You are on page 1of 7

Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros

E. B. 2, 3 Maria Veleda

FICHA DE AVALIAÇÃO DE LÍNGUA PORTUGUESA

– Prova A

ANO LECTIVO 2010/2011 – 1º Período
NOME:
ANO:
DATA:

TURMA:

Nº.:

CLASS.:
PROF.:
E. ED.:

GRUPO I – INTERPRETAÇÃO DE TEXTO
5 Lê atentamente o texto que se segue:

Um Natal em Jerusalém
A noite de Natal era igual todos os anos. Sempre a mesma ceia, sempre as mesmas coroas
de azevinho penduradas nas portas, sempre as mesmas histórias. Mas as coisas tantas vezes

10 repetidas, e as histórias tantas vezes ouvidas pareciam cada ano mais belas e mais misteriosas.
Até que certo Natal aconteceu naquela casa uma coisa que ninguém esperava. Pois
terminada a ceia o Cavaleiro voltou-se para a sua família, para os seus amigos e para os seus
criados, e disse:
- Temos sempre festejado e celebrado juntos a noite de Natal. E esta festa tem sido para nós

15 cheia de paz e alegria. Mas de hoje a um ano não estarei aqui.
- Porquê? – perguntaram os outros todos com grande espanto.
- Vou partir – respondeu ele. – Vou em peregrinação à Terra Santa e quero passar o próximo
Natal na gruta onde Cristo nasceu e onde rezaram os pastores, os Reis Magos e os Anjos. Também
eu quero rezar ali. Partirei na próxima Primavera. De hoje a um ano estarei em Belém. Mas passado

20 o Natal regressarei aqui e, de hoje a dois anos estaremos, se Deus quiser, reunidos de novo.
Naquele tempo as viagens eram longas, perigosas e difíceis, e ir da Dinamarca à Palestina
era uma grande aventura. Quem partia poucas notícias podia mandar e, muitas vezes, não voltava.
Por isso a mulher do Cavaleiro ficou aflita e inquieta com a notícia. Mas não tentou convencer o
marido a ficar, pois ninguém deve impedir um peregrino de partir.

25

Na Primavera o Cavaleiro deixou a sua floresta e dirigiu-se para a cidade mais próxima, que
era um porto de mar. Nesse porto embarcou, e, levado por bom vento que soprava do Norte para Sul,
chegou muito antes do Natal às costas da Palestina. Dali seguiu com outros peregrinos para
Jerusalém.
Visitou um por um os lugares santos.

30

Quando chegou o dia de Natal, ao fim da tarde, o Cavaleiro dirigiu-se para a gruta de Belém.
Ali rezou toda a noite. Rezou no lugar onde a Virgem, S. José, o boi, o burro, os pastores, os Reis
Magos e os Anjos tinham adorado a criança acabada de nascer. E, quando na torre das Igrejas
bateram as doze badaladas da meia-noite, o Cavaleiro julgou ouvir, num cântico altíssimo cantado
por multidões inumeráveis, a oração dos Anjos:

1/7

2.5.1 Indica o título da obra de onde foi retirado o texto.” 1. justificando a tua resposta. Diz o nome do seu autor. Como classificas esta narrativa quanto ao seu desfecho? 25 _________________________________________________________________________________ 1. B. _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 15 1.4. 20 _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ ________________________________________________________________________________ 1. 5 Rezou muito. Diz qual é. 3 Maria Veleda “Glória a Deus nas alturas e paz na terra aos homens de boa vontade. No 2º período do 1º parágrafo.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E.3. Sophia de Mello Breyner Andresen. o cavaleiro. _________________________________________________________________________________ 1. Caracteriza psicologicamente a personagem principal do texto com três adjectivos à tua escolha. está presente um recurso expressivo. chorando de alegria. _________________________________________________________________________________ 35 2/7 . _________________________________________________________________________________ 30 _________________________________________________________________________________ 2.2. Qual o tipo de narrador deste texto? Justifica a tua resposta. nessa noite.” Então desceu sobre ele uma grande paz e uma grande confiança e. «O Cavaleiro da Dinamarca» Responde agora às seguintes questões: 10 1. beijou as pedras da gruta. “A noite de Natal era igual todos os anos.

A mulher não deixou o Cavaleiro partir. 6. O Cavaleiro vivia em França. tendo em conta a história. porque: (marca com um X 20 a frase correcta) não o queria ver zangado. a viagem não tinha riscos. queria ficar sozinha. não se deve impedir um peregrino de partir. _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 5 _________________________________________________________________________________ 4. O Cavaleiro viajou com muitos mantimentos. 10 V F IS 5. Onde tencionava o Cavaleiro passar o Natal do ano seguinte? _________________________________________________________________________________ 5. Indica com uma X as afirmações verdadeiras (V) e as falsas (F) ou impossível saber (IS). B.3. Consideras que a repetição daquilo que.2. _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 15 5.1. 3 Maria Veleda 3. 3/7 . Transcreve a oração dos Anjos que o Cavaleiro julgou ouvir. Onde passou o Cavaleiro a noite de Natal? _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 30 8. A mulher do Cavaleiro não lhe pediu para não realizar aquela viagem. Ao chegar à Palestina. A noite de Natal era diferente todos os anos. AFIRMAÇÕES O Cavaleiro partiu para Belém no Verão. “Até que certo Natal aconteceu naquela casa(…)” 5. 2. ano após ano. O Cavaleiro dirigiu-se para a gruta de Belém. Diz o que aconteceu de diferente naquela noite de Natal. para onde se dirigiu o Cavaleiro? _________________________________________________________________________________ 25 7.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E. Ele tinha quatro filhos. ia acontecendo no Natal resultava em aborrecimento? Justifica a tua resposta. na casa do Cavaleiro.

vacas. desde miniaturas a personagens em tamanho real. onde peregrinações eram feitas à gruta onde Jesus nasceu. 2. bois. Diz o que ele representa. Indica em que ano se iniciou a tradição do presépio e quem foi o seu autor.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E. existindo presépios para todos os gostos. levando consigo animais como. São Francisco de Assis será então o autor do presépio. frescos entre outros. Representações artísticas surgiram no século a seguir como pinturas. criaram o presépio como hoje o conhecemos. expandindo o interesse das pessoas por retratar o Natal. a tradição insere-se em toda a Península Ibérica alastrando-se por toda a Europa. mas a data de 1223 é para muitos o início desta tradição. pois nesse ano. depois da oração dos Anjos? 5 _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 10.3. a mobilidade: todas as peças podem mover-se e serem vistas de vários ângulos. de forma a retratar o que tinha acontecido nessa noite aos seus cidadãos. A partir do século XVIII. _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 15 10. Actualmente é um costume de inúmeras culturas que marca o Natal. O presépio tem como principal característica. dando liberdade para individualmente recriar o seu próprio presépio. Lê com atenção o texto que se segue. 3 Maria Veleda _________________________________________________________________________________ _________________________________________________________________________________ 9. No século XV. burros. na propriedade da Duquesa de Amalfi.1. O presépio é considerado um símbolo religioso. festejou o Natal na floresta de Greccio. Qual é a principal característica do presépio? _________________________________________________________________________________ 10. 10 10. O que aconteceu ao Cavaleiro. e muitas vezes uma representação humana do acontecimento. História do Presépio O presépio é hoje em dia um dos grandes símbolos religiosos. que retrata o Natal e o nascimento de Jesus. No século seguinte surge o primeiro particular a tê-lo em casa. deixando para trás as pinturas das igrejas. com o culminar de um grande interesse pela data. Há quem refira que o presépio provém do século terceiro.2. _________________________________________________________________________________ 20 _________________________________________________________________________________ 4/7 . B.

o tempo. Classifica quanto ao processo de formação as palavras seguintes. Derivadas Palavras Prefixação Sufixação Compostas Prefixação e sufixação Justaposição Aglutinação inumeráveis conselheiro planalto Meia-noite 25 7. colocando um X na coluna correcta. Atenta nas palavras que se seguem e indica a palavra primitiva que lhes deu origem. Regista três palavras da família de rico. _________________________________________________________________________________ 4.” Tipo Forma 15 5. B. a pessoa e o número da forma verbal sublinhada. 2. a) festejado ____________________ b) cavaleiro ________________________ c) viajante _____________________ d) embarcou ________________________ 20 6.1.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E. 3 Maria Veleda GRUPO II – CONHECIMENTO EXPLÍCITO 1. Preenche o quadro com palavras da mesma família de acordo com as indicações. 5/7 . “O cavaleiro ouviu num cântico altíssimo a oração dos Anjos” a) Identifica o adjectivo presente na frase e reescreve-o no grau superlativo absoluto analítico. Retira do 1º parágrafo do texto: uma palavra polissilábica esdrúxula uma palavra dissilábica aguda uma palavra monossilábica aguda uma palavra dissilábica grave 5 2. Nomes Adjectivos ambicioso Verbos alegrar festa 10 3. Diz o tipo e a forma das seguintes frases do texto.Refere o modo. Frases “O cavaleiro não partiu para Jerusalém. ___________________ ___________________ 8. “Visitou um por um os lugares santos.” ____________________ 8.” “Que histórias misteriosas!” “Não posso ir contigo?” “Vai em paz.

_________________________________________________________________________________ 8.” FUNÇÕES SINTÁCTICAS CONSTITUINTES DA FRASE Sujeito Predicado Complemento Directo Complemento Indirecto Complemento Circunstancial de Tempo Complemento Circunstancial de Lugar 11. Lê a seguinte frase e completa a grelha: “A noite de Natal era igual todos os anos. de acordo com os seus constituintes: “Terminada a ceia.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E.2. não consegiam voltar. 3 Maria Veleda _________________________________________________________________________________ 5 8. No parágrafo que se segue. na segunda pessoa do singular. B.3. As pesoas que partião passavam por muitos prigos e. Mas as coisas tantas vezes repetidas. Reescreve a frase substituindo o determinante sublinhado por um determinante demonstrativo. Faz a análise sintáctica da frase. 20 Esta hestória passasse num tempo em que viajar não hera uma taréfa facil. 2. Assinala-as e reescreve o parágrafo correctamente. _______________________________________________________________________ _______________________________________________________________________ 25 _______________________________________________________________________ ___ 6/7 .” DETERMINANTES NOMES VERBOS ADJECTIVOS 15 10. hás vezes. e as histórias tantas vezes ouvidas pareciam cada ano mais belas e mais misteriosas. Reescreve a frase colocando o verbo no pretérito mais-que-perfeito do Indicativo. sempre as mesmas coroas de azevinho penduradas nas portas. a todos os presentes. para Belém. o Cavaleiro anunciou a sua partida. existem dez incorrecções. _________________________________________________________________________________ 10 9. sempre as mesmas histórias. Sempre a mesma ceia.

Tem cuidado com a apresentação. B. ___________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 15 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 20 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 25 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 30 _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________ 35 _____________________________________________________________________________________ Bom Trabalho! 7/7 . com a ortografia e com a construção correcta das frases.” 5 E a tua noite de Natal.Agrupamento de Escolas de Santo António dos Cavaleiros E. como costuma ser? Cada ano mais bela e misteriosa? Recorda como costumas viver esta época tão especial e conta como gostarias de passar o Natal. nomeadamente com a pontuação e as 10 margens dos parágrafos. 3 Maria Veleda GRUPO III – PRODUÇÃO DE TEXTO “A noite de Natal era igual todos os anos. 2.