerando a convergência entre Design. fibras e plásticos. DESAFIOS DA PESQUISA APLICADA NA EMPRESA: ALTA PERFORMANCE. As aplicações abrangem a indústria farmacêutica. novas oportunidades para o design. Arte e Ciência. principalmente no setor de embalagens. que através dessa analogia propõe uma reflexão sobre as questões que envolvem as relações entre cultura e natureza. a agroindústria. VIABILIDADE TéCNICA E ECONÔMICA – O CASO DO COPOLÍMERO SPECTAR JEFFERSON GARBELOTTI (EASTMAN DO BRASIL / PLÁSTICOS ESPECIAIS) A Eastman Chemical Company é uma empresa global.INTEGRANDO CULTURA E NATUREZA FERNANDO FOGGLIANO (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) Gira-SOL é uma escultura cuja estrutura possui a capacidade de perceber a posição do Sol e. A analogia com os girassóis é um dos aspectos poéticos na proposta deste trabalho. GIRA-SOL .

g. carried out by tuning shape and dimensions at the nanometric scale”. and possible applications are almost unlimited. transpiration (or perspiration). hydrophilicity. Nanotechnologies aim at consciously exploiting these new properties through the nanometric design of the material. electrical. also thanks to a series of examples of nanotechnologies (e. nowadays the terms nanoelectronics. antibacterial action. nanophysics. mechanical. hydrophobicity. DEBATES ENCERRAMENTO /30 . Plasma spray). characterization. In the presentation the role of nanotechnologies in the design field will be analyzed thoroughly. nanomedicine or nanomaterials are no more used. production and application of structures. magnetic…) with respect to the corresponding bulk materials. improvement of thermal insulation…) and some applications which already find place in the design field. instruments and systems. Nanostructured materials often present considerably innovative properties and characteristics (from various points if view. e.g. as well as of properties which can be conferred to materials and artifacts (self-cleaning. considered as structured at the macro or microscale. Sol-gel. Nanotechnologies are in fact permeating all of the main scientific fields. Nanotechnologies involve a particularly wide and multidisciplinary field: indeed.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / 10h30 / / 11h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / 12h15 / / 12h45 COFFEE-BREAk NANOTEChNOLOGIES FOR DESIGN ALBERTO CIGADA (ISTITUTO POLITECNICO DI MILANO / ITÁLIA) Nanotechnologies can be defined as “the design.

virtual illumination. Discute questões atuais do design de interfaces. Raskar will introduce the concept of Spatially Augmented Reality (SAR). analisando-se impactos futuros na profissão. ensino e pesquisa de design. and untethered interaction. The challenge in bringing those effects into the real world is to make the experience aesthetic. com destaque para realidade virtual. à luz das novas tecnologias interativas. innovations in sensors. The AR community has made big strides in solving the pieces of the puzzle.MESA REDONDA ROMERO TORI (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC / USP) 8 DE OUTUBRO/ 14H00 / ÀS / 18H00 CENTRO DE CONVENÇÕES / AUDITÓRIO 1 EVENTO Esta mesa discutirá o estado da arte das tecnologias interativas. seamless and natural. ABERTURA ThE POOR MAN’S PALACE RAMESH RASKAR (MEDIA LAB/MIT / EUA) Great advances in photorealistic image synthesis allow us to enjoy special effects but they remain on flat screens in movies and in video games. SAR research has taken only baby steps in supporting programmable reflectance. DESIGN DE SERVIÇOS INTERATIVOS NA WEB CLÁUDIO SANTOS PINHANEz (IBM T. will special effects have some bearing on the daily life of an average person? Mixed and augmented reality provides a unique opportunity. But the next big challenge is to exploit these innovations and deliver daily benefits for the common man via a powerful infusion of synthetic elements in the real world. que permite uma melhor compreensão Coordenação Data Local / Sobre o Evento / / / / / / / / 14h00 / / 14h10 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /31 . Emerging novel display technologies. and advances in material science have the potential to enable broader applications. But in the future. e os impactos mútuos entre a prática do design de interfaces e os novos paradigmas tecnológicos. realidade aumentada e jogos digitais. which goes beyond visual augmentation. WATSON RESEARCH LAB / EUA) Esta palestra discute o design de serviços prestados via web sob a ótica da Ciência de Serviços. synthetic motion. J.EVENTOS/ PARALELOS / / / O DESIGN E AS TECNOLOGIAS INTERATIVAS . So far.

discutem-se 15 questões fundamentais para o design de serviços interativos via web: confiança. satisfação com processo. e intangibilidade).BREAk DEBATES ENCERRAMENTO /32 . heterogeneidade. e nas seis características básicas de serviços (cliente como insumo. expectativas de serviço. e administração de raiva e frustração. Com base nestas definições. gestão de demanda e marketing. potenciação e treinamento de clientes. co-produção. personalização. consistência de performance e justiça. define-se o conceito de aplicativos via web de serviços. distinguindo este tipo de aplicativo não só de aplicativos tradicionais como também de aplicativos via web de informação. Para tanto. Estes conceitos distintos são então unificados sob a égide do relacionamento entre o provedor de serviços e o cliente. simultaneidade. e pessoal de frente.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / 16h00 / / 16h30 / / 17h45 da natureza das dificuldades e desafios enfrentados por designers. utilizando-se o conceito de sistemas intensivos de cliente como ponto de partida. privacidade. e segurança. recuperação de falhas. e consistência de qualidade. COFFEE. engenheiros. perecibilidade.

O objetivo deste workshop é o de esclarecer as diversas tecnologias que envolvem a fabricação digital e a prototipagem rápida.EVENTOS/ PARALELOS / / / WORkShOPS DESIGN EM E-PAPER: O USO DE MOCkUPS PARA O DESENVOLVIMENTO DAS INTERFACES DE PRODUTOS E SERVIÇOS JOSÉ NETO FARIA (UAM)/ MÉRCIA ALBUQUERQUE (UAM) EVENTO O workshop Design em e-paper propõe o estudo e o desenvolvimento de interfaces para novos produtos e serviços através da construção prática de ‘mock-ups’. incorporando os aspectos afetivos. diferenciar seus mais diversos usos e conscientizar professores. mas ainda incipiente em relação a outros países onde sua utilização já é considerada irreversível. pretende-se neste workshop que os participantes se utilizem de suas próprias experiências. Acadêmico 1 Atelier A118 09h00/ 12h45 13h50-18h00 / / / / / / TéCNICAS DE FABRICAÇÃO DIGITAL E PROTOTIPAGEM RÁPIDA PARA A CONFECÇÃO DE MODELOS GABRIELA CELANI (FEC-UNICAMP)/ REGIANE PUPO (UNIVALI)/ ÉRICA PINHEIRO (FEC-UNICAMP)/ BEATRIz BERTHO (FEC-UNICAMP) A utilização de novas tecnologias durante todas as fases do processo de projeto de arquitetura ou de desenho industrial no Brasil tem crescido consideravelmente nos últimos anos. incorporando os aspectos afetivos no desenvolvimento dos projetos. O objetivo principal é renovar as propriedades dos dispositivos projetados. Acadêmico 1 Sala C243 09h00/ 12h45 13h50-18h00 / / / / / / /33 . Acadêmico 1 Laboratório A 106 09h00/ 12h45 13h50-18h00 / / / / / / / / / / / / / WhAT AN EMOTION! INCORPORANDO OS ASPECTOS AFETIVOS NO DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS EM DESIGN PAULA DA CRUz LANDIM (FAAC-UNESP) A preocupação principal deste workshop é refletir sobre a função comunicativa do design. e no Brasil. Os participantes serão convidados a refletir sobre a função comunicativa do design. analisada e estudada por países como Portugal. no laboratório da automação e prototipagem para arquitetura e construção da FEC. tem sido pesquisada. No contexto desta relação entre Design e Emoção. Alemanha e Estados Unidos. A fabricação digital e todos os termos recentemente surgidos para classificar suas inúmeras aplicações. alunos e pesquisadores que é possível ter a máquina como grande aliada da criatividade. UNICAMP. de modo que possam comunicar aspectos afetivos nos projetos por eles desenvolvidos. pela abordagem não usual da construção prática das relações e usos possíveis das interfaces. Tem a intenção de propiciar o estudo das relações e funções dos elementos que compõem a interface dos produtos e serviços para terminais e-paper.

capturar e colecionar sonhos e aspirações de destinatários de projeto de design. apresentação de ingredientes (alimentos) que possam interferir na textura de bebidas. Prédio da Gastronomia Laboratório de Enologia 09h00/ 12h45 / / / / / / / REDESENhANDO COQUETéIS CLÁSSICOS ALESSANDRO NICOLA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC)/ GERSON BONILHA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) Este workshop tem como objetivo executar coquetéis clássicos com alterações nas texturas como. Em paralelo. o ecodesign necessita de criatividade extra para atingir os pressupostos do desenvolvimento sustentável. Acadêmico 1 Sala C239 09h00/ 12h45 / / / / / / / / / / DESENVOLVENDO A CRIATIVIDADE SUSTENTÁVEL MARINA OTTE (IBDI / UNIVALI) Ao praticar esportes exercitam-se variados músculos de nosso corpo. Esta aula de coquetelaria conta com a produção de cocktails clássicos. pois se deve pensar em novas maneiras de fazer ou refazer os produtos consumidos. este workshop será uma ponte entre o desenvolvimento da mente criativa e a aplicação direta em soluções sustentáveis de alternativas para produtos existentes e reaproveitamento de resíduos descartados. O cérebro. por exemplo. mapear um espectro de emoções. Mediante a isso. Propõe vivência com a produção de novas versões com o sabor equivalente aos clássicos apresentados e texturas inesperadas. também pode ser estimulado e desenvolver a percepção para o mundo criativo através de diferenciados exercícios. demonstrando o uso da distribuição espacial de elementos como recurso de uma gramática visual aplicada aos tecidos. Isto será feito por meio da apresentação de exemplos de instrumentos de sondagem que podem ser utilizados junto a pessoas para que elas possam se expressar visual e verbalmente. Então mostraremos como os resultados obtidos a partir dessa interação poderão ser utilizados como informação e referência para o processo de desenvolvimento de projeto de design.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / Acadêmico 1 Atelier C 134 09h00/ 12h45 13h50-18h00 / / ANATOMIA DO PADRÃO LUz GARCIA NEIRA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) Com o uso da técnica do estêncil. cápsula de margherita. Ao final haverá a apresentação dos resultados e degustação. desta forma eles desenvolvem-se. elemento chave para o processo criativo. Acadêmico 1 Sala C237 14h00/ 18h00 / / / / / / / /34 DESIGN ATITUDINAL | TéCNICAS DE SONDAGEM LUCy NIEMEyER (ESDI/UERJ) Durante a oficina será descrito como estamos aprendendo a catalisar. pretende-se elaborar diferentes propostas de anatomia do design de têxteis que servirão como módulos de repetição. .

Acadêmico 1 Sala C 239 14h00/ 18h00 / / / / / / / / / / hIPERRREALISMO VECTORIAL ANTONIO PALACIOS (PONTIFICIA UNIVERSIDAD CATÓLICA DEL PERÚ) El objetivo es taller es enseñar las técnicas y métodos de ilustración digital para alcanzar el grado de hiperrealismo. Acadêmico 1 Laboratório C146 14h00/ 18h00 / / / / / / UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE E FERRAMENTAS ONLINE NO DESENVOLVIMENTO DE TIPOGRAFIA DIGITAL MARCELO MAGALHÃES PEREIRA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) O workshop tem como objetivo a apresentação de softwares livres. A partir de resultados de uma ACV (Análise do Ciclo de Vida) são priorizadas quais as estratégias que levam a resultados mais eficientes e eficazes em relação ao design para a sustentabilidade ambiental. El taller consta de una parte teórica en donde se hace una reflexión entre filosofía. Partindo destas estratégias o participante é convidado a propor soluções de projeto para um produto. ferramentas de uso gratuito e de código aberto no desenvolvimento de projetos de tipografia digital. Será uma Acadêmico 1 Laboratório C 138 14h00/ 18h00 / / / / /35 . processos de fabricação e fases do ciclo-de vida do produto .EVENTOS/ PARALELOS / / / PROJETAR DE ACORDO COM A ABORDAGEM DO LIFE CyCLE DESIGN LILIANE ITEN CHAVES (UNIVERSIDADE POSITIVO)/ CLÁUDIO PEREIRA DE SAMPAIO (UNIVERSIDADE POSITIVO) O workshop propõe uma atividade do design para a sustentabilidade ambiental baseada na abordagem do Life Cycle Design. descarte e transporte. arte y diseño. das soluções orgânicas e estruturais aplicadas pela natureza aos seus elementos e visando colher dados para a solução de problemas técnicos de formas. uso. y una sección práctica en la que los asistentes. proceden a vectorizar una determinada imagen siguiendo los lineamientos descritos. sistemática. Acadêmico 1 Laboratório A 107 14h00/ 18h00 / / / / / / / BIÔNICA APLICADA AO DESIGN DE PRODUTOS ANDRÉ MARQUES (UNISINOS)/ FABRÍCIO TAROUCO (UNISINOS) Partindo de uma investigação. se propõe uma atividade de Workshop que busca a aplicação de tais temas na solução de problemas de projeto.pré-produção. apresentando um comparativo entre as ferramentas utilizadas no mercado profissional e as possibilidades de intercâmbio entre sistemas operacionais. estruturas ou objetos. Também serão apresentadas comunidades colaborativas para o desenvolvimento de ferramentas e projetos tipográficos. produção. Un permanente monitoreo de la actividad será clave para alcanzar los objetivos trazados. na qual são considerados os impactos ambientais de todo o ciclo de vida do produto: materiais utilizados. luego de una exposición del método.

O programa aborda o conceito de infografia. /36 . o projeto e a edição do material produzido. a metodologia de trabalho. Acadêmico 1 Laboratório C148 14h00/ 18h00 INFOGRAFIA ARy PIMENTA DE MORAES FILHO (UERJ) / / / / / O workshop visa estimular a discussão e o desenvolvimento de projetos de design que tenham por objetivo esclarecer informações complexas para o público porém indispensáveis para o entendimento de um determinado tema abordado pela imprensa. Haverá a demonstrações do uso e experimentação de ingredientes como goma | aguar. buscando estimular o processo criativo e a inovação dos produtos. propiciando novas idéias que provoquem o desenvolvimento de objetos comestíveis. Será uma atividade prática com o objetivo de produzir objetos comestíveis. marzipã e alimentos corantes no desenvolvimento de utensílios e ferramentas que permitam o consumo e/ou a apresentação de alimentos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / atividade prática de observação de imagens de formas naturais e o desenvolvimento de concepts que visam dar novas formas a um produto. Prédio da Gastronomia Laboratório de Enologia e Cozinha 1 14h00/ 18h00 / / / / / / ALIMENTO COMO FERRAMENTA – UTENSÍLIO ALESSANDRO NICOLA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) GERSON BONILHA (CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC) Este workshop tem como objetivo integrar as áreas de design e gastronomia.

EVENTOS/ PARALELOS / / / /37 .

/ / / / /38 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

/ / / / RESUMOS/ E/ HORÁRIOS/ DAS/ PALESTRAS/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

Modern design with its emphasis on industrial production prevailed. The post modern requirements of Society like decentralization of production setup./ Industrial Design Centre/ Indian Institute of Technology/ Bombay. But today in the age of Post modern era. Ao contrário do que têm advogado os defensores de um nacionalismo exagerado. entre fins do século 19 e início do século 20. Rao. equal participation of Women. Repositioning of craft with appropriate blend of latest technologies provides a means for practice of postmodern Design. Taking bamboo craft in which 10. which was well integrated at Bauhaus. Dr. creative participation of the worker. mas antes constitui-se em uma de suas características mais notáveis. The roots of craft were weakened with the advent of Industrialization. Post Modern design is trying to evolve as a practicable venture. e adaptando-as ao cenário local.5 million craft persons are engaged in India alone. Sustainable eco friendly ventures and Quality and Concern in reaching to the User offers a new opportunity for Design. conjugando as linguagens artísticas vigentes no plano internacional./ PUC-Rio. o design tem uma longa tradição de olhar para fora. giving craft a new status. esse processo não ameaça a identidade do design brasileiro. the paper brings out the role of design with examples of work done at bamboo studio of Industrial design Centre at IIT Bombay in past 10years. Craft as a post modern Venture offers a new scope for Designers in creative expression. PALESTRA 2 AUDITÓRIO 1 14h00/ 15h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / CRAFT AS A POST MODERN DESIGN VENTURE: EXPERIENCES IN BAMBOO CRAFT Ananthapuram G.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / 09/10/08 PALESTRA 1 AUDITÓRIO 1 11h30/ 12h30 / / / / / / / / / QUINTA-FEIRA LIÇõES EFÊMERAS: UM SéCULO DE COSMOPOLITISMO NO DESIGN GRÁFICO BRASILEIRO Rafael Cardoso. Como aliado histórico do comércio e da indústria. Crafts are acquiring a new meaning for Design. India Industrial design was built on the foundation of Arts and Crafts. /40 . A new Aesthetics based on industrial processes emerged forming the base of modern industrial design. Rio de Janeiro. Brasil A palestra parte de um estudo da coleção de registros de marcas do Arquivo Nacional. Dr. Possibilities of developing a new theoretical frame work for practice of postmodern design are further emulated. para avaliar a relação entre artes gráficas e cosmopolitismo no Brasil.

taking in account new criteria and values. sharable and possible so to generate frameworks of sense for innovation. where processes. In such a framework. competences and people are elements to consider in the design action. Also territorial systems can benefit from a strategic design approach able to link people and places in a different vision of development. an issue about environment and society: what is produced cannot be split from the way to produce it. Itália PALESTRA 3 AUDITÓRIO 1 18h00/ 19h00 The very idea of design is fast changing and moving towards a more holistic and systemic approach. Strategic design is about evolution and radical changes: it is a way to work with scenarios that can stimulate companies or social systems to new ways of thinking and designing their future.RESUMOS/ E/ HORÁRIOS / / PALESTRAS STRATEGIC DESIGN TO TAkE CARE OF ThE TERRITORy: NETWORkING CREATIVE COMMUNITIES TO LINk PEOPLE AND PLACES IN A SCENARIO OF SUSTAINABLE DEVELOPMENT Anna Meroni. It is at the level of the scenario that often the designer operates: his roles is producing powerful visions and make them desirable. currently. is the only possible criterion to drive any strategic innovation. speaking in terms of material resources as well as social wellbeing. The speech will introduce some concept and approach of strategic and service design. where the local resources and the people’s creativity are engaged in the challenging task of taking care of every kind of human settlement. sustainability is no more an option. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /41 . territories. through presenting the outcomes of research projects for territorial development. And sustainability is. and are both parts of the problem and of the possible solution. Dra./ Politecnico di Milano.

recent aquisitions to the CLR collection. Addressing this issue unexpectedly came to utilize the researcher’s own design practice as a methodology for managing emergent enquiry. The issue being addressed within the investigation was the limited scope of existing typeface classificatory systems to adequately describe the diversity of forms represented within current type design practice and thus./ FAU-USP. reduzir o papel da imaginação e as peculiaridades que os processos envolvidos na produção artística vêm assumindo na contemporaneidade. não é mais possível manter esse debate de fora da agenda dos designers e menos ainda daqueles que se ocupam de sua formação. design practice and outcome. The initial context of the investigation was a photographic lettering collection known as The Central Lettering Record (CLR). all housed as part of the teaching materials for the BA(Hons) Graphic Design course at Central Saint Martins College of Art & Design. and very much concerned with design history. . Material will be structured under four main headings: context. and for organizing and generating new knowledge through the employment of visual methods. Dr. a um só tempo. Though the investigation is located within the fields of typographic and information design. University of the Arts London.000 slides. Martins School of Art and Design. o relacionamento entre arte e design segue sendo um tema controvertido. Reino Unido This lecture will present an overview of a pragmatic research investigation first addressed within a PhD enquiry and which continues to inform my design practice and pedagogy. London. Brasil Quase um século após Adolf Loos haver publicado “Ornamento e delito” e seis anos após Hal Foster haver retomado o tema em “Design e crime”. no interior dos marcos definidos pelo pragmatismo tecnológico de Ulm e seus afluentes locais significa. this presentation will also emphasize the exploration of alternative design research methodologies. PALESTRA 5 AUDITÓRIO 1 18h00/ 19h00 / / / / / / / / / / / /42 EM DEFESA DO SONhO DE VALSA E OUTROS PRODUTOS REALIZADOS à LUZ DO BINÔMIO ARTE E DESIGN Agnaldo Farias. issue.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / 10/10/08 PALESTRA 4 AUDITÓRIO 1 14h00/ 15h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / SEXTA-FEIRA DESCRIBING TyPEFORMS: A DESIGNER’S RESPONSE Catherine Dixon. Ainda que muito do que tenha sido feito em nome da ativação do binômio arte e design revele uma incompreensão de ambos os termos. a essa altura. Acomodar-se./ Central St. Dra. This collection was begun in the 1960s and comprises over 10.000 photographs and some 4.

a dramatised account of the author’s transatlantic voyage on the largest iron steamship of its time. A Floating City. causas e complexidade do design contemporâneo.RESUMOS/ E/ HORÁRIOS / / PALESTRAS 11/10/08 PALESTRA 6 AUDITÓRIO 1 14h00/ 15h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / SÁBADO FLOATING CITIES – DESIGN AND SOCIETy AT SEA Gregory Votolato/ Buckinghamshire College of Art and Design. The cargo ship is also examined. today’s leviathan cruise ships are designed to segregate their crew. Reino Unido Floating Cities explores the evolution of ship design as a representation of the social structures and class values in maritime nations since the Nineteenth century. who form an underclass. exotic foods and raw materials. Naval war ships form another part of this story in which officer and crew quarters reflect rank as would a military camp ashore. PALESTRA 7 AUDITÓRIO 1 18h00/ 19h00 / / / / / LÓGICA. esta investigação irá explorar a natureza dos processos de design e como estes podem ser evoluídos. this paper traces the evolution of accommodations for rich and poor aboard passenger liners in the era of mass sea travel and discusses accommodation for modern cruise passengers and crewmembers who serve them. Michel Foucault wrote that the ‘vessel is the heterotopia par excellence. Referencing Jules Verne’s 1871 novel. éticas e retóricas. AUDITÓRIO 1 20h00/ 20h30 SESSÃO DE ENCERRAMENTO /43 . éTICA E RETÓRICA NO DESIGN Charles Bezerra. Apparent models of social uniformity and class homogenization. Este trabalho sugere uma estrutura para mapear as atividades de pesquisa em design nas dimensões lógicas. as a living environment and as a workplace in which some of the worst labour conditions in the modern world support the currently insatiable global market for popular consumer goods./ GAD’ Design Conjecturando sobre o contexto. while their potentially extreme working conditions demand extreme design responses. never seen off-duty by passengers and housed in conditions reminiscent of early Twentieth century steerage. Dr. including oil. In civilizations without ships the dreams dry up’.

/ / / / /44 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

/ / / / RESUMOS/ E/ HORÁRIOS/ DAS/ SESSÕES/ TÉCNICAS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

ST.01.A
Auditório 01 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/46

COORDENAÇÃO/ Priscila Farias

DESTINOS GRÁFICOS: PENSANDO NO DESIGN GRÁFICO A PARTIR DA PRODUÇÃO DOS VIAJANTES NO BRASIL DO SéCULO XIX / Artigo Completo
Miyashiro, Rafael Tadashi/ Universidade Estadual de Campinas - UNICAMP

No século XIX, o Brasil recebeu a visita de vários estrangeiros que, percorrendo as mais diversas partes do país, com propósitos distintos, deixaram registros visuais e escritos sobre a viagem; no país de origem desses viajantes, muitas vezes, esses materiais se transformaram em publicações e/ou gravuras. Neste artigo buscamos refletir sobre questões ligadas ao design gráfico, a partir de algumas dessas referências documentais realizadas pelos viajantes estrangeiros, de 1812 a 1861, ano em que foi publicado o Brazil Pittoresco, considerada a primeira obra de viajantes ilustrada a partir de fotografias na América Latina.

IMAGENS COMERCIAIS DE PERNAMBUCO: RECUPERAÇÃO E CATALOGAÇÃO DE UM ACERVO/Artigo Completo
Barreto Campello, Silvio/ Universidade Federal de Pernambuco - UFPE Agra, Jarbas/ UFPE Aragão, Isabella/ UFPE

O acervo das matrizes litográficas do Laboratório Oficina Guaianases de Gravura da UFPE representa uma excelente amostra de um tipo de produção gráfica já em desuso. Variados rótulos e embalagens de diversos tipos de produtos, produzidas através da técnica de litografia até meados da década de 1970 quando o offset se instalou definitivamente no estado. Este artigo relata como era o trabalho nestas litografias e a experiência de resgatar essas imagens esquecidas nos grãos das pedras e a tentativa de organizá-las em um acervo coerente e de utilidade pública.

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA TIPOGRAFIA PÓS-MODERNA NAS BIENAIS DE DESIGN GRÁFICO DA ADG/Artigo Resumido
Migliari, Mirella De Menezes/ PUC - Rio Farias, Priscila Lena/ Centro Universitário Senac São Paulo

Este artigo apresenta resultados parciais de uma pesquisa de doutorado em desenvolvimento, que tem como título provisório “Tipografia pósmoderna no Brasil: origens e rumos”, na qual pretende-se identificar e analisar as estratégias pós-modernas aplicadas à tipografia em nosso país. Apresentamos aqui uma metodologia desenvolvida para a realização desta análise, exemplificada com obras encontradas nos catálogos das Bienais de Design Gráfico promovidas pela ADG (Associação dos

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.01.A/ ST.01.P

Designers Gráficos). Tais catálogos são uma referência importante para a pesquisa uma vez que documentam a prática do design gráfico no Brasil a partir da década de 1990.

ANÁLISE DA FUNÇÃO ESTéTICA / POéTICA NA LINGUAGEM DO DESIGN CONTEMPORÂNEO/Artigo Resumido
Pantaleão, Lucas Farinelli/ Faculdade de Artes, Arquitetura e Comunicação – UNESP - Campus de Bauru Pinheiro, Olympio José/ FAAC – UNESP - BAURU

A pesquisa, em fase inicial, tem como objetivo investigar a função estética / poética na linguagem de uma obra de Design, na perspectiva do pensamento contemporâneo. Pretende-se contribuir para a compreensão do questionamento dos princípios modernistas, desenvolvidos na pósmodernidade, com as questões de resgate e recriação de elementos expressivos e emocionais (estilo, figuras de linguagem, ornamento). Inerente a este questionamento coloca-se a delimitação do campo entre arte e design, artesanato e tecnologia, a partir de articulações e contrastes pertinentes ao nosso tempo, no âmbito das áreas de conhecimento e atuação.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Claudia Mont`Alvão

ST.01.B
Auditório 02 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / /

ABORDAGEM DO ERGODESIGN EM ESTUDO SOBRE A TRAVESSIA DE PEDESTRES EM VIAS COM SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA /Artigo Completo
Amado, Giuseppe/ PUC-Rio Moraes, Anamaria de/ PUC-Rio

Travessias com sinalização semafórica são ambientes projetados para permitir a passagem do pedestre em segurança no uso da via. Mesmo com uma sinalização direcionada ao pedestre, algumas vias continuam expondo-o a um risco maior devido a diversos fatores: organização do espaço urbano, complexidade do fluxo de veículos e sistema de sinalização ineficiente. Fez-se um levantamento dos problemas ergonômicos vivenciados pelos pedestres durante a travessia da Av. Presidente Vargas, no Rio de Janeiro. A partir deste levantamento, discute-se como o ergodesign pode contribuir para minimizar os perigos enfrentados pelos pedestres.

/47

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

SISTEMA DE INFORMAÇÃO INDUSTRIAL: UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DIRECIONADA AO GERENCIAMENTO DE RISCOS
/Artigo Completo Ramos, Débora Tatiana Ferro/ UFPE Martins, Laura Bezerra/ UFPE Duarte; Dayse Cavalcanti de Lemos/ UFPE

Este artigo enfoca a utilização do design como ferramenta para a preservação da integridade física e mental de trabalhadores, evidenciando seu caráter social. Evitar acidentes ou, no mínimo, atenuar suas conseqüências, é de interesse público e atinge tanto à população em geral, quanto às indústrias e instituições governamentais. Busca-se enfatizar que o projeto de sistemas de informação estende-se além da formulação de placas de advertência, indicando-se a necessidade de profissionais que projetem com consistência e respeito às limitações dos usuários e às demandas impostas pelo sistema, através do gerenciamento de riscos.

GLÚTEN: USABILIDADE E ADVERTÊNCIA EM EMBALAGENS /Artigo Resumido
Merino, Eugenio Andrés Díaz/ Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC Torres, Maricel Karina López/ UFSC

Este artigo discute a importância do design e do envolvimento do usuário no desenvolvimento de projetos de embalagens, em especial no que se refere às advertências CONTÉM e NÃO CONTÉM GLÚTEN, necessárias para a manutenção da saúde e qualidade de vida das pessoas com intolerância ao glúten ou doença celíaca. Para tanto, são apresentadas as definições de usabilidade, advertências e o contexto da legislação brasileira, no que se refere a essas advertências em embalagens de alimentos.

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TELEFONE PÚBLICO PARA USUÁRIOS DE CADEIRAS DE RODAS /Artigo Resumido
Bazán, Aline Aristides/ Universidade Estadual de Maringá - UEM Brito, Silvia Elisa Reis/ UEM Lucio, Cristina do Carmo/ UEM

Visando o direito à acessibilidade, o presente teve por objetivo verificar a adaptação do TUP ao cadeirante, devido às dificuldades encontradas por este no seu uso, baseado na NBR 9050:2004 e em abordagem de campo. Os resultados indicam que os aparelhos, apesar de apresentarem irregularidades em suas medidas, são utilizáveis, entretanto a posição, a localização ou mesmo a falta de mobiliário urbano são insatisfatórios, levando em conta que estes são essenciais na locomoção do usuário até o aparelho.

/48

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.01.A/ ST.01.P

COORDENAÇÃO/ Rita Maria Couto

ST.01.C
Auditório 03 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/49

DESIGN E TELEMEDICINA: DESENhO DE UMA PARCERIA /Artigo Completo
Novaes, Luiza/ Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro - PUC - Rio Couto, Rita-Maria de Souza/ PUC - Rio

O trabalho trata das possibilidades de atuação do designer no campo da telemedicina e apresenta uma proposta pedagógica para um curso de especialização em Design para Projetos de Telemedicina. O modelo de processo de aprendizagem, desenvolvido e aplicado ao curso, é baseado na interação entre ensino, pesquisa e desenvolvimento, e se propõe a promover a reflexão sobre o campo ao qual for aplicado, através da produção de experiências práticas. A proposta surge como desenho de uma parceria entre o design e a telemedicina. Na conclusão do estudo são feitas considerações sobre design colaborativo, design participativo, e design centrado no homem.

DESIGN DE hIPERMÍDIA EM TERMINAIS E-PAPER: GERENCIAMENTO, AUTOMAÇÃO E PERSONALIZAÇÃO. /Artigo Completo
Faria, José Neto de/ Universidade Anhembi Morumbi Moura, Mônica/ Universidade Anhembi Morumbi

Design de hipermídia em terminais e-paper propõe discutir e refletir como a utilização sistemática dos metadados, dos algoritmos e do processamento distribuído ou partilhado estão produzindo objetos de design cada vez mais complexos, flexíveis, adaptáveis, atualizáveis e personalizados. O objetivo principal é entender como os princípios da hiper-rede e do e-paper podem transformar, qualificar ou renovar o design de produtos e serviços. O estudo teórico qualitativo dedutivo analisa a produção teórica e prática do design editorial contemporâneo de jornais associada às novas tecnologias. Destaca o uso dos metadados, dos algoritmos e da inteligência distribuída ou partilhada na gestão, automação e personalização da informação.

PROJETO DE PRODUTOS COM FOCO NA CRIATIVIDADE E NA TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA /Artigo Resumido
Sampaio, Greyce Yane Honorato/ Universidade Federal de Campina Grande - UFCG Gomes, Nivaldo Simões/ UFCG

Este artigo propõe o desenvolvimento de alternativas de projetação de produtos, centradas na tradução polisensorial e intersemiótica, e na

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

criatividade, com a elaboração de uma metodologia com base nas técnicas supracitadas. Esse método foi aplicado em oficinas temáticas tendo como resultado mobiliário carregado de valor simbólico, diferenciado em relação aos padronizados produtos existentes no mercado.

TOPOLOGICAL MESh MODELING: APLICAÇÃO DE MéTODOS MATEMÁTICOS E COMPUTAÇÃO GRÁFICA NO PROCESSO DE CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE JOALhERIA /Artigo Resumido
Xavier, Edson silva/ Universidade Do Estado De Minas Gerais -UEMG Lana , Henrique / UEMG Teixeira, Maria Bernadete Santos/ UEMG

O avanço da computação gráfica, das plataformas de modelagem tridimensional, é notável também em atividades que utilizam processos de produção milenares. O setor joalheiro vem demonstrando que a aplicação de ferramentas computacionais de última geração aliada a processos tradicionais, tais como fundição, conformação de metais e lapidação de pedras, pode resultar em avanços no processo criativo e de concepção de produtos joalheiros. Topological Mesh Modeling trata se dá busca pela adequação de ferramentas de modelagem computacionais ao complexo processo de criação do ser humano.

ST.01.D
Auditório 04 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Júlio Carlos de Souza Van der Linden

ERGONOMIA NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS/Artigo Resumido
Silva, Ethiene Pereira da/ UEMG

O desenvolvimento de produtos consiste em um processo longo, com uma metodologia muitas vezes complexa. No entanto, mesmo seguindo etapas metodológicas bem definidas, alguns produtos não alcançam seu objetivo – o sucesso. Isso se deve ao fato de que um produto precisa gerar identificação com o usuário, satisfazendo seus desejos e necessidades. E se tratando de manter o foco no usuário, a melhor ferramenta a se utilizar é a ergonomia. O presente artigo visa discutir a importância dessa aliança entre ergonomia e design, expondo as causas de sua necessidade e os benefícios de seu exercício.

/50

com maior precisão. Cleci/ Unemat/ UFSC Ensslin.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. leveza. Uiara/ UNISUL O projeto foi elaborado para suprir a necessidade pesquisada entre enfermeiras (os) de usar o carro de apoio. Sandra/ UFSC Ensslin. O MODELO MCDA COMO INSTRUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO DAS NECESSIDADES DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO DESIGN DE UM AUTOMÓVEL.P ERGONOMIA APLICADA EM CARRO DE APOIO PARA ENFERMAGEM /Artigo Resumido Nishida. visto o papel fundamental exercido por esse setor no desenvolvimento tecnológico e econômico do país.01. as necessidades dos consumidores durante a fase de Projeto Informacional. Leonardo/ UFSC Este trabalho tem como objetivo relatar os passos adotados na construção de um modelo multicritério de apoio à decisão construtivista MCDA-C./ UFSC Nickel. Apresentam-se também do PDP aeronáutico. como instrumento para identificar.UFPR Trabasso. Alexandre Antonio de/ UFPR Silva.UNISUL Hoffmann. o de jatos comerciais. Alceu B. praticidade. Alessandra Martins/ UFPR Oliveira. Elton/ UFSC Grzebieluckas. Silvana Bárbara Gonçalves da/ UFPR O objetivo do artigo é apresentar informações sobre o Processo de Design na indústria aeronáutica. /Artigo Completo Buson. durabilidade. Virgínia Borges/ UFPR Enriconi. O PROCESSO DE DESIGN DE AERONAVES: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO/Artigo Completo El MarghaniI. O projeto objetiva primordialmente atender aos requisitos: segurança. resistência. organizar e medir. em especial./ UFSC Queiroz. Maicon Kenji/ Universidade do Sul de Santa Catarina . Marcos Albuquerque/ UFSC Junior. Viviane Gaspar Ribas/ Universidade Federal do Paraná . dando / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /51 . O estudo resulta em uma abordagem personalizada para identificar os desejos dos usuários de automóveis e construir o conhecimento para o processo de desenvolvimento de novos produtos. Shirley G. baixo custo.A/ ST.01. Dar-se-á um panorama do mercado mundial e brasileiro. organização. que tem a finalidade de transportar e facilitar o uso de medicamentos e curativos. no atendimento diário. Luiz Gonzaga/ ITA Kiatmann. fácil manuseio e higienização.

ao produto aeronáutico e ao projeto da fuselagem. não têm seu devido valor reconhecido. Por se tratar de elementos importantes do meio urbano. Procura-se assim. Ethiene Pereira da/ UEMG A temática “mobiliário urbano” engloba um universo de objetos e estruturas presentes no cotidiano coletivo que. Carolina/ ESPM RS Scherer. Portanto. através da análise da percepção visual ambiental. O conteúdo apresentado é a parte inicial de uma pesquisa em andamento que investiga dentro de um campo multidisciplinar a relação entre o espaço urbano e a inserção de elementos de comunicação.01. necessários e numerosos. trazer à tona as relações entre a paisagem urbana e comunicação. Fernando/ Escola Superior de Propaganda e Marketing .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / certa ênfase ao processo produtivo. e a BOMBARDIER In. do design emocional e do design universal. dentro do campo do design. Ágata/ ESPM SP Este trabalho trata do estudo da comunicação visual urbana. /52 . Eduardo/ ESPM SP Bustos. Monique Petrilo/ UEMG Silva. ST. a AIRBUS Industrie. DESIGN SUSTENTÁVEL NO MOBILIÁRIO URBANO/Artigo Resumido Soares. o design torna-se uma ferramenta essencial para que se desenvolvam alternativas sustentáveis. é preciso que se considerem os impactos ambientais relacionados à matéria-prima utilizada. Fabiano de Vargas/ ESPM RS Tinoco. a BOEING Company. Ainda. visando à mínima agressão ao meio ambiente sem deixar de atender os requisitos básicos do produto.E Sala C149 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Ágata Tinoco COMUNICAÇÃO VISUAL URBANA UM ESTUDO DE CASO – AVENIDA BENTO GONÇALVES/Artigo Completo Bakos. com novas possibilidades de materiais e tecnologias. . apesar da sua larga utilização.ESPM RS Benzatti. através do viés da poluição visual e de diferentes métodos de definição e registro da mesma. entre outras informações. uma análise comparativa das diferentes abordagens dos atuais Processos de Design adotados pelas três maiores empresas fabricantes de jatos comerciais.

M. Ladjane B. A. João Batista/ UFCG Este trabalho trata do resultado da aplicação da metodologia de Análise visual de equipamentos no meio urbano.A/ ST. admitindo-se os benefícios da iluminação pública na ausência da luz natural como instrumento de conforto./ UFPE Guedes. espaço situado na zona central de Campina Grande. A. de C. PE. PB. procurando estabelecer parâmetros que fundamentem o desenvolvimento de projetos de design urbano. a metodologia projetual para desenvolvimento de produtos industriais é associada aos métodos investigativos de análise visual do contexto ambiental com o objetivo de se obter um processo analítico mais eficaz na consecução de um projeto de produto. LIGhTING DESIGN E PLANOS DIRETORES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: A REQUALIFICAÇÃO DA CIDADE POR MEIO DA LUZ ARTIFICIAL. A temporalidade investiga períodos curtos e longos. segurança e atratividade. Com isso. C. à luz da metodologia de análise visual. categoria de análise presente no método. A. incluindo as alterações configuracionais e os modos de ocupação. DESIGN URBANO E CONTEXTO AMBIENTAL NO PROJETO DE EQUIPAMENTO URBANO/Artigo Resumido Barbosa. A.01.P A TEMPORALIDADE NA ANÁLISE VISUAL DO MEIO URBANO /Artigo Resumido Barbosa. aborda um estudo sobre a criação e desenvolvimento de equipamentos para o espaço urbano dentro de um contexto específico.01. são elencadas certas potencialidades da luz e suas implicações em algumas das atuais práticas urbanas do lighting design. Glielson Nepomuceno/ UFCG Este trabalho./Artigo Resumido Vanderlei.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST./ UFPE Montenegro. Neste caso. O estudo de caso foi realizado com o objetivo de observar as características visuais que se modificam no decorrer dos diversos períodos de tempo. Neste sentido. com ênfase na Modalidade temporalidade. Luiz Onélio de Oliveira/ UFPE Este estudo objetiva contribuir para a discussão sobre o alcance da luz artificial na requalificação dos espaços públicos externos das cidades através da exploração dos desdobramentos da luz urbana sobre a percepção ambiental e o comportamento humano./ UFPE Martins. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /53 . trata-se de um recorte da etapa do levantamento de dados para o desenvolvimento de um equipamento urbano para a Orla da Praia de Boa Viagem na cidade do Recife. Laura Bezerra/ Universitat Politècnica de Catalunya Vanderlei. A área estudada compreende o Largo da Buninas. M. C.

Pablo Maia/ Centro Federal de Educação Tecnológica do Pará O artigo visa mostrar a pesquisa que tem por objetivo diagnosticar o artesanato da região metropolitana de Belém – Pará em cerâmica. ARTESANATO PARAENSE: DIAGNÓSTICO DO ARTESANATO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELéM/Artigo Resumido Pinto. Marili de Lima Ferreira/ USP Santos. 2007. Rosângela Gouvêa/ Universidade do Estado do Pará . de Marili de Lima Ferreira Brandão sob orientação de Maria Cecília Loschiavo dos Santos. que consiste na mobilização dos parceiros e entidades de classe do setor artesanal.F Sala C233 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /54 COORDENAÇÃO/ Paulo Eduardo Fonseca de Campos PROJETAR PARA A SUSTENTABILIDADE/Artigo Resumido Brandão.01. Ninon Rose Tavares/ UEPA Franco.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Leonardo Nunes/ UEPA Roni. madeira e fibra. as palestras de sensibilização e as visitas técnicas nas unidades produtivas do público alvo da pesquisa. para embasar a criação do Laboratório de Design e Artesanato previsto na reformulação do Projeto Político Pedagógico do curso de Bacharelado em Design da UEPA . Um estudo de caso da produção do couro vegetal no norte do Brasil. Luiz Carlos/ UEPA Silva. Maria Cecilia Loschiavo dos/ USP O presente artigo tem por objetivo introduzir conceitos de ecodesign e sustentabilidade procurando enfatizar a importância de repensar o modelo tradicional de projetar para que seja possível atuar profissionalmente de maneira a minimizar o impacto do consumo da humanidade sobre o planeta. Natacha/ Universidade FUMEC O projeto de capacitação Sempre Savassi Artesanato Urbano apresentado neste artigo constitui uma ação de responsabilidade social. É baseado no Capítulo 1 da dissertação de mestrado em Design e Arquitetura: Design sustentável: o uso da matéria prima renovável.UEPA Jardim. E abordará a primeira etapa da pesquisa. FAUUSP. Juliana Pontes/ Universidade FUMEC Macieira. PROJETO SEMPRE SAVASSI: DESIGN E ARTESANATO URBANO /Artigo Completo Ribeiro. Raphael Lucas/ UEPA Tavares. Cássia/ Universidade FUMEC Rena. São Paulo. pois proporciona a qualificação de grupos de artesãos em estado .Universidade do Estado Pará.

e envazadas pela indústria Milena Agro S. mais especificadamente a usabilidade e em uma pesquisa de campo com os usuários potenciais. onde o artesão amplia seu repertório pessoal e constrói sua subjetividade criativa a partir do contato com o outro. Serão levantados aspectos filosóficos e semióticos dos conceitos de hibridação na relação imagem– objeto.A/ ST. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ José Carlos Plácido da SIlva ST. A análise das embalagens foi fundamentada em referências bibliográficas sobre ergonomia. Couchot.Bauru Silva. Utilizamos como referencial teórico as reflexões de E.01. Cristiane Affonso de Almeida/ Universidade Estadual de Londrina .A. . Por fim. resultado de um trabalho coletivo.01. O CONCEITO DE hIBRIDAÇÃO IMAGEM–OBJETO COMO ANALOGIA PARA A METODOLOGIA DO DESIGN CONTEMPORÂNEO /Artigo Completo Gomes. como modelo para metodologia do Design. obteve-se dados fundamentais que irão direcionar a criação futura de um Guia de Parâmetros Ergonômicos para as empresas que desenvolvem este tipo de produto. Virilio e V. além de aprenderem novas técnicas e conhecerem novos materiais a partir da troca de experiências propiciada pelas oficinas elaboradas ao longo do projeto. Ariadne Mara Maestrello da/ UEL Este artigo aborda de uma maneira objetiva todo processo para uma avaliação ergonômica das embalagens plásticas de 20 litros para agrotóxicos. Rogério Zanetti/ UNESP – FAAC/Bauru Pinheiro. Santaella. L. Surgiram produtos inventivos e complexos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Flusser. Objetivamos os pontos de convergência entre os conceitos equivalentes no design de produto contemporâneo. na classificação tipológica das imagens. João Eduardo Guarnetti dos/ UNESP . fabricadas pela empresa Cimplast Ltda. Olympio José/ UNESP – FAAC/Bauru O artigo discute o termo design observando a tênue linha que separa o universo da criação artística da produção industrial. Os artesãos formaram novos grupos de criação.P de vulnerabilidade social e a inserção dos seus produtos em lojas de uma região comercial nobre da cidade de Belo Horizonte.01.G Sala C235 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / /55 AVALIAÇÃO ERGONÔMICA DA USABILIDADE DE ALGUMAS EMBALAGENS PLÁSTICAS DE 20 LITROS PARA AGROTÓXICOS /Artigo Completo Zerbetto.UEL Santos. P. procurando identificar as problemáticas na interação do usuário durante o manuseio das embalagens.

Mariana Falcão/ FAAC . Gabriel/ UFRGS Turkienicz.UNESP Bormio.UNESP Silva.UNESP O presente estudo descreve o processo de aplicação do protocolo de avaliação e análise ergonômica de postos de trabalho. assim como do mobiliário. com o objetivo de analisar o desempenho dessa metodologia ao ser submetida no contexto do ambiente e carteira escolar. Benamy/ UFRGS Este artigo trará uma breve reflexão sobre o mobiliário doméstico encontrado hoje no mercado. GUIA DE PARÂMETROS ERGONÔMICOS PARA EMBALAGENS PLÁSTICAS DE AGROTÓXICOS /Artigo Resumido Zerbetto. onde pode- . buscou-se embasamento científico nos princípios ergonômicos e na seqüência partiu-se para a triagem de dados da pesquisa de campo aplicada a 50 trabalhadores da área rural. Ariadne Mara Maestrello da/ UEL Este artigo apresenta as considerações teóricas e projetuais para a produção de um guia de parâmetros ergonômicos para embalagens plásticas de agrotóxicos.UFRGS Kluge. nesta foram estudados três tipos de embalage ns plásticas de 20 litros para agrotóxicos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /56 ESTUDO DE APLICAÇÃO DO PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO E ANÁLISE ERGONÔMICA DE POSTOS DE TRABALhO EM CARTEIRA ESCOLAR /Artigo Completo Paccola. Anelise/ UFRGS Netto. Os resultados apontaram sua eficiência na tarefa de identificar os pontos críticos desse sistema. Sileide Aparecida de Oliveira/ FAAC . com vistas às suas propriedades de montagem e desmontagem. mas sobretudo. que esta metodologia necessita de campos para verificação objetiva dos aspectos influentes no ônus postural. Primeiramente. Cristiane Affonso de Almeida/ UEL Santos. visando diretamente às empresas fabricantes destas embalagens e indiretamente os agricultores. MOBILIDADE: UM ESTUDO SOBRE DESMONTABILIDADE E FLEXIBILIDADE DO MOBILIÁRIO DOMéSTICO /Artigo Resumido Gondim. O objetivo deste estudo é verificar a ocorrência de um problema que afeta muitas pessoas cotidianamente: a impossibilidade de deslocamento do mobiliário com facilidade e sem danos. José Carlos Plácido da/ FAAC . é um fator que favoreceu na decisão de investigação de método no ambiente escolar. João Eduardo Guarnetti dos/ UNESP Silva. Cristina/ Universidade Federal do Rio Grande do Sul . através de uma análise de produtos em importantes lojas do segmento. Destaca-se que o seu caráter amplo de abordagem dos aspetos inseridos na avaliação.

Karine de Mello/ PUC-Rio Este artigo discute o tema “design de experiências” usando conceitos de marketing e design. Aline Teixeira de/ UNESP . / / / COORDENAÇÃO/ Virginia Borges Kistmann ST. DESIGN DE EXPERIÊNCIA: UMA FORMA DE AUXILIAR AS ESCOLhAS DOS USUÁRIOS/Artigo Completo Freire. com o objetivo de auxiliar os designers de produto e sucessivamente os usuários das embalagens.A/ ST. Este artigo trata da relação entre valor percebido e as tendências em mobiliário. Foi utilizada uma escala de diferencial semântico com 17 traços de personalidade.UNB Sarmet. que auxiliou vestibulandos na escolha de uma instituição de ensino.h Sala C237 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / VALOR PERCEBIDO DOS PRODUTOS E AS TENDÊNCIAS: ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE MÓVEIS/Artigo Resumido Souza. TESTE DE PERSONALIDADE DOS PRODUTOS /Artigo Resumido Silva. Ana Cláudia/ UNB Iida. P. este trabalho ilustra uma aplicação do design para a experiência. escova de dentes e um relógio de pulso. Elas podem inclusive atribuir valores que são provenientes da percepção e os usuários não conseguem descrever./ Universidade de Brasília . Considerando que a experiência de consumo pode ser importante para a avaliação das diferentes ofertas existentes no setor de serviços. Para seu desenvolvimento foi realizada uma revisão bibliográfica sobre os principais conceitos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.P se detectar diversos problemas de usabilidade. Verificou-se que é possível estabelecer diferenças significativa entre eles. Por fim. Tiago B.Bauru As tendências podem ser fator determinante para a aquisição de um móvel. foi projetado o guia.01. /57 .Bauru Menezes. Itiro/ UNB Este trabalho apresenta uma aplicação da ferramenta de Atribuição de Personalidade de Produtos a três produtos simples: caneta esferográfica.Bauru Paschoarelli. Luis Carlos/ UNESP . Marizilda Santos de/ UNESP .01. Mauricio M./ UNB Maynardes.01. buscando entender sua influência na tomada de decisão do consumidor.

discute a relevância dos conceitos abordados para o alcance da colaboração em projetos coletivos. que são classificadas aqui nas categorias comunicação. coordenação e cooperação. tático e operacional. Finalmente. apresentamos algumas reflexões e resultados das ações exemplificadas nos casos da Companhia Industrial de Vidros e da comunidade de Ceramistas do Cabo de Santo Agostinho. Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cabral. é analisado em seus níveis estratégico. e atua em todo o Estado de Pernambuco. A investigação parte da premissa de que o processo de design é desencadeado pelo trabalho humano. Laboratório de Design da UFPE. Para traçar uma análise comparativa entre as abordagens metodológicas utilizadas pelo Imaginário no ambiente industrial e artesanal. A análise contempla o agrupamento de ferramentas computacionais de suporte à colaboração. apontando a relação entre design e sustentabilidade nos ambientes de produção artesanal e industrial. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. no artigo. /58 . Erimar/ UFPE Este artigo apresenta as abordagens metodológicas utilizadas pelo Imaginário. Patrícia Jorge Vieira/ CEFETSC Corrêa. profissionais e estudantes de diversas áreas do conhecimento.01. evidenciando suas distinções. Glenda Gomes/ UFPE Botelho. O Imaginário. apresenta a taxonomia dos principais termos relacionados à colaboração. Jeandrey Scuissiatto/ CEFETSC O presente artigo relata uma pesquisa acerca do trabalho colaborativo na área do Design. Inicialmente. Ana Maria de/ UFPE Silva.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / METODOLOGIA DE DESIGN: A CONEXÃO SUSTENTÁVEL ENTRE AS PRODUÇõES ARTESANAL E INDUSTRIAL/Artigo Completo Cavalcanti. Vinícius/ UFPE Cordeiro. Adriano/ Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Lima. ST.I Sala C239 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Reinilda Minuzi FUNDAMENTOS PARA O ALCANCE DA COLABORAÇÃO EM DESIGN /Artigo Completo Heemann. Em seguida. é formado por professores. que. exemplifica a ocorrência da colaboração no Design com um estudo de caso.

mas que carrega em sua essência o comprometimento de uma sustentabilidade e responsabilidade compartilhadas. utilizando-se de recursos estéticos. funcionais e sensoriais. o domínio cultural e as questões locais de cada país passaram a ser de suma importância. Esta parceria é a chave de produtos focados nos desejos do consumidor. quando diversos elementos culturais se juntam dentro de um mesmo espaço. como o design. Tatiana Azzi/ Universidade Anhembi Morumbi Multicultural. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /59 .A/ ST. Ivo/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Riccetti. busca-se questionar qual seria uma saída para as atividades artísticas e tecnológicas. Com os acontecimentos sociais. SP Pinheiro. o jogo das diferenças. Nara/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Pons. Teresa/Universidade Presbiteriana Mackenzie Este artigo propõe um olhar crítico e sintético sobre a cultura de consumo e industrialização.P O PAPEL DO DESIGN NA TRANSIÇÃO SÓCIO AMBIENTAL NO MUNDO CONTEMPORÂNEO/Artigo Resumido Martins. agora em um novo formato: o do teletrabalho. O TELETRABALhO: DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS NUMA REALIDADE PÓS-MODERNA/Artigo Completo Batista. a partir do paradigma moderno em que as pessoas teriam uma vida digna. Nesse estudo. políticos e econômicos do último século. sob os efeitos da globalização. no seu sentido mais simples refere-se àquilo que traz em si elementos de muitas culturas. SP Este artigo tem por objetivo refletir sobre o trabalho. Olimpio José/ UNESP/FAAC – Bauru. MULTICULTURALISMO: A DIFERENÇA COMO ChAVE PARA UM DESIGN hÍBRIDO NO BRASIL/Artigo Resumido Roizenbruch.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.01.01. Refere-se ao designer como agente transformador de nossa sociedade. navegando sobre a importância de suas atividades e a possibilidade de evocar a conscientização da população mundial. com emprego. em face da nova ordem sócio-econômica ditada pela globalização. o trabalho passou por transformações profundas. SP Menezes. Márcia Luiza França da Silva/ UNESP/FAAC – Bauru. Nos dias atuais. com o consumidor final. Desse conceito inicial desenvolvemos a idéia de multiculturalismo. que estimulam a interação e a aproximação da indústria produtora. dessa massificação cultural tão sufocante nos dias atuais. uma vez que as identidades deixam de existir e passam a ser globais. desaguando em tendências que acarretam novos rumos no design. Marizilda dos Santos/ UNESP/FAAC – Bauru. Esta revisão posicionará sobre elementos pós-modernos e pós-industriais que culminam com formas de trabalho diversificadas com múltiplas competências exigidas ao trabalhador.

Com base em pesquisa bibliográfica. o que contribui para a consolidação de um design nacional. Petzold e Müller para com o design brasileiro. PETZOLD E MÜLLER /Artigo Completo Ellwanger. ANÁLISE DA LEGIBILIDADE E COMPREENSÃO DE RÓTULOS DE AGROTÓXICOS: ESTUDO COM AGRICULTORES DA REGIÃO DE LONDRINA. os prêmios recebidos por alguns trabalhos e os mais variados produtos já projetados para diversas empresas. A necessidade de se gerenciar as cores torna-se algo indispensável para a automatização e racionalização das etapas de produção.Bauru Avanços tecnológicos permitiram a evolução em várias fases do processo de produção gráfica. pôde-se evidenciar a importância da colaboração de Bornancini.J Sala C241 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /60 COORDENAÇÃO/ Luís Cláudio Portugal Nascimento COMPREENDENDO O GERENCIAMENTO DE CORES/Artigo Completo Holdschip. Guilherme da Cunha/ESDI . Uma legislação específica regulamenta a rotulagem desses produtos. Acredita-se que isso seja algo difícil. RESGATANDO UMA PARCERIA: BORNANCINI. Daniele Dickow/ Escola Superior de Desenho Industrial – UERJ ESDI . destaque este representado pela presença de seus projetos nos mercados nacional e internacional. visando garantir segurança em sua utilização. realizou-se uma concentração de informações sobre a trajetória destes profissionais até a atualidade. Designers fazem uso dessa variedade de ferramentas que interpretam e reproduzem cores de forma particular fazendo com que as cores de uma imagem apareçam diferentes de um equipamento para o outro. Atualmente existe uma grande variedade de dispositivos que aliados ao uso de aplicativos possibilitou uma explosão na reprodução em cores.FAAC/ Bauru Cerca de 280 mil trabalhadores se intoxicam com agrotóxicos todos os anos no Brasil.Bauru Marar.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Nelson Ivan Petzold e Paulo Müller. .01. bem como os elementos que o compõe e suas respectivas funções. Dessa forma. João Fernando/ UNESP . no âmbito do design de produto.RJ Este artigo explicita a parceria desenvolvida entre os designers gaúchos José Carlos Bornancini. Maria Gabriela Nunes/ UNESP . Rodrigo/ UNESP . esse trabalho tem como objetivo apresentar a filosofia do gerenciamento de cores baseado no ICC – Consórcio Internacional da Cor.RJ Lima. por isso. PARANÁ /Artigo Completo Yamashita.

Neste artigo. Os resultados apontaram diferenças (p ≤ 0. ao observar o elevado número de intoxicações e mortes. Este estudo objetivou avaliar se as tarefas executadas com dois diferentes tipos de mouses exigem diferentes pressões da mão. Isabella/ UFPE. Estas televisões abastecerão casas dos mais diversos públicos brasileiros e os serviços disponíveis nestes aparelhos deverão apresentar seu conteúdo em interfaces condizentes ao contexto sócio-cultural deste vasto público-alvo. Letícia Matos/ UFPE Aragão. Neste trabalho foi realizada uma pesquisa com agricultores da região de Londrina. USABILIDADE EM INTERFACES DA TV DIGITAL: UM ESTUDO DE CASO /Artigo Completo Gomes. Paraná. A TV digital.A/ ST.01. exigirá do usuário ações diferentes das já estabelecidas com aparelhos analógicos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. não desempenha todas suas funções com igual eficiência. Algumas tarefas freqüentemente realizadas com este dispositivo são pouco compatíveis com sua natureza.01. com destaque para aquelas necessárias na realização de desenhos.05) entre os mouses. Danilo Corrêa/ FAAC / UNESP O mouse.01.P Entretanto. Stanislav/ FAAC / UNESP Paschoarelli. apesar de ser insubstituível para a manipulação das GUIs. Luis Carlos/ FAAC / UNESP Silva. objetivando o levantamento dos maiores problemas na leitura e compreensão de rótulos de agrotóxicos. percebe-se que rótulos não são sido lidos ou ao são compreendidos pelos agricultores. interfaces desenvolvidas para o software de TV digital Copa do Mundo 2006 foram analisadas quanto a seu nível de usabilidade perante o público-alvo para o qual foi destinado e por especialista.k Sala C242 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / AVALIAÇÃO DA PRESSÃO DA MÃO E DESEMPENhO DA TAREFA EM ATIVIDADES DE ACIONAMENTO DO MOUSE /Artigo Completo Poussep. meio de comunicação com caráter interativo que está em fase de implementação no Brasil. Foram desenvolvidos procedimentos e equipamentos capazes de realizar medições através de sensores FSRs e um AFG (strain gauge). o que representa uma maior dificuldade nas maiores pressões. /61 . / / / / / / COORDENAÇÃO/ Charles Vincent ST.

METODOLOGIA DE ANÁLISE PARA JOGOS DIGITAIS: UM ESTUDO DE CASO DA REFORMULAÇÃO DO JOGO hONOLOkO /Artigo Resumido Moreira. Carolina/ Universidade Positivo A análise do objeto de estudo através de um comparativo com seus similares é muito importante na prática de projetos de design. funcionais e estéticas. A coleta de dados contou com pesquisa de campo por meio de entrevistas á população.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / ANÁLISE DE MERCADO DE JOGOS ELETRÔNICOS: PERFIL DO CONSUMIDOR DE BELéM /Artigo Resumido Nascimento.L Sala C243 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / /62 COORDENAÇÃO/ Evelise Anicet Ruthschilling O DESIGN DE SUPERFÍCIE E SUA RELAÇÃO COM O DESIGN DE PRODUTO/Artigo Resumido Kluge. analisando aspectos específicos através das percepções cognitivas. as características resultantes da interferência. Evelise Anicet/ UFRGS Scarpellini. pois possibilita a estabelecer posicionamentos frente a pontos fortes e fracos. pudemos levantar a opinião sobre hábitos principais. Roberto/ UFRGS Tessman. Daniel Santiago/ UEPA. os quais podem acarretar em novas possibilidades para o projeto em questão. Lyra. Este artigo apresenta a metodologia de análise aplicada no Projeto de Reformulação do Jogo Honoloko e um exemplo de sua aplicação no próprio objeto de estudo. Nagata. Camila/UFRGS Este artigo tem como objetivo tecer considerações sobre a relação existente entre Design de Superfície e o Design de Produto. visto que o conhecimento aprofundado sobre o público-alvo permite formular estratégias mercadológicas direcionadas. neste contexto. Renan Mateus Picanço/ UEPA. Tal inspeção é de extrema importância às empresas desenvolvedoras. Bianca/ Universidade Positivo Vieira. do tratamento na superfície dos . Procurase esclarecer os processos de interferência do Design de Superfície no produto. minimizando a falta de referências atuais. Anelise/ UFRGS Rütschilling. Cíntia/ Universidade Positivo Calomeno. ST. Verônica de Menezes Nascimento/ UEPA. Como resultados.01. Enfatizam-se. O presente artigo visa levantar e analisar os aspectos relacionados aos hábitos de consumidores de games na cidade de Belém.

Fernanda Camargo Guimarães/ Universidade FUMEC Ribeiro. Porém.01. que teve início por caminhos aparentemente mais óbvios e superficiais – ambos compartilhavam cores. M. Nos últimos anos. tramados. Juliana Pontes/ UFMG O presente trabalho dedica-se a investigação do design de superfície e a sua relação com a prática do design gráfico. Moda e Vestígios”. M. dos S. geometrias./ UNESP O Design de Superfície é uma área de atuação pouco divulgada no país. restringindo a análise ao escopo do Produto Industrial.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. SUPERFÍCIES: NOVAS FRONTEIRAS PARA O DESIGN /Artigo Completo Pereira. O USO DA LINGUAGEM GRÁFICA NO DESIGN DE SUPERFÍCIE: UMA REFLEXÃO /Artigo Resumido Rinaldi. O presente trabalho busca identificar as influências da moda feminina no design de móveis e objetos para a casa.P produtos e o aproveitamento das propriedades dos materiais. à Joalheria e ao Artesanato. por meio da análise da produção contemporânea nos dois campos./ UNESP Menezes. Outro ponto relevante é a participação desta pesquisa no livro “Na rua: Pós-Grafite. um enfoque maior é dado na relação existente entre o design gráfico e a moda através do design de superfície aplicado à estamparia. se intensificou e atingiu a essência dos produtos. a metodologia que a cerca encontra como base conhecimentos advindos do planejamento gráfico. construíam-se por meio do acúmulo ou da repetição –. MODA E DESIGN: RUMO AO hIBRIDISMO? /Artigo Completo Bastian. assim como os desenhos estampados constituem um vasto campo para apropriações simbólicas coletivas dentro da construção das subjetividades. contudo. Este artigo resgata a história do Design Gráfico por meio do desenvolvimento da linguagem visual aplicada e indica a contribuição do projeto gráfico para o projeto de superfícies bidimensionais: apresenta o uso de malhas geométricas como auxiliar na composição de planos contínuos e padrões gráficos. com a finalidade de chegar a uma compreensão acerca de superfície e sua relação com o objeto. testemunhamos uma crescente convergência entre os dois campos: a proximidade entre moda e design. áreas de atuação dos autores. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /63 .01. Winnie/ Centro Universitário Senac São Paulo É conhecido o consenso sobre a afinidade entre as áreas do design e da moda. mostrando como esta área é interdisciplinar.A/ ST. R. O design gráfico pode transformar uma coleção de moda através das construções gráficas na estamparia.

identificando a convergência entre estes para uso no ensino das diversas disciplinas que compõem o currículo./ PUC-RJ Este artigo apresenta um modelo de ensino de métodos de projeto baseado na importância da metodologia e das ferramentas de projeto como elementos de convergência na ação projetual. CONVERGÊNCIA ENTRE ÊNFASES E ABORDAGENS NA METODOLOGIA E NAS FERRAMENTAS DE PROJETO DE PRODUTOS /Artigo Resumido Pazmino.M Sala C244 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Luiz Salomão Gomez ENSINO DE FUNDAMENTOS DO PROJETO DE PRODUTO COM BASE NAS ESSÊNCIAS DO DESENhO INDUSTRIAL/DESIGN/Artigo Completo Brod Júnior.01. Essa estrutura está baseada nas Essências do Desenho Industrial/Design. que lhe confere uma identidade. atendendo as diversas ênfases e abordagens no Design.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Apresenta uma pesquisa sobre o ensino de quatro fatores. Lizandra Stechman Quintana/ UNIRITTER Seligman. o mais central. um caráter distintivo. Rita Maria de Souza. e (iii) a razão de ser. denotando essência como (i) aquilo que é o mais básico. o argumento principal. Lizandra Stechmann Quintana/ UNIRITTER O presente artigo descreve um projeto inovador de ensino cujo objetivo é aplicar em disciplinas de Projeto de Produto uma estrutura conceitual e didática desenvolvida e aplicada na disciplina de Introdução ao Projeto Gráfico. O FATOR TECNOLÓGICO E OS DEMAIS FATORES PROJETUAIS NO ENSINO DE DESIGN DE PRODUTO/Artigo Completo Kunzler. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER Kunzler. (ii) a idéia central. Ana Veronica P. espírito. intenção. /64 . a mais importante característica de um ser ou de algo. No decorrer do texto são apresentados os requisitos de projeto como geradores das abordagens no design e estas. Fernanda/ UNIRITTER Este trabalho analisa como a tecnologia está inserida no projeto de produto e como sofre interferência dos demais fatores que integram a atividade do designer./ UNIVILLE Couto. Marcos/ UNIRITTER Van der Linden. O artigo expõe um modelo de ensino de metodologia projetual que conjuntamente com as ferramentas e técnicas de projeto facilitam o desenvolvimento do produto permitindo uma ação sistematizada. por sua vez como geradoras das ênfases.

desde o século 19. leis da gestalt e a história dos pictogramas Sala C247 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /65 . Deborah/ Ingetech O presente artigo apresenta uma visão em perspectiva das estratégias de promoção e disseminação do design no Brasil com fins de desenvolvimento econômico e aumento da competitividade da indústria brasileira.A/ ST. Com ou sem suporte do governo. desde a revogação de portaria da ANVISA que restringia a utilização desse tipo de representação gráfica. Juliana C. Carla Galvão/ UFPR Miranda. O USO DE PICTOGRAMAS NA INTERFACE GRÁFICA DE PORTAIS: ANÁLISE DE DOIS EXEMPLOS /Artigo Completo Gonçalves. realizando uma consulta à bula seguida de entrevista semi-estruturada.01. a partir dela. programas de design têm sido desenvolvidos com freqüência no país. Neste estudo.01. forma.N COORDENAÇÃO/ Eduardo Braga AVALIAÇÃO DA COMPREENSÃO DE INSTRUÇõES VISUAIS EM BULAS DE MEDICAMENTOS POR USUÁRIOS COM BAIXO GRAU DE ESCOLARIDADE /Artigo Completo Padovani.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. investigamos a compreensão de uma seqüência pictórica de procedimentos em uma bula de inalador oral. das relações entre texto e imagem e da seqüência de leitura das imagens. Os resultados revelaram dificuldades no entendimento do conteúdo. Geraldo/ Centro de Design Paraná Miasaki. Berenice/ UFSC Shiraiwa. Ken/ UFPR Pougy.01. Este estudo apresenta uma revisão desta história e. A partir de uma fundamentação teórica sobre percepção. um quadro do atual plano estratégico do governo nacional para o fomento do design no Brasil e recomendação para a avaliação do impacto deste plano na economia brasileira. S./ UFSC Este artigo discorre sobre a análise de pictogramas aplicados a interfaces gráficas de portais. / / / / / / / / / / / / / / / ST. Sessenta usuários com baixo grau de escolaridade participaram da pesquisa. Gisele/ University of Wales Institute Cardiff Fonseca. Fabiano de/ UFPR A apresentação de instruções visuais em bulas de medicamentos vem se tornando mais freqüente no Brasil. Stephania/ UFPR Spinillo.P UMA REVISÃO DAS ESTRATéGIAS DE DESIGN NO BRASIL /Artigo Resumido Raulik.

Jenifer Martinha/ UNIVILLE Pazmino. Letícia/ UDESC Sant’Anna-Muller. As figuras de estilo ou de linguagem da retórica visual podem nortear o processo criativo de design com diretrizes mais claras em relação à construção de discursos visuais em artefatos gráficos. . RETÓRICA VISUAL UMA FERRAMENTA CRIATIVA PARA O DESIGN /Artigo Resumido Waechter. público.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / utilizou-se um método de análise sintática para avaliar e comparar o grau de informação de ícones apresentados em dois portais brasileiros. no que se refere à aplicação das figuras de estilo da retórica visual na fase de geração de alternativas da metodologia de design para projetos de design gráfico. Hans da Nóbrega/ UFPE Tratamos neste artigo das práticas didáticas realizadas experimentalmente.01. Cristiane/ Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC Cunico. como também podem facilitar a análise das alternativas geradas e justificar as escolhas de maior ou menor rendimento criativo. a percepção visual e a compreensão da forma na interface como um sinal. ECO DESIGN E DESIGN DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE MÍDIAS VOLTADAS PARA SENSIBILIZAÇÃO /Artigo Resumido Preuss. elementos semióticos. tipo de mídia. O presente artigo está estruturado em três partes: o conceito de forma. Para análise foram estabelecidos fatores essenciais para o desenvolvimento projeto de design gráfico como: linguagem. O escopo do artigo é uma análise realizada em campanhas de sensibilização e as mídias utilizadas por elas. Pedro I. um símbolo que faz parte de um meio de comunicação na sociedade. Mara Rúbia/ UDESC Analisando o cenário nacional durante o reinado de D.O Sala C245 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / /66 COORDENAÇÃO/ Maria Cristina Volpi O BRASIL EM TEMPOS DE INDEPENDÊNCIA – UM ESTUDO hISTÓRICO DE DESIGN E SOCIEDADE /Artigo Resumido Poelking. Ana Veronica/ UNIVILLE O artigo aborda o eco design e design de informação como uma união que pode fomentar a sensibilização em prol do meio ambiente. ST. A partir da análise se obtém informações importantes ao desenvolvimento das mídias que objetivam informar e sensibilizar. ergonômicos entre outros.

Hans da Nóbrega/UFPE O presente trabalho introduz um estudo das coleções de moda infantil que se utilizam de elementos lúdicos em suas produções e pretende investigar como esses elementos são compreendidos pelas crianças e se eles as estimulam durante as diversas fases do desenvolvimento. A absorção destes símbolos pela sociedade foi determinante para a construção das sociabilidades da época. mais difícil do que apresentá-lo. A. ergonomia e usabilidade e indicados atributos relevantes para o aumento da versatilidade do sapato feminino. Fernanda R.A/ ST.01. classificadas abordagens relacionadas ao comportamento. O TRATAMENTO DO ESPAÇO PELA CENOGRAFIA NOS DESFILES DE MODA /Artigo Resumido Dias. voltamos nosso olhar para a criação / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /67 ./ UFRGS Broch. Os resultados dessa investigação poderão posteriormente contribuir para o desenvolvimento e aplicação de novas práticas no mercado de moda de Pernambuco.01.P percebeu-se a ênfase dada pela realeza na implantação de cerimoniais que atestassem sua posição e soberania. campo privilegiado do design. capaz de adaptá-lo às diferentes demandas da mulher urbana ao longo do dia. Marcela Figueiredo/ UFPE Waechter. BRINCANDO COM A ROUPA: UM ESTUDO SOBRE A COMPREENSÃO DO USO DE ELEMENTOS LÚDICOS NA MODA INFANTIL /Artigo Resumido Bezerra.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. José Carlos/ UFRGS Barp. Regina Maria Alves/ Universidade Anhembi Morumbi Estudar o espaço parece./ UFRGS Turkienicz. ao estilo. Denise R. Este estudo teve como objetivo analisar como alguns hábitos e costumes dos grupos sociais no âmbito da aparência. senti-lo. Benamy/ UFRGS Este trabalho identifica atributos presentes num único calçado. Todos os nossos atos e deslocamentos têm o espaço como protagonista. às vezes. analisadas tentativas de resolução do problema da adaptação. vivenciá-lo. É revisado o estado da arte. SAPATOS FEMININOS E SEUS ATRIBUTOS DE VERSATILIDADE E CONFORTO FRENTE AO COMPORTAMENTO DA MULhER URBANA /Artigo Completo Schreiner. caracterizadas pela tentativa de reprodução dos modelos europeus em terras tropicais. Neste artigo. foram determinantes no sentido de afirmar ou não a independência da nação recém constituída.

Este entendimento traz um novo olhar sobre os limites. A partir da teoria social de Pierre Bourdieu. No caso de um desfile de moda. o tratamento do espaço é um bom aliado na construção do espetáculo. onde o entendimento do espaço é importante para o bom resultado do espetáculo esperado: o momento do desfile. design acquired new elements which. The language of Movie Titles and Credits is much related to the formats of the presentations.Rio O paper aborda a questão da identidade e a busca por delimitar o campo do design. In its association with cinema. sobre a produção de bens simbólicos. associated with typography and graphic design. onde os espaços criados são palco para um momento específico: o desfile. do documentário e da animação (pesquisada pelo Design). A cenografia pode ser designada como o espaço que serve de elemento de contextualização de uma narrativa. the time and sound elements that arise.P Sala C254 09/10/2008 Quinta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Myrna de Arruda Nascimento DOCUMENTÁRIO ANIMADO: UM PROJETO MULTIDISCIPLINAR /Artigo Completo Martins. India Mara/ PUC . LIMITES E RELAÇõES DO CAMPO DO DESIGN/Artigo Resumido Mager.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / da cenografia na moda. Além de levantar debates antigos sobre tecnologia./ PUC . /68 . Questões estas. a atuação dos designers e a consagração dos produtos de design.01.Rio O objetivo deste artigo é apresentar uma proposta de abordagem de um novo projeto cinematográfico que converge para o design e redefine sua função na produção audiovisual: o Documentário Animado. in their turn. o texto traz a estrutura hierárquica que compõe o campo do design e como se processam as suas relações. MOVIE TITLES: LANGUAGE. Gabriela B. ST./ UDESC Cipiniuk. become what is trully called cinedesign. ART AND TyPOGRAPhy /Artigo Resumido Las-Casas. Alberto. sempre no topo das discussões deste campo. promoted modifications both in the language and the aesthetics of graphic design. representação e realismo. Um produto híbrido que envolve a teoria do cinema. Luiz Fernando/ UNB.

Raquel P. JOGOS ELETRÔNICOS NA TEORIA DOS EIXOS /Artigo Completo Xavier.PR Kowalski. Glitz/ PUCPR Hilu. são apresentados conceitos introdutórios de gêneros e a teoria dos eixos. Por exemplo. bem como a apresentação da última como integradora de características comuns a determinados jogos eletrônicos. Social e de Uso são bastante relevantes no contexto dos advergames. o advergame.02. . design de interface. A INTERFACE COMO FERRAMENTA LÚDICA E MOTIVADORA EM AVA PARA CRIANÇAS hOSPITALIZADAS /Artigo Resumido Bortolozzi.A Auditório 01 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /69 O CONTEXTO DA EXPERIÊNCIA EM ADVERGAMES: UMA INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA JUNTO A USUÁRIOS /Artigo Completo Buccini. relatando aspectos positivos e negativos de acordo com a as experiências vivenciadas pelos usuários.R COORDENAÇÃO/ Edson Pfutzenreuter ST. devido a uma doença ou acidente. Sentimento. marketing e design.02. utilidade para que o designer melhor se posicione enquanto responsável pela criação e desenvolvimento de projetos de entretenimento.PR Para atender crianças que. surgiu o projeto EUREK@Kids: um Ambiente Virtual de Aprendizagem para crianças hospitalizadas que promove a continuidade de sua educação escolar. voltado para o despertar da ludicidade e da motivação para a interação. experiência do usuário e de usabilidade. observou-se que as experiências dos Sentidos. com a intenção de gerar simpatia entre o usuário e a marca. ficam longos períodos ausentes das atividades escolares e do convívio social./ PUC .A/ ST. Surgem novas ferramentas de marketing que exploram o lado emotivo e as experiências positivas dos usuários. Guilherme/ PUC . mas em função de seus veículos de participação.Rio O presente artigo visa relacionar os jogos eletrônicos não em função de seus gêneros participativos. Josiane M. Para isso. Através de uma pesquisa qualitativa exploratória. Marcos/ Faculdade Marista Corradini. Luciane/ PUC . O projeto prevê a construção de um AVA estruturado de acordo com os preceitos da aprendizagem colaborativa. que mistura tecnologia.02.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Andrea/ Faculdade Boa Viagem/ Faculdades Integradas Barros Melo A tecnologia proporciona uma revolução na interação entre empresas e consumidores. Permitindo uma reflexão sobre a interação entre empresas e consumidores através dos advergames.

socioeconômicos. O problema da pesquisa é que os usuários do portal têm grandes dificuldades em encontrar as informações disponibilizadas pela instituição. considera-se também como uma ferramenta de trabalho de profissionais da saúde e da educação ao longo do tratamento da dislexia . e a otimização deste processo pelos profissionais de Design.a qual é uma síndrome hereditária. Anamaria/ PUC-Rio Este artigo apresenta as principais conclusões de tese de doutorado defendida recentemente. Bruno Oro de/ UNIVALI O presente resumo expandido relata como o design industrial/produto pode auxiliar crianças disléxicas e não disléxicas no processo de alfabetização. na área de Usabilidade e Arquitetura de Informação. Adriana Girardelo/ UNIVALI Abreu. e testes com usuários. geocientíficos e ecológicos. Este trabalho analisa aspectos do diálogo cidadãos-Estado na World Wide Web. Na metodologia da pesquisa. uma desorientação pessoal. utilizando um laboratório portátil /70 . O portal disponibiliza grande quantidade de dados estatísticos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / “TINQÜE” . No mesmo é esboçado São abordadas aqui algumas das etapas do processo de design industrial/produto que resultou na proposta de produto “tinqüe” – equipamento eletrônico de auxilio educacional. O objeto de estudo é a Arquitetura de Informação do portal IBGE. foram empregadas entrevistas de história oral. e não uma doença ST.02. O produto projeto baseia-se no ensino multissensorial. Luiz / UniverCidade/ Rio de Janeiro Moraes. objetivando proporcionar a inclusão social através de tecnologias já existentes no mercado.B Auditório 02 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Júlio Carlos de Souza Van der Linden A ARQUITETURA DE INFORMAÇõES ESTATÍSTICAS NA WEB: CONCLUSõES DE UMA PESQUISA DE DOUTORADO /Artigo Completo Agner.EQUIPAMENTO ELETRÔNICO DE AUXILIO EDUCACIONAL /Artigo Resumido Trentin.

Este estudo apresenta as definições de diversos autores sobre as algumas disciplinas de Interação Humano-Computador e busca discutir suas relações e sobreposições. MAPAS TÁTEIS PARA DEFICIENTES VISUAIS ACESSÍVEIS VIA WEB: UM ESTUDO DE CASO/Artigo Resumido Geisa Golin/ UFSC Ruth Emilia Nogueira Loch/ UFSC Sarah Andrade/ UFSC As políticas e ações de inclusão social são endêmicas no Brasil atual. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /71 . Por outro lado. O ambiente. situado na UFSC mostrará como é possível dar acesso as suas pesquisas envolvendo cartografia tátil para deficientes visuais. visando proporcionar maior condutância para os usuários do sistema. Mileni Kazedani/ UNESP Soares. ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO.02. uma nova proposta de interface foi desenvolvida. Aline Pickler/ UFSC Hauck.02. João Marcelo Ribeiro/ UNESP Zanvettor. foi avaliado por meio de guia de recomendações de usabilidade. INTER-RELAÇõES SOBRE IhC. Jean Carlo Rossa/ UFSC Este artigo apresenta a avaliação ergonômica de uma ferramenta Open Source de gerenciamento de projetos baseados na web utilizado em um laboratório de pesquisa e desenvolvimento tecnológico na UFSC (UFSC). A situação dos deficientes ganha respaldo jurídico e respeito dos cidadãos quando. Com base na avaliação. Os resultados apontaram problemas na interface gráfica. novas leis são criadas. apesar das grandes pesquisas serem de renome. além de um contato direto com os usuários. de forma acessível a todos.A/ ST. já implementado. muitas delas não são de fácil acesso à grande maioria da população. José Carlos Plácido da/ UNESP Paschoarelli. Luis Carlos/ UNESP É crescente o número de pesquisas de áreas relacionadas ao uso computadores devido a sua popularização.R UMA AVALIAÇÃO DA INTERFACE DE USUÁRIO DE UMA FERRAMENTA OPEN SOURCE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS BASEADO NA WEB /Artigo Completo Fernandes.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. de pouco em pouco. Gabriel Torres/ UNESP Silva. dificuldade de uso e insatisfação subjetiva. USABILIDADE E ERGONOMIA DE SOFTWARE /Artigo Resumido Gonçalves. Christiane/ UNIVALE Pacheco. O estudo de caso do LABTATE – Laboratório de Cartografia Tátil e Escolar. Luciana Soares/ UNIVALE Gresse von Wangenheim.

QUADRO NEGRO ANIMADO ENSINANDO CINEMA DE ANIMAÇÃO NA SALA DE AULA /Artigo Completo Pinna. helencou-se as características fundamentais de materiais didáticos impressos para EAD e destacou-se a relevância do Design Gráfico editorial nesse processo. sobretudo do Design Editorial nesse contexto. /72 . Berenice Santos/ UFSC Bleicher. Após a fundamentação. Alice Cybis/ UFSC Gonçalves. Daniel Moreira de Sousa/ Universidade Veiga de Almeida Em 1906. que visa desenvolver. Ao longo do artigo. Surgiam assim a técnica de filmagem quadro a quadro (stop motion) e o primeiro filme de Animação de desenhos da história. O presente trabalho relata estas experiências e os resultados alcançados.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Anos depois. James Stuart Blackton decidiu aplicar a técnica de stop action (desenvolvida anos antes por Méliès) entre cada fotograma de um filme que tinha por base desenhos em um quadro negro. Felipe Stanque/ Universidade Luterana do Brasil Este artigo apresenta uma pesquisa aplicada em execução. ainda. DESIGN DE TRADING CARD GAME EDUCACIONAL COM LENDAS BRASILEIRAS: UMA PESQUISA-AÇÃO VOLTADA AO ENSINO FUNDAMENTAL DE MATEMÁTICA/Artigo Resumido Machado Junior. Sabrina/ Universidade de Aveiro O presente artigo destaca o cenário multimidiático da Educação a Distância e ressalta a importância dos meios impressos. a mesma técnica foi empregada em sala de aula com estudantes de cursos de graduação e pós-graduação em Design e em Cinema — com resultados distintos — a fim de ensinar os fundamentos da imagem em movimento. e integra estas áreas de conhecimento no decorrer do desenvolvimento do TCG educacional. as temáticas de lendas e personagens folclóricos do Brasil. investigar e descrever o projeto de um jogo de cartas intercambiáveis (trading card game ou TCG) educacional destinado ao aprendizado de matemática nas séries iniciais que usa.02.C Auditório 03 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Flavia Nizia da Fonseca Ribeiro PROJETO EDITORIAL NO CONTEXTO MULTIMIDIÁTICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA/Artigo Resumido Pereira. O projeto que está em andamento é interdisciplinar com as áreas de educação e design gráfico. aborda-se conceitos de EAD e analisa-se o potencial das mídias envolvidas no processo de aprendizagem.

D Auditório 04 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / DESIGN COMPROMETIDO COM O TEMA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /Artigo Completo Couto. Andre/ UFPE Andrade. onde capacidade de síntese e reconhecimento de conceitos são trabalhados. o artigo analisa a atuação do designer como potencializador da informação e da comunicação em ambientes de aprendizagem mediados pela internet.02.A/ ST.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. fundamentos e ferramentas para o Design comprometido com o tema Educação a Distância são discutidos com o objetivo fornecer subsídios para a inserção do designer na busca de modelos diferenciados para ambientes de aprendizagem mediados pela tecnologia. Rodrigo/ UFPE Melo. Problemas de comunicação e de informação foram considerados fatores essenciais na configuração de ambientes educacionais mediados pela tecnologia em ambientes de Educação a Distância. Os resultados sugerem um bom engajamento em exercícios de desenho. Silvio/ UFPE Cadena. Um protótipo foi avaliado por 5 especialistas e testes de uso foram feitos envolvendo 32 estudantes. integrando um conjunto de disciplinas em torno de um mesmo projeto. Tarciana/ UFPE Nogueira . Rita Maria de Souza/ PUC-Rio Portugal.02. Renata/ UFPE Giulia Cavalcanti. Crisitna/ PUC-Rio Conceitos. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Claudia Mont’Alvão ST.R DESIGN DE ARTEFATOS EDUCACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO NA UFPE /Artigo Completo Barreto Campello. Como estudo de caso serão apresentados dados relativos a um jogo cuja intenção é desenvolver a capacidade criativa e de síntese gráfica de estudantes de design.02. O método tira partido da estrutura curricular do curso. visando ao desenvolvimento de artefatos educacionais. Matheus/ UFPE Este artigo apresenta um método utilizado na graduação em design da UFPE. Abordando questões relacionadas ao impacto das novas tecnologias para a educação a distância. UFPE Silva. /73 .

a configuração do curso de design da UNIVILLE. Para isso. Desta forma este estudo procura advogar a favor de uma fertilização recíproca entre o arcabouço do Design e da Educação. Ana Cristina Azevedo dos Santos/ Centro Universitário SENAC Gouveia. /74 . Anna Paula Silva/ Centro Universitário SENAC/Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP O artigo versa sobre os resultados parciais de pesquisa de doutorado. A ILUSTRAÇÃO PARA DESIGN DA INFORMAÇÃO . Claudia/ PUC-Rio Este artigo objetiva estabelecer uma reflexão inicial sobre o design de conteúdos de suporte a aprendizagem assíncrona no curso de Design da Universidade da Região de Jonville (UNIVILLE). Particularmente procura-se abordar o contexto de construção de sentido e o desenvolvimento de projetos de design de materiais educativos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / FUNDAMENTOS PARA O DESIGN DE CONTEÚDOS DE SUPORTE A APRENDIZAGEM ASSÍNCRONA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA/Artigo Completo Everling. sobre Desenho Instrucional. Rita/ PUC-Rio Neste artigo são estudadas concepções acerca do Design de Informações e a maneira como cada uma delas concebe e se relaciona com o sujeito que recebe as mensagens. Marli Tersinha/ UNIVILLE Mont’Alvão. design centrado no usuário: o perfil dos estudantes e levantamento do perfil dos estudantes de Design DESENhO INSTRUCIONAL. DESIGN DE INFORMAÇõES E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDO NO DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS EDUCATIVOS /Artigo Resumido Martins. Bianca /PUC-Rio Couto. A pesquisa envolve a organização dos parâmetros para análise das imagens e aplicação de métodos de ensino do desenho. com previsão de conclusão para 2008. a ilustração para design da informação constante em peças impressas para manuais de eletrodomésticos de linha branca. materiais didáticos na aprendizagem assíncrona. desenvolvidos a partir de atividades pedagógicas já realizadas.UM MéTODO PARA ENSINO NA GRADUAÇÃO /Artigo Resumido Souza. serão abordados conceitos relacionados à educação à distância e situações de aprendizagem assíncrona.

Os resultados serão apresentados de forma sucinta apresentam uma otimização de ordem extremamente significativa no processo produtivo em chapas e perfis de alumínio.02. através do Design de produto. Luiz Carlos/ Feevale/RS O objetivo deste trabalho é o reaproveitamento de matérias-primas descartadas pela indústria. Joanna/ Universidade FUMEC Guimarães.E Sala C149 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /75 REDESENhO DE MAPA DE DESCARTE: A OTIMIZAÇÃO DO ALUMÍNIO EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA /Artigo Resumido Sperb. tal ferramenta no âmbito industrial representa muitas vezes a direção das tomadas de decisões referentes a uma problemática. foi possível visualizar uma oportunidade de melhoria.02. Fabio Redin/ Universidade de Passo Fundo O presente artigo apresenta o mapa de descarte dos resíduos industriais em alumínio gerado por uma indústria automotiva Por meio da ferramenta de analise e solução de problemas e / ou processos denominada PDCA. no decorrer do desenvolvimento do trabalho será abortado o funcionamento dessa ferramenta bem como todos os seus passos para a aplicação.02. Luis Henrique Alves/ Feevale/RS Silva. ECODESIGN APLICADO NO REAPROVEITAMENTO DE MATERIAIS E GERAÇÃO DE RENDA NO ARTESANATO /Artigo Resumido Cândido. Esta alteridade aconteceu através de um forte repertório visual. Fabio Pinto da/ Feevale/RS Robinson. Natacha/ Universidade FUMEC O presente artigo apresenta um estudo de caso de capacitação em design e artesanato com bordadeiras no qual foi proposta uma metodologia de criação diferente da executada pelo grupo até então. criação/resgate de identidade e materialização da . foi possível evidenciar os pontos críticos no processo de reaproveitamento da matéria prima em questão. pois foi possível perceber o grande volume de sucata em alumínio. da comunidade e com o apoio da indústria local. Mª Lúcia/ UFSJ Rena. reintegrando-a ao ciclo de vida do produto no âmbito da própria empresa. propiciando o aumento na geração de renda das comunidades envolvidas.R COORDENAÇÃO/ Carla Dias ST.A/ ST. DESIGN E ARTESANATO EM CéSAR DE PINA /Artigo Resumido Sanglard.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Para tanto foi utilizada a articulação da pesquisa de materiais com o envolvimento de acadêmicos de Design. tendências de moda e design. Daniel/ Universidade Federal de Santa Maria Nascimento.

a descrição do projeto. Júlia Miriam Pires/ Escola de Design – UEMG O Projeto Capacitação do Grupo Mãos com Arte da Pampulha surge com o propósito de capacitar mulheres que. stencil. TECNOLOGIAS PRODUTIVAS. Roberta Helena dos Santos/ Projeto Cipó Imbé Este artigo apresenta o resultado final do projeto de pesquisa sobre as tecnologias produtivas do artesanato de cipó imbé de Garuva .SC no âmbito da pesquisa participativa. DESIGN E PESQUISA PARTICIPATIVA ESTUDO DE CASO DO ARTESANATO DE CIPÓ IMBé EM GARUVA. DESIGN E ARTESANATO: CAPACITAÇÃO DAS ARTESÃS DO PROJETO MÃOS COM ARTE DA PAMPULhA /Artigo Resumido Corrêa. Conclui-se que as vivências como procedimento metodológico e a construções de modelos físicos como interlocutores de abordagens técnicas foram fundamentais no alcance das soluções técnicas. Douglas Ladik/ UDESC Tonicelo. destacando as possibilidades da aplicação dos conceitos de design no artesanato e a metodologia empregada na pesquisa. Através de procedimentos de observação participante e interação. procuram a Prefeitura de Belo Horizonte e encontram no artesanato uma alternativa quanto à geração de renda e ocupação do tempo livre. /76 . os resultados alcançados até o momento. contudo. o contexto do artesanato na cidade. A ação foi efetuada por designers e pedagoga a fim de oxigenar o trabalho criativo. confirma-se a inevitabilidade deste tipo de trabalho envolver diversas disciplinas para que a sustentabilidade seja alcançada. segundo. Ricardo Silva/ Escola de Design – UEMG Lage. por motivos diversos. Glaucinei Rodrigues/ Escola de Design – UEMG Guimarães. com enfoque em temas geradores.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / cultura local por intermédio de técnicas de abstração. apliques e bordados. Este artigo trata das seguintes questões relativas a esse projeto: primeiro.SC /Artigo Completo Antunes. foram criados modelos funcionais para três técnicas de produção: a vara de extração de cipó. e por último. o sistema de secagem de fios limpos de cipó e o sistema de transporte de cipó bruto em ambiente de Mata Atlântica.

02.F Sala A 205 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /77 A IMAGEM EM BUSCA DO MOVIMENTO /Artigo Completo Cole. e multiplicação do meio hipermidiático. o usuário passou a usufruir de novas possibilidades de interação. através da qual investigamos as articulações entre som. Ariane Daniela/ Universidade Presbiteriana Mackenzie O presente artigo foi idealizado a partir da necessidade de refletir sobre as relações entre o design e a produção audiovisual. que são abordados neste artigo. considerada uma das mais jovens áreas de atuação do designer. Alice Theresinha Cybis/ UFSC Com o advento das novas tecnologias.A/ ST. POR UMA MAIOR ARTICULAÇÃO ENTRE SOM. captação e difusão de imagens e os rebatimentos que este desenvolvimento apresenta para a atuação do designer através de trabalhos realizados por alunos de graduação. Tobias Tessmann/ UFSC Pereira. .02.R COORDENAÇÃO/ Ariane Daniela Cole ST. criando engajamento e relação com o mesmo. Frederico/ PUC . com um especial enfoque nas matrizes da linguagem e pensamento propostas por Lucia Santaella. imagem e texto na formação da linguagem dos websites. surgiu a necessidade de não apenas criar produtos.Rio Nojima. PROJETAR PARA A EXPERIÊNCIA: ANÁLISE DA METODOLOGIA PARA A CONSTRUÇÃO DE UM WEBSITE FUNDAMENTADO NOS 5 PLANOS DA EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO /Artigo Resumido Mülling. verificamos que os webdesigners pouco têm explorado todas as potencialidades da hipermídia (a linguagem da cultura digital) principalmente no que diz respeito à integração das matrizes sonora.Rio O presente artigo é resultado de uma pesquisa.02. Com o intuito de preencher a lacuna frente à uma metodologia de desenvolvimento de websites com base na experiência do usuário. mas experiências ao usuário. Vera Lúcia/ PUC . visual e verbal em um único ambiente que se pretende democrático e universal. Ao final da pesquisa.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. da imagem em movimento. para produzir este efeitos. IMAGEM E TEXTO NA PRODUÇÃO DO WEBDESIGN /Artigo Resumido Braida. No entanto. A metodologia utilizada foi a leitura e análise semiótica de alguns sites pré-selecionados. Partimos do desenvolvimento de técnicas e tecnologias criadas para a apropriação do movimento pela imagem analisando métodos de concretização. observando o paradigma da imagem. navegação e imersão em sistemas. e o papel de cada uma destas linguagens no desenvolvimento do que podemos chamar de Design Audiovisual. James Garrett (2003) criou os 5 planos da experiência do usuário.

responsável pela evolução e . A NOSSA hELVETICA DE CADA DIA. O presente artigo procura verificar intersecções e diferenças entre os processos projetuais aplicados ao design gráfico e ao design de interfaces digitais.Cesar/ Centro Universitário Senac SP Esse artigo discute o processo de ruptura com as tradições tipográficas.02.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / DO IMPRESSO AO DIGITAL: UM DIÁLOGO ENTRE PROCESSOS PROJETUAIS PARA DIFERENTES SUPORTES /Artigo Resumido Margarites. DE GARy hUSTWIT /Artigo Resumido Carvalho. Daniela Velleda/ UFPR Este artigo apresenta alguns princípios referentes aos aspectos visualgráficos da tipografia e sua retórica visual e semiótica intrínseca. sua utilização entre os designers contemporâneos e seu uso urbano. discutindo como os saberes adquiridos a respeito de mídias específicas podem contribuir para o entendimento de uma visão holística do fazer design. na origem.G Sala A 207 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /78 COORDENAÇÃO/ André Villas-Boas PRINCÍPIOS PARA A PROPOSIÇÃO DE UM MODELO ANALÍTICO DA TIPOGRAFIA COM ABORDAGEM SEMIÓTICA /Artigo Resumido Brisolara. ao mesmo processo. Ana Paula/ Universidade Federal de Pelotas Entre os diferentes métodos projetuais que se aplicam ao desenvolvimento de produtos nas diversas áreas de design. aponta o reflexo do espírito racionalista na comunicação visual contemporânea. ST. SANS-SERIF: TIPOGRAFIA PARA UMA CULTURA UNIVERSAL /Artigo Completo Benatti. Nesse artigo reflito sobre a relevância desse documentário para os designers. no que se refere ao formato dos caracteres. UM OLhAR SOBRE O DOCUMENTÁRIO hELVETICA. André Luís Pires de/ Universidade Anhembi Morumbi A Helvetica é a fonte mais utilizada no mundo. A partir dessa afirmação o documentário Helvetica traça a história desse tipo e discute sua relação com o design modernista. Tais princípios sugerem a possibilidade de uma abordagem semiótica (peirceana) para o desenvolvimento de um modelo analítico da tipografia. é possível perceber a coincidência transversal entre etapas que correspondem. A partir do deslocamento motivado pelo ideal reformista dos designers modernos europeus no início do século XX.

investigando os fatores que.02. Isabella/ UFPE Farias.R consolidação dos tipos semserifa. Ana Maria/ UFPE O surgimento dos tipos móveis de metal. proporcionou uma maior divulgação do conhecimento através da substituição dos limitados manuscritos. Paula/ ESDI Observa-se uma crescente expansão de redes sociais que utilizam a web como espaço de mediação.02. aplicados tanto nos projetos gráficos quanto no desenho da letra. O primeiro procedimento utilizado foi a aplicação de questionários a desenvolvedores qualificados em webdesign a fim de identificar métodos. O segundo procedimento utilizado foi um monitoramento realizado durante dois meses. de notícias sobre redes sociais na imprensa online brasileira. Atualmente. Para uma melhor compreensão desse fenômeno . técnicas e tendências de projeto para web. /79 .foram adotados dois procedimentos metodológicos pautados numa abordagem exploratória. em 1450. com identificação das fontes em metal. formas mais eficientes de impressão surgiram e os tipos fundidos foram desvalorizados para produzir texto. contribuiram para a formação dos valores da tipografia comercial neste século. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Luisa Paraguai Donati ST.através de um reconhecimento de campo . filtradas através da ferramenta Google Alerts. dessa forma. tendo como foco o desenvolvimento de ambientes virtuais para redes sociais. como acontece em trabalhos feitos por designers no Brasil e no exterior. além de sua utilização em projetos experimentais. A preservação desse material torna-se necessária e. mas estão sendo resgatados em projetos experimentais.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. com intuito de identificar as discussões e aplicações mais relevantes sobre o objeto em questão.h Sala A 214 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / ATUALIDADE E TENDÊNCIAS DE DESIGN PARA SITES DE REDES SOCIAIS /Artigo Completo Sobrino.A/ ST. este artigo irá apresentar os resultados de um projeto de extensão que tem por finalidade catalogar o acervo tipográfico da Editora UFPE. TIPOS MÓVEIS DE METAL: DE GUTENBERG ATé OS DIAS ATUAIS /Artigo Completo Aragão.02.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / AMBIENTE COLABORATIVO PARA PESQUISA DE USUÁRIOS: INTERFACE PARA VISUALIZAÇÃO. foi proposto um ambiente colaborativo provedor de informações e centralizador de discussões durante as diferentes fases da pesquisa permitindo tornar dados brutos. Manoel Henrique/ Universidade Estadual Paulista Muitas ferramentas estão presentes na Internet para auxiliar as atividades cotidianas. José Carlos Plácido da/ Universidade Estadual Paulista Salgado. portais de universidade. Holanda O estudo da participação de designers no processo de pesquisa de usuários em grandes empresas indicou que os mesmos poderiam contribuir na fase de análise de forma a tornar mais efetiva a comunicação dos resultados da pesquisa. Nivaldo Aureo Nascimento da/ UFSC Este artigo resumido apresenta os objetivos. /80 . destacam-se ferramentas que colaboram com o ensino. bibliotecas. assim. Portanto. ensino à distância. Porém. entre outros. ACOMPANhAMENTO E INTERAÇÃO COM DESIGNERS DE GRANDES EMPRESAS /Artigo Completo Adler. O TCC busca revelar o papel do Design na criação das ferramentas que tornam a Inteligência Coletiva possível. ainda em andamento. DESIGN DE MÍDIAS PARTICIPATIVAS: O PAPEL DO DESIGN NA CONSTRUÇÃO DA INTELIGÊNCIA COLETIVA /Artigo Resumido Silva. Assim como muitos sites apresentam interfaces deficientes. o envolvimento dos designers no processo de pesquisa de usuários. entre elas. estimulando. como nem sempre os designers participam das visitas de campo. tradutores. Este estudo destaca exemplos de situações inadequadas. de acordo com seis princípios de usabilidade. Mileni Kazedani/ Universidade Estadual Paulista Silva./ Universidade Tecnológica de Delft (TU Delft). dicionários. sites relacionados à educação também podem apresentar tais problemas. existe demanda por formas alternativas de acesso aos dados brutos para permitir-lhes atuar na decodificação. encontrados em sites relacionados à educação como buscas. ESTUDO SOBRE LEVANTAMENTO DE SITUAÇõES INADEQUADAS DE USABILIDADE EM SITES RELACIONADOS AO ENSINO /Artigo Resumido Gonçalves. Isabel K. e disponibilizar instrumentos para uma participação mais consciente do designer neste sentido. sua análise e síntese final disponíveis e passíveis de interlocução. métodos de pesquisa e algum conhecimento levantado durante o processo de elaboração do TCC intitulado “Design de Mídias Participativas”.

Os resultados refletem um relacionamento sustentável nos ambientes interno e externo à organização. como exemplo. um plano de marketing./ UFPR Triska.02. Virginia B. segundo Obringer (2008). Inicialmente. sob o ponto de vista da transformação dos conhecimentos tácitos e explícitos em estratégia para o design estratégico. Ana Maria de/ UFPE Este paper parte da premissa que. Maria Emilia Mendes/ UFPR Kistmann. Com base nestes dados teóricos. quanto maior o estímulo da gestão de design. por desempenhar um papel estratégico na relação empresa-design-mercado.I Sala A 216 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / A GESTÃO DE DESIGN E SUA INFLUÊNCIA SOBRE A CULTURA ORGANIZACIONAL: MUDANÇAS RUMO à SUSTENTABILIDADE /Artigo Completo Cabral. Ricardo/ UFSC Este artigo consiste nos resultados de um estudo exploratório a respeito da pesquisa de tendências enquanto conhecimento essencial para a gestão do design. a gestão de design tem condições de provocar mudanças consistentes na cultura organizacional ao lançar mão de ferramentas de design para otimizar processos produtivos e resultados sustentáveis. com foco na pesquisa de tendências.A/ ST. contribuindo para um melhor desempenho da empresa.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Alessandra D./ UFPR Jayme.02. Glenda Gomes/ UFPE Cavalcanti.R COORDENAÇÃO/ Rosane Fonseca de Freitas Martins ST. Como resultado. visando a elaboração de um plano de marketing. /81 . produtoras de louça de mesa e objetos cerâmicos de decoração.02. apresenta alguns requisitos para a incorporação da pesquisa de tendências. PESQUISA DE TENDÊNCIAS E GESTÃO DO DESIGN: PLANO DE MARkETING COM BASE NA GESTÃO DO CONhECIMENTO PARA AS MPES PRODUTORAS DE LOUÇA DE MESA E OBJETOS CERÂMICOS DE DECORAÇÃO /Artigo Completo Becker. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. MPEs. desenvolve. com uma abordagem voltada para as micro e pequenas empresas. relacionado à gestão do design. ele apresenta uma revisão da literatura no campo da gestão do conhecimento. maiores serão as transformações na cultura organizacional da empresa em favor da sua capacidade inventiva. O estudo de caso realizado na Companhia Industrial de Vidros aponta que.

02. ESTRATéGIAS DE POSICIONAMENTO DE MARCA: ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS CERVEJAS NACIONAIS /Artigo Resumido Scoz . A hegemonia da sua produção no mercado internacional tem intrigado estudiosos e redefinido políticas econômicas e organizacionais. Buscando demonstrar as especificidades do mercado em questão. possibilita a continuação de uso transformando-se em um vestido casual que valoriza o aspecto da estética e da versatilidade. Tal oposição delimita os perfis dos possíveis bebedores de cerveja e indica caminhos para a construção de um mapa de posicionamento de marcas e produtos. Murilo/ UDESC O presente estudo investiga posicionamento das cervejas no mercado brasileiro. praticidade e ergonomia estão cada vez mais presentes no desenvolvimento de novos produtos. Tatiana/ Universidade do Minho Isoppo. A partir do conceito de funcionalidade. . procurou-se criar um meio de transporte para bebês que levasse em consideração aspectos funcionais. resultando na criação de um vestido multifuncional que tem como principal propriedade o transporte de bebês de forma segura.J Sala A 225 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / /82 COORDENAÇÃO/ Rosane Preciosa VESTIDO CANGURU MULTIFUNCIONAL /Artigo Completo Laschuk. considerando as características atípicas com as quais vem atingindo este patamar. Rosane Fonseca de Freitas/ UEL Merino. Este artigo reflete sobre a importância da criação do conhecimento organizacional e demonstra o papel do design na estratégia de diferenciação e criação do conhecimento organizacional para a consolidação desta estratégia. Julia/ Universidade do Minho Cunha. prática e confortável. Eugenio Andres Días/ UFSC A China hoje é de interesse mundial. Cleuza Ribas Bittencourt/ UFSC/ UEL Martins. ST. Ana Paula Perfetto/ UFSC/ UEL Fornasier. o corpus de análise recupera dois anúncios específicos que representam exemplos da articulação de uma oposição semântica de base.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / REFLEXõES SOBRE A CRIAÇÃO DO CONhECIMENTO ORGANIZACIONAL NA ESTRATéGIA DE DIFERENCIAÇÃO DA ChINA /Artigo Resumido Demarchi. e que após ser utilizado como meio de transporte. através da perspectiva semiótica greimasiana. e das necessidades das mães cosmopolitas. Joana/ Universidade do Minho Aspectos funcionais como usabilidade. bem como nos meios de trasportes para bebês.

observa-se grande oportunidade de desenvolvimento de pesquisa antropométrica. Marizilda dos Santos/ FAAC – UNESP Proteção influenciou a criação do vestuário.R DESIGN DE MODA E PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FÍSICA: UMA ABORDAGEM SOBRE INCLUSÃO NO MERCADO DA MODA /Artigo Completo Maffei. tanto nacionais quanto internacionais. um elemento cultural. Práticas específicas de ambas as áreas foram incorporadas de maneira complementar durante o processo de desenvolvimento do produto.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Sendo a desabilidade física inconsistente com os conceitos de estética e beleza da sociedade. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /83 .02. Porém. Conceição Garcia/ CEFET/SC O presente artigo relata o desenvolvimento de um calçado como trabalho de conclusão de curso em Design de Produto. Cristina do Carmo/ UEM Razza. DESIGN DE PRODUTO E DE MODA: O DESENVOLVIMENTO DE UM CALÇADO FEMININO COM ENFOQUE NO PÚBLICO TEEN /Artigo Resumido Assreuy. por lidar com um produto de moda. realizado em parceria com uma empresa do ramo. Portanto. Os resultados poderão ser empregados na verificação de diferenças antropométricas existentes. Bruno Montanari/ UEM Considerando a falta de normalização nos vestuários.A/ ST. pois no Brasil. Abílio dos/ FAAC – UNESP Menezes. visando conseguir dados da população para confecção desses padrões para aplicação regional. o que se encontra são alguns estudos pontuais.02. não há um estudo sistemático com dimensões antropométricas da população. provendo subsídios para outros projetos similares. demandou a necessidade de intercâmbio entre o Design de Produto e o Design de Moda. o objetivo desta pesquisa é desenvolver uma coleta de dados antropométricos do público adulto feminino na cidade de Cianorte (PR). nota-se a falta de pesquisa em design de moda voltado a este público. ESTUDO ANTROPOMéTRICO APLICADO AO VESTUÁRIO: UMA REVISÃO /Artigo Resumido Lucio. Marina Sampaio/ CEFET/SC Martins. artefatos comuns como a roupa oferece pouca acessibilidade a esta parcela da população. Este projeto. Este estudo resultou em uma série de dados acerca do universo compreendido pelo tema. visando a elaboração de parâmetros dimensionais e ergonômicos e padronização de medidas para confecção de vestuário. A aplicação da ergonomia na modelagem das vestimentas é fundamental na busca da satisfação das necessidades deste público. que originou a moda. Simone Thereza Alexandrino/ FAAC – UNESP Santos Filho.

sociais. Marilda L. demonstra o entrelaçamento dos processos técnicos./ UTFPR O objetivo deste texto é refletir sobre as relações entre design e cultura. através da análise de rótulos de Cachaça do acervo da Fundação Cultural de Curitiba. Os indivíduos compartilham socialmente valores e significados atribuídos ao espaço e artefatos que vão muito além da forma e função.UTFPR Witikoski. distinção e/ou estilos de vida. / Universidade Tecnológica Federal do Paraná . um produto de exportação em escala industrial. referida ao longo do texto. históricos. Roberto/ PUC – RJ Este estudo procurou pensar uma possível relação entre cultura e consumo. das décadas de 1950 e 60. carrega consigo elementos importantes na caracterização desse indivíduo. sua confluência com os estilos de vida contemporâneos e a relação dos mesmos com a (re)configuração dos interiores domésticos e escolha dos artefatos que o compõem. icônicos e lingüísticos. Alan R. encontramos importantes pistas para entender o indivíduo ao qual o design serve. o trabalho refletiu sobre a relação da cultura de praia e o consumo. da litografia. desde a idéia de algo regional. revelando a riqueza e diversidade dessas peças gráficas. Entende-se. que a cultura de praia. Mariuze Dunajski/ UTFPR Os interiores domésticos e seu mobiliário identificam usos e costumes. P.k Sala C 235 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /84 COORDENAÇÃO/ Maristela Mitsuko Ono O CONSUMO E A CULTURA DE PRAIA CARIOCA /Artigo Resumido Leme. representando a expressão de fatores culturais. ao observar elementos da cultura sob o prisma do consumo. as tradições da gravura. AS TRANSFORMAÇõES DOS ESTILOS DE VIDA NA MODERNIDADE E A (RE)CONFIGURAÇÃO DOS INTERIORES DOMéSTICOS /Artigo Completo Mendes. Acredita-se que. os objetivos deste artigo são de fazer uma breve reflexão sobre a construção do individualismo moderno. .02. Mais especificamente. em pequena escala e artesanal até a construção de uma identidade nacional. econômicos e psicológicos que motivam escolhas a partir de identidades. Pensando a casa como produto e produtora de relações sociais. típico.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. por fim. as nuances culturais e históricas. DESIGN E CULTURA NAS ANÁLISES DOS RÓTULOS DE CAChAÇA PARANAENSES /Artigo Resumido Queluz. A análise semiótica de aspectos plásticos. os valores simbólicos. Esse estudo permite observar diferentes discursos sobre um mesmo produto.

02. Isto se dá por um ineficiente encapsulamento da incerteza envolvida no processo.02. que passam a compor os ambientes domésticos.R CONSUMO E ESTILOS DE VIDA: REFLEXõES SOBRE A REPRESENTAÇÃO SIMBÓLICA DOS MÓVEIS ARTESANAIS /Artigo Completo Mendes. Fábio/ UFPE Neves.A/ ST. denominado Lateo. demarcado por novos “estilos de vida”. designers e mídia . que se torna contemporaneamente um dispositivo discursivo de aproximação com a questão da sustentabilidade. Faz-se um breve histórico dessa tecnologia e suas . REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO DESIGN DE PRODUTO /Artigo Resumido Carniel. Denize Regina/ UFRGS Aymone. André/ UFPE A recorrência aos números e às representações geométricas provêm informações rigidamente embasadas. natureza e tradição. a mesma apresenta diversos resultados contraintuitivos que podem prover o efeito oposto ao designer. os mecanismos da moda e gosto podem (re)significar e valorizar o móvel artesanal. Entretanto. Através de um estudo de caso apresentamos um mecanismo matemático para extração da incerteza nas decisões de projeto./ UFPE Vilar Neto. os estilos de vida. foi introduzida com sucesso neste ínterim. na busca por um contato simbólico com o meio-ambiente. Dino L. Edvar/ UFPE Nunes.na transformação de significados desses artefatos.C. com as quais os designers podem justificar suas decisões projetuais. José Luís Farinatti/ UFRGS Este artigo trata da utilização da realidade virtual no desenvolvimento projetual em Design. Arlindo/ UFPE Campos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. também conhecida por Teoria da Evidência.02. / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Gabriela Celani ST.L Sala C 237 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /85 TéCNICAS MATEMÁTICAS APLICADAS AO PROCESSO DE DESIGN /Artigo Completo Figueirôa. Ítalo J. e o papel de mediadores ./ UFPE Correia.arquitetos. A proposta é analisar a presença de móveis artesanais com fibras em um universo do “consumo”. A teoria de Dempster-Shafer. Mariuze Dunajski/ UTFPR O objetivo deste artigo é refletir teoricamente sobre como os processos de consumo.

André M. SNEAkER FREAkER: UMA NOVA TENDÊNCIA /Artigo Resumido Albuquerque. e sua influência na moda contemporânea é bastante significativa. Márcio Miguel/ UEMG Gomes. está diretamente conectada aos jovens. pessoas que são aficionadas por tênis. objeto de estudo deste trabalho. ou de rua. São propostas técnicas de montagem utilizando a linguagem VRML que. realizamos uma . Um dos fenômenos atuais existentes são os sneaker freakers. Leonardo/ UFPE A cultura street. serão integradas a um banco de dados onde os componentes poderão ser reutilizados no desenvolvimento de diferentes produtos finais. ou seja. assim como fazer um paralelo com uma outra tendência da contemporaneidade: a customização em tênis. particularmente na indústria. exemplificado por uma bicicleta. Marcelo Silva/ UEMG Carvalho./ UFPE Campos. a fim de mostrar como as empresas de artigos esportivos estão tomando consciência deste mercado./ UFPE O presente documento descreve uma pesquisa realizada sobre o paradigma de projeto baseado em plataformas. inserindo-a como ferramenta computacional de apoio ao projeto de produto. O PARADIGMA DO PROJETO BASEADO EM PLATAFORMA APLICADO AO WEB DESIGN /Artigo Resumido Figueirôa. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto. Para tal. utilizando como exemplo o desenvolvimento de uma cabine de operação de maquinário industrial com os Softwares Freemind e Sketchup. Fábio/ UFPE Neves. A Linguagem VRML (Linguagem para Modelagem em Realidade Virtual) é empregada para a simulação de um processo de montagem de um produto. Cibele/ UFPE Castillo. O presente artigo pretende fazer um mapeamento de tal fenômeno de moda. Dino L. M. nos próximos passos da pesquisa. abordando sua real aplicação e utilidade no Web Design.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /86 principais aplicações. Laura de Souza Cota/ UFMG O presente trabalho visa apresentar resultados da aplicação de ferramentas digitais de Personal Information Management e de Sketch Modeling nas etapas metodológicas do projeto. Procura-se entender como esse grupo se construiu e veio a se firmar nos dias atuais. MATERIALIZAÇÃO DE CONCEITOS TRIDIMENSIONAIS COM AUXILIO DAS FERRAMENTAS DIGITAIS DE PIM E SkETCh /Artigo Resumido Pinto Júnior.

02. Sara Copetti/ UFRGS Lamb. retornando uma taxonomia. / / / / / COORDENAÇÃO/ Maria Eduarda Araujo Guimarães ST. possibilitando a interpretação e geração das mesmas formas em um ambiente novo. Gonçalves Fernandes de/ IESB Amantini.02. Jacqueline Ap. /87 .02. Considerando que as tecnologias digitais trouxeram a aceleração das relações de espaço e tempo. Susy N. atribuindo às estruturas observadas um novo comportamento dentro de cartões tridimensionais em origami arquitetônico. Ana Claudia/ UFRGS Klohn. delimitamos o estudo às paradas de ônibus. sugere-se que sejam elas mesmas a proporcionarem conforto aos usuários de paradas de ônibus.0. PESQUISA EXPERIMENTAL: PADRõES GEOMéTRICOS DE PISOS APLICADOS EM PROJETOS TRIDIMENSIONAIS EM ORIGAMI ARQUITETÔNICO /Artigo Completo Ueno. nossa pesquisa analisou um website que apresenta o comportamento de uma plataforma. Thaís Regina/ IESB Castro. do bidimensional para o tridimensional. Esses padrões foram transformados em modelos físicos reduzidos. com o objetivo de realizar uma pesquisa experimental. Ribeiro da Silva/ IESB Através de um levantamento de campo de elementos visuais da Praça Rui Barbosa de Bauru. nos dias de hoje. observou-se que seus pisos apresentavam desenhos geométricos característicos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.M Sala C 238 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / O TEMPO E A ESPERA /Artigo Completo Vettoretti. Partindo-se do pressuposto que a infra-estrutura oferecida já esteja resolvida dentro dos parâmetros básicos dos elementos de que deve ser constituída. Reportando recursos do mesmo que se alinham semanticamente aos componentes do projeto baseado em plataforma. nossa pesquisa se restringe às atividades e novos elementos de design que podem ser integrados para diminuir a sensação de perda de tempo.R investigação sobre estruturas de websites e aplicativos diversos na Web 2. Porfim.A/ ST. um blog. Benamy/ UFRGS Após análise de conceitos de tempo e das sensações humanas envolvidas na espera em lugares de passagem. Marcos Bernardo/ UFRGS Turkienicz.

Após um breve contexto sobre método e metodologia.N Sala C 239 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / /88 COORDENAÇÃO/ Regina Lara DESIGN E FENOMENOLOGIA: PENSANDO O MéTODO POR MEIO DE UMA LEITURA SOBRE EXPERIÊNCIA. as cidades também representam a si mesmas de forma visual. de LÖBACH (2001)em exemplares arquitetônicos representativos para identificar possíveis desdobramentos de pesquisas científicas para o tema. Nosso objetivo é investigar os referentes visuais de Pelotas.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / O DESIGN DE SUPERFÍCIE EM FAChADAS E SUAS FUNÇõES BÁSICAS /Artigo Resumido Gondim. Sandra Jatahy/ UFRGS A transição entre a modernidade e a pós-modernidade tem se caracterizado por um uso cada vez mais intensivo da imagem. Rio Grande do Sul. buscando o crescimento econômico e a atração de investimentos.02. Cristina/ UFRGS Schreiner. é apresentada uma visão sobre o projeto de design e sua essência por meio de uma abordagem fenomenológica. Sugere-se uma atitude de projetar pela indagação. O artigo ilustra e enfatiza a fenomenologia como base filosófica de um possível método projetual em design. O DESIGN GRÁFICO NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA CIDADE /Artigo Resumido Luzzardi. ST. Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET/SC O artigo apresenta uma reflexão sobre método e design. Povoadas por imagens. Dessa forma. indicando a experiência. buscamos apontar o papel do design na configuração da imagem da cidade contemporânea e analisar de que forma a sociedade é refletida no espelho dos meios visuais. Fernanda R. Henrique Macedo/UNISINOS Pesavento. a vivência e a intuição como possibilidade num projeto de design. Rodrigo/ UFRGS Ruthschilling. . simbólicas e práticas. através da análise das imagens da cidade encontradas em trabalhos de design gráfico produzidos entre 2000 e 2006. especialmente no que se refere ao tratamento de fachadas O objetivo deste breve estudo é analisar a aplicação do conceito das funções estéticas. / UFRGS Allgayer. VIVÊNCIA E INTUIÇÃO /Artigo Resumido Santos. Evelise Anicet/ UFRGS O artigo trata do design de superfície na arquitetura. retornando às coisas mesmas.

estimulando a discussão e a pesquisa no assunto. baseado no trabalho desenvolvido pelo psicólogo Mihaly Csikszentmihalyi e pelo sociólogo Eugene RochbergHalton. Leila Amaral/ UFSC Esse estudo tem como objetivo buscar. Cristiane de/ PUC-Rio Este artigo relata os passos do início da pesquisa de campo em estudo na área do Design & Emoção.02. traz as primeiras falas dos entrevistados. o novo moderno. pontos convergentes entre design emocional e semiótica. o novo que parece novo. O artigo aborda questões sobre o novo e sobre algumas de suas categorias. Luis Carlos/ UNESP Alencar. Este artigo aborda questões sobre a percepção e o pensar do designer. reflexões sobre como é bom lembrar do primeiro. Os pontos convergentes evidenciam os benefícios nas pesquisas focadas em respostas emocionais dos usuários. O artigo apresenta. e a lógica do “fazer design” aplicado ao desenvolvimento de produtos.02. Francisco de/ UNESP O trabalho do designer consiste em compreender a realidade e através de conhecimentos científicos e utilizar-se da criatividade no desenvolvimento de produtos industriais para que proporcionem soluções adequadas às pessoas. por meio de uma revisão teórica.R A LINGUAGEM DO PRODUTO NA RELAÇÃO EMOCIONAL ENTRE USUÁRIOS E OBJETOS /Artigo Resumido Queiroz. bem como a importância da utilização da semiótica como linguagem na comunicação objeto-homem-objeto. CRIAR E SENTIR /Artigo Completo Barbosa. associadas a estudos sobre a linguagem dos objetos por meio da dimensão semântica. como o primeiro inclui as categorias do novo e a importância do primeiro. ainda. Cristina Luz/ UFSC Gontijo. A LÓGICA DO DESIGN: PENSAR. UMA METODOLOGIA PARA PESQUISA EM DESIGN & EMOÇÃO: TATEANDO O CAMPO PELA PRIMEIRA VEZ /Artigo Completo Damazio. Vera/ PUC-Rio Menezes.A/ ST. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /89 . Ricardo Tiradentes/ UNESP Menezes. Shirley Gomes/ UFSC Cardoso. Marizilda dos Santos/ UNESP Paschoarelli. como o novo em folha. o novo para mim.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.

Daniela de Cássia Gamonal/ UNESP Nascimento. O jogo destaca o objeto cadeira.AL Rapôso.O Sala C 242 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /90 COORDENAÇÃO/ Evelise Anicet Ruthschilling ANÁLISE DO OBJETO LÚDICO: UMA CARACTERIZAÇÃO DOS TIPOS DE JOGOS /Artigo Completo Marcato. Artes Visuais.AL Silva.AL Lins. que informa sobre a história do design brasileiro e internacional. compreender a construção do lúdico. torna-se importante caracterizar os seus diferentes tipos. O jogo pretende estimular a criatividade e o desenvolvimento de trabalhos originais. LÓGICAS CRIATIVAS: UM JOGO PARA APOIAR A CRIAÇÃO /Artigo Completo Polidoro.AL O presente artigo expõe o processo de elaboração do jogo didático de memória. Evelise Anicet/ UFRGS Este artigo relata o desenvolvimento e a aplicação do jogo Lógicas Criativas. Roberto Alcarria do. Áurea/ CEFET . Por acreditar que a análise dos jogos pode resultar num conjunto de parâmetros que colaborarão no desenvolvimento dos mesmos. a partir de material confeccionado por alunos do Curso Superior Tecnológico em Design de Interiores. UNESP O presente trabalho busca caracterizar os tipos de jogos e. Marizilda dos Santos. Design e demais campos que desenvolvem composição visual. Patrícia/ CEFET .02. Igor M. apresentamos alguns resultados: estampas desenvolvidas a partir do jogo. DESIGN EM JOGO: BRINCANDO DE MEMORIZAR hISTÓRIA /Artigo Resumido Gaia. apoiando o estudante no desenvolvimento de seus próprios procedimentos e na descoberta de suas lógicas criativas./ CEFET . planejado como ferramenta de apoio às aulas nas áreas de Educação Artística. a partir de 11 desenhos dos . assim. Luís Carlos. UNESP Menezes. Marina Bortoluz/ UFRGS Rüthschilling. Arlete/ CEFET .AL Cândido. Ao final. enfatiza as consideradas mais marcantes de sua época. Para tanto foram consideradas teorias de criatividade aliadas à observação dos alunos na realização de seus projetos de design em sala de aula. UNESP Paschoarelli. Rossana/ CEFET .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST.

Discutimos a implementação dos jogos de conteúdos teórico-reflexivos no processo de ensino. chegou-se à resposta. Discute informações sobre autores de jogos didáticos que contribuem com o processo de desenvolvimento desta pesquisa.R próprios alunos. André/ UFPE Campos. Isabella/ UFPE Este artigo traz o resultado de um trabalho cujo foco é o desenvolvimento de um processo de design adequado à contemporaneidade cibernética.02. trazendo para o contexto da metodologia de design conceitos e hábitos ciberculturais. Leonardo/ UFPE Barros. que foi enunciada na forma de princípios: princípios para projetar jogos educativos efetivos (como são os jogos de entretenimento). Dois exemplos disso são o Xadrez e os RPGs.A/ ST. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ João de Souza Leite ST. /91 . atribuímos um caráter contemporâneo à atividade de design. Leandro/ PUC-Rio Couto. Como resultado principal. construímos um processo de concepção de artefatos que definimos como eXtensible Design Methods [XDM]. Isso motivou uma pesquisa de Mestrado em Design para responder objetivamente o que os jogos de entretenimento têm que os jogos com fins pedagógicos não têm.02./ UFPE Castillo.02. Simone/ UFPE Aragão. O QUE OS JOGOS DE ENTRETENIMENTO TÊM QUE OS JOGOS COM FINS PEDAGÓGICOS NÃO TÊM /Artigo Resumido Demenciano Costa. Com essa estratégia. com foco na socialização do conhecimento. Celso/ PUC-Rio Ironicamente.P Sala C 243 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / XDM – MéTODOS EXTENSÍVEIS DE DESIGN/Artigo Completo Neves. Rita/ PUC-Rio Wilmer. Silvio B. Ao fim da pesquisa (após dois anos). Fábio/ UFPE Campello.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Os métodos propostos em XDM têm como princípio o uso do ciberespaço enquanto ambiente de apoio. jogos comuns produzem melhores resultados à pedagogia que a maioria dos jogos educativos.

Joselena de Almeida/ UTFPR Este artigo busca expor os problemas encontrados na gestão de profissionais de design. que são atribuídas ao design moderno. O MAU EMPREGO DO DESIGN NAS EMPRESAS E ANÁLISE DO CASO DE ESTUDANTES DE CURITIBA. tendo como base artigos e livros relacionados à gestão do design e entrevistas feitas com estudantes e/ou profissionais da área. Andréa Franco/ UFMG Com o intuito de compreender melhor a relação usuário x produto. Neste sentido. em busca de informações mais precisas.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / SISTEMA DE QUALIDADE EM LABORATÓRIO DE ANÁLISE DO IMATERIAL: USABILIDADE E ANÁLISE SENSORIAL/Artigo Completo Carvalho. Mariana Tomie/ UTFPR Teixeira. Desta forma. Joselena de Almeida/ UTFPR Este artigo esclarece a atuação do designer na empresa brasileira. sendo feito de um levantamento bibliográfico de artigos publicados no P&D 2006 e demais referências relacionadas ao design. PARANÁ /Artigo Resumido Takeuchi. Este artigo contribui para o designer obter um breve conhecimento sobre o significado de trabalho. bem como a dificuldades e problemas encontrados. tornou-se necessária a sistematização dos métodos de trabalho e para tanto foi elaborado um Sistema de Qualidade para o laboratório. Laura de Souza Cota/ UFMG Pereira. O DESIGN CONCEITUAL E PROFISSIONAL /Artigo Resumido Siqueira. Para tanto. são desenvolvidos e realizados Testes de Usabilidade e Ensaios de Análise Sensorial. Pretende-se com essa pesquisa levantar algumas sugestões que facilitem aos empresários o entendimento da função do designer na empresa. sob a ótica dos próprios designers. seguindo a NBR ISO/IEC 17025. como a sua conceituação. Com efeito. o Laboratório de Ensaios Ergonômicos da UFMG tem como objetivo principal o estudo e a análise do imaterial. O presente artigo apresenta os estudos e trabalhos realizados. Jacqueline Heloise/ UTFPR Teixeira. considerando o sistema de formação em design no Brasil. e também para facilitar o entendimento de iniciantes na área e leigos. /92 . pretende-se levantar as diversas e diferentes funções.

considerando suas características comunicativas. podemos esperar uma maior utilização dos protótipos.A/ ST. Marcelo Silva/ UEMG Carvalho. Angélica de Souza Galdino/ UFPB . Danielly/ UFPB Lucena.02. Esse artigo tem como objetivo classificar os protótipos e orientar a sua utilização. Os documentos gerados para aquela informação primordial são altamente aderentes aos processos de qualidade interno-externos. identificá-la durante todo o ciclo de desenvolvimento. Laura de Souza Cota/ UFMG Apresentamos os fundamentos da codificação/nomenclatura inteligentes como fatores primordiais para implantação do conceito de design da informação. Márcio Miguel/ UEMG Pinto. Baseado e adaptado do modelamento de dados orientado a objeto. tais fundamentos propõem conceituar a informação primordial do produto atribuída de todas suas características de personificação e então. tem pressionado a indústria a produzir mais. orientados a certificação e à utilização de banco de dados e informatização.R COORDENAÇÃO/ Enrique Rentería ST. melhor e em menos tempo. visão hierarquizada (baseada nas relações parentais e em níveis) e o controle da repetibilidade. melhorando o processo de design e os produtos gerados a partir dele. CONSULTORIA EM DESIGN NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DA PARAÍBA: POTENCIALIDADES E APLICAÇõES /Artigo Completo Cavalcante. precisamos estar conscientes da importância da escolha do protótipo adequado a cada fase do processo de design. Esperamos assim contribuir com a avaliação e seleção de alternativas.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.. a partir da codificação/nomenclatura inteligentes. Contudo. DESIGN ITERATIVO: O PODER COMUNICATIVO DOS PROTÓTIPOS /Artigo Completo Alcoforado/ Manoel Guedes/ UFPE A globalização e as novas demandas sociais e culturais.02. possibilitando sua rastreabilidade.02. Rosivaldo de Lima/ UFPB Acioly. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto Júnior.Q Sala F 280 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /93 CODIFICAÇÃO E NOMENCLATURA INTELIGENTES: FUNDAMENTOS PARA UTILIZAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO DESIGN DA INFORMAÇÃO /Artigo Completo Gomes. Com a emergência de novas tecnologias de prototipagem como: a prototipagem virtual e prototipagem rápida.

o posicionamento e o tempo de fixação dos movimentos oculares. O sistema eyetracking desenvolvido no grupo de pesquisa em mídias digitais. Este artigo tem por objetivo apresentar o desenvolvimento de um sistema eyetracking no intuito de utilizá-lo para avaliação de produtos de webdesign./ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC Santiago. de S. Vania R./ UFSC Ulbricht. conta com um protótipo funcional e em fases de testes. Lorena C. PROPOSIÇÃO DA INTERFACE GRÁFICA PARA UM WEBSITE QUE TRATA DO PATRIMÔNIO CULTURAL. /94 . O presente artigo discute a interface gráfica como uma etapa essencial para o desenvolvimento de um website sobre o patrimônio arquitetônico da cidade de Lençóis. que permitiu tanto a análise e interpretação dos dados como o levantamento de sugestões para o aperfeiçoamento do processo de Consultoria em Design do SEBRAE/PB. por parte das MPEs. Mauricio/ Universidade Positivo Eyetracking é um sistema que registra o movimento. Foi utilizado como principal meio de investigação a pesquisa de campo. ST. na Bahia.02. podendo atuar como multiplicadora de conhecimento e ser utilizada em políticas de preservação e conservação do patrimônio cultural.R Sala E 284 10/10/2008 Sexta-Feira 09h00/ 10h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Vania Ulbricht EyETRACkING . Alina Gonçalves/ UFSC A Tecnologia da Informação e Comunicação aliada ao patrimônio cultural é uma importante ferramenta de divulgação do patrimônio arquitetônico. Como resultado alcançado. que o Design representa uma importante ferramenta estratégica.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / O objetivo deste estudo foi identificar as potencialidades e aplicações da Consultoria em Design nas Micro e Pequenas Empresas (MPEs) Paraibanas atendidas pelo SEBRAE/PB em parceria com a Rede Paraíba de Design.SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE WEBDESIGN /Artigo Resumido Calomeno. Carolina/ Universidade Positivo Perreto. NA BAhIA/Artigo Resumido Moreira. agregando valor aos produtos e serviços. destaca-se o reconhecimento. ESTUDO DE CASO EM LENÇÓIS.

este estudo pretende investigar e analisar cinco cursos de Design Gráfico e Web Design com o objetivo de verificar a proposta pedagógica e sua relação com os novos conceitos de Acessibilidade na web. AMBIENTE WEB ACESSÍVEL/Artigo Completo Obregon. No Brasil. Vania R. Rosane de Fátima Antunes/ EGC/UFSC Vanzin.R ERA UMA (OUTRA) VEZ: O DESIGN DO LIVRO DIGITAL INFANTIL NO BRASIL/Artigo Completo Crenzel.A/ ST. a proposição do Ambiente Web Acessível busca reconstruir o conceito de sociedade planejada e estruturada para todos. Neste sentido. podendo. Leandro Cardoso Xavier/ PUC-Rio Diversas pesquisas vêm constatando que os meios digitais interativos têm um elevado potencial narrativo e grande apelo junto ao público infantil. ser coadjuvantes no processo de estimulo ao prazer de ler.02. Silvina Ruth/ PUC-Rio Nojima.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. como agentes de colaboração da rede mundial na disponibilização de materiais acessíveis.02. até hoje. poucos títulos foram adaptados ou criados para o meio digital. também. sem barreiras nas comunicações./ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC Este artigo trata do contexto de mudança na sociedade. Assim. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /95 . onde o desafio passa a ser o desenvolvimento de um paradigma centrado no respeito às diferenças e na necessidade de se criar estratégias direcionadas ao alcance do Design Universal. Neste texto pretende-se abordar alguns dos aspectos que definem o livro digital infantil em geral e analisar a produção brasileira em particular. Busca verificar também a participação destes. Vera M / PUC-Rio Brito. Tarcisio/ EGC/ UFSC Ulbricht.

UMA TENDÊNCIA NO DESIGN DE JÓIAS /Artigo Completo Freitas. Angélica de Souza Galdino/ UFPB Este estudo tem como objetivo principal apresentar um levantamento sobre as tendências de materiais “não convencionais” aplicados no Design de Jóias. Em função da quantidade de diferentes materiais ser enorme. MATERIOTECA: PROJETO DA BIBLIOTECA DE MATERIAIS DA ESCOLA DE DESIGN UNISINOS /Artigo Completo Marques. a Empresa Sander que trabalha com matéria prima de origem bovina. dentre outros. que inclui as variáveis subjetivas e objetivas. Desenhando um .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. é através de uma Materioteca. acrílico. A pesquisa. aqui apresentada. Pretende-se nesse artigo apresentar conceitualmente como tais pesquisas são fundadas em raciocínios por analogia e como casos concretos de pesquisa aplicada podem servir como objeto de reflexão epistemológica sobre processos de projeto na atividade do design. no design e nos processos de fabricação.03. alguns materiais foram levantados como: titânio. Victor Hugo Falcão de/ UFPB Acioly. Em relação aos principais resultados. em busca de inovação de processos e produtos. pode ser caracterizada como exploratória/bibliográfica. reciclados e materiais orgânicos. o processo de seleção torna-se complexo. conseguindo esta estimular a percepção tátil e visual do Designer. Fabrício Farias/ UNISINOS A seleção do material adequado é fundamental no desenvolvimento do projeto e para criar um produto em condições de competir com os já existentes é necessário inovar nos materiais. Uma das ferramentas para a seleção de materiais. André Canal/ UNISINOS Tarouco. transformando ossos e chifres em produtos industriais. A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS “NÃO CONVENCIONAIS” . Foram analisadas algumas Materiotecas existentes para então desenvolver o projeto da Materioteca da Escola de Design UNISINOS. Celso Carnos/ UNISINOS Em 2007. aproximouse de nossa universidade. Esse trabalho apresenta parte desse projeto e propõe uma reflexão teórica sobre a metodologia de pesquisa blue sky utilizada na organização e representação de referências.A Auditório 01 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /96 COORDENAÇÃO/ Denise Dantas PESQUISA APLICADA / PESQUISA ACADÊMICA – O CASO SANDER /Artigo Completo Scaletsky. borracha.

PANORAMA PRELIMINAR NO BRASIL /Artigo Completo Porto. e de que a partir das novas diretrizes curriculares dos cursos de graduação em design do país foram desenvolvidos esses aspectos. Fabiane/ UNIRITTER Galina. GESTÃO DO DESIGN NA GRADUAÇÃO EM DESIGN . A falta de informações sobre o assunto gerou a necessidade deste estudo. Analisa também o grau de desenvolvimento dessa disciplina e/ou outras relacionadas a ela. está diretamente ligada a mudanças de comportamento relacionadas a fatores como: um novo perfil de consumidor.R cenário para as jóias e seus usuários. devido ao destaque obtido por este campo profissional. Andréa Capra/ UNIRITTER Este artigo é baseado em um projeto de pesquisa coletivo que tem como .03. bastante criativo e diversificado. Gabriela Giehl/ Universidade Luterana do Brasil Sperb. a adoção desses materiais no Design de Jóias. estudantes e profissionais reconhecem a necessidade de um ensino direcionado aos aspectos que abrangem a área da gestão do design.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. este trabalho procura ratificar a existência da disciplina de gestão do design dentro dessas instituições.03.03. / / / / / COORDENAÇÃO/ Rita Maria Couto ST. criando condições para a intervenção. Daisy Biagini/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo Partindo das premissas de que docentes. FATOR MERCADOLÓGICO NO ENSINO DE DESIGN /Artigo Completo Wolff. Procura construir assim. bem como o nível de capacitação dos designers nesta área. dentre outros. o controle e até mesmo a modificação deste quadro social. aliado à expansão acelerada da pósgraduação na modalidade citada. preocupação com o meio ambiente.A/ ST. Daniel Quintana/ Universidade Federal de Santa Maria O objetivo deste artigo é mapear o panorama atual e indicar as tendências de ensino em cursos de especialização em Design no Brasil. Os resultados obtidos permitem a visualização de uma realidade até então desconhecida. Estes cursos multiplicaram-se nos últimos anos.B Auditório 02 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /97 ATUALIDADE E TENDÊNCIAS DO ENSINO EM CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESIGN: UMA ANÁLISE DO PANORAMA BRASILEIRO /Artigo Completo Kirinus. um panorama inicial do ensino e desenvolvimento da gestão do design. Foi possível ainda perceber que.

ACADEMIA E ESTUDANTES: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA EM DESIGN DE PRODUTO /Artigo Resumido Silveira Neto. No caso apresentado neste artigo. Fruto desses resultados. Marcelo/ UFRGS Del Pino/ José Claudio/ UFRGS Realizar inspeções de usabilidade é um passo importante durante o processo de desenvolvimento de software interativo. Para tanto. Marina Ramos/ UFSC Nunes. os estudantes desenvolveram uma linha de cerâmica de mesa para alguns estabelecimentos gastronômicos de Florianópolis. um novo plano de ensino foi desenvolvido e aplicado. a união de teoria e prática em uma mesma experiência acadêmica e a complexidade do processo de design. Walter Dutra da/ UDESC Pezzini. Os testes realizados e sua inserção no ciclo se mostrou de grande valia na redução de problemas de usabilidade em relação à primeira versão. porque é nestas ocasiões em que se pode avaliar efetivamente o projeto. entregue pela equipe de desenvolvimento. O pano de fundo foi a multidisciplinaridade. Gabriela T. /98 .RS Eichler. se relata três formas de avaliação conduzidas dentro do ciclo de Design Centrado no Usuário: informais. Michelle Berticelli/ UFSC Este artigo relata uma experiência pedagógica da Universidade Estadual de Santa Catarina – UDESC que evidenciou a importância de aproximarem-se estudantes de design e mercado. apoiadas em heurísticas e com usuários. três ações de pesquisa foram desenvolvidas. ST. Neste sentido.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / objetivo avaliar o ensino dos fatores mercadológicos no Design./ Unisinos .C Auditório 03 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Júlio Carlos de Souza Van der Linden AVALIAÇõES DE USABILIDADE DENTRO DO CICLO DE DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: UM ESTUDO DE CASO /Artigo Completo Perry.03. APROXIMANDO MERCADO. Os resultados teóricos apresentam as origens do fator mercadológico no Design e indicam sua importância no ensino enquanto a coleta exploratória revela as lacunas na compreensão dos alunos acerca da amplitude da disciplina e sua conexão com o Design. iniciando com coletas de dados e finalizando com uma revisão bibliográfica sobre o tema.

A/ ST. Os objectivos do estudo são a identificação e comparação da forma como. desdobradas em componentes e fatores. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER e PPGEP/UFRGS Este artigo apresenta uma proposta de instrumento para avaliação de conforto de equipamentos de proteção individual (EPIs). percepção do conforto. Maria Lúcia Leite Ribeiro/ UFPR Michaloski. em informações. as possíveis relações entre informação requerida e tomada de decisão. Viviane Gaspar Ribas/ UFPR Okimoto. A sua estrutura considera cinco dimensões (características do produto. 4. 6.R PROPOSTA CONCEITUAL DE INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE CONFORTO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL /Artigo Completo van der Linden. a ocasião da solicitação. o momento de uso. as possíveis conexões entre informação usada e movimentos de Design ao longo do processo.03. em função de suas características e requisitos. 2 a natureza da mesma. SELEÇÃO DOS MéTODOS DE USABILIDADE NO PROJETO /Artigo Resumido Tanure. Rita/ Universidade Técnica de Lisboa Este estudo integra uma investigação de Doutoramento que inclui a Análise de Protocolos Verbais na sua abordagem metodológica aos Processos de Design. Fernanda Cândido Figueiredo/ UFPR O presente artigo traz uma contribuição a respeito da usabilidade e dos métodos mais comumente utilizados no desenvolvimento de produtos que atendam em maior rigor aspectos de satisfação e de eficiência. os alunos: 1 requerem informação.03. 5. A proposta integra aspectos afetivos na concepção de produtos destinados ao uso no trabalho e está fundamentada em referencial teórico na Ergonomia. Ariel Orlei/ UTFPR Monteiro. contexto psicossocial. Tem-se como resultado desta pesquisa uma estruturação dos métodos encontrados para avaliação da usabilidade. em face de um mesmo problema de Design. Henri/ Delft University of Technology Almendra. tais como: / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /99 . aparência pessoal). ESTRUTURAÇÃO E ACESSO A INFORMAÇÃO NUM PROBLEMA DE DESIGN: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ALUNOS hOLANDESES E PORTUGUESES /Artigo Resumido Christiaans. Faz a comparação entre o trabalho realizado por alunos finalistas de cursos de Design na Holanda e Portugal relativamente ao modo como a informação é requerida e usada ao longo dos seus processos de Design. percepção de risco. 3. Raffaela Leane Zenni/ UFPR El Marghani.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. O instrumento pode ser adaptado para a avaliação de diferentes tipos de EPI.

o web designer. então. elaboração de mapa conceitual. objetivos. Sílvia Helena de Carvalho/ Metatron – Fábrica de Software Atualmente.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / aplicabilidade. e ergonomia. tais como a informática. pois áreas afins podem vir a contribuir para a complementação da formação deste profissional.03. bem como diretrizes para a seleção dos métodos mais adequados diante as restrições do projeto. O percurso metodológico deste trabalho apóia-se em pesquisas qualitativas. Ravi/ UFSC Ulbricht. Vania Ribas/ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC Este trabalho objetiva a analise e sistematização dos elementos de interfaces de hipermídias e suas relações por meio da proposição de um tesauro que atue como instrumento de auxílio ao design da informação. contribuir com o designer da informação que atue no estudo ou projeto de interfaces de hipermídias. Timóteo Moreira/ PUC-Rio Mont’Alvão. o designer se tornou multidisciplinar. a IHC. AVALIAÇÃO COOPERATIVA: BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO COM USUÁRIOS CEGOS /Artigo Completo Tangarife. vantagens e desvantagens dos métodos. como um exemplo de caso de uso real de projeto centrado no usuário. tipo de acesso. Nelson/ Universidade Anhembi Morumbi Passos. a arquitetura. o marketing e desta necessidade de complementação nasce. USABILIDADE DE INTERFACES – WEBSITE BOGARI CAPITAL /Artigo Resumido Schnaider. A temática justifica-se pela necessidade de aprofundamento das questões relativas ao desenvolvimento destas interfaces. O presente trabalho consiste no desenvolvimento do site BOGARI CAPITAL (especializado em fundos de investimento). baseadas na correta relação funcional e conceitual entre os elementos que as compõem. ST. . Moura/ Universidade Anhembi Morumbi Somma Junior. a engenharia. a usabilidade. elaboração de tesauro visual interativo e sua validação. Espera-se neste estudo. Cláudia Renata/ PUC-Rio Uma pesquisa exploratória é apresentada demonstrando a importância da aplicação do método de avaliação cooperativa em usuários cegos. a publicidade e propaganda. tempo de aplicação.D Auditório 04 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /100 COORDENAÇÃO/ Claudia Mont`Alvão SISTEMATIZAÇÃO DOS ELEMENTOS DE INTERFACES DE hIPERMÍDIAS PARA O DESIGN DA INFORMAÇÃO /Artigo Resumido Monica. a semiótica.

Cada processo resulta em diferentes propriedades nas camadas obtidas. Foi demonstrado. empregadas na elaboração de um brinquedo projetado para interagir com o usuário através do olfato. Letícia/ UFRGS Johann. entre outras As microcápsulas são um sistema de dimensões micrométricas onde uma substância é envolvida por uma fina casca de outra substância. que existe uma diferença entre a teoria e a prática no desenvolvimento de sites acessíveis. pois agrega diferentes propriedades como: termorregulagem. ação repelente. Wilson/ UFRGS Na busca por inovação no design de produtos o uso das microcápsulas mostrou-se promissor. Maura Della Flora/ UFRGS Roldo. hidratação. influenciando a sua performance.03. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Carla Dias ST.03. E por fim. apresentar o estudo de métodos de avaliação na disciplina de IHC. em seguida.R Através dessa pesquisa foi possível identificar alguns problemas na navegação efetuada por eles num protótipo funcional baseado em um site governamental. Diane/ UFRGS Flores. Para atingir tal propósito. mesmo seguindo a orientação do Governo Federal baseado no decreto 5. Katia Alexandra de/ UFPR Padovani. aromatização. Neste trabalho produziu-se microcápsulas aromáticas através dos processos de coacervação e polimerização interfacial. desenvolvidos na disciplina de IHC [Interface Homem-Computador]. descrever o método da pesquisa e mostrar os resultados das análises dos quatro métodos direcionados para avaliação de software educativo.03. . apesar desse protótipo ter passado por todas as etapas de validação de acessibilidade. primeiramente trataremos da avaliação em softwares educativos. Liane/ UFRGS Kindlein Júnior.A/ ST. Para avaliação do desempenho.296/2004. Stephania/ UFPR Este artigo tem a intenção de apresentar e comparar os resultados de trabalhos de alunos de Design. então.E Sala C 149 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / /101 MICROCÁPSULAS: USO DA MICROTECNOLOGIA NO DESIGN DE PRODUTOS INOVADORES /Artigo Completo Hammester.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. elas foram aplicadas em têxteis. ESTUDO COMPARATIVO DA UTILIZAÇÃO DE MéTODOS DE AVALIAÇÃO DE SOFTWARE EDUCATIVO POR ALUNOS DE DESIGN /Artigo Completo Godoi.

o design e a tecnologia são fundamentais para gerar inovações que garantam o desempenho competitivo das empresas. Roberto/ PUC . Virginia Pereira/ UFPE Andrade. ST. Foram considerados aspectos de mediação e interação social entre artesãos e designers ocorridos nestas intervenções e o papel do design e do designer na promoção das condições para a aprendizagem e para a apropriação de conhecimentos. Glenda Gomes/ UFPE Botelho. a partir da experiência na Companhia Industrial de Vidros. com as intervenções do design no artesanato. os créditos desenvolvem diversas estratégias narrativas visuais diferentes . Marco/ UFPR Fontoura. associando as estratégias de design ao grau de novidade dos produtos desenvolvidos pela empresa. Na esfera industrial. O objetivo deste artigo é apresentar os estágios na estratégia de inovação do design em indústrias de produtos de uso. Adaptando-se ao meio. Os resultados serão descritos cronologicamente. principalmente aquelas relacionadas aos Círculos de Culturas. Antônio Martiniano/ UFPR Partindo-se do princípio de que a Educação é um fenômeno resultante da interação social.F Sala A 205 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / /102 COORDENAÇÃO/ Ariane Daniela Cole ESTRATéGIAS NARRATIVAS VISUAIS: INTERPRETAÇÃO GRÁFICA EM CRéDITOS DE ABERTURA CINEMATOGRÁFICOS /Artigo Completo Tietzmann. Ana Maria de/ UFPE Silva. Vinícius/ UFPE Os conceitos de inovação estão associados a transformações criativas que podem ser aplicadas nos mais diversos ambientes. este trabalho apresenta um estudo sobre a aproximação das idéias pedagógicas freireanas.RS Créditos de abertura cinematográficos são um espaço híbrido onde convenções e técnicas do design gráfico são aplicados a um suporte baseado no movimento registrado no tempo.03.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / O DESIGN EM INDÚSTRIAS DE PRODUTOS DE USO: ESTÁGIOS NA ESTRATéGIA DE INOVAÇÃO DA COMPANhIA INDUSTRIAL DE VIDROS – CIV /Artigo Completo Cavalcanti. REFLEXõES SOBRE AS INTERVENÇõES DE DESIGN NO ARTESANATO SOB A ÓTICA DOS CÍRCULOS DE CULTURA DE PAULO FREIRE /Artigo Completo Abbonizio. Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cabral.

Thiago/ USP Este artigo tem como objetivo principal discutir as relações entre a arte e o design. Dráusio Vicente/ Universidade Anhembi Morumbi Hosse. Tais estratégias freqüentemente operam no andamento da história. Fábio Rodrigues de/ Universidade Anhembi Morumbi Silva.03. tomando como referência. Tratou-se de pesquisa exploratória por intermédio de levantamento bibliográfico e iconográfico. FOTOMONTANDO: DESIGN E MOBILIDADE E A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM /Artigo Completo Cavalcante. o trabalho de Mitteldorf.A/ ST. Tomando como base o trabalho “elemento desaparecendo. Ariadne Yasmin Vieira de/ Universidade Anhembi Morumbi Oliveira. baseadas na interpretação gráfica de temas presentes na obra e seu contexto histórico-cultural. e assim estabelecer seus lugares comuns e distanciamentos. Vanessa/ USP Coutinho-Silva.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /103 .03. Apesar disso. foi possível depreender que os efeitos e a linguagem utilizada por Klaus são bastante similares a de Man Ray. Igor Revoredo/ Universidade Anhembi Morumbi O objetivo deste trabalho foi demonstrar que as técnicas de fotomontagem e manipulação fotográfica utilizadas pelo fotógrafo Man Ray. são aplicadas ao design digital contemporâneo. elemento desaparecido” de Cildo Meireles discute-se o que o design pode oferecer para as artes plásticas e vice-versa. Buscou-se evidenciar a aplicação de tais técnicas no design digital. Este texto explora estratégias utilizadas pelos créditos. Angelo Bruno de Souza/ Universidade Anhembi Morumbi Melo. contrastando com os demais momentos da obra. criando um espaço diferenciado através do esticamento ou da fragmentação do tempo e dos temas apresentados. ARTE E DESIGN – UMA REFLEXÃO SOBRE SUAS DISTINÇõES /Artigo Resumido Espínola. que podem ser associadas à fotomontagem e a manipulação fotográfica. As principais técnicas utilizadas por Man Ray foram os fotogramas e a solarização. Ana Paula Franco/ Universidade Anhembi Morumbi Silva. Klaus utiliza-se dessas técnicas. enquanto Man Ray utilizava processos totalmente analógicos.R da linguagem cinematográfica tradicional e distintas da comunicação gráfica em outros suportes. manipulando suas imagens por meios digitais – softwares –. Stella Nery da/ Universidade Anhembi Morumbi Camarnado Junior.

Esse artigo objetiva iniciar um debate sobre a aplicabilidade da metodologia Lateo na área de design. ou Sociologia da Infância. desconhecimento sobre alguma especificidade do projeto./ UFPE Neves . Ana Lucia /Centro Universitário SENAC Alcântara de Freitas. Simone /Centro Universitário SENAC Diante da escassez de estudos sobre cultura infantil e design.Bauru Pinheiro. Discorre de forma breve sobre vídeo-arte para. ST. surge como uma ferramenta para a analise da incerteza no processo de design. Celia Maria/ Centro Universitário SENAC Reboledo Sanches.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / WEB ART/WEB DESIGN: UMA POéTICA TECNOLÓGICA /Artigo Resumido Gondo. /104 . O ENFOQUE LATEO E A INCERTEZA DO PROCESSO DE DESIGN /Artigo Completo Souza. O formalismo Lateo. tomadas de decisão de projeto.C. Essa incerteza advém de diversos fatores. Rodrigo L.G Sala A 207 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Rachel zuanon DESIGN E CULTURA INFANTIL /Artigo Resumido Escanfella.Fabio/ UFPE Nunes. Parte de conceitos como simulação numérica e simulação de imagens que são pertinentes às poéticas tecnológicas abordadas.André M. esta comunicação apresenta um projeto de pesquisa. mais especificamente o debate em torno da cultura infantil.Ítalo/ UFPE O ato de projetar apresenta uma inerente incerteza envolvida./ UFPE Vilar. Edvar/UFPE Campos.03. deficiências em levantamentos de dados e experimentos realizados. por fim. tais como. Olympio José/ UNESP . nas suas mais variadas especificidades. Carolina Fazian Ige/ UNESP . Para tanto utilizaremos como ponto de partida os novos Estudos sobre Infância. abordar o objeto deste trabalho: Web Art / Web Design.Bauru O texto traça um paralelo histórico entre arte moderna e pós-moderna. que estende a teoria de Dempster Shafer. que tem como proposta estudar diversos produtos próprios à cultura infantil que de forma direta ou indireta sejam objeto de ação de design. em fase inicial.

de caráter experimental. Foi no contexto da imaginação como resultado das interpretações humanas do seu universo simbólico que se procurou buscar um arcabouço conceitual para desenvolver a pesquisa sobre o design. Rodolfo Rossi/ Universidade Anhembi Morumbi Brito. Paulo A. salientando a vida artificial e a . Marina Queiroz/ Universidade Anhembi Morumbi Juliani. DESIGN E TECNOLOGIA: ChRISTA SOMMERER E LAURENT MIGNONNEAU /Artigo Resumido NG. Francisco Pereira/ UFSC Arbex. Adriana Kei Ohashi/ Universidade Anhembi Morumbi Este trabalho tem como perspectiva epistemológica as análises das relações sócio-culturais bem como do horizonte simbólico onde ocorrem as referidas relações.R DESIGN E RESIGNIFICAÇÃO DO IMAGINÁRIO NO JOGO /Artigo Completo Sato. o foco maior aqui é no processo de resignificação que o design propõe ao elaborar novos projetos de jogos como sistemas simbólicos./ Universidade Anhembi Morumbi A partir dos estudos dos artistas Christa Sommerer e Laurent Mignonneau e da análise de suas obras A-Volve e Life Writer o presente estudo reuniu elementos conceituais com o objetivo de elaborar um web-site autoral.A/ ST. No entanto. Marcelo/ UFSC O presente artigo tem como objetivo apresentar como ocorre à criatividade e os grupos criativos dentro do ambiente organizacional enfatizando a importância do design e o impacto dos processos de inovação como tendência determinante para a competitividade e sobrevivência das empresas no cenário mercadológico. Alcione de/ Universidade Anhembi Morumbi Maia. Drausio Vicente/ Universidade Anhembi Morumbi Albuquerque. CRIATIVIDADE E GRUPOS CRIATIVOS: UMA LEITURA SOBRE OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO EM DESIGN /Artigo Resumido Fialho. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Luisa Paraguai Donati ST.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Mercia/ Universidade Anhembi Morumbi Carvalho Costa.03. Vinícius Nakamura de/ Universidade Anhembi Morumbi Camarnado Jr. O jogo como objeto de design. Adilson/ Universidade Anhembi Morumbi Godoy.03.h Sala A 214 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / /105 ARTE. Dafne Fonseca/ UFSC Krammer.03. é formalizado a partir da interpretação dos elementos simbólicos e expressivos existentes no seio sócio-cultural.

Foi possível estabelecer uma relação entre arte. Ao assumir a fisicalidade corpórea dos usuários e a materialidade do espaço como elementos do acesso ao contexto híbrido da informação.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /106 interatividade. internet 3D. Lisandra/ UDESC Esta pesquisa levantou referências sobre o uso do Second Life como ambiente para pesquisar e testar as preferências referentes às funções estéticas e simbólicas dos produtos. O trabalho conclui com apresentação de dois estudos de casos de empresas que utilizaram desse ambiente para pesquisar ou testar produtos antes de seu lançamento: Philips e Sundown Motos. internet 2. No percurso entre projeto e produto as questões da poética e da experiência estética a partir da reflexão sobre a morte e da vida em suspensão foram associadas ao desenvolvimento projetual a partir da linguagem do design de hipermídia. ENACTIVE INTERFACES /Artigo Resumido Paraguai. aspectos . além do próprio Second Life. Nelson/ Universidade Anhembi Morumbi Este artigo discute e apresenta as relações entre os campos do design e o da literatura no processo de desenvolvimento de um produto em mídia digital e interativa. design e tecnologia nas artes midiáticas. Neste processo. Mônica/ Universidade Anhembi Morumbi Somma Junior. Posteriormente são apresentadas duas metodologias para o desenvolvimento de projetos de produto e possíveis momentos de intervenção para testes no ambiente virtual. O SECOND LIFE COMO AMBIENTE DE PESQUISA E TESTE PARA LANÇAMENTO DE PRODUTOS /Artigo Completo Vergani.0. Foram abordadas definições como mídias digitais. Após a abordagem teórica alguns trabalhos artísticos serão apresentados como PebbleBox. parecem apontar um modo específico de operar da cognição humana. colaboração. Tratou-se de uma pesquisa teórica sobre arte midiática e análise das duas obras. Luisa/ Universidade de Sorocaba O texto procura refletir sobre as interfaces multisensoriais a partir do conceito de enaction. bem como a dinâmica baseada na circularidade entre a ação do usuário e da interface. sobretudo permitir ao usuário imersão e interação com a vida artificial. Essa condição híbrida e processual. mas. questiona-se a possibilidade de reconfiguração do corpo na sua própria apresentação e percepção a partir das interações mediadas. Cylindres e Link. DESIGN DE hIPERMÍDIA: POéTICAS CONTEMPORÂNEAS /Artigo Completo Moura. Danielle Adria/ UDESC Andrade.

Kátia Andréa Carvalhaes/ UFMG O artigo apresenta os resultados obtidos a partir da aplicação de critérios de building design e de sustentabilidade no design de componentes arquitetônicos. Através de entrevistas e pesquisa desk.03.R da interdisciplinaridade e transdisciplinaridade.03. ASPECTOS DO DESIGN DE MOBILIÁRIO BRASILEIRO SUSTENTÁVEL /Artigo Resumido Arruda. Gloria Lucía Rodríguez Correia de/ Universidade Estadual Paulista Paschoarelli. madeira oriunda de florestas renováveis. Paulo/ UNISINOS Medeiros. Maria Augusta/ UNISINOS Esse artigo é resultado de uma pesquisa desenvolvida dentro de um grupo de estudos em design aplicado ao território. Os produtos desenvolvidos são direcionados para o alcance de conforto ambiental acústico e térmico-luminoso nas edificações e resultam do Projeto ECOPOLO. do design contemporâneo e das novas mídias foram contemplados a partir da interpretação e transcriação do poema “O que passou.I Sala A 216 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /107 BUILDING DESIGN E SUSTENTABILIDADE: VALORIZAÇÃO DA MADEIRA DE EUCALIPTO NA PRODUÇÃO DE COMPONENTES ARQUITETÔNICOS NO VALE DO JEQUITINhONhA – MG /Artigo Completo Pereira.A/ ST. Observa a consolidação de um Sistema-Produto – Café do Porto – e sua influência na transformação do entorno de um território.e. O objetivo foi verificar e testar a metodologia do design no plano de inserção de uma empresa e seu impacto no desenvolvimento urbano local. passou?” de Paulo Leminski.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. cujo objetivo foi fornecer meios para a valorização e a diferenciação do pólo do Vale do Jequitinhonha-MG como centro de excelência na produção de objetos em eucalipto. Volta-se para a análise de um empreendimento comercial pelo ponto de vista do design estratégico. / / / COORDENAÇÃO/ Cristiane Affonso de Almeida zerbetto ST. DESIGN ESTRATéGICO: APLICAÇÃO EM RETROSPECTIVA AO CASO CAFé DO PORTO /Artigo Completo Reyes. i. numa abordagem de engenharia reversa. Roberta Vieira Gonçalves de/ UFMG Pêgo. Andréa Franco/ UFMG Souza.03. Luis Carlos/ Universidade Estadual Paulista . aplicou-se ferramentas de design estratégico.

O artigo focaliza-se na capacidade do design de interpretar o capital territorial produzindo cenários nos quais os projetos serão desenvolvidos.órgão de pesquisa e ação em cultura popular criado em 1975 por Aloísio Magalhães. até chegar a contribuição específica que o design através da sua própria metodologia pode fornecer para a valorização do território.J Sala A 225 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Rosane Preciosa UM PROJETO DE DESIGN NACIONAL: ALOÍSIO MAGALhÃES E O CENTRO NACIONAL DE REFERÊNCIA CULTURAL /Artigo Completo Anastassakis. Carlo/ UNISINOS Esse artigo é resultado das investigações ocorridas no grupo de pesquisa em design aplicado ao território. profissão de origem de Aloísio Magalhães. Paula da Cruz/ Universidade Estadual Paulista Atualmente. Paulo/ UNISINOS Franzato. ecologia e preocupação social se faz presente no design brasileiro de móveis em madeira. Propus o deslocamento do CNRC do âmbito restrito do patrimônio através de uma análise contrastiva entre o discurso produzido pelo órgão e aquele encontrado na bibliografia. DESIGN PARA O TERRITÓRIO: UMA REFLEXÃO TEÓRICA /Artigo Resumido Reyes. a integração entre desenho. Em consequência.03. Marizilda/ Universidade Estadual Paulista Landim. O CNRC era mais projeto de design nacional que programa de preservação patrimonial. que incluem desde a redução da matéria-prima até a reutilização ou reciclagem de materiais e componentes. do que propriamente ao campo do patrimônio. A disciplina do design tem competências específicas que lhe permite abordar de maneira original o território. ST. ensaiei uma revisão do lugar atribuído pela literatura do patrimônio cultural ao Centro Nacional de Referência Cultural .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Menezes. /108 . conclui que o CNRC estava mais diretamente ligado a idéias do campo do design. Zoy/ Universidade Federal do Rio de Janeiro Nesta pesquisa. O estudo parte de uma revisão teórica dos princípios do projeto territorial. Projetar seguindo os princípios da sustentabilidade requer mudanças na metodologia projetual.

Ana Beatriz Simon/ FAU USP Este artigo aspira proporcionar uma visão panorâmica das contribuições africanas para o design brasileiro. Mariana Rachel/ Universidade Anhembi Morumbi Preciosa. na qual as cercas das identidades vacilam. Margolin e Whiteley. A seleção dos objetos seguirá a metodologia usada pela história da arte brasileira.A/ ST. nada têm a ver com leis de “pureza”. baseado nas necessidades humanas apontados por Flusser. que costuma não considerar as contribuições negras. Mais especificamente. Rosane/ Universidade Anhembi Morumbi Este artigo investiga as possíveis relações entre a responsabilidade social do design. pois intra-disciplina não existem parâmetros estabelecidos.03.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. os objetos serão selecionados conforme as diferentes seções propostas por Silva e Alcântara (2004). CONCEITOS E AÇõES DE LINA BO BARDI E ALOÍSIO MAGALhÃES /Artigo Resumido Paula. desde a sua pré-figuração até os dias atuais. na qual as identidades étnicas. embora defensáveis. os deuses se tocam. os sangues se misturam. Tânia Cristina de/ USP Este trabalho tem como finalidade apresentar a aproximação entre o design e o artesanato que ocorreu no Brasil através das idéias e ações pioneiras desenvolvidas pela arquiteta Lina Bo Bardi no MAMB/Museu de Arte Moderna da Bahia e no MAP/Museu de Arte Popular no período de 1958 a 1964. através de uma revisão da historiografia de caráter etnocêntrico. Como resultado tem-se a produção de material bibliográfico para o desenvolvimento da pesquisa em história do design no Brasil. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /109 . Então. Considerar-se-á o caráter ambíguo da sociedade brasileira. tomando por exemplo as propostas singulares do designer de moda paulista Geraldo Lima para a marca masculina Urânio. e pela atuação do designer Aloísio Magalhães na área da cultura do governo federal no período de 1975 a 1982. APROXIMAÇÃO ENTRE DESIGN E ARTESANATO NO BRASIL.03.R REFLEXõES SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL E DESIGN DE MODA /Artigo Resumido Roncoletta. este trabalho pretende analisar como Lina e Aloísio trataram as questões da cultura popular e do produto artesanal como referência a um produto contemporâneo portador de uma identidade nacional. hISTÓRIA DO DESIGN NO BRASIL: CONTRIBUIÇÃO NEGRA /Artigo Completo Factum.

03. Keila Crystyna/ UFES Diante da nova perspectiva voltada para a preservação do meioambiente. RUBEN MARTINS E O CONCRETISMO BRASILEIRO /Artigo Resumido Lacroce. a análise dos ambientes das residências e dos produtos existentes no mercado que de alguma forma atendam as necessidades dos usuários em questão. Marizilda Santos de/ UNESP . a observação de residências do público. optimizando de este modo la producción de nuevas fuentes tipográficas. LATINOAMéRICA: UN NUEVO ESCENARIO TIPOGRÁFICO /Artigo Resumido Cosgaya. .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Este escrito forma parte de un proyecto de investigación cuyo objetivo es la construcción de una herramienta teórico práctica que permita registrar qué está sucediendo y reflexionar sobre el escenario actual. Utilizou-se uma das tendências pesquisadas pelo SENAI (Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial) sobre os novos padrões de comportamento humano.k Sala C 235 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /110 COORDENAÇÃO/ Maristela Mitsuko Ono MÓVEL MULTIAMBIENTE: DESENVOLVIMENTO DE MOBILIÁRIO ORIENTADO POR TENDÊNCIAS /Artigo Resumido Souza. O PROGRAMA DE ECO-EFICIÊNCIA DO BANCO REAL: UM ESTUDO DE CASO /Artigo Resumido Brito. várias instituições têm desenvolvido projetos para disseminar esses valores. Francisco de/ UNESP . reutilizar e reciclar). que vem desenvolvendo um programa de eco-eficiência baseado nos 3 R’s (reduzir.Bauru Este artigo trata do desenvolvimento de um móvel orientado por tendências. Dentre elas destacamos o ABN AMRO REAL. Essa relação será revelada. como métodos. Aline Teixeira de/ UNESP . André/ FAU-USP O objetivo principal aqui é uma reflexão a respeito da relação do design com a arte concreta paulista. Pablo/ Universidad de Buenos Aires La actividad latinoamericana vinculada con la tipografía se ha redefinido a partir de la acción de una corriente modernizadora que impulsó cambios profundos en la región.Bauru Menezes.Bauru Alencar. e.

A tentativa de conjugar o pensamento pós-moderno ao pensamento sistêmico.R especificamente.03. no trabalho do designer Ruben Martins. tais como Branzi. Ana Luiza Cerqueira/ UEMG Carvalho.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. INTERSEÇõES ENTRE DOIS REFLEXOS: UMA VISÃO DO DESIGN BRASILEIRO /Artigo Completo Castro.A/ ST. /111 . que apresenta em sua maioria produtos importados com alto valor agregado.03. cujos vínculos modernistas são apontados por autores pós-modernos. Tem-se como pressuposto um contato intersemiótico do design com a linguagem artística do concretismo. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto Júnior. A proposta nasce da demanda verificada no mercado. a fragmentação que sugere pode levar a um individualismo que em nada contribui para o desenvolvimento local. Márcio Miguel/ UEMG O artigo ora apresentado tem como objetivo demonstrar a possibilidade de viabilização da produção nacional de equipamentos de escalada. Maria Luiza A. Marcelo Silva/ UEMG Freitas. como responsáveis pelos problemas da evolução subseqüente do design brasileiro.03. C. voltadas para o desenvolvimento sustentável. a partir do design de produtos. oferece uma alternativa edificante para a elaboração de estratégias de ação de design. que contempla a complexidade. Embora a visão pós-moderna apresente uma análise lúcida em diversos pontos. levando em conta a importância que o contexto. os contatos profissionais e a apropriação do espaço pelo criador teve em sua atividade projetiva.L Sala C 237 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / DESIGN COMO FERRAMENTA PARA VIABILIZAÇÃO DE PRODUTOS – ESTUDO DE CASO NO SETOR DE EQUIPAMENTOS DE ESCALADA /Artigo Completo Pinto. de/ Universidade Federal de Uberlândia As políticas públicas voltadas para o design no Brasil privilegiaram a partir dos anos 60 um enfoque racional. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Enrique Rentería ST. Laura de Souza Cota/ UFMG Gomes.

Dias/ Universidade Federal do Amazonas Silva Jr. O projeto teve como objetivo avaliar a situação atual e desenvolver um novo mobiliário para os laboratórios. Para isso realizou-se um estudo de caso único de caráter descritivo. O objetivo deste trabalho foi desenvolver uma proposta de transporte e armazenagem dos utensílios utilizados na limpeza doméstica. PROPOSTA DE PRODUTO PARA TRANSPORTE E ARMAZENAGEM DE OBJETOS UTILIZADOS EM FAXINA DOMéSTICA /Artigo Resumido Souza. Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS O design estratégico se configura como uma alternativa na busca por um diferencial que realmente agregue valor competitivo. de/ Universidade Federal do Amazonas Havendo a necessidade de propiciar aos estudantes um ambiente melhor para os estudos dentro dos laboratórios de eletrônica da Faculdade de Tecnologia (FT) da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Thais/ UNISINOS Costa. apresenta necessidades e dificuldades na sua realização. observação in loco. Waldir Sabino da/ Universidade Federal do Amazonas Freitas. vulgo faxina. análise dos objetos usualmente utilizados e das propostas existentes no mercado. Fabio Luiz/ UEM A limpeza doméstica. Foram realizados: pesquisa de campo. AMBIENTE E MOBILIÁRIO ERGONÔMICO: LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA /Artigo Resumido Máximo. A análise dos dados estabeleceu requisitos para a intervenção através do design e o desenvolvimento de um protótipo. como a variedade de objetos que envolve.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / O DESIGN ESTRATéGICO E O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS: O ESTUDO DE CASO COZA /Artigo Completo Dalcin. A metodologia aplicada visou a coleta de dados para estipular parâmetros que pudessem orientar o desenvolvimento de uma estação de trabalho. com base em dados secundários e entrevistas em profundidade. Fábio H. O presente artigo apresenta como objetivo identificar qual é o papel do design estratégico como recurso competitivo para a Coza Utilidades Plásticas Ltda. Desta forma. A partir da análise realizada. Suellen P. Aline Teixeira de/ UNESP . que proporcione segurança e conforto em aulas práticas dentro deste ambiente.Bauru Grassi. constata-se que a empresa apresenta o design estratégico parcialmente integrado em sua gestão e de forma mais significativa no processo de desenvolvimento de novos produtos.. /112 . ele é capaz de conciliar as complexidades do ambiente e as necessidades do mercado e gerar soluções inovadoras e rentáveis à organização.

da/ FAAC – UNESP . propomos um estudo de modelos epistemológicos como passo inicial para delimitarmos as fronteiras de campos particulares de estudos. Sérgio/ PUC . Para tal. com o Design interagindo no produto em todas suas configurações. Visando através de texturas traduzir as cores e aplicálas em etiquetas de roupas para pessoas com cegueira adquirida. aplicando ao Design de Superfície.Bauru Silva. iniciamos a pesquisa com uma proposta de análise epistemológica das superfícies projetadas. nosso objeto de Tese.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST./ FAAC. .A/ ST. Tal fato direcionou a singularidade deste projeto. S.UNESP . Portando. EPISTEMOLOGIA E SUPERFÍCIES PROJETADAS /Artigo Resumido Sudsilowsky. R. foram utilizados alguns estudos de casos que pretendem ilustrar com clareza a importância da composição em conjunto com suas bordas.Bauru Amantini./ FAAC . Evelise Anicet/ UFRGS Perondi. relacionado-as com as composições formadas a partir de suas repetições.Bauru Este trabalho apresenta o desenvolvimento de um código cromático como forma de comunicação e um novo meio de reconhecimento por meio de texturas. posteriormente. Cilene Estol/ UFRGS Rüthschilling. A baixa incidência de publicações sobre o tema e o número reduzido de estudos acadêmicos concluídos e validados explicitou a ausência de trabalhos epistemológicos sobre as superfícies.UNESP . na formação.03. por repetição. A escolha das cores do vestuário dos indivíduos com “limitação visual” é um dos grandes obstáculos vivenciados cotidianamente.M Sala C 238 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /113 DESIGN DE SUPERFÍCIE EM REVESTIMENTOS CERÂMICOS /Artigo Completo Cardoso. o que nos fez identificar a necessidade de realizá-lo.03. de outras composições. Eliane C.. José Carlos P. Susy N.R COORDENAÇÃO/ Anna Paula Silva Gouveia ST. considerando as composições individuais dos módulos e. CÓDIGO CROMÁTICO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL /Artigo Completo Barbosa.Rio Com finalidade de desenvolver uma “arqueologia” do que a prática e a pesquisa em Design no Brasil vêm apresentando acerca das superfícies projetadas.03. Eduardo/ UFRGS O presente artigo tem como principal objetivo explanar aspectos importantes observados no desenvolvimento de revestimentos cerâmicos.

Para o desenvolvimento deste estudo./ UDESC Este artigo demonstra. através da articulação . utilizando-se uma metodologia tradicional. foram propostos dois métodos pedagógicos para o ensino de um software CAD. Silvana Bernardes. Como resultado deste estudo foram descritos problemas encontrados pelos alunos em ambos os métodos e verificado as vantagens e desvantagens de cada um deles. Rita Maria de S/ PUC-Rio Rosa. aplicou-se um exercício simplificado para o desenvolvimento de um sólido tridimensional. DIRECIONADO AO MéTODO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /Artigo Completo Silveira Neto. os tutoriais como importantes ferramentas aplicadas em disciplinas que utilizam recursos metodológicos de EAD. foi utilizado o método tutorial. ST.N Sala C 239 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /114 COORDENAÇÃO/ Flavia Nizia da Fonseca Ribeiro A APLICAÇÃO DO TUTORIAL NO ENSINO DE SOFTWARE GRÁFICO. Evelise Anicet/ UFRGS Este texto traz uma reflexão crítica a respeito da elaboração e dos resultados de um projeto para estamparia de mobiliário e utilitários. Walter Dutra. PUC-Rio Couto. Aborda a relação da criação em design de superfície com a criação artística fazendo uma análise da concepção dessas estampas. No primeiro. por meio de uma aplicação prática. COLEÇÃO GRAFITE: UMA ANÁLISE CRÍTICA SOBRE A CRIAÇÃO DE ESTAMPAS PARA MOBILIÁRIO E UTILITÁRIOS DOMéSTICOS /Artigo Resumido Netto. Gabriel Gimmler/ UFRGS Rüthschilling. Ana Carolina Regis/ Universidade da Amazônia/ Faculdade de Estudos Avançados do Pará Este artigo tem por finalidade propor uma abordagem metodológica para a interdisciplinaridade no curso de Design Gráfico. Relaciona do desenho gestual abstrato com a criação de padrões para estamparia e descreve o processo de criação das estampas desses objetos. METODOLOGIA INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE DESIGN GRÁFICO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA /Artigo Completo Barra.03.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / relacionando-as com as principais correntes teóricas do Design na contemporaneidade. no segundo.

com o tema gerador Gastronomia: cores e sabores da Amazônia. através do estudo de caso no Curso de Bacharelado em Design Gráfico. Giovanni Henrique Marques/ Centro Universitário SENAC Explorar os elementos estéticos presentes no filme Gosto de Cereja. que permite identificar novas estratégias para facilitar a aquisição da segunda língua. procurou dar aos alunos ferramentas que lhes permitam conjugar outros elementos estéticos inspiradores. do cineasta Abbas Kiarostami. Ana Cristina/ Universidade do Minho .Portugal Sendo 2008 o Ano Europeu do Diálogo Intercultural. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Denise Camargo ST. no período de agosto a dezembro de 2007.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.A/ ST. o funcionamento do método e como este foi proposto e construído pelos professores do curso. Adriana Costa/ Centro Universitário SENAC Tinti.O Sala C 242 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / NÃO é MAIS UMA hISTÓRIA AMERICANA / Artigo Resumido Teixeira.03. visando conjugar os diversos aspectos culturais presentes numa Europa cada vez mais global através da música como linguagem universal. /115 .R da metodologia interdisciplinar e metodologia projetual.03.Portugal Cunha. O DIÁLOGO INTERCULTURAL COMO FONTE DE INSPIRAÇÃO DE VESTUÁRIO DE MODA: UMA EXPERIÊNCIA ACADÊMICA /Artigo Resumido Broega. por crianças surdas. Este projecto. Pretendese demonstrar. Joana/ Universidade do Minho . entenderam-se criadas as condições para um desafio de design de moda. PROCESSO DE PROJETO DO JOGO MULTI-TRILhAS: UM EXEMPLO DE DESIGN PARTICIPATIVO /Artigo Resumido Couto.03. Desafio que se traduz na proposta aos alunos de Design de Vestuário de desenvolvimento de uma mini-colecção de vestuário de moda que explorasse o tema. no âmbito do ensino fundamental. no desenvolvimento de produtos diferenciados e de potencial sucesso no mercado. além das tendências de moda. Rita Maria de Souza/ PUC-Rio Exemplo de metodologia de Design Participativo é apresentado no relato do processo de projeto do jogo Multi-Trilhas.

deslizamento sígnico de Roland Barthes. SEXUALIDADE E EXPERIÊNCIAS ALUCINÓGENAS: A CONSTRUÇÃO DA SUBJETIVIDADE CONTEMPORÂNEA EM BLACk hOLE /Artigo Completo Siva. abordando a metáfora como mecanismo fundamental de linguagem na relação entre o receptor . um livro de roleplaying game. mas também com a construção e questionamento de uma epistemologia do Design enquanto área de conhecimento. ST.P Sala C 243 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / /116 COORDENAÇÃO/ Lucio Agra METÁFORAS: APROXIMAÇõES ENTRE O SURREALISMO E O DESIGN DE hIPERMÍDIA /Artigo Completo Mateus Knelsen/ Universidade Anhembi Morumbi Gisela Belluzzo de Campos/ Universidade Anhembi Morumbi O artigo estabelece analogias entre as propostas filosóficas e estéticas do Surrealismo e o Design de hipermídia. em que o conceito de abertura da obra é fundamentado pelos conceitos de gozo do texto. procurando comparar questões teóricas com aquelas encontradas na hq. Em ‘Black Hole’. da hermenêutica de Paul Ricoeur e da Iconologia de Erwin Panofsky. foi realizada uma leitura geral do trabalho para verificar quais seriam os aspectos mais relevantes a serem estudados. instrumentalizado por meio da tradução intersemiótica de Julio Plaza. De início.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / ALUCINAÇÃO. Carlos Eugênio/ Universidade Estadual de Santa Cruz Neste trabalho. Assim. do quadrinhista Charles Burns. são assumidos os defeitos e estigmas como sinalização da entrada em cena de um jogo de sedução e prazer onde não existem tratamentos ou curas.Rio Esta pesquisa de doutorado propõe um método de concepção poética e análise crítica para um objeto de design gráfico. tendo como foco a série ‘Black Hole’. Foram realizadas pesquisas bibliográficas sobre os temas relacionados para viabilizar uma discussão dentro deste foco. INCORPORAIS RPG: DESIGN POéTICO PARA UM JOGO DE REPRESENTAÇÃO /Artigo Completo Bettocchi. apenas um destino incerto.03. foi utilizado um método comparativo analítico. foram encontrados temas de interesse como a questão da sexualidade e dos alucinógenos como formas de construção de um novo tipo de subjetividade no âmbito da adolescência. Fabio Luiz Carneiro Mourilhe/ PUC-Rio Baptista. Eliane/ PUC . Espera-se com este método contribuir não apenas com novas possibilidades de se pensar e produzir um livro.

Os exemplos selecionados para investigação são a revista Bravo! e a revista Tupigrafia. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /117 . Ressalta a importância de mapear “nossos designs”– aqueles que. Esse paper discute o design de computadores vestíveis afetivos a partir das pesquisas realizadas nessa área e suas contribuições para que se obtenha um melhor entendimento dos mecanismos da emoção e da cognição. em meio a uma avalanche de laioutes padronizados e/ou importados. cartazes.R (observador ou usuário). na elaboração de peças gráficas e obras de arte com a mesma inventividade.DESIGNER E ARTISTA PLÁSTICO /Artigo Resumido Tavares. Verificamos isto a partir do estudo das séries Soma de Planos e Objetos Ativos. Ao discutir-se o grau de profundidade e as potencialidades dessas analogias. sugere-se a linguagem surrealista como referência ao designer no desenvolvimento de interfaces hipermidiáticas. dos avanços na possibilidade de comunicação entre homem e máquina.A/ ST. passando pelas marcas institucionais. neste estudo. WILLyS DE CASTRO . folders e tantos outros trabalhos produzidos no Estúdio de Artes Gráficas com Hércules Barsotti. Willys de Castro se vale das mesmas qualidades técnica e produtiva.03.03. José Eduardo/ Universidade Estácio de Sá Design e artes plásticas. DESIGN DE COMPUTADORES VESTÍVEIS AFETIVOS /Artigo Completo Rachel Zuanon/ Universidade Anhembi Morumbi “Computação afetiva” é uma expressão cunhada pela pesquisadora Rosalind Picard para propor que se atribuam aos computadores habilidades emocionais e capacidade para responder de modo inteligente à emoção humana. Gisela Belluzzo de/ Universidade Anhembi Morumbi Este texto comenta projetos gráficos de revistas impressas brasileiras desenvolvidos em consonância com o projeto editorial. PROJETOS GRÁFICOS DE QUALIDADE DE REVISTAS BRASILEIRAS /Artigo Resumido Campos. Estudar o legado produzido por ele faz com que cheguemos a esta constatação.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. se destacam por serem criações com maior grau de originalidade e entende que as boas realizações imprimem qualidade e significação ao conjunto da produção brasileira em design. a mídia (obra de arte ou interface digital) e o criador (artista ou designer). ganham um traço de união: Willys de Castro. do conseqüente aperfeiçoamento dos computadores e da influência que a tecnologia exerce no próprio desenvolvimento humano.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Liziane Regina/ UFPR Fontoura. demonstrando como a proposta pedagógica pode ser promissora para a formação de cidadãos mais críticos e atuantes.03. toma como ponto de partida a experiência de construção textual de alunos que estão concluindo o curso de Design Gráfico da Universidade Fumec (BH-MG). têm sido promovidas discussões sobre o que e como ensinar e o que realmente se espera dos educandos. serão apresentados alguns dos pontos dessa discussão. Antonio Martiniano/ UFPR O imperativo da sustentabilidade requer um novo paradigma educativo. São avaliadas quatro estratégias genéricas: redesign.Q Sala F 280 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Paula da Cruz Landim EDUCAÇÃO ATRAVéS DO DESIGN E SUSTENTABILIDADE: EM BUSCA DA FORMAÇÃO CRÍTICA E PARTICIPATIVA /Artigo Completo Gomes. Para isso. /118 . Mário Geraldo/ Universidade FUMEC O artigo reflete sobre a relação entre metodologia científica e metodologia projetual para defender uma nova abordagem metodológico para o ensino do Design. Neste artigo. Aguinaldo dos/ UFPR O presente artigo discute estratégias genéricas para tornar as soluções do setor do vestuário (e moda) mais sustentáveis. com foco na dimensão ambiental. O TEXTO NA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA PARA O DESIGN: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FUMEC DE BELO hORIZONTE. dinâmicas e interdisciplinares. sistemas produto+serviço e a indução estilos de vida radicalmente novos. MG /Artigo Resumido Fonseca. design de produtos intrinsecamente mais sustentáveis. que amplie a efetividade da educação ambiental em prática. Suzana Barreto/ UEL Santos. evidenciando a necessidade de propostas pedagógicas mais criativas. Serão tratadas as convergências entre EdaDe e sustentabilidade. Para isso. ESTRATéGIAS GENéRICAS PARA A SUSTENTABILIDADE NO SETOR DO VESTUÁRIO /Artigo Completo Martins. A EdaDe – Educação através do Design demonstra ir ao encontro desta realidade.

Num segundo momento. temos como objetivo a aproximação entre Hall e Bauman.Rio Este artigo tem como objetivo levantar formas de contribuição da universidade no processo de inovação da empresa visando obter subsídios que possam contribuir com o fomento e desenvolvimento do design têxtil e de moda local. Num primeiro momento. Carlos Delano/ CEFET . O tema é abordado através de estudos de casos. Raquel Gomes/ UFMA Oliveira Filho.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. a pesquisa revela que as parcerias podem contribuir com o processo de inovação de ambas as partes envolvidas. IDENTIDADE E ETNOGRAFIA /Artigo Completo Noronha. onde se apresenta três experiências de integração. / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Rita Alves Oliveira ST. Lúcia Bergamaschi Costa / PUC . Como resultado.RS Este artigo analisa as relações de identidade e alteridade no design latino-americano no que se refere ao campo da Pedagogia do design.A/ ST.03.Maranhão Este artigo tem por objetivo refletir sobre a utilização da Etnografia como metodologia aplicada ao Design para a construção e mapeamento de um imaginário no desenvolvimento de marcas visuais.03. A partir do estudo de caso da marca territorial do bairro do Desterro (São Luís. autores que nos ajudam a averiguar os discursos que temos produzido na América Latina e os posicionamentos derivados. principalmente se estiverem direcionadas às necessidades das empresas. .R INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO: AÇÃO DO DESIGN NA INTEGRAÇÃO INSTITUIÇÃO DE ENSINO/EMPRESAS /Artigo Resumido Costa. nossa proposta é trabalhar diferentes tópicos pertinentes ao design. educação e política) e comunicacionais (o designer enquanto emissor). As experiências mencionadas são confrontadas com as referências sobre inovação. LUGARES COMUNS: A MARCA TERRITORIAL DO DESTERRO. Cláudio Freitas de/PUC . num diálogo entre seus aspectos filosóficos (estudos da subjetividade e da identidade do designer) e seus aspectos sociais (cultura. Maranhão. Maria Izabel/ UDESC Magalhães.03. Hamilton de/ UFMA Rodrigues.R Sala E 284 10/10/2008 Sexta-Feira 11h00/ 12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /119 IDENTIDADE E ALTERIDADE NO DESIGN LATINO-AMERICANO /Artigo Completo Weymar. para que a inovação seja implementada por estas.

Elisa Galvão/ Centro Universitário SENAC/ SP O artigo procura explicitar a questão identitária como base determinante para o estudo da Marca País. aspectos simbólicos relativos à noção de territorialidade que corroboram para construir a imagem de um lugar. /120 . GESTÃO DE DESIGN E DESIGN SOCIAL: O CASO TRILhAS DO RIBEIRÃO /Artigo Resumido Merino. subsidiadas pela Gestão do Design. Isadora Burmeister/ UFSC Lins. Eugenio/ UFSC Dickie. A QUESTÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA FUNDAMENTAÇÃO DA MARCA PAÍS /Artigo Resumido Pontes. As ações de design demonstradas neste trabalho. quanto com o próprio design. materializaram as informações do projeto Trilhas do Ribeirão em elementos integrados de identificação. Ana Falcão Cavalcanti/ UNAERP Desenvolver ações baseadas nas atividades do Design Social é colaborar tanto com a sociedade. que vem sendo adotada como estratégia de concorrência no mercado internacional globalizado e altamente competitivo. considerando os fatores emocionais envolvidos no projeto de Design.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Brasil) encontramos um terreno fértil para o mapeamento de uma teia de significados.

Este estudo combinou métodos qualitativos de pesquisa e perspectivas teóricas do campo do Design & Emoção e se deu a partir do levantamento de relatos sobre “marcas que marcam”. A COLETA DE INFORMAÇÃO COMO ALICERCE NA METODOLOGIA PROJETUAL DE DESIGN GRÁFICO /Artigo Resumido Gómez. .Rio Este artigo é parte de um estudo sobre o contexto de uso e razões pelas quais algumas marcas se tornam queridas. Marco Aurelio/ UFSC Uma proposta eficiente para driblar a “concorrência” existente entre as diversas ONGs ambientalistas.R COORDENAÇÃO/ Marcos da Costa Braga ST.04. O propósito deste artigo é apresentar uma estratégia metodológica desenvolvida com o fim de levantar relatos sobre experiências.A Auditório 01 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /121 GREEN BRANDING: O DESIGN GRÁFICO E A GESTÃO DE MARCAS DE ONGS AMBIENTALISTAS /Artigo Resumido Braun.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Luiz Salomão Ribas/ UFSC Vieira.C. abordando principalmente o que vem a ser o “green branding” e como pode ser a participação do design gráfico nesta gestão de marcas de ONGs ambientalistas.04. neste artigo são comparadas às abordagens metodológicas de design gráfico a fim de enfatizar a relevância da coleta de informações como etapa que guia a criação. Jan Raphael Reuter/ UFSC Gomez. já que a solução para um produto de design gráfico é invariavelmente embasada nessas informações e análises. envolvendo sua fundamentação teórica.Rio Lima. Este artigo propõe apresentar parte inicial deste estudo. Clauciane Vivian/ UFSC Dickie. Vera/ PUC . Luiz Salomão Ribas / UFSC Petrelli. estaria em uma bem elaborada gestão de suas marcas (green branding). execução e implementação de um projeto. EM BUSCA DAS “MARCAS QUE MARCAM”: UMA CONTRIBUIÇÃO METODOLÓGICA PARA O DESIGN & EMOÇÃO /Artigo Completo Damazio. Milton Luiz Horn/ UFSC Pereira.A/ ST. Dessa forma.04. Isadora Burmeister/ UFSC Do mesmo modo que nenhum arquiteto planeja o inicio de uma construção sem os alicerces correspondentes. o designer não deve projetar sem antes coletar informações. Júlia P. sentimentos e comportamentos promovidos pelas marcas./ PUC .

Além da visão idealizada. não o que ela realmente é. modos de organização. Análises comparativas permitiram identificar aspectos positivos e negativos nas dinâmicas de uso do espaço./ UNOPAR Demarchi. O presente trabalho procura apontar diretrizes para o desenvolvimento de mobiliário para estes locais. ressalta-se que a identidade é definida do ponto de vista parcial do entrevistado.B Auditório 02 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /122 COORDENAÇÃO/ Denise Dantas ANÁLISE COMPARATIVA DE MATERIOTECAS: RECOMENDAÇõES PARA A CONSTRUÇÃO DE MODELOS ACADÊMICOS /Artigo Completo Dantas. evidencia-se o que o executivo gostaria que a empresa fosse. o artigo apresenta um método que já foi aplicado em 19 empresas com resultados muito positivos. e partindo-se do princípio de que identidade corporativa é construída por todos os integrantes da empresa. Carlos A. Após revisão bibliográfica foram analisadas seis bases de dados e visitadas sete bibliotecas de materiais no Brasil e no exterior. Essa prática incorpora distorções. abrigando e dispondo informações e amostras de materiais para sua recuperação durante o projeto de produto. através da investigação dos métodos de projeto de . ST. S. Juliana G. As considerações finais apresentam algumas recomendações para a construção de acervos de materiais em ambientes acadêmicos. Denise/ Centro Universitário Senac Campos. pois. Ana Paula de/ Centro Universitário Senac Neste artigo abordamos o tema Materiais para o Design considerando o impacto das transformações da era pós-industrial nas metodologias projetuais e analisando a tendência contemporânea do surgimento de bases de dados e acervos físicos de materiais. disponibilização e consulta de amostras.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / MéTODO PARA DEFINIÇÃO DA IDENTIDADE CORPORATIVA /Artigo Completo Ligia Fascioni/ UNISUL Definir a identidade de uma empresa é uma das tarefas mais difíceis para um designer. DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE MOBILIÁRIO DE UMA MATERIOTECA /Artigo Completo Rodrigues. privilegia a visão dos gestores da empresa. que é o método mais utilizado. Para reduzir essas distorções./UNOPAR Bacchi. muitas vezes.04. A construção de um briefing. Lília P./ UNOPAR Materiotecas são ferramentas voltadas ao Design e à Seleção de Materiais.

métodos e diagnósticos adotados na realização da pesquisa. Ana Paula Perfetto/ UFSC Este artigo tem como objetivo mostrar como se pode aplicar a gestão do design nas indústrias moveleiras.C Auditório 03 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / /123 PROPOSTAS PARA O ENSINO DE ERGONOMIA NA EDUCAÇÃO DO DESIGN /Artigo Completo van der Linden. GESTÃO DO CONhECIMENTO NA CAPTAÇÃO DE NOVOS MATERIAIS PARA A INDÚSTRIA MOVELEIRA /Artigo Resumido Brustoloni. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Júlio Carlos de Souza Van der Linden ST. Paula/ ESPM O presente artigo tem por objetivo apresentar uma ferramenta na forma de um modelo de percepção visual baseado em estudos científicos. UMA PROPOSTA DE FERRAMENTA PARA ENSINO EM DESIGN BASEADA NO ESTUDO CIENTÍFICO DA PERCEPÇÃO VISUAL /Artigo Completo Csillag. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER Este artigo apresenta propostas para a adequação do ensino de Ergonomia à educação do Design. com visão estratégica. Camila L/ UEL Demarchi. ii) incorporar princípios do Desenho ao ensino de Ergonomia. a abordagem teórica que subsidiou o estudo.04. análise do contexto de uma empresa de pequeno porte e experimento. e iii) integrar a Análise Ergonômica às Análises Projetuais. promoverem uma pesquisa interna de informações e apresentando uma proposta diferenciada. em ambientes de projeto. O texto apresenta. e por meio de processos operacionais.04. A sua justificativa está na dificuldade encontrada por estudantes e profissionais da área do Design aplicar o conhecimento proveniente da Ergonomia. Finalmente. da análise dos mobiliários utilizados em materiotecas existentes.A/ ST. a qual compreendeu.04.R produto e de seleção de materiais. . assim.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. o artigo apresenta considerações finais do estudo realizado. pela inserção de novos materiais nos projetos da empresa. além de pesquisa bibliográfica e entrevistas. Também é apresentada a avaliação de experiências nos últimos semestres letivos. e em espaços correlatos à exposição de materiais e produtos. para numa próxima etapa apresentar os resultados obtidos. As propostas consistem em: i) adequar a linguagem utilizada no ensino de Ergonomia.

sem considerar os conceitos do design e a falta de habilidade em representar. Milton Koji/ UNESP .D Auditório 04 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Lucy Niemeyer FOLhAS DE FIBROSOLO: UM CONCEITO CONSTRUTIVO DE INTEGRAÇÃO E BAIXO IMPACTO AMBIENTAL /Artigo Completo Paes Leme. como as placas maleáveis de terra crua com mantas de fibras vegetais. foram desenvolvidas uma série de combinações e compósitos com materiais biodegradáveis. São soluções gráficas. Fernando Betim/ PUC . onde 80% das pessoas vivem concentradas em áreas urbanas. A partir do entendimento de uma sustentabilidade apoiada na inclusão de saberes tradicionais da construção rural associados a princípios de salubridade e baixo impacto ambiental. as suas idéias. tendo o ensino de desenho de observação como um instrumental na formação do profissional de design gráfico.04. O presente estudo vem propor uma contribuição. dos processos de percepção que não podem ser generalizados. foram consideradas pesquisas tanto de psicologia quanto de neurociência. sem conteúdo agregado ao resultado de suas mensagens visuais. há como concebermos uma relação equilibrada entre a cidade e o campo? O trabalho que apresentamos aqui busca mostrar como o design pode contribuir nesta relação. José Luis Mendes/ PUC . Para o desenvolvimento deste modelo. METODOLOGIA DE DESENhO DE OBSERVAÇÃO COMO INSTRUMENTAL PARA DESIGN GRÁFICO /Artigo Resumido Nakata. chamadas folhas de fibrosolo.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / que possa dar suporte ao ensino em design. ST. por meio do desenho.Rio Na sociedade atual. muitas vezes. que é muito mais uma distinção cultural do que geográfica.Rio Ripper. /124 . Isso ocorre em decorrência do uso indiscriminado dos novos recursos tecnológicos. que foram reunidas aos estudos e relatos sobre percepção visual na área de design e linguagem visual.Bauru A crescente disponibilidade de recursos computacionais na área de design gráfico tem contemplado alguns problemas nessa área. O modelo pode auxiliar na diferenciação de processos de percepção que tendem a ser generalizáveis a todos os seres humanos com visão normal.

Além disso.R JOySTICk INFANTIL DE USO AMBIDESTRO /Artigo Completo Farias. Eles foram grupados segundo os critérios de nível de escolaridade e tipo de atividade exercida. AVALIAÇÃO DE BARBEADORES – UMA ABORDAGEM ATITUDINAL /Artigo Resumido Niemeyer. escolher um deles não é uma tarefa simples. eles são usados de modo individual freqüente. Tiago Luiz Aguiar/ UNESP . o que torna o uso de metodologias adequadas uma necessidade. Para facilitar o uso. SISTEMA DE INFORMAÇÃO INTELIGENTE PARA O AUXILIO DO DESIGNER NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS /Artigo Resumido Lopes. Yuri/ UNOPAR Para que um produto deixe de ser uma idéia é necessário que haja a seleção de materiais e processos de fabricação (SMPF) que o constituirão. que nesta faixa etária apresenta grande variabilidade. Foi testada uma amostragem de barbeadores disponíveis no mercado brasileiro. foi inserida uma pega no controle unindo assim elementos do controle PAD e manche.04.Bauru Walter. com utilização de técnicas de abordagem atitudinal. Sabendo que existem mais de 60000 materiais disponíveis ao uso. Devido à variação antropométrica das mãos. Todos os participantes eram homens.A/ ST.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /125 . Este trabalho propõe um sistema inteligente que fornece suporte ao desenvolvimento de produtos e mantém uma base de dados dinamicamente atualizada por agentes autônomos. A estética do produto apresenta configuração lúdica direcionada ao público alvo. Marco Antonio/ UNESP . Lucy/ UERJ Esposel. atendendo às necessidades físicas e psíquicas (ergonômicas.Bauru Souza. A análise dos resultados dos instrumentos de sondagem permitiu a identificação de necessidades e preferências dos integrantes de cada grupo e seus modos de avaliação de barbeadores. Foram escolhidos barbeadores porque eles têm uma clara e inequívoca função primordial. Mariane Gomes/ UNIFRA Pereira. funcionais e estéticas) possibilitando também o uso ambidestro. Ígor/ UNESP . João Fernando/ UNESP – Bauru Bonadio.04.Bauru Marar. optou-se por um joystick com manche revestido de borracha. Júlia/ UERJ Este artigo apresenta uma pesquisa sobre a avaliação por usuário de um produto específico – o barbeador. Leandro Lopes/ UNIFRA Este projeto teve por objetivo desenvolver um joystick ergonomicamente adequado às necessidades de crianças de cinco a dez anos de idade.

centrando na identificação de critérios de qualidade de vida urbana como estratégia de desenvolvimento do território. O deambular pela cidade está pautado nas práticas desenvolvidas pelo Situacionismo e a escolha dos jardins. O trabalho consiste em fotografar os jardins de um percurso no centro comercial da cidade de São Paulo com o objetivo de apontar a relação entre o paisagismo e os espaços que eles ocupam. Porém. Christus Menezes da/ UnB O objeto arquitetônico nasceu com o propósito de mediar as relações sociais. Foca num projeto de valorização territorial. . apontando algumas possibilidades projetuais para conectar espaços arquitetônicos e corpos fisicamente distantes. do meio ambiente urbano. Esse artigo discute a relação dessas novas tecnologias aplicadas ao design de interiores. unido corpos e casas geograficamente distantes. principalmente daquelas relacionadas à cibercultura. O design de interiores. pode encontrar nas tecnologias de tele-presença uma forma de potencializar seu papel de mediação social. do paisagismo e da cultura. com o surgimento das novas tecnologias de comunicação. Ângela Maria dos/ Centro Universitário SENAC O presente artigo pretende enunciar as relações existentes entre arte e design em práticas artísticas contemporâneas que se valem do deambular pela cidade. a partir do conceito de lugar e não-lugar enunciado por Marc Augé. A síntese deste projeto foi a constituição de um indicador de mérito do tipo “selo empresa cidadã no bairro” que possa orientar a iniciativa privada em suas ações de desenvolvimento sustentável e responsabilidade social junto à comunidade onde está inserida. DESIGN DE INTERIORES E CIBERCULTURA: REFLEXõES PARA UMA NOVA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL /Artigo Resumido Nóbrega. procurando se adaptar aos novos parâmetros cibernéticos contemporâneos.04. o espaço construído perde gradativamente essa função. nas ações artísticas realizadas pela Land Art.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST.E Sala C 149 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /126 COORDENAÇÃO/ Ágata Tinoco APROXIMAÇõES ENTRE ARTE E DESIGN: PAISAGEM URBANA E OLhAR DE ARTISTA /Artigo Completo Santos. VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO ATRAVéS DO DESIGN ESTRATéGICO: UM ESTUDO DOS INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA URBANA NO ÂMBITO DO BAIRRO /Artigo Completo Reyes. Paulo/ UNISINOS Volkart. Carla/ UNISINOS Esse artigo é resultado das investigações ocorridas no grupo de pesquisa em design aplicado ao território.

A/ ST. com leitura de bibliografia específica. com entrevistas com o público-alvo.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. são feitas considerações e recomendações quanto à representação de dimensões temporais em mensagens instrucionais a partir da abordagem analítica apresentada e da literatura. para entender como acontece . Carla Galvão/ UFPR Este artigo apresenta um estudo analítico sobre a representação gráfica de dimensões temporais em mensagens instrucionais de produtos de consumo. e a necessidade de ações objetivas. São consideradas dez variáveis distribuídas nos níveis conceitual e de apresentação gráfica possibilitando relacionar as dimensões temporais com as estratégias adotadas para representá-las. Após a análise dos dados descreve a proposta desenvolvida. é considerada a importância da compreensão de mensagens instrucionais pictóricas para o sucesso na realização de tarefas. são definidas dimensões temporais e apresentados parâmetros para análise das representações gráficas destas. Inicialmente.R COORDENAÇÃO/ Edna Lucia Cunha Lima ST. o seu próprio lugar é objeto de discussão à luz das ciências da linguagem.UFES Este artigo apresenta o desenvolvimento do projeto de um novo padrão gráfico para a embalagem de medicamentos comumente usados por idosos. Em seguida. Conclui destacando a grande importância da atuação do designer em projetos sociais. investigação prática.04. Luz García/ Centro Universitário SENAC No contexto midiático. Finalmente. auxiliando os produtos impressos.F Sala A 205 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /127 ESTUDO ANALÍTICO DA REPRESENTAÇÃO DE DIMENSõES TEMPORAIS EM INSTRUÇõES DE PRODUTOS DE CONSUMO /Artigo Completo Maia. do governo e da indústria farmacêutica.04. a saber: investigação teórica. o design passou a ocupar um lugar de destaque. Descreve os métodos utilizados na etapa exploratória. Desse modo. ABERTURA DE TELENOVELA: O DESIGN EM MOVIMENTO /Artigo Resumido Neira. televisuais e outros a se tornarem mais atrativos e ‘nobres’. Juliana Cristina da/ Universidade Federal do Espírito Santo . EMBALAGEM DE MEDICAMENTO: UM PROJETO DE DESIGN /Artigo Completo Silva.04. para sanar o problema. especialmente aqueles usados no combate à hipertensão e diabetes. Tiago Costa/ UFPR Spinillo. visando melhorar a qualidade de vida das pessoas.

/128 . tipografia. que procura trazer parâmetros para o projeto gráfico deste tipo de publicação. temos a metodologia final estabelecida e a análise das seis obras selecionadas. Eveline Z. K. sobre folhas brancas com 20% e 50% em massa de fibra de bananeira.G Sala A 207 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Gilmar Adolfo Hermes APLICAÇÃO DE SISTEMAS DE IMPRESSÃO EM PAPEL RECICLADO ARTESANAL UTILIZANDO DIFERENTES FRAÇõES MÁSSICAS DE FIBRA DE BANANEIRA /Artigo Completo Nascimento. entre outros. Os resultados apurados por esta pesquisa demonstram que as diferentes estruturas narrativas das aberturas. a fim de construir uma metodologia para a análise. Para tanto. que é o de dar identidade aos produtos sobre os quais atua. foram levantados autores que propõe conceitos sobre a análise de publicações. Por fim. Denise A. Os critérios estabelecidos para avaliação dos resultados foram: nitidez. Aline/ Centro Universitário Senac Este trabalho apresenta a análise de seis dicionários infantis ilustrados publicados no Brasil./ UNIVILLE Barauna. absorção e facilidade de aderência pelo sistema usado. contribuem para a preservação de um dos objetivos do design desde sua origem. Silvana F.04. jato de tinta e offset./ UCS Pezzin. Juliana S./ UNIVILLE Silva. Os resultados alcançados mostraram que a serigrafia destacou-se independentemente da fração mássica de fibra de bananeira. ST. Na primeira parte. Na segunda parte. a terceira parte apresenta a síntese comparativa das análises. algumas receberam a aplicação do revestimento de carboximetilcelulose (CMC). PARÂMETROS PARA O PROJETO GRÁFICO DE DICIONÁRIOS INFANTIS ILUSTRADOS /Artigo Resumido Frederico. especificamente no caso das aberturas das telenovelas. Debora/ UNIVILLE Bastianello. realizou-se testes de impressão com os sistemas serigrafia. Dentre estas. Ana Paula T.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / sua compreensão nessas circunstâncias./ UNIVILLE Neste trabalho avaliou-se a qualidade de impressão com diferentes técnicas sobre o papel reciclado artesanal utilizando diferentes frações mássicas de fibra de bananeira. imagens. do/ UNIVILLE Anselmo.

SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. o presente artigo expõe. por pesquisadores nas áreas de educação e psicologia. Constatou-se que os estudos desenvolvidos em instituições ou por profissionais ligados ao design dão maior ênfase às questões tipográficas. Nesse sentido.04. COM FOCO EM AMBIENTE WEB /Artigo Resumido Meürer.R A MANChA TIPOGRÁFICA COMO PAISAGEM /Artigo Completo Lopes. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /129 . com o intuito de explorar as qualidades específicas da linguagem tipográfica como potencializadora dos aspectos semânticos e expressivos do texto.A/ ST. Berenice/ UFSC A partir da revisão de autores com estudo reconhecidos na área de design e usabilidade. TIPOGRAFIA PARA CRIANÇAS: ESTUDOS DE LEGIBILIDADE /Artigo Completo Rumjanek. Berenice Santos/ UFSC A tipografia possui características que ultrapassam sua mensagem verbal. Letícia/ ESDI/UERJ Apesar da quantidade de estudos que avaliam a legibilidade de composições e desenhos tipográficos. pouco difundidos no Brasil. Analisando as diferentes abordagens. de Clarice Lispector. poucos consideram crianças em processo de alfabetização. Priscilla Gonçalves/ UFSC Gonçalves. a partir de referências teóricas. Mary/ UNIVALI Gonçalves. permitindo indicações subjetivas não-verbais valiosas para a compreensão do texto. pode-se concluir que um maior cuidado com os dois aspectos produziria resultados mais significativos nesse tipo de pesquisa. tendo como foco a apresentação das fontes em telas de computador e mais especificamente no ambiente web. e os estudos desenvolvidos fora do âmbito da atividade. privilegiam os métodos de pesquisa empregados. recursos que podem ser aplicados através da composição das manchas textuais. O artigo reúne dados de estudos recentes com essa faixa etária. O conteúdo aqui apresentado faz parte do projeto de mestrado sobre a interface gráfica de ambientes web que encontra-se em desenvolvimento.04. este artigo estabelece uma relação entre recomendações sobre tipografia para mídia impressa e digital. RECOMENDAÇõES SOBRE TIPOGRAFIA PARA TELA. Como finalização. apresenta-se a validação dos conceitos tratados através da construção de páginas baseadas na novela “A hora da estrela”.

Gabriela Helena Peixoto de/ UEMG O objeto deste estudo é a evolução da cozinha residencial. o que favorece a produção de diferentes idéias e estimula a criatividade. Procurou-se identificar tendências no contexto arquitetura e design de ambientes. Tem como referência a Revolução Industrial e o impacto das tecnologias daí advindas sobre esse espaço. cuja ambigüidade estimula a imaginação. O objetivo este artigo é analisar os processos cognitivos presentes durante a produção de croquis na fase inicial do processo de projeto e verificar como idéias e conhecimentos emergem no ato criativo. A incerteza é inerente ao processo de criação. que utiliza em suas dimensões os valores de uma série encontrada a partir da figura de um quadrado de 350 milímetros de lado. Sônia Marques Antunes/ UEMG Souza. Os croquis de concepção são os artefatos mais próximos do pensamento.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Rodrigo Leonardo Rodrigues de/ UFMA Este trabalho trata do desenvolvimento de uma metodologia de projeto para o uso racional da madeira na produção de uma Tábua de Passar fabricada estruturalmente de MDF (Medium Density Fiberboard). em Belo Horizonte. A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO COZINhA NA RESIDÊNCIA DE BELO hORIZONTE: TENDÊNCIAS NO CONTEXTO ARQUITETURA E DESIGN DE AMBIENTES /Artigo Completo Campos. . PROJETO DE TÁBUA DE PASSAR POR COORDENAÇÃO MODULAR /Artigo Resumido Pereira.04. Wilson/ UNICAMP e Universidade Presbiteriana Mackenzie O arquiteto materializa suas idéias sobre o suporte físico tanto para registrar seus pensamentos como para descobrir novas possibilidades a partir dos indícios fornecidos pelo próprio desenho. constatandose que as inovações tecnológicas interferiram no layout da cozinha e que seu espaço diversificou-se e multiplicou-se na moradia contemporânea integrando serviço e lazer.h Sala A 214 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /130 COORDENAÇÃO/ Haroldo Gallo EXPERIMENTAÇÃO E INCERTEZA NO PROCESSO DE PROJETO: UMA REFLEXÃO SOBRE O PAPEL DOS CROQUIS DE CONCEPÇÃO EM ARQUITETURA /Artigo Completo Florio. O projeto se apóia na teoria das proporções áureas e da Coordenação Modular. Cláudia Fátima/ UEMG Ribeiro. São registros exploratórios. Sanatiel de Jesus/ UFMA Pinho.

I Sala A 216 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / /131 COSAC NAIFy E SUA ATUAÇÃO INOVADORA NO MERCADO EDITORIAL: UM ESTUDO DE CASO /Artigo Resumido Gomedi. cujo foco estratégico é a inovação e o diferencial. no qual o livro é trabalhado como linguagem verbal e visual. AVALIAÇÃO ERGONÔMICA PRELIMINAR DAS ATIVIDADES DOS OPERADORES DE COLhEDORA DE CANA-DE-AÇÚCAR: ESTUDO DE CASO /Artigo Resumido Corrêa. Viviane/ UEL Martins. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Rosane Fonseca de Freitas Martins ST. Luis Carlos/ PPGDesign . o presente estudo identifica alguns pontos críticos na atividade. A IMPORTÂNCIA DO DESIGNER PARA A CONSTRUÇÃO DO LIVRO INFANTIL /Artigo Resumido Lourenço. aplicando-se uma abordagem ergonômica.A/ ST.UNESP Paschoarelli.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. A partir de um estudo de caso. simples e funcional.UNESP Santos Raquel dos/Universidade Técnica de Lisboa Santos.04. realizado em duas empresas da cidade de Lençóis Paulista (SP).04. facilitando dessa forma a sua industrialização. como delineamento. demandando investigações mais aprofundadas para adequar estes equipamentos à realidade brasileira. Antônio José/ PPGDesign . buscando interação com o leitor e proporcionando novas sensações cativando-o pela característica de objeto que assume. trazendo consigo profundas alterações nas relações de trabalho quando se comparado ao processo manual. num patamar mercadológico definido como “novo luxo”.R conseguindo com isso um artefato leve.04. Rosane Fonseca de Freitas/ UEL O objetivo deste artigo é apresentar uma pesquisa sobre a Gestão de Design numa indústria editorial gráfica. Daniel Alvares/ UEL Cavalcante. João Eduardo Guarnetti dos/ PPGDesign – UNESP As atividades de colheita mecanizada de cana-de-açúcar estão se expandindo principalmente nas lavouras paulistas. que consiste . Como metodologia utilizou-se pesquisa exploratória qualitativa e. Os resultados apresentam o uso do design como ferramenta estratégica de diferenciação. estudo de caso. Ana Luisa Boavista Lustosa/ UEL O intuito deste projeto é a construção de um livro infantil.

É uma questão atual e essencial num momento em que ainda se discute a “propriedade” do design dentro de um estudo interdisciplinar da área. O que se pretende não é defender a idéia da morte do livro. Nathalia Sá/ PUC . A metodologia utilizada foi por meio do levantamento de dados.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / na elaboração do projeto gráfico e suas ilustrações. Seu objetivo é traçar uma linha de raciocínio que dê subsídios para a compreensão de seu significado contemporâneo. problematizando o esforço de datar uma teoria paralela às tendências sócio-culturais de todo o mundo. A SUSTENTABILIDADE NO DESIGN DA INFORMAÇÃO: O LIVRO EM QUESTÃO /Artigo Completo Queiroz.Rio O artigo busca aproximar a questão da sustentabilidade ao universo editorial. e nos meios gráficos de criação e de produção. em relação à introdução de novos materiais como suporte editorial. A idéia é questionar a resistência exercida por parte da sociedade e dos agentes produtores do livro. Não é apenas um problema semântico. Isto pode significar uma mudança real de paradigma e de atitude na sociedade. pesquisas qualitativas e análise de similares. Filipe/ Universidade Estadual do Rio de Janeiro Cavalcanti. a partir de duas possibilidades com tecnologias diferenciadas que estão sendo desenvolvidas recentemente: o e-paper e o plástico com características próximas do papel. /132 . BRANDING: SER OU NÃO SER EIS A CONFUSÃO! /Artigo Completo Chagas. Trata-se de uma reflexão acerca de outras possibilidades gráficas. Lauro/ Universidade Federal do Rio de Janeiro Este artigo examina historicamente a formação do conceito de “branding”. Leila Lemgruber/ PUC .Rio Cavalcante. técnicas de exploração do processo criativo. solucionado por um dicionário. para produzir uma proposta final coerente com o trabalho. Essa pesquisa leva a uma indagação ontológica ao perguntarmos a nós mesmos “o que é design?” ou “o que é marca?”. que possam dar conta do impacto sobre o crescimento da produção editorial do planeta. tendo como função principal demonstrar a importância do designer para a construção do livro infantil.

04. Marko Alexandre Lisboa dos/ UNESP Neves./ UEM Lucio. ARTE E DESIGN: UM ESTUDO NA OBRA DE GERALDO DE BARROS /Artigo Resumido Santos.04. de/ UEM . a simbiose entre forma e texto colocam o Concretismo na poesia como plataforma para o desenvolvimento da linguagem do design brasileiro. O caso exemplar é a poesia. sua inserção no sistema dos objetos urbanos. Porém. a arte Concreta em São Paulo não utiliza as experiências históricas como modelo.R COORDENAÇÃO/ Priscila Arantes ST.J Sala A 225 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /133 ESTRATéGIAS SENSÍVEIS: ENGAJAMENTO SENSORIAL E INTERFACES /Artigo Completo Hanns. Priscila/ Centro Universitário SENAC O artigo apresenta como a cultura anteriormente baseada no visual se abre para a experiência multisensorial em uma estética centrada em relações e no contexto. Mariano L.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. O trânsito por diversos mídias utilizando conhecimento profundo das teorias da comunicação. Jorge/ Universidade Anhembi Morumbi A vanguarda na década de 1950 em São Paulo apresenta um novo comportamento em relação às artes e sua realização no mundo midiático. a atuação de Geraldo de Barros no referido movimento artístico POESIA CONCRETA: DESIGN & CONSTRUÇÃO /Artigo Completo Bassani. As autoras discutem conceitos como engajamento sensorial e interface através de exemplos do design e das artes e apresentam a noção de estética informacional. Cristina do Carmo/ UEM Andrade Neto. diferentemente de outros centros que reabilitarão as propostas das vanguardas no pósguerra. Daniela Kutschat/ Centro Universitário SENAC Arantes.04. mas. especificamente.A/ ST. Aniceh Farah/ UNESP Este artigo apresenta os procedimentos iniciais de uma pesquisa a ser desenvolvida dentro de um curso de mestrado em design. ANÁLISE DAS POSTURAS ADOTADAS NO TRABALhO DOS DJS – CONSIDERAÇõES PARA O DESIGN ERGONÔMICO /Artigo Resumido Amancio. como metodologia investigativa. Vinicius K. O estudo tem por objetivos apontar as contribuições da arte concreta para o design de mobiliário e evidenciar.

Anna Paula Silva/ Centro Universitário Senac e UNICAMP Pereira. ST. Este estudo apresenta os principais equipamentos utilizados no trabalho dos DJs e analisa as posturas corporais adotadas durante as suas atividades através do sistema OWAS de registro da postura.k Sala C 235 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /134 COORDENAÇÃO/ André Villas-Boas EPIGRAFIA ARQUITETÔNICA PAULISTANA – INDÍCIOS DA hISTÓRIA DA CIDADE INSCRITOS NO ESPAÇO PÚBLICO /Artigo Completo Farias. as epígrafes podem também ser analisadas enquanto um exemplo de design visual aplicado à cidade. Esta informação. a saber os processos de seleção tipográfica. Estrutura-se no método lógico indutivo. utilizando-se de técnicas de coleta de dados a partir de observação direta e revisão bibliográfica. notadamente as leis de similaridade e continuidade figuram-se enquanto o principal escopo teórico do texto. todavia. Os princípios da psicologia da forma. Cleomar de Sousa/ Universidade Federal de Goiás O presente artigo discute os critérios de combinação tipográfica. observando. registros públicos e perenes de autoria de projeto ou construção. arquitetos e empresas envolvidos na construção. estas inscrições nos permitem identificar padrões e direcionamentos de ocupação na área central. Definidas como assinaturas. André Luiz Tavares/ FAU-USP Gallo. um momento que lhe é anterior. os arquivos de tombamento carecem de informações sobre os engenheiros. Patrícia/ Centro Universitário Senac Este artigo apresenta resultados de pesquisa sobre tipografia nos edifícios do centro da cidade de São Paulo. Utilizando uma metodologia de mapeamento. apesar de sutis.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / Grassi. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac Gouveia. obtendo-se como resultado. Elias/ Universidade Salvador Rocha. Embora muitos prédios façam parte do patrimônio histórico. pode ser encontrada nas epígrafes arquitetônicas. Haroldo/ UNICAMP Gatto. A despeito da pouca literatura direcionada ao . para tal. PROCESSO DE COMBINAÇÃO TIPOGRÁFICA /Artigo Completo Bitencourt. um diagnóstico de problemas ergonômicos. mostrar-se-á que.04. Fabio Luiz/ UEM É cada vez mais significativa a posição ocupada pelos DJs (disc-jockeys) na sociedade e é por representarem um mercado em expansão. que evidencia-se a oportunidade de analisar o trabalho deste profissional através da ótica da ergonomia e refletir sobre suas necessidades.

J.F/ UNESP . REFLETINDO A CAPA: hISTÓRIA E CONTRIBUIÇõES AO PROJETO DE LIVRO NO BRASIL /Artigo Resumido Pereira. Busca compreender a evolução desta atividade pela incorporação de atributos.L Sala C 237 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / /135 INVESTIGAÇÃO DO MéTODO DE SELEÇÃO DE MATERIAIS POR SÍNTESE: FERRAMENTA DE AUXÍLIO PARA DESIGNERS /Artigo Completo Walter. além de aspectos técnicos.04.M. tem-se na apresentação de critérios objetivos norteadores ao processo de combinação de tipos gráficos.04. Neste artigo. O método de Seleção de Materiais por Síntese. Y. apresentamos os resultados alcançados em pesquisa realizada para observação da sintaxe da linguagem gráfica pictórica no papel moeda. com a contribuição de reflexões tomadas de projetistas. Hans da Nóbrega/ UFPE Finizola./ UNOPAR Marar. Maria de Fátima/ UFPE A linguagem gráfica pictórica no papel moeda brasileiro é um dos mais importantes elementos visuais para a identificação dos valores e usabilidade das cédulas pelos usuários. a capacidade do produto em transmitir mensagens através de associações simbólicas. B.04./ UNOPAR Silva. o real. O presente trabalho investiga este método em suas .R tema. funcionais e mercadológicos. apresentado por ASHBY & JONHSON (2003).SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Também relata através da sua expressividade vários fatos. dos seus antecedentes à sua produção no Brasil. procura fornecer indícios de relações entre os materiais utilizados em produtos industrializados e seus atributos percebidos.A/ ST. a principal contribuição do trabalho.Bauru Na concepção de um produto o designer leva em consideração. Rômulo do Nascimento/ Universidade Federal do Amazonas Breve panorama da produção da capa de livro. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Gabriela Celani ST. notadamente em língua portuguesa. desde o seu surgimento até a última emissão de série de cédulas do padrão monetário brasileiro em circulação. OBSERVAÇÃO DA LINGUAGEM GRÁFICA PICTÓRICA NO PAPEL MOEDA BRASILEIRO /Artigo Resumido Waechter. momentos e personagens significativos da nossa história. pelas transformações sofridas e pelos resultados alcançados.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /136 premissas teóricas e apresenta coleta de atributos de percepção em periódicos nacionais como subsídios para o desenvolvimento de uma ferramenta de auxílio para designers. satisfazer as necessidades do usuário. confortáveis e eficientes.o design digital . Raffaela Leane Zenni/ UFPR Okimoto./ UFPR Há um aumento da procura por qualidade. R./ UNESP Luis Carlos Paschoarelli/ UNESP Luis Antônio Vasques Hellmeister/ UNESP Como resultado do processo de envelhecimento. tanto por consumidores quanto por profissionais. O projeto de equipamentos para mobilidade desses indivíduos reitera a importância de tecnologias que ampliem sua qualidade de vida através de interfaces seguras. F. Neste sentido. tanto do ponto de vista profissional como acadêmico. O alvo da usabilidade é alcançar a qualidade de uso. Desenvolver produtos que tenham excelência técnica não é mais suficiente – devem também ser fáceis de serem utilizados. deve-se incluir seus interesses já no processo de desenvolvimento. da busca por uma historicidade nos . K. ou seja. VINCULANDO A USABILIDADE AO PROCESSO DE DESIGN DE PRODUTOS /Artigo Completo Tanure. cujo emprego de softwares específicos demonstrou a relevância de sua aplicação pelo designer. DESIGN DE PRODUTOS PARA O PÚBLICO IDOSO: ANÁLISE DE ESFORÇOS NO PROJETO DE ANDADOR DOBRÁVEL /Artigo Completo Egydio. Maria Lúcia L. psicológicas e sociais estão debilitadas. Assim sendo. Marcelo Vieira/ Universidade Anhembi Morumbi Este artigo discorre sobre as particularidades encontradas no design voltado aos produtos digitais . A RELEVÂNCIA DO REGISTRO DE PROCESSOS PARA O DESIGN DIGITAL /Artigo Resumido Prioste. E. A fim de garantir a usabilidade. O desenvolvimento de um andador dobrável que atendesse tais condições exigiu análises estruturais que garantissem a segurança do produto. o idoso enfrenta diversos problemas na realização das AVDs. o objetivo principal do presente estudo centrou-se no desenvolvimento da proposta de inclusão da usabilidade no design de produto. M/ UNESP Martins. Este artigo apresenta procedimentos de análise de esforços.além de abordar a importância no registro de seus processos de criação. uma vez que suas condições físicas. fundamentais para a conclusão do projeto.

M Sala C 238 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /137 A GESTÃO DA IMAGEM CORPORATIVA UTILIZADA COMO ESTRATéGIA NO LANÇAMENTO DE UMA MARCA /Artigo Resumido Costa. Elisa Benassi Gonçalves da/ UEL Nascimento. uma importante base de dados que pode servir de instrumento nesta ação. / / COORDENAÇÃO/ Claudia Marinho ST. Tal experiência foi viabilizada pela parceria entre a pesquisa acadêmica e uma comunidade carente. Ângela/ Universidade do Minho O produto artesanal faz parte da herança cultural de uma região e pode ter um papel importante na criação de uma identidade própria.04. valor. A imagem da marca é a expressão visual e verbal da marca. Para tornar este produto mais atractivo. Dessa forma. imagem e as estratégias de marketing podem influenciar na conquista do consumidor. proporcionando contribuições mutuas. É a sua identidade que irá representar.A/ ST. As pessoas se apaixonam pelas marcas.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Anniele Manoela da/ UEL O presente artigo relata a vivência de inserção do design de moda em um empreendimento de economia solidária. A integração se efetuou através de oficinas que abordaram novas técnicas manuais e desenvolvimento de produto. sem nunca perder a sua expressão cultural. É objectivo deste trabalho dar uma nova imagem ao IMA – Instituto Monsenhor Airosa. como uma das vias para a inovação no artesanato. através de um novo conceito e novos produtos. em que ambos cooperam com o objectivo de melhorar as produções artesanais. durante todo o ano de 2007.04. DESIGN DE MODA E ECONOMIA SOLIDÁRIA: UMA EXPERIÊNCIA CONCRETA /Artigo Resumido Sanches.04. Maria Celeste de Fatima/ UEL Silva. urge desenvolver parcerias entre artesão e designer. . sintetizar e sustentar o produto no mercado.R projetos do design digital. Manuela/ Universidade do Minho Ferreira. traduzindo a gestão da marca em valor simbólico e econômico para uma empresa. logo rentável. há o software online Wayback machine. Cristianne Cordeiro/ UEL Marca é emoção. INTERVENÇÃO DO DESIGN NO ARTESANATO: APLICAÇÃO AOS PRODUTOS DO IMA /Artigo Completo Neves. a presente pesquisa discute como os conceitos de marca.

Vanessa Tavares de Oliveira/ UEL Esta pesquisa objetiva a análise das etapas das confecções. Simone/ UFPE Este artigo se propõe a apresentar os artefatos digitais.04. Desta maneira. portanto. Dulce de Meira/ Universidade Positivo Bertão. A informação é transmitida através do sinal UHF e os usuários acessam um portal de serviços.N Sala C 239 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /138 COORDENAÇÃO/ Luisa Paraguai Donati ONTOLOGIA DE ARTEFATOS DIGITAIS PARA O DESIGN /Artigo Completo Neves. cooperativas. Clylton/ UFPE Barros. Foi projetado para ser portátil. Renato/ Universidade Positivo Tamura. parceiros e o governo. Romi Trombini/ Universidade Positivo Este artigo apresenta o Projeto e-cipó . definindo-os enquanto objeto de investigação do design e classificando-os em uma ontologia que permite diferenciá-los de forma clara de outros artefatos com os quais o design lida.A INTERNET NA TV /Artigo Completo Calomeno.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / A QUALIDADE DAS INFORMAÇõES NO PROCESSO DE CONFECÇÃO: UMA PESQUISA NO PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO DA PRODUÇÃO NAS INDÚSTRIAS DE VESTUÁRIO /Artigo Completo Kauvauti. Mauricio/ Universidade Positivo Oliveira. André/ UFPE Campos. de modo a controlar o processo interno e externo das empresas. Engenharia da Computação e Administração. PROJETO E-CIPÓ . o melhor monitoramento e comunicação entre empresa e facção resultam em produtos condizentes com os projetos propostos e conseqüente qualidade final ST. Carolina/ Universidade Positivo Albach. pode vir a . Lilian Sayuri/ UEL Barros. administrado pelas universidades. O projeto foi resultado de pesquisas e desenvolvimento de uma equipe multidisciplinar de professores e alunos dos cursos de Desenho Industrial. seguro e de fácil entendimento. Fábio/ UFPE Galamba. Jorge/ Universidade Positivo Perreto. Gabriela Rocha de/ Universidade Positivo Teixeira.um terminal de acesso à internet que promove serviços e conexão para pessoas que vivem em áreas isoladas. conjuntamente com os sistemas de qualidade e fluxos de informação. do UnicenP – Centro Universitário Positivo . ONGs.

ao novo jogo gerado denominou-se “P&D MOD”.04.R colaborar não apenas para a solução governamental de problemas. aos jogos para PC (Personal Computer).04.04. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Marizilda Menezes ST. Foi realizada uma taxonomia sobre os componentes das plataformas de jogos e realizado um estudo de caso que consistiu na criação de um produto “real”. Buscou-se reunir conhecimentos científicos e tecnológicos na avaliação das características visuais . o qual foi baseado na plataforma “Source”. Karla Mazarelo Ferreira/ Universidade Federal do Amazonas Pacheco/ Almir de Souza/ Instituto de Ensino Superior da Amazônia Nascimento. a aplicação dele e a análise dos dados obtidos.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. em particular. Fábio/ UFPE Neves. os procedimentos elaborados para o teste./ UFPE A presente pesquisa aborda o paradigma de projeto baseado em plataforma e sua aplicação ao game design.A/ ST. Tâmara/ Instituto Nokia de Tecnologia Castillo. André M. M. Claudete Catanhede/ Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Silva/ Ademir Castro e/ Universidade do Estado do Amazonas Este artigo apresenta um estudo dos aspectos anatômicos de madeiras amazônicas na concepção de padrões visuais como propostas para aplicação em vestuários femininos. As etapas aqui descritas são o entendimento do problema. CARMAN: USABILIDADE DE UM NOVO SISTEMA DE BORDO PORTÁTIL /Artigo Resumido Baía. mas também no desenvolvimento individual da população.O Sala C 242 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / /139 ANATOMIA DA MADEIRA AMAZÔNICA: ESTUDO DE PADRõES VISUAIS PARA APLICAÇÃO EM VESTUÁRIO FEMININO /Artigo Completo Maciel./ UFPE Artimã. GAME DESIGN BASEADO EM PLATAFORMA /Artigo Resumido Figueirôa. da Valve Corporation. Leonardo/ UFPE O presente estudo trata de uma interface para diagnóstico automotor usada em dispositivo móvel com tela touchscreen. O trabalho descreve a aplicação de um teste de usabilidade para estudar a navegação e o uso do software no contexto real. Dino L. Williams/ UFPE Campos.

Patrícia de Mello/ UEL O presente trabalho mostra que a modelagem tridimensional contribui para uma atuação inventiva quando aplicada como instrumento de criação no desenvolvimento do produto de moda. executadas pelo projeto Biojóias pertencente à Área de comunicação do Piatam. L. S/ UFAM/PIATAM Colares. conseqüentemente. S/ Universitat de Les Illes Balears. VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE SEMENTES PROVENIENTES DE COMUNIDADE RIBEIRINhAS NA AMAZÔNIA: SUSTENTABILIDADE ATRAVéS DO DESIGN DE BIOBIJUTERIAS /Artigo Resumido Trindade. Por meio delas valorizam-se as floras locais e resgatam-se aspectos culturais e sociais nas comunidades ribeirinhas. que propicia a exploração do material têxtil como recurso construtivo e possibilita a apropriação dos elementos da linguagem tridimensional para gerar alternativas de configuração. Cláudio de Freitas/ COPPE/UFRJ e PUC .A/ UFAM/ PIATAM Mendonça. A percepção da forma se desenvolve pela experimentação.Rio Magalhães. alternativas de vestuários femininos que valorizem e divulguem o processo anatômico da formação estrutural interna das espécies observadas.I. A MOULAGE COMO INSTRUMENTO DE CRIAÇÃO E DE INOVAÇÃO FORMAL /Artigo Resumido Souza.V. AS PESQUISAS DE TENDÊNCIAS E O DESIGN DE JÓIAS: UM POSICIONAMENTO ESTRATéGICO /Artigo Resumido Siqueira Campos. O presente artigo trata das problemáticas e resoluções para acessórios pessoais. possibilitando o desenvolvimento de um design para superfícies e. e as viáveis concepções do design de produtos e as ações de desenvolvimento de sustentabilidade em comunidades tradicionais. Maria Aparecida de Moraes/ PUC . /140 . A.B/ UFAM/ PIATAM As sementes são excelentes matérias-primas com grande utilização no artesanato e no design. J.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / existentes nas madeiras. U.Rio Este artigo apresenta algumas questões que envolvem a pesquisa de tendências e o design de jóias como uma ferramenta estratégica para a configuração de produtos que estejam em sintonia com as necessidades e desejos do consumidor.

P Sala C 243 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /141 SACOLAS PLÁSTICAS: PERSPECTIVAS DE SOLUÇÃO PARA UM PROBLEMA DE SUSTENTABILIDADE /Artigo Resumido Gomes.04. em vários casos os resultados não atingem maturidade. Partindo dos princípios do Ecodesign.R ABORDAGENS PARA ANÁLISE E PROJETAÇÃO EM DESIGN DE SUPERFÍCIE /Artigo Resumido Schwartz/ Ada Raquel/ UNESP Neves. de Oliveira/ Fac.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. DESIGN COMO FERRAMENTA DE ESTRATéGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMUNIDADES /Artigo Completo Carvalho. Infórium de Tecnologia Pinto Júnior. fornecendo subsídios que caracterizem esta especialidade. será enfocada a importância da redução do consumo amparada por uma proposta de confecção caseira de sacolas resistentes. i.04. Conclui-se o artigo com um novo conceito de Design de Superfície. Evelise/ UFRGS Este artigo estabelece abordagens de análise e de projeto para a Superfície. bem como um exemplo de desperdício de matéria prima e agressão à natureza. distribuídas indiscriminadamente em todo o país e no mundo. / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Vicente Cerqueira ST. Maria do Carmo/ UFRGS Kindlein Júnior. não se transformam em empreendimento. Ao longo deste artigo será discutido o uso massivo de sacolas plásticas.04. Objetiva-se evidenciar a Superfície dos produtos como elemento projetual autônomo.A/ ST. Laura de Souza Cota/ UFMG Pinto. Leonardo G.. Márcio Miguel/ UEMG Muitos trabalhos têm sido realizados visando o desenvolvimento de comunidades. critérios e características que a identifiquem como elemento a ser projetado. Este artigo apresenta o trabalho realizado junto à comunidade ribeirinha do Rio São . Wilson/ UFRGS Presenciamos a vigência de uma sociedade pautada pelo descarte. Estas sacolas têm se tornado um grave problema. Lara Elena Sobreira/ Unilasalle Dischinger. além de facilitar a identificação dos potenciais projetuais da mesma. Aniceh Farah/ UNESP Rüthschilling. causados por sua disseminação e descarte inadequado. Marcelo Silva/ UEMG Gomes. e define conceitos. as quais contribuem com o processo individual de conscientização do usuário como participante do equilíbrio ecológico mundial.e. Entretanto.

Pretende-se. utilizando. na região de Três Marias. materiais e processos de fabricação. propor uma reflexão sobre a reciclagem e a sustentabilidade de materiais para designers. promover um comparativo entre materiais sustentáveis e não sustentáveis. que teve como objetivo possibilitar esse amadurecimento. Lilian Caroline/ UTFPR Pozza.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Francisco. Hélio Luiz Rodrigues de/ UTFPR Rosa. como meta contribuir no desenvolvimento de produtos de menores custos para a população. os benefícios da reciclagem e sua aplicação na indústria. Com efeito. A metodologia para a pesquisa. Joselena Almeida/ UTFPR Este artigo faz uma reflexão sobre a importância do uso de materiais de baixo custo para se atingir mínimos impactos ambientais na confecção de móveis. o artigo conta com um aporte teórico sobre eco-design e sustentabilidade. Joselena de Almeida/ UTFPR O presente artigo pretende enumerar e classificar materiais compatíveis com o conceito de eco-design. para isso. Tem-se. Para alcançar esses objetivos serão estipulados critérios quanto à sustentabilidade dos materiais e dos seus processos de transformação. E. abrange as questões e os autores que consideram a gestão de design uma ferramenta na busca deste objetivo. /142 . dessa forma. sem perder qualidade. MATERIAIS ALTERNATIVOS NA PRODUÇÃO DE MÓVEIS POPULARES /Artigo Resumido Almeida. de forma a estimular a conscientização das pessoas sobre esse tema. Paula Penteado/ UTFPR Teixeira. o design como ferramenta de estratégia. ECO-DESIGN: ESCOLhA DE MATERIAIS VISANDO SUSTENTABILIDADE E PROCESSOS DE FABRICAÇÃO /Artigo Completo Ricken. Sabrina Santos da/ UTFPR Teixeira. assim. desse modo.

Carolina Almeida Cantoni. o começo do século XXI. Assim./ Fac.Q Sala F 280 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /143 AUTORIA E COMUNICAÇÃO NO DESIGN DE INTERAÇÃO /Artigo Completo Pinheiro. A hIPÓTESE DO NOVO PARADIGMA NA INTERNET /Artigo Completo Alves.UFJF Santos.A/ ST.0. DESIGN. de que as inovações possibilitadas pelo design de ferramentas colaborativas e o compartilhamento em massa na internet permitem renegociar os termos da liberdade e da justiça.UFJF O fato das empresas necessitarem sobreviver no mercado por meio da inovação contínua. o início dos anos 90. com a utilização do conceito de “paradigma” de Thomas Kuhn e adaptações desse conceito como paradigma tecnológico e paradigma informacional. tendo em vista o futuro de ubiqüidade computacional. Ao final. Ligia/ Colégio Técnico Universitário – UFJF Cruz. criando um nova ordem global. faz do design uma ferramenta imprescindível para a sobrevivência econômica. a compreensão dos processos de inovação pode fornecer fundamentos teóricos para avaliar o teor utópico da hipótese./ Colégio Técnico Universitário . destaca três momentos da história do design. Economia e Administração . a ciência surge como mais um campo do saber imprescindível à inovação. Com base nesta análise. este artigo aborda o elo necessário entre design. Mauro/ UFES Discute o papel de designers e usuários como co-autores de mensagens e produtos. com a revolução informacional e a Web 2.04. Neste sentido. . nos quais a noção de autoria aparece distintamente: o período relativo ao design modernista e o Estilo Internacional. com a retórica visual pós-moderna. Ao final. TECNOLOGIA E CIÊNCIA: OS TRÊS CAMPOS QUE EFETIVAM A INOVAÇÃO /Artigo Resumido Rangel.R COORDENAÇÃO/ Fernando Fogliano ST. ressaltando a importância de aprofundar as discussões sobre os processos de comunicação no campo do design.04. aponta questões que atualizam a discussão sobre a autoria. tecnologia e ciência como forma efetiva de inovar. A partir das definições da inovação e da inovação tecnológica chegam-se as diferenciações entre esses conceitos e determinam-se também as diferenças entre design e inovação tecnológica. Para tanto.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.04. Márcia Moreira/ Colégio Técnico Universitário – UFJF Inhan Matos. a proposta é a de refletir sobre a hipótese defendida por pensadores como Lessig e Benkler. Janaína de Fátima Assis. Francisco Arlindo/ Centro Universitário Senac Este artigo pretende analisar aspectos dos processos tecnológicos de inovação.

Fernando/ Centro Universitário Senac Computadores são fundamentalmente ferramentas para produção e acesso ao conhecimento. Esta pode ter suas bases estabelecidas em textos clássicos da psicologia e nos recentes avanços das ciências cognitivas que permitem perceber a interatividade imbricada na emergência da própria consciência e na produção do conhecimento. /UFPR O artigo pretende propor um modelo para a classificação e comparação de recursos didáticos mediados pelo computador. pode-se dizer que o Protocolo Verbal contribui para coleta de dados sobre a leitura de bulas de medicamentos. Foi realizado um estudo com quatro participantes utilizando esta técnica. PROTOCOLO VERBAL: TéCNICA QUALITATIVA PARA OBSERVAÇÃO DE ESTRATéGIAS DE LEITURA APLICADA AO DESIGN DA INFORMAÇÃO EM BULAS DE MEDICAMENTO /Artigo Completo Fujita. Marco A. referentes à abordagem pedagógica (Objetivismo versus Construtivismo). Neste sentido. Carla Galvão/ UFPR Este artigo insere-se no âmbito do design da informação em bulas de medicamentos no Brasil e busca a adequação e aprimoramento do processo de design do conteúdo textual de bulas. apresenta-se a técnica qualitativa de coleta de dados do Protocolo Verbal (Think Aloud) aplicada ao design da informação para observação das estratégias de leitura da bula de medicamento pelo paciente/usuário. A partir dos resultados gerados. Dado o crescimento da sofisticação da tecnologia hoje disponível. Patricia Lopes/ UFPR Spinillo. /144 .04. vê-se ganhar relevância a questão da reflexão sobre a questão da interatividade.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / APROFUNDANDO O CONCEITO DE INTERATIVIDADE /Artigo Resumido Fogliano. à abordagem do design (Funcionalista versus Experiencial) e ao papel do usuário (Passivo versus Ativo). Surgem neste contexto interessantes oportunidades para a reflexão sobre o uso de tecnologias interativas na produção de conhecimento e os impactos culturais decorrentes.R Sala E 284 10/10/2008 Sexta-Feira 16h15/ 17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Monica Moura FUNCIONALISTA OU EXPERIENCIAL? UM MODELO PARA CLASSIFICAÇÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS MEDIADOS PELO COMPUTADOR SOB A ÓTICA DO DESIGN /Artigo Completo Mazzarotto. os CBEs. ST. O modelo tem como parâmetros 3 pares de definições antagônicas.

em que a compreensão da informação é essencial para a sobrevivência humana e preservação ambiental. Conclui destacando a importância do design para aquele contexto. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /145 . Cristina Engel de/ UFES Santana. qualquer pessoa pode utilizá-la. Juliana Lisboa/ UFES Tonini.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Priscila Oyan/ UNESP Santos. que. Juliana Colli/ UFES Este artigo apresenta o “Manual do Pesquisador do ASPSP”. Kamille Mustafé/ UNESP Trata da história da Anamorfose com o objetivo de conhecer a técnica para contribuir na descoberta de diferentes formas de utilidade. Compreendendo o uso desta técnica. Destacase a história desde sua criação até os tempos atuais. mas com a ajuda da tecnologia. por estar muito desenvolvida. pode-se obter diversas contribuições em diferentes áreas. Fernanda Andrade da/ UNESP Oliveira.04. Desenvolvido com uma linguagem propícia aos usuários do Arquipélago de São Pedro e São Paulo (ASPSP) – um dos lugares mais inóspitos do planeta – exigiu uma metodologia diferenciada cuja principal característica foi a necessidade de constante retroalimentação do processo. Claudemilson dos/ UNESP Costa. com artistas e obras.R QUANDO A INFORMAÇÃO é ESSENCIAL PARA A SOBREVIVÊNCIA: O CASO DO MANUAL DO ASPSP /Artigo Resumido Alvarez. ANAMORFOSE: ORIGENS E ATUALIDADES /Artigo Resumido Sotto.A/ ST.04. Há diversas formas e técnicas complexas. trata das etapas do processo metodológico e dos desafios encontrados no projeto desse veículo de comunicação.

Benefícios e Valores foi utilizado. Entendemos que o projeto de produto de moda e vestuário deve estar fundamentado em todas as suas etapas em princípios ergonômicos e de usabilidade.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. The methodological approach is Material Culture. tendo como base dados primários coletados no Reino Unido. Análises qualitativas e quantitativas foram realizadas. Designers e Empresas. from different collections. Brasil e China. encompassing diverse cultural contexts. O modelo utilizado demonstrou efetividade no processo de tomada de decisão em design de moda. Under this viewpoint. METODOLOGIA OIkOS PARA AVALIAÇÃO DA USABILIDADE E CONFORTO NO VESTIÁRIO /Artigo Completo Martins. Sheila/ Manchester Metropolitan University This study researches fashion design as material culture. A ABORDAGEM DO MODELO CADEIA MEIOS-FIM PARA O DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE MODA /Artigo Completo Rocha. proteção e aconchego – desenvolvida para avaliar o conforto e a usabilidade em produtos de moda e vestuário. focusing on the identification of design elements as emissaries of cultural values. Suzana Barreto/ UEL Este artigo apresenta a proposta metodológica denominada OIKOS – palavra de origem grega que significa ‘casa’. A abordagem considerou três principais interessados: Consumidores. two creations of the English designer Vivienne Westwood. with data collection by means of the method devised by Jules Prown.05. Maria Alice Vasconcelos/ Universidade Federal Rural de Pernambuco Hammond. David/ School of Design and Visual Arts. O modelo da Cadeia Meios. are examined. pode melhor .Fim de Gutman (1982). composto por Atributos. A integração de propriedades ergonômicas. Unitec O objetivo deste estudo foi testar uma ferramenta metodológica apta a dar suporte à tomada de decisão de equipes de desenvolvimento de produtos.A Auditório 01 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /146 COORDENAÇÃO/ Denise Berruezo Portinari FAShION DESIGN AS MATERIAL CULTURE/Artigo Completo Gies. Lynne/ University of the Arts London Hawkins. It is found that Westwood’s designs change from the counterculture expression to the adoption of English renowned tailoring techniques. aqui sintetizando a idéia de conforto. Os resultados demonstraram que Designers e Empresas estão distantes de atingir uma sinergia com Consumidores. ‘casulo’ . princípios de usabilidade e critérios de conforto para produtos de moda e vestuário. ideas and knowledge of the designer as representative of the cultural context where he/she belongs.

Eugenio/ UFSC Merino. Giselle/UFSC Conte. exclusividade e valorização das raízes.B Auditório 02 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /147 NOVAS TECNOLOGIAS E EMBALAGENS INTERATIVAS: O FUTURO JÁ PRESENTE /Artigo Resumido Mariano. turismo. Specialistica in Comunicazioni Visive e Multimediali. A aplicação deste recurso em produtos e serviços da região contribui para que estes possam ser destacados e identificados pela unidade.05. Scheila Eliza/ UFSC O design. IDENTIDADE DA ILhA DE SANTA CATARINA RETRATADA ATRAVéS DA ICONOGRAFIA /Artigo Resumido Merino. Prudente Silva. através do reconhecimento e promoção de ícones específicos da cultura de determinado território e sua aplicação em diversos setores como: artesanato. hISTÓRICO DOS JORNAIS BRASILEIROS E A INFLUÊNCIA DE AMÍLCAR DE CASTRO NO DESIGN DE PÁGINA /Artigo Completo Mota. Mariangela Fazano/ UNOESTE – P.A/ ST. utilizando como recurso a iconografia pode contribuir para que produtos e serviços apresentem identidade própria e valor cultural. através do desenvolvimento de padrões gráficos temáticos do local. José Carlos Plácido da/ UNESP – Bauru Este artigo de revisão aborda a história dos jornais brasileiros e a . Marcelo José da/ UNESP – Bauru Nascimento. Roberto Alcarria do/ UNESP – Bauru Amendola. Maria José/ Universitá IUAV di Venezia No contexto atual das novas tecnologias o design de embalagens se apresenta como uma atividade projetual de fundamental importância para incorporar as inovações do tipo RFID e sensores para o desenvolvimento de embalagens interativas. objetivando retratar e fortalecer sua identidade cultural.05. Esta pesquisa foi iniciada na disciplina de Interaction Design e se transformou em tema de dissertação do curso de especialização da Universitá IUAV di Venezia. etc.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.R responder às diferentes demandas dos usuários quanto à adequação e qualidade do produto do vestuário. Neste sentido foi realizado um projeto de iconografia na Ilha de Santa Catarina.05. / / COORDENAÇÃO/ Marcos da Costa Braga ST.

sua importante reforma gráfica. O modernismo programático que dominou o cenário cultural deste período é investigado em oposição a outras formas modernas de criação. ST. A. As informações foram obtidas na revisão bibliográfica e na fonte primária. Cassandre.Rio O presente artigo aborda a trajetória do Jornal do Brasil desde sua fundação. e. M. é garantir a harmonia da comunicação entre palavra e imagem. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac . Licia/ IBGE Este artigo parte de uma comparação entre os trabalhos do cartazista brasileiro Ary Fagundes e de três cartazistas estrangeiros. todos atuantes nas décadas de 1930 e 1940. econômicos. as conseqüências da Primeira Guerra Mundial. através de técnicas visuais e a manipulação de elementos gráficos. culturais e tecnológicos. ORGANIZAÇÃO DE UM ACERVO DE CARTAZES SOB UMA PERSPECTIVA DE DESIGN GRÁFICO /Artigo Completo Wilke. Serão explanados os posicionamentos do Jornal do Brasil. A CONSTRUÇÃO VISUAL DO JORNAL DO BRASIL: CONCEPÇÃO E TRAJETÓRIA ATé A PRIMEIRA METADE DO SéCULO XX /Artigo Completo Fonseca. em uma época pouco conhecida da história do cartaz no Brasil.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / influência de Amílcar de Castro no projeto gráfico da página. em 1891. até meados do século XX. as implicações da censura imposta por Vargas para o jornal. McKnight Kauffer e Jean Carlu. Procura-se evidenciar uma tendência de estilo gráfico.C Auditório 03 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / /148 COORDENAÇÃO/ Regina Cunha Wilke MODERNO. E. Letícia P/ PUC . O designer articula informação/produto com tecnologia/produção e seu objetivo. A geometria experimental de Amílcar ajudou o desenvolvimento dos jornais brasileiros na aplicação de conceitos de projeto e produção gráfica editorial.05. a modernização do Rio de Janeiro e de que forma isso afetou a empresa. Regina Cunha/ Centro Universitário Senac Farias. MAS NÃO MODERNISTA: ARy FAGUNDES E O CARTAZ COMO VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO DE MASSA /Artigo Completo Rubinstein. dando ênfase às modificações gráficas que ocorreram em função de fatores sociais.

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.05.A/ ST.05.R

Este artigo traça um breve panorama de um projeto de pesquisa em andamento que têm como objetivo a construção de um acervo de cartazes. Discute seus objetivos, relevância e proposta metodológica. Relata os resultados obtidos no desenvolvimento de uma ficha catalográfica para uma coleção de cartazes que privilegie informações relevantes para estudos em design gráfico.

FUNDAÇÃO DA INDÚSTRIA GRÁFICA PARANAENSE /Artigo Resumido
Rodrigues, Thiago/ Universidade Positivo Calomeno, Carolina/ Universidade Positivo

O marco da emancipação política foi o primeiro vetor que impulsionou o desenvolvimento da indústria gráfica no Paraná, Estado que comporta o maior parque gráfico da América Latina. No presente artigo, procurouse levantar os eventos efetivos e personagens que contribuíram nos primórdios desse ofício, bem como compreender o contexto político e econômico vigente no período, recorrendo-se à consulta de fontes históricas e publicações recentes. Os resultados apresentam fatos que revelam detalhes da implantação e origem da indústria gráfica paranaense, a qual figura nos dias atuais como referência nacional em termos de qualidade e volume de impressões.

ANÁLISE GRÁFICA DE CARTAZES DO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL /Artigo Resumido
Braga, Maria Lúcia Villela/ UERJ Lima, Edna Lucia Cunha/ PUC - Rio Lima, Guilherme Cunha/ UERJ

O artigo toma como base as teorias do Design da Informação para analisar uma série de cartazes de divulgação de exposições e eventos artísticos do Centro Cultural Banco do Brasil.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Denise Dantas

ST.05.D
Auditório 04 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / /
/149

ESQUEMA DE DESENVOLVIMENTO IMAGéTICO: UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE CRIAÇÃO DE MARCAS /Artigo Completo
Silva, Josinaldo da/ CEFET - PE Barreto Campello, Sílvio/ UFPE

O Esquema de Desenvolvimento Imagético, ou EDI, é um mapeamento do processo de criação gráfica, onde é representada de maneira esquemática a evolução do trabalho desenvolvido. Adaptado a partir da

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

técnica do Linkography (Goldschmidt, 1990, 1995), toma como base de dados os esboços das alternativas geradas e gravações em áudio da equipe enquanto desenvolve o projeto. A técnica foi desenvolvida em trabalho de dissertação de mestrado, utilizando-se como sujeitos dos experimentos alunos do Curso Superior de Tecnologia em Design Gráfico do CEFET-PE. Ao todo, dois pilotos e um estudo principal foram realizados, cujos dados são parcialmente discutidos neste artigo.

DOCUMENTOS DE SUPORTE AO USUÁRIO - ESTUDO ANALÍTICO DAS NOMENCLATURAS VINCULADAS AO CONTEÚDO DA INFORMAÇÃO /Artigo Completo
Rodrigues, Lilia Paula Simioni/ Universidade Norte do Paraná Reginato, Valter César/ Universidade Norte do Paraná Raphael, Gonçales/ Universidade Norte do Paraná Silva, Diego Maurício dos Santos/ Universidade Norte do Paraná

Este artigo apresenta os resultados do estudo analítico sobre atribuições de nomenclaturas nos documentos de suporte ao usuário, a partir das premissas do design da informação acerca da relevância do conteúdo da mensagem. Identifica o tratamento conferido pela literatura aos títulos, investiga os conteúdos e discute a inter-relação existente. Submeteu-se à análise semântica e pragmática uma amostra de 231 documentos, através da verificação do título praticado, conteúdo e segmento de mercado. A acepção geral foi traçar indicações que apóiem uma melhor assimilação das características desses documentos e contribuir para reflexão sobre a ausência e dissociação na atribuição das nomenclaturas.

UMA REVISÃO DA COMUNICAÇÃO ATRAVéS DAS COMBINAÇõES CROMÁTICAS DE EMBALAGENS /Artigo Resumido
Beretta, Elisa Marangon/ Uniritter Gehling, Débora Yuk/ Uniritter Brod Junior, Marcos/ Uniritter

Este trabalho tem como objetivo verificar se o estudo de Farina de 1975 sobre a relação entre determinadas combinações de cores e os produtos que as usavam ainda comunicam-se de forma eficiente com o consumidor, pois mesmo com outros estudos realizados sobre o assunto, este ainda é referência para desenhistas industriais. Para a verificação, partiu-se para pesquisa das combinações cromáticas de embalagens do mercado atual e com o público para checar estas se comunicam de forma correta com o público.

/150

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.05.A/ ST.05.R

POSSIBILIDADES DE LEGITIMAÇÃO DO DESIGN VERNACULAR /Artigo Resumido
Cardoso, Fernanda de Abreu/ PUC-Rio | SENAI Cetiqt

Este trabalho pretende examinar as possibilidades de legitimação do design vernacular, uma produção não institucionalizada como forma de produção de peças de design. A partir de uma exposição de objetos produzidos por moradores de rua e ambulantes foram analisadas as circunstâncias em que o design vernacular foi legitimado pelos campos de produção oficiais da arte e do design. A análise parte da avaliação dos objetos expostos e material impresso publicado sobre e para a exposição.

/ / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Paula da Cruz Landim

ST.05.E
Sala C149 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

O DESIGN COMO AGENTE INTRODUTOR DE INOVAÇõES NA CADEIA PRODUTIVA DE JÓIAS E O PAPEL DAS IEPS NESTE PROCESSO /Artigo Completo
Benz, Ida Elisabeth/ DAD/PUC-Rio Magalhães, Claudio Freitas de/ DAD/PUC-Rio

Este artigo tem como objetivo abordar a contribuição que a Instituição de Ensino e Pesquisa (IEP) em Design pode trazer ao desenvolvimento de um setor local, tomando como exemplo a parceria do Departamento de Artes e Design/PUC-Rio com o setor joalheiro carioca. Através de um levantamento bibliográfico histórico e de dados econômicos, os autores buscaram um entendimento dos principais fatores que determinaram o papel do design no setor, para analisar sua importância como agente relevante na introdução da inovação na cadeia produtiva de jóias.

DESIGN DE MODA COM MEMÓRIA DE FORMA /Artigo Completo
Laschuk, Tatiana/ Universidade do Minho Souto, Antonio/ Universidade do Minho

Os avanços na área da tecnologia e da ciência têm se refletido na área têxtil por meio do desenvolvimento de novas fibras, acompanhando o comportamento do mercado consumidor ansioso por novidades e valores funcionais e estéticos. A consolidação dessa área resultou no surgimento de uma nova área de pesquisa, que são os têxteis inteligentes. O trabalho a seguir pretende abordar essa área de pesquisa focando nos Shape Memory Materials SMM (materiais com memória de forma) e as suas principais aplicações e desenvolvimentos na área têxtil e do vestuário, identificando novas oportunidades e adaptações a serem efetuadas.

/151

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

IDENTIDADE EM MARCAS DE MODA EM SEU CONTEXTO MERCADOLÓGICO BRASILEIRO /Artigo Resumido
Freitas, Luciana Costa de/ PUC - Rio Magalhães, Cláudio Freitas de/ PUC - Rio

A moda atual vive um período de esgotamento em sua estrutura de comercialização. Não há criação de novas formas ou combinações nos modelos. Matérias primas se assemelham, somando-se a uma mão-deobra industrial mal qualificada, entre outros. Há, porém um elemento na composição de uma marca de moda, que representa a real possibilidade de sucesso da marca: Uma identidade bem constituída, que favorece sua comunicação com seu público e mídias.

A COR NA JOALhERIA CONTEMPORÂNEA /Artigo Resumido
Campos, Ana Paula de/ UNICAMP

Neste artigo pretendemos abordar o universo cromático presente na joalheria contemporânea, através de uma seleção de 11 joalheiros significativos do segmento no cenário internacional. A seleção, em bibliografia especializada, de alguns de seus trabalhos desenvolvidos no período entre 1940 a 2000, permite estudar o assunto e compreender a informação cromática na jóia, identificando os elementos que configuram a cor nesse objeto. Uma análise comparativa aponta ainda semelhanças e diferenças entre eles no uso da cromia como linguagem.

ST.05.F
Sala C233 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Polise Moreira De Marchi

A CERÂMICA COMO ALTERNATIVA NA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS PARA COSMéTICOS /Artigo Resumido
Nascimento, Leonardo/ UFPR

A cerâmica como embalagem a muito não é mais utilizada, e sua aplicação para esta finalidade restringi-se quase que exclusivamente ao artesanato. Alguns setores da indústria podem vir a se beneficiar deste material, especialmente pelo seu forte apelo simbólico. Uma dessas áreas contempladas é a indústria cosmética. Este artigo faz um estudo das possibilidades que a cerâmica apresenta, e uma alternativa de embalagem desenvolvida para uma indústria de cosméticos de Santa Catarina que tem como principal preocupação conciliar sua produção com responsabilidade e proteção ambiental. A cerâmica neste caso reforça o discurso ecológico da empresa ao evocar e simbolizar os valores defendidos pela empresa.

/152

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.05.A/ ST.05.R

A PRÁTICA DA RECICLAGEM APLICADA AO DESIGN DE INTERIORES: MOBPET E MOBPAPER /Artigo Resumido
Rapôso, Áurea/ CEFET - Alagoas Cassimiro, Kátia/ CEFET - Alagoas Ferreira, Ingrid/ CEFET - Alagoas Sarmento, Ana/ CEFET - Alagoas Lins, Patrícia/ CEFET - Alagoas

Este artigo apresenta discussões teóricas da relação entre reciclagem e design de interiores realizadas pelo NPDesign do CEFET-AL, através de dois projetos conceituais de mobiliário modularizado, que seguem princípios do ecodesign O primeiro, intitula-se MobPET (2007-atual) e o segundo, MobPAPER (atual). Eles reciclam e (re)utilizam como matériaprima garrafas PET e tubos de papelão pós-consumo, respectivamente.

DESIGN INDUSTRIAL: QUANDO SERÁ VALORIZADO? /Artigo Resumido
Trentin, Adriana Girardelo/ UNIVALI Abreu, Bruno Oro de/ UNIVALI

O presente artigo relata a importância do Designer Industrial/Produto nas próximas décadas devido à degradação dos bens naturais do planeta Terra, pois cabe a este profissional utilizar materiais e processos fabris adequados para a reutilização/reciclagem, descarte e sustentabilidade de produtos. Sendo assim, é necessária a devida instrução acadêmica para que surjam profissionais capacitados para exercer de maneira adequada a profissão juntamente com a conscientização da população e de profissionais tanto da área de Design quanto de outras. Portanto, torna-se necessária a regulamentação desta profissão para que a produção de bens de consumo ocorra de maneira correta.

O DESIGN COMO FERRAMENTA DE GESTÃO AMBIENTAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL /Artigo Resumido
Barra, Bruna/ UNESP Paschoarelli, Luis Carlos/ UNESP Penofio, Adilson/ doutor/ UNESP

O problema sócio-ambiental da indústria da construção civil relaciona-se, principalmente, à destinação final de seus resíduos. O design sustentável é uma ferramenta do sistema de gestão ambiental que proporciona novos produtos a partir destes resíduos reciclados. Assim, através de pesquisa bibliográfica e de campo realizada na cidade de Bauru-SP, este trabalho objetiva apresentar uma potencialidade industrial do resíduo reciclado na produção de mobiliário urbano e, a partir daí, constatar os benefícios sócioambientais advindos do efetivo gerenciamento da atividade construtiva.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/153

05. Erimar José Dias/ UFPE No Nordeste do Brasil. Virginia Pereira/ UFPE Andrade.Sorbonne Hermes. e o uso de esmalte para vitrificação de peças. Os resultados apontam o uso mais eficiente dos recursos naturais e produção. a diversificação no desenvolvimento de produtos e ganho de rendimento e de eco-eficiência. estudo de caso. Ana Maria de/ UFPE Santos Filho. nos pautaremos em alguns conceitos fundamentais à compreensão do que seja o design estratégico buscando referenciais teóricos de ordem estético-filosófica. A abordagem metodológica. Este artigo descreve a estratégia do Laboratório O Imaginário na melhoria do processo produtivo cerâmico. a cerâmica artesanal tem. Qual o sentido face essa nova ordem e manipulação da imagem? /154 . em muitos casos. Plínio Bezerra dos/ AERPA Cordeiro. analisaremos um caso concreto observado a partir da mídia brasileira. Fábio/ Université de Paris – Panthéon . o processo produtivo como um dos principais problemas para a manutenção da sustentabilidade econômica e ambiental. face ao processo de desintegração cultural e ambiental que a sociedade contemporânea vem enfrentando? Na tentativa de responder a este questionamento. tem como unidade de análise a comunidade do Cabo de Santo Agostinho. Gilmar/ Universidade do Vale do Rio dos Sinos Seria o design estratégico um efeito de negação da entropia. Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cavalcanti.G Sala C235 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Gilmar Adolfo Hermes A CRISE DA MODERNIDADE E OS EFEITOS SOBRE O DESIGN /Artigo Completo Parode. com a introdução de resíduo industrial como insumo para a cerâmica artesanal.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / REFUGO INDUSTRIAL COMO INSUMO PARA A CERÂMICA ARTESANAL: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA O ARTESANATO DO CABO DE SANTO AGOSTINhO – PERNAMBUCO / BRASIL /Artigo Completo Silva. em que atualmente uma empresa vem buscando transformar suas identidades comerciais agregando valores “politicamente corretos” aos seus produtos e serviços. Como contraponto ao design estratégico. ST.

05. que investigou procedimentos de construção de desenhos técnicos de produtos de design do vestuário. A TRAJETÓRIA DE JOSé ZANINE CALDAS SOB ASPECTOS ECOLÓGICOS /Artigo Resumido Arruda.05. O método utilizado baseou-se numa pesquisa bibliográfica e exploratória. Vera Lucia/ PUC . considering functional aesthetics of design and visual communications.A/ ST. Luiz Fernando/ UNB An introduction to the research method as applied to the doctoral dissertation Cinedesign: typography and graphic design in motion pictures – The AMPAS awards for best film – 1927 to 2004. Através da revisão bibliográfica sobre o assunto.Rio Nojima.h Sala C237 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / /155 PADRõES DE REPRESENTAÇÃO TéCNICA PARA O DESIGN DO VESTUÁRIO FEMININO /Artigo Completo Puls.Rio Este texto sintetiza os resultados da pesquisa “Desenho Técnico: padrões de representação para o projeto de produtos do vestuário”.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Lourdes Maria/ PUC .R CINEDESIGN: A RESEARCh METhOD APPLIED TO AUDIOVISUAL TyPOGRAPhy AND GRAPhIC DESIGN IN MOTION PICTURES /Artigo Completo Las-Casas. o trabalho só atingiu seus objetivos na medida em que apresentou os processos e métodos pelos quais foi possível construir padrões de representação técnica que satisfizessem os padrões da indústria da moda. Vera Lucia Moreira dos Santos/ PUC . Ary/ PUC . Os estudos teóricos e práticos possibilitaram sua aplicabilidade nas disciplinas de desenho técnico de moda. Gloria Lucía Rodríguez Correia de/ UNESP Landim. Apontase a preocupação ecológica refletida ao longo de sua produção.05. da UDESC. Portanto. REFLEXõES SOBRE A FORMAÇÃO DO DESIGN DE NOTÍCIAS /Artigo Completo Moraes. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Paula Katakura ST.Rio A partir de um breve relato histórico do desenvolvimento do jornalismo .Rio Nojima. Paula da Cruz/ UNESP O presente estudo tem como objetivo apresentar a singular obra de José Zanine Caldas. delineiase o momento histórico-político brasileiro em que o profissional analisado iniciou suas atividades e a co-relação com a arquitetura moderna.

por meio das seguintes perguntas básicas: O que é infografia? Quem cria os infográficos? Quando surgiu a infografia? Onde a infografia se aplica? Como se classificam os infográficos? Por que a infografia é útil? Para se obter as respostas. ESCLARECIMENTOS SOBRE A INFOGRAFIA /Artigo Resumido Rodrigues. podemos explicar la implicación que tienen la imágenes icónicas en el grado de adecuación del mensaje visual en su entorno concreto. Raquel Rebouças de/ UFPE Medeiros. em bibliografias e artigos. sino que lo entiende como una sola unidad de complejidad creciente. Este tipo de produto geralmente é caracterizado por sua qualidade essencialmente funcional. ThE CONCEPTUAL REALITy OF VISUAL MESSAGE: ICONICITy AND ENTROPy /Artigo Resumido Bartomeu i Magaña. o entropía. O principal objetivo atingido foi a atualização dos conceitos sobre esse gênero visual de recente estudo.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / impresso. econômico e cultural do final do Século XX. Jesús/ Universitat de Barcelona El presente artículo estudia la realidad pragmática del mensaje visual desde un enfoque comunicativo clásico que no fracciona el mensaje en unidades de significación y relaciones entre unidades de significación.I Sala C237 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / /156 COORDENAÇÃO/ Virginia Borges Kistmann DESENVOLVIMENTO DE ESCORREDOR DE PRATOS COM ÊNFASE NAS RELAÇõES PRAGMÁTICA E EMOCIONAL DO USUÁRIO COM O PRODUTO /Artigo Completo Almeida. destacando sua evolução no Brasil e sua inserção no contexto social. Seguindo uma abordagem centrada no usuário. Carolina/ Universidade Positivo Uma nova abordagem sobre a Infografia é apresentada neste artigo. Thiago/ Universidade Positivo Calomeno. Wellington Gomes de/ UFCG Este artigo apresenta o desenvolvimento de um escorredor de pratos para uso doméstico. Elena/ Universitat de Barcelona Del Hoyo Arjona. ST. este projeto partiu da combinação de princípios . político.05. Con el modelo de crecimiento y decrecimiento de incertidumbre en un sistema de información. mas de antigas raízes. foi empreendida uma revisão acerca dos principais autores da área. o artigo pretende discutir a formação do que veio a ser chamado “design de notícias”.

Assim.FAAC-UNESP / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /157 Com o desenvolvimento tecnológico. O DESIGN EMOCIONAL E OS BLOBJECTS /Artigo Resumido Fontoura. a funcionalidade e usabilidade dos produtos não são mais suficientes para assegurar a satisfação dos consumidores-usuários e garantir um diferencial no ponto de venda. por meio de investigação bibliográfica. comportamental e reflexivo. Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS Este estudo avaliou.05. O objetivo é relacionar o nível visceral a uma classe de objetos conhecida como blobjects. João Fernando/ PPGDI . caracterizada por suas formas curvilíneas e fluídas. os estudos em Design têm se preocupado com os aspectos emocionais dos produtos. diversas formas de uso. Cláudia Regina Hasegawa/ UFPR Este artigo apresenta uma breve introdução sobre o Design Emocional.R funcionais e do design emocional na metodologia projetual. foi realizada uma pesquisa de campo. visando coletar respostas e identificar expectativas que poderiam caracterizar interações pragmáticas e emocionais. de modo a evidenciar suas similaridades.A/ ST. As perspectivas são interpretadas e equiparadas. descrevendo os três níveis de processamento das emoções dos sistemas cognitivo e afetivo propostos por Norman (2004): visceral. Para melhor conhecer a relação usuário-produto referente ao escorredor de pratos. praticidade e satisfação emocional do usuário. Sérgio Henrique Prado/ PPGDI . INFLUÊNCIAS DO DESIGN DE AMBIENTES DE PONTO DE VENDA E O COMPORTAMENTO DE COMPRA POR IMPULSO /Artigo Resumido Costa. / / / / / / / / / / INVESTIGAÇÃO DE TEORIAS E MODELOS EM DESIGN E EMOÇÃO: ESTRUTURAÇÃO DE UM MODELO DE CÍRCULOS DE REFERÊNCIAS DE EMOÇõES EM PRODUTOS /Artigo Completo Scolari. atendimento a requisitos como conforto.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. As informações levantadas são utilizadas na proposição de um Modelo de Círculos de Referências de emoções em produtos. Antônio Martiniano/ UFPR Zacar.05. e discutir a validade de abordagens de design focadas nessas características.FAAC-UNESP Marar. O produto desenvolvido apresenta importantes características pragmáticas e emocionais como: capacidade de compactação. Neste sentido. a partir de um modelo teórico de antecedentes . o presente trabalho apresenta um mapeamento dos modelos e teorias que descrevem as emoções em produtos.

DESENhAR O BEM-ESTAR SUSTENTÁVEL /Artigo Resumido Lucca. Este texto faz parte do projeto de doutorado em Scienze del Design. bem como.05. Pensar o Design numa concepção alternativa de mundo e tomar parte na transição da sociedade a sustentabilidade. O papel que o Design começa a delinear será aquele de facilitar o desenvolvimento das capacidades idealizadoras difundidas e de contextos que favoreçam a sua aplicação. fruto de um trabalho em andamento.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / e conseqüências da compra por impulso. O Design concebido para um ulterior desenvolvimento não é mais compatível ao porte dos problemas eminentes. /158 . Consiste na apresentação de diretrizes que visam incentivar os processos de produção.J Sala C241 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Cyntia Malaguti de Sousa DIRETRIZES PARA O CONSUMO SUSTENTADO A PARTIR DA INTERAÇÃO ENTRE MARkETING VERDE E ECODESIGN /Artigo Resumido Santos. sintetiza uma pesquisa desenvolvida pela primeira autora em seus projetos de graduação e especialização – com o auxílio do segundo autor. são os atuais desafios. foi evidenciado que o design de ambiente de lojas físicas proporciona influências mais salientes do que as encontradas nas lojas virtuais. assim. em fase de conclusão pelo autor. ao planejamento e à gestão embasados nos preceitos da sustentabilidade. Leonardo/ UFPE O presente artigo. o efeito ambiental sobre o comportamento de compra. Defende. onde a atividade de compra apresenta uma natureza mais técnica ST. Como resultado. desenhar cenários de vida e idéias de bemestar com as quais cada um se confrontará na definição do próprio projeto de vida. Susiane Michelle dos/ UFPE Castillo. comercialização e consumo sustentáveis a partir da interação entre designers e profissionais de marketing. a promoção de ações voltadas à conscientização. André de Souza/ Università IUAV di Venezia O presente artigo tem por objetivo introduzir a discussão sobre o posicionamento epistemológico do Design frente ao cenário de desequilíbrio ambiental no qual a sociedade contemporânea se encontra.

Elisa Gonçalves Pazzini da/ UEMG O presente artigo aborda conceitos gerais acerca do tema Responsabilidade Social Universitária . ilustrando essa possibilidade como uma área de atuação para o designer. explicitando os favorecimentos para a sociedade. Essa identificação pode motivar o consumo. O objetivo desse artigo é contextualizar a resignificação e a reutilização de embalagens. professores.05. Lia Paletta/ UEMG Bentos. que pode resultar na ação do usuário em dar outras utilidades à embalagem. Catarina de Araújo/ UEMG A embalagem é uma oportunidade para o fabricante estabelecer elos entre produto e consumidor. Finaliza apresentando os benefícios da incorporação da RSU para estudantes. com o qual o usuário se identifica ou não.k Sala C242 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / /159 O DESIGNER DE PRODUTO NA EMPRESA /Artigo Completo Stasiak.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. A REUTILIZAÇÃO DE EMBALAGENS APÓS O TéRMINO DE SUA UTILIZAÇÃO: NOVAS ATRIBUIÇõES DE VALORES /Artigo Completo Moraes.05.A/ ST. Maria Flávia Vanucci de/ UEMG Mello. Nela estão dispostos elementos que inserem o produto em um contexto. apresentando o assunto como uma oportunidade de negócios tanto para os designers quanto para as empresas reafirmarem suas marcas. Isabella Ferraz Lacerda de/ UEMG Silva. abordando informações relevantes para o entendimento do assunto. abordando dois contextos: embalagens inalteradas e alteradas pelo consumidor após o uso original.05. Marina/ UTFPR Teixeira. Universidades. Joselena de Almeida/ UTFPR Com a finalidade de discutir o papel integral do designer numa empresa. Para destacar a importância da incorporação destes conceitos nas Instituições de Ensino Superior. profissionais de design. tomando por base estudos sobre métodos e estratégias para a gestão . foram demonstradas ações realizadas pela Escola de Design da UEMG junto a comunidade acadêmica e na sociedade. estabelecendo uma conexão de valor.R A IMPORTÂNCIA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO DE DESIGNERS COMO PROFISSIONAIS MAIS CONSCIENTES /Artigo Completo Moraes. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Claudia Marinho ST.RSU. Maria Flávia Vanucci de/ UEMG Benatti.

Itamar Ferreira da/ UFCG Uma das características do design é desenvolver produtos acessíveis.UNESP Wada. fez-se um levantamento de dados para obter subsídios à concepção do projeto.UNESP Corrêa. entretanto. DAS RUAS AO ShOPPING: CRIAÇÃO DE UM CARRINhO PARA TRANSPORTE DE CONFECÇõES /Artigo Completo Silva. José Carlos Plácido da/ PPGDesign . Washington F/ UFPE Silva. Este projeto teve como objetivo a criação de um carrinho para confecções adquiridas no Moda Center Santa Cruz. Após a análise das informações. ANÁLISE DAS CONDIÇõES BIOMECÂNICAS E DE USABILIDADE DE EQUIPAMENTOS COM ENFERMEIROS DE DOIS hOSPITAIS PÚBLICOS PAULISTAS /Artigo Resumido Paschoarelli. um dos objetivos do artigo é atentar para este problema tão atual e justificar a necessidade de saná-lo. visando o melhor aproveitamento do designer na empresa. de uso coletivo que se adaptem e beneficiem o maior número de pessoas.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /160 do design. priorizando as necessidades principais do seu público-alvo. este artigo aborda os caminhos já utilizados e analisa seus resultados. Visto que este ambiente não dispõe de sistema de transporte para locomoção das compras realizadas. Vânia Maria Batalha/ Universidade Federal do Amazonas Este trabalho trata de uma intervenção ergonomizadora em um sistema . portanto. O descrédito no profissional gera perda ou atraso na produtividade da indústria.UNESP Silva. INTERVENÇÃO ERGONOMIZADORA NO SERVIÇO DE RECUPERAÇÃO DE PACIENTES LESIONADOS DE UM hOSPITAL UNIVERSITÁRIO /Artigo Resumido Fontinele. ergonômicos e estruturais. confirmaram a necessidade da intervenção do design ergonômico. Antônio José/ PPGDesign . Daniele Vieira/ Universidade Federal do Amazonas Cardoso. Luis Carlos/ PPGDesign . Kozo/ Hospital Regional Bauru . estão entre os fatores que mais caracterizam a demanda ergonômica em hospitais. Geane de Almeida/ Universidade Federal do Amazonas Seixas. Essa pesquisa objetivou uma abordagem ergonômica em duas distintas unidades hospitalares. Os resultados apontaram diferenças estatisticamente significativas em algumas variáveis analisadas. criou-se um produto visando atender aos requisitos e parâmetros mercadológicos.UNESP Os esforços biomecânicos e os problemas na interface enfermeiros / equipamentos médicohospitalares.

artes seqüenciais do passado e as primeiras manifestações das histórias em quadrinhos como linguagem estabelecida no começo do século XX. Utilizouse software de avaliações ergonômicas e simulações virtuais. A CONTRIBUIÇÃO DA TEORIA NARRATIVA PARA A COMUNICAÇÃO VISUAL VOLTADA PARA CRIANÇAS /Artigo Completo Gamba Jr. De/ Centro Universitário Barão de Mauá Landim. ainda nos trás . Newton/ PUC-Rio Sodré.A/ ST. O conceito de Design de Histórias é então apresentado aqui através de um estudo de caso exemplar. Ana Claudia/ PUC-Rio Garcia.05. Chega-se a uma mesa de fácil ajustagem que se adapta a diferentes leitos sendo projetada em material de menor densidade. Pela sua natureza híbrida (associação de linguagem textual e imagética) a comunicação visual é um campo profícuo para o exercício de uma metodologia que contemple a teoria narrativa de forma interdisciplinar e contemporânea. como habilitação do design.R para atividades em leito hospitalar. DESIGN DE hISTÓRIAS. O CROQUI COMO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PROCESSO CRIATIVO /Artigo Resumido Martino.L Sala C243 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /161 ORIGENS DOS QUADROS UNIFORMES NAS hISTÓRIAS EM QUADRINhOS /Artigo Completo Silva. são apresentados os resultados de uma pesquisa histórica que investiga a origem dos quadros uniformes das histórias em quadrinhos. Paula da Cruz/ UNESP/FAAC A utilização do croqui durante o processo criativo. a regulagem de altura e a angulação da mesma permitindo atender diferentes usuários. além de favorecer o manuseio. consistindo em um sistema confortável para o transporte e montagem. incluindo as relações com molduras de pinturas.05.Rio Neste artigo. Fabio Luiz Carneiro Mourilhe/ PUC . surge nesse contexto de intensas transformações. Jarryer A. A comunicação visual. Eliane/ PUC-Rio A tradição do estudo da narrativa calcada estritamente na linguagem textual já vem sendo revista desde a ascensão da cultura audiovisual.05. / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Celia Maria Escanfella ST. Concentrou observações sistemáticas e testes com protótipo envolvendo pacientes e fisioterapeuta.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.

jogos eletrônicos. mesmo que vivenciamos um período de constantes inserções e influências tecnológicas. Rodrigo/ UFPR Battaiola. com o que as pessoas o classificam? Este artigo descreve uma pesquisa na qual foi utilizado um processo de categorização para chegar a indicações dessas classificações. este artigo visa contribuir para a construção e a avaliação de objetos de aprendizagem/ HQtrônicas com fundamentação teórica. Afinal. ST./ UFPE Calazans.05. Silvio/ UFPE Campos. . Vanessa/ UFPR Godoi./ UFPE O Web Design é uma atividade globalizada. Ao entrelaçar estas teorias. algo de tão significativas proporções possui ainda uma conceituação controversa. Fábio/ UFPE Neves. ou quais conceitos. tendo como norte a motivação no processo de ensino e aprendizagem. André L./ UFPR Jardim./ UFPR Este artigo analisa a utilização das HQtrônicas como objeto de aprendizagem. Dennis/ UFPE Campello. Entretanto. Dino L. M. hQTRÔNICAS COMO OBJETOS DE APRENDIZAGEM E MéTODOS PARA AVALIAR O SEU POTENCIAL PEDAGÓGICO /Artigo Resumido Kupczik. Katia A. auxiliando a melhor o embasamento de futuras conceituações. mas verificamos que as novas tecnologias informatizadas relacionadas a expressão gráfica artística ainda não fazem parte do repertório usual dos alunos do curso de design e muito menos são utilizadas como ferramentas participativas no processo criativo. André M. o que é Web Design? Ou. histórias em quadrinhos impressas e eletrônicas e os métodos de avaliação de softwares educacionais. caracterizando justamente o período de transição em que vivemos. objetos de aprendizagem.M Sala C244 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / /162 COORDENAÇÃO/ Caio Adorno Vassão CONCEITUANDO “WEB DESIGN” ATRAVéS DE CATEGORIZAÇÃO /Artigo Resumido Figueirôa. desse modo estreitou-se o recorte sobre qual conceito. foram revisadas as seguintes teorias: softwares educativos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / grandes benefícios como um dos meios de representação durante o desenvolvimento de uma idéia. Para tanto. mais se aproximam do termo “Web Design”.

facilitando a construção de consultas. The framework is based on a study of approaches to describe graphic language.05. web guidelines.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. José Muanis F. The proposed framework is applied in three case studies. extinguindo a disponibilidade de somente apresentar suas funções de origem: a simplicidade de efetuar e receber chamadas. Stella/ Centro Universitário Senac Sato. André Soares/ ESDI/ UERJ Castro. Primeiro foi desenvolvida uma aplicação integrada ao sistema de busca Yahoo para mostrar seus resultados em nuvens de textos. A UTILIZAÇÃO DE NUVENS DE TEXTO PARA A VISUALIZAÇÃO DE RESULTADOS DE SISTEMAS DE BUSCA NA WEB /Artigo Completo Lunardi. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /163 . e depois essa aplicação foi avaliada.R DISPOSITIVOS MÓVEIS E ATIVISMO AO TRATAMENTO éTICO DOS ANIMAIS /Artigo Resumido Souza/ Priscila/ Centro Universitário Senac Dauer. de/ Globo. trazendo o tema “Tratamento antiético com animais”. A hipótese dessa investigação é que a visualização dos resultados de um sistema de busca em nuvens de textos pode auxiliar os usuários a encontrar o que procuram. and CSS specifications. a pesquisa foi desenvolvida em duas fases.05. The results show that the framework can be used to identify how the visual characteristics of websites are displayed and their frequency of use. Para testar essa hipótese. It can also be used to analyse and compare different websites. O presente artigo propõe explorar os recursos atuais dos dispositivos móveis. Márcia Severo/ ESDI/ UERJ Monat. web surveys.com Esse artigo apresenta os resultados de uma pesquisa que avaliou as vantagens da utilização de uma técnica de visualização de informações. através da plataforma Adobe Flash Lite. Ricardo/ Centro Universitário Senac Dispositivos móveis como o celular estão evoluindo seus recursos. FRAMEWORk FOR DESCRIBING VISUAL ChARACTERISTICS OF WEBSITES /Artigo Completo Souto. Furthermore.A/ ST. para apresentar os resultados de um sistema de busca na web. unificando interesses para-educativos. The framework is useful in classifying and categorising the main visual characteristics of websites. Virgínia Tiradentes/ University of Brasilia This paper proposes a framework for describing visual characteristics of websites. conhecimentos de conscientização e recursos tecnológicos. the framework can be used as a tool for web design development.

A entrevista.N Sala C245 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /164 COORDENAÇÃO/ Lucy Niemeyer DESIGN E SIGNIFICAÇÃO SOB UMA PERSPECTIVA MITOLÓGICA /Artigo Completo Andrade. mas sempre em estado de observação pelo olhar atento do designer contemporâneo. feita em espaço informal. levandonos à sugestão de que para cada projeto de design camadas de retórica são construídas a partir de contextos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. particularmente. DESIGN COMO LINGUAGEM. Mateus Gomes de/ Faculdades Barddal/SC O presente trabalho discute o comportamento da mitologia na atualidade. resgatando argumentos de autores como Buchanan. Para tanto. suas manifestações na sociedade e. Adriana B.Rio O presente artigo — desenvolvido na PUC-Rio como parte da pesquisa de mestrado do autor — levanta questões em torno das diferenças entre aquilo que diversos autores convencionaram chamar de linguagem visual e o próprio design enquanto linguagem. de Glauber Rocha. . Sydney/ UERJ Niemeyer. foi gravada em vídeo e posteriormente transcrita para análise. busca embasamento no trabalho de alguns estudiosos do mito. A população recortada é formada por profissionais da indústria cinematográfica. ENTREVISTA SEMI-ESTRUTURADA NA ANÁLISE DO CARTAZ DO FILME TERRA EM TRANSE /Artigo Resumido Ribeiro. bem como na teoria semiótica. sua influência no campo do Design e outras áreas relacionadas com comunicação. Bruno/ PUC .05. situações e subjetividades incomensuráveis. Lucy/ UERJ Este artigo apresenta os resultados da análise de uma entrevista semiestruturada que visa o entendimento da relação entre o cartaz e o conteúdo do filme “Terra em Transe”. surgem reflexões quanto à possibilidade de se falar em uma retórica própria dessa linguagem do design. Disso. Esse artigo reflete uma etapa do início de uma pesquisa de mestrado. DESIGN COMO RETÓRICA /Artigo Completo Barros. / UERJ Freitas. Considerou-se o background do entrevistado bem como seu envolvimento emocional com o tema. por contemporâneos e/ou comentadores da obra de Glauber que tenham demonstrado conhecimento de forma consistente de sua filmografia.

O Sala C247 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /165 DESIGN E IDENTIDADE LOCAL: O TERRITÓRIO COMO REFERÊNCIA PROJETUAL . no final do século XX. reveste-se de uma abordagem que o extrapola e justifica: a concepção de design relacionada enfaticamente ao estudo das funções de linguagem dos objetos. Leila Amaral/ UFSC O objetivo deste artigo é a compreensão do processo de inserção de fatores culturais em projeto de produto visando à identificação local. diante do cenário de globalização e diversidade cultural. indústria e tecnologia. Tarcisio/ PUC . Este artigo mostra a experiência em dois APLs brasileiros. Foi verificado que os fatores .SP Santaella. IDENTIDADE CULTURAL EM PROJETO DE PRODUTO /Artigo Completo Cardoso. mas esta não é vista apenas como função técnica.A/ ST. Neste sentido. promoveu por conseqüência uma produção industrial de bens de consumos massificados. o autor Bernhard Bürdek.05.SP Este estudo.R CONFLUÊNCIAS ENTRE A SEMIÓTICA PEIRCIANA E A CONCEPÇÃO DO DESIGN EM BÜRDEk /Artigo Resumido Cardoso. através do conceito de território. onde se aplicou o conceito de identidade local como referência para o projeto dos seus mobiliários. / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Carlos Tadeu Siepierski ST. frutos da ambiência e cultura local.05. Tal domínio admite uma abordagem semiótica sobre o problema do design. reconhecer os valores. O método se baseou em revisão bibliográfica e estudo de casos de projetos em que foram inseridos fatores culturais locais. compostos de signos imprevisíveis e repletos de conteúdos frágeis. propondo-se a abordar o tema da semiótica no design pós-moderno.05. mas também amplia os conceitos do funcionalismo bauhausiano naquele contexto. Cristina Luz/ UFSC Gontijo. Necessário se faz. portanto.OS CASOS DOS APLS MOVELEIROS DE UBÁ E GOIÂNIA /Artigo Completo Moraes. A forma segue a função. somado à livre circulação das matériasprimas e a fácil disseminação tecnológica. não apenas adequa a teoria do design a um contexto de crescimento das interseções entre arte.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. a serem interpretados e decodificados como atributos possíveis dos artefatos industriais. Dijon De/ UEMG O nivelamento da capacidade produtiva entre os paises. Lúcia/ PUC . cujo ápice se consolidou com a globalização.

Lucy Carlinda da Rocha de/ ESDI Este artigo explicita o desenvolvimento do mobiliário no Brasil. A partir de pesquisa realizada. confirmou-se a necessidade de expressão de gostos e afinidades através da vestimenta com o intuído de ser reconhecido por indivíduos do mesmo grupo. O presente estudo teve por objetivo analisar de que forma o caráter comunicacional da vestimenta interfere na identificação dos usuários que fazem uso de roupas e adornos corporais. /166 . com grupo pertencente à subcultura analisada. Dessa forma. entre outros profissionais. as quais estão sempre se renovando e contribuindo constantemente com a construção da identidade nacional. principalmente no que se refere aos códigos culturais presentes nos produtos desta área. como também as influências das mais variadas culturas e dos principais movimentos de artistas. Os resultados indicam que a identificação cultural local acompanha as tendências de mercado e as necessidades das empresas. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá A partir de pesquisa sobre as manifestações subculturais que povoam os grandes centros. designers.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / estão relacionados ao ambiente natural e construído. nesse meio. João Pedro Hojah da/ Universidade Estadual de Maringá Lucio. Analisou-se cada etapa que envolve a história do móvel nesse país. confirmaram-se algumas hipóteses levantadas quanto à necessidade de expressão através da vestimenta. Daniele Dickow/ ESDI Niemeyer. desde sua origem colonial até as últimas décadas. à maneira como são atribuídos significados a esses fatores e à contribuição que trazem para a empresa ou grupo produtor. através de entrevistas em profundidade. IDENTIFICAÇÃO DO USUÁRIO ATRAVéS DO PRODUTO DE MODA /Artigo Resumido Silva. CÓDIGOS CULTURAIS DO MOBILIÁRIO NO BRASIL /Artigo Resumido Ellwanger. tal análise permitiu evidenciar as características essenciais de significação cultural presentes na produção moveleira do Brasil. arquitetos.

Marco/ Arquitecto Arellano Lechuga.A/ ST. METODOLOGIA DE PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS COM RESÍDUOS: ESTUDO DE CASO COM O CURSO TéCNICO EM DESIGN GRÁFICO E DE PRODUTO /Artigo Completo Silva. B. Marcos Vinícius Teles/ Universidad Politécnica de Cataluña Georgetti.R COORDENAÇÃO/ Vicente Cerqueira ST. El proyecto propuesto tiene como objetivo crear un medio de sensibilización para la separación selectiva de residuos y. O trabalho visou. obtendo-se o estudo de caso descrito. DESIGN SUSTENTÁVEL: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA MOVELEIRA /Artigo Completo Otte.05. para su recogida. Clothilde/ Arquitecta Ricci. Como resultados do estudo pode-se demonstrar que a .P Sala C254 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /167 SERES MATERIALES: SENSIBILIZACIÓN PARA LA RECOGIDA SELECTIVA DE RESIDUOS MUNICIPALES /Artigo Resumido Guimarães. León/ Universidad Politécnica de Cataluña Los niveles insatisfactorios de separación de los residuos municipales demandan iniciativas educativas y campañas de comunicación que incorporen la responsabilidad social. avaliar a viabilidade do uso do ecodesign desde a concepção do produto até sua distribuição. Marina/ UNIVALI Devido aos avanços da tecnologia.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. S.05./ PUC . Ana L. Por isso. hoje é possível produzir mais que a capacidade de consumo. Após as medidas tomadas ocorreu um aumento da produtividade. Desta forma comprovou-se a eficiência do uso do Design Sustentável. Arabella N.05. se aplican los diferentes materiales producidos por la basura en el cuerpo humano. são necessárias estratégias para a criação de produtos mais sustentáveis. sendo que grande parcela da população consome além do necessário. D. G. das vendas e recontratação de empregados. através de um estudo de caso na indústria moveleira. como extensión.Paraná O objetivo deste artigo é descrever uma proposta de metodologia para o desenvolvimento de produtos utilizando resíduos. da/ UTFPR Gouveia. Para ello. Esta metodologia foi testada na disciplina de ecodesign do Curso Técnico em Design Gráfico e de Produto do Colégio e Faculdade Ensitec. sem acarretar um custo extra ao produto e à empresa. reaprovechamiento y reciclaje.

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / /

abordagem proposta contribui para que o uso de resíduos seja feito de maneira consciente em relação aos seus impactos e às suas vantagens para reutilização. Também contribuiu, no aspecto acadêmico, para que o discente tenha melhor compreensão dos conteúdos propostos, permitindo maior interação entre teoria e prática.

ANÁLISE DO CICLO DE VIDA E A INDÚSTRIA DE MÓVEIS DE LINhARES /Artigo Resumido
Silva, Aline Freitas da/ UFES

Este estudo tem por objetivo fazer a análise do ciclo de vida do jogo de jantar Isabela, produzido pela Cimol uma indústria moveleira de Linhares – ES. Neste estudo verificou – se a relação da Cimol com os princípios da sustentabilidade através de uma investigação do seu processo de produção.

ST.05.Q
Sala C256 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/168

COORDENAÇÃO/ Fausto Mascia

LOGOGRAMAS: DESENhOS PARA PROJETO /Artigo Completo
Vidal Gomes, Luiz/ UNIRITTER Brod Junior, Marcos/ UNIRITTER Medeiros, Ligia Maria/ UNIRITTER

Este artigo é fruto de atividades docentes e de pesquisa em Desenho industrial / Design. Pelo ponto de vista da pesquisa, os logogramas aqui apresentados formam um conjunto de signos gráficos para auxílio às atividades analíticas durante o desenho de produto. Pelo ponto de vista do ensino, os logogramas funcionam como sinalização de trânsito, i.e., signos gráficos convencionalizados para orientar procedimentos, definir técnicas, alertar sobre fases, etapas e estágios do processo criativo e projetual. Este artigo divide-se em três partes: valor da linguagem logográfica para a aprendizagem; atividades intelecto-criativas do desenhador; aplicação dos logogramas em projeto de produto para embalagens.

ASSENTO ADAPTÁVEL PARA PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL E SEQÜELA DE ESCOLIOSE: ESTUDO DE CASO APLICANDO DESIGN ERGONÔMICO /Artigo Completo
Ganança, Adriana da Silva/ UNESP - Bauru e Unifev Ricieri, Denise da Vinha/ Unifev Paschoarelli, Luis Carlos/ UNESP - Bauru

Com a intervenção projetual através do design ergonômico, tornou-se possível a análise de um assento especial adaptado com regulagem

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.05.A/ ST.05.R

vertical, para reabilitação dos pacientes estudados, buscando prevenir e minimizar os problemas decorrentes do desvio da coluna vertebral (escoliose), uma das principais seqüelas da paralisia cerebral (PC), além de validação de técnicas clinicas e fisioterapêuticas. Os resultados encontrados pela Biofotogrametria Computadorizada foram significativos para as condições posturais da coluna vertebral (p ≤ 0,01), comprovando a eficiência de adaptação proposta, sugerindo uma nova alternativa para melhor qualidade de vida desses pacientes.

UTILIZAÇÃO DE LUVAS INSTRUMENTADAS EM AVALIAÇõES BIOMECÂNICAS DA PREENSÃO DA MÃO hUMANA /Artigo Completo
Silva, Danilo Corrêa/ UNESP Paschoarelli, Luis Carlos/ UNESP Poussep, Stanislav/ UNESP

A preensão humana é uma ação complexa, da qual se exige avaliação para projetar instrumentos manuais ergonômicos. O uso de luvas com sensores é uma técnica muito utilizada para este tipo de análise nas áreas da robótica e biomecânica. Esse artigo apresenta uma análise sobre os principais aspectos envolvidos na preensão humana e sua importância na construção de um protótipo de luva instrumentada com sensores FSRs. A construção de um equipamento dessa natureza permite identificar pontos de pressão concentrada sobre a superfície palmar das mãos, caracterizando uma das alternativas mais viáveis para avaliações do design ergonômico de instrumentos manuais.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Daniela Kutschat Hanns

ST.05.R
Sala C257 11/10/08 Sábado 09h00/10h00 / / / / / / / / /
/169

DESIGN & EMOÇÃO: SOBRE A “COMPETÊNCIA EMOCIONAL” DE PRODUTOS E DE MARCAS /Artigo Completo
Damazio, Vera/ PUC - Rio Dal Bianco, Bianca/ PUC - Rio Lima, Júlia P.C./ PUC - Rio Menezes, Cristiane de/ PUC - Rio

Este artigo apresenta o conceito de “competência emocional” elaborado pelo neurocientista António Damásio e os sentimentos presentes em algumas experiências de uso. Ele tem como cenário os resultados de três estudos voltados para a relação afetiva das pessoas com o entorno projetado, desenvolvidos a partir de métodos antropológicos de pesquisa como entrevistas não estruturadas e observação participante. Nesta perspectiva, seu foco recai sobre os sentimentos evocados pelo meio

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/170

projetado como “sentimento de co-autoria” “sentimento de estabilidade”, “sentimento de estou crescendo” entre outros identificados na fala de nossos informantes.

DESIGN, ARTE, ARTESANATO: O UNIVERSO DE BISPO DO ROSÁRIO EM UM PROJETO EXPERIMENTAL /Artigo Completo
Soares, Rosane Bezerra/ Universidade Federal de Sergipe Silva, Marcelo Prudente/ Universidade do Norte do Paraná

O artigo apresenta reflexões a respeito da tradição no Nordeste do Brasil, comentando sobre imagens estereotipadas da região, exibindo miséria por um lado e celebração do folclore por outro. O estudo envolve diversas áreas como design, arte, artesanato, educação, antropologia, etc. e procura analisar os elementos que caracterizam uma cidade do interior do estado de Sergipe de um outro ângulo, enfatizando os trabalhos de Arthur Bispo do Rosário em um projeto social experimental.

A IMPORTÂNCIA DA OBSERVAÇÃO PARA O DESIGN /Artigo Resumido
Prante, Cristiana/ Universidade Positivo Vilela, Thyenne/ Universidade Positivo

Esse artigo pretende apontar o uso da observação como início do processo de levantamento das necessidades, gostos e desejos do usuário. Considera-se a observação como um dos métodos aplicados para o início da etapa de pesquisa, pertinente ao processo de desenvolvimento de um produto. Esse procedimento consiste em uma aproximação e decodificação da atuação do usuário em um contexto determinado. Está diretamente relacionado com a competência do designer como tradutor de determinados códigos, tendo certo afastamento de seus próprios préconceitos e hábitos e com capacidade de relatar posteriormente aspectos que se traduzem em referências para o projeto.

DO PROCEDIMENTO COMO SIGNO /Artigo Resumido
Azevedo, Rafael de/ Centro Universitário Senac Nascimento, Myrna de Arruda/ Centro Universitário Senac

Este artigo comenta produções estéticas de tempos e modalidades distintos (poesia, escultura, cinema), compreendendo-as como campos de aplicação e constituição de procedimentos através das possibilidades oferecidas pelo caráter de cada uma destas modalidades (sua estrutura). A partir desta tarefa esperamos dar início a um processo de aprendizado acerca da natureza das estruturas no fazer estético, de forma a suscitar questionamentos sobre a reflexão e a prática contemporâneas no campo do design.

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.06.A/ ST.06.Q

COORDENAÇÃO/ Romero Tori

ST.06.A
Auditório 01 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/171

O PAPEL DO BRIEFING EM UM PROJETO DE WEBSITE /Artigo Completo
Fonte, Flávia da/ UFPE Campos, Fábio/ UFPE Neves, André/ UFPE

Atualmente encontramos o problema em que tanto o questionário quanto a aplicação do briefing para projeto de website é ainda um tema pouco explorado. Apresentamos um estudo de como podemos trabalhar com o briefing na etapa de planejamento e na etapa de acompanhamento estratégico de um website utilizando a extensão da teoria Matemática da Evidência como ferramenta para tomada de decisão em situações de incertezas. Com este estudo, pretendemos desenvolver uma ferramenta que auxilie a equipe de criação tomar a melhor decisão de design para um projeto de website.

METADESIGN DE INTERFACES WEB DE AMBIENTES COLABORATIVOS: LEVANTAMENTO E TIPIFICAÇÃO DE RECURSOS TéCNICOS E RELAÇõES hIERÁRQUICAS /Artigo Completo
Muniz, César Rocha/ EESC – USP Camargo, Azael Rangel/ EESC – USP

Este artigo investiga o design da interface web em duas frentes. Na primeira, faz uma reflexão teórica sobre a dimensão metodológica e ética do design do artefato técnico. O objetivo é estabelecer os fundamentos para metadesign da interação em contextos colaborativos baseados principalmente nos componentes sociais e lingüísticos envolvidos. Na segunda frente de trabalho, de natureza empírica, estuda os recursos e estruturas hierárquicas encontrados em levantamento feito em interfaces web de ambientes colaborativos de design. O artigo é concluído com uma tipificação das interfaces estudadas, onde os elementos teóricos são retomados e diretrizes de projeto são estabelecidas.

MODELO CONCEITUAL DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA INFORMACIONAL PARA OS E-COMMERCES BRASILEIROS /Artigo Resumido
Lourenço Junior, Sílvio Diniz de/ UFPE

Atualmente, a internet é um dos meios de comunicação e comercialização que mais cresce, pois oferece grandes vantagens tanto para usuários, quanto para empresas. Porém, os internautas ainda possuem grandes restrições a este meio devido a diversos fatores, inclusive a falta de

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

informação disponibilizada nestes sites. Por outro lado as empresas que comercializam neste meio desenvolvem sistemas seguros e confiáveis, mas ainda não observaram a importância de deixar internautas sempre bem informado. Com isso, este artigo tem como objetivo apresentar os resultados obtidos na dissertação que visou identificar os requisitos informacionais de um sistema de e-commerce brasileiro.

TECNOLOGIA DIGITAL PARA O COMéRCIO ELETRÔNICO DO VESTUÁRIO /Artigo Resumido
Viana, Taciana V./ Universidade do Minho Carvalho, Helder M. T./ Universidade do Minho

As empresas do vestuário têm apresentado uma menor adesão ao comércio eletrônico do que outros setores. Alguns destes setores faturam milhões com as vendas online. A tecnologia atual começa a apresentar soluções digitais para as barreiras específicas das vendas online do vestuário. Desta forma, este artigo pretende apresentar algumas tecnologias desenvolvidas ou em desenvolvimento, que possam vir a auxiliar a ampliação das vendas online do vestuário. Os dados deste artigo foram obtidos por meio de consultas periódicas à Internet, análise dos avanços em curso e pesquisa bibliográfica.

ST.06.B
Auditório 02 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / /
/172

COORDENAÇÃO/ Denise Berruezo Portinari

O DESIGN à MESA: INFLUÊNCIAS CULTURAIS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS NO DESIGN DE UTILIDADES EM CERÂMICA /Artigo Completo
Ferreira, Joana Knobbe/ CEFET - SC Iwakami, Mariana Castello Branco/ CEFET - SC Back, Suzana/ CEFET - SC Sielski, Isabela/ CEFET - SC

Este artigo apresenta o resultado de uma pesquisa, cujo objetivo foi o levantamento das características usos e costumes das diferentes culturas que compõem o mosaico étnico da Grande Florianópolis para posterior aplicação no design de utilidades em cerâmica. A revisão histórica, o levantamento de imagens e as entrevistas a especialistas possibilitaram a identificação das principais fontes geradoras da diversidade cultural e sua influência na culinária regional. Constataram-se transformações na culinária local e a gradual perda de significado original no uso das utilidades de mesa, dando espaço para novas interpretações abordadas no desenvolvimento de uma proposta de utensílios em cerâmica. ‘

bem como são discutidas as implicações do design na construção de experiências de consumo superiores. A busca pela agregação de valor em ambientes extremamente competitivos exige que os designers atuem na proposição de serviços e experiências diferenciadas. dessa maneira. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Edson Pfutzenreuter ST. Podendo. tornou-se necessário investigar em que medida o design mudou de natureza e escapou ao seu lugar comum. Milena Roque/ UNESP Menezes. Luis Carlos/ UNESP Santos Filho. bem como nos hábitos de lazer dos consumidores. principalmente aquelas que permanecem em postura sentada prolongada. associados à má postura. um caso de estudo é analisado. Marizilda dos Santos/ UNESP Paschoarelli. Abílio Garcia dos/ UNESP Nos dias atuais é cada vez maior o número de pessoas com problemas relacionados à coluna vertebral. mas de uma evolução a-paralela que perpassa (e preexiste) a história do design ou da música. Este estudo teve como objetivo uma revisão sobre os efeitos da postura sentada prolongada na coluna vertebral. . para se desterritorializar em espaços virtuais como o espaço da música. Maria Lucília/ PUCSP Quando o som passou a fazer parte do universo do design.A ChAVE E A FEChADURA: DA ORIGEM DO DESIGN A SUAS LINhAS DE FUGA /Artigo Resumido Borges. visual. A partir de uma reflexão teórica sobre as metodologias existentes.06. EXPERIÊNCIAS DE CONSUMO EM GASTRONOMIA: COMO O DESIGN PODE METER SUA COLhER? /Artigo Resumido Costa. O modo de vida e o tempo de permanência na mesma postura. trabalhos estáticos. Este artigo propõe apontar que não se trata de uma ruptura ou de um salto de um universo espacial para um universo temporal.C Auditório 03 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / /173 OS EFEITOS DA POSIÇÃO SENTADA PROLONGADA NA COLUNA VERTEBRAL: UMA REVISÃO /Artigo Resumido Rumaquella. mobiliários inadequados são fatores que sobrecarregam a coluna vertebral. Esse estudo tem como propósito descrever o processo de concepção e desenvolvimento de um projeto de design de serviço e experiências no setor gastronômico. Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS O crescimento da indústria da gastronomia vem ocupando espaço relevante nos meios de comunicação de massa. desencadear dores e até levar a incapacidade de exercer o trabalho.

A abordagem permeia conceitos de deficiência visual. R./ UFSC Este trabalho procura relatar a pesquisa de dissertação de mestrado que se realiza na UFSC . por pessoas adultas que possuem deficiência visual e mantenham seus sentidos remanescentes preservados. um potencial significativo de ação. Ricardo Tiradentes/ UNESP Paschoarelli. números da deficiência no Brasil. Mileni Kazedani/ UNESP Dahrouj. Laura Schaer/ UNESP Barbosa. Apresentamos também. Renato F. no deslocamento independente em espaços urbanos abertos construídos. avaliar a eficiência do uso. desenvolvimento infantil.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / ANÁLISE ERGONÔMICA DAS TAREFAS REALIZADAS PELO OPERADOR DE MÁQUINA COPIADORA /Artigo Resumido Gonçalves. Braille. INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE VISUAL A PARTIR DE TéCNICAS E PROCESSOS DE IMPRESSÃO EM PAPEL. pois consideram constrangimentos corporais e desconfortos com o objetivo de otimizar as atividades realizadas pelos operadores de máquina copiadora. /174 . Raquel João Henriques Soares dos/ Universidade Técnica de Lisboa Silva. que propõem através de experimento. PROJETO DE DESIGN GRÁFICO DE LIVRO INFANTIL /Artigo Resumido Gomes. O projeto não esgota possibilidades do design gráfico para o deficiente mas revela sim. inclusão social e design gráfico como ferramenta transformadora dos meios de acesso à cultura e educação. José Carlos Plácido da/ UNESP Este estudo apresenta a análise das tarefas realizadas por operadores de copiadoras.UFSC. Luiz S. Wanda/ Centro Universitário Senac Este trabalho discute deficiência visual na faixa etária de 2 a 10 anos. Estas avaliações podem contribuir para o projeto de postos de trabalho e equipamentos envolvidos nesta atividade./ UFSC Gomez.BR. projeto de livro infantil que entre outros recursos utiliza diferenciado processo de impressão. L. do produto de tecnologia assistiva intitulado “bengala longa eletrônica”. A avaliação ergonômica baseada no mapa de Corlett & Bishop (1976) e no Rapid Upper Limb Assessment (RULA) demonstrou problemas ergonômicos decorrentes desta atividade. construção do conhecimento e dificuldade de acesso da população aos materiais impressos. Luis Carlos/ UNESP Santos. A CONTRIBUIÇÃO DO DESIGN NO DESLOCAMENTO DO DEFICIENTE VISUAL EM ESPAÇOS URBANOS ABERTOS /Artigo Resumido Silva.

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.06.A/ ST.06.Q

VESTUÁRIO ESPECIAL PARA DESABILIDADE FÍSICA /Artigo Completo
Matos, Adriana Leiria Barreto/ Universidade do Minho Silva, Célia Maria Santos da/ Universidade do Minho Silva, Mellissa Lima e/ Universidade do Minho Cunha, Joana/ Universidade do Minho

Considerando a conotação social que os produtos de moda possuem, decidiu-se trabalhar na concepção de roupas destinadas a indivíduos portadores de deficiência física. Tendo também em mente a diversidade e especificidade dos casos existentes e das necessidades especiais de cada um, particularmente aqueles possuidores de seqüelas da poliomielite e outras doenças que causam o uso de órteses nos membros inferiores e muletas para locomoção foram eleitos como público-alvo.

/ / / / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Priscila Farias

ST.06.D
Auditório 04 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/175

CATALOGAÇÃO E ANÁLISE DOS RÓTULOS DE AGUARDENTE DO LABORATÓRIO OFICINA GUAIANASES DE GRAVURA /Artigo Completo
Aragão, Isabella/ UFPE Campello, Barreto Silvio/ UFPE Ramos, Hermano/ UFPE Sampaio, Mariana/ UFPE

Este artigo intenciona mostrar o desenvolvimento do instrumento de catalogação dos rótulos das matrizes litográficas do Laboratório Oficina Guaianases de Gravura da UFPE. Também é apresentada a análise dos logotipos e elementos pictóricos presentes nesses rótulos produzidos entre 1950 e 1980. Para tanto, descrevemos o contexto da pesquisa e a natureza da amostra, explicamos as etapas realizadas na catalogação e fazemos reflexões acerca da análise de alguns elementos presentes nos rótulos de aguardente.

ANÁLISE DA ESTRUTURA GRÁFICA DE UMA BULA DE MEDICAMENTOS TRANSCRITA PARA O SISTEMA BRAILLE /Artigo Completo
Lopes, Maria Olinda/ UFPR Spinillo, Carla Galvão/ UFPR

Neste se discute o design de uma bula de medicamentos em Braille, direcionada ao usuário cego. Para tanto aplica de forma adaptada o modelo proposto por Van der Waarde (1999) a uma bula de medicamentos transcrita para o Sistema Braille, identificando deficiências na estrutura gráfica da bula. Por fim, busca-se demonstrar que a

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

aplicação do modelo descritivo pode possibilitar o aperfeiçoamento da bula em Braille no que se refere à qualidade de sua estrutura gráfica e informacional.

A IMPORTÂNCIA DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA BUSCA DE CONTEÚDOS CONFIÁVEIS: UM ESTUDO DE CASO /Artigo Resumido
Paschoarelli, Luis Carlos/ UNESP - Bauru Nomiso, Lúcia Satiko/ UNESP - Bauru Henrique, Ferraresso/ UNESP - Bauru Menezes, Marizilda dos Santos/ UNESP - Bauru

A internet é caracterizada por uma rede de conexões (hiperlinks) que possibilita o livre acesso às mais diferentes formas de informação. Por outro lado, grande parte dos usuários manifesta dificuldades na busca de conteúdos confiáveis, o que representa um problema de usabilidade envolvendo a arquitetura da informação. Este estudo objetivou analisar o nível de dificuldade enfrentado por usuários de um site institucional na busca de informações confiáveis. Os resultados apontam que a arquitetura da informação influencia decisivamente na usabilidade da Web.

O PLANEJAMENTO GRÁFICO DO JORNAL GAZETA REGIONAL /Artigo Resumido
Machado Junior, Felipe Stanque/ Universidade Luterana do Brasil Souza, Jonas Tiago Ribas de/ UNIJUÍ

O objetivo geral deste artigo é descrever o desenvolvimento do projeto gráfico do Jornal Gazeta Regional, de Ajuricaba, RS. O projeto iniciou em dezembro de 2006 e foi desenvolvido em onze meses. Fundamentouse em uma pesquisa teórica sobre planejamento gráfico de jornais e tipografia aplicada, ao qual contemplou orientações de pesquisadores na área, seguida de análise dos jornais concorrentes diretos e indiretos. Junto à etapa analítica, avaliaram-se a tipografia e os elementos gráficos na diagramação dos jornais concorrentes. Como resultado da pesquisa e do desenvolvimento, destacam-se as características estéticofuncionais do planejamento gráfico do Jornal Gazeta Regional.

/176

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.06.A/ ST.06.Q

COORDENAÇÃO/ Clice de Toledo Sanjar Mazzilli

ST.06.E
Sala C149 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

A PERCEPÇÃO E O SIMBOLISMO DAS CORES: ATRIBUTOS NA CONSTRUÇÃO DE SIGNIFICADO NO DESIGN DE EMBALAGENS DE ALIMENTOS /Artigo Resumido
Pereira, Carla Patrícia de Araújo/ USP

O design de embalagens tem se pautado pela larga exploração dos recursos visuais proporcionados pelas tecnologias de acabamento, coloração dos materiais e impressão, materializados numa profusão de imagens e cores que carregam forte conteúdo semântico. Por meio de um método de investigação qualitativo, construído com base na análise de conteúdo e na análise semiótica, este trabalho tenciona demonstrar como as características perceptivas e o conteúdo simbólico das cores se articulam aos demais elementos visuais na construção de significado no design de embalagens, tendo como referência a produção atual de embalagens de alimentos comercializados no Brasil.

DESIGN GRÁFICO E FEMINISMO /Artigo Resumido
Neves, Flávia/ Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Como outros movimentos sociais, os grupos feministas têm o design gráfico como importante ferramenta de propagação e defesa de seus ideais. Neste artigo, exploramos dois grupos para ilustrar como a propaganda feminista tem sido apoiada pelo uso de cartazes que permitem a divulgação de suas mensagens para a população em geral.

UM ESTUDO DA DIMENSÃO SEMÂNTICA DO SIGNO “OVO” APLICADA AO DESIGN GRÁFICO: UMA PRÁTICA EM SALA DE AULA /Artigo Completo
Braida, Frederico/ PUC - Rio Nojima, Vera Lúcia/ PUC - Rio

Este artigo apresenta uma metodologia capaz de evidenciar os caracteres icônicos, indiciais e simbólicos do Design. Ele é resultado de uma experiência didática desenvolvida com um grupo de alunos da disciplina Semiótica, do curso de graduação em Design da PUC - Rio. Tal experiência foi levada a cabo após uma pesquisa sobre a dimensão semântica do Design, sobre as relações do Design com o seu objeto de referência. Com essa metodologia, o aluno é convidado a explorar os aspectos icônicos, indiciais e simbólicos de um signo (neste caso, do signo “ovo”) e aplicá-los na elaboração de um projeto de design gráfico.

/177

CADERNO/ DE/ RESUMOS

/

/

/ / / / / / / /

O “ILUSTRADOR” ARLINDO DAIBERT E A RELAÇÃO ENTRE TEXTO E IMAGEM NA OBRA ‘MACUNAÍMA’ /Artigo Completo
Ribeiro, Marcelo Gonçalves/ PUC - Rio

Este artigo propõe uma reflexão acerca do texto e da imagem no campo do design. A partir da ilustração realizada por Arlindo Daibert para a importante obra modernista Macunaíma, de Mário de Andrade, e das proposições de Jacques Derrida sobre desconstrução.

ST.06.F
Sala C233 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /
/178

COORDENAÇÃO/ Cyntia Malaguti de Sousa

DESIGN DE INTERIORES E CONSUMO SUSTENTÁVEL /Artigo Completo
Castro, Gabriela Varanda de/ PUC - Rio Oliveira, Alfredo Jefferson de/ PUC - Rio

Uma visão crítica do papel do design na sociedade inclui também a atitude daqueles que adquirem e usam produtos. Este artigo apresenta resultados de uma pesquisa, que analisa a noção de consumo responsável e suas implicações para a concepção de móveis e objetos decorativos. Como parte da pesquisa, foram entrevistados clientes de duas lojas de design e decoração, no Rio de Janeiro. Essa investigação incluiu uma análise conjunta de atributos e um questionário, aplicado junto aos consumidores. Este artigo sugere ainda que designers podem encorajar hábitos de consumo sustentáveis, criando produtos que carregam uma proposta clara de transformação da sociedade.

DESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: ESTRATéGIAS, MéTODOS E FERRAMENTAS DE DESIGN PARA O SETOR DE MÓVEIS /Artigo Completo
Chaves, Liliane Iten/ Universidade Positivo

O artigo descreve a pesquisa desenvolvida no doutorado de Industrial Design and Multimedial Comunication do Politecnico di Milano. Os resultados são estratégias e ferramentas do design para a sustentabilidade ambiental específicos para o setor de móveis. A escolha deste tema foi motivada pela tendência no design para a sustentabilidade ambiental em criar ferramentas, métodos e estratégias concentrados em um determinado setor, tipo de produto, ou contexto. Quanto mais específicas são, mais facilmente a disciplina pode ser integrada no desenvolvimento de produtos, e mais eficazes são os resultados, porque indicam com maior precisão soluções potencialmente mais sustentáveis em termos ambientais.

SESSÕES/ TÉCNICAS

/

/

ST.06.A/ ST.06.Q

A éTICA E SUA IMPLICAÇÃO NA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E NO DESIGN /Artigo Resumido
Schulte, Neide Köhler/ UDESC

Esta pesquisa investiga as propostas dos teóricos para uma ética ambiental. A partir destas propostas se levanta a implicação da ética ambiental na sustentabilidade ambiental e no design.

DESIGN SUSTENTÁVEL: UMA NOVA PROPOSTA METODOLÓGICA /Artigo Resumido
Otte, Marina/ UNIVALI

Mediante ao atual modelo de desenvolvimento humano, são necessárias estratégias para a criação de produtos mais sustentáveis. Neste sentido, o trabalho estudou a inserção do ecodesign, através de um estudo de caso, com a implementação de um ciclo de verificações. Para chegar-se aos resultados, analisaram-se, de forma crítica, as ações já adotadas de design sustentável e em paralelo com o estudo de caso desenvolveu-se a nova proposta. O ciclo de verificações criado pode ser utilizado a cada fase de elaboração dos produtos e incorpora as metodologias estudadas. Constatou-se a eficiência da proposta metodológica por meio dos resultados obtidos pela indústria.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /

COORDENAÇÃO/ Denise Dantas

ST.06.G
Sala C235 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / /
/179

DIFERENTES PERSPECTIVAS SOBRE OS ESTUDOS DAS EMOÇõES: COMENTÁRIOS DA ERGONOMIA E DA PSICOLOGIA /Artigo Resumido
Meyer, Guilherme Corrêa/ PUC - Rio

Se houve tempo em que os estudos sobre as emoções desenvolviam-se, aparentemente, em campos como a Filosofia e a Psicologia, percebemos que atualmente estes estudos passam a ocupar também a agenda de campos como o Marketing e o Design, entre outros. Este artigo pretende apresentar algumas das perspectivas diante das quais se tem tratado o tema emoção dentro de áreas pré-determinadas. Entre estas áreas destacamos aqui as áreas de Psicologia e a subárea do Design Ergonomia. Este texto fora construído a partir de entrevistas realizadas com pesquisadores de Produtividade em Pesquisa do CNPq da Psicologia e da Ergonomia. O objetivo deste trabalho é identificar os interesses de cada uma destas áreas em se estudar as emoções e, posteriormente, sobrepor pontos comuns e pontos conflitantes na forma como estas áreas têm se ocupado dos estudos sobre as emoções. O trabalho deve servir com ponto de partida para próximos estudos sobre a dimensão emocional no campo do design.

Manuela/ Universidade do Minho Gomes. DESIGN E ARTESANATO: APLICAÇÃO AOS “LENÇOS DE NAMORADOS” /Artigo Completo Neves. procurando compreender como se planeia e se implanta uma intervenção de design no artesanato. Apresenta um panorama do desenvolvimento do conceito de indivíduo na sociedade industrial e pós-industrial e discute suas relações com o consumo e a produção. Denise/ Centro Universitário Senac Este artigo apresenta reflexões acerca do papel do indivíduo como parte central do processo projetual. que alie as tecnologias tradicionais às novas exigências dos mercados contemporâneos. Haroldo Coltri/ UNESP Pinheiro. Mostra o paradoxo existente entre a visão do marketing e do design acerca do tema. inicialmente. O processo de pesquisa foi desenvolvido. Apresenta as relações entre os conceitos de usuário. considerando as vertentes históricas e a evolução do papel do sujeito nesse processo. DESIGN VERSUS ARTESANATO: IDENTIDADES E CONTRASTES /Artigo Completo Eguchi. Cláudia/ Universidade do Minho Pretendeu-se perceber e entender como se pode viver no âmbito da globalização. refazendo as bases culturais. não seria hora de voltar a reconciliá-lo com o artesanato? Não caberia voltar a defender o resgate de conceitos de projeto anteriores ao modernismo? /180 . portanto. CIDADÃO . Propôs-se o desenvolvimento de um produto têxtil. a desenvolver novos produtos têxteis.UMA ABORDAGEM hUMANISTA DO USER-CENTERED.DESIGN /Artigo Resumido Dantas.consumidor-cliente e cidadão a partir de uma visão sociológica do indivíduo. de forma. baseado nos “lenços de namorados”. CONSUMIDOR. Há quem veja o design como herdeiro de um artesanato às vésperas dessa Revolução que já contava com projeto e divisão do trabalho incipientes. CLIENTE. contaria com milênios de história. Supondo o designer herdeiro desta tradição milenar. Menos difundida é a idéia de que não há diferença tão significativa entre design e artesanato e. materiais e imateriais da nossa sociedade. conjugando tradição e modernidade. Olympio José/ UNESP Percebem-se pelo menos três visões distintas sobre a origem do design. quais as ferramentas utilizadas e quais são os nexos entre o design e o artesanato no contexto português.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / USUÁRIO. sendo mais difundida a que situa seu inicio com a Revolução Industrial.

Lucio Costa e Oscar Niemeyer como a construção da forma do móvel foi influenciada pela presença da paisagem e a vegetação tropicais envoltória da casa brasileira. utilizando madeira disponível na propriedade. Com o objetivo de identificá-los. Flavio de Carvalho. EVOLUÇÃO hISTÓRICA DO MOBILIÁRIO NO CONTEXTO RURAL: DO SéC.Rio O design pode ser utilizado de diversas formas. abordando desde as fazendas de café do século XIX até a utilização contemporânea como mobília rústica. buscou-se compreender a gestão do design. Os dados primários foram coletados através da aplicação de questionários na indústria brasileira de eletrodomésticos e.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. já que o fazendeiro não vive mais no campo. considerando modos específicos das empresas gerenciarem seus recursos organizacionais.06.A/ ST.Rio Ferreira. Retira de desenhos e palestras de Le Corbusier e Frank Lloyd Wright realizadas no Brasil. repleta de adornos e produção artesanal exclusiva.06. XIX à ATUALIDADE /Artigo Resumido Torres. DESIGN DO MOBILIÁRIO MODERNO BRASILEIRO: ASPECTOS DA FORMA E SUA RELAÇÃO COM A PAISAGEM /Artigo Resumido Melo. A arquitetura cafeeira se caracteriza pela influência européia. nas primeiras peças e desenhos de obras de Gregori Warchavchik. Alexandre Penedo Barbosa de/ USP Este trabalho apresenta uma leitura visual sobre a história do móvel moderno no Brasil e sua relação com a natureza tropical.Q ST. permitindo elaborar um panorama do setor quanto à adoção do design. foram realizados os testes estatísticos. rústico e de baixo custo. atuando como uma estratégia para tornar as empresas mais competitivas ou. Identifica. Pablo Marcel de Arruda/ UFCG O objetivo deste trabalho é analisar o mobiliário como elemento da arquitetura rural. apenas.h COORDENAÇÃO/ Paula da Cruz Landim DESIGN E FORMAÇÃO DE GRUPOS ESTRATéGICOS NA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ELETRODOMéSTICOS /Artigo Completo Moraes.06. cujos resultados indicaram a convergência entre teoria e prática. como um acabamento estético. com as respostas de 67 empresas. No século XX. bem como de outros Sala C237 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /181 . a arquitetura rural sofre uma transformação e os móveis passam a ser mais simples e funcionais. Hoje em dia. evidenciando a existência de diferentes grupos estratégicos. a mobília rural se caracteriza por um visual simples. Márcia Bergmann/ PUC . Jorge/ PUC .

cujas qualidades repercutem sobre a forma do móvel. Um dos focos do trabalho é a discussão sobre o papel do principal designer – José Zanine Caldas – e o desdobramento formal da técnica do compensado de madeira recortado. uma espécie nativa característica da região sul. um mapa da evolução do mobiliário da fábrica e a coleção de cada móvel pesquisado. lojistas e profissionais da área moveleira de todo o país. Os resultados positivos deste trabalho visam contribuir para que a espécie (Mimosa scabrella) tenha um fim comercial nobre. criada por Sérgio Rodrigues. representantes. A IMPORTÂNCIA DA ACEITAÇÃO DE MERCADO NO USO DA ESPéCIE MIMOSA SCABRELLA BENThAM NO MOBILIÁRIO /Artigo Resumido Zamarian. Completa esse conjunto o acervo de publicidades. durante a feira de móveis e decoração ABIMAD. atentando-se em reproduzir a iconografia. MÓVEIS ARTÍSTICOS Z (1948-1961) /Artigo Resumido Melo. Esoline/ UFPR | Albuquerque. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /182 . oferecendo melhores oportunidades de desenvolvimento da comunidade rural ao mesmo tempo em que o seu cultivo oferece condições de recuperações ambientais frentes às espécies de reflorestamento empregadas atualmente no mobiliário. produzida em bracatinga por fabricantes. O método de pesquisa consistiu na avaliação da poltrona Kilin. Carlos/ UFPR O objetivo deste trabalho é avaliar a aceitação de mercado da madeira de bracatinga. incrementando a oferta de matérias-primas do setor. O trabalho lança também idéias sobre o ato projetivo e a ansiedade coletiva que orbitavam o cenário do móvel moderno no Brasil. para o uso no design de móveis.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / eventos locais. as condicionantes impostas pela paisagem carioca e sua influência sobre o espaço construído. grande parte pertencente ao acervo do fotógrafo Hans Gunter Flieg. nos anos 50. Alexandre Penedo Barbosa de/ USP Este trabalho apresenta todo o histórico da fábrica “Móveis Artísticos Z” entre 1848 e 1961.

compreendendo a produção de objetos e estruturas. A EXPERIMENTAÇÃO EM JOGO: DO PROJETO à REPRESENTAÇÃO /Artigo Resumido Nascimento.Giorgio/ Centro Universitário SENAC e USP Este artigo é fruto de pesquisa que vem sendo desenvolvida no Centro Universitário SENAC sobre o estudo e aplicação de procedimentos que envolvem a experimentação. Isaura da Cunha/ Centro Universitário SENAC Giorgi . Fabrizio Augusto/ Centro Universitário SENAC O presente texto inicia um processo que visa (re)pensar o modo de produção do design contemporâneo em virtude do advento dos aparelhos digitais atualmente disponíveis para a produção de linguagens híbridas. Regina Cunha/ Centro Universitário Senac Este artigo examina o Design como pensamento fértil para a exploração de interfaces entre as linguagens da arte e os aspectos de nosso mundo contemporâneo.06. Para tal tarefa. e intervenções no espaço. investigando-a dentro de processos criativos de diversas naturezas. campo em que se encontra o design.06. Myrna de Arruda/ Centro Universitário SENAC e Universidade Paulista Seppi. especialmente as linguagens com grandes componentes imagéticos. DESIGN. O estudo é subsidiado por pressupostos da semiótica e da produção de significado que se processa a partir das relações estabelecidas entre projeto-objeto-espaço-corpo. parte-se da idéia de imagem técnica desenvolvida pelo filósofo tcheco brasileiro Vilém Flusser. Analisa as artes performáticas correlacionando-as à noção de hipertextualidade e às idéias sobre o desenho que nossas .A/ ST. Moreira da/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Wilke. PERFORMANCE E hIPERTEXTO: DESENhANDO PENSAMENTOS EM PROCESSOS DE INTERFACES /Artigo Completo Silva. a concepção de produtos e artefatos.Q COORDENAÇÃO/ Regina Cunha Wilke ST. José Maurício C.06. É neste diálogo entre técnica e filosofia que se concentra o trabalho.I Sala C239 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /183 A PRODUÇÃO DE DESIGN E SUAS RELAÇõES COM AS IMAGENS TéCNICAS /Artigo Completo Poltronieri.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. A obra de Flusser apresenta reflexões importantes a serem consideradas na busca de legibilidade ao momento pós-industrial em que se encontra grande parte da produção simbólica humana. além da interação que os próprios criadores estabelecem com seus processos criativos em elaboração.

confrontamos o design com as problemáticas decorrentes do processo industrial que já dá sinais das conseqüências de sua hipertrofia./Hexagon Design Ltda A crescente valorização do produto artesanal. ST. de/ UFPE Consumir é uma atividade bastante comum e banal na vida das pessoas e essa atividade estão relacionados aspectos diversos como individualismo. Objetiva-se também relacionar o valor simbólico das práticas de consumo e a idéia de individualismo que tais práticas incitam no consumidor. identificando seus estratos emergentes. O DESIGN CONTEMPORÂNEO E OS PROBLEMAS ORIGINADOS DO PROCESSO INDUSTRIAL /Artigo Resumido Parode. O DESIGN E A PRODUÇÃO ARTESANAL NA PÓS-MODERNIDADE /Artigo Resumido Freitas. Ana Luiza Cerqueira/ UEMG Costa. A seguir.J Sala C241 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / /184 COORDENAÇÃO/ Carlos Tadeu Siepierski INDIVIDUALISMO E VALOR SIMBÓLICO: UMA ANÁLISE PRELIMINAR SOBRE O CONSUMO /Artigo Resumido Oliveira. suas dimensões. Dessa identificação pretende-se buscar as tendências relevantes aos profissionais do design. status. S. valor simbólico. suas relações não-lineares com as operações imaginativo-criativas.06. É preciso acreditar em uma forma de organização social. entre outros.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / ações constroem no tempo/espaço. desejo de sobrepujar o próximo. questionando o objeto de design. Andreia/ Centro Universitário UNA Menezes. Objetiva-se fazer uma análise da aquisição de bens: os fatores que nos levam a utilizar as mais diversas classes de produtos. como possibilidade de atender a uma necessidade de definir fronteiras de identidades e estabelecer padrões que caracterizam cada território é uma evidência do mercado. busca-se o desvelamento desse estado da cultura e da sociedade contemporânea. abordar o design na sua dimensão ontológica. Argumenta que o Design é um pensamento que discute o corpo. Tatalina C. R. onde . Fabio Pezzi / Université de Paris 1 – Panthéon | Sorbonne No escopo desse artigo pretende-se primeiramente. Marlette A.

e de outro. sobre as idéias contemporâneas de Gilles Lipovetsky que apontam para a moda como um vetor de autonomia dos indivíduos. ao longo dos últimos anos. também.A/ ST. MODA: MASSIFICAÇÃO E INDIVIDUALIZAÇÃO /Artigo Completo Kosminsky. Dorys/ SENAI-CETIQT Este trabalho discute as possibilidades de massificação e individualização geradas a partir da moda. fundamentalmente. O desafio reside. sobre os fundamentos da crítica da indústria cultural. segundo.06. e o design capaz de unir a demanda da arte ao mercado. A GESTÃO DA DIFERENCIAÇÃO DO PRODUTO DE MODA /Artigo Completo Rybalowski. O artigo defende que. Tatiana Messer/ PUC-Rio Magalhães. a idéia de massificação na moda encontra resistência nos novos valores estéticos da pós-modernidade e. A moldura teórica foi construída. com ênfase na intervenção do design no artesanato. de um lado.06.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Glaucinei Rodrigues/ Escola de Design – UEMG O Programa de Artesanato no Acre vem. que considera a perda da capacidade crítica a partir da massificação dos valores culturais. Claudio Freitas de/ PUC-Rio A grande oferta de produtos de moda não necessariamente se traduz em muitas opções de escolha: o cenário que se apresenta é de pouco ineditismo e falta de soluções identificadoras através do produto em si. Doris/ Design/ SENAI-CETIQT Hansen. onde a identidade se particularize na experiência do ser humano no movimento da cultura. mudando o cenário do artesanato acreano e brasileiro.k Sala C242 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / /185 ACRE: ARTESANATO E DESIGN /Artigo Completo Corrêa. a metodologia empregada para o desenvolvimento das atividades no programa.06. apesar da influência da mídia. em encontrar maneiras de se destacar e permanecer sendo competitivo.Q o valor do indivíduo predomine. na individualidade do corpo do usuário. Este artigo trata de três aspectos relacionados a essa temática: primeiro. o estudo de caso de um dos artesãos atendidos pelo projeto que tem se tornado . Através da gestão de produtos diferenciados de moda encontra-se uma forma de reinventar produtos e processos organizacionais capazes de incorporar as inovações necessárias para a contínua existência de diferenciais. então. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Maria Eduarda Araujo Guimarães ST.

os resultados do Programa alcançados nos últimos dois anos. e terceiro. ou seja. Naissa Zeh Frossard de/ SENAI O programa IDI-M é baseado na disseminação da prática do design junto às indústrias do Pólo Moveleiro de Contagem. utilizando para isto compósitos de madeira. FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO SUSTENTÁVEL E O USO DE COMPÓSITOS DE MADEIRA /Artigo Resumido Veroneze. assim como o valor que estes móveis atingirão após fabricados. Maíra Paiva/ SENAI . O trabalho incluiu temas como a sustentabilidade. EXPERIMENTOS COM TETOS VERDES /Artigo Resumido Paes Leme. Glaucinei Rodrigues/ UEMG Assis. a responsabilidade social.Rio Oliveira. Região Metropolitana de Belo Horizonte. gás responsável por boa parte das alterações climáticas que nos afetam.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /186 referência no Acre e em todo o Brasil. a redução de resíduos.Serviço Nacional de aprendizagem Industrial Nascimento. INSERÇÃO DO DESIGN INDUSTRIAL EM EMPRESAS DO SETOR MOVELEIRO: RESULTADOS DO PROGRAMA IDI-M /Artigo Completo Pereira. Além disto. a conscientização dos funcionários e a responsabilidade educacional. demonstrar a importância de programas de inserção do design./ UFPR O presente artigo apresenta o desenvolvimento de mobiliário de forma sustentável. Este desenvolvimento se apóia em conhecimentos e pesquisas de resíduos de madeira e novas técnicas de trabalhar com este material. por ter se destacado por sua iniciativa pioneira voltada para a aplicação da visão sistêmica de design nas micro e pequenas empresas. tendo o design de produtos como ferramenta de condução dessas novas lógicas dentro do sistema. tornando estas próprias cidades. Fernando Betim/ PUC . Cristina Abijaode/ UEMG Corrêa. constituídas de superfícies impermeáveis. a classe social que será o público-alvo. um lugar inóspito. Este artigo tem como objetivo. Desenvolver mobiliário de forma sustentável envolve ter conhecimento dos materiais que serão utilizados para este desenvolvimento e que sejam de menor impacto ambiental. Apresentamos aqui experimentos e . Alfredo Jefferson de/ UFRJ As cidades que habitamos são grandes emissoras de CO2. é necessário analisar os aspectos econômicos e sociais em que estes produtos serão adequados. Sônia Mª A. por meio deste projeto.

ainda mais quando tratamos de populações extremas como o caso dos idosos. Daniel Quintana/ UFSM Esta pesquisa apresenta a proposta de um dispositivo programável de movimento passivo contínuo fazendo uso da tecnologia de máquinas de comando numérico. A evolução das mídias projetuais vem exigindo a aplicação de modelos humanos tridimensionais no desenvolvimento de projetos.06.Bauru Paschoarelli.L Sala C243 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /187 EXPERIÊNCIAS TRIDIMENSIONAIS COM MANEQUINS ANTROPOMéTRICOS DA TERCEIRA IDADE /Artigo Completo Spinosa. José Carlos Plácido/ UNESP . Estas coberturas vegetais atuam de modo a seqüestrar parte destas emissões. seguidos por pesquisa de campo junto a profissionais especializados em lesões nos membros inferiores. Porém apesar de expressivas.06. poucas são as referências antropométricas tridimensionais criadas com dados exclusivamente brasileiros.06. Tentando.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. O presente trabalho demonstra um processo experimental de tridimensionalização de manequins antropométricos utilizando dados de pesquisas nacionais com o público da terceira idade.A/ ST. Rodrigo Martins de Oliveira/ UNESP .Bauru Silva. este trabalho apresenta metodologia composta por uma revisão de literatura contemplando questões sobre fundamentos tecnológicos. bem como a aplicação da mesma. no entanto. Os resultados apresentados destacam . Luis Carlos/ UNESP . estas informações normalmente são disponibilizadas apenas em formatos bidimensionais. O artigo ressalta técnicas simples de confecção destas coberturas apoiadas em recursos e aquisição de materiais disponíveis. Além de destacar motivações referentes ao tema de pesquisa.Bauru Parâmetros antropométricos são dados importantes para o correto dimensionamento da interface tecnológica.Q realizações que buscam minimizar estes efeitos a partir da utilização de tetos verdes. além de reduzir o calor refletido ao manter boa parte da umidade ambiente em suas superfícies regulando os fluxos pluviais alterados por períodos chuvosos. / / / / / / COORDENAÇÃO/ José Carlos Plácido da SIlva ST. fisioterapêuticos e projetuais. DISPOSITIVO PROGRAMÁVEL DE MOVIMENTO PASSIVO CONTÍNUO: A ERGONOMIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DA FISIOTERAPIA /Artigo Completo Sperb. desta forma iniciar o processo de adequação destas referências teóricas ao atual contexto tecnológico.

Sérgio Henrique Prado/ PPGDI . que são encontradas nos websites de . Clarisse/ FURB Esta pesquisa pretende levantar. para a satisfação dos usuários. fornecendo inúmeras possibilidades de programação por parte do usuário. Raquel de Oliveira/ UNOPAR Scolari. através de estudos de casos a adequação ergonômica de cadeiras usadas em escritórios. para o bom desempenho das tarefas e o conseqüente aumento da produtividade. Como parte da metodologia buscaram-se informações através da análise e interpretação de dados proposta por Moraes & Mont’Alvão. Kátia Virgínia/FURB Odebrecht. considerando o estudo de caso de um posto de trabalho. além de estudos sobre analogias de sistemas. A interpretação dos resultados deve gerar um diagnóstico das situações estudadas e sugerir recomendações de intervenções que evitem distúrbios osteomusculares oriundos de longos períodos sentados e contribuam para a melhoria das condições de trabalho. INTERVENÇÃO ERGONOMIZADORA PARA SISTEMA DE ASSENTO DO TATUADOR /Artigo Resumido Seixas. Daniele Vieira/ UFAM Mota.06.FAAC-UNESP Figueiró. Sheila Cordeiro/ UFAM Este projeto teve como objetivo desenvolver um assento destinado a profissionais tatuadores. priorizando o funcionamento do sistema proposto em função das especificidades de movimentos e variações do tatuador. ergonomia e lesões ocasionadas pela má postura. ADEQUAÇÃO ERGONÔMICA DAS CADEIRAS USADAS EM POSTOS DE TRABALhO DE ESCRITÓRIOS /Artigo Resumido Cañellas. Beatriz/ UNOPAR A rotulagem de produtos envolve a utilização de elementos textuais e não textuais. fez-se uso de pesquisas sobre tipos de assentos.M Sala C244 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / /188 COORDENAÇÃO/ Gisela Belluzzo de Campos MOILE: FERRAMENTA DE AUXÍLIO NA BUSCA DE ELEMENTOS TEXTUAIS PARA EMBALAGENS DE BEBIDAS E ALIMENTOS PRéMEDIDOS /Artigo Completo Bugliani. Como resultado obteve-se a identificação tanto dos principais problemas. Para tanto. ST. Para a construção dos elementos textuais existem diretrizes determinadas por normativas.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / a aplicação de tecnologia de comando numérico fazendo com que o modelo funcional proposto opere de maneira flexível.

CARTAZES E A CRÍTICA DA INTERNACIONAL SITUACIONISTA /Artigo Completo Fukushima. tanto do design como de áreas correlatas. de texto contínuo. dificulta o resgate de dados por parte dos designers. Kando/ UTFPR Merkle. que postulam a necessidade de um viés crítico amplo. Neste sentido. é crucial em projetos em design. explora a contribuição de alguns conceitos desenvolvidos pela Internacional Situacionista para a análise de cartazes de veio contestatório. Porém. Busca-se aqui. QUESTõES PARA O DESIGN GRÁFICO PÓS-MODERNO /Artigo Resumido Cardoso.06.Q órgãos de controle. aspectos do cotidiano envolvidos na dinâmica de sua produção assim como outras características relacionadas ao uso desses projetos. NECESSIDADE E INTERPRETAÇÃO. e seu formato. levantar questões sobre os conceitos “necessidade” e “interpretação” (em Tony Fry e Vilem Flusser. ao abordar os diversos aspectos envolvidos na fabricação e comercialização dos produtos. respectivamente) que possam contribuir para o estudo do design pós-moderno.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Com este intuito.06. e propõe como alternativa. Autores como David Carson e Neville Brody assumem certa autoridade neste contexto. Em seguida.A/ ST. Uma vez que a funcionalidade. seu conteúdo. Tarcisio/ PUC . / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /189 . destacando alguns autores. que visa satisfazer necessidades previamente estabelecidas. Luiz Ernesto/ UTFPR O presente artigo apresenta uma abordagem que leva a considerar na análise de projetos gráficos. uma ferramenta de auxílio. mas essencialmente pela suposta complexidade dos processos interpretativos. de crítica social. o presente artigo apresenta uma pesquisa que explora as dificuldades atuais de busca e construção dos elementos textuais para embalagem de bebidas e alimentos pré-medidos. inicialmente reflete sobre a extensão da teorização nas pesquisas em design.São Paulo A excentricidade de alguns exemplares do design gráfico contemporâneo ao mesmo tempo afasta e aproxima obra e receptor. eco da experiência pós-moderna. não apenas pelo caráter profuso de suas linguagens. o problema da “necessidade” ocupa posição relevante.

Gabriela Botelho/ UDESC Esta pesquisa propõe um resgate aos ex libris. Fábio Ferreira da Costa/ UFPE Neves. inicialmente. com pouca pesquisa e divulgação e. Assim. Nesse contexto. Foram comparados os dados gerados por grupos de controle e grupos que fizeram uso da técnica de criatividade. Os ex libris encontram-se obsoletos. Este artigo propõe uma estrutura de análise dos elementos presentes nos jogos eletrônicos informatizados educacionais como sendo uma multimídia como qualquer outra. nesse estudo. encontra-se indícios de uma maior quantidade e qualidade de geração de idéias com o uso da técnica de Brainwriting. desde seu surgimento no século XVIII até os dias atuais.N Sala C245 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /190 COORDENAÇÃO/ Roger Tavares GERAÇÃO DE IDéIAS PARA JOGOS DIGITAIS: VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DE TéCNICA DE CRIATIVIDADE /Artigo Resumido Melo./ UFPR Tendo em vista que os jogos eletrônicos informatizados podem estar dentro da classificação multimídia. ELEMENTOS DE ANÁLISE DE JOGOS ELETRÔNICOS INFORMATIZADOS BASEADOS EM ESTRUTURAS MULTIMÍDIAS EDUCACIONAIS /Artigo Resumido Dubiela. a pesquisa e o desenvolvimento dos ex libris. o comportamento da qualidade e quantidade de idéias para games geradas com uso e sem o uso de técnica de criatividade.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / EX LIBRIS: RESGATANDO MARCAS BIBLIOGRÁFICAS NO BRASIL /Artigo Resumido Isaia. a pesquisa reúne informações a fim de construir o panorama dos ex libris no Brasil. apresentados como marcas bibliográficas utilizadas para registrar e identificar os livros de uma biblioteca. André L. Rafael P/ UFPR Battaiola. que o uso de técnicas de criatividade. André Menezes das/ UFPE Da observação da quase total ausência do uso de técnicas de criatividade em empresas de jogos digitais. as gerações atuais não o conhecem. por isso. . se mostra mais eficiente em relação aos resultados obtidos no grupo de controle. Eliana Virgínia Vieira de/UFPE Campos. permeando o design gráfico como campo do conhecimento capaz de abranger as manifestações.06. eles também podem possuir estruturas educacionais similares e serem avaliados da mesma maneira. Como resultado. Gisele Pottker/ UDESC Mager. esse texto transcorre na tentativa de indicar. concluise. ST.

06.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. dificultando o processo de avaliação educacional. Regina Maria Alves/ Universidade Anhembi Morumbi Através da análise de um desfile da São Paulo Fashion Week. verificamos sua funcionalidade em formas narrativas anteriores e propomos um repertório de abordagens metodológicas aplicadas ao contexto dos games. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Daniela Kutschat Hanns ST. Este artigo apresenta uma proposta de mudança de paradigma.Q NARRATOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS /Artigo Completo Falcão. adequando os princípios de design estabelecidos para jogos comerciais ao processo educacional. traçamos paralelos entre a arte e a moda e design. os aspectos lúdicos tendem a ficar no mesmo nível de relevância dos conteúdos pedagógicos. Aproveitamos a oportunidade para analisar o desfile do estilista Jum Nakao.06. Por fim. apresentamos caminhos para estudos mais aprofundados e possibilidades de aplicação prática dentro da própria indústria. MOTIVAÇÃO E LUDICIDADE: UMA POSSÍVEL ABORDAGEM PARA O DESIGN DE JOGOS EDUCACIONAIS /Artigo Completo Battaiola. para pensar sobre design e arte no contexto contemporâneo. Leo/ UFPE Neves. André Luiz/ UFPR Martins. Michelle Pereira de/ UFPR Desenvolvedores de jogos educacionais costumam dar grande atenção ao aspecto lúdico. Esse desfile permite pensamentos amplos sobre esses temas porque abre oportunidades de reflexão.A/ ST. Flávio Eduardo/ UFPR Aguiar. Iniciando com uma crítica ao estado da arte. visto que esse justamente. Dessa forma.O Sala C247 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / /191 QUANDO A ARTE ESTÁ PRESENTE NA MODA: UM OLhAR SOBRE O DESFILE DA COSTURA DO INVISÍVEL /Artigo Resumido Dias. constata que a academia está apenas começando estudos específicos sobre o assunto. Aqui adotamos a narratologia como base epistemológica. .06. Isto porque muitas vezes essas relações são muito estreitas e se confundem. André Marques/ UFPE A pesquisa descrita neste artigo procura lançar as bases teóricas para uma metodologia de concepção e avaliação dos aspectos narrativos dos games. atribuindo maior relevância ao aspecto motivacional do que ao aspecto lúdico no design de jogos educacionais a fim de compatibilizar os princípios de design de jogos comerciais aos princípios pedagógicos do construtivismo. intitulado: A Costura do Invisível.

não está permitindo o desenvolvimento de soluções inovadoras o que acaba prejudicando a compreensão das próprias raízes subjetivas do design. observar são termos que precisam ser definidos e compreendidos não só semanticamente. Este trabalho consistiu no entendimento da linguagem teatral./ Universidad Autônoma de Barcelona Este trabalho tem como objetivo discutir a divulgação e comercialização de produtos de moda através de sites de compartilhamento de imagens. Especificamente. perceber. EXPERIMENTAÇõES E EXECUÇÃO. nas suas formas específicas e principalmente no estudo de suas dimensões: o homem e o espaço. mas para entender que somente tendo como base esta subjetividade é possível conceituar idéias criativas de um objeto dentro de um método projetual. coreográfica e de figurino proposta pelo artista e na experimentação de materiais e processos para o desenvolvimento do Ballet. Este artista tinha uma pesquisa gráfica e pictórica concentrada principalmente no corpo humano. Costurar o invisível é abrir a oportunidade de analisar o que não vemos. Luis Emiliano Costa/ Centro Universitário Belas Artes A observação é uma das ferramentas essenciais dentro da metodologia de projeto de design que permite o desenvolvimento de uma capacidade criativa bem fundamentada no cotidiano do usuário final. desenvolvido no TEATRO DA BAUHAUS. REFLEXõES E REGISTROS DO PERCURSO DE UMA RECONSTITUIÇÃO /Artigo Completo Boccara.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /192 foi o intuito do conceito do estilista. os resultados do projeto de pesquisa e o processo de elaboração da reconstituição do Ballet Triádico. performática. UFPE Waechter. Agda Regina de/ Centro Universitário Senac. focando o Flickr como objeto de estudo. Olhar. A DISSEMINAÇÃO DO PRODUTO DE MODA NA INTERNET /Artigo Completo Rocha.COM. por Oskar Schlemmer. FLICkR. Ernesto Giovanni/ Centro Universitário Senac. L. Nara O. mas que existe na imensidão do processo criativo. Observa-se que a falta de percepção desta condição humana – o ato poético. . pretende-se analisar de que modo designers e produtores de moda utilizam este . BALLET TRIÁDICO DA BAUhAUS: PESQUISA. os registros documentais do percurso. Centro Universitário Belas Artes de São Paulo O texto apresenta as reflexões. Hans da N. Unicamp/ FAAP Carvalho. UMA VISÃO POéTICA DO DESIGN /Artigo Resumido Avendaño.

FAAC/UNESP A nomenclatura desta vasta área de atuação ainda é uma questão . a relação entre o homem e a máquina.FAAC/UNESP Silva. observar como a internet está se configurando como ferramenta de disseminação de tendências e produtos de moda. mesmo que concisamente. e da Lei n° 10. por exemplo. O pensador francês Gilbert Simondon foi um dos responsáveis por esse redirecionamento. cujas idéias vêm ganhando visibilidade no cenário filosófico. apresentar e inserir suas teorias no universo do design. A partir da Lei nº 9. buscando contribuir com o espírito de revisão e de reavaliação em curso neste campo de atividade. Filipe/ Universidade Estadual do Rio de Janeiro Campos. Assim também.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. DESENhO INDUSTRIAL E SUAS DERIVAÇõES: ENTENDO O SISTEMA /Artigo Resumido Spinosa. Este ensaio se propõe.P Sala C254 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /193 SINAES – CONSIDERAÇõES SOBRE O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM DESENhO INDUSTRIAL / DESIGN /Artigo Completo Cerqueira.A/ ST.06.Q ambiente como vitrina para expor e comercializar seus produtos. Rodrigo Martins de Oliveira/ PPGDI . José Carlos Plácido/ Professor Titular/ PPGDI . Como resultado sugere-se algumas reflexões sobre a constituição dos cursos de graduação. em relação ao seu projeto didático-pedagógico. mas também um importante espaço de mediação.394. que dispõe sobre as Diretrizes da Educação Brasileira – LDB.06. OS CONCEITOS DE GILBERT SIMONDON COMO FUNDAMENTOS DO DESIGN /Artigo Completo Chagas. principalmente. / / / COORDENAÇÃO/ Vicente Cerqueira ST.861 que instituiu o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) foi possível estabelecer e verificar níveis de qualidade dos cursos de graduação. DESIGN. numa sociologia da inovação que não vê na técnica apenas um instrumento a serviço de interesses ideológicos. Vicente/ Universidade Federal do Rio de Janeiro A avaliação didático-pedagógica é um capítulo de grande importância nos processos de ensino-aprendizagem em qualquer nível da educação acadêmica.06. constituindo um panorama institucional dos cursos de Desenho Industrial/Design. Jorge Lúcio de/ Universidade Federal do Rio de Janeiro Novas problemáticas apontam a filosofia para novas direções: o de redefinir. O objetivo deste trabalho é analisar perfis educacionais.

BRINCAR COM SENTIDO E NÃO-SENTIDO: JOGOS DE LINGUAGEM E PARADOXOS SEMÂNTICOS /Artigo Completo Stolf.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / discutível e que causa divergências entre estudantes. de Lewis Carroll.06. /194 . Seu objetivo é desenvolver o conceito de criação a partir de qualquer objeto. na tentativa de buscar uma aproximação mais clara do “inocente sem-sentido”. Rodrigo Golçalves dos/ CEFET/SC O presente artigo aborda a fundamentação teórica para o projeto de pesquisa desenvolvido pelo grupo PET Design CEFET/SC sobre design de brinquedos. A fim de compreender o pensamento da criança. que fará a criança descobrir como é gostoso brincar com a imaginação. Henrique Barone/ UNESP Ferreira. foi objeto específico para estudo do non-sense infantil. Fernanda Ribeiro/ UNESP Amantini. ST. Dessa forma. vinculando-os ao pensamento infantil. com modelos excessivamente figurativos e fechados em si mesmos. a utilização do processo de design para solução de problemas específicos. por meio de referências da literatura e da filosofia. Lurdete Cadorin/ CEFET/SC Santos. o livro também se configura em um instrumento educativo. tentando elucidar algumas dúvidas e demonstrar que independente da denominação o desenho industrial ou design e suas novas derivações fazem parte de um sistema de fluxo de informações onde a tônica central é a mesma. O estudo discorre sobre a questão do non-sense com o objetivo de explorar os jogos de linguagem e os paradoxos semânticos. de forma que um brinquedo possa ser qualquer coisa. o ícone “Alice no País das Maravilhas”. entre outros exemplos.Q Sala C256 11/10/08 Sábado 11h00/12h30 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Celia Maria Escanfella RECRIANDO: DESIGN DO LIVRO LÚDICO EDUCACIONAL QUE VISA à CRIAÇÃO A PARTIR DE QUALQUER OBJETO E A MISTURA DE MUNDOS /Artigo Completo Andrade. O livro é um parque de diversões não-convencional e experimental. O presente trabalho expõe tópicos. RECRIANDO é um livro lúdico infantil que foi desenvolvido no Curso de Design da UNESP de Bauru. Anna Paula/ CEFET/SC Biava. profissionais e críticos. Susy/ UNESP Os brinquedos infantis caracterizam-se atualmente por configurações superficiais.

gerando um menor impacto ambiental negativo. Rodrigo Golçalves dos/ CEFET/SC Proposto pela equipe do Programa de Educação Tutorial (PET) de Design do CEFET/SC. Anna Paula/ CEFET/SC Biava. apresenta-se a criação de um protótipo de produto que. Partindo da revisão bibliográfica e documental. justapõe materiais nobres a materiais de menor valor comercial e/ ou reutilizados e permite a separação dos elementos/materiais constituintes. ecodesign e materiais para o design de jóias. contempla diversas funções na ornamentação corporal. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /195 . Temas referentes ao instinto da linguagem e à educação infantil. este artigo fundamenta um projeto de brinquedos que prioriza estimular o desenvolvimento da linguagem infantil de forma criativa.06. Gaudencio Francisco Flores/ Argenteria e Ourivesaria Gaudencio Orso Este estudo investiga a convergência de funções num mesmo produto e o uso de materiais não tradicionais em joalheria artesanal. pois é a partir disso que os pequenos ampliam suas experiências e são inseridos no meio social. Luiz Marcelo/ UFRGS Gonçalves. através do desenvolvimento de um elemento de junção. abordando a questão das palavras.Q ESTUDO DO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA PARA AUXÍLIO NO DESIGN DE BRINQUEDOS /Artigo Resumido Stolf. com alto valor agregado. Lurdete Cadorin/ CEFET/SC Santos.A/ ST. buscando definir conceitos atuais em joalheria artesanal. das falas e das atitudes da criança em meio à sociedade. como alternativas no desenvolvimento de produtos exclusivos. ECODESIGN APLICADO AO DESIGN DE JÓIAS /Artigo Resumido Straliotto. bem como ao estudo do processo de desenvolvimento da mente da criança com seus brinquedos e brincadeiras. são aspectos relevantes para esse projeto.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.06.

MULTIWEAVE: NEW WEAVING TEChNOLOGy OF A MULTIAXIAL STRUCTURE FOR TEChNICAL APPLICATIONS /Artigo Completo Lima. Frente a tal situação.A Auditório 01 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /196 COORDENAÇÃO/ Daniela Kutschat Hanns IMAGEM E ESTILO: ASPECTOS INTERFERENTES NA RELAÇÃO hOMEM . Strength in several directions . no Projeto Sabiá (UEMG) e seu acervo documental referente aos veículos produzidos em suas seis edições. juntamente com as crescentes demandas por novos materiais cada vez mais eficientes.07. Germany Rocha. como estudo de caso.A/ Portugal Technical textiles are products for applications where technical performance is the more important specification. têm gerado necessidades de conhecimentos interdisciplinares.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. S. Raul/ University of Minho Costa. verificou-se uma oportunidade para o desenvolvimento deste trabalho. caracterização e diferentes possibilidades de aplicação. Christian/ Institut für Textiltechnik der RWTH Aachen (ITA)/ Aachen. Alessandro Ferreira/ UEMG Comunicação de trabalho em estudos da imagem baseado na análise e referência de possíveis relações entre estilo e recepção no contexto do design de veículos de competição. pois o estudo de espumas metálicas tornou-se atrativo para pesquisadores interessados em aplicações tanto científicas quanto industriais no setor automotivo e para tanto precisa-se pesquisar e compreender melhor seu processo de fabricação. António/ P & Maia Lda. Instituto Agilus de Inovação em Tecnologia de Informação. baseando-nos. Branca Freitas/ UFRGS O desenvolvimento tecnológico. de profissionais cada vez mais capacitados. such as in the case of composite materials or protective clothing.AUTOMÓVEIS DE COMPETIÇÃO /Artigo Resumido Costa. Eduardo/ UFRGS Oliveira. Válter/ IAITI. com novos materiais e processos fabris. Portugal Rosiepen. bem como. CARACTERIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE METAIS CELULARES E ESPUMAS METÁLICAS NO DESIGN AUTOMOTIVO /Artigo Resumido Cardoso. Guimarães. considerando-se aspectos objetivos e subjetivos associados simultaneamente ao projeto conceitual elaborado pelo profissional de design e a leitura do produto por parte do público/usuário. Mário/ University of Minho Fangueiro.

Leiliam Cruz/ UFCG O artigo argumenta que o desenho industrial pode contribuir para a melhoria da agricultura familiar. Em termos de conhecimentos relacionados à pesquisa em deficiência visual. MINISTRADO PELO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT /Artigo Completo Lucena. o Instituto Benjamin Constant (IBC). Nesta perspectiva. O PAPEL DO DESENhO INDUSTRIAL NA AGRICULTURA FAMILIAR: O CASO DO ASSENTAMENTO RURAL DE PILõES-PB /Artigo Completo Guimarães. Claudia Renata/ PUC-Rio O E-learning atua como poderosa ferramenta de disseminação de conhecimento. desta forma. O uso da metodologia da pesquisa-ação no estudo em foco proporcionou a obtenção de resultados estimulantes na direção da prática de um desenho industrial mais participativo. é considerado referência nacional no Brasil. Luiz Eduardo Cid/ UFCG Dantas. localizado no Rio de Janeiro. a empresa EduWeb . no município de PilõesParaíba. aircraft fuselages. This work reports the investigation of a multiaxial 2D woven structure able to provide specified strengths in four different directions and the development of the respective manufacturing process.07. esse artigo descreve o trabalho em andamento. weft yarns and bias yarns.07. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Edson Pfutzenreuter ST. such as car components.B Auditório 02 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / /197 AVALIAÇÃO DE USABILIDADE SOBRE PROTÓTIPO DA VERSÃO ACESSÍVEL ONLINE DO CURSO PRESENCIAL “ESTIMULAÇÃO VISUAL PRECOCE”. the multiaxial fabric structure. a pesquisa estabeleceu uma interação entre os desenhistas industriais e os pequenos agricultores no sentido de descobrir e buscar soluções para os problemas inovativos locais relacionados a equipamentos agrícolas. boat hulls. etc. The main objectives and results of this research were: 1. the resulting product.07. conduzido em parceria entre o IBC.R is of paramount importance for a wide range of applications.A/ ST. incrementar e permitir que a produção rural em pequena escala possa atingir maiores graus de eficiência. através da adequação de equipamentos a essas populações e.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. 2. the design of a Multiaxial weaving system able to process warp yarns. Carlos Alberto Pereira de/ PUC-Rio Mont´Alvão. Baseado na necessidade de expandir ao restante do país as informações relacionadas a educação contidas no Instituto. Ele resultou de uma pesquisa desenvolvida no contexto de um assentamento rural – o Projeto de Reforma Agrária de Redenção.

em sua maioria acometida por paralisia cerebral. A APLICAÇÃO DAS CORES NAS INTERFACES COMPUTACIONAIS DOS USUÁRIOS COM BAIXA VISÃO /Artigo Completo Kulpa. Este artigo apresenta um referencial bibliográfico sobre as interfaces computacionais dos usuários para deficientes de baixa visão. cada vez mais se utiliza a tecnologia computacional para a acessibilidade deste à informação. Regina de O./ UFRGS Teixeira. sempre sob a ótica da interação homem-computador. A partir experiências e observações. durante os atendimentos do Projeto de Pesquisa Design Inclusivo Utilizando as Tecnologias de Informação e Comunicação./ Centro Universitário Feevale Medina. além de apresentar os deficientes de baixa visão./ Universidade Federal do Amazonas Por meio da utilização das Tecnologias Assistivas (TA’s). de/ Universidade Federal do Amazonas Silva. COMUNICAÇÃO VISUAL PARA DEFICIENTES AUDITIVOS /Artigo Resumido Freitas. facilitando a comunicação e interação entre os alunos da Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos./ UFRGS Silva. Régio P. Fábio G. Güeba/ Centro Universitário Feevale Salce. que procura o caminho mais eficiente para a transposição de recursos didáticos para um formato de E-learning acessível. Cínthia C. suas dificuldades com as interfaces. da/ Universidade Federal do Amazonas Máximo. D. considerando suas limitações físicas e sociais. foram verificados os principais requisitos para o desenvolvimento de interfaces para alfabetização de ./ Centro Universitário Feevale Este artigo relata experiências educacionais e observações realizadas com criança com necessidades especiais. os conceitos das cores e a forma de utilizá-las como informação a este usuário. Suellen P. Claudete B. Fabrício André P./ UFRGS Devido à crescente preocupação no processo de inclusão social de deficientes visuais na educação.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /198 e a universidade PUC-Rio. São levantados aspectos relacionados às interfaces dos usuários. enfatizando as cores como facilitador nesta comunicação. Fábio H. sob o olhar do Design. ergonomia e IHC. desenvolver um sistema de sinalização que busque formas visuais e textuais compreensíveis ao deficiente auditivo. DESIGN DE INTERFACES PARA ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS /Artigo Resumido Heidrich.

Gabriela/ USP Tramontano. e não apenas responder a problemas formulados pelo mercado ou por usuários em potencial. percebe-se que os profissionais da área do design podem atuar de maneira propositiva no universo dos objetos e espaços dotados de tecnologias digitais. e encontrar recomendações para suprir os objetivos educacionais desse tipo de interface. Analisando-se alguns conceitos norteadores dessa produção em diferentes escalas. /199 .07. São apresentados resultados e desafios. O projetor permite mostrar o que há dentro de paredes e objetos. interface e questões tecnológicas de um projetor de Raios-X em AR. Claudio E.R crianças com necessidades especiais. Permite projetar informações virtuais sobre objetos reais.07.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. ou informações como a variação de temperatura e esforços estruturais. Oferece a criação de interfaces virtuais com alternativa para problemas de design de produto. Este artigo expõe e analisa a pesquisa e desenvolvimento do conceito. O presente trabalho busca relatar algumas constatações encontradas durante esse projeto de pesquisa. Romero/ Centro Universitário Senac A Realidade Aumentada (Augmented Reality ou AR) traz um novo conjunto de possibilidades e desafios para os designers.A/ ST. / / / / COORDENAÇÃO/ Romero Tori ST. Fábio R./ Centro Universitário Senac Tori. S.07. especialmente os relacionados ao design de interfaces e ao design de informação.C Auditório 03 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / PROJETO DE DESIGN E IMPLEMENTAÇÃO DE UMA FERRAMENTA PARA VISUALIZAÇÃO DO INTERIOR DE ESTRUTURAS /Artigo Completo Bueno./ Centro Universitário Senac Miranda. REALIDADES hÍBRIDAS: DESIGN E TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO /Artigo Completo Carneiro. Os princípios que regem a definição da forma e materialidade de um objeto para determinado contexto são hoje também essenciais para se configurar a relação entre pessoas e meios eletrônicos. Marcelo/ USP Este artigo parte da premissa de que as maneiras como as pessoas se relacionam com as tecnologias digitais também constituem um problema de design.

indicar possibilidades de atuação para o profissional que deseja trabalhar no desenvolvimento de projetos interativos de forma significativa e inovadora. Aproximamse então design e questões filosóficas desenvolvidas pela Ecologia Profunda (Deep Ecology) de matriz heideggeriana. . culminando na construção de um travelogue. ST. Em especial descreve o processo de criação do projeto Gêmeos Afetivos que consiste em duas peças de mobiliário que se comunicam e reagem à determinadas ações do usuário. enfatizando-o em sua dimensão discursiva e perceptiva como proposta de relação com o mundo. podemos detectar uma postura crítica no design ecológico.D Auditório 04 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / /200 COORDENAÇÃO/ Marizilda Menezes QUESTõES DE éTICA: RELAÇõES ENTRE O DESIGN E A ECOLOGIA PROFUNDA /Artigo Completo Braga. Gabriela/ USP Este artigo investiga propostas de mobiliário que utilizam a tecnologia digital para estimular novas sensações e experiências por parte do usuário. nas quais a tradicional questão epistemológica sujeito e objeto é reconfigurada. O foco deste trabalho projetual é a criação de um travelogue que incorpore novas tecnologias e tendências da internet. Janayna/ UFPE Campello.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / kAIRÓS . Sílvio/ UFPE Cada vez mais usados por viajantes de todo o mundo. tais como a questão do Ser em sua relação com a técnica e os modos de habitar o mundo. bem como das críticas e sugestões de seus usuários. Este novo design critica as velhas e propõe novas formas de habitar o mundo. Eduardo Cardoso/ Centro Universitário SENAC – São Paulo Contemporaneamente. para sugerir alternativas que correspondam aos objetivos e necessidades do sistema.UMA PROPOSTA DE INOVAÇÃO EM TRAVELOGUES /Artigo Resumido Velozo. A interatividade tratada busca ir além da automatização de ações e procura adicionar instâncias poéticas e narrativas na relação entre pessoas e mobiliário. gerenciamento e compartilhamento de textos e imagens. os travelogues — diários de viagem online — oferecem uma gama crescente de ferramentas aos seus usuários para a publicação. com subseqüente criação da interface de algumas de suas principais telas MOBILIÁRIO INTERATIVO: TECNOLOGIAS DIGITAIS COMO PRÁTICA DO DESIGN /Artigo Resumido Carneiro. O presente estudo parte da análise de sistemas similares. Busca-se assim.07.

Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET/SC Este artigo traz reflexões acerca dos paradigmas existentes nos produtos concebidos para os Portadores de Necessidades Especiais (PNE’s). Carlos E/ CEFET/SC Santos. Marizilda/ UNESP Castro. REFLEXõES SOBRE A CARACTERIZAÇÃO DA PESQUISA CIENTÍFICA E DA PRÁTICA PROFISSIONAL NO DESIGN /Artigo Completo Meyer.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. o texto discute a necessidade de se criar condições para que a inclusão aconteça de modo a respeitar a configuração do produto não somente em ordem técnica.R Trata-se então de investigar essa aproximação. individualidade. fazendo com que as necessidades das pessoas com restrição sejam similares às dos usuários ditos “normais”. A partir dos conceitos da nãodiscriminação. mas também em parâmetros de ordem subjetiva. foca-se o design tradicional neste trabalho. Justapondo-se as etnias Akan (africana) e Celta (européia).A/ ST. valores e “status”. característica marcante da Tecnologia Assistiva. Guilherme Corrêa. SÍMBOLOS IDENTITÁRIOS DE CULTURAS TRADICIONAIS: ANÁLISE PELA GESTALT /Artigo Resumido Menezes. Cabe salientar que este estudo não deve avançar na discussão sobre a estruturação do design enquanto campo científico propriamente dito (já que não investiga tópicos essenciais a tal discussão)./ PUC . Jacqueline/ UNESP Baseados na idéia de dinamismo e mutação constantes na cultura. O trabalho investiga elementos de uma sistematização percebida tanto na natureza dos interesses das pesquisas científicas em design quanto no processo pelo qual atravessa o designer durante o exercício de sua prática profissional. pela composição e interrelação dos elementos que dão identidade aos grupos sociais.07. relacionando design e contextos políticos mais amplos. discutem-se as relações de seus símbolos identitários à luz da Gestalt. em termos de aspiração. mas sim pensar questões cujas reflexões permitam auxiliar a compreensão da atividade. Busca esclarecer que a acessibilidade universal é um conceito que vai além da eliminação de barreiras ou restrições físicas.07. TECNOLOGIA ASSISTIVA & DESIGN: UM ESTUDO SOBRE A APLICAÇÃO DA FUNCIONALIDADE E DA ESTéTICA NOS PRODUTOS INDUSTRIAIS /Artigo Resumido Senna. São evidenciadas e analisadas / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /201 .Rio Este artigo pretende refletir sobre elementos presentes na caracterização da pesquisa e da prática profissional do design.

apresentam ligações intrínsecas em suas pregnâncias e significados.A. Romaine S/ UEMG Medeiros. Thaíse F. Juliana Pontes/ Universidade FUMEC A interdisciplinaridade ganha importância no design contemporâneo e impõe a formação de estratégias de projeto diferenciadas. ST. M. Simone M.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / as analogias das representações e relações simbólicas dessas culturas. Além disso./ UEMG Silva. que podem ser trabalhadas no contexto acadêmico e profissional a partir do conceito de metodologia de projeto./ UEMG Este artigo traz a tona discussões acerca de um caminho possível para o desenvolvimento de projetos de Design de Ambientes. busca-se a reflexão do que é ser designer de ambientes. Samantha C.E Sala C149 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /202 COORDENAÇÃO/ Cibele Taralli CAMINhO POSSÍVEL PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETO DE DESIGN DE AMBIENTES: UMA METODOLOGIA /Artigo Resumido Leite. que apesar de distintas e distantes. A METODOLOGIA COMO INSTRUMENTO DO PENSAMENTO INTERDISCIPLINAR NO DESIGN /Artigo Resumido Ribeiro. B. Ainda na fase inicial dos estudos. Hernán Daniel/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo O artigo apresenta uma metodologia para a classificação de produtos e marcas associados a regiões. Trata-se de uma ferramenta que auxilia a análise e escolha de estratégias e ações mais adequadas para cada caso. Vivianne N.O. Nesse texto discute-se como a metodologia serve como eixo para que um designer possa transitar por conhecimentos diversos sem desconstruir a natureza específica do projeto em que atua. verifica-se a necessidade de uma metodologia de projeto eficiente na área do design de ambientes em conformidade com a adotada nas outras áreas do design. CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS E MARCAS ASSOCIADOS A REGIõES /Artigo Completo Scanavino./ UEMG Moreira. . estética e funcional do design. B e/ UEMG Abreu.07. Nessa abordagem a diversidade de repertório contribui para ampliar a abrangência conceitual. sua função social e principalmente como seu trabalho pode contribuir com a melhoria da qualidade de vida das pessoas que vivenciam a complexidade do cotidiano na contemporaneidade.

mesa ou banho. Este artigo discute sua inserção no curso de design de moda. / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Kathia Castilho ST. desenvolvida por Consiglieri. MORFOLOGIA DA ARQUITETURA E DO DESIGN /Artigo Completo Silva.07.07. considerada como disciplina eixo nos cursos de design. Cyntia/ Centro Universitário Senac São Paulo Hardagh.R uma vez que esse tipo de associação pode ter naturezas bastante distintas. Uma delas foi Metodologia de Projeto. Clarissa Menezes/ UFPE Este artigo surgiu a partir da necessidade de projetar adequadamente produtos de moda. Buscamos entender o processo de desenvolvimento dos produtos dentro dos parâmetros regentes do sistema de moda através do estudo do conceito de Valor de Moda. diversas disciplinas foram inseridas na grade curricular e conteúdos reajustados. O objetivo principal é verificar a possibilidade de aplicação das categorias de análise visual da forma arquitetônica. Caio Márcio Almeida/ UFCG Guedes. Simone/ UFPE Neves. João Batista/ UFCG O presente artigo apresenta parte de uma pesquisa onde são investigados métodos para análise formal do design de produtos. da comparação entre metodologias projetuais para design de produto e para design de produto de moda e da posterior aplicação do estudado em um projeto de coleção de bolsas.07. André M/ UFPE Sóter. /203 .SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. PROBLEMATIZANDO O DESIGN DE MODA – O PAPEL DA DISCIPLINA METODOLOGIA DE PROJETO /Artigo Completo Malaguti de Sousa. base do aprendizado projetual. contando com o apoio de outras disciplinas. e a sua adoção na análise da forma do design. tendo como projeto prático a criação de uma coleção de cama.F Sala C233 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / DESIGN DE PRODUTO COM VALOR DE MODA /Artigo Completo Barros. Cláudia Coelho/ Centro Universitário Senac São Paulo No processo de adequação dos cursos de graduação em moda às diretrizes relativas a sua vinculação ao design.A/ ST. com base na experiência de dois anos em que foi lecionada em uma mesma faculdade.

Deborah Chagas/ Faculdade Senai-Cetiqt Este artigo visa analisar diferentes possibilidades de definição e delimitação do campo de atuação do designer. O artigo propõe identificar o designer como um profissional responsável pela construção de significados dos objetos utilizados pelos sujeitos. Nesta perspectiva o estudo de uma metodologia adequada a projetos de produtos de vestuário torna-se imprescindível. sociais e de qualidade. Didier D.07. na imprensa alternativa. desvinculando-o da noção tradicional de responsável pelo desenvolvimento de um projeto industrial e aproximando-o de valores e noções do campo da arte. aproximou sua visualidade da dos melhores produtos gráficos da época. Dulce Maria Holanda/ UDESC Costa. /204 . ST. Maria Izabel/ UDESC O tema desenvolvido neste estudo considera a produção de um produto de vestuário integrando variáveis como a ergonomia. Dias de/ FAU USP O artigo apresenta o trabalho de designer de formação autodidata. apresenta-se uma proposta metodológica que considerada em todas as etapas de projeto de produto preocupações com a minimização de impactos negativos ao meio ambiente. METODOLOGIA DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PARA O VESTUÁRIO /Artigo Resumido Maciel. Com soluções gráficas inéditas em segmento marcado pela convencionalidade.G Sala C235 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Regina Cunha Wilke A RENOVAÇÃO VISUAL DO LIVRO DIDÁTICO NO BRASIL: O DESIGN DE ARy NORMANhA NA EDITORA ÁTICA /Artigo Completo Moraes. Assim. e que foi fundamental para a renovação visual do livro didático brasileiro a partir da década de 1970. Conquistou autonomia de decisão e obteve reconhecimento para o poder de comunicação da linguagem visual e a necessidade do trabalho do designer gráfico em editoras. unindo exigências didáticas à comunicação de massa. e a seleção dos materiais têxteis como itens fundamentais de projeto contribuindo para a produção de um produto plenamente de acordo com exigências ambientais.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / DESIGNER DE MODA: CONSTRUTOR DE SIGNIFICADOS /Artigo Resumido Christo. fazendo uma relação com o campo da moda. C.

o trabalho investiga a existência de três respostas de projeto e de linguagem claramente diferenciadas. mas três designs. que não caracterizariam apenas o design voltado para este segmento editorial. de hoje. e bastante amplo nas suas realizações. das realizações editoriais em um campo muito restrito quanto a sua circulação. de forma breve e ainda parcial. Didier D. ANOS 1970 /Artigo Completo Moraes. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /205 . nos permitem aprender e refletir sobre o projeto de livro. Relata-se o desenvolvimento e aprimoramento ao longo de cinco anos e meio de uma proposta metodológica com três etapas que permitiram o amadurecimento do processo pedagógico. às quais se somaram. Andrea de Souza/ Centro Universitário Senac Castanha Jr.07. as edições de livros de arte. revelando três possíveis momentos da modernidade convivendo lado a lado no Brasil daqueles anos. mas todo o design gráfico produzido naquele período.A/ ST. As quatro iniciativas desta natureza aqui estudadas. de muito trabalho. C. Marco Aurélio (Kito Castanha)/ Centro Universitário Senac Escanfella . A etapa inicial contemplou duas disciplinas (prática profissional e história da comunicação visual). . Celia Maria/ Centro Universitário Senac Este artigo apresenta uma reflexão sobre a prática do ensino de design por meio de projetos que integram várias disciplinas. nas etapas seguintes. que cobrem as décadas de 1940 a 80. a participação ativa de outros professores. e livros.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Rômulo do Nascimento/ Universidade Federal do Amazonas O presente trabalho busca dar conta.R TRÊS MOMENTOS DO MODERNO: CAPAS DE LIVROS DIDÁTICOS. Seu rico acervo de soluções projetuais são frutos de grande envolvimento e conhecimento. O exercício de integração e o desenvolvimento de uma metodologia natural provocaram uma autonomia projetual aos participantes.07. BRASIL. características que são raras nos dias. LIVRO DE ARTE: CONTRIBUIÇõES AO PROJETO DO LIVRO NO BRASIL /Artigo Resumido Pereira. Este não seria um. Dias de/ Faculdade de Educação da USP A partir da análise formal das capas de três coleções didáticas da década de 1970. docentes e discentes. INTEGRAR: UM VERBO PEDAGÓGICO /Artigo Resumido Almeida . dentro do contexto editorial brasileiro.

Os resultados apontaram diferenças significativas (p<0. Após análise in loco.05) entre a percepção de conforto da maioria dos assentos analisados. Raquel Sumie/ Universidade Estadual de Maringá Lucio. Letícia Sayuri/ Universidade Estadual de Maringá Eishima. realizou-se uma pesquisa de campo. ANÁLISE DE MAÇANETAS CILÍNDRICAS E DE ALAVANCA POR USUÁRIOS IDOSOS – ASPECTOS DE USO E PERCEPÇÃO /Artigo Completo Fabio. sendo aplicado protocolo digital com imagens e escala de categoria.07. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá O crescimento da população idosa e decorrente declínio das capacidades fisiológicas demandam adaptações em produtos a fim de restabelecer a autonomia do idoso. evidenciando a necessidade de novos estudos voltados a esse público. /206 . Deborah Regiane/ Universidade Estadual de Maringá Kague. involução humana. principalmente caracterizados por abordagens subjetivas. pega. Jamille Norteza de Lima/ FAAC/UNESP Paschoarelli. notando-se que o desenho. o uso de materiais e complementos podem influenciar na percepção de conforto dos usuários. O estudo comprovou maior facilidade de manuseio da maçaneta do tipo alavanca e a importância de desenhos que privilegiem o conforto. Luis Carlos/ FAAC/UNESP Poussep.h Sala C237 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Uiara Montedo PERCEPÇÃO DE CONFORTO POR MEIO DA AVALIAÇÃO VISUAL DE ASSENTOS: PARÂMETROS PARA O DESIGN ERGONÔMICO DE MOBILIÁRIO /Artigo Completo Lanutti. considerando os aspectos do manejo. Assim. Participaram 60 indivíduos adultos. Este estudo objetivou analisar a percepção de conforto por meio da avaliação visual de assentos. este artigo teve por objetivo analisar a facilidade de uso de maçanetas por indivíduos idosos. considerando fatores perceptivos. biomecânica e percepção.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. averiguando condições físicas. Stanislav/ FAAC/UNESP O design ergonômico de mobiliário utiliza técnicas específicas para avaliar o conforto de assentos. cognitivas e de interface.

em postos de trabalho de operadores de áudio. Franciane da Silva/ Instituto de Ensino Superior da FUCAPI . Tal constatação foi possível por meio de uma avaliação ergonômica.CESF Razza. mas essa evolução não correspondeu à melhoria de todos os aspectos do trabalho. utilizando o designer como facilitador do processo de produção. Ricardo Mendonça/ UNESP Paschoarelli. Conclui destacando a importância de integrar o design ao processo de organização de eventos. da Universidade Anhembi Morumbi e versa sobre as contribuições do pensamento do design no desenvolvimento de pesquisas científicas. Raquel João Henriques Soares dos/ Universidade Técnica de Lisboa Com o desenvolvimento da informática.07. Apresenta modelos de planejamento. Edmilson Costa/ UFES O artigo discute a importância da utilização do design no processo de produção de eventos. a atividade do operador de áudio foi bastante facilitada. Luis Carlos/ UNESP Santos. realizada na Rádio UNESP FM.R AVALIAÇÃO ERGONÔMICA DE POSTO DE TRABALhO INFORMATIZADO: OPERADOR DE ÁUDIO DA RÁDIO UNESP /Artigo Completo Falcão. com a aplicação de métodos biomecânicos de observação e inquirição – RULA. Este estudo teve por objetivo identificar os problemas provenientes dessa atividade e propor sugestões de melhoria.I Sala C239 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / /207 COMO CARTOGRAFAR O ESPAÇO DE CRIAÇÃO? UMA QUESTÃO PARA O DESIGN /Artigo Resumido Marinho.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Karla Libardi/ Associação Projeto Águas do Rio Doce Teixeira. Os métodos empregados indicaram que na atividade são realizadas posturas inadequadas que refletem em desconforto associado ao trabalho.07. Propõe como alternativa a elaboração de um software baseado em métodos de design centrados no usuário. Analisa a implementação desse software na Associação Projeto Águas do Rio Doce.A/ ST. Bruno Montanari/ UEM Rinaldi. / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Claudia Marinho ST. DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE AUXÍLIO à ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS /Artigo Completo Gallina. . Claudia / UAM Este trabalho apresenta resultados parciais de uma pesquisa realizada no programa de mestrado em design.07. mapa de áreas dolorosas –. controle e avaliação na organização de eventos.

. Marcos C.07. Gerson G. Divino Leitão foi o primeiro designer brasileiro de videogame a ter um jogo registrado na SEI1. Alan Richard/ Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP Este artigo pretende traçar um perfil da produção de dois pioneiros no design de videogames para microcomputadores no Brasil: Renato Degiovani e Divino Leitão. a descoberta de novas possibilidades. K. através da união entre educação e entretenimento. Orlando N. o desenvolvimento de novas soluções e a invenção de novas realidades” (POMBO e TSCHIMMEL. trataremos do projeto de Obra de Arte Total./ UFRJ Romano.07. Regina/ Universidade Anhembi Morumbi No presente trabalho./ UFRJ Haguenauer. como “resposta para novas condições de vida. 64) entre o fim do século XIX e o início do século XX. Cristina/ UFRJ Azevedo. Este trabalho expõe o que pode vir a ser uma nova forma para aproximar crianças e jovens de museus./ UFRJ A criação de um Museu Virtual através da ferramenta de criação de jogos 3D (game engine) Unreal Engine 2 representa uma nova forma de expor o acervo e as instalações do Museu Nacional da UFRJ. As game engines vem se mostrando como ferramentas poderosas para simulações de ambientes reais em 3D com custo mais baixo que as ferramentas tradicionais./UFRJ Cunha.SESSÕES/ TÉCNICAS CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / T. A OBRA DE ARTE TOTAL: IDEAIS INTERDISCIPLINARES DA SECESSÃO VIENENSE /Artigo Resumido Barbosa. DIVINO LEITÃO E O PIONEIRISMO NO DESIGN DE VIDEOGAMES NO BRASIL /Artigo Completo Da Luz. p. e a divulgação de seu trabalho se dava por meio de revistas especializadas. Seu pioneirismo se deu numa época em que a reserva de mercado de informática criou um mercado atrofiado de computadores e equipamentos./ UFRJ Grillo. ampliando o seu uso para além da criação de jogos. Enquanto Renato Degiovani criou e desenvolveu videogames quando não havia sequer um mercado no Brasil. Sergio A. idealizado pelos artistasartesãos da Wiener Werkstätte.A/ ST. filiados à Secessão Vienense.R S / / / / / / / / / / / / / / / / EXPOSIÇÃO VIRTUAL DE VERTEBRADOS FÓSSEIS DO MUSEU NACIONAL DA UFRJ /Artigo Completo Monnerat. ST. Pedro S.J Sala C241 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /208 COORDENAÇÃO/ Marcos da Costa Braga AVENTURAS NA SELVA: RENATO DEGIOVANI. R.07. 2005.

relata a interação com o entorno físico e cultural impregnado pelo american way of life. o design e o consumo exercem dentro das sociedades capitalistas contemporâneas. Entendendo como sua produção se ajustou a realidade da época e como se adequou ao uso de materiais contemporâneos. Maria do Carmo/ Centro Universitário Feevale Cossio. Virginia/ UFPE A presença do design na mídia vem se tornando cada vez mais freqüente e diversificada. constrói a partir do que os meios de comunicação projetam como sendo design e consumo de design. Gustavo/ Universidade Luterana do Brasil Este artigo trata sobre Norberto Bozzetti. /209 . ao longo de sua carreira profissional.07. pois. O artigo ressalta sua atuação. UM MODERNISTA CONTEMPORÂNEO /Artigo Completo Curtis. por sua vez. Débora Gigli/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo O objetivo desse trabalho é fazer uma pesquisa dos projetos de John Graz pertencentes a Coleção do Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand. O público.A/ ST. sobretudo alemã.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. designer gráfico brasileiro atuante desde a década de 1960.07. suas próprias idéias e concepções sobre o tema. este artigo. Bozzetti contribui para a consolidação de uma cultura de design. Analisando sua criação relacionada a idéia de moderno. Patrícia/ Faculdades Integradas Barros Melo Cavalcanti. além de ter sido influenciado pela cultura européia. Este aporte acaba por lhe imprimir um padrão formal característico da geração modernista do design gráfico europeu.07. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Rachel zuanon ST. apresenta um dos aspectos da representação jornalística do design elaborada pela revista Veja: a associação do design à forma e à estética dos objetos. Sobre suas vivências. Diante do poder e da ação cotidiana que a mídia.R BOZZETTI.k Sala C242 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / “A ARTE DE FAZER COISAS BELAS”: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A REPRESENTAÇÃO JORNALÍSTICA DO DESIGN /Artigo Completo Amorim. Seu portfolio registra o desenvolvimento de projetos de identidade visual para diversos setores da indústria nacional. extraído da dissertação de mestrado da autora. embora permaneça atento à estética contemporânea. JOhN GRAZ NA COLEÇÃO DO MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO /Artigo Resumido Buonano.

a fim de demonstrar que o Design deve estar preparado para assumir papel mais significativo no desenvolvimento de produtos de valor tecnológico diferenciado. J. com isso. Situated in content rich institutions such as libraries. Greg/ Illinois Institute of Technology McLeish. productive inquiry. Dale/ Illinois Institute of Technology Prygrocki. Heloisa/ Illinois Institute of Technology Fahnstrom. A. ThINkERINGSPACE DESIGNING A SySTEM OF COLLABORATIVE ENVIRONMENTS FOR kIDS /Artigo Resumido Moura. M. Dar-se-á um panorama do processo de design que foi adotado para o desenvolvimento do projeto e das principais etapas que envolveram esse projeto para a sua efetiva conclusão.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / CORES E ILUMINAÇÃO APLICADAS NUM PROJETO DE INTERIOR DE AERONAVES /Artigo Completo El Marghani. esclarecendo definições e algumas confusões a respeito delas e propondo características que delimitem o trabalho do designer na cidade tanto como área específica do Urbanismo e/ou categoria do Design. /210 . a função e o significado do espaço público estão entre as principais preocupações do design urbano e do desenho urbano. and elaborate their ideas in ways they can share with others. This short paper presents an overview of the ongoing design and development of these collaborative spaces. these places within spaces encourage self-directed. Raffaela Leane Zenni/ UFPR O objetivo do artigo é apresentar um projeto desenvolvido em parceira com a UFPR e EMBRAER nos períodos de 2003 a 2006 cujo foco foi o desenvolvimento de um roteiro cromático em acordo com o perfil de vôo de jatos comerciais. Este trabalho estabelece uma relação conceitual entre ambas. DESIGN NA CIDADE RELAÇÃO CONCEITUAL ENTRE O DESIGN E O ESPAÇO URBANO /Artigo Resumido Barbosa. A. a forma. and create new opportunities for face-to-face and stigmergic collaboration through tangible interfaces.ThinkeringSpace.com) is a hybrid system. made of networked physical environments. Viviane/ UFPR Tanure. T. and large scale and multi-input technologies. o diálogo entre estas duas áreas de conhecimento parece ainda inerme. e. that seeks to bring schoolage children together to tinker with things. C./ Illinois Institute of Technology ThinkeringSpace (http://www. Entretanto. reflect upon what they do and discover. and connected to a mentorship network./ UFPE A configuração do espaço. both physical and virtual.

com foco nos espaços institucionais – sejam pontos-de-venda. ou quiosques – onde o design possibilita a construção de ambientes nos quais o indivíduo interage com produtos.A/ ST. serviços e principalmente com a marca e suas promessas.07.07. Maria do Carmo Duarte/ UFPR Mendes Junior. A pesquisa teve origem num projeto de extensão universitária. Viviane Helena/ UFPR Freitas. Elton Rubens/ UFPE SIilva./ Universidade Anhembi Morumbi Castilho.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST.07.R COORDENAÇÃO/ Anna Paula Silva Gouveia ST. Luciana Lopes/ UFPE Silva. pesquisa e extensão. lojas. Este artigo analisa a influência do ambiente contemporâneo no design de marcas e em suas manifestações. através de interações que contemplem o uso de ambientes hipermidiáticos como instrumentos inerentes aos processos de design. Neste sentido. onde são realizados projetos gráficos que complementam as ações realizadas pela comunidade acadêmica de um centro universitário federal. REFLEXÃO SOBRE PRÁTICAS METODOLÓGICAS COLABORATIVAS EM DESIGN /Artigo Completo Freire. estandes. sistematicamente. Ricardo/ UFPR . investigando a importância do design no desenvolvimento de um consistente projeto de marca. Kathia/ Universidade Anhembi Morumbi A marca contemporânea transcende seu papel no relacionamento entre produto e público para ganhar novas dimensões ao inserir-se no projeto de vida dos indivíduos. espaços de relacionamento. Vera A. Marcos/ UFPE O artigo ora apresentado discute os resultados obtidos através de metodologias de trabalho cooperativo aplicadas ao processo colaborativo de ensino-aprendizagem na área de design. com o intuito de atender a tais demandas de modo que possa integrar atividades de ensino. denominado Bureau de Design. CRITéRIOS DE ERGODESIGN PARA AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO INFORMACIONAL VOLTADO PARA AUTO-APRENDIZAGEM /Artigo Completo Kuntz.L Sala C243 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /211 ESPAÇOS INSTITUCIONAIS COMO MANIFESTAÇÃO DA MARCA: PRODUZINDO SIGNIFICADOS E PERCEPÇõES /Artigo Resumido Pereira Barretto. Erton Wagner/ UFPE Souza Filho. uma equipe de design se reúne.

lugar e no ritmo próprio do aluno. ressaltase que o material didático é o principal apoio do aluno. /212 . culmina num novo modelo de educação . O foco desta investigação é a elaboração de critérios para avaliação de ergodesign em conteúdo informacional. Dentro desse processo. agora dentro de uma nova modalidade: o design instrucional. tecnológica. em que devem ser promovidas adequações. Adriana Leiria Barreto/ Universidade do Minho Cunha. Olimpio José/ UNESP – Bauru Menezes.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / A expansão da educação a distância possibilita a realização de um curso em qualquer hora.07. Com isso elaborou-se um instrumento que foi aplicado no material didático do Curso de Especialização em Construção de Obras Públicas. Para isso. Como resultados foram validados 16 dos 28 critérios propostos. inclusive no design. Os critérios escolhidos pelos alunos com um índice aproximado de 57% foram tidos como muito importantes para favorecer a auto-aprendizagem. Márcia Luiza França da Silva/ UNESP – Bauru Pinheiro. Esse posicionamento requer o desenvolvimento de competências amplas. Este trabalho traz os resultados e algumas nuances da pesquisa realizada com o setor de vestuário.a distância. Joana/ Universidade do Minho O setor de vestuário prima pela agilidade.M Sala C244 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Maria Eduarda Araujo Guimarães O USO DE FERRAMENTAS DIGITAIS PARA REPRESENTAÇÃO GRÁFICA NA INDÚSTRIA DO VESTUÁRIO /Artigo Resumido Matos. organizacional e emocionalmente para acompanhar as novas tendências. ST. EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: COMPETÊNCIAS DO ESTUDANTE PÓSMODERNO E AS ADEQUAÇõES DO DESIGN /Artigo Resumido Batista. o croqui técnico é quase sempre empregado como modo de expressar as idéias e propostas do designer de moda para novos produtos. deparando com transformações pós-modernas e pós-industriais. fundamental para a permanência das empresas dentro do mercado. O estudante vive um dilema em ter que se preparar intelectual. Marizilda dos Santos/ UNESP – Bauru Este artigo tem por objetivo refletir sobre a educação tradicional que. para verificar a situação desta importante ferramenta de trabalho e os pontos que requisitam melhoria imediata para que sejam obtidos ganhos reais de produtividade.

07. o presente artigo relaciona o contexto atual. Apesar da escassez de informações.07. Monica Saboia/ PUC . Cláudio de/ PUC . é possível mapear o desenvolvimento do segmento e as etapas que o constituem.R A ERGONOMIA E SUA APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO DO VESTUÁRIO /Artigo Resumido Rosa. Enfatiza a necessidade de gestão desses projetos. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /213 . O DESIGN TÊXTIL NO BRASIL EM TRÊS TEMPOS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO /Artigo Completo Neira.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. Neste sentido. A atividade profissional. que ainda não revelou processos. A. PUC-Rio Esta pesquisa identifica a estrutura que projeta os fatores necessários à confecção do vestuário. ainda. caracterizado pela velocidade e efemeridade.Rio Considerando a dinâmica específica do varejo de moda. da. UDESC Moraes. como importantes veículos de transmissão da identidade de suas marcas. existem casos em que é desconhecida pelos projetistas. Analisa práticas de empresas que aplicam o Design e usufruem seus recursos.A/ ST. no processo de construção da identidade e do valor das marcas de moda. conforme indicam as fontes. Logo. indicando a existência de um terreno de pesquisas ainda inexplorado. com o desafio permanente da construção da identidade e do valor simbólico das marcas de varejo de moda.Rio Magalhães. A partir de uma observação empírica. não parece ter cumprido cem anos de existência e raras são as pesquisas que destacam a atividade mesmo a partir da década de [19]60. são as pessoas responsáveis pelo design do vestuário que estabelecem e utilizam os requisitos oriundos dos princípios ergonômicos nos produtos.. DESIGN PARA LOJAS DE MODA: GESTÃO DE MARCAS EM PROJETOS PARA PDV /Artigo Completo Saddi. para promover maior integração e aproveitamento dos recursos do design. acredita-se que ao utilizarem a ergonomia em seus projetos de produtos poderão melhorar seu desempenho no mercado consumidor. técnicas e nomes. explorando os projetos de design do ponto de venda (PDV). L. sabe-se que a ergonomia é utilizada de forma parcial nos projetos de produtos com base no design do vestuário e. Luz Garcia/ Centro Universitário SENAC A história do design têxtil no Brasil é uma área de estudos pouco explorada.

Andréia Sayuri/ UNOPAR Este artigo é resultado de um estudo experimental de aplicação da Semiótica Discursiva na análise de projetos de Design. é feita a interpretação dos signos usados. objetiva e descomprometida com o lucro. Gustavo Severo de/ UNISINOS Giorgi. foi analisado discursos visuais aplicados na categoria de água mineral.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Raimundo Filho/ UNISINOS O presente artigo busca. Através de exemplos de cartazes de protesto contra a guerra. O contexto que motiva esta avaliação é a mudança de papel do designer nas organizações. políticas e outras de interesse social. Além disso. DESIGN COMO CULTURA DE PROJETO E COMO INTEGRAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA /Artigo Completo Galisai. /214 . através de um estudo de caso. Lucy/ UERJ Neves. Como objeto de aplicação do método. apresentar a importância de uma maior interação universidade-empresa na área do design. apresenta uma proposta de estrutura. Roberto/ UNISINOS Borba. mostrando como se pode fazer design de uma maneira criativa. A partir da aplicação da metodologia do sistema-produto e da pesquisa realizada pode-se perceber a ampliação dos resultados. Os resultados possibilitaram uma compreensão cientifica dos sistemas de significação e abrem caminho para novos experimentos. Flávia/ UERJ O presente artigo analisa a prática do design gráfico que objetiva a divulgação de mensagens ideológicas. para facilitar este processo. SIGNOS DE CONTESTAÇÃO /Artigo Resumido Niemeyer. construída em uma universidade do Brasil.N Sala C245 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Lucy Niemeyer ESTUDO SEMIÓTICO: ANÁLISE DE SIGNIFICAÇÃO E GERAÇÃO DE SENTIDO COMO FERRAMENTA DO DESIGN /Artigo Completo Vieira. Através de um método preliminar foram identificados elementos geradores de sentido no produto embalagem. obtidos em colaboração com uma empresa brasileira.07. inserindo a importância da percepção estratégica do design. tangíveis e intangíveis. Edson Luiz da Silva/ UNOPAR Sudo.

A/ ST. e sim uma visão aliada a outros aspectos de seu posicionamento perante a indústria e à sociedade. products and designers associated with the environmental and social issues that emerged in the last twenty years. de/ Universidade Federal de Uberlândia Carraro. which differ from traditional mainstream of production.O Sala C247 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /215 ThE AESThETICS OF SUSTAINABLE PRODUCTS: A hISTORICAL APPROACh /Artigo Completo Castillo. Maria Luiza A. ESTéTICAS E FUNCIONAIS /Artigo Resumido Roizenbruch. O RESGATE DA éTICA NO DESIGN: A EVOLUÇÃO DA VISÃO SUSTENTÁVEL /Artigo Completo Castro. A questão sobre a autoria no design se torna assim. eficiência energética ou design . que lida com questões ambientais . Questiona até que ponto cabe ao designer a difícil tarefa de conseguir estabelecer relações entre suas preferências estéticas enquanto autor do projeto. Leonardo/ UFPE Designers have started to demonstrate an increased interest in the development of sustainable products.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. a busca de sua reaproximação com a ética conduziu. resulting in the creation of products with new aesthetic qualities associated to sustainability issues. uma ampla discussão dentro de uma atividade que não requer somente uma visão do designer como artista. This paper investigates the emergence of new esthetical directions in product design that have appeared as a result of the introduction of the sustainability agenda into product development. Tatiana Azzi/ Universidade Anhembi Morumbi Este artigo busca definições sobre o design de autor.R DESIGN AUTORAL: PRODUÇõES POéTICAS. departing from alternative approaches. / / / / / / / / / / / / COORDENAÇÃO/ Gilmar Adolfo Hermes ST. ao desenvolvimento de novos enfoques: o “design verde”.reciclagem. e questões de funcionalidade e das necessidades de seus usuários. C.07. a partir dos anos 1970. The methodology for this work is based on a literature review and analysis of examples of design movements. Carolina Lemos/ Universidade Federal de Uberlândia O design teve sua fase de maior expansão quando ligado ao consumismo e é hoje um dos seus principais estímulos: entretanto.07.07. There have been many inspiring examples that have challenged prevailing stereotypes. num mundo onde a sustentabilidade do planeta parece ameaçada.

ainda que de forma muito incipiente. analisando e confrontando os conceitos de pensadores clássicos com estudos recentes da área do Design. E quando buscam informações ambientais. GESTÃO DE DESIGN INTEGRANDO SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SOCIAL /Artigo Resumido Casteião. Desenvolvimento Sustentável e Desenvolvimento Social. o “eco design”. conduzida junto a alguns projetistas de diversos estados do país. Augusto da/ Instituto Nacional de Tecnologia Oliveira. De uma visão estritamente pontual e tecnicista. porque estas estão apresentadas de forma incompreensível ou inadequada. André Luiz/ Faculdades Adamantinenses Integradas. mas continuam criando produtos de alto impacto. O objetivo deste estudo foi realizar uma revisão do estado da arte. /216 . não conseguem aplicá-las em seus projetos.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / durável. atingindo-se. Este artigo apresenta um panorama dos pensamentos que moldam a forma de se abordar os problemas referentes à sustentabilidade. exploratória e descritiva. na visão dos designers brasileiros. Alfredo Jefferson/ PUC-Rio Este artigo tece considerações sobre a expectativa que designers brasileiros têm de uma ferramenta de Ecodesign e as características que esta ferramenta deve ter para ser adequada às suas necessidades. que se preocupa com o design de todo o ciclo de vida do produto e se insere dentro das abordagens técniconormativas da sustentabilidade. e o “design para a sustentabilidade” que busca soluções por meio de uma reorientação do consumo. Muitos designers estão sensibilizados para a crise ambiental. EXPECTATIVAS DOS DESIGNERS BRASILEIROS PARA FERRAMENTAS DE ECODESIGN /Artigo Resumido Silva. destacando-se a relação entre Gestão do Design. foi realizada uma pesquisa qualitativa. Diante deste cenário. uma melhor percepção do papel da integração do design e da sociedade no qual o desenvolvimento sustentável é proposto. Júlio C. passou-se a enfatizar a gestão de design. para levantar como seria a ferramenta de Ecodesign ideal. porque não sabem como fazer produtos verdes.

07. Há porém.A/ ST.R COORDENAÇÃO/ Paula da Cruz Landim ST.Rio Este trabalho propõe uma reflexão sobre a construção do sentido de novidade no consumo moderno. Foram apresentados conceitos que devem permear as etapas de desenvolvimento projetual na atuação do profissional. Guilherme Corrêa/ PUC .07. uma significativa desinformação também entre designers formados. Tais reflexões são permeadas ainda pela descrição de casos de produtos que utilizam de estratégias de posicionamento que privilegiam a novidade como instrumento de persuasão de consumo. Agnacilda Silva/ Universidade Tiradentes . Sob a abordagem do autor este estudo optou por analisar (a) a supressão da pátina em detrimento à moda. e (b) a aceleração da dinâmica do mercado explicada pelo efeito trickle-down (de Simmel).P Sala C254 11/10/08 Sábado 16h15/17h45 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /217 A VALORIZAÇÃO DO PRODUTO NOVO /Artigo Completo Meyer.SE Severo. Ligia/ UNISUL A gestão do design é uma ferramenta relativamente recente nas empresas e não teve seu potencial plenamente difundido devido ao desconhecimento de administradores e executivos sobre esse aspecto. o artigo apresenta os resultados de um levantamento entre os cursos de design instalados no país sobre a inclusão da disciplina gestão do design em suas grades curriculares. a partir do que se pode pensar a relação do “status familiar” com o “status individual”. gráfico e moda) e o enfoque de gestão concentra-se em alguns poucos cursos de pós-graduação.SESSÕES/ TÉCNICAS / / ST. A metodologia . já que os cursos de graduação são direcionados a aplicações específicas (industrial/produto. REFLEXõES SOBRE O ESTUDO DE DESIGN UNIVERSAL NA FORMAÇÃO DO DESIGNER /Artigo Resumido Rocha. Acredita-se que ambas as análises nos trazem pistas importantes para a compreensão da forma como se ocorreu a valorização da qualidade de novo impregnada aos produtos contemporâneos. Nesse contexto.07. Para tanto recorre à perspectiva do antropólogo Grant McCracken sobre a explosão de consumo da Inglaterra nos séculos XVI e XVII e à consolidação do consumo promovida nos séculos XVIII e XIX. CONSIDERAÇõES SOBRE A FORMAÇÃO DOS GESTORES DE DESIGN NO BRASIL /Artigo Completo Fascioni. Márjorie Garrido/ Universidade Federal da Bahia Este trabalho considerou as reflexões geradas na pesquisa sobre os parâmetros do Design Universal na área do Design Gráfico.

Apresenta-se a diferença entre a formação acadêmica e a relação destas com o mercado de trabalho encontrado pelos jovens profissionais nestes locais. /218 . e em Torino. na Escola de Design. ANÁLISE DA POTENCIALIDADE DA FORMAÇÃO DE UM PROFISSIONAL DE DESIGN. no Politécnico de Torino. A observação foi presencial em Minas Gerais. Foi possível constatar com a pesquisa que há pouca atenção aos princípios de Design Universal em projetos de Design Gráfico em Aracaju. A análise de dados foi desenvolvida a partir do estudo comparativo. Paulo Miranda/ UEMG Ferreira. Ana Maria de Paiva/ UEMG Este artigo apresenta um estudo das oportunidades de trabalho que os estudantes de design e recém formados encontram ao concluir o curso formando um paralelo entre a formação de designer do Brasil e da Itália. UMA RELAÇÃO BRASIL E ITÁLIA /Artigo Resumido Oliveira.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / desenvolveuse a partir da revisão bibliográfica e de um levantamento exploratório preliminar com coleta de dados.

/ / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /219 .

/ / / / /220 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

/ / / / RESUMOS/ E/ HORÁRIOS/ DAS/ SESSÕES/ DE/ INICIAÇÃO/ CIENTÍFICA / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

escolhem. Explora ainda os possíveis modos de interação entre o design e o público infantil. com o objetivo de compreender qual o papel do design no cotidiano das crianças e como este pode constituir /222 . Lígia/ UNIRITTER Projetar é equacionar inúmeros fatores. O designer precisa. além das pesquisas de materiais e técnicas de modelagem aprendidas durante o curso de desenho industrial.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / IC. No entanto. o brinquedo de encaixe e o cavalo-de-pau. DESIGN DE BRINQUEDOS COM MATERIAIS REUTILIZÁVEIS: ALTERNATIVA PEDAGÓGICA E AMBIENTAL Torres. Nathália Rosa/ UNIRITTER Kunrath. pois são as pessoas que a utilizam. Os brinquedos escolhidos foram o joão-bobo.A Auditório 01 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Flavia Nizia da Fonseca Ribeiro METODOLOGIA PROJETUAL E APLICAÇÃO CROMÁTICA Braga. Foram realizadas pesquisas com educadores. o jogo de argolas. se a metodologia para o uso da cor não é explícita. Ana Emília Gil/ FAU USP Este trabalho trata dos aspectos particulares do design para crianças em fase pré-escolar. Abdon da Silva / UFCG Silva. mesmo sendo um fenômeno físico. e o tema COR é relevante a todos eles. LINGUAGEM DE PROJETO: INTERAÇÃO DO DESIGN COM A CRIANÇA Boschiero. Pablo/ UFCG Meira Filho. A cor fala mais à emoção do que à razão. Rachel de Oliveira Queiroz/ UFCG Cunha. Bartira Brandão da / UFCG O presente trabalho apresentar os resultados de um projeto de extensão (PROBEX) em que foram desenvolvidos brinquedos pedagógicos com materiais reutilizáveis utilizando técnicas de design.01. O contato com as crianças e os professores mostrou a boa aceitação dos brinquedos desenvolvidos. Kamila/ UNIRITTER Medeiros. Este artigo integra projeto de pesquisa que explora o ensino da cor em cursos de design visando contribuir para conciliar a metodologia projetual com o uso da cor. essas escolhas assumem forte componente subjetivo ou estão relacionadas ao senso comum. produzem e apreciam. com freqüência. bem como a eficiência de sua aplicação. justificar escolhas cromáticas para demonstrar a função e a aplicabilidade da cor aos objetivos do projeto. visando o estudo e a caracterização de uma linguagem de projeto adequada.

Sua associação com a empresa a que pertence é alta. Ana Maria Duarte/ Centro Universitário Senac O presente artigo comunica resultados do projeto de iniciação científica que procurou levantar e documentar a produção dos professores da Escola Bauhaus que estiveram envolvidos em atividades pedagógicas relacionadas à experimentação em Design. Como tal. e ele também é visto como uma figura imaginária e tradicional. justifica o estudo deste tema. arte e ciência e arte e técnica.A/ IC. portanto.I uma ferramenta que contribua para o seu desenvolvimento.B Auditório 02 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / A APRENDIZAGEM ATRAVéS DA EXPERIÊNCIA:LEVANTAMENTO E DOCUMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO DEPROFESSORES DA ESCOLA BAUhAUS Angélico. de uma investigação de natureza bibliográfica que busca refletir e discutir conceitos de arte e design. aos /223 . maior rede de varejo do Brasil.01. tendo como método a aprendizagem por meio da experiência. Trata-se. O DESIGN GRÁFICO NA CONCEPÇÃO DE MARCA PARA PRODUTOS ARTESANAIS: UM ESTUDO DE CASO Petrelli. em específico. / / Coordenação/ Paula da Cruz Landim IC. Alex dos Santos/ CEFET Campos Teles. humanizando sua imagem e dando a ela um perfil mais simpático. Luiz Cláudio Gonçalves/ CEFET Campos Silva. a brincadeira e sua integração com o ambiente. a mascote tem a função de comunicar os valores da empresa.01. Ludmila Rosa/ CEFET Campos Gomes. ANÁLISE DO PERSONAGEM GRÁFICO DA CASAS BAhIA Nunes.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. A forte influência da Bauhaus quanto à teoria e prática da educação. Marco Aurélio/UFSC Wolf.01. Michelle Teixeira da/ CEFET Campos O presente trabalho busca investigar a relação entre a Casas Bahia. Paulo Henrique/Universidade do Vale do Itajaí Esta pesquisa objetiva a investigar a aplicação do design gráfico nas ações relacionadas à marca do grupo de artesãos vinculados à Fundação Cultural de Balneário Camboriú. Uma pesquisa de campo foi realizada com o intuito de descobrir como o público percebe o personagem. em conformidade com a proposta pedagógica da Bauhaus. e seu personagem publicitário. estimulando a criatividade.

Este artigo apresenta uma análise de campanhas publicitárias veiculadas pelo Greenpeace Brasil. COMPREENSIBILIDADE POTENCIAL DE IMAGENS UTILIZADAS EM COMUNICAÇÃO PUBLICITÁRIA: ESTUDO ANALÍTICO DE CAMPANhAS VEICULADAS PELO GREENPEACE BRASIL Scariot. Heloisa/ Universidade da Região de Joinville Everling. /224 . o retorno dessas campanhas será muito abaixo do esperado. que investigou o perfil dos estudantes do curso de design para apoiar a elaboração de material pedagógico impresso e virtual. se o público-alvo dessas campanhas for a considerável parcela da população que possui baixo grau de escolaridade e acesso limitado aos meios de comunicação. utilizando o modelo para análise de ilustrações de Goldsmith (1978).C Auditório 03 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / Coordenação/ Júlio Carlos de Souza van der Linden UMA INVESTIGAÇÃO ACERCA DO PERFIL DO ESTUDANTE DO CURSO DE DESIGN PARA APOIAR A ELABORAÇÃO DE MATERIAL PEDAGÓGICO IMPRESSO E VIRTUAL Minatti. Mariana de/ UFPR Poczapski. Marli Teresinha/ Universidade da Região de Joinville Este artigo traz um estudo realizado na Universidade da Região de Joinville – UNIVILLE. Rodrigo/ UFPR Fatores que definem o público-alvo são de extrema importância na escolha correta da linguagem gráfica de uma campanha publicitária.01. Pois entende-se que a identificação do perfil dos estudantes pode contribuir para a adequar as atividades pedagógicas e semipresencias às necessidades do mesmo. Para isto. motivador e utilizar a linguagem adequada para o perfil de cada grupo. Este material deve ser atrativo.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / participantes da Feira de Arte e Artesanato de Balneário Camboriú e é delineada por meio de uma pesquisa exploratória e por uma investigação realizada por pesquisas bibliográficas enfocando um estudo de caso. utilizou-se um questionário e foram realizadas observações sobre estes estudantes. IC. Os resultados demonstraram que./ UFPR Faria. Não considerar indicadores como a alfabetização verbal e visual pode gerar erros de interpretação ou mesmo incompreensão da mensagem transmitida. Cristiele A. Mariana/ UFPR Serraglio.

01. ANÁLISE DE CONFORTO: ÔNIBUS RODOVIÁRIO CONVENCIONAL Santos.01.I ONTOLOGIA DAS METODOLOGIAS EM DESIGN Ximenes. Esta pesquisa pretende investigar a potencialidade de inovação na geração de conceitos e soluções de produtos a partir da exploração da transformação do plano. Mateus/ Universidade Federal de Pernambuco Neves. / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Claudia Mont`Alvão IC. Maiara de Oliveira/ Universidade Estadual de Maringá Reinert.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC.D Auditório 04 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /225 DA EXPLORAÇÃO AO PROJETO: MODELOS TRIDIMENSIONAIS BASEADOS NA TRANSFORMAÇÃO DO PLANO COMO ESTÍMULO PARA CONCEPÇÃO DE PRODUTOS Magalhães. Cláudio/ PUC-Rio Gomes. André/ Universidade Federal de Pernambuco Este artigo apresenta uma ontologia de metodologias em design. Fabiola/ Universidade Estadual de Maringá Boschetti. Contribuindo para o entendimento global das metodologias em design a partir destas perspectivas. abordando as metodologias historicamente e socialmente. análises descritiva e métrica das poltronas pré-existentes e de outros . Raphael/ PUC-Rio Um dos aspectos do processo de design é a divisão entre o espaço do problema e o espaço da solução. A solução surge de um problema prédefinido e analisado. Mateus/ Universidade Federal de Pernambuco Neves. Laíz Gerhman/ Universidade Estadual de Maringá Lucio. A principal contribuição deste trabalho não está na melhoria da eficiência na criação de produtos e sim na “oxigenação” do processo criativo. Esta seqüência pode ser invertida para redirecionar conhecimentos e capacitações a partir de projetos conceituais. REVISÃO DAS METODOLOGIAS EM DESIGN Ximenes. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá Com o objetivo de verificar a situação de desconforto e possíveis irregularidades na interface entre o passageiro e o assento do ônibus de transporte rodoviário convencional foram realizadas pesquisas de campo.A/ IC. Modelos gerados a parir de uma matriz foram apresentados a alguns designers.01. André/ Universidade Federal de Pernambuco Este artigo propõe uma investigação das metodologias de design.

IC. cálculo de economia e consumo de material de maior utilidade para a metalurgia. partindo do pressuposto de que. Priscila L. Denis Geraldo Fortunato/Faculdade de Arte e Design . Flávio L. desenvolvendo processo flexível de manufatura./ Centro Universitário SENAC Indicatti. A pesquisa teve como objetivo selecionar. estas obras e seus autores passaram a fazer parte de uma história do design gráfico brasileiro. Halinni Garcia/ Centro Universitário Senac Farias. objetivando uma maior otimização de matéria prima e tempo de produção. A metodologia adotada realizou uma análise comparativa dos resultados do software de vestuário aplicado ao desenvolvimento de produtos de aço e seus derivados. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac Este trabalho tem como objeto de estudo os cartazes premiados nas Bienais de Design Gráfico da ADG (Associação dos Designers Gráficos).01.FAD Fischer. analisar e organizar informações sobre estes cartazes. do software específico do setor e dos processos manuais. S./ Centro Universitário SENAC Gouveia. Anna P. ao serem premiadas ou destacadas nestas exposições. C. Fernanda I./ Centro Universitário SENAC e UNICAMP Farias./ Centro Universitário SENAC O presente artigo apresenta alguns dos principais resultados obtidos . TIPOGRAFIA URBANA . O trabalho faz parte de um projeto de pesquisa maior. Monica/ FAD O projeto de pesquisa concluído promoveu a análise da utilização do CAD de Vestuário para o setor de caldeiraria e funilaria. que tem como objetivo organizar uma coleção de cartazes na biblioteca do Centro Universitário Senac. SISTEMA FLEXÍVEL PARA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS: CAD DE VESTUÁRIO APLICADO NO SETOR METALÚRGICO Fraga. Verificou-se que o software do vestuário foi mais eficiente.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / aspectos relevantes para o conforto durante as viagens e no final do estudo observou-se uma irregularidade na norma que rege essa questão. pois possui ferramentas para o desenvolvimento de produto. e disponibilizar imagens deste acervo em suporte digital.MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVO Novaes.E Sala C149 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / /226 Coordenação/ Priscila Farias DESIGN DE CARTAZES: OS CARTAZES PREMIADOS NAS BIENAIS DE DESIGN GRÁFICO DA ADG Lopes.

Os estudantes aprenderam métodos de como pesquisar o cliente e o mercado no qual este está inserido. S. André Canal/ UNISINOS Ao longo de um semestre de trabalho. e a planilha tomos epigráficos (tabela que pode ser utilizada tanto para cruzar dados do acervo./ Centro Universitário SENAC e UNICAMP Este artigo tem como objetivo apresentar técnicas de modelagem e obtenção de réplicas de epígrafes arquitetônicas desenvolvidas durante pesquisa de iniciação científica. Bruna do Nascimento/UNISINOS Marques. Os professores guiaram os alunos por essa metodologia que ensina de forma eficiente e prática processos de desenvolvimento de um sistema-produto. realizaram pesquisas .F Sala C233 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / /227 DESIGN ESTRATéGICO: APLICAÇÃO DE UMA METODOLOGIA EM UM PROJETO DE GRADUAÇÃO Remus. Anna P. Descreve-se aqui o desenvolvimento de dois instrumentos de pesquisa: o mapa de rotas (desenvolvido para coordenar as visitas de campo). TIPOGRAFIA URBANA – MODELAGEM DAS EPÍGRAFES Indicatti. Além disso. O presente artigo busca descrever a metodologia empregada no curso. projetaram produtos para uma empresa parceira da Escola.01. Fernanda I./ Centro Universitário SENAC Novaes. C. Coza.01.A/ IC.01. especificamente nesse semestre com a empresa parceira. O trabalho foi desenvolvido no contexto do projeto Paisagens Tipográficas (Centro Universitário Senac). / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Virginia Borges Kistmann IC. quanto para a orientação na região estudada). O trabalho que a equipe de pesquisa vem desenvolvendo tem como objeto de estudo os elementos tipográficos de uma área delimitada do centro histórico da cidade de São Paulo. as réplicas obtidas farão parte de um acervo que deve contribuir para a preservação da memória da cidade. atualmente focado na análise de epígrafes arquitetônicas catalogadas numa área delimitada do centro de São Paulo. Priscila L. Entende-se por epígrafe arquitetônica a assinatura de arquitetos e/ou construtores nas fachadas dos edifícios. A modelagem busca agilizar e facilitar a etapa de análise dos caracteres epigráficos./ Centro Universitário SENAC Gouveia./ Centro Universitário SENAC Farias. alunos da graduação da Escola de Design Unisinos.I em duas pesquisas de iniciação científica vinculadas ao projeto de pesquisa Paisagens Tipográficas do Centro Universitário Senac.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. Flávio L.

o aumento do consumo de matériasprimas e geração de resíduos que isso acarretará. explicar ou ensinar um determinado assunto. e facilitar o acesso das populações de baixa renda a produtos que levem em consideração a satisfação do usuário. utilizando materiais em abundância. além de outros métodos que encaminharam para a concretização do sistema-produto. Mabel Gomes/ UFPE Carvalho. O POTENCIAL DO GESSO COMO MATéRIA-PRIMA PARA MOBILIÁRIO POPULAR Guimarães. o projeto de um compactador de latas. Conceição Garcia/ CEFET/SC Este artigo introduz noções da ferramenta de projeto chamada “Análise de Stakeholders”. Tem-se como estudo de caso dessa aplicação. FERRAMENTA ANÁLISE DE STAkEhOLDERS APLICADA AO DESIGN DE PRODUTOS Ferreira. versáteis. /228 .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / como a “blue-sky” para estimular idéias. para um determinado público-alvo. Natalie/ Universidade Positivo Mello. IC. MANUAIS E CARTILhAS Guimarães. melhorando as suas características a partir de experimentos. recicláveis e de baixo custo. Nyany Cardim de/ UFPE Castillo. Luiz Felipe de Macedo/ Universidade Positivo Este artigo é parte de uma pesquisa maior feita para um trabalho final de graduação.01. Leonardo Augusto Gómez/ UFPE O projeto “Materiais Alternativos Aplicados ao Desenvolvimento de Mobiliário para Moradia Popular” tem como objetivo encontrar materiais que possibilitem a redução de custos e do impacto ambiental. enfatizando sua utilidade durante a prospecção de oportunidades e definição do público-alvo no desenvolvimento de produtos. Apresenta uma introdução ao design da informação e analisa vários aspectos do design em materiais gráficos (guias. manuais e cartilhas) que têm como objetivo. como é o caso do gesso.G Sala C235 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / Coordenação/ Celia Maria Escanfella O DESIGN DA INFORMAÇÃO EM GUIAS. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. cujo público-alvo foi identificado por meio da análise dos atores envolvidos na cadeia da reciclagem do alumínio.

para apreender as principais percepções a partir do levantamento iconográfico e seus significados.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC.A/ IC. inserida no âmbito das Artes Visuais. A segunda etapa em desenvolvimento enfoca a interpretação do referido público-alvo frente a imagens selecionadas de peças do vestuário. para possibilitar uma reflexão crítica a respeito da problemática levantada.01. / / / / / / / Coordenação/ Reinilda Minuzzi IC. a tecnologia e o design. representativas da moda das últimas décadas.01.h Sala C237 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /229 DESIGN DE SUPERFÍCIE: CAMINhOS E POSSIBILIDADES ENTRE A ARTE. Centro Universitário Senac Santo Amaro Este artigo apresenta e organiza os problemas mais comuns encontrados no desenvolvimento de uma página web através de uma estruturação metodológica capaz de simplificar o ato de navegar por conteúdos disponíveis em rede. através de aspectos da prática didática e de investigação na área. em uma abordagem que prioriza os usuários da Internet. A primeira etapa já concluída fundamenta o estudo das tendências culturais e preferências pessoais na ótica das senhoras acima de 60 anos e sua percepção do corpo.01. Tatiana Silva. Cristiane Gontijo/ FAD Fischer. Reinilda/ UFSM Oliveira. Monica/ FAD A pesquisa objetiva subsidiar o desenvolvimento de coleção para senhoras na terceira idade. SIGNOS E SIGNIFICADOS DO VESTUÁRIO NA TERCEIRA IDADE: ESTUDOS CULTURAIS E ICONOGRÁFICOS NA FACULDADE SÊNIOR Victer.I PARÂMETROS PARA O DESENVOLVIMENTO DE WEBSITES Bevilacqua. A TECNOLOGIA E O DESIGN Minuzzi. Este esclarecerá . A PESQUISA DE TENDÊNCIAS NA MODA Chinchilha. Monique Aline A. de modo a embasar perspectivas de trabalho inovadoras na área. de/ UFSM Focando sobre o percurso do Design de Superfície e Estamparia na Universidade Federal de Santa Maria. com a integração de processos manuais e digitais. Gabrielle Stockey / UDESC Este artigo tem como finalidade descrever a metodologia utilizada pelo Projeto de Pesquisa de Tendências Futuro do Presente. o artigo aborda as inter-relações entre a arte. Destaca a pesquisa criativa. através de levantamento de dados quantitativos e qualitativos relacionados a esta população.

neste resumo.01. É um processo minucioso e de muito estudo. mostrando que só pode ser estabelecida se mantivermos abertas portas interdisciplinares. a pesquisa aqui apresentada é a parte inicial de um trabalho que. que requer sensibilidade para perceber as evidências que o espírito do tempo manda e transformá-las em tendências de moda. Para tornar possível a compreensão das novas tendências. SAPATO: MUITO MAIS QUE UM ITEM DO VESTUÁRIO. /230 . Mauro/ USP Este trabalho pretende revelar aspectos da relação entre mulher e calçado. é tratada como frivolidade. criando assim estratégias econômicas e mercantis. quando completado. Sheila Cristina Silva Aragão/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Claro. UMA EXTENSÃO DA PSICOLOGIA DA MULhER Caetano. aplicará as categorias observadas numa análise tipológica de calçados femininos. tecnologias. a exposição dos resultados é feita por análises estéticas e o elemento principal da fundamentação é a psicologia. ao mesmo tempo em que se estuda o comportamento humano e seu estilo de vida nas mais variadas culturas.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / em detalhes o processo de bservação. O artigo indica os caminhos a se percorrer para compreender tal relação. carregada de significados psicológicos e simbólicos. Sandra Regina/ UDESC A Moda que. tendências de longo prazo e os setores de referência apresenta-se eficiente para aqueles que buscam estudar o futuro como modo de minimizar os riscos em relação ao tempo desconhecido. traduzidas em tendências de Moda de curto e médio prazos.I Sala C239 09/10/08 Quinta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Maria Cristina Volpi FUTURO DO PRESENTE: PESQUISANDO TENDÊNCIAS DE CURTO E MéDIO PRAZOS ATRAVéS DOS SETORES DE REFERÊNCIA Campos. mostra a importância das mudanças sociais e comportamentais de um tempo. O uso de um método específico para a observação de sinais emergentes que explora influências como: comportamento. muitas vezes. Amanda Queiróz/ UDESC Rech. análise e interpretação de sinais. é preciso analisar e pesquisar diferentes setores. e desvendar tal relação. trazendo ao campo do design elementos para sua compreensão. IC.

a moda e suas intrínsecas relações com as transformações de comportamento. Assim defini-se o “vestuário atitude”. na relação entre moda e comportamento para construção de grupo social.01.A/ IC. Em seguida. Procura-se evidenciar como o significado do processo de vestir amplia-se e transforma-se em símbolo de valor social e poder. apresentam-se a tribo urbana Alternativa e seus integrantes. descrevendo o vestuário e comportamento característicos como elementos determinantes para a compreensão de suas relações sociais. da percepção e uso do corpo.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. uma composição de elementos estéticos.01.I VESTUÁRIO ATITUDE: TRIBO URBANA. em determinados momentos da história. Lígia Mara Zanella/ Universidade de Sorocaba O texto resgata inicialmente e de forma breve. MODA E COMPORTAMENTO Silveira. / / / / / / / / / / / / / /231 . não-verbal e verbal.

019 / 2004 / processo 478958/2004-8 e coordenado pela Profa. assim como qualidade na mediação entre o artefato e as pessoas. busca identificar e analisar o processo de transmissão da mensagem de capas de revista de arte e cultura. .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / IC.A Auditório 01 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /232 Coordenação/ Maristela Ono O GRAFITE: EXPRESSÃO ARTÍSTICA E INTERVENÇÃO URBANA Assis. A COMPREENSÃO DO LEITOR DAS CAPAS DE REVISTA SOBRE ARTE E CULTURA Vasconcelos. Para isso.02. junto ao projeto científico e tecnológico intitulado “Design industrial e diversidade cultural: mídia digital sobre automóveis e eletrodomésticos”. com abordagem multidisciplinar e interdisciplinar. Para contextualizar a reflexão teórica apresentam-se alguns trabalhos dos artistas Smael e Pato e suas específicas composições visuais que também remetem às discussões recorrentes sobre o anonimato e a efemeridade destas intervenções artísticas no espaço urbano. discute. Camila/ UFPE Wanderley. através de uma pesquisa analítica. DESIGN GRÁFICO DE MÍDIA DIGITAL SOBRE DESIGN INDUSTRIAL E DIVERSIDADE CULTURAL Veiga de França. as formas de representação e métodos de configuração escolhidos para expressar as mensagens. Renata/ UFPE Este artigo. a partir do modelo de Twyman (1979). Ana Claudia Camila/ UTFPR Ono. buscando-se eficiência na comunicação. procurouse pontuar primeiramente alguns elementos estruturais recorrentes do grafite para compreender a relação entre forma e conteúdo na produção de significado junto aos transeuntes e outros grafiteiros. Dra. que contou com a participação da referida bolsista. Maristela Mitsuko/ UTFPR Este artigo trata do trabalho desenvolvido por Ana Claudia Camila Veiga de França como bolsista de Iniciação Científica / PIBIC – CNPq. Maristela Mitsuko Ono. O projeto fundamenta-se no Design de Interação. Dessa forma. no uso da mídia digital. a partir do modelo de Goldsmith (1980). apoiado pelo CNPq / Edital Universal n. O artigo relata o desenvolvimento do design gráfico da referida mídia. a acessibilidade das informações apresentadas nos impressos e. Rafael/ Universidade de Sorocaba O texto procura entender o grafite como operação comunicacional e expressão poética a partir dos conceitos teóricos de Lotman sobre a estrutura do texto artístico. define as ações empregadas.

Apesar de outros designers realizarem críticas semelhantes. estes induzem o receptor à captura da informação e à compreensão das convenções impostas na forma do objeto. OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DOS OBJETOS DE DESIGN E ARTE GERADOS A PARTIR DO USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS Antunes. /233 . com a produção anterior do Design Moderno. o principal objetivo foi analisar os modos de configuração de objetos de arte e de design produzidos a partir do uso de dispositivos móveis.02.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. Considerouse que o processo de leitura de um dado objeto requer do usuário a identificação de determinados códigos inerentes à configuração da obra.I Coordenação/ Luisa Paraguai Donati IC. a abordagem dos Campana ao reinterpretar os temas populares e fundir diversas culturas os torna únicos e um grande exemplo do que um país multicultural pode fornecer. Ao serem percebidos e interpretados.B Auditório 02 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / DESIGN-ARTE BRASILEIRO: IDEOLOGIA E METODOLOGIA NA OBRA DOS IRMÃOS CAMPANA Eguchi. Objetivou-se conhecer o cenário esperado para os ambientes residenciais em 2017 e entender como o público-alvo se relacionará com a tecnologia. Olympio José/ UNESP Os Irmãos Campana apresentam uma obra de design singular. Contrastando os objetos Campana. Monica/ USP Este trabalho partiu do pressuposto de que a aparência do objeto implica um modo de recepção previsto na solução criativa adotada. tanto no âmbito brasileiro quanto internacional. tendo como foco principal a pesquisa de prospecção de tendências para o futuro. Baseado na semiótica peirceana e no conhecimento relativo à materialidade das novas tecnologias da comunicação.A/ IC. herdado de Ulm. Esta pesquisa buscou identificar os pontos que tornam o trabalho destes criadores especial no contexto histórico da contemporaneidade. Haroldo Coltri/ UNESP Pinheiro. a pesquisa realizada durante um projeto de produto eletroeletrônico para o ano 2017.02. Aline/ USP Tavares. a que chamaríamos de Pós-Industriais. Joana Knobbe/ CEFET SC Apresenta-se aqui. percebemos uma tentativa de distanciamento e crítica.02. O AMBIENTE RESIDENCIAL EM 2017: PESQUISA DE TENDÊNCIAS PARA O PROJETO DE PRODUTO ELETROELETRÔNICO Ferreira.

abordando sua importância e projeção. buscamos apresentar como o artista se inseria em seu contexto sóciocultural. Ariane Daniela/ Universidade Presbiteriana Mackenzie O presente artigo objetiva apresentar a série Cartografia Anímica de Duke Lee.C Auditório 03 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Ariane Daniela Cole A CARTOGRAFIA ANÍMICA DE WESLEy DUkE LEE Mendonça./ Centro Universitário Senac Este artigo busca entender a importância da cor na obra de Ikko Tanaka. uma das maiores. bem como inspirações e vivências do artista.D Auditório 04 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 /234 Coordenação/ Regina Cunha Wilke REVISTA FEMININA E A CULTURA DE NARCISO: ANOTAÇõES SOBRE A CONSTRUÇÃO DO CORPO Cabral. IC. A JÓIA NO CORPO E A ESCULTURA NO ESPAÇO PÚBLICO Mauro . o estudo se concentra na análise de alguns cartazes. Bruno/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Cole. Monique/ UDESC . C. há um resumo sobre a época em que Tanaka começa seu trabalho.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / IC. Além disso. ESTUDO CROMÁTICO NA OBRA DE IkkO TANAkA Higa. um pequeno panorama do design japonês e uma rápida biografia deste designer. O uso da xerografia. Para o melhor entendimento. das mais diversas épocas. mais ricas e esquecidas do artista e designer. formas.02. materiais. ressaltando a aproximação entre arte e design. Alexandre Burocchi/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Mello. Após essa breve contextualização. Este olhar sobre sua obra se justifica pela sua atualidade conceitual e cultural. Regina Lara Silveira/ Universidade Presbiteriana Mackenzie O artigo analisa os processos criativos de Arnaldo Battaglini. comparando a jóia “In and Out” e a escultura “Cubo Sombra Linear”. as relações que o artista utiliza para a construção de sentidos na direção da interpretação do mundo globalizado./ Centro Universitário Senac Novaes. Flávio L. Reinaldo A.02. Amanda Rosas/ UDESC Vandresen. selecionados de acordo com sua variedade cromática. para explorar imagens do contexto. Foram observadas as relações das obras com os usuários.

Época e IstoÉ. o qual tem uma repercussão até patológica.I Trabalho que faz parte da pesquisa revista feminina. mas agora. Santos/ PUC-Rio Este artigo relata a primeira fase de uma pesquisa de iniciação científica vinculada a um trabalho de doutorado. mostraram-se mais pertinentes para o estudo as capas cuja imagem principal é a do presidente Lula. A procura por cirurgias plásticas e doenças como a anorexia e a bulimia são exemplos de como o sistema de moda e o narcisismo podem agir de uma forma negativa.02. realizada pelo Departamento de Moda da Universidade do estado de Santa Catarina. a partir de uma análise bibliográfica e de um estudo preliminar de revistas femininas. Um Mapa do Gênero Editorial. Saber a melhor maneira de apresentá-los aos leitores pode mudar o caráter de uma publicação. a maneira como uma notícia é apresentada pode mudar o impacto causado no leitor. O tema foi escolhido por ser um assunto que está em voga na sociedade contemporânea.02. /235 . por meio de uma análise comparativa das imagens e assuntos abordados em cada edição. Welida/ PUC-Rio Nojima.UDESC. / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / A INFOGRAFIA APLICADA AO DESIGN EDITORIAL (JORNAIS E REVISTAS) Deboni. O artigo se propõe a analisar questões do narcisismo aplicadas à moda. Saulo/ Universidade do Estado de Santa Catarina A diagramação de páginas de jornais e revistas já faz parte do campo de atuação do design gráfico. Com base nos critérios de imagem veiculada com maior freqüência durante o ano e de maior relevância no cenário nacional.A/ IC. O objetivo foi estudar a estrutura da composição gráfica. possibilitam um melhor entendimento da notícia. Uma forma de atrair leitores é a utilização de infográficos. importante e ativo na sociedade. Trata dos efeitos retóricos da mensagem do Design Gráfico nas capas das principais revistas noticiosas brasileiras – Veja. Neste trabalho queremos mostrar uma parte marginal do mundo da moda. o qual é tão apreciado. As revistas femininas também geram um grande apelo nem sempre diretamente para tais práticas. Além de comporem a notícia de forma visualmente mais atrativa. DESIGN GRÁFICO: PARTICIPANDO DE UMA TESE DE DOUTORADO Barbosa. Vera Lúcia M.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC.

José Neto de/ Universidade Anhembi Morumbi Navalon. Discute sobre a tendência ou necessidade da minimalização das interfaces dos componentes e delineia uma conexão conceitual entre o presente e um período anterior. Pamela/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Websky.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / IC. Stefan/ CEFET SC Heemann. os quais trariam nos princípios lógicos clássicos e na multiplicidade de possibilidades. Josiane/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Teixeira. Larissa Palazi de/ Universidade Anhembi Morumbi Faria. MINIMALIZAÇÃO: TENDÊNCIA OU NECESSIDADE? Bordignon. Observa. finalmente. Joselena de Almeida/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná O presente artigo faz uma reflexão sobre a relação dos significados dos objetos e a gestão do design. Para atingir esse objetivo o artigo conta com fundamentação teórica. Assim. DESIGN CONTEMPORÂNEO: ENTRE AS GAVETAS E AS MÚLTIPLAS CONEXõES. as conexões necessárias à formação de seus produtos e serviços. Assis. Eloize/ Universidade Anhembi Morumbi Design contemporâneo propõe discutir e refletir sobre as mudanças metodológicas nas formas de pensar para compreender a formação dos objetos culturais contemporâneos. Adriano/ CEFET SC Este artigo enfoca um levantamento de informações que possibilitam uma análise sobre equipamentos eletrônicos profissionais e de uso doméstico. Acredita que os objetos culturais do design contemporâneo só podem ser produzidos pela associação destes dois modelos do pensar. Busca assim discutir a contribuição que essa relação traz ao desenvolvimento sustentável de produtos. por meio de uma revisão de artigos de congresso e literatura. /236 . como essa relação de elementos mínimos com profusão máxima vem sendo absorvida pelos usuários.E Sala C149 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Rosane Fonseca de Freitas Martins GESTÃO DO DESIGN E SIMBOLOGIA DE PRODUTOS COMO PARÂMETROS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Bostelmann. analisa o método científico analítico e o método científico sistêmico para compreender as suas influências na determinação das principais questões do design contemporâneo.02.

02. Adriano/CEFET/SC Corrêa. Para atingir esse objetivo foram considerados para esse trabalho uma revisão bibliográfica com histórico de escovas dentais e princípios de ecodesign. Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET SC Vieira. Andréa Seadi/ Centro Universitário Feevale Esse artigo apresenta a proposta de uma escova dental baseada em conceitos de Design for Disassembly (DFD). Resultando em considerações finais o redesign de um produto voltado ao design sustentável. O trabalho visa demonstrar o design como um agente para implementação de projetos sustentáveis.02. a pesquisa demonstra que é possível amenizar os efeitos do consumo de garrafas PET por meio de técnicas de reaproveitamento aplicadas ao projeto de luminárias.F Sala A205 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /237 REDESIGN DE PRODUTO SOB A ÓTICA DO ECODESIGN: ESCOVA DENTAL Dapper.02. A abordagem utiliza como referência projetos integradores de . Desse modo. Desta forma. Silvia Trein Heimfarth/ Centro Universitário Feevale Mendes.I Coordenação/ Gabriela Celani IC. visa-se gerar luminárias para estimular a confecção artesanal de produtos gerados de materiais descartados. aplicando princípios de Ecodesign para minimizar os impactos ambientais. proporcionar frentes para a reutilização do PET e para a conscientização ambiental. O DESIGN NA REUTILIZAÇÃO DE GARRAFAS PET: DESENVOLVIMENTO DE LUMINÁRIAS Dias. reutilizando garrafas PET descartadas.A/ IC. Mari Ângela Mendes/ Centro Universitário Feevale Guanabara. Jeandrey Scuissiatto/ CEFET/SC O presente artigo apresenta resultados obtidos na pesquisa de iniciação científica sobre ferramentas computacionais não comerciais. análise de produtos similares e análise de caracterização de materiais. Raquelly Oliveira/ CEFET SC Santos. reutilização e reciclagem.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. Susana Medeiros/ CEFET SC Este artigo faz parte de uma pesquisa que objetiva incentivar projetos sócio-ambientais com valores agregados e economicamente viáveis. ANÁLISE DO PROCESSO COLABORATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS LIVRES EM DESIGN Heemann. tidas como adequadas para o auxilio à colaboração em design de produto.

Leilyanne Ferreira Marques/ USP Tavares. sejam contemplados os requisitos necessários para desenvolver um produto com bons resultados estéticos e funcionais. Finalmente.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / acadêmicos do Curso Superior de Tecnologia em Design de Produto do Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina (CEFET-SC). O modelo em que se baseia a análise . Este artigo propõe uma reflexão acerca da produção de objetos sem perder de vista valores do senso comum.02. Deseja que este seja prático e eficaz. Ítalo/ UFPR Slobodzian. o designer deve pensar os anseios de seu público para que. o artigo apresenta a avaliação e descrição crítica de uma seleção de softwares livres disponíveis para o auxilio ao design colaborativo.G Sala A207 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /238 Coordenação/ Edson Pfutzenreuter AS VARIÁVEIS DO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ESTéTICA – O ESTUDO DE CASO DOS SITES DE ARTE Silva. SENSO COMUM NO DESIGN Silva. Larissa/ UFPR Siqueira. Silmara/ UFPR Barbosa. Monica/ USP Ao admitir que o processo de leitura do objeto de design se baseia nos aspectos formais que o objeto traz em si mesmo e no repertório do receptor. quando entra em contato com um produto. Ana Carolina/ PUC-Rio Nojima. nas diversas etapas de produção. Vera Lúcia M. presentes nos manuais destes. este artigo pretende estudar como as variáveis inerentes aos modos de configuração dos sites de arte – eleitos como objeto de estudo – condicionam os seus usos e funções. SEQÜÊNCIAS PICTÓRICAS DE PROCEDIMENTOS DE ACENDIMENTO DE FOGõES: UM ESTUDO ANALÍTICO E CONSIDERAÇõES PARA SEU DESENVOLVIMENTO Gomes. Jonathan/ UFPR Este artigo apresenta uma análise das seqüências pictóricas de procedimentos (SPPs) de acendimento das bocas de fogões. Santos/ PUC-Rio O consumidor. IC. Ao projetar este objeto. tem expectativas sobre a usabilidade dele. relativo aos seus valores e crenças.

Hoardy da Silva/ Universidade Federal de Campina Grande O presente artigo demonstra como o design pode ser um agente para implementação de atividades sustentáveis em uma indústria moveleira de Campina Grande (PB). levantando-se considerações e orientações para nortear o desenvolvimento de SPPs de natureza similar.A/ IC. Gerson Ávila Hulbert/ CEFET/SC . usabilidade e design. foram analisadas tendências nesses materiais.h Sala A214 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /239 MOBILIÁRIO PEDAGÓGICO INFANTIL Marques. CEI’s e CMEI’s. Marilis Heimbecker/ UTFPR Espinoza. O resultado demonstra como o desenvolvimento de produtos pode ajudar na diminuição dos desperdícios e dos rejeitos que iriam para o meioambiente em produtos que também enfatizam a responsabilidade social. REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE MADEIRA PARA FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO PARA CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS Torres. Maria Claudia Santos/ UTFPR Os ambientes de ensino infantil apresentam configurações que atendem parcialmente aos seus usuários sob aspectos de aprendizagem.02. Este trabalho propõe um mobiliário mais ergonômico para o uso em instituições de educação infantil. assistidas pela APAE. Paraná. ergonomia. que causavam uma série de problemas à empresa. Stefan/ CEFET/SC Filho. ESTUDO ERGONÔMICO PARA DEFINIÇÃO DE MEDIDAS DE MÓVEIS PRé-ESCOLARES Bordignon. na cidade de Curitiba. sendo também utilizados pontos levantados por Bieger & Glock (1985) e Van der Waarde (1999) em seus modelos relacionados a representações gráficas. Pablo Marcel de Arruda/ Universidade Federal de Campina Grande Alves.I é o desenvolvido por Spinillo (2002). no qual algumas características gráficas das SPPs são abordadas.02. para o desenvolvimento e construção de uma linha de móveis para o auxílio de crianças com necessidades especiais. Brasil. Com essa base. O projeto reporta à utilização dos resíduos de madeira.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. tendo como estudo de campo uma amostra de 24 Centros de Educação Infantil particular e municipal.02. / / / / / / / Coordenação/ Enrique Rentería IC. para o objeto de estudo o modelo citado não se mostrou suficiente. Entretanto.

a fim de projetar um conjunto escolar (mesa e cadeira). os esquemas de combinações e como utilizar as cores dentro de um ambiente.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / Symanski. contando com a orientação do corpo docente do CEFET/ SC. Mabel Gomes/ Universidade Federal de Pernambuco Castillo. Natascha Borges/ CEFET/SC Este artigo refere-se a um projeto desenvolvido junto a uma equipe de quatro alunos. Leonardo Augusto Gómez/ Universidade Federal de Pernambuco O setor da construção se depara diante um novo desafio: o desenvolvimento da moradia sustentável. através do uso das cores. Isso significa introduzir no projeto a dimensão da sustentabilidade. estuda novos materiais que estejam relacionados à redução de custos e do impacto ambiental dos produtos a serem desenvolvidos. técnicas construtivas e componentes do projeto. de análise da tarefa e de similares e então testados com o auxílio de dummies e de modelos de estudo. Apresentamos em nosso estudo a classificação. Nyany Cardim de/ Universidade Federal de Pernambuco Guimarães.I Sala A216 10/10/08 Sexta-feira 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Eduardo Braga DESENVOLVIMENTO DE ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS PARA hABITAÇÃO DE BAIXA RENDA Carvalho. pediatria. o estudo da combinação de cores. a adaptação visual. a possibilidade de expressão e comunicação.02. O projeto de iniciação cientifica: “Materiais Alternativos Aplicados ao Desenvolvimento de Mobiliário para Moradia Popular”. em um estagio de observação sobre a percepção cromática através das idades. Nossa proposta é transformar um lugar frio e triste. SIMBOLOGIA DA COR EM AMBIENTE hOSPITALAR: PEDIATRIA Beuren. a diferença de percepção. e a inovação a partir da base da pirâmide. no que se refere a critérios de seleção de materiais. As medidas básicas para móveis a serem aplicadas em projetos deste tipo foram obtidas por meio de entrevistas. Fernanda Hansch/ UTFPR Escolhemos como tema principal deste projeto. levando em consideração a iluminação. /240 . relata a pesquisa acadêmica realizada para a obtenção de dados antropométricos de crianças em idade pré-escolar. Consideramos importante fazer um paralelo com crianças de 0 a 14 anos em Instituições de ensino. em outro alegre e aconchegante. IC. a simbologia da cor e a cor como terapia.

este artigo visa à identificação e análise prévia das instalações artístico-conceitualistas na mostra de decoração e arquitetura Casa Cor Minas Gerias. entre outros.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. acabam por expôr a fase puramente teórica da prática projetual de design de ambientes. Ana L. Assim.A/ IC.02.02. G/ Universidade do Estado de Minas Gerais A partir da coleta de dados por pesquisa documental e bibliográfica. projetos como “Espaço Concreto” de Eduarda Corrêa. O movimento Conceitualista estabeleceu a idéia em detrimento do objeto e uma das manifestações é a instalação a qual se apresenta na Exibição Casa Cor Minas Gerais. O evento ocorre anualmente em uma casa de diversas cidades do país e do mundo onde cada profissional executa um projeto para cada ambiente. / / / / / / / / / / / / / /241 .I AS INSTALAÇõES NA CASA COR MINAS GERAIS Santos.

além de estudos . Assim. buscando alternativas para o melhor aproveitamento na sua aplicação em produtos do setor de gemas e jóias.Minas Gerais. O ECO-REDESIGN COMO FERRAMENTA DA OTIMIZAÇÃO DE MATERIAIS Hayden. Este método objetiva a inovação dos produtos e processos enquanto contribui para um modelo produtivo mais sustentável.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / IC. pela racionalização do processo de beneficiamento mineral. Adriano Aguiar/ Universidade do Estado de Minas Gerais Dias. uma revisão bibliográfica (por meio de livros e artigos de design publicados) será utilizada como base. pretende-se associar o uso de materiais alternativos no redesign com a gestão estratégica do design empresarial. Nathália Jung/ UTFPR Lobo. Maria Bernadete Santos/ Universidade do Estado de Minas Gerais Este trabalho tem como objetivo apresentar linhas de produtos voltadas ao beneficiamento dos rejeitos derivados da extração de pegmatitos e gemas de baixo valor intrínseco desenvolvidas para a unidade produtiva do município de Coronel Murta . Wadson Gomes/ Universidade do Estado de Minas Gerais Teixeira.A Auditório 01 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /242 Coordenação/ Edson Pfutzenreuter BENEFICIAMENTO DE GEMAS NA UNIDADE PRODUTIVA DE CORONEL MURTA Gomes. Johanna Odebrecht/ Universidade do Estado de Minas Gerais O conceito de Lapidação Inteligente é melhor entendido como a aplicação do design no desenvolvimento de produtos derivados de gemas e minerais de menor valor intrínseco. Marina Cambraia/ Universidade do Estado de Minas Gerais Mol. com minimização de geração de resíduos pelo emprego de técnicas e tecnologias adequadas. O objetivo principal do projeto é realizar estudos das possibilidades formais de lapidação de minerais-gema. com a utilização de diferentes técnicas de lapidação. Joselena de Almeida/ UTFPR O objetivo desse artigo é apresentar o eco-redesign como uma ferramenta de otimização de materiais. Adriano Aguiar/ Universidade do Estado de Minas Gerais Amorim. ESTUDO DA VALORIZAÇÃO DAS GEMAS ATRAVéS DO DESIGN DE LAPIDAÇÃO Mol. Bianca Kirchner/ UTFPR Teixeira.03. Dessa forma. O foco do projeto é a aplicação do design a esses minerais como diferencial para acesso a novos mercados.

Liliane/ Universidade Norte do Paraná Walter./ Universidade Norte do Paraná Rodrigues. Yuri/ Universidade Norte do Paraná Gomes. O objetivo é auxiliar na proposição de diretrizes de projeto para o conjunto de mobiliário de uma Materioteca em desenvolvimento. Verificou-se tipos e dimensões gerais de amostras. um coadjuvante da reconstituição da história do design no Brasil.03.F de caso publicados. / / Coordenação/ Regina Cunha Wilke IC. Valter/ Universidade Norte do Paraná Este trabalho trata de uma investigação sobre as características formais de amostras de materiais que devem compor o acervo de uma Materioteca. Samantha/ Centro Universitário Senac Wilke.03. Evelyn Rodrigues de/ CNPq Este artigo contempla uma das etapas de levantamento de dados para a elaboração do projeto de sinalização a ser implantado em uma Materioteca em desenvolvimento./ Universidade Norte do Paraná Azevedo. Regina Cunha/ Centro Universitário Senac Este artigo traça um breve relato dos procedimentos e resultados do projeto de iniciação científica “Coleção de cartazes em instituições culturais públicas”. Objetivou-se verificar o comportamento gráfico dos textos e ilustrações de sistemas de sinalizações. Lilia Paula S. Renan S. Esse artigo pretende refletir sobre o eco-redesign e sua contribuição para a gestão do design.A/ IC. William/ Universidade Norte do Paraná Reginato.B Auditório 02 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /243 ACERVO DE MATERIAIS DE UMA MATERIOTECA: INVESTIGAÇõES PRELIMINARES SOBRE AS CARACTERÍSTICAS DAS AMOSTRAS Santiago. ANÁLISE DE VARIÁVEIS GRÁFICAS DOS MODOS DE LINGUAGEM PRESENTES EM PROJETOS DE SINALIZAÇÃO: SUBSÍDIO NA CONCEPÇÃO DE PROJETO SIMILAR PARA MATERIOTECA Ribeiro. Bruno/ Centro Universitário Senac Capatti. seus suportes e sistemas de identificação. coletados .INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. que têm como objetivo pesquisar a organização e a vocação de acervos de cartazes. ORGANIZAÇÃO E VOCAÇÃO DE ACERVO Ludovici. bem como. A intenção é trazer parâmetros para a constituição de um acervo de cartazes brasileiros. na Biblioteca do Centro Universitário Senac.03.

Vera M. Design Gráfico.C Auditório 03 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /244 Coordenação/ Gisela Belluzzo de Campos ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DAS CORES E ANIMAÇõES NA COMPREENSÃO DE hISTÓRIAS PELO PÚBLICO INFANTIL Brito. Para tanto. por crianças. Para tanto. Alessandra Márcia de Freitas/ Universidade Presbiteriana Mackenzie A presente pesquisa se debruça na conceituação teórica de um website educacional voltado ao público infantil de 2 a 8 anos de idade. e a centralização do mesmo nas necessidades do seu público. buscou-se um estudo acerca do Design de Interação. Em andamento. O LIVRO INFANTIL E O DESIGN GRÁFICO Suzuki.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / via internet. Rafael Kenji/ Centro Universitário SENAC Esta pesquisa busca compreender as relações existentes entre as vanguardas do movimento modernista e sua influência sobre a concepção do projeto gráfico de livros de literatura infantil. e na definição das características do público infantil diante da experiência com o computador. dos Santos/ PUC-RIo A literatura infantil ilustrada data do século XVI e tem uma rica história. PESQUISA ACERCA DO DESIGN DE UM WEBSITE EDUCACIONAL PARA O PÚBLICO INFANTIL DO PROJETO “ANIMALIXO” Mouro. Para tanto. a pesquisa primeiramente contextualiza historicamente o surgimento e consolidação da literatura infantil com o período de desenvolvimento e canonização do Design e posteriormente avalia a contribuição do modernismo nesse percurso. Leandro Cardoso Xavier de/ PUC-RIo Crenzel. IC. analisou-se as variáveis gráficas dos modos de linguagem e observou-se a relevância no projeto de sinalização. O advento da interatividade digital representa um novo suporte para esse tipo de narrativas. Este texto resume uma pesquisa que visa detectar diferenças de apreensão do conteúdo. Paola Prado/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Stefani. Silvina Ruth/ PUC-RIo Nojima. de um conto ilustrado em três versões. e autores com experiência prática na criação e ilustração desse gênero de livro. da canonização ao emprego dessa estética no livro propriamente dito. visando a adoção de uma metodologia para o projeto do website. sua metodologia se baseia na pesquisa bibliográfica de autores de áreas distintas: Literatura Infantil. . duas impressas e uma digital.03.

Bianca/ PUC-Rio Falcão. . Andersen pôde se mostrar um método prático e eficiente ao analisar e relevar facilmente as linguagens a serem exploradas na diagramação da publicação. Um importante incentivo a essa produção a favor do meio ambiente. aplicado como um processo metodológico baseado em teorias de ensino no desenvolvimento do projeto editorial ilustrado do conto “A Pequena Sereia” de H. APLICAÇÃO DA LEITURA VISUAL COMO PROCESSO AUXILIAR NO DESENVOLVIMENTO DO DESIGN EDITORIAL E CRIAÇÃO DE ILUSTRAÇõES PARA O CONTO “A PEQUENA SEREIA” DE hANS ChRISTIAN ANDERSEN Durski. é boa aceitação e preferência de muitos consumidores em relação a produtos que possuam algum quesito de sustentabilidade.D Auditório 04 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /245 A REDUÇÃO NA FONTE COMO SOLUÇÃO PARA MINIMIZAR O IMPACTO AMBIENTAL CAUSADO PELAS EMBALAGENS Moraes. Nos últimos anos.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. a vivacidade e o enriquecimento cultural de uma cidade. bem como no auxílio no desenvolvimento das ilustrações do livro. Carolina/Universidade Positivo O processo da leitura visual. algumas empresas têm utilizado a redução na fonte como solução viável de se reduzir em curto prazo o impacto ambiental causado pelas embalagens que são responsáveis por grande parte do volume de resíduos sólidos gerados. Maria Flávia Vanucci de/ Universidade do Estado de Minas Gerais Oliveira. Lorena Gomes Ribeiro de/ Universidade do Estado de Minas Gerais Diversos fabricantes de embalagens estão adequando a sua produção.03. buscando processos e produtos mais sustentáveis.C. Daniel Peixoto/ Universidade Positivo Nunes.03. mostrando como novas idéias criativas para o encaminhamento da obra em questão surgem do processo e são expostas neste artigo. à medida que as questões ambientais alcançam proporções maiores.F Coordenação/ Paula da Cruz Landim IC. Marília/ Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora A diversidade de elementos de comunicação visual contribui muito para a pluralidade.A/ IC. Jadna Mari/Universidade Positivo Calomeno.03. INFORMAÇÃO OU POLUIÇÃO: PROCESSOS DE DESCARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO Lemos Felga. Lucas/ Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora Cunha. É proposto um exemplo analisado de acordo com a leitura visual.

nos últimos anos. /246 . os principais responsáveis pela poluição visual.03. foi desenvolvida a Pesquisa de Iniciação científica no Curso de Arquitetura e Urbanismo do CES/JF. são esses mesmos elementos.E Sala C149 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Celia Maria Escanfella hISTÓRIA DO DESIGN DE SUPERFÍCIE NO RIO GRANDE DO SUL Xavier. com enfoque no estado do Rio Grande do Sul. Este estado apresenta-se como um difusor da área. contextualizando. COMPONENTES E A PRODUÇÃO DO INSTRUMENTO MUSICAL Ferreira. paralela ao desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de Curso que consiste no projeto de uma harmônica de boca para a iniciação musical infantil em parceria entre o curso Superior de Tecnologia em Design de Produtos do CEFET/SC e a empresa Hering Instrumentos Musicais (Blumenau/SC). que é levantar fontes e documentos relativos à história do design de superfície. Com o intuito de mostrar como se comportam os moradores de Juiz de Fora. hARMÔNICA DE BOCA: SISTEMAS. Fabrício Casarejos Lopes/ PUC-Rio Este artigo é fruto da pesquisa em andamento sobre Design e Instrumentos Musicais. Apresentaremos o foco da pesquisa.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / entretanto. aqui relatados. nos limites da presente pesquisa. Para o desenvolvimento do projeto foi necessário entender o funcionamento. assim como os resultados obtidos até agora. sistemas e processo de produção do instrumento musical. aqui apresentada. do centro da cidade por letreiros e cartazes. Conceição Garcia/ CEFET/SC Luiz. Nosso objetivo é buscar as origens da formação deste pólo de difusão. Evelise Anicet/ UFRGS Este artigo apresenta os métodos empregados na pesquisa de iniciação científica do autor. o design de superfície dentro da história do design. IC. assim como os componentes. como no mercado de trabalho. Eduardo de Souza/ UFRGS Rütschilling. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. tanto em estudos acadêmicos. quando em excesso. O descompasso entre a publicidade externa e a paisagem urbana já não é percebido somente nas grandes cidades. Minas Gerais. sobre a tomada.

das manifestações folclóricas e da própria história do Mercado. Flaviza/ CEFET-SC Gomez. artesãos e músicos envolvidos na concepção. / / / / / / / / / / / / / / Coordenação/ Romero Tori IC. que incorporados aos conhecimentos de metodologia do design. que não interfira na arquitetura original do edifício. como interface entre os usuários e o espaço. culminam na estruturação de um método diferenciado para design gráfico. produção e manutenção desses instrumentos. INCORPORAÇÃO DE CONhECIMENTOS DE MARkETING E ADMINISTRAÇÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM MéTODO PARA O DESIGN GRÁFICO Righeto.03. foi possível gerar uma breve análise e levantar questões a cerca da intervenção do processo de design nesse contexto. edifício tombado pelo patrimônio histórico da Prefeitura Municipal de Vitória. Luiz Salomão Ribas/ UFSC O presente artigo discorre sobre a importância de um método e seu caráter modificável.F Sala C233 11/10/08 Sábado 15h30/16h15 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / /247 A CAÇADA. paralela ao desenvolvimento do Trabalho de Conclusão de Curso em parceria entre o Curso Superior de Tecnologia em Design de Produtos do CEFET/SC e a empresa Hering Instrumentos Musicais (Blumenau/SC). Conceição Garcia/ CEFET/SC Luiz. possibilitará virtualmente certa aproximação do visitante em relação às experiências que integram os processos criativos e produtivos do artesanato.INICIAÇÃO/CIENTÍFICA / / IC. O MERCADO E UMA ESPACIALIDADE hÍBRIDA Morais. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. inspirado na música Caçada. está sendo restaurado para abrigar um centro de artesanato e economia solidária. um projeto de mobiliário. o qual inclui o planejamento estratégico como etapa projetual. . do compositor Chico Buarque de Holanda.F INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE DESIGN INSTRUMENTOS MUSICAIS Ferreira. São apresentados estudos das áreas de marketing e administração. ES.A/ IC. Em contato com a empresa produtora de instrumentos musicais.03.03. A proposta desta pesquisa é propor um projeto de interatividade. Fabrício Casarejos Lopes/ PUC-Rio Este artigo é fruto da pesquisa em andamento sobre Design e Instrumentos Musicais. Vinícius Alberto/ Faculdades Integradas Espírito-Santens O Mercado São Sebastião. A simulação de uma espacialidade híbrida através do design interativo. Faz parte do trabalho.

de/ UFPeL Este artigo visa desenvolver uma reflexão acerca da atual posição do Design Gráfico como área do conhecimento e prática profissional. Fabiana O.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / / / / / / / / / UMA REFLEXÃO hISTÓRICO-TEÓRICA DA NECESSIDADE DE UM PENSAMENTO METODOLÓGICO E CRÍTICO NO DESIGN GRÁFICO Heinrich./ UFPeL Brito. embasado em abordagem metodológica e crítica. socioteóricas e socioprofissionais. A partir de elucidações sociohistóricas. /248 . Andréia B. buscase propor um posicionamento profissional mais pontual.

/ / / / / 249/ ÍNDICES/ DOS/ TRABALHOS/ POR/ SESSÃO / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / .

Elton/ UFSC Grzebieluckas. Maria Bernadete Santos/ UEMG ST.01. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac São Paulo / ANÁLISE DA FUNÇÃO ESTéTICA / POéTICA NA LINGUAGEM DO DESIGN CONTEMPORÂNEO /47 Pantaleão.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ÍNDICE DE TRABALhOS SESSõES TéCNICAS / / / / / ANÁLISE ERGONÔMICA DO TELEFONE PÚBLICO PARA USUÁRIOS DE CADEIRAS DE RODAS /48 Bazán.A DESTINOS GRÁFICOS: PENSANDO NO DESIGN GRÁFICO A PARTIR DA PRODUÇÃO DOS VIAJANTES NO BRASIL DO SéCULO XIX /46 Miyashiro. Olympio José/ FAAC – UNESP . Lucas Farinelli/ Faculdade de Artes. AUTOMAÇÃO E PERSONALIZAÇÃO /49 Faria. Cristina do Carmo/ UEM ST. Greyce Yane Honorato/ Universidade Federal de Campina Grande . Jarbas/ UFPE Aragão.UNICAMP / IMAGENS COMERCIAIS DE PERNAMBUCO: RECUPERAÇÃO E CATALOGAÇÃO DE UM ACERVO /46 Barreto Campello. Maricel Karina López/ UFSC /250 . Luiza/ Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro .C DESIGN E TELEMEDICINA: DESENhO DE UMA PARCERIA /49 Novaes. Maicon Kenji/ Universidade do Sul de Santa Catarina . Mirella De Menezes/ PUC ./ UFSC Nickel.PUC . Silvio/ Universidade Federal de Pernambuco . Uiara/ UNISUL / O MODELO MCDA COMO INSTRUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO DAS NECESSIDADES DO CONSUMIDOR NO PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DO DESIGN DE UM AUTOMÓVEL /51 Buson.UNISUL Hoffmann. Dayse Cavalcanti de Lemos/ UFPE / GLÚTEN: USABILIDADE E ADVERTÊNCIA EM EMBALAGENS /48 Merino.BAURU ST.Rio Farias. Silvia Elisa Reis/ UEM Lucio. Laura Bezerra/ UFPE Duarte. Isabella/ UFPE / METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA TIPOGRAFIA PÓS-MODERNA NAS BIENAIS DE DESIGN GRÁFICO DA ADG /46 Migliari. Anamaria de/ PUC-Rio / SISTEMA DE INFORMAÇÃO INDUSTRIAL: UMA ABORDAGEM INTERDISCIPLINAR DIRECIONADA AO GERENCIAMENTO DE RISCOS /48 Ramos. Arquitetura e Comunicação – UNESP . Débora Tatiana Ferro/ UFPE Martins. Shirley G. Edson silva/ UEMG Lana . Eugenio Andrés Díaz/ Universidade Federal de Santa Catarina . Alceu B.Rio Couto. Giuseppe/ PUC-Rio Moraes. Marcos Albuquerque/ UFSC Junior. Nivaldo Simões/ UFCG / TOPOLOGICAL MESh MODELING: APLICAÇÃO DE MéTODOS MATEMÁTICOS E COMPUTAÇÃO GRÁFICA NO PROCESSO DE CRIAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE JOALhERIA /50 Xavier. Sandra/ UFSC Ensslin. José Neto de/ Universidade Anhembi Morumbi Moura.01. Henrique / UEMG Teixeira. Ethiene Pereira da/ UEMG / ERGONOMIA APLICADA EM CARRO DE APOIO PARA ENFERMAGEM /51 Nishida. Rita-Maria de Souza/ PUC .UFSC Torres.B ABORDAGEM DO ERGODESIGN EM ESTUDO SOBRE A TRAVESSIA DE PEDESTRES EM VIAS COM SINALIZAÇÃO SEMAFÓRICA /47 Amado. Leonardo/ UFSC / ST.Campus de Bauru Pinheiro. Cleci/ Unemat/ UFSC Ensslin. Aline Aristides/ UEM Brito.D ERGONOMIA NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS /50 Silva. Rafael Tadashi/ Universidade Estadual de Campinas ./ UFSC Queiroz. Mônica/ Universidade Anhembi Morumbi / PROJETO DE PRODUTOS COM FOCO NA CRIATIVIDADE E NA TRADUÇÃO INTERSEMIÓTICA /49 Sampaio.UFCG Gomes.01.UFPE Agra.01.Rio / DESIGN DE hIPERMÍDIA EM TERMINAIS E-PAPER: GERENCIAMENTO.

G AVALIAÇÃO ERGONÔMICA DA USABILIDADE DE ALGUMAS EMBALAGENS PLÁSTICAS DE 20 LITROS PARA AGROTÓXICOS /55 Zerbetto. Luiz Gonzaga/ ITA Kiatmann.UNB Sarmet. Cristiane Affonso de Almeida/ Universidade Estadual de Londrina .01. Olympio José/ UNESP – FAAC/Bauru ST. Ninon Rose Tavares/ UEPA Franco.01. C. Marili de Lima Ferreira/ USP Santos.Bauru Menezes.01. Sileide Aparecida de Oliveira/ FAAC . José Carlos Plácido da/ FAAC .UFPR Trabasso.UEL Santos.E COMUNICAÇÃO VISUAL URBANA UM ESTUDO DE CASO – AVENIDA BENTO GONÇALVES /52 Bakos./ UFPE Guedes. Itiro/ UNB / /251 . João Batista/ UFCG / LIGhTING DESIGN E PLANOS DIRETORES DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: A REQUALIFICAÇÃO DA CIDADE POR MEIO DA LUZ ARTIFICIAL. Ana Cláudia/ UNB Iida. Juliana Pontes/ Universidade FUMEC Macieira.UNESP Bormio. Monique Petrilo/ UEMG Silva. Viviane Gaspar Ribas/ Universidade Federal do Paraná . Raphael Lucas/ UEPA Tavares. P.ST.ESPM RS Benzatti. A./ UFPE Montenegro.Bauru Silva. Pablo Maia/ CEFET Pará ST.Bauru / TESTE DE PERSONALIDADE DOS PRODUTOS /57 Silva.01. Luiz Carlos/ UEPA Silva. Mariana Falcão/ FAAC . Eduardo/ ESPM SP Bustos. Cássia/ Universidade FUMEC Rena. Ladjane B.Bauru Paschoarelli. M. Mauricio M. Glielson Nepomuceno/ UFCG PROJETO SEMPRE SAVASSI: DESIGN E ARTESANATO URBANO /54 Ribeiro. Alessandra Martins/ UFPR Oliveira. Ágata/ ESPM SP / DESIGN SUSTENTÁVEL NO MOBILIÁRIO URBANO /52 Soares. Cristiane Affonso de Almeida/ UEL Santos. de C. Ariadne Mara Maestrello da/ UEL / ESTUDO DE APLICAÇÃO DO PROTOCOLO DE AVALIAÇÃO E ANÁLISE ERGONÔMICA DE POSTOS DE TRABALhO EM CARTEIRA ESCOLAR /56 Paccola. Luiz Onélio de Oliveira/ UFPE / DESIGN URBANO E CONTEXTO AMBIENTAL NO PROJETO DE EQUIPAMENTO URBANO /53 Barbosa. /53 Vanderlei.UNESP / MOBILIDADE: UM ESTUDO SOBRE DESMONTABILIDADE E FLEXIBILIDADE DO MOBILIÁRIO DOMéSTICO /56 Gondim. João Eduardo Guarnetti dos/ UNESP . Aline Teixeira de/ UNESP .UNESP Silva. Anelise/ UFRGS Netto./ Universidade de Brasília . M./ UFPE Martins. Fernando/ Escola Superior de Propaganda e Marketing . A. Laura Bezerra/ Universitat Politècnica de Catalunya Vanderlei. Silvana Bárbara Gonçalves da/ UFPR ST. Alexandre Antonio de/ UFPR Silva. Leonardo Nunes/ UEPA Roni. Natacha/ Universidade FUMEC / O CONCEITO DE hIBRIDAÇÃO IMAGEM–OBJETO COMO ANALOGIA PARA A METODOLOGIA DO DESIGN CONTEMPORÂNEO /55 /55 Gomes. Marizilda Santos de/ UNESP . Maria Cecilia Loschiavo dos/ USP / ARTESANATO PARAENSE: DIAGNÓSTICO DO ARTESANATO NA REGIÃO METROPOLITANA DE BELéM /54 Pinto.01. Carolina/ ESPM RS Scherer. A. Fabiano de Vargas/ ESPM RS Tinoco. Rogério Zanetti/ UNESP – FAAC/Bauru Pinheiro. Ariadne Mara Maestrello da/ UEL ST.01.H / O PROCESSO DE DESIGN DE AERONAVES: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO /51 El MarghaniI. Luis Carlos/ UNESP . Rosângela Gouvêa/ UEPA Jardim. Ethiene Pereira da/ UEMG / A TEMPORALIDADE NA ANÁLISE VISUAL DO MEIO URBANO /52 Barbosa.h VALOR PERCEBIDO DOS PRODUTOS E AS TENDÊNCIAS: ESTUDOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE MÓVEIS /57 Souza. Benamy/ UFRGS / GUIA DE PARÂMETROS ERGONÔMICOS PARA EMBALAGENS PLÁSTICAS DE AGROTÓXICOS /56 Zerbetto. Tiago B.UFRGS Kluge. Gabriel/ UFRGS Turkienicz.F PROJETAR PARA A SUSTENTABILIDADE /54 Brandão.A . A./ UNB Maynardes. João Eduardo Guarnetti dos/ UNESP Silva. Virgínia Borges/ UFPR Enriconi. C.ÍNDICES / ST. Cristina/ Universidade Federal do Rio Grande do Sul .

Juliana Pontes/ UFMG ST. Erimar/ UFPE ST. Guilherme da Cunha/ESDI . Daniel Santiago/ UEPA Nagata. Carolina/ Universidade Positivo ST.RJ / ANÁLISE DA LEGIBILIDADE E COMPREENSÃO DE RÓTULOS DE AGROTÓXICOS: ESTUDO COM AGRICULTORES DA REGIÃO DE LONDRINA. Vinícius/ UFPE Cordeiro. Isabella/ UFPE / ANÁLISE DE MERCADO DE JOGOS ELETRÔNICOS: PERFIL DO CONSUMIDOR DE BELéM /62 Nascimento.I FUNDAMENTOS PARA O ALCANCE DA COLABORAÇÃO EM DESIGN /58 Heemann. Verônica de Menezes Nascimento/ UEPA / METODOLOGIA DE ANÁLISE PARA JOGOS DIGITAIS: UM ESTUDO DE CASO DA REFORMULAÇÃO DO JOGO hONOLOkO /62 Moreira. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER Kunzler. Roberto/ UFRGS Tessman. Camila/UFRGS / O USO DA LINGUAGEM GRÁFICA NO DESIGN DE SUPERFÍCIE: UMA REFLEXÃO /63 Rinaldi.J COMPREENDENDO O GERENCIAMENTO DE CORES /60 Holdschip./ UNESP / MODA E DESIGN: RUMO AO hIBRIDISMO? /63 Bastian. Lyra. dos S.L O DESIGN DE SUPERFÍCIE E SUA RELAÇÃO COM O DESIGN DE PRODUTO /62 Kluge. M.FAAC/ Bauru / ST.01. Winnie/ Centro Universitário Senac São Paulo / SUPERFÍCIES: NOVAS FRONTEIRAS PARA O DESIGN /63 Pereira. Marizilda dos Santos/ UNESP/FAAC – Bauru / MULTICULTURALISMO: A DIFERENÇA COMO ChAVE PARA UM DESIGN hÍBRIDO NO BRASIL /59 Roizenbruch. Luis Carlos/ FAAC / UNESP Silva. Marcos/ UNIRITTER Van der Linden. Bianca/ Universidade Positivo Vieira. Márcia Luiza França da Silva/ UNESP/FAAC Pinheiro. Patrícia Jorge Vieira/ CEFETSC Corrêa. M.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / DESIGN DE EXPERIÊNCIA: UMA FORMA DE AUXILIAR AS ESCOLhAS DOS USUÁRIOS /57 Freire. Adriano/ Centro Federal de Educação Tecnológica de Santa Catarina Lima. Rodrigo/ UNESP .01. Renan Mateus Picanço/ UEPA. Jeandrey Scuissiatto/ CEFETSC / O PAPEL DO DESIGN NA TRANSIÇÃO SÓCIO AMBIENTAL NO MUNDO CONTEMPORÂNEO /59 Martins. Karine de Mello/ PUC-Rio / METODOLOGIA DE DESIGN: A CONEXÃO SUSTENTÁVEL ENTRE AS PRODUÇõES ARTESANAL E INDUSTRIAL /58 Cavalcanti. Ana Maria de/ UFPE Silva. João Fernando/ UNESP . Letícia Matos/ UFPE Aragão. PARANÁ /60 Yamashita. Nara/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Pons./ UNESP Menezes. Evelise Anicet/ UFRGS Scarpellini. Olimpio José/ UNESP/FAAC – Bauru Menezes. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. Ivo/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Riccetti. Teresa/Universidade Presbiteriana Mackenzie / O TELETRABALhO: DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS NUMA REALIDADE PÓS-MODERNA /59 Batista. Daniele Dickow/ Escola Superior de Desenho Industrial – UERJ .k AVALIAÇÃO DA PRESSÃO DA MÃO E DESEMPENhO DA TAREFA EM ATIVIDADES DE ACIONAMENTO DO MOUSE /61 Poussep. Fernanda Camargo Guimarães/ Universidade FUMEC Ribeiro. R. Lizandra Stechmann Quintana/ UNIRITTER / /252 .01.Bauru Marar.RJ Lima.01. Glenda Gomes/ UFPE Botelho. Stanislav/ FAAC / UNESP Paschoarelli.M ENSINO DE FUNDAMENTOS DO PROJETO DE PRODUTO COM BASE NAS ESSÊNCIAS DO DESENhO INDUSTRIAL/ DESIGN /64 Brod Júnior.Bauru / RESGATANDO UMA PARCERIA: BORNANCINI.01. Maria Gabriela Nunes/ UNESP . Danilo Corrêa/ FAAC / UNESP / USABILIDADE EM INTERFACES DA TV DIGITAL: UM ESTUDO DE CASO /61 Gomes. Anelise/ UFRGS Rütschilling. Tatiana Azzi/ Universidade Anhembi Morumbi ST.ESDI . Cíntia/ Universidade Positivo Calomeno. PETZOLD E MÜLLER /60 Ellwanger. Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cabral.

Glitz/ PUCPR Hilu. Stephania/ UFPR Spinillo. Luciane/ PUC . Regina Maria Alves/ Universidade Anhembi Morumbi ST.Rio ST. A. Andrea/ Faculdade Boa Viagem/ Faculdades Integradas Barros Melo / JOGOS ELETRÔNICOS NA TEORIA DOS EIXOS /69 Xavier. Jenifer Martinha/ UNIVILLE Pazmino.A O CONTEXTO DA EXPERIÊNCIA EM ADVERGAMES: /69 UMA INVESTIGAÇÃO EXPLORATÓRIA JUNTO A USUÁRIOS /69 Buccini. Fabiano de/ UFPR / O USO DE PICTOGRAMAS NA INTERFACE GRÁFICA DE PORTAIS: ANÁLISE DE DOIS EXEMPLOS /65 Gonçalves.O O BRASIL EM TEMPOS DE INDEPENDÊNCIA – UM ESTUDO hISTÓRICO DE DESIGN E SOCIEDADE /66 Poelking.ÍNDICES / ST. Cristiane/ Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC Cunico./ PUC .Rio / MOVIE TITLES: LANGUAGE./ PUC-RJ / UMA REVISÃO DAS ESTRATéGIAS DE DESIGN NO BRASIL /65 Raulik. Alberto. Luiz Fernando/ UNB. Gisele/ University of Wales Institute Cardiff Fonseca. Benamy/ UFRGS / O TRATAMENTO DO ESPAÇO PELA CENOGRAFIA NOS DESFILES DE MODA /67 Dias. Josiane M.A / O FATOR TECNOLÓGICO E OS DEMAIS FATORES PROJETUAIS NO ENSINO DE DESIGN DE PRODUTO /64 Kunzler.02. Ana Veronica/ UNIVILLE ST.M DOCUMENTÁRIO ANIMADO: UM PROJETO MULTIDISCIPLINAR /68 Martins. Juliana C. Denise R. S. Fernanda/ UNIRITTER / CONVERGÊNCIA ENTRE ÊNFASES E ABORDAGENS NA METODOLOGIA E NAS FERRAMENTAS DE PROJETO DE PRODUTOS /64 Pazmino./ UDESC Cipiniuk. Adriana Girardelo/ UNIVALI Abreu. Carla Galvão/ UFPR Miranda. Lizandra Stechman Quintana/ UNIRITTER Seligman. / LIMITES E RELAÇõES DO CAMPO DO DESIGN /68 Mager.N AVALIAÇÃO DA COMPREENSÃO DE INSTRUÇõES VISUAIS EM BULAS DE MEDICAMENTOS POR USUÁRIOS COM BAIXO GRAU DE ESCOLARIDADE /65 Padovani.02. Berenice/ UFSC Shiraiwa. Raquel P. ART AND TyPOGRAPhy /68 /68 Las-Casas. Rita Maria de Souza. Ana Veronica P.PR Kowalski. Hans da Nóbrega/ UFPE / ECO DESIGN E DESIGN DA INFORMAÇÃO: ANÁLISE DE MÍDIAS VOLTADAS PARA SENSIBILIZAÇÃO /66 Preuss. Letícia/ UDESC Sant’Anna-Muller. Geraldo/ Centro de Design Paraná Miasaki. Gabriela B.01. Guilherme/ PUC .01.Rio / A INTERFACE COMO FERRAMENTA LÚDICA E MOTIVADORA EM AVA PARA CRIANÇAS hOSPITALIZADAS /69 Bortolozzi. Mara Rúbia/ UDESC / BRINCANDO COM A ROUPA: UM ESTUDO SOBRE A COMPREENSÃO DO USO DE ELEMENTOS LÚDICOS NA MODA INFANTIL /67 Bezerra./ UFRGS Broch. India Mara/ PUC . Hans da Nóbrega/UFPE / /253 . Marcela Figueiredo/ UFPE Waechter. Deborah/ Ingetech SAPATOS FEMININOS E SEUS ATRIBUTOS DE VERSATILIDADE E CONFORTO FRENTE AO COMPORTAMENTO DA MULhER URBANA /67 Schreiner./ UFSC / RETÓRICA VISUAL UMA FERRAMENTA CRIATIVA PARA O DESIGN /66 Waechter.01. Bruno Oro de/ UNIVALI / ST.ST.01.EQUIPAMENTO ELETRÔNICO DE AUXILIO EDUCACIONAL /70 Trentin.J . Ken/ UFPR Pougy.PR / “TINQÜE” ./ UFRGS Turkienicz. Marcos/ Faculdade Marista Corradini./ UNIVILLE Couto. Fernanda R. José Carlos/ UFRGS Barp./ PUC .

Glaucinei Rodrigues/ Escola de Design – UEMG Guimarães. Tarciana/ UFPE Nogueira . Ricardo Silva/ Escola de Design – UEMG Lage. Alice Cybis/ UFSC Gonçalves.UM MéTODO PARA ENSINO NA GRADUAÇÃO /74 Souza. Bianca /PUC-Rio Couto.D DESIGN COMPROMETIDO COM O TEMA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /73 Couto. DESIGN E PESQUISA PARTICIPATIVA .ESTUDO DE CASO DO ARTESANATO DE CIPÓ IMBé EM GARUVA. Ana Cristina Azevedo dos Santos/ Centro Universitário SENAC Gouveia. USABILIDADE E ERGONOMIA DE SOFTWARE /71 Gonçalves. José Carlos Plácido da/ UNESP Paschoarelli. Rodrigo/ UFPE Melo. Silvio/ UFPE Cadena. Fabio Pinto da/ Feevale/RS Robinson.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. UFPE Silva.02. Anna Paula Silva/ Centro Universitário SENAC/ Universidade Estadual de Campinas – UNICAMP / DESIGN DE INFORMAÇõES E A CONSTRUÇÃO DE SENTIDO NO DESENVOLVIMENTO DE MATERIAIS EDUCATIVOS /74 Martins. Luciana Soares/ UNIVALE Gresse von Wangenheim. Joanna/ Universidade FUMEC Guimarães. Mileni Kazedani/ UNESP Soares. Fabio Redin/ Universidade de Passo Fundo / ECODESIGN APLICADO NO REAPROVEITAMENTO DE MATERIAIS E GERAÇÃO DE RENDA NO ARTESANATO /75 Cândido. Renata/ UFPE Giulia Cavalcanti. Douglas Ladik/ UDESC Tonicelo.02. Sabrina/ Universidade de Aveiro / DESIGN DE TRADING CARD GAME EDUCACIONAL COM LENDAS BRASILEIRAS: UMA PESQUISA-AÇÃO VOLTADA AO ENSINO FUNDAMENTAL DE MATEMÁTICA /72 Machado Junior/ Universidade Luterana do Brasil Felipe Stanque/ Universidade Luterana do Brasil / QUADRO NEGRO ANIMADO ENSINANDO CINEMA DE ANIMAÇÃO NA SALA DE AULA /72 Pinna. Luiz Carlos/ Feevale/RS / DESIGN E ARTESANATO EM CéSAR DE PINA /75 Sanglard. Rita Maria de Souza/ PUC-Rio Portugal. João Marcelo Ribeiro/ UNESP Zanvettor. Luiz / UniverCidade/ Rio de Janeiro Moraes. Christiane/ UNIVALE Pacheco. Jean Carlo Rossa/ UFSC / INTER-RELAÇõES SOBRE IhC.02.02.B A ARQUITETURA DE INFORMAÇõES ESTATÍSTICAS NA WEB: CONCLUSõES DE UMA PESQUISA DE DOUTORADO /70 Agner. Júlia Miriam Pires/ Escola de Design – UEMG / TECNOLOGIAS PRODUTIVAS. Aline Pickler/ UFSC Hauck. Crisitna/ PUC-Rio / FUNDAMENTOS PARA O DESIGN DE CONTEÚDOS DE SUPORTE A APRENDIZAGEM ASSÍNCRONA NA MODALIDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /74 Everling. Luis Henrique Alves/ Feevale/RS Silva. Berenice Santos/ UFSC Bleicher. Anamaria/ PUC-Rio / UMA AVALIAÇÃO DA INTERFACE DE USUÁRIO DE UMA FERRAMENTA OPEN SOURCE DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS BASEADO NA WEB /70 Fernandes. Matheus/ UFPE /254 . Daniel/ Universidade Federal de Santa Maria Nascimento. Luis Carlos/ UNESP / MAPAS TÁTEIS PARA DEFICIENTES VISUAIS ACESSÍVEIS VIA WEB: UM ESTUDO DE CASO /71 Geisa Golin/ UFSC Ruth Emilia Nogueira Loch/ UFSC Sarah Andrade/ UFSC ST. Roberta Helena dos Santos/ Projeto Cipó Imbé / ST.SC /76 Antunes. ARQUITETURA DE INFORMAÇÃO. Claudia/ PUC-Rio / DESENhO INSTRUCIONAL. Andre/ UFPE Andrade.E REDESENhO DE MAPA DE DESCARTE: A OTIMIZAÇÃO DO ALUMÍNIO EM UMA INDÚSTRIA AUTOMOTIVA /75 Sperb. Gabriel Torres/ UNESP Silva. Natacha/ Universidade FUMEC / DESIGN E ARTESANATO: CAPACITAÇÃO DAS ARTESÃS DO PROJETO MÃOS COM ARTE DA PAMPULhA /76 Corrêa.C PROJETO EDITORIAL NO CONTEXTO MULTIMIDIÁTICO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /72 Pereira. Marli Tersinha/ UNIVILLE Mont’Alvão. Rita/ PUC-Rio ST. Daniel Moreira de Sousa/ Universidade Veiga de Almeida / DESIGN DE ARTEFATOS EDUCACIONAIS: UM ESTUDO DE CASO NA UFPE /73 Barreto Campello. A ILUSTRAÇÃO PARA DESIGN DA INFORMAÇÃO . Mª Lúcia/ UFSJ Rena.

José Carlos Plácido da/ UNESP Salgado./ UFPR Triska. Nivaldo Aureo Nascimento da/ UFSC ST.02. Manoel Henrique/ UNESP / DESIGN DE MÍDIAS PARTICIPATIVAS: O PAPEL DO DESIGN NA CONSTRUÇÃO DA INTELIGÊNCIA COLETIVA /80 Silva. Ana Maria/ UFPE ST.Cesar/ Centro Universitário Senac SP / TIPOS MÓVEIS DE METAL: DE GUTENBERG ATé OS DIAS ATUAIS /79 Aragão.02. André Luís Pires de/ Universidade Anhembi Morumbi / SANS-SERIF: TIPOGRAFIA PARA UMA CULTURA UNIVERSAL /78 Benatti.02.J VESTIDO CANGURU MULTIFUNCIONAL /82 Laschuk. Cleuza Ribas Bittencourt/ UFSC/ UEL Martins. Alice Theresinha Cybis/ UFSC / POR UMA MAIOR ARTICULAÇÃO ENTRE SOM. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. IMAGEM E TEXTO NA PRODUÇÃO DO WEBDESIGN /77 Braida. Tobias Tessmann/ UFSC Pereira. Tatiana/ Universidade do Minho Isoppo. ACOMPANhAMENTO E INTERAÇÃO COM DESIGNERS DE GRANDES EMPRESAS /80 Adler. Maria Emilia Mendes/ UFPR Kistmann. Vera Lúcia/ PUC . Rosane Fonseca de Freitas/ UEL Merino. Ana Maria de/ UFPE PESQUISA DE TENDÊNCIAS E GESTÃO DO DESIGN: PLANO DE MARkETING COM BASE NA GESTÃO DO CONhECIMENTO PARA AS MPES PRODUTORAS DE LOUÇA DE MESA E OBJETOS CERÂMICOS DE DECORAÇÃO /81 Becker. Ana Paula Perfetto/ UFSC/ UEL Fornasier. Julia/ Universidade do Minho Cunha. Ricardo/ UFSC REFLEXõES SOBRE A CRIAÇÃO DO CONhECIMENTO ORGANIZACIONAL NA ESTRATéGIA DE DIFERENCIAÇÃO DA ChINA /82 Demarchi. UM OLhAR SOBRE O DOCUMENTÁRIO hELVETICA.J / ST. Virginia B. Mileni Kazedani/ UNESP Silva. Glenda Gomes/ UFPE Cavalcanti. Marizilda dos Santos/ FAAC – UNESP / /255 .02.F A IMAGEM EM BUSCA DO MOVIMENTO /77 Cole.02. Isabella/ UFPE Farias. Isabel K.Rio Nojima.B . DE GARy hUSTWIT /78 Carvalho.ST.02. Simone Thereza Alexandrino/ FAAC – UNESP Santos Filho./ UFPR Jayme.G PRINCÍPIOS PARA A PROPOSIÇÃO DE UM MODELO ANALÍTICO DA TIPOGRAFIA COM ABORDAGEM SEMIÓTICA /78 Brisolara. Joana/ Universidade do Minho / DESIGN DE MODA E PORTADOR DE DEFICIÊNCIA FÍSICA: UMA ABORDAGEM SOBRE INCLUSÃO NO MERCADO DA MODA /83 Maffei.02. Holanda / ST.h ATUALIDADE E TENDÊNCIAS DE DESIGN PARA SITES DE REDES SOCIAIS /79 Sobrino. Paula/ ESDI / AMBIENTE COLABORATIVO PARA PESQUISA DE USUÁRIOS: INTERFACE PARA VISUALIZAÇÃO.Rio / DO IMPRESSO AO DIGITAL: UM DIÁLOGO ENTRE PROCESSOS PROJETUAIS PARA DIFERENTES SUPORTES /78 Margarites. Murilo/ UDESC ST. Frederico/ PUC .ÍNDICES / ST. Ana Paula/ Universidade Federal de Pelotas ESTUDO SOBRE LEVANTAMENTO DE SITUAÇõES INADEQUADAS DE USABILIDADE EM SITES RELACIONADOS AO ENSINO /80 Gonçalves. Abílio dos/ FAAC – UNESP Menezes./ Universidade Tecnológica de Delft (TU Delft). Daniela Velleda/ UFPR / A NOSSA hELVETICA DE CADA DIA. Alessandra D.I A GESTÃO DE DESIGN E SUA INFLUÊNCIA SOBRE A CULTURA ORGANIZACIONAL: MUDANÇAS RUMO à SUSTENTABILIDADE /81 Cabral. Ariane Daniela/ Universidade Presbiteriana Mackenzie PROJETAR PARA A EXPERIÊNCIA: ANÁLISE DA METODOLOGIA PARA A CONSTRUÇÃO DE UM WEBSITE FUNDAMENTADO NOS 5 PLANOS DA EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO /77 Mülling. Eugenio Andres Días/ UFSC ESTRATéGIAS DE POSICIONAMENTO DE MARCA: /82 ESTUDO COMPARATIVO ENTRE DUAS CERVEJAS NACIONAIS /82 Scoz .

Fábio/ UFPE Neves. Cibele/ UFPE Castillo.N DESIGN E FENOMENOLOGIA: PENSANDO O MéTODO POR MEIO DE UMA LEITURA SOBRE EXPERIÊNCIA. Benamy/ UFRGS / PESQUISA EXPERIMENTAL: PADRõES GEOMéTRICOS DE PISOS APLICADOS EM PROJETOS TRIDIMENSIONAIS EM ORIGAMI ARQUITETÔNICO /87 Ueno. Ítalo J. Marcelo Silva/ UEMG Carvalho. André M. Dino L. / UTFPR Witikoski. Márcio Miguel/ UEMG Gomes. Ribeiro da Silva/ IESB / O DESIGN DE SUPERFÍCIE EM FAChADAS E SUAS FUNÇõES BÁSICAS /88 Gondim.02. M. Cristiane de/ PUC-Rio / /256 . Marilda L. Leonardo/ UFPE / O PARADIGMA DO PROJETO BASEADO EM PLATAFORMA APLICADO AO WEB DESIGN /86 Figueirôa. Ana Claudia/ UFRGS Klohn. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto. Gonçalves Fernandes de/ IESB Amantini. P. VIVÊNCIA E INTUIÇÃO /88 Santos. José Luís Farinatti/ UFRGS / MATERIALIZAÇÃO DE CONCEITOS TRIDIMENSIONAIS COM AUXILIO DAS FERRAMENTAS DIGITAIS DE PIM E SkETCh /86 Pinto Júnior. Henrique Macedo/UNISINOS Pesavento./ UTFPR / AS TRANSFORMAÇõES DOS ESTILOS DE VIDA NA MODERNIDADE E A (RE)CONFIGURAÇÃO DOS INTERIORES DOMéSTICOS /84 Mendes. Marina Sampaio/ CEFET/SC Martins. Fernanda R./ UFPE Vilar Neto. Rodrigo/ UFRGS Ruthschilling. Denize Regina/ UFRGS Aymone. Arlindo/ UFPE Campos. Thaís Regina/ IESB Castro. Dino L.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ESTUDO ANTROPOMéTRICO APLICADO AO VESTUÁRIO: UMA REVISÃO /83 Lucio. Mariuze Dunajski/ UTFPR ST. Susy N. Leila Amaral/ UFSC / UMA METODOLOGIA PARA PESQUISA EM DESIGN & EMOÇÃO: TATEANDO O CAMPO PELA PRIMEIRA VEZ /89 Damazio. Alan R.M O TEMPO E A ESPERA /87 Vettoretti. Laura de Souza Cota/ UFMG / ST. André/ UFPE / REALIDADE VIRTUAL APLICADA AO DESIGN DE PRODUTO /85 Carniel./ UFPE Campos.02. Bruno Montanari/ UEM / DESIGN DE PRODUTO E DE MODA: O DESENVOLVIMENTO DE UM CALÇADO FEMININO COM ENFOQUE NO PÚBLICO TEEN /83 Assreuy. Sandra Jatahy/ UFRGS ST. Jacqueline Ap. Evelise Anicet/ UFRGS / O DESIGN GRÁFICO NA CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE DA CIDADE /88 Luzzardi. / UFRGS Allgayer.C. Cristina do Carmo/ UEM Razza. Sara Copetti/ UFRGS Lamb.02. Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET/SC / A LINGUAGEM DO PRODUTO NA RELAÇÃO EMOCIONAL ENTRE USUÁRIOS E OBJETOS /89 Queiroz. Cristina Luz/ UFSC Gontijo.k O CONSUMO E A CULTURA DE PRAIA CARIOCA /84 Leme./ UFPE ST./ UFPE Correia. Conceição Garcia/ CEFET/SC SNEAkER FREAkER: UMA NOVA TENDÊNCIA /86 Albuquerque.L TéCNICAS MATEMÁTICAS APLICADAS AO PROCESSO DE DESIGN /85 Figueirôa. Marcos Bernardo/ UFRGS Turkienicz. Mariuze Dunajski/ UTFPR / CONSUMO E ESTILOS DE VIDA: REFLEXõES SOBRE A REPRESENTAÇÃO SIMBÓLICA DOS MÓVEIS ARTESANAIS /85 Mendes. Cristina/ UFRGS Schreiner. Fábio/ UFPE Neves. Vera/ PUC-Rio Menezes.02. Edvar/ UFPE Nunes. Roberto/ PUC – RJ / DESIGN E CULTURA NAS ANÁLISES DOS RÓTULOS DE CAChAÇA PARANAENSES /84 Queluz. Shirley Gomes/ UFSC Cardoso.

02.SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE WEBDESIGN /94 Calomeno./ CEFET . Vera M / PUC-Rio Brito. NA BAhIA /94 Moreira. Laura de Souza Cota/ UFMG Pereira. Áurea/ CEFET . Leonardo/ UFPE Barros. Isabella/ UFPE / SISTEMA DE QUALIDADE EM LABORATÓRIO DE ANÁLISE DO IMATERIAL: USABILIDADE E ANÁLISE SENSORIAL /92 Carvalho./ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC ST. Luis Carlos/ UNESP Alencar.AL Lins. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto Júnior. Tarcisio/ EGC/ UFSC Ulbricht. Marina Bortoluz/ UFRGS Rüthschilling. Evelise Anicet/ UFRGS / DESIGN EM JOGO: BRINCANDO DE MEMORIZAR hISTÓRIA /90 Gaia. Marizilda dos Santos/ UNESP Paschoarelli.AL Cândido.02.ÍNDICES / ST. Igor M. Leandro Cardoso Xavier/ PUC-Rio / AMBIENTE WEB ACESSÍVEL /95 Obregon. Carolina/ Universidade Positivo Perreto. Simone/ UFPE Aragão.ST. Laura de Souza Cota/ UFMG / DESIGN ITERATIVO: O PODER COMUNICATIVO DOS PROTÓTIPOS /93 Alcoforado/ Manoel Guedes/ UFPE / CONSULTORIA EM DESIGN NAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS DO ESTADO DA PARAÍBA: POTENCIALIDADES E APLICAÇõES /93 Cavalcante. André/ UFPE Campos.AL / O QUE OS JOGOS DE ENTRETENIMENTO TÊM QUE OS JOGOS COM FINS PEDAGÓGICOS NÃO TÊM /91 Demenciano Costa. Jacqueline Heloise/ UTFPR Teixeira. Alina Gonçalves/ UFSC / ERA UMA (OUTRA) VEZ: O DESIGN DO LIVRO DIGITAL INFANTIL NO BRASIL /95 Crenzel.Q CODIFICAÇÃO E NOMENCLATURA INTELIGENTES: FUNDAMENTOS PARA UTILIZAÇÃO E IMPLANTAÇÃO DO DESIGN DA INFORMAÇÃO /93 Gomes.AL Rapôso. UNESP Menezes./ UFPE Castillo. Fábio/ UFPE Campello. Luís Carlos. Daniela de Cássia Gamonal/ UNESP Nascimento.02./ UFSC Ulbricht.R EyETRACkING . Arlete/ CEFET .02. Rosane de Fátima Antunes/ EGC/UFSC Vanzin. Angélica de Souza Galdino/ UFPB ST. Vania R. Rossana/ CEFET . Marizilda dos Santos. Patrícia/ CEFET . Danielly/ UFPB Lucena. Silvio B. Andréa Franco/ UFMG O MAU EMPREGO DO DESIGN NAS EMPRESAS E ANÁLISE DO CASO DE ESTUDANTES DE CURITIBA. de S.O ANÁLISE DO OBJETO LÚDICO: UMA CARACTERIZAÇÃO DOS TIPOS DE JOGOS /90 Marcato. Silvina Ruth/ PUC-Rio Nojima. Roberto Alcarria do. ESTUDO DE CASO EM LENÇÓIS. CRIAR E SENTIR /89 Barbosa.J . UNESP / LÓGICAS CRIATIVAS: UM JOGO PARA APOIAR A CRIAÇÃO /90 Polidoro.02. Joselena de Almeida/ UTFPR / /257 . UNESP Paschoarelli.02. Rosivaldo de Lima/ UFPB Acioly. Leandro/ PUC-Rio Couto.AL Silva./ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC Santiago. Celso/ PUC-Rio ST. Vania R.P XDM – MéTODOS EXTENSÍVEIS DE DESIGN /91 Neves. Marcelo Silva/ UEMG Carvalho. Lorena C. PARANÁ /92 / Takeuchi. Mauricio/ Universidade Positivo / PROPOSIÇÃO DA INTERFACE GRÁFICA PARA UM WEBSITE QUE TRATA DO PATRIMÔNIO CULTURAL. Ricardo Tiradentes/ UNESP Menezes. Joselena de Almeida/ UTFPR ST. Mariana Tomie/ UTFPR Teixeira.R / A LÓGICA DO DESIGN: PENSAR. Rita/ PUC-Rio Wilmer. Francisco de/ UNESP O DESIGN CONCEITUAL E PROFISSIONAL /92 Siqueira. Márcio Miguel/ UEMG Pinto.

E MICROCÁPSULAS: USO DA MICROTECNOLOGIA NO DESIGN DE PRODUTOS INOVADORES /101 Hammester. Vinícius/ UFPE / /258 . Marina Ramos/ UFSC Nunes.03.C AVALIAÇõES DE USABILIDADE DENTRO DO CICLO DE DESIGN CENTRADO NO USUÁRIO: UM ESTUDO DE CASO /98 Perry.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Fabiane/ UNIRITTER Galina.03. Raffaela Leane Zenni/ UFPR El Marghani. Cláudia Renata/ PUC-Rio / ESTUDO COMPARATIVO DA UTILIZAÇÃO DE MéTODOS DE AVALIAÇÃO DE SOFTWARE EDUCATIVO POR ALUNOS DE DESIGN /101 Godoi. Wilson/ UFRGS / O DESIGN EM INDÚSTRIAS DE PRODUTOS DE USO: ESTÁGIOS NA ESTRATéGIA DE INOVAÇÃO DA COMPANhIA INDUSTRIAL DE VIDROS – CIV /102 Cavalcanti. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. Andréa Capra/ UNIRITTER / APROXIMANDO MERCADO. ACADEMIA E ESTUDANTES: UMA EXPERIÊNCIA PEDAGÓGICA EM DESIGN DE PRODUTO /98 Silveira Neto. Stephania/ UFPR ST. Henri/ Delft University of Technology Almendra. Gabriela Giehl/ Universidade Luterana do Brasil Sperb. Ariel Orlei/ UTFPR Monteiro.D SISTEMATIZAÇÃO DOS ELEMENTOS DE INTERFACES DE hIPERMÍDIAS PARA O DESIGN DA INFORMAÇÃO /100 Monica. Daisy Biagini/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo / FATOR MERCADOLÓGICO NO ENSINO DE DESIGN /97 Wolff. Vania Ribas/ Universidade Anhembi Morumbi/ UFSC / USABILIDADE DE INTERFACES – WEBSITE BOGARI CAPITAL /100 Schnaider. Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cabral.03. Michelle Berticelli/ UFSC ST. Ana Maria de/ UFPE Silva. Walter Dutra da/ UDESC Pezzini. Celso Carnos/ UNISINOS / MATERIOTECA: PROJETO DA BIBLIOTECA DE MATERIAIS DA ESCOLA DE DESIGN UNISINOS /96 Marques. André Canal/ UNISINOS Tarouco. Glenda Gomes/ UFPE Botelho. Moura/ Universidade Anhembi Morumbi Somma Junior. Viviane Gaspar Ribas/ UFPR Okimoto. Fabrício Farias/ UNISINOS / A UTILIZAÇÃO DE MATERIAIS “NÃO CONVENCIONAIS” UMA TENDÊNCIA NO DESIGN DE JÓIAS /96 Freitas. Liane/ UFRGS Kindlein Júnior.03. Victor Hugo Falcão de/ UFPB Acioly. Rita/ Universidade Técnica de Lisboa / SELEÇÃO DOS MéTODOS DE USABILIDADE NO PROJETO /99 Tanure. Angélica de Souza Galdino/ UFPB ESTRUTURAÇÃO E ACESSO A INFORMAÇÃO NUM PROBLEMA DE DESIGN: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE ALUNOS hOLANDESES E PORTUGUESES /99 Christiaans. Gabriela T./ Unisinos . Sílvia Helena de Carvalho/ Metatron – Fábrica de Software / AVALIAÇÃO COOPERATIVA: BENEFÍCIOS DA APLICAÇÃO COM USUÁRIOS CEGOS /100 Tangarife. Diane/ UFRGS Flores. Letícia/ UFRGS Johann. Maura Della Flora/ UFRGS Roldo.B ATUALIDADE E TENDÊNCIAS DO ENSINO EM CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO EM DESIGN: UMA ANÁLISE DO PANORAMA BRASILEIRO /97 Kirinus. Daniel Quintana/ Universidade Federal de Santa Maria / GESTÃO DO DESIGN NA GRADUAÇÃO EM DESIGN PANORAMA PRELIMINAR NO BRASIL /97 Porto. Maria Lúcia Leite Ribeiro/ UFPR Michaloski. Nelson/ Universidade Anhembi Morumbi Passos. Marcelo/ UFRGS Del Pino/ José Claudio/ UFRGS / PROPOSTA CONCEITUAL DE INSTRUMENTO PARA AVALIAÇÃO DE CONFORTO DE EQUIPAMENTOS DE PROTEÇÃO INDIVIDUAL /99 van der Linden. Ravi/ UFSC Ulbricht.A PESQUISA APLICADA / PESQUISA ACADÊMICA – O CASO SANDER /96 Scaletsky. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER e PPGEP/UFRGS / ST. Fernanda Cândido Figueiredo/ UFPR ST.03. Timóteo Moreira/ PUC-Rio Mont’Alvão.RS Eichler. Katia Alexandra de/ UFPR Padovani.

Gloria Lucía Rodríguez Correia de/ UNESP Paschoarelli. Vinícius Nakamura de/ UAM Camarnado Jr. Simone /Centro Universitário SENAC / O ENFOQUE LATEO E A INCERTEZA DO PROCESSO DE DESIGN /104 Souza. Marcelo/ UFSC /259 .Fabio/ UFPE Nunes. Roberta Vieira Gonçalves de/ UFMG Pêgo.ÍNDICES / ST. Lisandra/ UDESC / DESIGN DE hIPERMÍDIA: POéTICAS CONTEMPORÂNEAS /106 Moura. Maria Augusta/ UNISINOS / ASPECTOS DO DESIGN DE MOBILIÁRIO BRASILEIRO SUSTENTÁVEL /107 Arruda. Paula da Cruz/ UNESP / DESIGN PARA O TERRITÓRIO: UMA REFLEXÃO TEÓRICA /108 Reyes. Igor Revoredo/ UAM / ARTE E DESIGN – UMA REFLEXÃO SOBRE SUAS DISTINÇõES /103 Espínola. Olympio José/ UNESP . Stella Nery da/ UAM Camarnado Junior.03./ UFPE Vilar. Edvar/UFPE Campos. Andréa Franco/ UFMG Souza. Marizilda/ UNESP Landim. Adriana Kei Ohashi/ Universidade Anhembi Morumbi / CRIATIVIDADE E GRUPOS CRIATIVOS: UMA LEITURA SOBRE OS PROCESSOS DE INOVAÇÃO EM DESIGN /105 Fialho.Bauru ST. Francisco Pereira/ UFSC Arbex.03. Celia Maria/ Centro Universitário SENAC Reboledo Sanches. Paulo/ UNISINOS Medeiros. Dráusio Vicente/ UAM Hosse./ UAM / ENACTIVE INTERFACES /106 Paraguai. Mercia/ UAM Carvalho Costa. Dafne Fonseca/ UFSC Krammer. Ana Lucia /Centro Universitário SENAC Alcântara de Freitas. Rodolfo Rossi/ Universidade Anhembi Morumbi Brito.h ARTE. Rodrigo L.A .RS / FOTOMONTANDO: DESIGN E MOBILIDADE E A CONSTRUÇÃO DA IMAGEM /103 Cavalcante. Vanessa/ USP Coutinho-Silva. Universidade Anhembi Morumbi Somma Junior. Nelson/ UAM ST. Antônio Martiniano/ UFPR ST.03.Bauru Pinheiro.C. Alcione de/ Universidade Anhembi Morumbi Maia.03. Mônica.03. Paulo/ UNISINOS Franzato. Paulo A. Luisa/ Universidade de Sorocaba / O SECOND LIFE COMO AMBIENTE DE PESQUISA E TESTE PARA LANÇAMENTO DE PRODUTOS /106 Vergani. Angelo Bruno de Souza/ UAM Melo. Ariadne Yasmin Vieira de/ UAM Oliveira. Marco/ UFPR Fontoura.I BUILDING DESIGN E SUSTENTABILIDADE: VALORIZAÇÃO DA MADEIRA DE EUCALIPTO NA PRODUÇÃO DE COMPONENTES ARQUITETÔNICOS NO VALE DO JEQUITINhONhA – MG /107 Pereira. Drausio Vicente/ UAM Albuquerque. DESIGN E TECNOLOGIA: ChRISTA SOMMERER E LAURENT MIGNONNEAU /105 NG. Carolina Fazian Ige/ UNESP . Fábio Rodrigues de/ UAM Silva. Thiago/ USP / WEB ART/WEB DESIGN: UMA POéTICA TECNOLÓGICA /104 Gondo. Ana Paula Franco/ UAM Silva. Carlo/ UNISINOS ST.03. Adilson/ Universidade Anhembi Morumbi Godoy. Roberto/ PUC . Kátia Andréa Carvalhaes/ UFMG / DESIGN ESTRATéGICO: APLICAÇÃO EM RETROSPECTIVA AO CASO CAFé DO PORTO /107 Reyes. Luis Carlos/ UNESP Menezes.André M./ UFPE Neves .G DESIGN E CULTURA INFANTIL /104 Escanfella.I / REFLEXõES SOBRE AS INTERVENÇõES DE DESIGN NO ARTESANATO SOB A ÓTICA DOS CÍRCULOS DE CULTURA DE PAULO FREIRE /102 Abbonizio.F ESTRATéGIAS NARRATIVAS VISUAIS: INTERPRETAÇÃO GRÁFICA EM CRéDITOS DE ABERTURA CINEMATOGRÁFICOS /102 Tietzmann.Ítalo/ UFPE / DESIGN E RESIGNIFICAÇÃO DO IMAGINÁRIONO JOGO /105 Sato. Marina Queiroz/ Universidade Anhembi Morumbi Juliani.ST. Danielle Adria/ UDESC Andrade.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Rita Maria de S/ PUC-Rio Rosa. C.03. Evelise Anicet/ UFRGS Perondi. PUC-Rio Couto. Mariana Rachel/ Universidade Anhembi Morumbi Preciosa.Bauru Grassi. Zoy/ Universidade Federal do Rio de Janeiro / REFLEXõES SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL E DESIGN DE MODA /109 Roncoletta./ FAAC . Gabriel Gimmler/ UFRGS Rüthschilling.Bauru Silva.03.Bauru / O PROGRAMA DE ECO-EFICIÊNCIA DO BANCO REAL: UM ESTUDO DE CASO /110 Brito.k MÓVEL MULTIAMBIENTE: DESENVOLVIMENTO DE MOBILIÁRIO ORIENTADO POR TENDÊNCIAS /110 Souza. Suellen P./ UDESC / METODOLOGIA INTERDISCIPLINAR NO CURSO DE DESIGN GRÁFICO: UMA PROPOSTA PEDAGÓGICA /114 Barra. Ana Carolina Regis/ Universidade da Amazônia/ Faculdade de Estudos Avançados do Pará / ST.N A APLICAÇÃO DO TUTORIAL NO ENSINO DE SOFTWARE GRÁFICO. Marcelo Silva/ UEMG Freitas. Walter Dutra.Bauru / EPISTEMOLOGIA E SUPERFÍCIES PROJETADAS /113 Sudsilowsky.UNESP . S.Rio / COLEÇÃO GRAFITE: UMA ANÁLISE CRÍTICA SOBRE A CRIAÇÃO DE ESTAMPAS PARA MOBILIÁRIO E UTILITÁRIOS DOMéSTICOS /114 Netto. Aline Teixeira de/ UNESP .USP / APROXIMAÇÃO ENTRE DESIGN E ARTESANATO NO BRASIL. Pablo/ Universidad de Buenos Aires / RUBEN MARTINS E O CONCRETISMO BRASILEIRO /110 Lacroce. CONCEITOS E AÇõES DE LINA BO BARDI E ALOÍSIO MAGALhÃES /109 Paula. Silvana Bernardes. Ana Beatriz Simon/ FAU . de/ Universidade Federal de Uberlândia ST. Keila Crystyna/ UFES / LATINOAMéRICA: UN NUEVO ESCENARIO TIPOGRÁFICO /110 Cosgaya.03. Thais/ UNISINOS Costa. Francisco de/ UNESP . Sérgio/ PUC . de/ Universidade Federal do Amazonas / PROPOSTA DE PRODUTO PARA TRANSPORTE E ARMAZENAGEM DE OBJETOS UTILIZADOS EM FAXINA DOMéSTICA /112 Souza. Rosane/ Universidade Anhembi Morumbi / hISTÓRIA DO DESIGN NO BRASIL: CONTRIBUIÇÃO NEGRA /109 Factum./ FAAC. José Carlos P. Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS / AMBIENTE E MOBILIÁRIO ERGONÔMICO: LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA /112 Máximo. Cilene Estol/ UFRGS Rüthschilling. André/ FAU-USP / INTERSEÇõES ENTRE DOIS REFLEXOS: UMA VISÃO DO DESIGN BRASILEIRO /111 Castro. Susy N. Tânia Cristina de/ USP O DESIGN ESTRATéGICO E O DESENVOLVIMENTO DE NOVOS PRODUTOS: O ESTUDO DE CASO COZA /112 Dalcin. Eduardo/ UFRGS / CÓDIGO CROMÁTICO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA VISUAL /113 Barbosa. Dias/ Universidade Federal do Amazonas Silva Jr. Fábio H. Ana Luiza Cerqueira/ UEMG Carvalho. R.03.L DESIGN COMO FERRAMENTA PARA VIABILIZAÇÃO DE PRODUTOS – ESTUDO DE CASO NO SETOR DE EQUIPAMENTOS DE ESCALADA /111 Pinto. Leonardo Geraldo de Oliveira/ Faculdade Infórium de Tecnologia Pinto Júnior. Eliane C.03.Bauru Alencar.. Fabio Luiz/ UEM ST. DIRECIONADO AO MéTODO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA /114 Silveira Neto. Márcio Miguel/ UEMG / /260 . Marizilda Santos de/ UNESP .Bauru Amantini. Evelise Anicet/ UFRGS ST.J UM PROJETO DE DESIGN NACIONAL: ALOÍSIO MAGALhÃES E O CENTRO NACIONAL DE REFERÊNCIA CULTURAL /108 Anastassakis. Waldir Sabino da/ Universidade Federal do Amazonas Freitas. Aline Teixeira de/ UNESP . Laura de Souza Cota/ UFMG Gomes.Bauru Menezes. Maria Luiza A.UNESP .M DESIGN DE SUPERFÍCIE EM REVESTIMENTOS CERÂMICOS /113 Cardoso. da/ FAAC – UNESP .

Liziane Regina/ UFPR Fontoura.RS ST.ST. Antonio Martiniano/ UFPR / /261 . Gisela Belluzzo de/ Universidade Anhembi Morumbi LUGARES COMUNS: A MARCA TERRITORIAL DO DESTERRO. Suzana Barreto/ UEL Santos. Carlos Eugênio/ Universidade Estadual de Santa Cruz / INCORPORAIS RPG: DESIGN POéTICO PARA UM JOGO DE REPRESENTAÇÃO /116 Bettocchi. José Eduardo/ Universidade Estácio de Sá / PROJETOS GRÁFICOS DE QUALIDADE DE REVISTAS BRASILEIRAS /117 Campos.Rio ST.Portugal / PROCESSO DE PROJETO DO JOGO MULTI-TRILhAS: UM EXEMPLO DE DESIGN PARTICIPATIVO /115 Couto. Maria Izabel/ UDESC Magalhães.O NÃO é MAIS UMA hISTÓRIA AMERICANA /115 Teixeira. Eliane/ PUC . Raquel Gomes/ UFMA Oliveira Filho. Giovanni Henrique Marques/ Centro Universitário SENAC / ALUCINAÇÃO. SEXUALIDADE E EXPERIÊNCIAS ALUCINÓGENAS: A CONSTRUÇÃO DA SUBJETIVIDADE CONTEMPORÂNEA EM BLACk hOLE /116 Siva.ÍNDICES / ST.03. Marco Aurelio/ UFSC / A COLETA DE INFORMAÇÃO COMO ALICERCE NA METODOLOGIA PROJETUAL DE DESIGN GRÁFICO /121 Gómez. Luiz Salomão Ribas / UFSC Petrelli.04.DESIGNER E ARTISTA PLÁSTICO /117 Tavares.Q EDUCAÇÃO ATRAVéS DO DESIGN E SUSTENTABILIDADE: EM BUSCA DA FORMAÇÃO CRÍTICA E PARTICIPATIVA /118 Gomes.04. Mário Geraldo/ Universidade FUMEC / INOVAÇÃO NA INDÚSTRIA TÊXTIL E DE CONFECÇÃO: AÇÃO DO DESIGN NA INTEGRAÇÃO INSTITUIÇÃO DE ENSINO/EMPRESAS /119 Costa. Rita Maria de Souza/ PUC-Rio ST. Aguinaldo dos/ UFPR / O TEXTO NA CONSTRUÇÃO DE UM NOVO PARADIGMA PARA O DESIGN: A EXPERIÊNCIA DA UNIVERSIDADE FUMEC DE BELO hORIZONTE. Fabio Luiz Carneiro Mourilhe/ PUC-Rio Baptista. Hamilton de/ UFMA Rodrigues. Elisa Galvão/ Centro Universitário SENAC/ SP ST. Lúcia Bergamaschi Costa / PUC . Cláudio Freitas de/PUC .A / O DIÁLOGO INTERCULTURAL COMO FONTE DE INSPIRAÇÃO DE VESTUÁRIO DE MODA: UMA EXPERIÊNCIA ACADÊMICA /115 Broega.03. IDENTIDADE E ETNOGRAFIA /119 Noronha. Joana/ Universidade do Minho .J . Eugenio/ UFSC Dickie.03.Maranhão / GESTÃO DE DESIGN E DESIGN SOCIAL: O CASO TRILhAS DO RIBEIRÃO /120 Merino. Ana Cristina/ Universidade do Minho . Adriana Costa/ Centro Universitário SENAC Tinti.R IDENTIDADE E ALTERIDADE NO DESIGN LATINO-AMERICANO /119 Weymar. Carlos Delano/ CEFET .A GREEN BRANDING: O DESIGN GRÁFICO E A GESTÃO DE MARCAS DE ONGS AMBIENTALISTAS /121 Braun. Milton Luiz Horn/ UFSC Pereira.Rio ESTRATéGIAS GENéRICAS PARA A SUSTENTABILIDADE NO SETOR DO VESTUÁRIO /118 Martins.Portugal Cunha.03.03. MG /118 Fonseca. Clauciane Vivian/ UFSC Dickie.P METÁFORAS: APROXIMAÇõES ENTRE O SURREALISMO E O DESIGN DE hIPERMÍDIA /116 Mateus Knelsen/ Universidade Anhembi Morumbi Gisela Belluzzo de Campos/ Universidade Anhembi Morumbi / DESIGN DE COMPUTADORES VESTÍVEIS AFETIVOS /117 Rachel Zuanon/ Universidade Anhembi Morumbi / WILLyS DE CASTRO . Jan Raphael Reuter/ UFSC Gomez. Isadora Burmeister/ UFSC Lins. Ana Falcão Cavalcanti/ UNAERP / A QUESTÃO DA IDENTIDADE NACIONAL NA FUNDAMENTAÇÃO DA MARCA PAÍS /120 Pontes. Isadora Burmeister/ UFSC / ST. Luiz Salomão Ribas/ UFSC Vieira.

Camila L/ UEL Demarchi. Mariane Gomes/ UNIFRA Pereira. Ana Paula Perfetto/ UFSC AVALIAÇÃO DE BARBEADORES – UMA ABORDAGEM ATITUDINAL /125 Niemeyer.UFES / ABERTURA DE TELENOVELA: O DESIGN EM MOVIMENTO /127 Neira./ PUC . Juliana G. Paulo/ UNISINOS Volkart. Leandro Lopes/ UNIFRA / /262 .04. Júlia P. Júlia/ UERJ / SISTEMA DE INFORMAÇÃO INTELIGENTE PARA O AUXILIO DO DESIGNER NO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS /125 Lopes. Vera/ PUC . Lília P./ UNOPAR Demarchi.04. Júlio Carlos de Souza/ UNIRITTER / UMA PROPOSTA DE FERRAMENTA PARA ENSINO EM DESIGN BASEADA NO ESTUDO CIENTÍFICO DA PERCEPÇÃO VISUAL /123 Csillag.C. Lucy/ UERJ Esposel. Tiago Costa/ UFPR Spinillo.C PROPOSTAS PARA O ENSINO DE ERGONOMIA NA EDUCAÇÃO DO DESIGN /123 van der Linden.F ESTUDO ANALÍTICO DA REPRESENTAÇÃO DE DIMENSõES TEMPORAIS EM INSTRUÇõES DE PRODUTOS DE CONSUMO /127 Maia.B ANÁLISE COMPARATIVA DE MATERIOTECAS: RECOMENDAÇõES PARA A CONSTRUÇÃO DE MODELOS ACADÊMICOS /122 Dantas. Tiago Luiz Aguiar/ UNESP . Luz García/ Centro Universitário SENAC / PARÂMETROS PARA O PROJETO GRÁFICO DE DICIONÁRIOS INFANTIS ILUSTRADOS /128 Frederico.Bauru ST.Rio Lima.Bauru Marar. Marco Antonio/ UNESP .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / EM BUSCA DAS “MARCAS QUE MARCAM”: UMA CONTRIBUIÇÃO METODOLÓGICA PARA O DESIGN & EMOÇÃO /121 Damazio. Fernando Betim/ PUC .04. Yuri/ UNOPAR ST.04. Juliana Cristina da/ Universidade Federal do Espírito Santo . Christus Menezes da/ UnB ST. Carla/ UNISINOS / DESIGN DE INTERIORES E CIBERCULTURA: REFLEXõES PARA UMA NOVA CONFIGURAÇÃO ESPACIAL /126 Nóbrega. Aline/ Centro Universitário Senac ST.E APROXIMAÇõES ENTRE ARTE E DESIGN: PAISAGEM URBANA E OLhAR DE ARTISTA /126 Santos. Ângela Maria dos/ Centro Universitário SENAC / VALORIZAÇÃO DO TERRITÓRIO ATRAVéS DO DESIGN ESTRATéGICO: UM ESTUDO DOS INDICADORES DE QUALIDADE DE VIDA URBANA NO ÂMBITO DO BAIRRO /126 Reyes.D FOLhAS DE FIBROSOLO: UM CONCEITO CONSTRUTIVO DE INTEGRAÇÃO E BAIXO IMPACTO AMBIENTAL /124 Paes Leme. Carlos A. Milton Koji/ UNESP .Bauru Walter. Carla Galvão/ UFPR / EMBALAGEM DE MEDICAMENTO: UM PROJETO DE DESIGN /127 Silva.Rio / MéTODO PARA DEFINIÇÃO DA IDENTIDADE CORPORATIVA /122 Ligia Fascioni/ UNISUL ST. José Luis Mendes/ PUC .Rio Ripper. S. João Fernando/ UNESP – Bauru Bonadio. Ana Paula de/ Centro Universitário Senac / DIRETRIZES PARA O DESENVOLVIMENTO DO SISTEMA DE MOBILIÁRIO DE UMA MATERIOTECA /122 Rodrigues./ UNOPAR / GESTÃO DO CONhECIMENTO NA CAPTAÇÃO DE NOVOS MATERIAIS PARA A INDÚSTRIA MOVELEIRA /123 Brustoloni.Bauru Souza./UNOPAR Bacchi. Ígor/ UNESP . Paula/ ESPM / METODOLOGIA DE DESENhO DE OBSERVAÇÃO COMO INSTRUMENTAL PARA DESIGN GRÁFICO /124 Nakata.Rio / JOySTICk INFANTIL DE USO AMBIDESTRO /125 Farias.04. Denise/ Centro Universitário Senac Campos.

Debora/ UNIVILLE Bastianello. Lauro/ Universidade Federal do Rio de Janeiro / A SUSTENTABILIDADE NO DESIGN DA INFORMAÇÃO: O LIVRO EM QUESTÃO /132 Queiroz. Mary/ UNIVALI Gonçalves. Vinicius K. Haroldo/ UNICAMP Gatto. Patrícia/ Centro Universitário Senac / /263 . Fabio Luiz/ UEM ST.J ESTRATéGIAS SENSÍVEIS: ENGAJAMENTO SENSORIAL E INTERFACES /133 Hanns. Aniceh Farah/ UNESP / POESIA CONCRETA: DESIGN & CONSTRUÇÃO /133 Bassani.04. Priscilla Gonçalves/ UFSC Gonçalves. João Eduardo Guarnetti dos/ PPGDesign – UNESP ST./ UNIVILLE / A MANChA TIPOGRÁFICA COMO PAISAGEM /129 Lopes. Marko Alexandre Lisboa dos/ UNESP Neves. Ana Paula T.Rio ST.04. COM FOCO EM AMBIENTE WEB /129 Meürer.A . Antônio José/ PPGDesign . Nathalia Sá/ PUC .Rio Cavalcante.04. de/ UEM Grassi. Berenice/ UFSC ST. Silvana F./ UNIVILLE Silva. Priscila/ Centro Universitário SENAC / ARTE E DESIGN: UM ESTUDO NA OBRA DE GERALDO DE BARROS /133 Santos.UNESP Paschoarelli./ UCS Pezzin. Juliana S. Leila Lemgruber/ PUC . Sônia Marques Antunes/ UEMG Souza. Viviane/ UEL Martins. Cláudia Fátima/ UEMG Ribeiro. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac Gouveia. Mariano L.I COSAC NAIFy E SUA ATUAÇÃO INOVADORA NO MERCADO EDITORIAL: UM ESTUDO DE CASO /131 Gomedi. Ana Luisa Boavista Lustosa/ UEL / BRANDING: SER OU NÃO SER EIS A CONFUSÃO! /132 Chagas. Gabriela Helena Peixoto de/ UEMG / PROJETO DE TÁBUA DE PASSAR POR COORDENAÇÃO MODULAR /130 Pereira.04. André Luiz Tavares/ FAU-USP Gallo.K / ST. Jorge/ Universidade Anhembi Morumbi / ANÁLISE DAS POSTURAS ADOTADAS NO TRABALhO DOS DJS – CONSIDERAÇõES PARA O DESIGN ERGONÔMICO /133 Amancio. Wilson/ UNICAMP e Universidade Presbiteriana Mackenzie / A EVOLUÇÃO DO ESPAÇO COZINhA NA RESIDÊNCIA DE BELO hORIZONTE: TENDÊNCIAS NO CONTEXTO ARQUITETURA E DESIGN DE AMBIENTES /130 Campos.G APLICAÇÃO DE SISTEMAS DE IMPRESSÃO EM PAPEL RECICLADO ARTESANAL UTILIZANDO DIFERENTES FRAÇõES MÁSSICAS DE FIBRA DE BANANEIRA /128 Nascimento. Daniel Alvares/ UEL Cavalcante.k EPIGRAFIA ARQUITETÔNICA PAULISTANA – INDÍCIOS DA hISTÓRIA DA CIDADE INSCRITOS NO ESPAÇO PÚBLICO /134 Farias.04. Letícia/ ESDI/UERJ / RECOMENDAÇõES SOBRE TIPOGRAFIA PARA TELA. Rosane Fonseca de Freitas/ UEL / A IMPORTÂNCIA DO DESIGNER PARA A CONSTRUÇÃO DO LIVRO INFANTIL /131 Lourenço. Sanatiel de Jesus/ UFMA Pinho./ UEM Lucio. Denise A.ÍNDICES / ST. Anna Paula Silva/ Centro Universitário Senac e UNICAMP Pereira.04. Berenice Santos/ UFSC / TIPOGRAFIA PARA CRIANÇAS: ESTUDOS DE LEGIBILIDADE /129 Rumjanek.ST. Rodrigo Leonardo Rodrigues de/ UFMA / AVALIAÇÃO ERGONÔMICA PRELIMINAR DAS ATIVIDADES DOS OPERADORES DE COLhEDORA DE CANA-DE-AÇÚCAR: ESTUDO DE CASO /131 Corrêa.h EXPERIMENTAÇÃO E INCERTEZA NO PROCESSO DE PROJETO: UMA REFLEXÃO SOBRE O PAPEL DOS CROQUIS DE CONCEPÇÃO EM ARQUITETURA /130 Florio. Luis Carlos/ PPGDesign . Cristina do Carmo/ UEM Andrade Neto. Daniela Kutschat/ Centro Universitário SENAC Arantes. do/ UNIVILLE Anselmo.04. K. Filipe/ Universidade Estadual do Rio de Janeiro Cavalcanti. Eveline Z./ UNIVILLE Barauna.UNESP Santos Raquel dos/Universidade Técnica de Lisboa Santos.

Tâmara/ Instituto Nokia de Tecnologia Castillo. Leonardo/ UFPE / GAME DESIGN BASEADO EM PLATAFORMA /139 Figueirôa. André/ UFPE Campos.A/ UFAM/ PIATAM Mendonça.04.M. Maria de Fátima/ UFPE / REFLETINDO A CAPA: hISTÓRIA E CONTRIBUIÇõES AO PROJETO DE LIVRO NO BRASIL /135 Pereira./ UFPR / DESIGN DE PRODUTOS PARA O PÚBLICO IDOSO: ANÁLISE DE ESFORÇOS NO PROJETO DE ANDADOR DOBRÁVEL /136 Egydio.N ONTOLOGIA DE ARTEFATOS DIGITAIS PARA O DESIGN /138 Neves. Simone/ UFPE / PROJETO E-CIPÓ . Cleomar de Sousa/ Universidade Federal de Goiás / OBSERVAÇÃO DA LINGUAGEM GRÁFICA PICTÓRICA NO PAPEL MOEDA BRASILEIRO /135 Waechter./ UNOPAR Marar. R. Fábio/ UFPE Neves. S/ Universitat de Les Illes Balears. Dulce de Meira/ Universidade Positivo Bertão.V. Lilian Sayuri/ UEL Barros. Hans da Nóbrega/ UFPE Finizola. Williams/ UFPE Campos./ UNESP Luis Carlos Paschoarelli/ UNESP Luis Antônio Vasques Hellmeister/ UNESP / A RELEVÂNCIA DO REGISTRO DE PROCESSOS PARA O DESIGN DIGITAL /136 Prioste.F/ UNESP . Karla Mazarelo Ferreira/ Universidade Federal do Amazonas Pacheco/ Almir de Souza/ Instituto de Ensino Superior da Amazônia Nascimento. Maria Celeste de Fatima/ UEL Silva. A. Jorge/ Universidade Positivo Perreto. Claudete Catanhede/ Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia Silva/ Ademir Castro e/ Universidade do Estado do Amazonas / VIABILIDADE DE UTILIZAÇÃO DE SEMENTES PROVENIENTES DE COMUNIDADE RIBEIRINhAS NA AMAZÔNIA: SUSTENTABILIDADE ATRAVéS DO DESIGN DE BIOBIJUTERIAS /140 Trindade. Anniele Manoela da/ UEL / INTERVENÇÃO DO DESIGN NO ARTESANATO: APLICAÇÃO AOS PRODUTOS DO IMA /137 Neves./ UNOPAR Silva. Manuela/ Universidade do Minho Ferreira.B/ UFAM/ PIATAM / ST. Elisa Benassi Gonçalves da/ UEL Nascimento. Carolina/ Universidade Positivo Albach.A INTERNET NA TV /138 Calomeno. Rômulo do Nascimento/ Universidade Federal do Amazonas A QUALIDADE DAS INFORMAÇõES NO PROCESSO DE CONFECÇÃO: UMA PESQUISA NO PROCESSO DE TERCEIRIZAÇÃO DA PRODUÇÃO NAS INDÚSTRIAS DE VESTUÁRIO /138 Kauvauti. Renato/ Universidade Positivo Tamura. Marcelo Vieira/ Universidade Anhembi Morumbi ST. Elias/ Universidade Salvador Rocha.04. J. Cristianne Cordeiro/ UEL / DESIGN DE MODA E ECONOMIA SOLIDÁRIA: UMA EXPERIÊNCIA CONCRETA /137 Sanches. B. Fábio/ UFPE Galamba. Maria Lúcia L.04. F. Mauricio/ Universidade Positivo Oliveira. S/ UFAM/PIATAM Colares. L. Ângela/ Universidade do Minho / /264 .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PROCESSO DE COMBINAÇÃO TIPOGRÁFICA /134 Bitencourt. André M. U. Raffaela Leane Zenni/ UFPR Okimoto. Vanessa Tavares de Oliveira/ UEL ST. Y./ UFPE Artimã. Gabriela Rocha de/ Universidade Positivo Teixeira.I. Romi Trombini/ Universidade Positivo / CARMAN: USABILIDADE DE UM NOVO SISTEMA DE BORDO PORTÁTIL /139 Baía.O ANATOMIA DA MADEIRA AMAZÔNICA: ESTUDO DE PADRõES VISUAIS PARA APLICAÇÃO EM VESTUÁRIO FEMININO /139 Maciel. Dino L. K. Clylton/ UFPE Barros. M/ UNESP Martins. M./ UFPE ST.Bauru / VINCULANDO A USABILIDADE AO PROCESSO DE DESIGN DE PRODUTOS /136 Tanure.L INVESTIGAÇÃO DO MéTODO DE SELEÇÃO DE MATERIAIS POR SÍNTESE: FERRAMENTA DE AUXÍLIO PARA DESIGNERS /135 Walter.M A GESTÃO DA IMAGEM CORPORATIVA UTILIZADA COMO ESTRATéGIA NO LANÇAMENTO DE UMA MARCA /137 Costa. J.04. E.

04. Paula Penteado/ UTFPR Teixeira. Unitec / METODOLOGIA OIkOS PARA AVALIAÇÃO DA USABILIDADE E CONFORTO NO VESTIÁRIO /146 Martins. Juliana Colli/ UFES / ANAMORFOSE: ORIGENS E ATUALIDADES /145 Sotto.04./ Colégio Técnico Universitário . Joselena de Almeida/ UTFPR / MATERIAIS ALTERNATIVOS NA PRODUÇÃO DE MÓVEIS POPULARES /142 Almeida./ Fac. Lara Elena Sobreira/ Unilasalle Dischinger. Marco A. Aniceh Farah/ UNESP Rüthschilling. Marcelo Silva/ UEMG Gomes.ST. David/ School of Design and Visual Arts. Wilson/ UFRGS / DESIGN COMO FERRAMENTA DE ESTRATéGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DE COMUNIDADES /141 Carvalho. Hélio Luiz Rodrigues de/ UTFPR Rosa. Economia e Administração . TECNOLOGIA E CIÊNCIA: OS TRÊS CAMPOS QUE EFETIVAM A INOVAÇÃO /143 Rangel. Maria Alice Vasconcelos/ Universidade Federal Rural de Pernambuco Hammond. Lilian Caroline/ UTFPR Pozza. Carolina Almeida Cantoni. Márcio Miguel/ UEMG / ECO-DESIGN: ESCOLhA DE MATERIAIS VISANDO SUSTENTABILIDADE E PROCESSOS DE FABRICAÇÃO /142 Ricken.A FAShION DESIGN AS MATERIAL CULTURE /146 Gies. de Oliveira/ Fac. Cristina Engel de/ UFES Santana. Carla Galvão/ UFPR / QUANDO A INFORMAÇÃO é ESSENCIAL PARA A SOBREVIVÊNCIA: O CASO DO MANUAL DO ASPSP /145 Alvarez. Maria do Carmo/ UFRGS Kindlein Júnior. Leonardo G. Fernanda Andrade da/ UNESP Oliveira.B / A MOULAGE COMO INSTRUMENTO DE CRIAÇÃO E DE INOVAÇÃO FORMAL /140 Souza. Evelise/ UFRGS Cruz.04.UFJF Santos. /UFPR PROTOCOLO VERBAL: TéCNICA QUALITATIVA PARA OBSERVAÇÃO DE ESTRATéGIAS DE LEITURA APLICADA AO DESIGN DA INFORMAÇÃO EM BULAS DE MEDICAMENTO /144 Fujita. Ligia/ Colégio Técnico Universitário – UFJF ST. Kamille Mustafé/ UNESP ST.05. Fernando/ Centro Universitário Senac ST.Q AUTORIA E COMUNICAÇÃO NO DESIGN DE INTERAÇÃO /143 Pinheiro. Lynne/ University of the Arts London Hawkins. Janaína de Fátima Assis. Márcia Moreira/ Colégio Técnico Universitário – UFJF Inhan Matos.UFJF / APROFUNDANDO O CONCEITO DE INTERATIVIDADE /144 Fogliano. Suzana Barreto/ UEL ST.P SACOLAS PLÁSTICAS: PERSPECTIVAS DE SOLUÇÃO PARA UM PROBLEMA DE SUSTENTABILIDADE /141 Gomes. Patrícia de Mello/ UEL / AS PESQUISAS DE TENDÊNCIAS E O DESIGN DE JÓIAS: UM POSICIONAMENTO ESTRATéGICO /140 Siqueira Campos. Priscila Oyan/ UNESP Santos. Claudemilson dos/ UNESP Costa.R FUNCIONALISTA OU EXPERIENCIAL? UM MODELO PARA CLASSIFICAÇÃO DE RECURSOS DIDÁTICOS MEDIADOS PELO COMPUTADOR SOB A ÓTICA DO DESIGN /144 Mazzarotto.Rio / ABORDAGENS PARA ANÁLISE E PROJETAÇÃO EM DESIGN DE SUPERFÍCIE /141 Schwartz/ Ada Raquel/ UNESP Neves. Laura de Souza Cota/ UFMG Pinto. Francisco Arlindo/ Centro Universitário Senac / DESIGN. Maria Aparecida de Moraes/ PUC .05.05.04.Rio Magalhães.B NOVAS TECNOLOGIAS E EMBALAGENS INTERATIVAS:O FUTURO JÁ PRESENTE /147 Mariano. Sheila/ Manchester Metropolitan University / A ABORDAGEM DO MODELO CADEIA MEIOS-FIM PARA O DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS DE MODA /146 Rocha.ÍNDICES / ST. Cláudio de Freitas/ COPPE/UFRJ e PUC . Juliana Lisboa/ UFES Tonini. Maria José/ Universitá IUAV di Venezia /265 . Mauro/ UFES / A hIPÓTESE DO NOVO PARADIGMA NA INTERNET /143 Alves. Patricia Lopes/ UFPR Spinillo.K . Infórium de Tecnologia Pinto Júnior. Sabrina Santos da/ UTFPR Teixeira. Joselena Almeida/ UTFPR ST.

Débora Yuk/ Uniritter Brod Junior. Tatiana/ Universidade do Minho Souto. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac / FUNDAÇÃO DA INDÚSTRIA GRÁFICA PARANAENSE /149 Rodrigues. Regina Cunha/ Centro Universitário Senac Farias. Adilson/ doutor/ UNESP / ST.ESTUDO ANALÍTICO DAS NOMENCLATURAS VINCULADAS AO CONTEÚDO DA INFORMAÇÃO /150 Rodrigues. Ana/ CEFET . Prudente Silva. Bruna/ UNESP Paschoarelli. MAS NÃO MODERNISTA: ARy FAGUNDES E O CARTAZ COMO VEÍCULO DE COMUNICAÇÃO DE MASSA /148 Rubinstein. Ida Elisabeth/ DAD/PUC-Rio Magalhães.05.ALAGOAS Cassimiro. Roberto Alcarria do/ UNESP – Bauru Amendola. Valter César/ Universidade Norte do Paraná Raphael. Eugenio/ UFSC Merino.E O DESIGN COMO AGENTE INTRODUTOR DE INOVAÇõES NA CADEIA PRODUTIVA DE JÓIAS E O PAPEL DAS IEPS NESTE PROCESSO /151 Benz. Elisa Marangon/ Uniritter Gehling. Kátia/ CEFET .ALAGOAS Ferreira.05. Patrícia/ CEFET . Carolina/ Universidade Positivo / ANÁLISE GRÁFICA DE CARTAZES DO CENTRO CULTURAL BANCO DO BRASIL /149 Braga.ALAGOAS / DESIGN INDUSTRIAL: QUANDO SERÁ VALORIZADO? /153 Trentin.F A CERÂMICA COMO ALTERNATIVA NA INDÚSTRIA DE EMBALAGENS PARA COSMéTICOS /152 Nascimento. Antonio/ Universidade do Minho / IDENTIDADE EM MARCAS DE MODA EM SEU CONTEXTO MERCADOLÓGICO BRASILEIRO /152 Freitas. Diego Maurício dos Santos/ Universidade Norte do Paraná / /266 . Marcelo José da/ UNESP – Bauru Nascimento. Cláudio Freitas de/ PUC .Rio Lima.ALAGOAS Sarmento. Gonçales/ Universidade Norte do Paraná Silva. Guilherme Cunha/ UERJ ST.D ESQUEMA DE DESENVOLVIMENTO IMAGéTICO: UMA ANÁLISE DO PROCESSO DE CRIAÇÃO DE MARCAS /149 Silva. Adriana Girardelo/ UNIVALI Abreu. Sílvio/ UFPE / DOCUMENTOS DE SUPORTE AO USUÁRIO . Marcos/ Uniritter / POSSIBILIDADES DE LEGITIMAÇÃO DO DESIGN VERNACULAR /151 Cardoso. Lilia Paula Simioni/ Universidade Norte do Paraná Reginato. Scheila Eliza/ UFSC / hISTÓRICO DOS JORNAIS BRASILEIROS E A INFLUÊNCIA DE AMÍLCAR DE CASTRO NO DESIGN DE PÁGINA /147 Mota.Rio Magalhães.ALAGOAS Lins. Fernanda de Abreu/ PUC-Rio | SENAI Cetiqt ST. Josinaldo da/ CEFET . Claudio Freitas de/ DAD/PUC-Rio / DESIGN DE MODA COM MEMÓRIA DE FORMA /151 Laschuk. Luciana Costa de/ PUC . Mariangela Fazano/ UNOESTE – P. Maria Lúcia Villela/ UERJ Lima.05. Licia/ IBGE / ORGANIZAÇÃO DE UM ACERVO DE CARTAZES SOB UMA PERSPECTIVA DE DESIGN GRÁFICO /148 Wilke. Giselle/UFSC Conte. Leonardo/ UFPR A PRÁTICA DA RECICLAGEM APLICADA AO DESIGN DE INTERIORES: MOBPET E MOBPAPER /153 Rapôso. Ana Paula de/ UNICAMP ST. José Carlos Plácido da/ UNESP – Bauru / A CONSTRUÇÃO VISUAL DO JORNAL DO BRASIL: CONCEPÇÃO E TRAJETÓRIA ATé A PRIMEIRA METADE DO SéCULO XX /148 Fonseca. Edna Lucia Cunha/ PUC .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / / IDENTIDADE DA ILhA DE SANTA CATARINA RETRATADA ATRAVéS DA ICONOGRAFIA /147 Merino. Áurea/ CEFET . Luis Carlos/ UNESP Penofio.C MODERNO. Ingrid/ CEFET .PE Barreto Campello. Bruno Oro de/ UNIVALI / O DESIGN COMO FERRAMENTA DE GESTÃO AMBIENTAL NA CONSTRUÇÃO CIVIL /153 Barra.Rio / A COR NA JOALhERIA CONTEMPORÂNEA /152 Campos. Thiago/ Universidade Positivo Calomeno.Rio UMA REVISÃO DA COMUNICAÇÃO ATRAVéS DAS COMBINAÇõES CROMÁTICAS DE EMBALAGENS /150 Beretta.05. Letícia P/ PUC .

Gilmar/ Universidade do Vale do Rio dos Sinos / CINEDESIGN: A RESEARCh METhOD APPLIED TO AUDIOVISUAL TyPOGRAPhy AND GRAPhIC DESIGN IN MOTION PICTURES /155 Las-Casas. Cláudia Regina Hasegawa/ UFPR / INFLUÊNCIAS DO DESIGN DE AMBIENTES DE PONTO DE VENDA E O COMPORTAMENTO DE COMPRA POR IMPULSO /157 Costa. Vera Lucia Moreira dos Santos/ PUC .Rio Nojima.B .J DIRETRIZES PARA O CONSUMO SUSTENTADO A PARTIR DA INTERAÇÃO ENTRE MARkETING VERDE E ECODESIGN /158 Santos.05.ST.FAAC-UNESP Marar.h PADRõES DE REPRESENTAÇÃO TéCNICA PARA O DESIGN DO VESTUÁRIO FEMININO /155 Puls.05. Antônio Martiniano/ UFPR Zacar. Maria Flávia Vanucci de/ UEMG Benatti. Marina/ UTFPR Teixeira.05. João Fernando/ PPGDI . Isabella Ferraz Lacerda de/ UEMG Silva.ÍNDICES / ST. Antônio José/ PPGDesign .UNESP Corrêa. Elena/ Universitat de Barcelona Del Hoyo Arjona. Maria Flávia Vanucci de/ UEMG Mello.05. Joselena de Almeida/ UTFPR / DAS RUAS AO ShOPPING: CRIAÇÃO DE UM CARRINhO PARA TRANSPORTE DE CONFECÇõES /160 Silva. André de Souza/ Università IUAV di Venezia / A IMPORTÂNCIA DA RESPONSABILIDADE SOCIAL UNIVERSITÁRIA NA FORMAÇÃO DE DESIGNERS COMO PROFISSIONAIS MAIS CONSCIENTES /159 Moraes.FAAC-UNESP / O DESIGN EMOCIONAL E OS BLOBJECTS /157 Fontoura.Rio / REFLEXõES SOBRE A FORMAÇÃO DO DESIGN DE NOTÍCIAS /155 Moraes. Paula da Cruz/ UNESP INVESTIGAÇÃO DE TEORIAS E MODELOS EM DESIGN E EMOÇÃO: ESTRUTURAÇÃO DE UM MODELO DE CÍRCULOS DE REFERÊNCIAS DE EMOÇõES EM PRODUTOS /157 Scolari. Carolina/ Universidade Positivo ST. Susiane Michelle dos/ UFPE Castillo. Wellington Gomes de/ UFCG / /267 . Luiz Fernando/ UNB / A TRAJETÓRIA DE JOSé ZANINE CALDAS SOB ASPECTOS ECOLÓGICOS /155 Arruda. Lia Paletta/ UEMG Bentos. Gloria Lucía Rodríguez Correia de/ UNESP Landim. Erimar José Dias/ UFPE ST.K / REFUGO INDUSTRIAL COMO INSUMO PARA A CERÂMICA ARTESANAL: UMA ALTERNATIVA SUSTENTÁVEL PARA O ARTESANATO DO CABO DE SANTO AGOSTINhO – PERNAMBUCO / BRASIL /154 Silva.Sorbonne Hermes.05.UNESP ST. Luis Carlos/ PPGDesign . Itamar Ferreira da/ UFCG / ANÁLISE DAS CONDIÇõES BIOMECÂNICAS E DE USABILIDADE DE EQUIPAMENTOS COM ENFERMEIROS DE DOIS hOSPITAIS PÚBLICOS PAULISTAS /160 Paschoarelli. Lourdes Maria/ PUC .Rio / ThE CONCEPTUAL REALITy OF VISUAL MESSAGE: ICONICITy AND ENTROPy /156 Bartomeu i Magaña. Catarina de Araújo/ UEMG ST. Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS ST. Leonardo/ UFPE / DESENhAR O BEM-ESTAR SUSTENTÁVEL /158 Lucca.k O DESIGNER DE PRODUTO NA EMPRESA /159 Stasiak. Fábio/ Université de Paris – Panthéon . Elisa Gonçalves Pazzini da/ UEMG / A REUTILIZAÇÃO DE EMBALAGENS APÓS O TéRMINO DE SUA UTILIZAÇÃO: NOVAS ATRIBUIÇõES DE VALORES /159 Moraes. Sérgio Henrique Prado/ PPGDI . Vera Lucia/ PUC .G A CRISE DA MODERNIDADE E OS EFEITOS SOBRE O DESIGN /154 Parode. Washington F/ UFPE Silva. Jesús/ Universitat de Barcelona / ESCLARECIMENTOS SOBRE A INFOGRAFIA /156 Rodrigues. Raquel Rebouças de/ UFPE Medeiros.05.I DESENVOLVIMENTO DE ESCORREDOR DE PRATOS COM ÊNFASE NAS RELAÇõES PRAGMÁTICA E EMOCIONAL DO USUÁRIO COM O PRODUTO /156 Almeida. Ary/ PUC . Germannya D´Garcia Araújo/ UFPE Cavalcanti. Ana Maria de/ UFPE Santos Filho. Virginia Pereira/ UFPE Andrade. Plínio Bezerra dos/ AERPA Cordeiro.05.Rio Nojima. Thiago/ Universidade Positivo Calomeno.

05. DESIGN COMO RETÓRICA /164 Barros.Rio / DESIGN DE hISTÓRIAS.05.05. Kozo/ Hospital Regional Bauru .O DESIGN E IDENTIDADE LOCAL: O TERRITÓRIO COMO REFERÊNCIA PROJETUAL . Katia A. Ricardo/ Centro Universitário Senac / FRAMEWORk FOR DESCRIBING VISUAL ChARACTERISTICS OF WEBSITES /163 Souto./ UFPR Jardim. de/ Globo.SP Santaella. André Soares/ ESDI/ UERJ Castro. Dennis/ UFPE Campello.M CONCEITUANDO “WEB DESIGN” ATRAVéS DE CATEGORIZAÇÃO /162 Figueirôa. Newton/ PUC-Rio Sodré.SP ST. Lúcia/ PUC . Daniele Vieira/ Universidade Federal do Amazonas Cardoso. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá / CÓDIGOS CULTURAIS DO MOBILIÁRIO NO BRASIL /166 Ellwanger. Tarcisio/ PUC . Mateus Gomes de/ Faculdades Barddal/SC / DESIGN COMO LINGUAGEM. Bruno/ PUC .CADERNO/ DE/ RESUMOS / / Wada. Fabio Luiz Carneiro Mourilhe/ PUC .Rio / ENTREVISTA SEMI-ESTRUTURADA NA ANÁLISE DO CARTAZ DO FILME TERRA EM TRANSE /164 Ribeiro. Fábio/ UFPE Neves. Ana Claudia/ PUC-Rio Garcia.com ST. Cristina Luz/ UFSC Gontijo. Leila Amaral/ UFSC / IDENTIFICAÇÃO DO USUÁRIO ATRAVéS DO PRODUTO DE MODA /166 Silva. João Pedro Hojah da/ Universidade Estadual de Maringá Lucio. Rodrigo/ UFPR Battaiola. Stella/ Centro Universitário Senac Sato. Vanessa/ UFPR Godoi.05. / UERJ Freitas. André M. De/ Centro Universitário Barão de Mauá Landim. André L. Dino L.L ORIGENS DOS QUADROS UNIFORMES NAS hISTÓRIAS EM QUADRINhOS /161 Silva. Eliane/ PUC-Rio / O CROQUI COMO REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO PROCESSO CRIATIVO /161 Martino. Lucy/ UERJ / CONFLUÊNCIAS ENTRE A SEMIÓTICA PEIRCIANA E A CONCEPÇÃO DO DESIGN EM BÜRDEk /165 Cardoso.UNESP / INTERVENÇÃO ERGONOMIZADORA NO SERVIÇO DE RECUPERAÇÃO DE PACIENTES LESIONADOS DE UM hOSPITAL UNIVERSITÁRIO /160 Fontinele. Lucy Carlinda da Rocha de/ ESDI ST./ UFPE / DISPOSITIVOS MÓVEIS E ATIVISMO AO TRATAMENTO éTICO DOS ANIMAIS /163 Souza/ Priscila/ Centro Universitário Senac Dauer. Sydney/ UERJ Niemeyer./ UFPE Calazans.P SERES MATERIALES: SENSIBILIZACIÓN PARA LA RECOGIDA SELECTIVA DE RESIDUOS MUNICIPALES /167 Guimarães. A CONTRIBUIÇÃO DA TEORIA NARRATIVA PARA A COMUNICAÇÃO VISUAL VOLTADA PARA CRIANÇAS /161 Gamba Jr.UNESP Silva./ UFPR ST. Daniele Dickow/ ESDI Niemeyer. Marcos Vinícius Teles/ Universidad Politécnica de Cataluña . Geane de Almeida/ Universidade Federal do Amazonas Seixas. José Carlos Plácido da/ PPGDesign . M.OS CASOS DOS APLS MOVELEIROS DE UBÁ E GOIÂNIA /165 Moraes. Jarryer A. Dijon De/ UEMG / IDENTIDADE CULTURAL EM PROJETO DE PRODUTO /165 Cardoso.05. Vânia Maria Batalha/ Universidade Federal do Amazonas A UTILIZAÇÃO DE NUVENS DE TEXTO PARA A VISUALIZAÇÃO DE RESULTADOS DE SISTEMAS DE BUSCA NA WEB /163 Lunardi. José Muanis F.N DESIGN E SIGNIFICAÇÃO SOB UMA PERSPECTIVA MITOLÓGICA /164 Andrade. Márcia Severo/ ESDI/ UERJ Monat. Paula da Cruz/ UNESP/FAAC / hQTRÔNICAS COMO OBJETOS DE APRENDIZAGEM E MéTODOS PARA AVALIAR O SEU POTENCIAL PEDAGÓGICO /162 Kupczik. Silvio/ UFPE Campos. Virgínia Tiradentes/ University of Brasilia / /268 ST. Adriana B.

/ PUC . Ligia Maria/ UNIRITTER / ASSENTO ADAPTÁVEL PARA PORTADORES DE PARALISIA CEREBRAL E SEQÜELA DE ESCOLIOSE: ESTUDO DE CASO APLICANDO DESIGN ERGONÔMICO /168 Ganança. César Rocha/ EESC – USP Camargo. Flávia da/ UFPE Campos. Maria Lucília/ PUCSP / EXPERIÊNCIAS DE CONSUMO EM GASTRONOMIA: COMO O DESIGN PODE METER SUA COLhER? /173 Costa. Arabella N. Bianca/ PUC . Ana L. Azael Rangel/ EESC – USP / MODELO CONCEITUAL DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA INFORMACIONAL PARA OS E-COMMERCES BRASILEIROS /171 Lourenço Junior. Myrna de Arruda/ Centro Universitário Senac ST. Luis Carlos/ UNESP Poussep. Mariana Castello Branco/ CEFET . ARTE.Rio Lima.B O DESIGN à MESA: INFLUÊNCIAS CULTURAIS DA GRANDE FLORIANÓPOLIS NO DESIGN DE UTILIDADES EM CERÂMICA /172 Ferreira.Bauru e Unifev Ricieri.SC Back.C. Stanislav/ UNESP ST.Rio Menezes. Marina/ UNIVALI / METODOLOGIA DE PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS COM RESÍDUOS: ESTUDO DE CASO COM O CURSO TéCNICO EM DESIGN GRÁFICO E DE PRODUTO /167 Silva. Sílvio Diniz de/ UFPE / TECNOLOGIA DIGITAL PARA O COMéRCIO ELETRÔNICO DO VESTUÁRIO /172 Viana.Rio / DESIGN.Q LOGOGRAMAS: DESENhOS PARA PROJETO /168 Vidal Gomes.SC / A ChAVE E A FEChADURA: DA ORIGEM DO DESIGN A SUAS LINhAS DE FUGA /173 Borges. D. Cristiana/ Universidade Positivo Vilela. Clothilde/ Arquitecta Ricci.A O PAPEL DO BRIEFING EM UM PROJETO DE WEBSITE /171 Fonte.05.06. Isabela/ CEFET . Aline Freitas da/ UFES A IMPORTÂNCIA DA OBSERVAÇÃO PARA O DESIGN /170 Prante. Helder M. Danilo Corrêa/ UNESP Paschoarelli. Marcelo Prudente/ Universidade do Norte do Paraná / /269 . León/ Universidad Politécnica de Cataluña / DESIGN SUSTENTÁVEL: ESTUDO DE CASO NA INDÚSTRIA MOVELEIRA /167 Otte. da/ UTFPR Gouveia. Vera/ PUC .05. ARTESANATO: O UNIVERSO DE BISPO DO ROSÁRIO EM UM PROJETO EXPERIMENTAL /170 Soares. Fábio/ UFPE Neves.06.R DESIGN & EMOÇÃO: SOBRE A “COMPETÊNCIA EMOCIONAL” DE PRODUTOS E DE MARCAS /169 Damazio. Denise da Vinha/ Unifev Paschoarelli. Taciana V./ Universidade do Minho ST.SC Sielski. Júlia P. Luis Carlos/ UNESP . G.B / Georgetti. Suzana/ CEFET .ST. Joana Knobbe/ CEFET ./ Universidade do Minho Carvalho.ÍNDICES / ST. S. Marcos/ UNIRITTER Medeiros. Rosane Bezerra/ Universidade Federal de Sergipe Silva.Bauru / UTILIZAÇÃO DE LUVAS INSTRUMENTADAS EM AVALIAÇõES BIOMECÂNICAS DA PREENSÃO DA MÃO hUMANA /169 Silva.SC Iwakami. T.05. Rafael de/ Centro Universitário Senac Nascimento.06. Adriana da Silva/ UNESP . Luiz/ UNIRITTER Brod Junior. Marco/ Arquitecto Arellano Lechuga. André/ UFPE / METADESIGN DE INTERFACES WEB DE AMBIENTES COLABORATIVOS: LEVANTAMENTO E TIPIFICAÇÃO DE RECURSOS TéCNICOS E RELAÇõES hIERÁRQUICAS /171 Muniz./ PUC . Cristiane de/ PUC .Paraná / ANÁLISE DO CICLO DE VIDA E A INDÚSTRIA DE MÓVEIS DE LINhARES /168 Silva.Rio Dal Bianco.K . Filipe Campelo Xavier da/ UNISINOS ST. Thyenne/ Universidade Positivo / DO PROCEDIMENTO COMO SIGNO /170 Azevedo. B.

Marina/ UNIVALI ST.G DIFERENTES PERSPECTIVAS SOBRE OS ESTUDOS DAS EMOÇõES: COMENTÁRIOS DA ERGONOMIA E DA PSICOLOGIA /179 Meyer. Wanda/ Centro Universitário Senac / A CONTRIBUIÇÃO DO DESIGN NO DESLOCAMENTO DO DEFICIENTE VISUAL EM ESPAÇOS URBANOS ABERTOS /174 Silva.06.Rio Oliveira.Rio Nojima.Rio / DESIGN PARA A SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL: ESTRATéGIAS. Barreto Silvio/ UFPE Ramos. Luis Carlos/ UNESP Santos.Bauru ST. Isabella/ UFPE Campello. Ricardo Tiradentes/ UNESP Paschoarelli. Carla Patrícia de Araújo/ USP / DESIGN GRÁFICO E FEMINISMO /177 Neves.Bauru Nomiso. Célia Maria Santos da/ Universidade do Minho Silva.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ST. Joana/ Universidade do Minho Henrique. Mileni Kazedani/ UNESP Dahrouj. Mellissa Lima e/ Universidade do Minho Cunha. Carla Galvão/ UFPR / A IMPORTÂNCIA DA ARQUITETURA DA INFORMAÇÃO NA BUSCA DE CONTEÚDOS CONFIÁVEIS: UM ESTUDO DE CASO /176 Paschoarelli. Laura Schaer/ UNESP Barbosa. Renato F. Neide Köhler/ UDESC / DESIGN SUSTENTÁVEL: UMA NOVA PROPOSTA METODOLÓGICA /179 Otte.E A PERCEPÇÃO E O SIMBOLISMO DAS CORES: ATRIBUTOS NA CONSTRUÇÃO DE SIGNIFICADO NO DESIGN DE EMBALAGENS DE ALIMENTOS /177 Pereira. Raquel João Henriques Soares dos/ Universidade Técnica de Lisboa Silva. Hermano/ UFPE Sampaio.06.D CATALOGAÇÃO E ANÁLISE DOS RÓTULOS DE AGUARDENTE DO LABORATÓRIO OFICINA GUAIANASES DE GRAVURA /175 Aragão. PROJETO DE DESIGN GRÁFICO DE LIVRO INFANTIL /174 Gomes.Bauru / O PLANEJAMENTO GRÁFICO DO JORNAL GAZETA REGIONAL /176 Machado Junior. Jonas Tiago Ribas de/ UNIJUÍ ST.Bauru Menezes.06. Flávia/ Universidade do Estado do Rio de Janeiro / UM ESTUDO DA DIMENSÃO SEMÂNTICA DO SIGNO “OVO” APLICADA AO DESIGN GRÁFICO: UMA PRÁTICA EM SALA DE AULA /177 Braida. Felipe Stanque/ Universidade Luterana do Brasil Souza. Vera Lúcia/ PUC . Luis Carlos/ UNESP . Gabriela Varanda de/ PUC . Adriana Leiria Barreto/ Universidade do Minho Silva. Guilherme Corrêa/ PUC . Marcelo Gonçalves/ PUC .Rio ST.Rio / O “ILUSTRADOR” ARLINDO DAIBERT E A RELAÇÃO ENTRE TEXTO E IMAGEM NA OBRA ‘MACUNAÍMA’ /178 Ribeiro. Marizilda dos Santos/ UNESP Paschoarelli. Mariana/ UFPE / ANÁLISE DA ESTRUTURA GRÁFICA DE UMA BULA DE MEDICAMENTOS TRANSCRITA PARA O SISTEMA BRAILLE /175 Lopes. Luis Carlos/ UNESP Santos Filho./ UFSC Gomez. MéTODOS E FERRAMENTAS DE DESIGN PARA O SETOR DE MÓVEIS /178 Chaves./ UFSC / VESTUÁRIO ESPECIAL PARA DESABILIDADE FÍSICA /175 Matos. L. Liliane Iten/ Universidade Positivo / A éTICA E SUA IMPLICAÇÃO NA SUSTENTABILIDADE AMBIENTAL E NO DESIGN /179 Schulte. Lúcia Satiko/ UNESP . Ferraresso/ UNESP . Maria Olinda/ UFPR Spinillo.06.F DESIGN DE INTERIORES E CONSUMO SUSTENTÁVEL /178 Castro.C OS EFEITOS DA POSIÇÃO SENTADA PROLONGADA NA COLUNA VERTEBRAL: UMA REVISÃO /173 Rumaquella.Rio / /270 . Milena Roque/ UNESP Menezes. R. José Carlos Plácido da/ UNESP / INCLUSÃO SOCIAL DO DEFICIENTE VISUAL A PARTIR DE TéCNICAS E PROCESSOS DE IMPRESSÃO EM PAPEL. Alfredo Jefferson de/ PUC . Marizilda dos Santos/ UNESP .06. Frederico/ PUC . Abílio Garcia dos/ UNESP / ANÁLISE ERGONÔMICA DAS TAREFAS REALIZADAS PELO OPERADOR DE MÁQUINA COPIADORA /174 Gonçalves. Luiz S.

Regina Cunha/ Centro Universitário Senac / ST. Cláudia/ Universidade do Minho / DESIGN VERSUS ARTESANATO: IDENTIDADES E CONTRASTES /180 Eguchi. CONSUMIDOR. Jorge/ PUC .06. Luis Carlos/ UNESP .06. Tatiana Messer/ PUC-Rio Magalhães.L / USUÁRIO. Maíra Paiva/ SENAI . Andreia/ Centro Universitário UNA Menezes. Fabio Pezzi / Université de Paris 1 . Naissa Zeh Frossard de/ SENAI / FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO SUSTENTÁVEL E O USO DE COMPÓSITOS DE MADEIRA /186 Veroneze. Claudio Freitas de/ PUC-Rio / MODA: MASSIFICAÇÃO E INDIVIDUALIZAÇÃO /185 Kosminsky.06.Rio Ferreira. José Maurício C./ UFPR / EXPERIMENTOS COM TETOS VERDES /186 Paes Leme. Alexandre Penedo Barbosa de/ USP / MÓVEIS ARTÍSTICOS Z (1948-1961) /182 Melo.Bauru Silva.06. Fabrizio Augusto/ Centro Universitário SENAC / A EXPERIMENTAÇÃO EM JOGO: DO PROJETO à REPRESENTAÇÃO /183 Nascimento.Bauru / /271 . Esoline/ UFPR | Albuquerque.06.h DESIGN E FORMAÇÃO DE GRUPOS ESTRATéGICOS NA INDÚSTRIA BRASILEIRA DE ELETRODOMéSTICOS /181 Moraes. Tatalina C. de/ UFPE / O DESIGN E A PRODUÇÃO ARTESANAL NA PÓSMODERNIDADE /184 Freitas. Glaucinei Rodrigues/ Escola de Design – UEMG / INSERÇÃO DO DESIGN INDUSTRIAL EM EMPRESAS DO SETOR MOVELEIRO: RESULTADOS DO PROGRAMA IDI-M /186 Pereira./Hexagon Design Ltda / A GESTÃO DA DIFERENCIAÇÃO DO PRODUTO DE MODA /185 Rybalowski. Haroldo Coltri/ UNESP Pinheiro.k ACRE: ARTESANATO E DESIGN /185 Corrêa. Denise/ Centro Universitário Senac / DESIGN E ARTESANATO: APLICAÇÃO AOS “LENÇOS DE NAMORADOS” /180 Neves.I A PRODUÇÃO DE DESIGN E SUAS RELAÇõES COM AS IMAGENS TéCNICAS /183 Poltronieri. Isaura da Cunha/ Centro Universitário SENAC Giorgi . Márcia Bergmann/ PUC .J INDIVIDUALISMO E VALOR SIMBÓLICO: UMA ANÁLISE PRELIMINAR SOBRE O CONSUMO /184 Oliveira. Rodrigo Martins de Oliveira/ UNESP .06. Dorys/ SENAI-CETIQT ST.Serviço Nacional de aprendizagem Industrial Nascimento. Manuela/ Universidade do Minho Gomes.C . Doris/ Design/ SENAI-CETIQT Hansen. Cristina Abijaode/ UEMG Corrêa. Marlette A.ST. CLIENTE.06. Fernando Betim/ PUC . Alfredo Jefferson de/ UFRJ ST.Bauru Paschoarelli.L EXPERIÊNCIAS TRIDIMENSIONAIS COM MANEQUINS ANTROPOMéTRICOS DA TERCEIRA IDADE /187 Spinosa.ÍNDICES / ST.Giorgio/ Centro Universitário SENAC e USP / DESIGN. Glaucinei Rodrigues/ UEMG Assis. Moreira da/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Wilke. Olympio José/ UNESP O DESIGN CONTEMPORÂNEO E OS PROBLEMAS ORIGINADOS DO PROCESSO INDUSTRIAL /184 Parode.Rio / EVOLUÇÃO hISTÓRICA DO MOBILIÁRIO NO CONTEXTO RURAL: DO SéC.DESIGN /180 Dantas.Panthéon Sorbonne ST. Carlos/ UFPR ST. XIX à ATUALIDADE /181 Torres. Pablo Marcel de Arruda/ UFCG / DESIGN DO MOBILIÁRIO MODERNO BRASILEIRO: ASPECTOS DA FORMA E SUA RELAÇÃO COM A PAISAGEM /181 Melo.UMA ABORDAGEM hUMANISTA DO USER-CENTERED. Myrna de Arruda/ Centro Universitário SENAC e Universidade Paulista Seppi. CIDADÃO .Rio Oliveira. PERFORMANCE E hIPERTEXTO: DESENhANDO PENSAMENTOS EM PROCESSOS DE INTERFACES /183 Silva. R. Alexandre Penedo Barbosa de/ USP / A IMPORTÂNCIA DA ACEITAÇÃO DE MERCADO NO USO DA ESPéCIE MIMOSA SCABRELLA BENThAM NO MOBILIÁRIO /182 Zamarian. Sônia Mª A. S. José Carlos Plácido/ UNESP . Ana Luiza Cerqueira/ UEMG Costa.

Centro Universitário Belas Artes de São Paulo / UMA VISÃO POéTICA DO DESIGN /192 Avendaño. André Menezes das/ UFPE / ELEMENTOS DE ANÁLISE DE JOGOS ELETRÔNICOS INFORMATIZADOS BASEADOS EM ESTRUTURAS MULTIMÍDIAS EDUCACIONAIS /190 Dubiela. Luis Emiliano Costa/ Centro Universitário Belas Artes / FLICkR. Rafael P/ UFPR Battaiola. Gisele Pottker/ UDESC Mager. Rodrigo Martins de Oliveira/ PPGDI . Nara O. Vicente/ Universidade Federal do Rio de Janeiro / OS CONCEITOS DE GILBERT SIMONDON COMO FUNDAMENTOS DO DESIGN /193 Chagas.06.COM. Ernesto Giovanni/ Centro Universitário Senac.06.06. Hans da N. . EXPERIMENTAÇõES E EXECUÇÃO. Leo/ UFPE Neves. Jorge Lúcio de/ Universidade Federal do Rio de Janeiro / DESIGN. Filipe/ Universidade Estadual do Rio de Janeiro Campos.O QUANDO A ARTE ESTÁ PRESENTE NA MODA: UM OLhAR SOBRE O DESFILE DA COSTURA DO INVISÍVEL /191 Dias. André Marques/ UFPE / /272 .FAAC/ UNESP Silva. Unicamp/ FAAP Carvalho.06.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / DISPOSITIVO PROGRAMÁVEL DE MOVIMENTO PASSIVO CONTÍNUO: A ERGONOMIA E A TECNOLOGIA A SERVIÇO DA FISIOTERAPIA /187 Sperb. André Luiz/ UFPR Martins. Kátia Virgínia/FURB Odebrecht. Agda Regina de/ Centro Universitário Senac. A DISSEMINAÇÃO DO PRODUTO DE MODA NA INTERNET /192 Rocha./ UFPR / NARRATOLOGIA EM JOGOS DIGITAIS /191 Falcão./ Universidad Autônoma de Barcelona ST. Gabriela Botelho/ UDESC ST. L. REFLEXõES E REGISTROS DO PERCURSO DE UMA RECONSTITUIÇÃO /192 Boccara. Sérgio Henrique Prado/ PPGDI . Luiz Ernesto/ UTFPR / NECESSIDADE E INTERPRETAÇÃO.M MOILE: FERRAMENTA DE AUXÍLIO NA BUSCA DE ELEMENTOS TEXTUAIS PARA EMBALAGENS DE BEBIDAS E ALIMENTOS PRé-MEDIDOS /188 Bugliani. Daniel Quintana/ UFSM / INTERVENÇÃO ERGONOMIZADORA PARA SISTEMA DE ASSENTO DO TATUADOR /188 Seixas. Clarisse/ FURB MOTIVAÇÃO E LUDICIDADE: UMA POSSÍVEL ABORDAGEM PARA O DESIGN DE JOGOS EDUCACIONAIS /191 Battaiola.P SINAES – CONSIDERAÇõES SOBRE O PROCESSO DE AVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO EM DESENhO INDUSTRIAL / DESIGN /193 Cerqueira. UFPE Waechter. Michelle Pereira de/ UFPR ST. Fábio Ferreira da Costa/ UFPE Neves. Beatriz/ UNOPAR / CARTAZES E A CRÍTICA DA INTERNACIONAL SITUACIONISTA /189 Fukushima. DESENhO INDUSTRIAL E SUAS DERIVAÇõES: ENTENDO O SISTEMA /193 Spinosa. Daniele Vieira/ UFAM Mota. Sheila Cordeiro/ UFAM / ADEQUAÇÃO ERGONÔMICA DAS CADEIRAS USADAS EM POSTOS DE TRABALhO DE ESCRITÓRIOS /188 Cañellas.FAAC-UNESP Figueiró. Flávio Eduardo/ UFPR Aguiar.São Paulo / EX LIBRIS: RESGATANDO MARCAS BIBLIOGRÁFICAS NO BRASIL /190 Isaia. Regina Maria Alves/ Universidade Anhembi Morumbi / BALLET TRIÁDICO DA BAUhAUS: PESQUISA. André L. Raquel de Oliveira/ UNOPAR Scolari. Tarcisio/ PUC . José Carlos Plácido/ Professor Titular/ PPGDI FAAC/UNESP ST. Kando/ UTFPR Merkle. Eliana Virgínia Vieira de/UFPE Campos.N GERAÇÃO DE IDéIAS PARA JOGOS DIGITAIS: VANTAGENS DA UTILIZAÇÃO DE TéCNICA DE CRIATIVIDADE /190 Melo. QUESTõES PARA O DESIGN GRÁFICO PÓS-MODERNO /189 Cardoso.

Marcelo/ USP / kAIRÓS . Gabriela/ USP ST. Romero/ Centro Universitário Senac / REALIDADES hÍBRIDAS: DESIGN E TECNOLOGIAS DA COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO /199 Carneiro./ UFRGS Silva. Raul/ University of Minho Costa. Anna Paula/ CEFET/SC Biava. Fábio H.Q RECRIANDO: DESIGN DO LIVRO LÚDICO EDUCACIONAL QUE VISA à CRIAÇÃO A PARTIR DE QUALQUER OBJETO E A MISTURA DE MUNDOS /194 Andrade. Luiz Eduardo Cid/ UFCG Dantas. Fábio G. D. de/ Universidade Federal do Amazonas Silva. Regina de O. Gabriela/ USP Tramontano. Susy/ UNESP / BRINCAR COM SENTIDO E NÃO-SENTIDO: JOGOS DE LINGUAGEM E PARADOXOS SEMÂNTICOS /194 Stolf. Mário/ University of Minho Fangueiro. S. Eduardo Cardoso/ Centro Universitário SENAC – São Paulo / /273 . Lurdete Cadorin/ CEFET/SC Santos./ Centro Universitário Feevale ST. Alessandro Ferreira/ UEMG / CARACTERIZAÇÃO E APLICAÇÃO DE METAIS CELULARES E ESPUMAS METÁLICAS NO DESIGN AUTOMOTIVO /196 Cardoso. da/ Universidade Federal do Amazonas Máximo. Cínthia C. Leiliam Cruz/ UFCG ST. Henrique Barone/ UNESP Ferreira.D / ST.ÍNDICES / ST.07. Claudia Renata/ PUC-Rio / A APLICAÇÃO DAS CORES NAS INTERFACES COMPUTACIONAIS DOS USUÁRIOS COM BAIXA VISÃO /198 Kulpa. Carlos Alberto Pereira de/ PUC-Rio Mont´Alvão. Branca Freitas/ UFRGS / MULTIWEAVE: NEW WEAVING TEChNOLOGy OF A MULTIAXIAL STRUCTURE FOR TEChNICAL APPLICATIONS /196 Lima. Anna Paula/ CEFET/SC Biava.06. Eduardo/ UFRGS Oliveira.07. Gaudencio Francisco Flores/ Argenteria e Ourivesaria Gaudencio Orso ST. S./ UFRGS Teixeira./ UFRGS / COMUNICAÇÃO VISUAL PARA DEFICIENTES AUDITIVOS /198 Freitas.C PROJETO DE DESIGN E IMPLEMENTAÇÃO DE UMA FERRAMENTA PARA VISUALIZAÇÃO DO INTERIOR DE ESTRUTURAS /199 Bueno. Sílvio/ UFPE / MOBILIÁRIO INTERATIVO: TECNOLOGIAS DIGITAIS COMO PRÁTICA DO DESIGN /200 Carneiro. Fabrício André P.06.AUTOMÓVEIS DE COMPETIÇÃO /196 Costa.07. Suellen P.ST. Luiz Marcelo/ UFRGS Gonçalves. Rodrigo Golçalves dos/ CEFET/SC / ECODESIGN APLICADO AO DESIGN DE JÓIAS /195 Straliotto.07. Germany Rocha. Instituto Agilus de Inovação em Tecnologia de Informação./ Universidade Federal do Amazonas / DESIGN DE INTERFACES PARA ALFABETIZAÇÃO DE CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS /198 Heidrich./ Centro Universitário Senac Tori.UMA PROPOSTA DE INOVAÇÃO EM TRAVELOGUES /200 Velozo. Janayna/ UFPE Campello.A IMAGEM E ESTILO: ASPECTOS INTERFERENTES NA RELAÇÃO hOMEM . Claudete B. Güeba/ Centro Universitário Feevale Salce.A/ Portugal / O PAPEL DO DESENhO INDUSTRIAL NA AGRICULTURA FAMILIAR: O CASO DO ASSENTAMENTO RURAL DE PILõES-PB /197 Guimarães. Válter/ IAITI.L .07. Fábio R. Guimarães. Rodrigo Golçalves dos/ CEFET/SC / ESTUDO DO DESENVOLVIMENTO DA CRIANÇA PARA AUXÍLIO NO DESIGN DE BRINQUEDOS /195 Stolf./ Centro Universitário Senac Miranda. Fernanda Ribeiro/ UNESP Amantini. Lurdete Cadorin/ CEFET/SC Santos./ Centro Universitário Feevale Medina. Régio P. António/ P & Maia Lda. Christian/ Institut für Textiltechnik der RWTH Aachen (ITA)/ Aachen.B AVALIAÇÃO DE USABILIDADE SOBRE PROTÓTIPO DA VERSÃO ACESSÍVEL ONLINE DO CURSO PRESENCIAL “ESTIMULAÇÃO VISUAL PRECOCE”. MINISTRADO PELO INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT /197 Lucena.D QUESTõES DE éTICA: RELAÇõES ENTRE O DESIGN E A ECOLOGIA PROFUNDA /200 Braga. Claudio E. Portugal Rosiepen.

/ UEMG / A METODOLOGIA COMO INSTRUMENTO DO PENSAMENTO INTERDISCIPLINAR NO DESIGN /202 Ribeiro. Bruno Montanari/ UEM Rinaldi.Rio / TECNOLOGIA ASSISTIVA & DESIGN: UM ESTUDO SOBRE A APLICAÇÃO DA FUNCIONALIDADE E DA ESTéTICA NOS PRODUTOS INDUSTRIAIS /201 Senna. ANOS 1970 /205 Moraes. Maria Izabel/ UDESC ST. Caio Márcio Almeida/ UFCG Guedes.07. André M/ UFPE Sóter. João Batista/ UFCG ST.CESF Razza. Cyntia/ Centro Universitário Senac São Paulo Hardagh. Thaíse F. Juliana Pontes/ Universidade FUMEC / CLASSIFICAÇÃO DE PRODUTOS E MARCAS ASSOCIADOS A REGIõES /202 Scanavino. Guilherme Corrêa. Simone M./ UEMG Silva. Dias de/ FAU USP / TRÊS MOMENTOS DO MODERNO: CAPAS DE LIVROS DIDÁTICOS.07. Deborah Regiane/ Universidade Estadual de Maringá Kague. Dulce Maria Holanda/ UDESC Costa. Raquel João Henriques Soares dos/ Universidade Técnica de Lisboa ST. C.G A RENOVAÇÃO VISUAL DO LIVRO DIDÁTICO NO BRASIL: O DESIGN DE ARy NORMANhA NA EDITORA ÁTICA /204 Moraes. Marco Aurélio (Kito Castanha)/ Centro Universitário Senac Escanfella . Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET/SC / SÍMBOLOS IDENTITÁRIOS DE CULTURAS TRADICIONAIS: ANÁLISE PELA GESTALT /201 Menezes.h PERCEPÇÃO DE CONFORTO POR MEIO DA AVALIAÇÃO VISUAL DE ASSENTOS: PARÂMETROS PARA O DESIGN ERGONÔMICO DE MOBILIÁRIO /206 Lanutti. Didier D. Stanislav/ FAAC/UNESP / ANÁLISE DE MAÇANETAS CILÍNDRICAS E DE ALAVANCA POR USUÁRIOS IDOSOS – ASPECTOS DE USO E PERCEPÇÃO /206 Fabio. Rômulo do Nascimento/ Universidade Federal do Amazonas / INTEGRAR: UM VERBO PEDAGÓGICO /205 Almeida .O. Dias de/ Faculdade de Educação da USP / LIVRO DE ARTE: CONTRIBUIÇõES AO PROJETO DO LIVRO NO BRASIL /205 Pereira.E CAMINhO POSSÍVEL PARA O DESENVOLVIMENTO DE PROJETO DE DESIGN DE AMBIENTES: UMA METODOLOGIA /202 Leite.07. Simone/ UFPE Neves. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá / AVALIAÇÃO ERGONÔMICA DE POSTO DE TRABALhO INFORMATIZADO: OPERADOR DE ÁUDIO DA RÁDIO UNESP /207 Falcão. Letícia Sayuri/ Universidade Estadual de Maringá Eishima.07. Luis Carlos/ FAAC/UNESP Poussep. Ricardo Mendonça/ UNESP Paschoarelli. M. Celia Maria/ Centro Universitário Senac ST. Carlos E/ CEFET/SC Santos. C. Raquel Sumie/ Universidade Estadual de Maringá Lucio.F DESIGN DE PRODUTO COM VALOR DE MODA /203 Barros. Deborah Chagas/ Faculdade Senai-Cetiqt / /274 . Clarissa Menezes/ UFPE / PROBLEMATIZANDO O DESIGN DE MODA – O PAPEL DA DISCIPLINA METODOLOGIA DE PROJETO /203 Malaguti de Sousa. Luis Carlos/ UNESP Santos. Cláudia Coelho/ Centro Universitário Senac São Paulo / DESIGNER DE MODA: CONSTRUTOR DE SIGNIFICADOS /204 Christo. Franciane da Silva/ Instituto de Ensino Superior da FUCAPI . BRASIL. Vivianne N./ PUC .A. B. Samantha C. Marizilda/ UNESP Castro.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / REFLEXõES SOBRE A CARACTERIZAÇÃO DA PESQUISA CIENTÍFICA E DA PRÁTICA PROFISSIONAL NO DESIGN /201 Meyer. Hernán Daniel/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo / MORFOLOGIA DA ARQUITETURA E DO DESIGN /203 Silva. Jamille Norteza de Lima/ FAAC/UNESP Paschoarelli. B e/ UEMG Abreu. Didier D. Jacqueline/ UNESP METODOLOGIA DE RESPONSABILIDADE AMBIENTAL PARA O VESTUÁRIO /204 Maciel. . Romaine S/ UEMG Medeiros./ UEMG Moreira. Andrea de Souza/ Centro Universitário Senac Castanha Jr.

ÍNDICES / ST. M.07. Viviane Helena/ UFPR Freitas. Alan Richard/ Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP / A OBRA DE ARTE TOTAL: IDEAIS INTERDISCIPLINARES DA SECESSÃO VIENENSE /208 Barbosa. Edmilson Costa/ UFES / EXPOSIÇÃO VIRTUAL DE VERTEBRADOS FÓSSEIS DO MUSEU NACIONAL DA UFRJ /208 Monnerat. Patrícia/ Faculdades Integradas Barros Melo Cavalcanti.M / ST./UFRJ Cunha. Sergio A. Kathia/ Universidade Anhembi Morumbi / REFLEXÃO SOBRE PRÁTICAS METODOLÓGICAS COLABORATIVAS EM DESIGN /211 Freire.07.J AVENTURAS NA SELVA: RENATO DEGIOVANI. Dale/ Illinois Institute of Technology Prygrocki./ UFPE ST. Débora Gigli/ Centro Universitário Belas Artes de São Paulo ST. Monica Saboia/ PUC .L ESPAÇOS INSTITUCIONAIS COMO MANIFESTAÇÃO DA MARCA: PRODUZINDO SIGNIFICADOS E PERCEPÇõES /211 Pereira Barretto. Ricardo/ UFPR / EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: COMPETÊNCIAS DO ESTUDANTE PÓS-MODERNO E AS ADEQUAÇõES DO DESIGN /212 Batista. J. Adriana Leiria Barreto/ Universidade do Minho Cunha./ UFRJ Romano. Karla Libardi/ Associação Projeto Águas do Rio Doce Teixeira. Cristina/ UFRJ Azevedo.ST. Elton Rubens/ UFPE SIilva. C.D . L.I COMO CARTOGRAFAR O ESPAÇO DE CRIAÇÃO? UMA QUESTÃO PARA O DESIGN /207 Marinho. Regina/ Universidade Anhembi Morumbi / BOZZETTI./ UFRJ Grillo.07. Marcos C. Viviane/ UFPR Tanure. Márcia Luiza França da Silva/ UNESP – Bauru Pinheiro. DIVINO LEITÃO E O PIONEIRISMO NO DESIGN DE VIDEOGAMES NO BRASIL /208 Da Luz. Raffaela Leane Zenni/ UFPR / . A. K. T. Maria do Carmo Duarte/ UFPR Mendes Junior. Pedro S. Olimpio José/ UNESP– Bauru Menezes.k “A ARTE DE FAZER COISAS BELAS”: UMA INVESTIGAÇÃO SOBRE A REPRESENTAÇÃO JORNALÍSTICA DO DESIGN /209 Amorim. Gustavo/ Universidade Luterana do Brasil / JOhN GRAZ NA COLEÇÃO DO MUSEU DE ARTE DE SÃO PAULO /209 Buonano. Erton Wagner/ UFPE Souza Filho. Orlando N. Gerson G. PUC-Rio / DESIGN PARA LOJAS DE MODA: GESTÃO DE MARCAS EM PROJETOS PARA PDV /213 Saddi. UM MODERNISTA CONTEMPORÂNEO /209 Curtis.07..07. Luciana Lopes/ UFPE Silva. Marizilda dos Santos/ UNESP – Bauru ST. Claudia / UAM / DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE SISTEMA DE AUXÍLIO à ORGANIZAÇÃO DE EVENTOS /207 Gallina. Virginia/ UFPE / CORES E ILUMINAÇÃO APLICADAS NUM PROJETO DE INTERIOR DE AERONAVES /210 El Marghani. Cláudio de/ PUC .M O USO DE FERRAMENTAS DIGITAIS PARA REPRESENTAÇÃO GRÁFICA NA INDÚSTRIA DO VESTUÁRIO /212 Matos.Rio Magalhães. UDESC Moraes. Joana/ Universidade do Minho / A ERGONOMIA E SUA APLICAÇÃO NA INDÚSTRIA DE CONFECÇÃO DO VESTUÁRIO /213 Rosa. A./ UFRJ Haguenauer.07. da. A.07. Greg/ Illinois Institute of Technology McLeish./ UFRJ ThINkERINGSPACE DESIGNING A SySTEM OF COLLABORATIVE ENVIRONMENTS FOR kIDS /210 Moura./ Universidade Anhembi Morumbi Castilho./ Illinois Institute of Technology / DESIGN NA CIDADE RELAÇÃO CONCEITUAL ENTRE O DESIGN E O ESPAÇO URBANO /210 Barbosa.Rio / /275 ST. Marcos/ UFPE / CRITéRIOS DE ERGODESIGN PARA AVALIAÇÃO DE CONTEÚDO INFORMACIONAL VOLTADO PARA AUTOAPRENDIZAGEM /211 Kuntz. Heloisa/ Illinois Institute of Technology Fahnstrom. Vera A. Maria do Carmo/ Centro Universitário Feevale Cossio. R.

Tatiana Azzi/ Universidade Anhembi Morumbi CONSIDERAÇõES SOBRE A FORMAÇÃO DOS GESTORES DE DESIGN NO BRASIL /ARTIGO COMPLETO /217 Fascioni.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / O DESIGN TÊXTIL NO BRASIL EM TRÊS TEMPOS: UM ESTUDO EXPLORATÓRIO /213 Neira. Edson Luiz da Silva/ UNOPAR Sudo. Carolina Lemos/ Universidade Federal de Uberlândia / GESTÃO DE DESIGN INTEGRANDO SUSTENTABILIDADE E DESENVOLVIMENTO SOCIAL /216 Casteião.07. UMA RELAÇÃO BRASIL E ITÁLIA /218 Oliveira. Leonardo/ UFPE / O RESGATE DA éTICA NO DESIGN: A EVOLUÇÃO DA VISÃO SUSTENTÁVEL /ARTIGO COMPLETO /215 Castro. ESTéTICAS E FUNCIONAIS /215 Roizenbruch. Augusto da/ Instituto Nacional de Tecnologia Oliveira. Guilherme Corrêa/ PUC . Raimundo Filho/ UNISINOS / SIGNOS DE CONTESTAÇÃO /214 Niemeyer.N ESTUDO SEMIÓTICO: ANÁLISE DE SIGNIFICAÇÃO E GERAÇÃO DE SENTIDO COMO FERRAMENTA DO DESIGN /214 Vieira. Gustavo Severo de/ UNISINOS Giorgi.07. Ana Maria de Paiva/ UEMG ST. Agnacilda Silva/ Universidade Tiradentes . Paulo Miranda/ UEMG Ferreira. Maria Luiza A. Márjorie Garrido/ Universidade Federal da Bahia / ANÁLISE DA POTENCIALIDADE DA FORMAÇÃO DE UM PROFISSIONAL DE DESIGN. Júlio C.Rio / /276 . Lucy/ UERJ Neves.SE Severo. Andréia Sayuri/ UNOPAR / DESIGN COMO CULTURA DE PROJETO E COMO INTEGRAÇÃO ENTRE UNIVERSIDADE E EMPRESA /214 Galisai. Alfredo Jefferson/ PUC-Rio ST. André Luiz/ Faculdades Adamantinenses Integradas / EXPECTATIVAS DOS DESIGNERS BRASILEIROS PARA FERRAMENTAS DE ECODESIGN /216 Silva. de/ Universidade Federal de Uberlândia Carraro. Luz Garcia/ Centro Universitário SENAC ST.07. C. Flávia/ UERJ / DESIGN AUTORAL: PRODUÇõES POéTICAS.O ThE AESThETICS OF SUSTAINABLE PRODUCTS: A hISTORICAL APPROACh /ARTIGO COMPLETO /215 Castillo. Roberto/ UNISINOS Borba.P A VALORIZAÇÃO DO PRODUTO NOVO /ARTIGO COMPLETO /217 Meyer. Ligia/ UNISUL / REFLEXõES SOBRE O ESTUDO DE DESIGN UNIVERSAL NA FORMAÇÃO DO DESIGNER /217 Rocha.

Mariana/ UFPR Serraglio. Marli Teresinha/ Universidade da Região de Joinville / ONTOLOGIA DAS METODOLOGIAS EM DESIGN/225 Ximenes./ Centro Universitário SENAC Indicatti. Abdon da Silva / UFCG Silva. Priscila Lena/ Centro Universitário Senac / TIPOGRAFIA URBANA . Mariana de/ UFPR Poczapski. C. Raphael/ PUC-Rio / ANÁLISE DE CONFORTO: ÔNIBUS RODOVIÁRIO CONVENCIONAL /225 Santos. Cristiele A. Anna P. André/ Universidade Federal de Pernambuco / REVISÃO DAS METODOLOGIAS EM DESIGN /225 Ximenes. Paulo Henrique/Universidade do Vale do Itajaí / COMPREENSIBILIDADE POTENCIAL DE IMAGENS UTILIZADAS EM COMUNICAÇÃO PUBLICITÁRIA: ESTUDO ANALÍTICO DE CAMPANhAS VEICULADAS PELO GREENPEACE BRASIL /224 Scariot. Cláudio/ PUC-Rio Gomes. Denis Geraldo Fortunato/ FAD Fischer.01.IC.A .A METODOLOGIA PROJETUAL E APLICAÇÃO CROMÁTICA /222 Braga. André/ Universidade Federal de Pernambuco IC. Halinni Garcia/ Centro Universitário Senac Farias. Monica/ FAD IC.01. Fabiola/ Universidade Estadual de Maringá Boschetti. Michelle Teixeira da/ CEFET Campos / O DESIGN GRÁFICO NA CONCEPÇÃO DE MARCA PARA PRODUTOS ARTESANAIS: UM ESTUDO DE CASO/223 Petrelli./ Centro Universitário SENAC e UNICAMP Farias.01. Luiz Cláudio Gonçalves/ CEFET Campos Silva. Mateus/ Universidade Federal de Pernambuco Neves./ UFPR Faria. Cristina do Carmo/ Universidade Estadual de Maringá / SISTEMA FLEXÍVEL PARA DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS: CAD DE VESTUÁRIO APLICADO NO SETOR METALÚRGICO /226 Fraga.E DESIGN DE CARTAZES: OS CARTAZES PREMIADOS NAS BIENAIS DE DESIGN GRÁFICO DA ADG/226 Lopes. Ana Emília Gil/ FAU USP IC.ÍNDICES / IC.B A APRENDIZAGEM ATRAVéS DA EXPERIÊNCIA:LEVANTAMENTO E DOCUMENTAÇÃO DA PRODUÇÃO DEPROFESSORES DA ESCOLA BAUhAUS/223 Angélico.C UMA INVESTIGAÇÃO ACERCA DO PERFIL DO ESTUDANTE DO CURSO DE DESIGN PARA APOIAR A ELABORAÇÃO DE MATERIAL PEDAGÓGICO IMPRESSO E VIRTUAL /224 Minatti. Fernanda I. Bartira Brandão da / UFCG / LINGUAGEM DE PROJETO: INTERAÇÃO DO DESIGN COM A CRIANÇA /222 Boschiero. Rodrigo/ UFPR IC. Nathália Rosa/ UNIRITTER Kunrath. Pablo/ UFCG Meira Filho. Lígia/ UNIRITTER / DESIGN DE BRINQUEDOS COM MATERIAIS REUTILIZÁVEIS: ALTERNATIVA PEDAGÓGICA E AMBIENTAL /222 Torres.01. Marco Aurélio/UFSC Wolf.MAPEAMENTO E ORGANIZAÇÃO DE ACERVO /226 Novaes. Kamila/ UNIRITTER Medeiros. Ana Maria Duarte/ Centro Universitário Senac / ANÁLISE DO PERSONAGEM GRÁFICO DA CASAS BAhIA /223 Nunes.01./ Centro Universitário SENAC Gouveia. Flávio L.D DA EXPLORAÇÃO AO PROJETO: MODELOS TRIDIMENSIONAIS BASEADOS NA TRANSFORMAÇÃO DO PLANO COMO ESTÍMULO PARA CONCEPÇÃO DE PRODUTOS /225 Magalhães.01. Heloisa/ Universidade da Região de Joinville Everling. S. Maiara de Oliveira/ Universidade Estadual de Maringá Reinert.01.E / ÍNDICE DE TRABALhOS INICIAÇÃO CIENTÍFICA / / / / / IC. Alex dos Santos/ CEFET Campos Teles. Ludmila Rosa/ CEFET Campos Gomes. Priscila L. Mateus/ Universidade Federal de Pernambuco Neves. Laíz Gerhman/ Universidade Estadual de Maringá Lucio./ Centro Universitário SENAC / /277 . Rachel de Oliveira Queiroz/ UFCG Cunha.

Natalie/ Universidade Positivo Mello./ Centro Universitário SENAC Gouveia. Rafael/ Universidade de Sorocaba / A COMPREENSÃO DO LEITOR DAS CAPAS DE REVISTA SOBRE ARTE E CULTURA/232 Vasconcelos. Conceição Garcia/ CEFET/SC IC. Mauro/ USP / VESTUÁRIO ATITUDE: TRIBO URBANA. Gabrielle Stockey / UDESC /278 . Monica/ USP IC./ Centro Universitário SENAC e UNICAMP IC.02.01. Monique Aline A.01. Sandra Regina/ UDESC / SAPATO: MUITO MAIS QUE UM ITEM DO VESTUÁRIO. Lígia Mara Zanella/ Universidade de Sorocaba IC. Leonardo Augusto Gómez/ UFPE / FERRAMENTA ANÁLISE DE STAkEhOLDERS APLICADA AO DESIGN DE PRODUTOS /228 Ferreira. Mabel Gomes/ UFPE Carvalho. Haroldo Coltri/ UNESP Pinheiro. Tatiana Silva. Joana Knobbe/ CEFET SC / OS MODOS DE CONFIGURAÇÃO DOS OBJETOS DE DESIGN E ARTE GERADOS A PARTIR DO USO DE DISPOSITIVOS MÓVEIS /233 Antunes./ Centro Universitário SENAC Novaes. Aline/ USP Tavares. Sheila Cristina Silva Aragão/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Claro. Monica/ FAD / A PESQUISA DE TENDÊNCIAS NA MODA /229 Chinchilha.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / TIPOGRAFIA URBANA – MODELAGEM DAS EPÍGRAFES /227 Indicatti. UMA EXTENSÃO DA PSICOLOGIA DA MULhER/230 Caetano. Camila/ UFPE Wanderley.01. Luiz Felipe de Macedo/ Universidade Positivo / PARÂMETROS PARA O DESENVOLVIMENTO DE WEBSITES /229 Bevilacqua./ Centro Universitário SENAC Farias. Anna P.h DESIGN DE SUPERFÍCIE: CAMINhOS E POSSIBILIDADES ENTRE A ARTE.02. Nyany Cardim de/ UFPE Castillo. Olympio José/ UNESP / O AMBIENTE RESIDENCIAL EM 2017: PESQUISA DE TENDÊNCIAS PARA O PROJETO DE PRODUTO ELETROELETRÔNICO /233 Ferreira. Renata/ UFPE / DESIGN GRÁFICO DE MÍDIA DIGITAL SOBRE DESIGN INDUSTRIAL E DIVERSIDADE CULTURAL /232 Veiga de França. Flávio L. Amanda Queiróz/ UDESC Rech. Bruna do Nascimento/UNISINOS Marques. Maristela Mitsuko/ UTFPR IC. MODA E COMPORTAMENTO /231 Silveira. de/ UFSM / SIGNOS E SIGNIFICADOS DO VESTUÁRIO NA TERCEIRA IDADE: ESTUDOS CULTURAIS E ICONOGRÁFICOS NA FACULDADE SÊNIOR /229 Victer.G O DESIGN DA INFORMAÇÃO EM GUIAS. Ana Claudia Camila/ UTFPR Ono. S. MANUAIS E CARTILhAS /228 Guimarães. Cristiane Gontijo/ FAD Fischer. C. Fernanda I.B DESIGN-ARTE BRASILEIRO: IDEOLOGIA E METODOLOGIA NA OBRA DOS IRMÃOS CAMPANA/233 Eguchi.A O GRAFITE: EXPRESSÃO ARTÍSTICA E INTERVENÇÃO URBANA /232 Assis. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. Reinilda/ UFSM Oliveira. André Canal/ UNISINOS / O POTENCIAL DO GESSO COMO MATéRIA-PRIMA PARA MOBILIÁRIO POPULAR /228 Guimarães. Priscila L.I FUTURO DO PRESENTE: PESQUISANDO TENDÊNCIAS DE CURTO E MéDIO PRAZOS ATRAVéS DOS SETORES DE REFERÊNCIA/230 Campos.01.F DESIGN ESTRATéGICO: APLICAÇÃO DE UMA METODOLOGIA EM UM PROJETO DE GRADUAÇÃO /227 Remus. A TECNOLOGIA E O DESIGN /229 Minuzzi. Centro Universitário Senac IC.

G AS VARIÁVEIS DO PROCESSO DE COMUNICAÇÃO ESTéTICA – O ESTUDO DE CASO DOS SITES DE ARTE /238 Silva.E GESTÃO DO DESIGN E SIMBOLOGIA DE PRODUTOS COMO PARÂMETROS DO DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL/236 Bostelmann. Andréa Seadi/ Centro Universitário Feevale / O DESIGN NA REUTILIZAÇÃO DE GARRAFAS PET: DESENVOLVIMENTO DE LUMINÁRIAS /237 Dias. Leilyanne Ferreira Marques/ USP Tavares. Raquelly Oliveira/ CEFET SC Santos. Amanda Rosas/ UDESC Vandresen.E ./ Centro Universitário Senac IC.IC. Saulo/ Universidade do Estado de Santa Catarina IC.02. Pamela/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Websky. Welida/ PUC-Rio Nojima. Ana Carolina/ PUC-Rio Nojima.02.02. Larissa/ UFPR Siqueira. Joselena de Almeida/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná / MINIMALIZAÇÃO: TENDÊNCIA OU NECESSIDADE?/236 Bordignon. Regina Lara Silveira/ Universidade Presbiteriana Mackenzie / ESTUDO CROMÁTICO NA OBRA DE IkkO TANAkA/234 Higa. Susana Medeiros/ CEFET SC / ANÁLISE DO PROCESSO COLABORATIVO DE FERRAMENTAS COMPUTACIONAIS LIVRES EM DESIGN /237 Heemann. Stefan/ CEFET SC Heemann. Silmara/ UFPR Barbosa. C.D REVISTA FEMININA E A CULTURA DE NARCISO: ANOTAÇõES SOBRE A CONSTRUÇÃO DO CORPO/234 Cabral. Rodrigo Gonçalves dos/ CEFET SC Vieira.02. Alexandre Burocchi/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Mello.F REDESIGN DE PRODUTO SOB A ÓTICA DO ECODESIGN:ESCOVA DENTAL /237 Dapper. Mari Ângela Mendes/ Centro Universitário Feevale Guanabara. Jonathan/ UFPR IC.02. Pablo Marcel de Arruda/ Universidade Federal de Campina Grande Alves. Reinaldo A. Monique/ UDESC / DESIGN GRÁFICO: PARTICIPANDO DE UMA TESE DE DOUTORADO /235 Barbosa. Adriano/ CEFET SC / DESIGN CONTEMPORÂNEO: ENTRE AS GAVETAS E AS MÚLTIPLAS CONEXõES. Marilis Heimbecker/ UTFPR Espinoza.02. Josiane/ Universidade Tecnológica Federal do Paraná Teixeira. Maria Claudia Santos/ UTFPR / REAPROVEITAMENTO DE RESÍDUOS DE MADEIRA PARA FABRICAÇÃO DE MOBILIÁRIO PARA CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS/239 Torres. Jeandrey Scuissiatto/ CEFET/SC IC. José Neto de/ Universidade Anhembi Morumbi Navalon. Flávio L.02. Silvia Trein Heimfarth/ Centro Universitário Feevale Mendes. Vera Lúcia M. /236 Assis. Monica/ USP / SENSO COMUM NO DESIGN /238 Silva.H / IC.02.ÍNDICES / IC. Vera Lúcia M. Ítalo/ UFPR Slobodzian. Santos/ PUC-Rio / A INFOGRAFIA APLICADA AO DESIGN EDITORIAL(JORNAIS E REVISTAS) /235 Deboni.C A CARTOGRAFIA ANÍMICA DE WESLEy DUkE LEE/234 Mendonça./ Centro Universitário Senac Novaes. Ariane Daniela/ Universidade Presbiteriana Mackenzie / A JÓIA NO CORPO E A ESCULTURA NO ESPAÇO PÚBLICO/234 Mauro . Larissa Palazi de/ Universidade Anhembi Morumbi Faria. Bruno/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Cole. Santos/ PUC-Rio / SEQÜÊNCIAS PICTÓRICAS DE PROCEDIMENTOS DE ACENDIMENTO DE FOGõES: UM ESTUDO ANALÍTICO E CONSIDERAÇõES PARA SEU DESENVOLVIMENTO/238 Gomes. Adriano/CEFET/SC Corrêa. Hoardy da Silva/ Universidade Federal de Campina Grande / /279 . Eloize/ Universidade Anhembi Morumbi IC.h MOBILIÁRIO PEDAGÓGICO INFANTIL/239 Marques.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / ESTUDO ERGONÔMICO PARA DEFINIÇÃO DE MEDIDAS DE MÓVEIS PRé-ESCOLARES /239 Bordignon. Johanna Odebrecht/ Universidade do Estado de Minas Gerais / O ECO-REDESIGN COMO FERRAMENTA DA OTIMIZAÇÃO DE MATERIAIS /242 Hayden.D A REDUÇÃO NA FONTE COMO SOLUÇÃO PARA MINIMIZAR O IMPACTO AMBIENTAL CAUSADO PELAS EMBALAGENS /245 Moraes.C ESTUDO SOBRE A INFLUÊNCIA DAS CORES E ANIMAÇõES NA COMPREENSÃO DE hISTÓRIAS PELO PÚBLICO INFANTIL/244 Brito. Vera M. Nathália Jung/ UTFPR Lobo. Lorena Gomes Ribeiro de/ Universidade do Estado de Minas Gerais / /280 . Bruno/ Centro Universitário Senac Capatti. Silvina Ruth/ PUC-RIo Nojima. Leonardo Augusto Gómez/ Universidade Federal de Pernambuco / SIMBOLOGIA DA COR EM AMBIENTE hOSPITALAR: PEDIATRIA /240 Beuren. Liliane/ Universidade Norte do Paraná Walter. Marina Cambraia/ Universidade do Estado de Minas Gerais Mol. Nyany Cardim de/ Universidade Federal de Pernambuco Guimarães. Ana L. Gerson Ávila Hulbert/ CEFET/SC Symanski. Rafael Kenji/ Centro Universitário SENAC IC. Alessandra Márcia de Freitas/ Universidade Presbiteriana Mackenzie / O LIVRO INFANTIL E O DESIGN GRÁFICO /244 Suzuki.03. Joselena de Almeida/ UTFPR IC. William/ Universidade Norte do Paraná Reginato. Paola Prado/ Universidade Presbiteriana Mackenzie Stefani. Adriano Aguiar/ Universidade do Estado de Minas Gerais Dias. Fernanda Hansch/ UTFPR / AS INSTALAÇõES NA CASA COR MINAS GERAIS /241 Santos. Yuri/ Universidade Norte do Paraná Gomes.I DESENVOLVIMENTO DE ALTERNATIVAS SUSTENTÁVEIS PARA hABITAÇÃO DE BAIXA RENDA/240 Carvalho. dos Santos/ PUC-RIo / PESQUISA ACERCA DO DESIGN DE UM WEBSITE EDUCACIONAL PARA O PÚBLICO INFANTIL DO PROJETO “ANIMALIXO”/244 Mouro. Valter/ Universidade Norte do Paraná / ORGANIZAÇÃO E VOCAÇÃO DE ACERVO /243 Ludovici. Regina Cunha/ Centro Universitário Senac / ANÁLISE DE VARIÁVEIS GRÁFICAS DOS MODOS DE LINGUAGEM PRESENTES EM PROJETOS DE SINALIZAÇÃO: SUBSÍDIO NA CONCEPÇÃO DE PROJETO SIMILAR PARA MATERIOTECA /243 Ribeiro. Leandro Cardoso Xavier de/ PUC-RIo Crenzel. Wadson Gomes/ Universidade do Estado de Minas Gerais Teixeira. G/ Universidade do Estado de Minas Gerais IC./ Universidade Norte do Paraná Azevedo. Mabel Gomes/ Universidade Federal de Pernambuco Castillo. Evelyn Rodrigues de/ CNPq IC.03.B ACERVO DE MATERIAIS DE UMA MATERIOTECA: INVESTIGAÇõES PRELIMINARES SOBRE AS CARACTERÍSTICAS DAS AMOSTRAS /243 Santiago.A BENEFICIAMENTO DE GEMAS NA UNIDADE PRODUTIVA DE CORONEL MURTA /242 Gomes.02. Adriano Aguiar/ Universidade do Estado de Minas Gerais Amorim. Maria Bernadete Santos/ Universidade do Estado de Minas Gerais / ESTUDO DA VALORIZAÇÃO DAS GEMAS ATRAVéS DO DESIGN DE LAPIDAÇÃO/242 Mol./ Universidade Norte do Paraná Rodrigues. Lilia Paula S. Renan S.03. Stefan/ CEFET/SC Filho.03. Maria Flávia Vanucci de/ Universidade do Estado de Minas Gerais Oliveira. Samantha/ Centro Universitário Senac Wilke. Natascha Borges/ CEFET/SC IC. Bianca Kirchner/ UTFPR Teixeira.

Carolina/Universidade Positivo / INFORMAÇÃO OU POLUIÇÃO: PROCESSOS DE DESCARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO URBANO /245 Lemos Felga. Bianca/ PUC-Rio Falcão. Fabrício Casarejos Lopes/ PUC-Rio / INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA RELAÇÃO ENTRE DESIGN INSTRUMENTOS MUSICAIS /247 Ferreira.02.F / APLICAÇÃO DA LEITURA VISUAL COMO PROCESSO AUXILIAR NO DESENVOLVIMENTO DO DESIGN EDITORIAL E CRIAÇÃO DE ILUSTRAÇõES PARA O CONTO “A PEQUENA SEREIA” DE hANS ChRISTIAN ANDERSEN/245 Durski.E hISTÓRIA DO DESIGN DE SUPERFÍCIE NO RIO GRANDE DO SUL/246 Xavier. Vinícius Alberto/ Faculdades Integradas EspíritoSantens / INCORPORAÇÃO DE CONhECIMENTOS DE MARkETING E ADMINISTRAÇÃO NA CONSTRUÇÃO DE UM MéTODO PARA O DESIGN GRÁFICO /247 Righeto. Flaviza/ CEFET-SC Gomez. Luiz Salomão Ribas/ UFSC / UMA REFLEXÃO hISTÓRICO-TEÓRICA DA NECESSIDADE DE UM PENSAMENTO METODOLÓGICO E CRÍTICO NO DESIGN GRÁFICO /248 Heinrich. de/ UFPeL /281 . Marília/ Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora IC.IC. Andréia B.03.F A CAÇADA.ÍNDICES / IC.03./ UFPeL Brito. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. Lucas/ Centro de Ensino Superior de Juiz de Fora Cunha. O MERCADO E UMA ESPACIALIDADE hÍBRIDA/247 Morais. COMPONENTES E A PRODUÇÃO DO INSTRUMENTO MUSICAL /246 Ferreira.I .03. Conceição Garcia/ CEFET/SC Luiz. Conceição Garcia/ CEFET/SC Luiz. Fabiana O. Daniel Peixoto/ Universidade Positivo Nunes. Evelise Anicet/ UFRGS / hARMÔNICA DE BOCA: SISTEMAS. Joana Knobbe/ CEFET/SC Martins. Fabrício Casarejos Lopes/ PUC-Rio IC. Eduardo de Souza/ UFRGS Rütschilling. Jadna Mari/Universidade Positivo Calomeno.

Jo ão Di as . oru mb i Pt e.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / Shopping Interlagos São Paulo Golf Clube Av. Roque Pe Shopping Morumbi idas Av. Eusébio Stevaux. Eng. Washington Luís Ponte do S o co rro Av. Dr. Nações Un Av.600 da Av. A go lb ttis ert o ra troni Junior Shopping Market Place Transamérica Flat Nações Unidas Rua Américo Brasiliense Av. C hucri Z aidan Hotel Transamérica Credicard Hall inh eir os P Rio Mar gina lP inhe iros Linha do trem espanhol /282 Av . 823 altura do 21. N oss aS do S a b ará Shopping SP Market ho en CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC CAMPUS SANTO AMARO Av. En Za g. In COMO ChEGAR AO CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC? / CAMPUS SANTO AMARO / / / / / Autódromo de Interlagos Rio Pinheiros Estação Jurubatuba Ponte Transamérica ter la g os M Av. Nações Unidas Av de .

selecione a opção INTERNET. A seguir abra uma página do Internet Explore e aparecerá uma solicitação de login e senha: LOGIN eventoped / SENhA senac2008 Pedimos a gentileza de NÃO alterar a senha.MAPAS/ E/ PLANTAS / / / MAPA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO SENAC / CAMPUS SANTO AMARO / / / / / QUADRA POLIESPORTIVA QUADRA POLIESPORTIVA QUADRA POLIESPORTIVA QUADRA POLIESPORTIVA ACADÊMICO 2 CENTRO GASTRONÔMICO CENTRO ESPORTIVO REITORIA ACADÊMICO 1 PRAÇA CENTRO DE CONVENÇÕES BIBLIOTECA ESTACIONAMENTO P1 acesso principal COMO UTILIZAR A INTERNET SEM FIO / / / / / / Ao procurar os sinais da Internet no prédio irão aparecer diversas opções. /283 . Os pontos em preto no mapa representam as antenas da rede Wi-Fi.

CADERNO/ DE/ RESUMOS / / PLANTA DO PRéDIO ACADÊMICO 1 / / / / / 1º ANDAR / / / / / / / / / / / / / / / / TéRREO / / / / / / / / / / / / / / / INFORMAÇõES / D 258 C 257 C 255 C 253 C 251 C 249 C 247 C 245 C 243 C 241 C 239 C 237 C 235 C 233 D 259 C 238 C 236 C 234 C 232 C 256 C 254 C 244 C 242 D 260 banheiro C 246 banheiro B 230 D 261 F 273 F 275 F 274 F 276 F 278 E 283 E 284 E 285 D 262 F 277 F 279 B 229 F 280 F 282 E 286 D 263 F 281 D 264 A 202 D 265 A 204 banheiro A 212 A 214 A 216 banheiro A 222 A 224 B 228 A 226 D 267 A 201 A 203 A 205 A 207 A 209 A 211 A 213 A 215 A 217 A 219 A 221 A 223 A 225 D 152 C 151 C 149 C 147 C 145 C 143 C 141 C 139 C 137 C 135 D 153 C 150 C 148 C 146 D 154 banheiro C 138 C 136 banheiro C 134 C 132 B 130 B 129 B 128 B 127 D 155 E 162 E 163 D 156 D 157 laboratório geral E 164 B 126 E 165 B 125 banheiro A 102 A 104 A 106 A 110 A 112 A 114 banheiro A 118 A 120 B 124 D 158 A 101 A 103 A 105 A 107 A 109 A 111 A 113 A 115 A 117 A 119 A 121 A 123 As áreas em branco indicam as salas e auditórios onde ocorrerão workshops e sessões técnicas do P&D DESIGN 2008. /284 .

MAPAS/ E/ PLANTAS / / / PLANTA DO CENTRO DE CONVENÇõES / / / / 1º PISO / / / / / / / / / / / / / / / / / / / TéRREO / / / / / / / / / / / / / / / / / sala multiuso 1 banheiros auditório 3 auditório 4 sala multiuso 2 sala multiuso 3 sala multiuso 4 auditório 1 sala multiuso 5 sala apoio auditório 2 foyer auditório 1 banheiros /285 .

Centro 11 5682 7300 11 3879 8626 11 5187 2955 11 3718 1800 11 2101 3030 11 3146 4000 11 4004 5700 11 4003 7000 11 2244 7000 11 4003 1888 11 4003 9955 11 6445 2945 11 5090 9000 11 2445 2505 0800 550 121 11 3291 7800 11 3235. do Brás e Júlio Prestes Metrô .Central de Informações Terminais Rodoviários do Tietê.Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista .Guarulhos) Aeroporto de Congonhas EMTU Estações Ferroviárias da Barra Funda.CADERNO/ DE/ RESUMOS / / TELEFONES ÚTEIS / / / / / Centro Universitário Senac LunesTur Transamérica Flat Nações Unidas TÁXI Peg Taxi Ligue Táxi Especial Rádio Táxi CIAS AéREAS TAM VARIG GOL KLM AIRFRANCE AEROPORTOS E TERMINAIS Aeroporto Internacional de São Paulo (Cumbica . da Luz.0322 11 5181 7386/ 5182 0287 11 5548 7788 11 5561 9609/ 5561 9610 11 3107 0466 11 3241 5822 11 3151 4167 /286 . do Jabaquara e da Barra Funda CASAS DE CÂMBIO Sagitur (Shopping Morumbi) Shoptur(SP Market) Ibirapuera Câmbio (Shopping Ibirapuera) Segaltur DELEGACIAS DO TURISTA Delegacia Regional de Turismo – Capital DEATUR .

Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista .Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista .Delegacia Especializada no Atendimento ao Turista .Cumbica OUTROS Correio (Achados e Perdidos) e Telegrama Fonado Defesa do Consumidor Emergência de Trânsito Informações DDI Farmácias de plantão Central de Comando da Polícia Metropolitana Itinerário de ônibus Bombeiros Polícia Ambulância Defesa Civil 11 2226 0664 11 5090 9032 11 6445 2686 11 21127194 11 3106 7411 11 3219 0066 000333 136 190 156 193 190 192 199 /287 .Congonhas DEATUR .Anhembi DEATUR .TELEFONES/ ÚTEIS / / / DEATUR .

000 Exemplares / Impressão Model Print Gráfica / Este caderno foi produzido entre os meses de Setembro e Outubro de 2008 / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / / ./ / / / Formato 170 x 240 mm / Tipografias Títulos News Gothic St Medium e Bold Textos Berthold Akzidenz Grotesk / Papel do Miolo Alta Alvura 120 g/m2 / Papel da Capa Susano Duo Design 350 g/m2 / Número de Páginas 288 / Tiragem 1.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful