Sobre o desejo de inserção e outros temas I e II Priscilla Cheli

1. Jacques-Alain Miller compara a história do pão, na qual não se encontra mais padeiros que saibam fazer pães, apenas apertam o botão da máquina que os faz, com os sentimentos dos analistas de terem perdido um saber antigo e fundamental, sacrificando-o a uma técnica. Comenta que Lacan deu aos analistas através de seu Seminário as chaves fundamentais de seu ensinamento e hoje se tem posto em ordem os instrumentos dados por ele. Os CPCTs são um veículo de uso desses instrumentos, e diz que vale a pena refletir sobre tal veículo a partir do tema inserção / des-inserção. O desejo de inserção é fundamental no ser falante, e esse desejo pode ser observado nos CPCTs quando por exemplo, jovens os comparam a uma família. Miller aponta nisto um problema, pois, em psicanálise “cada um se confronta com sua solidão, com sua falta, com sua miséria, e isso produz um apelo ao conforto grupal”. A respeito da des-inserção, Miller diz respeito da importância de se pensar no encontro de Barcelona o lugar, o local de cada um na relação ao local dos demais, ou seja, pensar “em que medida o analista deve se inserir ou se desinserir do discurso do Outro e em que sentido”. Comenta ainda que Lacan não foi favorável à “ilusão de extraterritorialidade”, mas que algumas vezes falada da Escola como um espaço de operações contra o mal-estar na cultura. Miller sugere que se elabore uma postura, uma vez que a pressão social vem aumentando em relação a psicanálise. Por fim, Miller propõe que se discuta a posição sociopolítica da psicanálise e dos psicanalistas em tempos atuais. E diz que em sua opinião é disso que se trata em Pipol 4, da psicanálise aplicada à própria psicanálise. 2. Miller diz que fez uma intervenção para que se possa abandonar a CPCT mania, não para que entre em uma CPCT depressão, mas sim, que se saia dela (mania), preservando o melhor de sua experiência. Diz que sua ideia inicial para os CPCTs é que fossem de caráter limitado, pois sabia que seria uma experiência perigosa, visto que representa uma espécie de esboço de reconciliação do discurso analítico com a sociedade, ou seja, como o discurso do mestre, portanto, responde à demanda do Outro social. “Responder à demanda do Outro social produz os CPCTs tal como nós os vemos crescer ilimitadamente”

Diz que, em sua opinião, é urgente que não haja mais crescimento, pois ele é totalmente oral. Coloca não saber se é uma questão de devorar o Outro ou ser devorado por ele, citando o comentário de Esthela Solano no qual diz que há algo nos CPCTs de Paris que lhe transborda e lhe devora. Miller sinaliza que isso pode vir a acontecer na Espanha também caso não haja uma reflexão a respeito.
REFERÊNCIA MILLER, J.A. "Sobre o desejo de inserção e outros temas I e II". Correio 62, março de 2009.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful