Guias de viagem publicados no estrangeiro davam nota máxima à Linha do Tua, comparando-a aos espectaculares traçados dos Alpes

suíços. Muitos de nós nunca fizeram esta viagem inesquecível e, certamente, não terão jamais possibilidades de o fazer…

Inaugurada em 1887 pelo rei D. Luís, foi um notável trabalho de engenharia disputando espaço às fragas das íngremes margens.

A viagem começa em Peso da Régua, num comboio que nos levará até à estação do Tua

O Rio Douro acompanha-nos, em curvas delicadas no sopé de montes verdejantes

Ao longe as escadas abertas nas encostas com as videiras que nos darão o apreciado vinho do Porto

Pelo rio, barcos transportam os turistas

Aos nossos olhos a estação do Pinhão, com um conjunto de painéis de azulejos ligados à temática do vinho do Porto

A estação ferroviária onde se fazia o transbordo para a viagem que nos levava, junto ao rio Tua, até Mirandela

Por entre campos e penhascos, a velha Linha do Tua

À ilharga do Rio Tua, o pequeno comboio seguia o seu destino

A outrora importante estação do Cachão queda-se encerrada e ao abandono

Entre fragas e penhascos o Tua no seu suave deslizar

Um espectacular viaduto metálico, há muito encerrado, fazia parte do percurso

Mirandela, cidade de origem romana, deve o seu nome ao rei D. Diniz

Mirandela guarda valores históricos e arquitectónicos

A ponte românica com vinte arcos é o ex libris da cidade

De regresso, os túneis e as trincheiras abertas na rocha

De novo, na estação do Tua, à espera do comboio que nos levará de volta

Sucedem-se as quintas e as povoações, agrupadas no alto das encostas

Em Resende, as muito apreciadas cerejas são uma mais valia para aquela região

Fotos e formatação de

JBVieira
SETEMBRO/2010

Aluimentos do terreno provocaram vários acidentes com feridos e algumas mortes, o que levou ao encerramento da Linha do Tua

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful