You are on page 1of 114

TRABALHOS A

ACADÊMICOS
CADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
ORIENTAÇÕES

CURITIBA
2008
Associação FFranciscana
ranciscana de Ensino Senhor Bom Jesus
Presidente
Frei Guido Moacir Scheidt, ofm
Diretor Geral
Paulo Arns da Cunha

Centro Universitário FFranciscano


ranciscano do PParaná
araná
Reitor
Frei Nelson José Hillesheim
Pró-Reitor Acadêmico
Diretor Acadêmico
Andre Luis Gontijo Resende
Pró-Reitor Administrativo
Paulo Arns da Cunha
Secretário Geral
Eros Pacheco Neto
Núcleo de Pesquisa Acadêmica
Cleonice Bastos Pompermayer
Elaboração
Angelise Valladares
Andrea Levek
Edith Dias
Mariana Fressato
Colaboração
Maria Laura Zocolotti
Projeto Gráfico e Diagramação
Maria Laura Zocolotti
Diagramação
Ana Rita Barzick Nogueira
Capa
Cristiane Rodrigues

Centro Universitário Franciscano do Paraná - FAE


Trabalhos acadêmicos, normas e orientações / elaboração de Angelise Valladares ...
[et al.]. Curitiba: Centro Universitário Franciscano do Paraná - FAE, 2008.

113 p. Ilust.

Inclui bibliografia.

1. Publicações - Normas. 2. Redação técnica. I. Título.

CDD 808.02
CDU 001.816
3

APRESENTAÇÃO

A FAE – Centro Universitário – apresenta para os alunos, professores


e pesquisadores desta Instituição de Ensino Superior, o Manual Institucional
de Normas de Trabalhos Acadêmicos, elaborado com base nas normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e outras fontes que versam
sobre o assunto.
O objetivo deste manual é estimular e incentivar para que todos os
trabalhos produzidos nos seus cursos de graduação e pós-graduação atinjam
um padrão de excelência em relação à adequação e à aplicação das normas.
Por ser indispensável que a produção acadêmica se apresente de forma
padronizada de acordo com a normalização, este manual foi elaborado a
partir dos eixos de sustentação e metas que a pesquisa se propõe a atingir, a
construção do conhecimento, e a disseminação e compartilhamento de
resultados por meio da geração de publicações.
Para tanto, este manual se apresenta estruturado em cinco partes:
1 Tipos de trabalhos acadêmicos
2 Estrutura de trabalhos acadêmicos
3 Editoração de trabalhos acadêmicos
4 Citações em documentos
5 Elaboração de referências

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
5

SUMÁRIO

1 TIPOS DE TRABALHOS A CADÊMICOS ..................................................


ACADÊMICOS 11
1.1 CURSOS DE GRADUAÇÃO - TRABALHOS DE CONCLUSÃO
DE CURSO (TCC) .............................................................................. 11
1.2 DISSERTAÇÃO DE MESTRADO .......................................................... 11
1.3 TESE DE DOUTORADO .................................................................... 11
2 ESTRUTURA DE TRABALHOS A CADÊMICOS ........................................
ACADÊMICOS 15
2.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS ................................................................ 15
2.1.1 Capa (Obrigatório) ........................................................................ 15
2.1.2 Lombada (Obrigatório) ................................................................... 17
2.1.3 Folha de Rosto (Obrigatório) ........................................................... 18
2.1.4 Folha de Rosto (verso) .................................................................... 18
2.1.5 Errata (condicional a necessidade) ................................................... 19
2.1.6 Folha de Aprovação (Obrigatório) ................................................... 20
2.1.7 Dedicatória (Opcional) ................................................................... 20
2.1.8 Agradecimentos (Opcional) ............................................................ 20
2.1.9 Epígrafe (Opcional) ........................................................................ 24
2.1.10 Resumo em Língua Vernácula (Nacional) (obrigatório) ..................... 25
2.1.11 Resumo em Língua Estrangeira (opcional) ....................................... 25
2.1.12 Lista de Ilustrações (obrigatório acima de 5) ................................... 25
2.1.13 Lista de Tabelas (obrigatório - acima de 5) ..................................... 29
2.1.14 Lista de Abreviaturas e Siglas (obrigatório acima de 5) .................... 29
2.1.15 Lista de Símbolos (obrigatório - acima de 5) ................................... 29
2.1.16 Sumário (obrigatório) ................................................................... 29
2.2 ELEMENTOS TEXTUAIS ...................................................................... 34
2.2.1 Introdução ..................................................................................... 34
2.2.2 Desenvolvimento ............................................................................ 34
2.2.3 Conclusão e/ou Conclusões e Recomendações ................................ 35
2.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS .............................................................. 35
2.3.1 Referências (Obrigatório) ................................................................ 35
2.3.2 Glossário (Opcional) ...................................................................... 35
2.3.3 Apêndices (Opcional) ..................................................................... 35
2.3.4 Anexos (Opcional) ......................................................................... 36
2.3.5 Índices (Opcional) .......................................................................... 36
3 EDIT ORAÇÃO DE TRABALHOS A
EDITORAÇÃO CADÊMICOS .....................................
ACADÊMICOS 39
3.1 FORMATO DO PAPEL E TIPO DE FONTE ........................................... 39

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
3.2 MARGENS ....................................................................................... 39
3.3 ESPAÇOS E RECUOS ........................................................................ 40
3.4 PAGINAÇÃO .................................................................................... 41
3.5 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA ........................................................... 41
3.6 ILUSTRAÇÕES .................................................................................. 44
3.7 APRESENTAÇÃO DE TABELAS, GRÁFICOS E FIGURAS ........................ 44
3.7.1 Critérios para apresentação de tabelas, gráficos e figuras ................. 45
3.7.2 Estrutura das Tabelas ...................................................................... 45
3.7.2.1 Referência da tabela .................................................................... 46
3.7.2.2 Descrição do conteúdo ................................................................ 47
3.7.2.3 Data da referência ...................................................................... 47
3.7.2.4 Corpo de tabelas estatísticas ........................................................ 50
3.7.2.4.1 Cabeçalho .............................................................................. 50
3.7.2.4.2 Coluna indicadora ................................................................... 51
3.7.2.4.3 Linha do Corpo ....................................................................... 52
3.7.2.4.4 Coluna ................................................................................... 52
3.7.2.4.5 Casa ....................................................................................... 53
3.7.2.4.6 Traço ...................................................................................... 54
3.7.2.4.7 Fonte ...................................................................................... 54
3.7.2.4.8 Nota ........................................................................................ 58
3.7.2.5 Tabelas com poucas colunas e muitas linhas .................................. 59
3.7.2.6 Tabelas com excessiva largura ....................................................... 60
3.7.3 Quadros ........................................................................................ 63
3.7.4 Gráficos ........................................................................................ 64
3.7.4.1 Gráficos estatísticos ...................................................................... 64
3.7.5 FIGURAS ....................................................................................... 64
4 CIT AÇÕES EM DOCUMENT
CITAÇÕES DOCUMENTOS OS .......................................................... 69
4.1 DEFINIÇÕES E TIPOS DE CITAÇÃO ................................................... 69
4.1.1 Citação Direta, Literal ou Textual ..................................................... 69
4.1.2 Citação Direta Curta (até três linhas) ............................................... 69
4.1.3 Citação Direta Longa (com mais de três Linhas) ................................ 70
4.1.4 Citação Indireta ou Livre ................................................................. 71
4.1.5 Citação de Citação ........................................................................ 72
4.1.6 Citação de Informação Verbal ......................................................... 72
4.1.7 Citação de Documentos Jurídicos .................................................... 73
4.1.7.1 Leis ............................................................................................ 73
4.1.7.2 Códigos ..................................................................................... 73

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


7

4.1.7.3 Jurisprudência ............................................................................ 74


4.1.8 Citações de Documentos Eletrônicos ............................................... 74
4.1.8.1 Publicações Eletrônicas ................................................................ 74
4.1.8.2 Mensagens de e-mail .................................................................. 75
4.1.9 Sinais e Convenções utilizados nas Citações ..................................... 75
4.1.10 Exemplos de transcrição dos elementos ........................................... 77
4.2 SISTEMAS DE CHAMADA PARA A INDICAÇÃO DA FONTE CITADA ..... 78
4.2.1 Sistema Autor-data (recomendado) .................................................. 78
4.2.2 Sistema Numérico .......................................................................... 78
4.3 NOTAS DE RODAPÉ .......................................................................... 79
4.3.1 Notas de Referência ........................................................................ 79
4.3.2 Notas Explicativas .......................................................................... 79
5 ELABORAÇÃO DE REFERÊNCIAS ......................................................... 83
5.1 TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS DE OBRAS COMPLETAS ................. 84
5.1.1 Autores Pessoais ............................................................................. 84
5.1.1.1 Obras com um autor .................................................................... 84
5.1.1.2 Obras com dois autores ............................................................... 85
5.1.1.3 Obras com três autores ................................................................ 85
5.1.1.4 Obras com mais de três autores .................................................... 85
5.1.2 Autor Entidade/Instituição ............................................................... 86
5.1.3 Autor Evento .................................................................................. 86
5.1.4 Legislação ..................................................................................... 86
5.1.5 Autoria Desconhecida .................................................................... 87
5.2 TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS DE PARTES DE OBRAS ................... 87
5.2.1 Autores Pessoais ............................................................................. 88
5.2.1.1 Parte de obra com um autor ........................................................ 88
5.2.1.2 Parte da obra com dois autores .................................................... 88
5.2.1.3 Parte da obra com três autores ..................................................... 88
5.2.1.4 Parte da obra com mais de três autores ........................................ 89
5.3 TRABALHO APRESENTADO EM EVENTOS .......................................... 89
5.4 TESES, DISSERTAÇÕES E TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ..... 89
5.5 PERIÓDICOS ................................................................................... 90
5.5.1 Artigos de Periódicos ...................................................................... 90
5.5.2 Artigo de jornal .............................................................................. 91
5.6 DOCUMENTOS OBTIDOS ELETRONICAMENTE ................................ 91
5.6.1 Exemplos de material disponíveis na WEB ........................................ 92
5.6.2 CD-Rom ........................................................................................ 93

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
8

5.6.3 Edição .......................................................................................... 93


5.6.4 Local de Publicação ....................................................................... 93
5.6.5 Editora .......................................................................................... 94
5.6.6 Data de Publicação ........................................................................ 94
5.6.7 Datas em Periódicos ....................................................................... 95
5.6.8 Descrição Física ............................................................................. 95
5.6.9 Séries e Coleções ........................................................................... 96
5.6.10 Notas Complementares ................................................................ 96
5.7 APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS .................................................. 97
REFERÊNCIAS .......................................................................................... 98
ANEX
ANEXOO - EXEMPL
EXEMPLO O DE GRÁFICOS EST ESTAATÍSTICOS
TÍSTICOS,, FIGURA E MAP MAPA A .......... 101

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


1 Tipos de Trabalhos Acadêmicos
11

1 TIPOS DE TRABALHOS ACADÊMICOS


ACADÊMICOS

1.1 CURSOS DE GRADUAÇÃO - TRABALHOS DE CONCLUSÃO


DE CURSO (TCC)

De acordo com a NBR 14724 (2001), o TCC é um documento que


representa o resultado de um estudo; deve expressar conhecimento do assunto
escolhido e é feito sob a coordenação de um orientador. Correspondem as
monografias e os trabalhos de estágio supervisionado.

1.2 DISSERTAÇÃO DE MESTRADO

Conforme a NBR 14724 (2001), a dissertação é um documento que


apresenta o resultado de um trabalho experimental ou exposição de um estudo
científico. Sendo estruturado de um tema específico e bem delimitado, por
objetivos (geral e específicos), que devem ser atingidos ao longo do estudo,
por meio de um embasamento teórico e métodos científicos que proporcionem
a obtenção das respostas ao problema proposto. A coordenação é feita por
um orientador (doutor) para a obtenção do título de mestre.

1.3 TESE DE DOUTORADO

A tese de doutorado, de acordo com a NBR 14724 (2001), caracteriza-


se por um documento que representa o resultado de um trabalho experimental
ou exposição de um estudo científico. Deve ter caráter de inovação,
originalidade e ineditismo. Um orientador (doutor) deve coordenar o trabalho
para a obtenção do título de doutor.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
2 Estrutura de Trabalhos Acadêmicos
15

2 ESTRUTURA DE TRABALHOS ACADÊMICOS


ACADÊMICOS

Este item tem como objetivo apresentar os itens convencionados pela


UNIFAE Centro Universitário como padrões relevantes, por tipo de trabalho
acadêmico, com os respectivos exemplos.
Os trabalhos acadêmicos, dissertações e teses são constituídos por:
• elementos pré-textuais;

• elementos textuais;

• elementos pós-textuais.

2.1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

Os elementos pré-textuais são aqueles que antecedem o texto com


informações que ajudam na identificação e utilização dos documentos.
São apresentados na seguinte ordem:
• Capa (obrigatório)

• Lombada (obrigatório)

• Folha de Rosto (obrigatório)

• Errata (condicional a necessidade)

• Folha de Aprovação (obrigatório)

• Dedicatória (opcional)

• Agradecimento(s) (opcional)

• Epígrafe (opcional)

• Resumo em língua vernácula (obrigatório para TCC, dissertações e teses)

• Resumo em idioma estrangeiro (obrigatório para dissertações e teses)

• Lista de ilustrações (obrigatório - acima de 5)

• Lista de tabelas (obrigatório - acima de 5)

• Lista de abreviaturas e siglas (obrigatório)

• Lista de símbolos (obrigatório)

• Sumário (obrigatório)

2.1.1 Capa (Obrigatório)

A capa é a proteção externa do trabalho e sobre a qual se imprimem as


informações indispensáveis para a sua identificação (veja exemplo na figura 1):

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
16

• Nome da Instituição;
• Nome do autor;
• Título e subtítulo (se houver) (se o título for muito comprido
espaço 1,5);
• Número do volume (se houver mais de um). O número de cada
volume deve constar na capa especificando o respectivo volume.
Deve ser escrito em números arábicos e precedido da abreviatura v.
Ex.: v.2;
• Local (cidade da instituição onde o trabalho será apresentado);
• Ano de entrega do trabalho.

FIGURA 1 - EXEMPLO DE CAPA

Folha formato A4
DANIEL PURGER BRASIL Fonte arial ou
times new roman
EDUARDO PEREIRA AL
EDUARDO VES
ALVES 8
tamanho 12,
LUIZA MARIA DE CASTRO maiúscula negrito,
PATRÍCIA MARCELA GBUR ALVES
ALVES centralizada

A GESTÃO ESTRATÉGICA D
ESTRATÉGICA AS AÇÕES DE RESPONSABILID
DAS ADE
RESPONSABILIDADE
SOCIAL DESENV OL
DESENVOL VID
OLVIDAD
VIDAD AS POR ONGS DE EDUCAÇÃO
ADAS
DE CURITIBA
CURITIBA:: UM ESTUDO MULTICASOS
MULTICASOS

CURITIBA
2008

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


17

2.1.2 Lombada (Obrigatório)

Lombada ou dorso é a parte da capa que reúne as folhas do trabalho,


sejam costurados, grampeados ou colados. Devem ser escritos em letras
maiúsculas, fonte 12, espaçamento simples (ver exemplo na figura 2).
A lombada é apresentada longitudinalmente de cima para baixo na
seguinte ordem:
• Nome do autor (quando for vários autores, opcional);

• Sigla da instituição (impresso horizontalmente de cima para baixo);

• Título do trabalho (impresso longitudinalmente de cima para baixo);

• Número do volume (quando houver);

• Ano de entrega do trabalho.

FIGURA 2 - EXEMPLO DE LOMBADA

FAE
SOCIAL DESENVOLVIDAS POR ONGS DE EDUCAÇÃO DE CURITIBA:
A GESTÃO ESTRATÉGICA DAS AÇÕES DE RESPONSABILIDADE

Fonte arial ou
times new roman
8 tamanho 12,
UM ESTUDO MULTICASOS

maiúscula negrito,
centralizada

2008

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
18

2.1.3 Folha de Rosto (Obrigatório)

A Folha de Rosto contém informações que identificam o trabalho. Os


elementos que compõe a folha de rosto devem ser apresentados na seguinte
ordem, conforme a figura 3:
• Nome do(s) autor(es) do trabalho (havendo mais de um autor,
relacioná-los em ordem alfabética);
• Título (claro e preciso, com palavras que identifiquem o conteúdo,
e possibilitem a identificação e recuperação das informações em
negrito);
• Subtítulo se houver, precedido por dois pontos;
• Número do volume, quando a obra for composta por mais de um.
Deve ser sempre em algarismos arábicos;
• Natureza do trabalho (conclusão de cursos, monografia, dissertações
e tese) objetivo (grau pretendido e outros) nome da instituição a
que é submetido e área de concentração;
• Nome do orientador e co-orientador (se houver);
• Local (cidade) da instituição onde o trabalho deve ser apresentado;
- Ano de apresentação do trabalho. Para trabalhos acadêmicos
recomenda-se colocar o mês e o ano.

2.1.4 Folha de Rosto (verso)

Para teses e dissertações é obrigatório inserir no verso da folha de


rosto a ficha catalográfica.
Para teses recomenda-se a ficha catalográfica que deve ser impressa
na parte inferior da página, em um retângulo de 7,5 cm por 12,5 cm, fonte
tamanho 10, segundo o Código de Catalogação Anglo-Americano 2.
Para elaboração dessa ficha, solicitar o serviço de um bibliotecário.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


19

FIGURA 3 - EXEMPLO DE FOLHA DE ROSTO

DANIEL PURGER BRASIL


EDUARDO PEREIRA AL
EDUARDO VES
ALVES
LUIZA MAIA DE CASTRO Folha formato A4
PATRÍCIA MARCELA GBUR ALVES
ALVES Fonte arial ou
times new roman
8
tamanho 12,
maiúscula negrito,
centralizada

A GESTÃO ESTRATÉGICA D
ESTRATÉGICA AS AÇÕES DE RESPONSABILID
DAS ADE
RESPONSABILIDADE
SOCIAL DESENVOL
DESENVOLVID
OLVIDAD
VIDADAS POR ONGS DE EDUCAÇÃO
ADAS
DE CURITIBA
CURITIBA:: UM ESTUDO MULTICASOS
MULTICASOS

Natureza do trabalho:
Trabalho de graduação apresentado à
margem esquerda 8cm;
disciplina de Estágio Supervisionado, 8 margem direita justificada;
do Curso de Administração da FFAE AE
fonte arial ou times new
Centro Universitário.
roman tamanho 11 ou 12;
caixa alta/baixa negritada
Orientadora: PProf
rof.ª Andrea LLevek
rof.ª evek

CURITIBA
MARÇO 2008

2.1.5 Errata (condicional a necessidade)

É a lista que informa as folhas e linhas em que ocorreram


erros no texto, seguido das devidas correções. Apresenta-se
sempre em papel avulso e é acrescentado ao trabalho após sua
finalização e inserida logo após a folha de rosto (veja exemplo
da figura 4).

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
20

Visando facilitar sua identificação principalmente quando for publicada


em papel avulso, a errata deve apresentar em seu rodapé a referência do trabalho.
FIGURA 4 - MODELO DE ERRATA

ERRATA

Folha Linha Onde se lê Leia-se


45 6 desviados derivados
93 4 1978 1987
102 9 periódicos períodos

BRASIL, Daniel Purger et al. A gestão das ações de responsabilidade social desenvolvidas por
ONGS de educação de Curitiba: um estudo multicasos. 2008, 87 f. Monografia (graduação em
administração) - FAE - Centro Universitário, Curitiba, 2008.

2.1.6 Folha de Aprovação (Obrigatório)


Elemento obrigatório para TCC, dissertações e teses. Colocada logo
após a folha de rosto, contendo os elementos na seguinte ordem (figura 5):
• Nome do autor (quando for vários; colocar em ordem alfabética);

• Título do trabalho e subtítulo (se houver);

• Número de volumes (número arábico);

• Natureza, finalidade, objetivo, nome da instituição a que é submetido

e área de concentração;
• Data da aprovação;

• Nomes e titulação dos membros componentes da banca

examinadora, bem como das instituições a que pertencem e


assinatura dos mesmos;
• A data de aprovação e as assinaturas dos membros da banca

examinadora serão colocados após a aprovação do trabalho.

2.1.7 Dedicatória (Opcional)


A dedicatória é a folha onde o autor presta uma homenagem ou
dedica seu trabalho para determinada(s) pessoa(s) ou a alguma(s)
instituição(ões) (figura 6).

2.1.8 Agradecimentos (Opcional)


O agradecimento é feito pelo(s) autor(es) às pessoas ou instituições
que contribuíram para a realização do trabalho. Os agradecimentos aparecem
em folha distinta (figura 7).

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


21

FIGURA 5 - EXEMPLO DE FOLHA DE APROVAÇÃO

DANIEL PURGER BRASIL


ARDO PEREIRA AL
EDUARDO
EDU VES
ALVES
LUIZA MARIA DE CASTRO Fonte arial ou
PATRÍCIA MARCELA GBUR AL VES
ALVES times new roman
8 tamanho 12,
maiúscula negrito,
A GESTÃO ESTRATÉGICA D
ESTRATÉGICA AS AÇÕES DE RESPONSABILID
DAS ADE
RESPONSABILIDADE centralizado
SOCIAL DESENVOL
DESENVOL VID
VIDAD
OLVID ADAS POR ONGS DE EDUCAÇÃO
ADAS
CURITIBA:: UM ESTUDO MUL
DE CURITIBA TICASOS
MULTICASOS

Este trabalho foi julgado adequado para a obtenção do grau de


Bacharel em Administração e aprovado na sua forma final pela
Banca Examinadora, da FAE - Centro Universitário.

Curitiba, 30 de março de 2008.

BANCA EXAMINADORA

Profª Drª Andrea Regina Hopfer Cunha Levek


Orientadora

Profª Drª Daniele Nickel

Prof. Dr. José Vicente Bandeira de Mello Cordeiro

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
22

FIGURA 6 - EXEMPLO DE DEDICATÓRIA

Dedicamos o esse trabalho a


Fonte arial ou
Deus, por nos ter concedido forças times new roman
para chegar onde chegamos, e 8 tamanho 11 a 12
aos nossos pais por terem nos Estilo: normal
concedido a vida e a oportunidade ou itálico
de ser o que somos: vencedores.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


23

FIGURA 7 - EXEMPLO DE AGRADECIMENTO

Agradecimentos

Aos nossos familiares, pelo apoio durante a realização


do trabalho, e pela compreensão dos momentos em
que precisamos nos ausentar do convívio familiar para
nos dedicar aos estudos.

A nossa orientadora, pelos seus conhecimentos e


auxílio que nos fizeram crescer tanto na minha vida
acadêmica quanto na profissional.
Fonte arial ou
times new roman
Aos professores da banca, pelas contribuições ao tamanho 11 a 12
8
trabalho e também por seu profissionalismo. Estilo: normal
ou itálico
Às pessoas que concederam as entrevistas nas
organizações pesquisadas.

Aos amigos de curso, pelos esclarecimentos e


contribuições de informações, sem os quais a
realização deste se tornaria mais árdua.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
24

2.1.9 Epígrafe (Opcional)

A epígrafe é a folha onde o autor apresenta uma citação pertinente a


intenção do trabalho, seguida pelo nome do autor da mesma. Deve ser
colocada em página própria, após os agradecimentos, ou pode constar nas
folhas de abertura de cada seção, parte, capítulos, etc. (figura 8) fazendo a
devida identificação e inclusão do autor do pensamento nas referências.

FIGURA 8 - EXEMPLO DE EPÍGRAFE

“Devemos somar forças para gerar uma


sociedade sustentável global baseada no Fonte arial ou
respeito pela natureza, nos direitos humanos times new roman
universais, na justiça econômica e numa 8 tamanho 11 a 12
cultura de paz. Para chegar a este propósito, Estilo: normal
é imperativo que, nós os povos da Terra, ou itálico
declaremos nossa responsabilidade uns para
com os outros, com a grande comunidade
da vida e com as futuras gerações”.
(Preâmbulo da Carta da Terra)

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


25

2.1.10 Resumo em Língua Vernácula (Nacional) (obrigatório)

Elemento obrigatório para trabalhos de conclusão de curso,


dissertações e teses. O resumo é a apresentação condensada e concisa dos
principais pontos do texto, fornecendo uma visão rápida e clara do conteúdo
e das conclusões do trabalho.
É redigido em um único parágrafo, pelo próprio autor, na terceira
pessoa do singular, compõe-se de uma seqüência coerente de frases concisas
e não uma enumeração de tópicos, utilizando espaço simples, contendo de
150 a 500 palavras.
Deve ressaltar o objetivo do trabalho, o método empregado, os
resultados e as conclusões mais importantes.
No início do resumo deve ser indicada a referência do trabalho. No final
do resumo devem ser colocadas as palavras-chave (são palavras representativas
do conteúdo do trabalho) separadas entre si por ponto e vírgula e terminando
com ponto. Estas são precedidas pela expressão: palavras-chave (figura 9).

2.1.11 Resumo em Língua Estrangeira (opcional)

Elemento obrigatório somente para dissertações e teses. É a versão


do resumo em português para um idioma de divulgação internacional (Abstract
em inglês; Resumen em espanhol; Resumé em francês). Deve aparecer em
folha distinta e seguido das palavras mais representativas do conteúdo, isto é,
as palavras-chave no idioma escolhido (de 3 a 5 palavras) (figura 10).

2.1.12 Lista de Ilustrações (obrigatória acima de 5)

É a relação de plantas, gráficos, mapas, esquemas, fluxogramas,


quadros, fotografias, organogramas, desenhos ou outras figuras que constem
no texto. Deverão ser colocadas se necessárias ou convenientes. A lista deve ser
elaborada de acordo com a ordem em que as ilustrações aparecem no texto,
sendo cada uma designada por seu nome específico, seguidas do título e do
número de página (figura 11). Recomenda-se a elaboração de lista própria
para cada tipo de ilustração, desde que contenha no mínimo cinco elementos.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
26

FIGURA 9 - EXEMPLO DE FOLHA DE RESUMO

RESUMO

PASSOS, Maria Julia. Sistema de custos na empresa


moderna
moderna. 78p. Monografia (Ciências Contábeis) - FAE -
Centro Universitário. Curitiba, 2003.
Fonte arial ou
times new roman
Digite neste espaço o resumo do seu trabalho na língua tamanho 12,
nacional. 8 parágrafo único,
sem recuo,
justificado na
margem direita

alavras--chave
Palavras chave: monografia; assunto; tema.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


27

FIGURA 10 - EXEMPLO DE FOLHA DE RESUMO EM LÍNGUA


ESTRANGEIRA (DISSERTAÇÕES E TESES)

ABSTRA CT
ABSTRACT

PASSOS, Maria Julia. Sistema de custos na empresa


moderna. 78p. Monografia (Ciências Contábeis) - FAE -
moderna
Centro Universitário. Curitiba, 2003.
Fonte arial ou
times new roman
Digite neste espaço o resumo do seu trabalho na língua tamanho 12,
estrangeira. 8 parágrafo único,
sem recuo e
justificado na
margem direita

Key words
words:

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
28

FIGURA 11 - EXEMPLO DE LISTA DE ILUSTRAÇÕES

LISTA DE IL
LISTA USTRAÇÕES
ILUSTRAÇÕES

FIGURA 1 - AJUSTE EM LATERALIDADE ............... 19


Fonte arial ou
GRÁFICO 1 - PRODUÇÃO DE ALGODÃO EM times new roman
CAROÇO, NO BRASIL E PARANÁ - 8 tamanho 10,
1980-1988 ..................................... 22 maiúsculas, entre
GRÁFICO 2 - PRODUÇÃO DE ALGODÃO EM linhas 1,5 ou
PLUMA, NO BRASIL E PARANÁ - exatamente 18 pt
1980-1987 ..................................... 31
MAPA 1 - PRODUÇÃO DE ALGODÃO
HERBÁCEO, SEGUNDO
MICRORREGIÕES HOMOGÊNEAS,
NO PARANÁ - 1980-1988 ............... 41
MAPA 2 - ÁREA COLHIDA DE ALGODÃO
EM CAROÇO, NO PARANÁ -
1980-1988 ..................................... 46

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


29

2.1.13 Lista de Tabelas (obrigatório - acima de 5)

Apresentado na mesma ordem que aparecem no texto, com cada


item designado por seu título específico, acompanhado do respectivo número
da página. Como pode ser observado na figura 12.

2.1.14 Lista de Abreviaturas e Siglas (obrigatório - acima de 5)

Relação alfabética das abreviaturas e siglas utilizadas no trabalho,


seguidas dos respectivos significados por extenso. Se forem muito numerosas,
devem figurar em listas próprias, de acordo com o exemplo da figura 13.
No texto, a primeira vez que for citado a abreviatura deve se colocado
o significado completo. Exemplo: Associação Franciscana de Ensino Senhor
Bom Jesus (AFESBJ). Nas citações posteriores usar apenas a sigla.

2.1.15 Lista de Símbolos (obrigatório - acima de 5)

Relação dos símbolos apresentados na ordem em que aparecem no


texto, seguido do seu respectivo significado, conforme ilustrado na figura 14.

2.1.16 Sumário (obrigatório)

O Sumário consiste na enumeração das principais seções e outros


elementos componentes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que a
matéria nele se sucede (ver figura 15). Na sua apresentação, uma linha
pontilhada deve interligar a coluna dos títulos com enumeração das folhas a
que se referem.
No sumário não constam as partes pré-textuais. Se o trabalho for em
mais de um volume, o sumário completo deverá constar em todos os volumes.
Apresentação tipográfica dos títulos (caixa-alta, negrito, itálico, etc.)
deve corresponder à sua utilização nos tópicos do texto.
Para a numeração das seções e subseções do trabalho, usa-se a
numeração progressiva.
Não confundir sumário com:
• Índice: relação detalhada de assuntos, nomes pessoais, nomes

geográficos e outros em ordem alfabética, colocado sempre no final


da obra;

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
30

FIGURA 12 - EXEMPLO DE LISTA DE TABELAS

LISTA DE TTABELAS
LISTA ABELAS

TABELA 1 - CLASSIFICAÇÃO DA POPULAÇÃO POR FAIXA


ETÁRIA, CURITIBA, PARANÁ - 2006 ................ 25
Fonte arial ou
TABELA 2 - RELAÇÃO ENTRE A RENDA MENSAL E AS times new roman
tamanho 10,
DESPESAS FAMILIARES COM ALIMENTAÇÃO, 8
maiúscula,
CURITIBA, PARANÁ - 2006 ............................. 27 entre linha 1,5 ou
exatamente 18 pt
TABELA 3 - NÚMERO DE VEÍCULOS POR FAMÍLIA,
CURITIBA, PARANÁ - 2006 ............................. 30

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


31

FIGURA 13 - EXEMPLO DE LISTA DE SIGLAS

LISTA DE ABREVIA
LISTA TURAS E SIGLAS
ABREVIATURAS

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas


CELEPAR - Companhia de Informática do Paraná
CNPJ - Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica Fonte arial ou
times new roman
IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 8 tamanho 12,
JIT - Just-in-Time entre linha 1,5
ou exatamente 18
ONG - Organização não governamental
ONU - Organização das Nações Unidas
RMC - Região Metropolitana de Curitiba

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
32

FIGURA 14 - EXEMPLO DE LISTA DE SÍMBOLOS

LISTA DE SÍMBOL
LISTA SÍMBOLOS
OS

Au Ouro
(R) Repetitivo Fonte arial ou
times new roman
(NR) Não Repetitivo 8 tamanho 12,
Na Sódio entre lina 1,5 ou
extamente 18
Ni Níquel
$ Subcampo

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


33

FIGURA 15 - EXEMPLO DE SUMÁRIO

SUMÁRIO

1 INTRODUÇÃO ................................................................................... 7

1.1 APRESENTAÇÃO DO TEMA E PROBLEMA DE PESQUISA ................... 7

1.2 OBJETIVOS ..................................................................................... 9

1.3 JUSTIFICATIVA ................................................................................. 10


Fonte arial ou
1.4 ESTRUTURA DO TRABALHO ............................................................. 12 times new roman
2 METODOL
METODOLOGIA .................................................................................
ODOLOGIA 13 tamanho 11 ou 12,
8 entre linha 1,5 ou 21 pt;
3 FUNDAMENT
FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA .............................................................
AMENTAÇÃO 14 apresentação tipográfica
3.1 O TERCEIRO SETOR ......................................................................... 14 dos títulos = os tópicos
do texto
3.1.1 O Surgimento do Terceiro Setor no Brasil e no Mundo ...................... 16

3.1.2 A Legislação que Rege o Terceiro Setor ............................................ 18

3.1.3 Os Tipos de Organizações que Compõe o Terceiro Setor ................. 20

3.1.3.1 Associações ................................................................................ 21

3.1.3.2 Fundações ................................................................................. 23

3.1.3.3 Institutos .................................................................................... 23

3.1.3.4 Organizações da sociedade civil de interesse público ................... 24

3.2 A EDUCAÇÃO NO BRASIL E O TERCEIRO SETOR ........................... 25

4 ANÁLISE DOS RESULTADOS ...............................................................


RESULT 26

5 CONCLUSÕES E RECOMEND
CONCLUSÕES AÇÕES ................................................
RECOMENDAÇÕES 28

REFERÊNCIAS ......................................................................................... 30

APÊNDICE - TTABELAS
ABELAS COMPLEMENTARES ..............................................
COMPLEMENTARES 31

ANEXO - LEGISLAÇÃO QUE REGE O TERCEIRO SET


ANEXO OR ........................
SETOR 36

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
34

• Resumo: apresentação concisa, destacando os aspectos de maior


interesse e importância;
• Lista: enumeração de elementos de apresentação de dados e
informações (gráficos, mapas, tabelas, etc.) utilizados no trabalho.

2.2 ELEMENTOS TEXTUAIS

Os elementos textuais constituem-se na parte do trabalho em que o


assunto é exposto. Formado por três partes fundamentais: introdução,
desenvolvimento e conclusão.

2.2.1 Introdução

A introdução deve iniciar com uma breve apresentação do tema, dos


objetivos da pesquisa, da delimitação do assunto tratado, da justificativa, da
relevância e finalidade do trabalho e da metodologia utilizada para alcançar
os objetivos propostos. Referir-se aos tópicos principais do texto, dando a sua
ordem de exposição.
Portanto deve conter:
• apresentação do tema e problema de pesquisa;

• objetivo geral e específicos;

• justificativa;

• estrutura do trabalho.

2.2.2 Desenvolvimento

O desenvolvimento consiste na parte principal e mais extensa do texto.


Divide-se em seções e subseções (itens e sub-itens), que variam em função da
abordagem do tema e do método.
A elaboração do conteúdo do desenvolvimento, inclui: o referencial
teórico, que deve dar a sustentação teórica a toda a pesquisa; a metodologia
detalhada (descrição dos procedimentos utilizados) e a análise dos resultados.
Nesse item utilizam-se as citações, a inserção de notas, tabelas e outras
ilustrações, que devem ser apresentadas de acordo com as normas da
Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


35

2.2.3 Conclusão e/ou Conclusões e Recomendações

A conclusão é a parte final do trabalho na qual são apresentadas de


forma sintética os principais resultados que respondem aos objetivos propostos
no trabalho.

2.3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

Elementos pós-textuais são os que complementam o trabalho e são


colocados na seguinte ordem:
• Referências (obras citadas) (obrigatório)

• Glossário (opcional)

• Apêndice(s) (opcional)

• Anexo(s) (opcional)

• Índice(s) (opcional)

2.3.1 Referências (Obrigatório)

Especificam as fontes citadas e consultadas no trabalho, permitindo


assim a sua identificação individual. As listas de referências devem ser
apresentadas em ordem alfabética de autores pessoais, entidades, congressos,
seminários e títulos. Devem aparecer em ordem alfabética em folha distinta
no final do trabalho, após a conclusão.

2.3.2 Glossário (Opcional)

Relação alfabética de palavras ou termos técnicos, palavras especiais


ou de significado obscuro utilizadas no trabalho, acompanhados dos significados
que lhe forem atribuídos. O glossário facilita a compreensão do texto.

2.3.3 Apêndices (Opcional)

Textos ou documentos elaborados pelo próprio autor, destinado a


complementar a argumentação de suas idéias. São identificados com letras
maiúsculas consecutivas, seguidas de espaço e do travessão e respectivos títulos.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
36

Antes de cada apêndice, pode constar uma página de rosto incluindo


essas informações. Os apêndices localizam-se após a lista de referências.
Exemplo:

APÊNDICE 1 – FLUX
FLUX OGRAMA DO PROCESSO PRODUTIV
UXOGRAMA O D
PRODUTIVO A
DA
EMPRESA GRAINCO

APÊNDICE 2 – PESQUISA DE CLIMA ORGANIZA CIONAL DOS


ORGANIZACIONAL
FUNCIONÁRIOS D
DAA GRAINCO

2.3.4 Anexos (Opcional)

Textos ou documentos não elaborados pelo autor e servem para


fundamentação, comprovação e ilustração do trabalho.
Como os apêndices também são identificados com algarimos arábicos1
e/ou letras, seguidas de espaço travessão espaço e respectivos títulos. Antes
de cada anexo, pode constar uma página de rosto incluindo essas informações.
Os anexos localizam-se após os apêndices.

Exemplo:

ANEXO1 – AA
ANEXO TA DE IGU
AT AÇU
IGUAÇU
ANEXO 2 – O TRA
ANEXO TADO DE IT
TRAT AIPU
ITAIPU
ANEXO 3 – LEI 6404/76
ANEXO

2.3.5 Índices (Opcional)

O índice é um instrumento indispensável à recuperação de informações


contidas na publicação. É uma lista alfabética de palavras ou frases significativas
com indicação da localização das informações no texto. Não confundir com
sumário ou lista. Os índices mais utilizados são: nomes (pessoais ou entidades)
títulos e assuntos. Deve ser elaborado conforme NBR 6034.

1
Esta recomendação difere da recomendação descrita nas normas da ABNT, que determina
que os apêndices e anexos recebam letras.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


3 Editoração de Trabalhos Acadêmicos
39

3 EDITORAÇÃO D
EDITORAÇÃO E TRABALHOS A
DE CADÊMICOS
ACADÊMICOS

A apresentação física textual de um trabalho acadêmico, dissertação


ou tese recebe o nome de editoração e deve seguir rigorosamente as normas
da ABNT. Nesse item são apresentadas as orientações gerais adotadas pela
FAE para a digitação geral e apresentação gráfica de textos.

3.1 FORMATO DO PAPEL, TIPO DE FONTE E IMPRESSÃO

O trabalho deve ser impresso em papel branco, formato A4


(21cm x 29,7cm) em apenas um dos lados da folha ou frente e verso.
Independente da opção adota, a ficha catalográfica deverá ficar no verso da
folha de rosto.
Outras cores serão permitidas apenas quando um documento de cor
diferente da cor original for anexado ao trabalho.
Utilizar para digitação fonte Times New Roman tamanho 13 ou Arial,
tamanho 12 para o texto e tamanho 10 para citações longas, notas de rodapé,
paginação, legendas das ilustrações e ficha catalográfica. As tabelas, quadros,
figuras e legendas, pode-se usar fonte 8, visando a otimização de espaço.

3.2 MARGENS

A folha deve configurada com as seguintes margens:


• Margem superior: 3,0cm
• Margem inferior: 2,0cm
• Margem esquerda: 3,0cm
• Margem direita: 2,0cm

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
40

FIGURA 17 - CONFIGURAÇÃO DE MARGEM

3cm

3cm 2cm

2cm

3.3 ESPAÇOS E RECUOS

Todo o texto deve ser digitado com 1,5 de entrelinhas e/ou exatamente
24 pontos; e o parágrafo deve ter um recuo de 1,5cm da margem esquerda.
A primeira linha da alínea inicia na margem do parágrafo (1,5cm) e
as demais linhas da mesma alínea são alinhadas sob a primeira letra do texto
correspondente.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


41

Os incisos são alinhados sob a primeira letra do texto da alínea


correspondente.
Exceções
a) espaços simples e/ou exatamente 12 pontos
pontos: citações longas, ficha
catalográfica, legenda das ilustrações e tabelas, natureza do
trabalho, objetivo, nome da instituição a que é submetida e área
de concentração e o resumo do trabalho;
b) notas de rodapé
rodapé: espaço simples e/ou exatamente 12 pontos.
Devem ser digitadas dentro das margens, ficando separadas do
texto por um espaço em branco e por filete de 3cm e/ou default do
software a partir da margem esquerda. A nota de rodapé inicia-se
na margem do parágrafo, devendo ser transcrita em espaço simples,
com letra menor, para ficar em destaque;
c) referências no final do trabalho
trabalho: espaços simples e/ou exatamente
12 pontos e alinhadas a esquerda. As referências deverão ser
separadas entre si por um espaço duplo.

3.4 PAGINAÇÃO

Todas as folhas do trabalho deverão ser contadas seqüencialmente a


partir da folha de rosto, porém as folhas pré-textuais são contadas, mas não
são numeradas. A numeração começa a aparecer a partir da primeira folha
da parte textual, ou seja, da introdução.
A numeração é feita em algarismos arábicos, devendo figurar no canto
superior direito da folha a 2cm da borda superior e a 2cm da direita da folha.
Para impressão frente e verso as páginas pares devem figurar no canto superior
esquerdo obedecendo aos mesmos critérios (figura 18).
Os apêndices e anexos são numerados de maneira contínua e a
respectiva paginação deve continuar a paginação do texto principal.
Se a obra for em mais de um volume, manter a seqüência numérica
das páginas em todos os volumes.

3.5 NUMERAÇÃO PROGRESSIVA

Para melhor distribuição do conteúdo do trabalho, recomenda-se usar


numeração progressiva para as seções do texto, destacando-se os títulos das
seções com negrito, itálicos ou grifos, caixa alta ou normal.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
42

FIGURA 18 - EXEMPLO DE PAGINAÇÃO PARA IMPRESSÃO FRENTE E VERSO

2 verso da página

frente da página 1

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


43

Não utilizar ponto, hífen, travessão ou qualquer sinal após o indicativo


de seção ou de seu título.
Na numeração das seções de um trabalho, utilizar algarismos arábicos,
sem subdividir demasiadamente as seções, para que não ultrapassem a
subdivisão quinária.

Exemplo:

SEÇÃO SEÇÃO SEÇÃO SEÇÃO SEÇÃO


PRIMÁRIA SECUNDÁRIA TERCIÁRIA QUATERNÁRIA QUINÁRIA

1 1.1 1.1.1 1.1.1.1 1.1.1.1.1


2 2.1 2.1.1 2.1.1.1 2.1.1.1.1
3 3.1 3.1.1 3.1.1.1 3.1.1.1.1
4 4.1 4.1.1 4.1.1.1 4.1.1.1.1
NOTA: Na leitura oral não se pronunciam os pontos (NBR 6024, maio 2003).

Exemplos de formatação de títulos (seções e subseções)

1 INTRODUÇÃO (seção primária)

1.1 APRESENTAÇÃO DO TEMA E PROBLEMA DE PESQUISA (seção secundária)

1.1.1 O Surgimento do Terceiro Setor no Brasil e no Mundo (seção terciária)

1.1.1.1 Organizações da sociedade civil de interesse público (seção quaternária)

1.1.1.1.1 Associações (seção quinária)

Para enumerar os diversos assuntos de uma seção que não possuem


título, deve ser subdividido em alíneas.
O texto que antecede a alínea deve terminar com dois pontos.
A partir daí, usar alíneas, caracterizadas por letras minúsculas, seguidas
de parênteses e ordenadas alfabeticamente.
A disposição gráfica das alíneas obedece as seguintes regras:
a) a alínea começa com o recuo de parágrafo (1,5cm), e a partir da
segunda e as seguintes linhas começam sob a primeira letra do
texto da própria alínea;
b) o texto da alínea começa por letra minúscula e termina em ponto-
e-vírgula, exceto a última que termina em ponto;

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
44

c) Os indicativos devem ser citados no texto de acordo com os seguintes


exemplos:
...na seção 4
... ver 2.2
...em 1.1.2.2 § 3° ou... 3° parágrafo de 1.1.2.2

Títulos sem indicativo numérico (errata, agradecimento), lista de


ilustrações, lista de abreviaturas e siglas, lista de símbolos, resumos em língua
vernácula e resumos em idioma estrangeiro, sumário, conclusões, referências,
glossário, apêndice(s) anexos e índices devem ser centralizados.
A folha de aprovação, a (s) dedicatória(s) e a epígrafe, são elementos
sem título e sem indicativo numérico.
Todas as seções devem ter texto relacionado com as mesmas.

3.6 ILUSTRAÇÕES

Qualquer que seja seu tipo (gráfico, desenho, esquema, diagrama,


fluxograma, fotografia, quadro, mapa, planta, retrato e outros) sua identificação
aparece na parte superior, precedida da palavra designativa, seguida de seu
número e de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos e da fonte.
A ilustração deve ser centralizada, a letra da legenda deve ser em
tamanho menor que o texto (tamanho 8 ou 10).
Entre o final do texto e o início deve ter um espaço duplo.
As legendas das ilustrações devem ser claras e breves, dispensando
consulta ao texto.
Caso a ilustração seja do próprio autor do trabalho, deve-se indicar a
fonte da seguinte maneira:
Exemplo:
FONTE: O autor

3.7 APRESENTAÇÃO DE TABELAS, GRÁFICOS E FIGURAS

As tabelas, gráficos e figuras constituem elementos gráficos que


apresentam informações ou dados, para sintetizar as observações, facilitando
sua leitura e compreensão.
Devem aparecer o mais perto possível do lugar em que são
mencionados, obedecendo a apresentação tipográfica recomendada pela NBR
12256/1992.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


45

3.7.1 Critérios para apresentação de tabelas, gráficos e figuras

a) apresentação de maneira simples e o mais objetiva possível,


contendo as informações necessárias para compreensão do
conteúdo, não necessitando a leitura do texto;
b) podem ser intercaladas no texto (o mais perto possível do trecho
em que são citadas) ou apresentadas em apêndice. Quando
intercaladas no texto são separadas por uma linha em branco;
c) Devem ser alinhadas nas margens laterais do texto. Quando
pequenos devem ser centralizados;
d) Evitar o formato maior que o adotado no texto (formato A4).
e) Pode ser feita a redução gráfica, desde que não prejudique a
legibilidade do material. Quando isso não for possível, colocar a
folha em sentido diferente da leitura normal, de tal maneira que a
leitura seja no sentido horário;
f) Quando se utilizar abreviaturas que não sejam de uso corrente,
indicar o significado em nota específica;
g) Evitar o uso de tabelas, quando a maior parte das casas indique a
inexistência de dados. Neste caso utilizar quadros.

3.7.2 Estrutura das Tabelas

As tabelas nunca são fechadas por linhas laterais verticais, devendo


ter no mínimo três colunas indicadoras. São encabeçadas e citadas como
tabela, com título auto-explicativo colocado acima da mesma.
As tabelas são constituídas das seguintes partes:
• título;
• cabeçalho;
• corpo;
• fonte e/ou autoria;
• notas ou observações gerais;
• notas especificas;
• legenda.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
46

Exemplo:

O título é o componente pelo qual tabelas, gráficos e outros elementos


são descritos e conhecidos. Compõe-se da referência (tipo de elemento e
número), da descrição do conteúdo e a data da referência (a época em que
o fato foi registrado). Deve ser justificado e a 2ª linha deve iniciar abaixo da
1ª letra da 1ª linha e não deve ultrapassar os limites da tabela, gráfico ou
outro elemento.
Exemplo:
TABELA 6 - PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES METEREOLÓGICAS DE ALGUNS MUNICÍPÍOS
DO ESTADO DO PARANÁ - 2006

3.7.2.1 Referência da tabela

A referência é o componente usado para identificar o elemento no texto


ou em anexos. É composto pelo tipo do elemento seguido do número de ordem.
Exemplo:
TABELA 6 -

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


47

3.7.2.2 Descrição do conteúdo

A descrição deve conter a designação do fato observado e o local de


ocorrência, segue os seguintes critérios:
a) deve ser em letras maiúsculas, após a referência e separada desta
por um espaço, um hífen e um espaço. Se for preciso utilizar mais
de uma linha, o alinhamento será feito a partir da primeira letra da
primeira linha do título.
Exemplo:
TABELA 6 - PRINCIPAIS OBSERVAÇÕES METEREOLÓGICAS DE ALGUNS MUNICÍPIOS DO
ESTADO DO PARANÁ - 2006

b) deve informar o conteúdo do corpo do elemento (tabela, gráfico, figura);


c) para tabela estatística a ordem deve ser: descrição do cabeçalho,
descrição da coluna indicadora e local a que se refere o conteúdo
da tabela.

3.7.2.3 Data da referência

Identifica o período referente aos dados ou as informações registradas.


Os critérios a serem seguidos são:
a) deve ser obrigatoriamente indicada, exceto quando a natureza dos
dados não o permitir, como por exemplo dados físico-territoriais.
Exemplo:
TABELA 20 - COORDENADAS GEOGRÁFICAS DO ESTADO DO PARANÁ, SEGUNDO OS
PONTOS EXTREMOS

TABELA 7 - EXPECTATIVAS MÉDIAS DO MERCADO PARA O PIB, JUROS, CÂMBIO E INFLAÇÃO - 2008-2012

TAXA DE CRESCIMENTO TAXA DE JUROS TAXA DE CÂMBIO TAXA DE INFLAÇÃO


ANO
DO PIB SELIC R$/US$ IPCA

2008 4,5 11,8 1,75 4,4


2009 4,1 10,8 1,84 4,3
2010 4,1 9,9 1,90 4,1
2011 4,1 9,4 1,93 4,1
2012 4,4 9,2 1,96 4,1

FONTE: Banco Central do Brasil

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
48

b) deve ser colocada após a descrição do conteúdo, na mesma linha,


podendo ser integrada à parte descritiva nos casos em que possibilite
uma melhor compreensão do conteúdo.
Exemplo:
TABELA 14 - POPULAÇÃO ESTIMADA PARA 2005 E PROJETADA PARA OS ANOS DE 2010
E 2015, PARA O PARANÁ, POR ÁREA, POR SITUAÇÃO DE DOMÍCILIO E
SEGUNDO BACIAS HIDROGRÁFICAS

c) parte integrante do título, separa-se da descrição do conteúdo por


meio de um hífen colocado entre espaços simples (correspondente
a uma letra).
Exemplo:
TABELA 1 - ELEITORES DO PARANÁ, SEGUNDO O SEXO E GRAU DE INSTRUÇÃO - 2005

d) evitar que a data fique isolada na linha seguinte ao término da


parte descritiva;
e) não colocar ponto final após a data da referência;
A indicação dos meses poderá ser por extenso, em algarismos
arábicos, ou abreviada pelas três primeiras letras. Se a abreviatura
for em letra maiúscula não colocar ponto. Se for em letras minúsculas
colocar o ponto final.
Exemplos:
OUTUBRO ou OUT ou Out. ou out. ou 10
JANEIRO ou JAN ou Jan. ou jan. ou 01
MAIO ou maio ou 05

f) se os dados se referem a uma série temporal consecutiva, deve-se


indicar o primeiro e o último período da série, separados por hífen,
se espaços e com todos os algarismos referentes aos anos.
Exemplos:
1995-2005
FEV 1996-JUL 1999
1º semestre 2000-2° semestre 2005

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


49

g) se os dados se referem a uma série temporal não consecutiva, deve-


se indicar o primeiro e o último período da série, separados por
barra e a indicação dos anos com todos os algarismos.
Exemplos:
1995/2005
MAIO 1990/AGO 1999
1° bimestre 1989/1° bimestre 1995

h) no caso dos dados expressarem um período de tempo relativo à


safra de um determinado produto devem ser indicados os dois
últimos algarismos de cada ano que correspondem à referida safra,
separados por barra e precedidos do termo SAFRA. Havendo mais
de uma safra estas serão separadas por um hífen, colocado entre
espaços correspondentes a uma letra.
Exemplos:
SAFRA 90/91
SAFRA 95/96 - 97/98

i) Caso os dados sejam referentes a safras distintas, consecutivas ou


não, poderão ser indicados o primeiro e o último ano de cada
série, separados por hífen. A separação das séries deve ser feita
com um hífen, colocado entre espaços correspondentes a uma letra.
Exemplos:
1980-1985 - 1990-1992
JAN-MAIO 1990 - JAN-MAIO 1993
ABR/JUN 1998 - JUL/DEZ 1999

j) para dados que se referem a determinado mês, bimestre, trimestre,


semestre, ano são indicados por extenso.
Exemplos:
SETEMBRO 1999
4° TRIMESTRE 2005

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
50

k) no caso de dados que se referem à posição numa determinada


data (dia, mês, ano) o dia e o mês devem preferencialmente ser
indicados na forma XCX e o ano com algarismos completos,
separados por pontos.
Pode-se, ainda, indicar o mês com notação alfabética na forma
abreviada e segundo indicações da alínea “d”.
Exemplos:
31.12.1995, ou 31 DEZ 1991 ou 31 Dez. 1991

3.7.2.4 Corpo de tabelas estatísticas

Em uma tabela estatística o corpo é estruturado com cabeçalho e


coluna indicadora, podendo ainda existir uma coluna complementar.
Identificam-se ainda, traços, linhas, colunas e casas.

3.7.2.4.1 Cabeçalho

É a parte superior da tabela que especifica o conteúdo das colunas.


Pode ser constituído de um ou vários níveis..

SETORES ECONÕMICOS 1º nível


CLASSE DE
TOTAL
RENDIMENTO MENSAL Primário Secundário Terciário 2º nível

Na apresentação dos cabeçalhos das tabelas, observar:


a) as especificações de 1° nível devem, preferencialmente, conter as
denominações apresentadas no título.
b) devem ser escritas com caracteres maiúsculos e os demais níveis
apenas com as iniciais maiúsculas, com a finalidade de compreensão
e identificação das subdivisões;
c) as especificações de cada coluna, em qualquer nível, devem estar
centradas na mesma;
d) nas indicações totais (geral ou parcial) considerar a ordem de
apresentação e classificação, relativa a totalizações descritas mais adiante;

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


51

d) sempre que necessário, devem ser indicadas as unidades de medida


dos dados. Estas devem estar descritas no cabeçalho e/ou na coluna
indicadora, no mesmo nível da especificação a que se referem,
entre parênteses, preferencialmente abaixo da especificação,
podendo ser apresentados com símbolos ou palavras. de acordo
com o Quadro Geral de Unidades de Medida do Conselho Nacional
de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (CONMETRO);
e) Evitar siglas e abreviaturas que não sejam de uso corrente. Quando
isso ocorrer, indicar o seu significado em uma nota específica.

3.7.2.4.2 Coluna indicadora


A coluna indicadora é o componente da tabela que especifica o
conteúdo das linhas. Uma tabela pode ter mais de uma coluna indicadora.
Exemplo:
TABELA 3 - VALOR ADICIONADO DA INDÚSTRIA DE TRANSFORMAÇÃO,
SEGUNDO PRINCIPAIS SETORES, NO PARANÁ - 1996

VALOR ADICIONADO
INDÚSTRIA
R$ 1 000 %

Química 2.045.508 19,7


Produtos Alimentares 1.518.110 14,6
Materiais de Transporte 1.423.500 13,7
Mecânica 698.057 6,7
Material Elétrico e de Comunicação 691.222 6,8
Papel e Papelão 642.003 6,2
Madeira 579.387 5,6
Não-metálicos 497.034 4,8
Total 8.094.821 77,9
Outras 2.292.227 22,1
TOTAL GERAL 10.387.048 100,0

FONTES: SEFA, IPARDES

Quanto à elaboração da coluna indicadora deve-se adotar:


a) o cabeçalho dessa coluna deverá ser centralizado e escrito
preferencialmente em letras maiúsculas, apresentando a
denominação constante no título, evitando o uso de palavras
generalizantes como ESPECIFICAÇÃO , DISCRIMINAÇÃO ou
DESCRIÇÃO. O termo utilizado pode figurar no singular ou no plural.
A forma adotada deve ser adotada em todo o trabalho;

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
52

b) coluna indicadora pode apresentar especificações, que como o


cabeçalho, estejam subdivididas em níveis diversos. Nestes casos,
as indicações dos níveis subseqüentes devem ser escritas com um
afastamento de dois espaços em relação ao nível anterior:
c) O conteúdo da coluna indicadora (especificações) devem ser
apresentado apenas com as letras iniciais maiúsculas, exceto nos
casos em que é necessário ressaltar alguma indicação no 1° nível
e/ou no caso em que apareçam expressões que totalizam os dados,
tais como; TOTAL, TOTAL GERAL, TOTAL DO ESTADO, REGIÃO SUL,
BRASIL, etc.
d) Deve-se evitar o uso de siglas e abreviaturas nesta coluna.

3.7.2.4.3 Linha do Corpo

Corresponde ao conjunto de elementos dispostos horizontalmente no


corpo da tabela.

3.7.2.4.4 Coluna

Corresponde ao conjunto de elementos dispostos verticalmente no corpo


da tabela. Os dados deverão obedecer à seguinte disposição nas colunas:
a) alinhados no canto direito, deixando o espaço correspondente a
uma letra da linha imaginária;
b) no caso da última coluna, alinhados no limite direito da tabela sem
espaço.
Exemplo:
TABELA 4 - CRESCIMENTO DO VOLUME DE EXPORTAÇÕES E PRODUÇÃO MUNDIAL DE MERCADORIAS - 2000-2006

(VARIAÇÃO PERCENTUAL ANUAL)


VOLUME
2000-2006 2004 2005 2006

Exportações 5,5 9,5 6,5 8,0


Produção agrícola 4,0 4,0 6,0 6,0
Combustíveis e produtos das indústrias extrativas 3,0 6,0 3,5 3,0
Manufaturados 6,0 11,0 7,5 10,0
Produção 2,5 5,0 3,5 3,0
Agricultura 2,0 5,0 1,5 1,0
Indústria extrativa 1,5 4,5 1,5 1,0
Indústria de manufaturas 3,0 5,5 4,0 3,5
PIB mundial real 3,0 4,0 3,5 3,5

FONTE: Organização Mundial do Comércio

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


53

3.7.2.4.5 Casa

É o elemento do corpo da tabela identificado pelo cruzamento de


uma linha com uma coluna.
As casas não devem ficar em branco. Se não houver dados para o seu
preenchimento, devem ser adotados os sinais convencionais adequados.
Nos casos em que se dispõe do dado observado, porém, é necessário
prestar algum esclarecimento adicional (dado preliminar, estimado, retificado),
este deve ser feito utilizando uma NOTA.

SINAL SIGNIFICADO/UTILIZAÇÃO

- (traço) Indica que o fenômeno não existe.


... (três pontos) Indica que o dado é desconhecido, podendo o fenômeno existir ou não.
0 ou 0,0 ou 0,00 É utilizado quando o fenômeno exite mas seu valor numérico é inferior à metade da unidade adotada na tabela.
X (letra X) Indica que o dado foi omitido com a finalidade de evitar a sua individualização.
.. (dois pontos) Indica que não se aplica dado numérico.

Se o dado apresentado tem valor negativo, o fato deve ser indicado


pelo sinal negativo.
Exemplo:
- 235
-23,20

TABELA 14 -ÁREA DOS LAGOS SOBRE A ÁREA TOTAL DOS PRINCIPAIS PARQUES
CRIADOS EM CURITIBA ENTRE 1972 E 1994

ÁREA TOTAL ÁREA DO LAGO ÁREA DO LAGO/


TIPO
(m2) (m2) ÁREA TOTAL (%)

Parque Barigüi 1.400.000 400.000 28,57


Parque São Lourenço 203.918 (1)100.000 49,02
Parque Iguaçu 8.264.316 (2)2.741.578 33,17
Parque do Passaúna 6.500.000 3.500.000 53,84
Parque Bacacheri 152.033 22.000 14,27
Parque Tingüi 380.000 ... ...

FONTE: SMMA
NOTAS: Sinal convencional utilizado:
... Dado não disponível.
(1) Dado aproximado.
(2) Dado obtido somando-se o setor náutico ao setor de pesca.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
54

3.7.2.4.6 Traço

O traço é um elemento utilizado para delimitar o cabeçalho e a


finalização da tabela. Observar os seguintes critérios:
a) para delimitar as linhas e colunas não deverão ser utilizados traços;
b) devem ser traçados o cabeçalho e o limite inferior da tabela,
obrigatoriamente;
c) quando a tabela ocupar mais de uma página, não deve ser
delimitada (traçada) na parte inferior, mas apenas na última página;
neste caso indicar uma linha abaixo do título, ao lado direito a
palavra continua na primeira página, continuação nas páginas
intermediárias em letras minúsculas, alinhada com a tabela. O título
e o cabeçalho devem ser repetidos em todas as páginas que forem
ocupadas pela tabela, com exceção da última página (que conterá
apenas a palavra conclusão
conclusão), na mesma posição que o termo
continua (ver exemplo da tabela 2).
d) quando necessário utilizar as expressões Preços Correntes, ou Preços
Constantes (considerando que devem ocupar a mesma posição
que os termos empregados para indicar a continuidade da tabela)
estas deverão ser inseridas em outra posição dentro do próprio
cabeçalho, ou em uma nota geral.

3.7.2.4.7 Fonte

Consiste na indicação da entidade(s) responsável(eis) pelo fornecimento


ou elaboração dos dados e informações contidos no elemento gráfico. Critérios
a serem observados:
a) para dados trabalhados ou elaborados (como: cálculos de taxas,
variações, percentuais, índices, deflação, etc.) considerar uma das
seguintes opções:
- utilizar a expressão FONTE DE DADOS BRUTOS para indicar o
órgão responsável pelo fornecimento dos dados brutos, e em
nota o responsável pelo dado trabalhado;
- utilizar a expressão FONTE e fazer constar o órgão responsável
pelo dado trabalhado, apresentando a entidade que forneceu os
dados brutos em uma nota;

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


55

TABELA 2 - ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (IPC) EM CURITIBA - JULHO 2008


continua

VARIAÇÃO ACUMULADO (%)


ÍNDICE(1) PONDER.
DESCRIÇÃO NO MÊS
(dez./98=100) (%)
(%) No ano 12 meses

ÍNDICE GERAL 192,88 100,0000 0,36 3,96 6,05


Alimentos e Bebidas 221,27 19,8946 1,40 10,29 14,37
Alimentação no domicílio 224,52 14,5284 1,30 12,00 15,50
Semi-elaborados 265,18 3,1885 4,37 18,42 40,18
Carnes bovinas 293,60 1,6080 5,09 15,68 38,34
Carnes suínas 253,90 0,1569 5,56 18,07 43,51
Aves 252,82 0,6192 5,40 3,43 19,86
Pescados 217,19 0,1750 3,86 -1,71 1,63
Cereais 230,89 0,6294 1,42 51,41 83,85
Industrializados 209,95 9,4875 0,05 8,48 7,68
Leite e derivados 217,48 2,2818 -1,27 7,36 -2,97
Derivados de carnes e peixes 204,51 0,5624 2,27 9,88 16,17
Panificados 240,38 1,8492 2,25 16,03 20,99
Bebidas e infusões 180,90 2,0173 -0,10 4,04 2,58
Açúcares e derivados 197,92 0,9512 -1,11 2,35 -1,80
Óleos e gorduras 206,94 0,4517 -0,50 13,65 29,22
Farinhas, féculas e massas 254,78 0,7491 -0,54 16,12 25,80
Sal e condimentos 167,29 0,3835 -0,25 2,33 3,60
Enlatados e conservas 199,32 0,2413 0,04 0,69 -0,54
Produtos in natura 237,81 1,8524 2,52 19,86 18,53
Frutas 208,50 0,8427 2,54 3,16 5,87
Tubérculos, raízes e legumes 252,93 0,6774 2,02 48,14 50,62
Ovos 274,27 0,1932 -0,38 4,82 -0,26
Hortaliças e verduras 331,95 0,1391 9,11 27,65 -6,99
Alimentação fora do domicílio 212,83 5,3662 1,70 5,78 11,38

Habitação 181,82 14,3802 0,56 3,35 5,75


Encargos e manutenção 169,48 11,5205 0,58 4,12 7,30
Habitação 166,16 10,1747 0,52 4,42 8,03
Construção e manutenção 211,43 0,6132 0,04 1,17 1,66
Artigos de limpeza e conservação 186,39 0,7326 1,82 2,46 2,12
Operação 241,25 2,8597 0,47 0,34 -0,23
Combustíveis de uso doméstico 307,54 0,5036 1,13 0,41 -0,08
Energia elétrica 229,05 2,3561 0,33 0,33 -0,27

Artigos de Residência 122,83 7,4764 -0,88 -5,00 -4,60


Móveis e utensílios 171,38 4,1927 -0,20 0,17 3,67
Mobiliário 153,33 2,1118 -0,85 0,99 3,06
Utensílios, enfeites e manutenção 190,61 1,7489 0,41 1,04 5,54
Cama, mesa e banho 198,69 0,3320 0,70 -9,08 -2,08
Aparelhos elétricos 80,31 3,2837 -1,74 -11,22 -14,20
Eletrodomésticos e equipamentos 132,20 1,4475 -1,23 -2,09 -3,70
Som e imagem 54,27 1,8362 -2,14 -17,82 -21,66

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
56

TABELA 2 - ÍNDICE DE PREÇOS AO CONSUMIDOR (IPC) EM CURITIBA - JULHO 2008


conclusão

VARIAÇÃO ACUMULADO (%)


ÍNDICE(1) PONDER.
DESCRIÇÃO NO MÊS
(dez./98=100) (%)
(%) No ano 12 meses

Vestuário 158,60 6,7859 -2,13 1,91 -1,24


Roupas 134,05 4,2542 -3,02 -0,97 -3,08
Roupas de homem 138,45 1,5395 -1,03 -2,55 -4,70
Roupas de mulher 137,11 1,8100 -3,23 -3,37 -3,68
Roupas de criança 121,14 0,9047 -5,90 6,91 0,97
Calçados e acessórios 208,25 1,8881 -0,44 8,28 1,17
Jóias e relógios 328,86 0,4055 -0,57 3,23 5,86
Tecidos e armarinho 99,89 0,2381 -2,04 2,70 1,55

Transporte e Comunicação 223,42 24,4975 0,06 1,73 5,92


Transporte 224,20 22,5333 0,06 1,87 6,31
Transporte público 241,09 3,5641 -0,54 3,70 8,64
Veículo próprio 211,25 15,3015 0,40 3,37 7,19
Combustíveis para transporte 267,81 3,6677 -0,74 -5,81 0,58
Comunicações 214,77 1,9642 -0,02 0,19 1,50

Saúde e Cuidados Pessoais 200,41 10,5239 -0,58 5,14 5,93


Prod. farm. e apar. p/ tratamento 194,84 3,9254 -1,87 6,21 6,92
Produtos farmacêuticos 190,74 3,5132 -2,18 6,63 6,93
Óculos e lentes 233,25 0,4122 0,80 2,71 6,82
Atendimento e serviços 211,70 4,7699 -0,40 4,98 5,86
Atendimento 151,01 2,5636 -1,00 4,04 4,75
Serviços médicos 313,49 2,2063 0,31 6,09 7,17
Cuidados pessoais 184,40 1,8286 1,74 3,30 3,99
Higiene e cuidados pessoais 184,40 1,8286 1,74 3,30 3,99

Despesas Pessoais 182,70 16,4415 1,60 4,91 5,26


Serviços pessoais 194,02 4,7275 1,24 4,65 7,80
Recreação e fumo 168,68 6,6137 3,11 6,22 4,53
Recreação 163,74 5,4754 3,77 6,59 3,77
Fumo 194,62 1,1383 0,00 4,47 8,26
Educação e leitura 191,63 5,1003 0,01 3,48 3,90
Educação 191,02 4,4550 0,03 3,44 3,60
Leitura 188,90 0,6453 -0,08 3,78 5,94
FONTE: IPARDES
NOTA: A classe de renda corresponde ao intervalo de 1 a 40 SM.
(1) A base para o índice é dezembro de 1998=100.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


57

b) o órgão responsável pelo fornecimento dos dados deve ser indicado


com caracteres maiúsculos, quando for utilizada a sua sigla ou
apenas com iniciais maiúsculas, quando for utilizado o seu nome
por extenso. Qualquer destes procedimentos, se adotado, deve ser
mantido em todo o trabalho;
c) para tabelas estatísticas, a fonte deve ser colocada imediatamente
após o traço inferior da tabela, alinhada com as especificações do
1° nível da coluna indicadora;
d) se os dados das tabelas forem fornecidos por diversas fontes, os
nomes ou siglas referentes a estas devem ser separados por vírgulas.
Exemplo:
IBGE, FGV, IPARDES

e) no caso de órgão vinculado a uma entidade central, deve constar


o nome da entidade, seguido do nome do respectivo órgão,
separados por hífen ou barra.
Exemplo:
FONTE: SEAB-DERAL ou
FONTE: SEAB/DERAL

f) se os dados forem obtidos de publicações periódicas, deve-se indicar


o nome da publicação, seguido do órgão editor, separados por hífen
e escritos apenas com as iniciais maiúsculas, à exceção das siglas.
Exemplo:
FONTE: Censo Demográfico-IBGE

g) se os dados forem extraídos de publicações monográficas (livros,


teses, relatórios de pesquisa, etc.), de artigos de publicações
periódicas (revistas, jornais, etc.) ou outros documentos, convém
indicar sua referência bibliográfica completa, conforme as NBR 6023
da ABNT.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
58

Exemplo:
FONTE: IPARDES. Indicadores analíticos
analíticos: Paraná. Curitiba, 1994. p.55

h) dados extraídos de uma publicação, mas cuja fonte original é outra,


deve-se indicar como fonte o órgão de origem dos dados,
informando, em uma NOTA, de onde foram retirados os dados.
Exemplo:
FONTE: BACEN
NOTA: Extraído da Base Pública do Estado (BPUB).

i) documento que o próprio autor está apresentando dados levantados


via “pesquisa de campo”, poderá ser usada tal expressão como fonte.
Exemplo:
FONTE: Pesquisa de Campo

3.7.2.4.8 Nota

Usa-se NOTA para apresentar informações de natureza geral, com a


finalidade de conceituar ou esclarecer o conteúdo, ou indicar a metodologia
adotada na coleta ou elaboração dos dados. Exemplo:
Na colocação de notas, deve-se considerar os seguintes critérios:
a) a palavra NOTA (S) deve ser escrita preferencialmente com caracteres
maiúsculos (conforme o padrão definido na escrita do título e da
fonte), seguido de dois pontos, e a descrição ou esclarecimentos
em caracteres maiúsculos e minúsculos, conforme uso normal,
seguido de ponto final e apresentada logo abaixo da FONTE.
Exemplo:
NOTA: Compreende os municípios que possuem estações
meteorológicas do IAPAR.

b) quando o esclarecimento ocupar mais de uma linha, deve-se


observar o seu alinhamento, ou seja, o texto da segunda e demais
linhas deverá iniciar abaixo da primeira letra do esclarecimento;

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


59

c) havendo mais de um esclarecimento (mais de uma informação de


natureza geral), usar a palavra NOTAS escrita em caracteres
maiúsculos, de acordo com o padrão adotado.

Exemplo:

NOTAS: Os dados foram extraídos da Base Pública do Estado (BPUB).


A fonte deixou de realizar o levantamento de alfafa e cana
para forragem.

d) as notas de tabelas estatísticas com mais de uma página, devem


figurar apenas na última página, no final da tabela;
e) esclarecimentos constantes nas NOTAS podem ou não ser
numerados, devendo ser iniciados sempre numa nova linha. Quando
houver notas específicas, é aconselhável apresentar as notas gerais
sem numeração, para não confundi-las.
A fonte e as notas são colocadas no rodapé das tabelas. Se a tabela
ocupar mais de uma página não deve ser delimitada na parte inferior, repetindo
neste caso os cabeçalhos na página seguinte, conforme exemplo a seguir.
Neste caso os cabeçalhos devem ser acompanhados da palavra
continua. Quando a fonte é o próprio pesquisador (dados coletados) não
deve aparecer no rodapé da tabela. Pode ocorrer que a inserção de uma
tabela provoque a interrupção da seqüência de um texto, nestes casos sugere-
se apresentá-las em forma de anexos.

3.7.2.5 Tabelas com poucas colunas e muitas linhas

No caso de tabela muito estreita, poucas colunas e muitas linhas, sua


apresentação pode ser feita em duas ou mais partes. Estas serão colocadas
lado a lado, repetindo-se os cabeçalhos e separando-as por meio de traço
vertical duplo.
O título da tabela será único, abrangendo todas as partes em que
houver repetição do cabeçalho, ocorrendo o mesmo para as fontes e notas.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
60

TABELA 3 - ABATES DE AVES, BOVINOS E SUÍNOS, NO PARANÁ - 1997-2008

PESO TOTAL DAS CARCAÇAS (t) PESO TOTAL DAS CARCAÇAS (t)
PERÍODO PERÍODO
Aves Bovinos Suínos Aves Bovinos Suínos

1997 720 154 225 021 189 459 Abril 154 305 22 120 33 389
1998 854 517 236 358 193 435 Maio 174 150 25 067 40 391
1999 957 237 198 873 229 466 Junho 161 478 23 230 37 481
2000 1 041 412 181 113 235 315 Julho 168 954 22 726 39 401
2001 1 121 828 197 985 263 451 Agosto 183 387 24 239 38 801
2002 1 235 681 219 350 333 951 Setembro 166 480 23 182 34 590
2003 1 344 398 219 774 359 139 Outubro 195 040 31 336 36 530
2004 1 557 747 276 806 340 568 Novembro 187 998 28 162 36 271
2005 1 788 481 308 947 367 765 Dezembro 177 517 25 686 32 275
2006 1 856 061 316 898 390 394 2008(1) 586 543 65 468 105 707
2007(1) 2 057 318 295 010 437 152 Janeiro 207 622 23 875 36 983
Janeiro 171 625 24 474 36 043 Fevereiro 185 110 21 375 33 944
Fevereiro 148 550 22 662 33 603 Março 193 812 20 218 34 780
Março 167 834 22 124 38 377

FONTE: IBGE - Pesquisa Trimestral de Abate de Animais


(1) Resultados preliminares.

3.7.2.6 Tabelas com excessiva largura

As tabelas com muitas colunas (excessiva largura) devem ser


apresentadas nas seguintes formas:
a) Dispostos em páginas de espelho (verso e frente confrontantes) sendo
as linhas numeradas na primeira e na última coluna;
b) Apresentadas em duas ou mais partes, colocadas uma
imediatamente abaixo da outra, separadas por traço horizontal
duplo. Neste caso, há apenas repetição da coluna indicadora e do
cabeçalho (se for o caso), sem ocorrer a repetição do título, fontes
e notas (quando houver).
Embora seja possível apresentar a tabela dividida em três ou mais
partes, é desaconselhável que se adote este procedimento. Recomenda-se,
neste caso, que se proceda a uma divisão dos dados para sua apresentação
em tabelas isoladas.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


61

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
62

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


63

3.7.3 Quadros

Os quadros são um tipo de ilustração ou figura, utilizados para a


apresentação esquemática de informações textuais, apresentando uma
estrutura de linhas-molduras em todos os seus lados.
As regras gerais de apresentação dos quadros são:
a) Possuem numeração independente e consecutiva;
b) O título é colocado na parte superior2, precedido da palavra quadro
e seu número de ordem em algarismo arábico;
c) Deverá ser alinhado à margem esquerda e justificado;
d) Devem ser breves e claros e apresentar quatro elementos:
- Nome seguido de número;
- Título que responde a três perguntas: o que, onde e quando;
- Dados dispostos ordenadamente em colunas, contendo no alto a
respectiva identificação;
- Fonte de onde os dados foram extraídos.
QUADRO 2 - TAXAS DE CRESCIMENTO NA CONTRATAÇÃO DE MÃO-DE-OBRA NAS ATIVIDADES VINCULADAS AO
TURISMO, SEGUNDO PORTE DOS ESTABELECIMENTOS - REGIÃO TURÍSTICA DO LITORAL DO
PARANÁ - 2000/2005

TAXA DE CRESCIMENTO
PORTE DOS
Média
ESTABELECIMENTOS Alta Baixa ou Negativa
(menor ou igual a 10%
(maior que 10% a.a.) (menor ou igual a 0% a.a.)
a.a.)

Micro Locação de Veículos, Meios de Hospedagem, Transporte Rodoviário de


Atividades Recreativas Agências de Turismo Passageiros, Transporte
Culturais e Desportivas, Aéreo Regular e Não-regular
Serviços de Alimentação
Pequeno Serviços de Alimentação Transporte Rodoviários Meios de Hospedagem,
de Passageiros, Atividades Locação de Veículos,
Recreativas Culturais Transporte Aéreo Regular,
e Desportivas Não-regular e Agências
de Turismo
Médio - Meios de Hospedagem, Serviços de alimentação,
Atividades Recreativas, Agências de Turismo,
Culturais e Desportivas Transporte Rodoviário
de Passageiros, Locação
de Veículos
Grande - - -
FONTE: MTE - RAIS
NOTA: Elaborado pelo IPARDES.

2
Esta recomendação difere da recomendação dada pela ABNT, que determina o título na
parte inferior do quadro.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
64

3.7.4 Gráficos

Os gráficos são construções visuais que por meio de manipulação de


dados que geram informações, tornando-as legíveis. Podem ser apresentados
em variadas formas: gráficos lineares, colunas, barras, círculos, curvas
aritméticas ou logaritmos e estéreogramas (gráfico tridimensional).
Os elementos gráficos devem ser dotados de todas as informações
necessárias a uma completa compreensão do conteúdo, dispensando consulta
ao texto. Sugere-se a não utilização de gráficos em terceira dimensão, pois
normalmente dificultam a leitura.

3.7.4.1 Gráficos estatísticos

Dentre os diversos tipos de gráficos estatísticos existentes, alguns são


fundamentais, quer pela sua utilidade, pela simplicidade na confecção, como
por propiciar melhor visualização da informação neles contida.
De um modo geral, entre os gráficos estatísticos destacam-se:
a) diagramas:
- de pontos;
- de bastões;
- de linhas;
- de colunas;
- de barras;
- de áreas (setores e corte de setor);
- de distribuição de freqüência;
- de superfícies;
b) pirâmide etária;
c) cartogramas;
d) pictogramas e estereogramas (quadro 1).
É comum utilizar-se o termo gráfico para designar os diferentes tipos
de diagramas conforme demonstrado no Anexo 1. (MANDU, 2000, p.23).

3.7.5 FIGURAS

As figuras são construções visuais que exemplificam os aspectos tratados


no texto.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


65

Os tipos mais comuns de figuras são: desenhos, mapas, plantas,


cartazes, lâminas, gráficos organizacionais (fluxogramas e organogramas),
também estão incluídas outras formas quaisquer, desde que necessárias à
complementação e melhor visualização do texto. Devendo ser numeradas
consecutivamente em algarismos arábicos, geralmente sem distinção entre os
diferentes tipos de figuras.

QUADRO 1 - UTILIZAÇÃO DOS PRINCIPAIS GRÁFICOS ESTATÍSTICOS

TIPO DE GRÁFICO USO MAIS ADEQUADO

Pontos Estudos de correlação entre variáveis.

Bastões Representar distribuições de probabilidades de variáveis aleatórias discretas.

Linhas Grande volume de dados.


Representação de séries temporais.
Representar a flutuação dos dados.
Estudos de tendências e mudanças no tempo.
Comparação de distribuições de freqüência.
Estudos populacionais.

Colunas Representação de séries estatísticas ou temporais.


Comparação de dados.
Tendências no tempo.
Séries estatísticas com duas ou mais variáveis que se deseje comparar no tempo
ou na representação de alguma características.
Diferenças de volume.
Dados acumulados (comparar o planejado com o obtido no decorrer de um período)

Barras Mesmas aplicações dos gráficos de colunas, porém mais indicado quando as
são extensas.

Setores em Círculo Comparação de parcelas em relação ao total, preferencialmente em percentuais.

Corte de Setor em Círculo Salientar uma determinada parcela de um gráfico de setores.

Histograma Representar distribuições de freqüências.

Polígono de Freqüências Representar distribuições de freqüências, principalmente para duas


ou mais distribuições.

Polígono de Freqüências Acumuladas Representar distribuições de freqüências quando o objetivo é analisá-las em


termos percentuais.

Superfície Enfatizar com sombreamento as séries estatísticas representadas;


Destacar diferenças entre duas séries (uso não recomendável).

Pictogramas Representação com fins publicitários.

Estereogramas Representar distribuições de freqüências bidimensionais (uso não recomendado).

Cartogramas Representar séries estatísticas associando-se aos locais de ocorrência.


FONTE: Mandu (2000, p.41)

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
4 Citações em Documentos
69

4 CITAÇÕES EM DOCUMENT
CITAÇÕES OS
DOCUMENTOS

4.1 DEFINIÇÕES E TIPOS DE CITAÇÃO

Citação é a menção no texto de informação extraída de outra fonte


para esclarecer, ilustrar, complementar ou sustentar o assunto apresentado.
São colocadas no texto, com a finalidade de esclarecer ou complementar as
idéias do autor. A fonte de onde foi retirada a informação deverá ser citada
obrigatoriamente, respeitando-se assim os direitos autorais.
As citações podem estar localizadas no texto ou em notas de rodapé e
podem ser curtas (até três linhas) ou longas (mais de três linhas), diretas (cópia
fiel do autor consultado) ou indiretas (texto baseado na idéia do autor consultado).
As Regras Gerais de Apresentação das citações são as seguintes:
a) Nas citações, as chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição
responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras
maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses,
devem ser em letras maiúsculas.
b) Especificar no texto a(s) página(s), volume(s), tomo(s) ou seção(ões)
da fonte consultada, nas citações diretas. Este(s) deve(m) seguir a
data, separado(s) por vírgula e precedido(s) pelo termo, que o(s)
caracteriza, de forma abreviada. Nas citações indiretas, a indicação
da(s) página(s) consultada(s) é opcional.

4.1.1 Citação Direta, Literal ou Textual

É a transcrição textual de parte de uma obra consultada, mantendo


todas as suas características como grafia, pontuação, idioma etc. Deve conter
as informações necessárias para identificação da obra citada.

4.1.2 Citação Direta Curta (até três linhas)

A citação indireta que ocupar até três linhas, é inserida no texto,


colocada entre aspas duplas e incorporada ao parágrafo, com o mesmo tipo
de letra, corpo e espaçamento utilizados no texto.
O uso do ponto final após as citações deve atender às regras
gramaticais.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
70

Exemplos:
Segundo Silva (2005, p.136) “a dependência, nos moldes do nacionalismo e
militarismo, é anacrônica e não corresponde à ideologia de um país que deseja se
desenvolver nos parâmetros tecnológicos e industriais atuais”.

“A dependência, nos moldes do nacionalismo e militarismo, é anacrônica e


não corresponde à ideologia de um país que deseja se desenvolver nos parâmetros
tecnológicos e industriais atuais” (SILVA, 2005, p.136).

A busca por um novo modelo de desenvolvimento, sustentável no


decorrer do tempo, é necessária e “a questão não é quanto irá custar para se
realizar essa transformação, e sim quanto custará se falharmos” (BROWN,
2003, p.25), considerando o capital natural como parte necessária para
reprodução do sistema econômico.

4.1.3 Citação Direta Longa (com mais de três Linhas)

A citação direta com mais de três linhas deve aparecer em parágrafo


independente, utilizando-se margem própria, com recuo à esquerda de 4 cm,
com letra menor que a do texto utilizado e sem aspas, terminado na margem
direita do trabalho. Deve ser deixada uma linha em branco entre a citação e
os parágrafos anterior e posterior.

Exemplos:
Uma estratégia voltada para o conhecimento valoriza os ativos
intangíveis e pode ser caracterizada como:
o processo apropriado para maximizar o potencial dos
conhecimentos existentes em uma organização,
disponibilizando todo conhecimento necessário para que
as pessoas que constituem a empresa desempenham suas
tarefas eficazmente. A formulação de estratégia prescinde
de um clima que deve ser conquistado em ambientes
abertos, com processos participativos, com fluxos eficientes
de comunicação eficaz, com compartilhamento de
informações, com linguagem adequada, que flua em todos
os níveis da organização (PONCHIROLLI, 2005, p.91).

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


71

De acordo com Ponchirolli (2005, p.91), uma estratégia voltada para


o conhecimento valoriza os ativos intangíveis e é o processo apropriado para
maximizar o potencial dos conhecimentos existentes em uma organização,
disponibilizando todo conhecimento necessário para que as pessoas que
constituem a empresa desempenham suas tarefas eficazmente. A formulação
de estratégia prescinde de um clima que deve ser conquistado em ambientes
abertos, com processos participativos, com fluxos eficientes de comunicação
eficaz, com compartilhamento de informações, com linguagem adequada,
que flua em todos os níveis da organização.
Paoli e Almeida (1996, p.190) chamam a atenção para a presença
desses segmentos no espaço da cidade, a partir das soluções que encontram
em sua ocupação.
[...] O próprio espaço urbano se redesenha: antigos bairros
são reinventados em sua ocupação, as ruas se enchem de
ambulantes, mendigos, vendedores itinerantes, pequenos
golpistas, crianças de rua, todos com estratégias próprias
de sobreviver que incluem um conhecimento sofisticado dos
próprios recursos técnicos da cidade.

A engenharia de interesse social, ao tomar como imperativo categórico


a perenização da vida, alinha-se às “tecnologias da sustentabilidade”, que
podem ser traduzidas como:
[...] um acervo de conhecimentos e habilidades de ação
para a implementação de processos tecnicamente viáveis e
eticamente desejáveis. [...] As tecnologias da sustentabilidade
dizem respeito tanto a processos de produção e circulação
do produto, como a modos de organização social, padrões
de ganho e processamento de informações (BARTHOLO,
1999, p.32).

4.1.4 Citação Indireta ou Livre

Citação direta é a que reproduz a(s) idéia(s) de outro(s) autor(es) sem


que haja transcrição literal das palavras utilizadas. Apesar de livre, deve ser
fiel ao sentido do texto original. Neste caso não há necessidade de estar entre
aspas e nem indicar as páginas de onde a(s) idéia(s) foi(ram) extraída(s).

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
72

Exemplo:
Silva (2005) ressalta que a inter-relação e interdependência das
dimensões, constituintes de um processo de desenvolvimento sustentável,
tornam a sua análise muita rica e diversificada.

4.1.5 Citação de Citação

É a transcrição de um texto já citado por outro autor, cujo original


não foi possível consultar.
Neste caso é indispensável a menção no texto entre parênteses, do
autor do documento original, seguido pela expressão latina apud (quer dizer
citado por) e do autor(es) da obra consultada.
Os dados da obra que não foi consultada deverão constar em nota
de rodapé. Evitar esse tipo de citação, já que a obra final não foi consultada,
havendo risco de má interpretação e de incorreções.

Exemplo:
Segundo Golsdstein e Boeker (1991, apud VALLADARES, 2003, p.97)
esses elementos podem atuar como barreiras com potencial para inviabilizar
a adaptação organizacional, tornando a mudança problemática.

ou

Esses elementos podem atuar como barreiras com potencial para


inviabilizar a adaptação organizacional, tornando a mudança problemática
(GOLSDSTEIN e BOEKER, 1991 citado por VALLADARES, 2003, p.197).

4.1.6 Citação de Informação Verbal

Os dados obtidos verbalmente (palestras, debates, comunicações,


entrevistas etc.) podem ser citados, indicando-se entre parênteses a expressão
informação verbal.
Os dados disponíveis devem constar em nota de rodapé.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


73

No texto:
O novo medicamento estará disponível para venda em 2007.1

Em nota de rodapé:
1
Notícia fornecida por Charles Smith, no Congresso Internacional de Medicina,
no Rio de Janeiro em novembro de 2005.

4.1.7 Citação de Documentos Jurídicos

Citação de legislação, jurisprudência e doutrinas nacionais.


Inclui também citação de tratados internacionais.

4.1.7.1 Leis

No texto:
Conforme o art. 20 da Lei n° 10741, de 01 de outubro de 2003:
Art. 20 O idoso tem direito a educação, cultura, esporte, lazer, diversões,
espetáculos, produtos e serviços que respeitem sua peculiar condição de idade. (BRASIL,
2005, p.729)

Em referências
BRASIL. Lei n° 10741, de 01 de outubro de 2003. Dispõe sobre o estatuto
do idoso e dá outras providências. Diário Oficial da União
União, Brasília,
n.192, p.1378,03 out. 2003.

4.1.7.2 Códigos

No texto:
Defende-se a responsabilidade subjetiva com base legal no art. 43 do
Código Civil:
Art. 43. As pessoas jurídicas de direito público são civilmente
responsáveis por atos dos seus representantes por atos dos seus agentes que
nessa qualidade causem danos a terceiros, ressalvado direito regressivo contra
os causadores do dano, se houver, por parte destes, culpa ou dolo (BRASIL,
2005. p.11).

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
74

Em referências:

BRASIL. Código civil. 11. ed. São Paulo: LEX, 2005.

4.1.7.3 Jurisprudência

No texto:

“Dessa forma, nada impede o Administrador Público de proceder ao


desconto dos dias não trabalhados pelos servidores públicos em decorrência da
greve nos serviços públicos “. (BRASIL. Tribunal Federal 4ª Região, 2003, p.356).
Em referências:
BRASIL. Tribunal Regional Federal (4. Região). Apelação em mandado de
segurança n° 2001. 72.00.007.607-6/SC. Apelante: Departamento
Nacional de Proteção Mineral. Apelado: Sindicato dos Trabalhadores no
Serviço Público Federal de Santa Catarina. Relator: Dês. Federal Carlos
Eduardo Thompson Flores Lenz. Revista de Direito Administrativo
Administrativo, Rio de
Janeiro, n.232, p.355-361,
abr./jun. 2003.

4.1.8 Citações de Documentos Eletrônicos

4.1.8.1 Publicações Eletrônicas

As publicações eletrônicas podem ser de: livros, artigos, anais, páginas


devendo indicar no texto o autor e o título do documento (quando houver
autoria) e a data da publicação.
Na referência desse documento, acrescenta-se a informação do
endereço eletrônico e a data de acesso do documento.
Exemplos :
No texto:
Para Pisandelli (2003), o aprendizado efetivo ocorre quando o aluno
não só aprende, mas também apreende determinado conteúdo, sendo capaz
de reinventá-lo, aplicando-o em situações diversas.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


75

Em referências:
PISANDELLI, Glória M. V. L. Aprendizagem de adultos
adultos.
Disponível em: <http://www.psicopedagogia.com.br/artigos/
artigo.asp?entrID=478>. Acesso em: 15 jan. 2005.

No texto:
O Brasil vem registrando expressiva atração de capitais estrangeiros nos últimos
anos. Enquanto a maior parcela dos recursos entrantes está sendo hospedada nas
carteiras de curto prazo dos bancos, responsáveis pela rolagem dos títulos da dívida
pública interna, uma outra parte tem encontrado abrigo em aplicações nas Bolsas de
Valores, preponderantemente em ações de empresas exportadoras e/ou de companhias
privatizadas (LOURENÇO, 2005).

Em referências:
LOURENÇO, Gilmar Mendes. Um novo proálcool nacional
nacional. Disponível
em: <http://www.fae.edu/intelligentia/opiniao/lerOpiniao.asp?
lngIdArtigo=37833>. Acesso em: 05 mar. 2006.

4.1.8.2 Mensagens de e-mail

No texto:
O comportamento organizacional é o estudo sistemático das ações e
interações das pessoas dentro das organizações (NICKEL, 2006).

Em referências:
NICKEL, Daniele. Comportamento organizacional
organizacional. [mensagem pessoal].
Mensagem recebida por: <marciosilva@uol.com.br> em 12 maio 2006.

4.1.9 Sinais e Convenções utilizados nas Citações

Diferentes sinais e convenções podem ser usados para indicar


características da citação.
a) ‘Aspas simples’
São usadas para indicar citação de palavras ou expressões no interior
das citações diretas, literais, ou textuais, de até três linhas (se já
houver aspas duplas).

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
76

Exemplo:
Segundo Sá (1995, p.27) “por meio da mesma ‘arte de
conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da
nossa existência cotidiana”.

b) Grifo
Para enfatizar trechos da citação, deve-se destacá-los indicando
esta alteração com a expressão grifo nosso entre parênteses, após
a chamada da citação, ou grifo do autor, caso o destaque já faça
parte da obra consultada
“A citação pressupõe que a idéia do autor citado seja compartilhada
compartilhada, a
menos que o trecho seja precedido e seguido de expressões críticas” (ECO,
1996, p.122, grifo nosso).

ou
“[...] desejo de criar uma literatura independente, diversa, de vez que,
aparecendo o classicismo como manifestação de passado colonial [...]”
(CANDIDO, 1993, p.12, grifo do autor).

c) Supressões
Quando houver necessidade de suprimir partes de uma citação, no
início, meio ou final do trecho, usam-se reticências entre colchetes.

Exemplo:
“[...] a técnica é a maneira mais adequada de se vencer etapas indicadas
pelo método. Por isso diz-seque o método equivale à estratégia, enquanto
a técnica equivale à tática [...] (GALLIANO, 1979, p.14).

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


77

4.1.10 Exemplos de transcrição dos elementos

AUTORIA EXEMPLOS

Um autor:
- citar o sobrenome do autor seguido do ano de publicação e ... (ANDREOLI, 2005, p.127).
das páginas consultadas. Para Andreoli (2005, p.127) ...

Até 3 autores: ... (STONER; FREEMAN, 1994, p.326).


- citar os respectivos sobrenomes separados por ponto e Para Stoner e Freeman (1994, p.326) ...
vírgula (;) seguido do ano de publicação e das páginas
... (GALLO; MARTINS; SPAROVEK, 2004, p.125).
consultadas.
Para Gallo, Martins e Sparovek (2004, p.125) ...

Mais de 3 autores: Segundo Ceretta et al. (2004, p.48) ...


- indicar o sobrenome do primeiro autor, seguido da ... (CERETTA et al., 2004, p.48).
expressão latina et al., do ano de publicação e da página.

Autor entidade:
a) nome da entidade: a) A TAB. 2 confirma os dados apresentados anteriormente
- citar o nome da entidade por extenso, seguido pelo ano (INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA
de publicação e páginas consultadas; - IBGE, 2005).

b) sigla da entidade: b) A TAB. 2 confirma os dados apresentados anteriormente


- citar a sigla da entidade em letras maiúsculas, seguida do (IBGE, 2005).
ano de publicação e páginas consultadas;
(quando se tratar de documento de entidade conhecida por
sigla, deve-se citar o nome da entidade por extenso
acompanhado da sigla na primeira citação. Nas citações
posteriores usar apenas a sigla.)
c) pela jurisdição: c) De acordo com dados coletados junto ao Ministério da
- quando se trata de órgão do poder público federal, Educação ... (BRASIL, 1992, p. 32).
regional ou municipal.

Autor eventos:
- indicar o nome completo do evento, seguido do ano de No Congresso Brasileiro de Geologia (1990, v.2, p. 7), ...
publicação e da página consultada. ... (CONGRESSO BRASILEIRO DE GEOLOGIA, 1990, v. 2, p.7).

Autores com o mesmo sobrenome:


a) Quando houver coincidência de autores com o mesmo a) FURTADO, C. (1987)
sobrenome e data, acrescentam-se as iniciais de seus FURTADO, M. (1984)
prenomes;
b) Se a coincidência persistir, acrescentam-se os prenomes b) AZEVEDO, Cândido (1986)
por extenso; AZEVEDO, Carlos (1996)
c) As citações de diversos documentos de um mesmo autor, AZEVEDO, Clóvis (1975)
publicados em um mesmo ano são distinguidas pelo c) FURTADO, C. (1978a)
acréscimo de letras minúsculas do alfabeto após a data sem FURTADO, C. (1978b)
espacejamento. FURTADO, C (1978c)

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
78

4.2 SISTEMAS DE CHAMADA PARA A INDICAÇÃO DA FONTE CITADA

A fonte de onde foi retirada a informação deverá ser citada


obrigatoriamente, respeitando-se assim os direitos autorais. As citações podem
ser indicadas pelo sistema autor-data (alfabético) ou pelo sistema numérico.
Qualquer que seja o método utilizado,deve ser seguido consistentemente ao
longo de todo o texto. Para a realização de trabalhos acadêmicos da UNIFAE,
recomenda-se utilizar o sistema autor-data para citações no texto e o sistema
numérico para notas explicativas.

4.2.1 Sistema Autor-data (recomendado)

É o sistema que apresenta a fonte da qual foi extraída a citação no


próprio corpo do texto. É o sistema mais recomendado para apresentação da
fontes citadas no texto.
As entradas de autoria incluídas na sentença devem ser em letras
maiúsculas ou minúsculas, e quando estiverem entre parênteses devem ser
em letras maiúsculas. Neste sistema autor-data, a indicação da fonte deve
apresentar:
a) Autoria da informação citada (sobrenome de cada autor(es)
pessoal(ais) ou pelo nome de cada entidade responsável(ies) até o
primeiro sinal de pontuação;
b) Ano de publicação;
c) Número da página (quando citação direta).
Quando a autoria está inclusa na sentença, o ano de publicação e o
número da página são transcritos entre parênteses. Neste caso, as entradas
de autoria devem ser em letras maiúsculas ou minúsculas.
A UNIFAE Centro Universitário utiliza o sistema autor-data para informar
as fontes consultadas.

4.2.2 Sistema Numérico

Nesse sistema, a fonte da qual foi extraída a citação é indicada em


nota de rodapé, no final do artigo ou do capítulo. Ao optar-se por esse sistema,
a numeração de citações deve ser atribuída somente para as referências. A
utilização desse sistema não dispensa a apresentação da lista de referências
bibliográficas ao final do trabalho.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


79

4.3 NOTAS DE RODAPÉ

As notas de rodapé são utilizadas para acrescentar informações ou


comentários de forma a não interromper a seqüência lógica da leitura e não
sobrecarregar o texto. Localizam-se na margem inferior da mesma página
onde ocorre a indicação de nota.
Devem ser feitas em algarismos arábicos sobrescritos, com numeração
consecutiva e seqüencial para todo o texto. As notas de rodapé podem ser:
notas explicativas e notas de referência

4.3.1 Notas de Referência

As notas de referência são as indicações das obras citadas no texto.


São permitidas, porém, recomenda-se o sistema autor-data para a elaboração
das referências, portanto, para as notas de rodapé será utilizado somente as
notas explicativas.

4.3.2 Notas Explicativas

São comentários ou observações pessoais do autor, para


esclarecimentos ou explicações que não foram incluídas no texto.

Exemplo:

“Entre 1995 e 1998, período em que o real esteve permanentemente


sobrevalorizado, em relação às outras moedas, o Brasil acumulou deficitts comerciais
da ordem de US$ 22 bilhões e deficits na Balança de Transações Correntes1 de mais
de US$ 105 bilhões” (CASTOR, 2005, p.183).

1
A Balança de Transações Correntes (ou Balança em Conta Corrente) é o resultado
da soma algébrica dos saldos da Balança Comercial, da Balança de Serviços e
Rendas e das Tranferências Unilaterais.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
4 Elaboração de Referências
83

5 ELABORAÇÃO DE REFERÊNCIAS

As referências são um conjunto padronizado de elementos descritivos


retirados de um documento e que permitem a identificação de publicações
no todo e em parte (NBR 6023, 2002).
Todo documento utilizado e citado no trabalho deve constar
obrigatoriamente na lista de referências. Aqueles utilizados, porém, não citados,
podem ser apresentados em folha distinta, após as Referências, com a indicação
“Fontes consultadas”.
As regras gerais de apresentação adotadas pela UNIFAE, estão listadas
resumidamente a seguir:
a) a lista de referências deve ser apresentada em ordem alfabética de
autores pessoais, em ordem ascendente;
b) as referências devem ser alinhadas a margem esquerda do texto,
de maneira que se identifiquem individualmente com espaço simples
e separadas uma das outras por espaço simples;
c) a letra deve ser tamanho 12 e tipo da fonte o mesmo utilizado no
texto;
d) a entrada de uma referência é a expressão ou palavra, que tem a
função de encabeçar uma informação bibliográfica determinando
sua localização em índices, catálogos e bibliografias;
e) as formas de entrada de uma referência podem ocorrer por:
- Autores pessoais;
- Compiladores, editores, adaptadores;
- Entidades coletivas, congressos, conferências, simpósios,
seminários e similares;
- Títulos.
f) os elementos essenciais - são as informações indispensáveis à
identificação do documento, deverão constar em todas as
referências, sendo:
- Autor
- Título: subtítulo
- Número da edição
- Local de publicação

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
84

- Editora
- Ano da publicação
- Número de páginas ou volumes
- Algumas notas variam de acordo com o tipo de material: livros,
periódicos, mapas, documentos obtidos por meios eletrônicos,
CD-Roms, etc.

5.1 TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS DE OBRAS COMPLETAS

A transcrição dos elementos de obras completas trata da consulta de


uma obra utilizada no todo.

5.1.1 Autores Pessoais

5.1.1.1 Obras com um autor

SOBRENOME, Prenome. Título


Título: subtítulo. edição. Local: Editora, data.
N° de páginas ou volumes.
A indicação do número da edição somente se faz necessário a partir
da 2.ª edição.
Padronizar a apresentação das referências.
Exemplo:

SILVA, Christian Luiz da. Investimento estrangeiro direto


direto: da dependência à
globalização. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 2005.

Exemplo com prenomes completos:

CASTOR, Belmiro Valverde Jobim. O Brasil não é para amadores


amadores: estado,
governo e burocracia na terra do jeitinho. Curitiba: Travessa dos
Editores, 2004.

Exemplo com prenomes abreviados:


amadores: estado, governo e
CASTOR, B. V. J. O Brasil não é para amadores
burocracia na terra do jeitinho. Curitiba: Travessa dos Editores, 2004.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


85

5.1.1.2 Obras com dois autores

Colocar na ordem que aparecem na página de rosto da obra.


SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME, Prenome. Título Título: subtítulo.
Edição. Local: Editora, data. N° de páginas ou volumes.
Exemplo:

BASTOS, Cleverson; KELLER, Vicente. Aprendendo a aprender


aprender: introdução a
metodologia científica. 18.ed. Petrópolis: Vozes, 2005. 111p.

5.1.1.3 Obras com três autores

Colocar na ordem que aparecem na página de rosto.


SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME,
Prenome. Título
Título: subtítulo. edição. Local: Editora, data. N° de páginas ou volumes.
Exemplo:

BOYNTON, William C.; JOHNSON, Raymond N.; KELL, Walter G.


Auditoria. São Paulo: Atlas, 2002.
Auditoria

5.1.1.4 Obras com mais de três autores

Colocar apenas o primeiro que aparece na página de rosto e a


expressão et al., que significa “e outros”.
SOBRENOME, Prenome et al. Título Título: subtítulo. Edição. Local: Editora,
data. N° de páginas ou volumes.
Exemplo:

SALES, Mione Apolinário et al. Política social, família e juventude


juventude: uma
questão de direitos. São Paulo: Cortez, 2004.
BOOG, Gustavo; BOOG, Magdalena (Coord.). Manual de gestão de
pessoas e equipe
equipe. 3.ed. São Paulo: Gente, 2002. 2v.
PASSADORI, Reinaldo. Desafios de falar em público. In: BOOG, Gustavo;
BOOG, Magdalena (Coord.). Manual de gestão de pessoas e equipes
equipes.
3.ed. São Paulo: Gente, 2002. v2, p.183-194.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
86

5.1.2 Autor Entidade/Instituição

Trabalhos de responsabilidade de entidades (Órgãos governamentais,


empresas, associações tem entrada, de modo geral, pelo próprio nome, por
extenso.
NOME DA ENTIDADE. Título. Edição. Local: Editora, data. N° de
páginas ou volumes.
Exemplo:

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520 10520:


informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio
de Janeiro, 2002.
BRASIL. Ministério da Justiça. Relatório de atividades
atividades. Brasília, DF,
1993. 28p.

Se houver duas, três ou mais entidades responsáveis pela publicação,


seguir as normas de entrada para dois, três ou mais autores.

5.1.3 Autor Evento

Para eventos: seminários, congressos, conferências, simpósios,


encontros, etc. a referencia inicia-se com o nome do evento, seguido do
número do evento, do ano de realização e do local onde o mesmo se realizou:
NOME DO EVENTO, n., ano, cidade de realização. Titulo itulo. Local:
editora data. N° de páginas ou volumes
Exemplo:

SEMINÁRIO DE GESTÃO DE NEGÓCIOS, 2., 2005, Curitiba. Anais …


Curitiba: UniFAE Centro Universitário, 2005.

Dois, três ou mais eventos realizados juntos, tem as mesmas normas


de entradas para dois, três ou mais autores.

5.1.4 Legislação

Considerar como autor o país, estado ou município do qual emana a


legislação.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


87

Exemplos:

BRASIL. Constituição 1998. Constituição da República Federativa do Brasil.


São Paulo: Atlas, 1988. 180p.
BRASIL. Constituição da republica federativa do Brasil; promulgada em 5
de outubro de 1988. Atualizada até a Emenda Constitucional nº 45, de
8.12.2004, acompanhada de novas notas remissivas e dos textos integrais
das Emendas Constitucionais e das Emendas Constitucionais de Revisão.
Nesta edição: Adendo especial com os textos originais dos artigos
alterados. 35.ed., atual. e ampl. São Paulo: Saraiva, 2002. 422p.
(Coleção Saraiva de legislação). ISBN 85-02-05033-8
BRASIL.LLei das sociedades por ações
ações: lei nº 6.404, de 15-12-1976, lei nº
10.303, de 31.10.2001, que altera e acrescenta dispositivos à lei nº
6.404, de 15.12.1976. 30.ed. São Paulo: Atlas, 2003. 731p. ISBN85-
224-3392-5

5.1.5 Autoria Desconhecida

A primeira palavra vem em caixa alta. Não há necessidade do uso de


negrito, quando a entrada é pelo título.
TITULO. Edição. Local: editora, data. N° de páginas ou volumes.
Exemplos:

DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira


do Livro, 1993. 64p.
ARTES do livro. Rio de Janeiro: Centro Cultural do Banco do Brasil, 1995.

5.2 TRANSCRIÇÃO DOS ELEMENTOS DE PARTES DE OBRAS

São capítulos de livros, trabalhos de congresso, textos de coletâneas.


Seguem as mesmas regras de entrada utilizadas para obras no todo, com
destaque da parte referenciada.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
88

5.2.1 Autores Pessoais

5.2.1.1 Parte de obra com um autor

A indicação do número da edição somente deve ocorrer a partir da


segunda edição.
Exemplo:

SANTOS, Fernando Muniz. Globalização econômica, estado e mercado.


In: FONSECA, Ricardo Marcelo. Repensando a teoria do Estado
Estado. Belo
Horizonte: Fórum, 2004. p.239-256.
Quando o autor da parte é o mesmo da obra:
Exemplo

VALLADARES, Angelise. A gestão da produção do conhecimento científico e


tecnológico e o processo de adaptação estratégica em uma organização
pública de pesquisa. In: VALLADARES, Angelise (Coord.). Tecnologias de
gestão em sistemas produtivos
produtivos. Petrópolis: Vozes, 2003. p.189-214.

5.2.1.2 Parte da obra com dois autores

SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME, Prenome. Título da parte.


In: AUTORES do livro. Título da obra
obra. Edição. Local: Editora, data. Página
inicial-final da parte.
Exemplo:
DALMORO, Jeferson; FLEISCHER, David. Eleição proporcional: os
efeitos das coligações e o problema da proporcionalidade. In:
KRAUSE, Silvana; SCHMITT, Rogério. Partidos e coligações eleitorais
no Brasil
Brasil. São Paulo: Editora Unesp, 2005. p. 85-113.

5.2.1.3 Parte da obra com três autores

SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME, Prenome; SOBRENOME,


Prenome. Título da parte. In: AUTORES do livro. Título da obra
obra. Edição. Local:
Editora, data. Página inicial-final da parte.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


89

Exemplo:

TICKY, Noel M.; McGILL, Andrew R.; ST. CLAIR, Lynda. Desenvolvimento de
comunidades metropolitanas de alta tecnologia. In: HESELBEIN, Francês et al.
A comunidade do futuro
futuro. São Paulo: Futura, 2001. cap. 17, p.184-198.

5.2.1.4 Parte da obra com mais de três autores

SOBRENOME, Prenome et al. Título da parte. In: AUTORES do livro.


Título da obra
obra. Edição. Local: Editora, data. Página inicial-final da parte.
Exemplo:

BARCINSKI, Alexandre et al. Estimação da volatividade do retorno das


ações brasileiras: um método alternativo à família Garh. In: LEMGRUBER,
Eduardo F. et al. Gestão de risco e derivativos
derivativos:aplicações no Brasil. São
Paulo: Atlas, 2001, p.162-182.

5.3 TRABALHO APRESENTADO EM EVENTOS

Entrar pelo autor(es) do trabalho. As regras para autores são as mesmas


adotadas para um, dois, ou mais autores, exemplificadas anteriormente.
SOBRENOME, Prenome. Título do trabalho. In: NOME DO EVENTO,
n., data, local. Título do documento... Local: Editora, data. Página inicial-
final da parte.
Exemplo:
SILVA, Christian Luiz da; SAES, Maria Sylvia M. Competitividade e tipos
de estruturas de governança: a avicultura de corte paranaense à luz da
nova economia institucional. In: SEMINÁRIO ITINERANTE SOBRE A
ECONOMIA PARANAENSE, 2., 2004, Toledo (PR). Anais... Curitiba:
Ipardes, 2004. p.1-25.

5.4 TESES, DISSERTAÇÕES E TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

SOBRENOME, Prenome. Título Título: subtítulo. Local, ano. N° de páginas.


Tipo de documento (Tese, dissertação ou Trabalho de Conclusão de Curso)
(Grau e área) – Instituição de Ensino.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
90

Exemplo tese:

LEVEK, Andrea Regina Hopfer Cunha. A responsabilidade sócioambiental e a


sustentabilidade: um estudo sobre as suas interfaces em uma central
sustentabilidade
hidrelétrica de grande porte. 2006. 137p. Tese (Doutorado em Engenharia de
Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2006.

Exemplo dissertação:

FINCK, Nelcy Teresinha Lubi. Competências e habilidades relevantes no


corpo docente
docente: estudo de caso. 2003. 87p. Dissertação (Mestrado em
Engenharia de Produção) – Universidade Federal de Santa Catarina.
Florianópolis, 2003.

Exemplo trabalho de conclusão de curso (pós-graduação):

COSTA, Jennifer Christiane Nasser. Programas sócio


sócio-ambientais
-ambientais de
reaproveitamento de alimentos e reciclagem de resíduos sólidos
sólidos. 2005.
100p. Trabalho de Conclusão de Curso (Especialização em Gestão
Ambiental) – UniFAE Centro Universitário. Curitiba, 2005.

Exemplo trabalho de conclusão de curso (graduação):

MOTTIN JUNIOR, Fabio et al. Consultoria em gestão de estoque da


empresa Faurecia Automotive. 2005. 56p. Trabalho de Conclusão de
Curso (Graduação em Administração, Ciências Econômicas e Ciências
Contábeis) – UniFAE Centro Universitário. Curitiba, 2005.

5.5 PERIÓDICOS

A publicação periódica é constituída por fascículos, números ou partes,


editados em intervalos pré-fixados, por tempo indeterminado, recebendo a
colaboração de várias pessoas, sob a direção de uma ou várias pessoas,
tratando de assuntos diversos, segundo um plano definido (CRUZ; PEROTA;
MENDES. 2002, p.27).

5.5.1 Artigos de Periódicos

As regras para entradas são as mesmas utilizadas para livros, quanto


a autores, entidades e eventos.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


91

AUTOR(es). Título do artigo. Título do periódico


periódico, local de publicação,
Número do volume, número do fascículo, paginação inicial e final do artigo,
mês e ano de publicação.
Exemplo:

SOUZA-LIMA, José Edmilson de. Conexões ocultas entre ação empresarial


e ação sindical no mundo e no Brasil. Revista da FFAE
AE
AE, Curitiba, v.8, n.2,
p.19-28, jul./dez. 2005.
PONCHIROLLI, Osmar; FIALHO, Francisco Antonio P. Gestão estratégica
do conhecimento como parte da estratégia empresarial. Revista da FFAE
AE
AE,
Curitiba, v.8, n.1, p.127-138, jan./jun. 2005.

5.5.2 Artigo de jornal

AUTOR(es) (se houver). Título do artigo. Título do jornal


jornal, local de
publicação, data de publicação (dia, mês e ano), seção (se houver), caderno
(se houver) ou parte do jornal (se houver) e a paginação correspondente.
Exemplo:

LOURENÇO, Gilmar Mendes. Quem é o culpado pelo PIB negativo.


Gazeta do PPovo
ovo
ovo, Curitiba, 06 dez. 2005, p. 10.

FROUFE, Célia: ASSIS, Francisco Carlos de. Queda do PIB eleva relação
com a dívida pública. Folha de SS.. PPaulo
aulo
aulo, São Paulo, 06 dez. 2005.
Economia, p.2.

5.6 DOCUMENTOS OBTIDOS ELETRONICAMENTE

A referencia bibliográfica de um documento eletrônico segue os


mesmos padrões utilizados para material impresso, acrescentando-se as
informações relativas a descrição física do meio eletrônico, tais como:
Disponível em: <http.//www. endereço>. Acesso em: dia mês
abreviado ano. Pode-se colocar a hora, minutos e segundos.
Endereço da Web. de E-mail, e outras informações que se fizerem
necessárias para a identificação do material.
Cd-Rom

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
92

5.6.1 Exemplos de material disponíveis na WEB

Exemplos:

CARON, Antoninho. Inovação tecnológica em pequenas e médias


empresas. Curitiba: UniFAE Centro Universitário, 2004. Disponível em:
<http://www.fae.edu/publicacoes/pdf/revista_da_fae/fae_v8_n1/
rev_fae_v8_n1_06_prof_caron.pdf>. Acesso em: 19 mar. 2006.
O BRASIL ainda faz muito zigue-zague no caminho para o
desenvolvimento. Disponível em:<www.tudoparana.globl.com.br>. Acesso
em: 25 maio 2004.
PLASTICULTURA salva lavouras do frio. Gazeta do PPovo,
ovo, Curitiba, 6 ago.
2000. Seção Economia. Disponível em:<www.gazetadopovo. com.br/
jornal/economia/index.html>. Acesso em: 6 ago. 2000.
NICKEL, Daniele. Comportamento organizacional
organizacional. [mensagem pessoal].
Mensagem recebida por: <marciosilva@uol.com.br>. Acesso em:
12 maio 2006.
ALVES, Castro. Navio negreiro
negreiro. [S.l.] Virtual Books, 2000. Disponível em:
<http: //www.terra.com.Br/vitualbooks/freebook/por/Lpor2/
navionegreiro.htm>. Acesso em: 21maio 2005, 16:30:30.
SÃO PAULO (Estado). Secretaria do Meio Ambiente, Tratados e
organizações ambientais em matéria de meio ambiente. In: _____.
Entendendo o meio ambiente
ambiente. São Paulo, 1999. v.1. Disponível
em:<http://www.bdt.org.br/sma/ententendo/atual.htm>. Acesso em:
08 dez. 2003.
SILVA, M. M. L. Crimes da era digital. Net
Net. Rio de Janeiro, nov. 1998.
Seção Ponto de Vista. Disponível em:< http://www.brazilnet.com.br/
contexts/brasilrevistas.htm>. Acesso em: 28 nov. 1998.
SILVA, Ives Gandra da. Pena de morte para o nascituro. O Estado de São
Paulo
aulo, São Paulo, 19 set. 1998. Disponível em: <http://www.
providafamilia.org/pena_morte_nascituro.htm>. Acesso em: 19 set. 1998.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


93

5.6.2 CD-Rom

SOUZA, Mário Romero Pellegrini. Fatores determinantes do


crescimento das regiões: um processo de mensuração. In: SEMINÁRIO DE
GESTÃO DE NEGÓCIOS, 2., 2005, Curitiba. Anais... Curitiba: UniFAE Centro
Universitário, 2005.1 CD-ROM.
Enciclopédia e dicionário
KOOGAN, André; HOUAISS, Antonio (Ed.).Enciclopédia
digital 98
98. Direção geral de André Koogan Breikman. São Paulo: Delta, 1998.
5 CD-Rom.

5.6.3 Edição

Se houver indicação da edição, esta deve ser transcrita, utilizando-se


abreviaturas dos numerais ordinais e da palavra edição, ambas na forma
adotada, na língua do documento.
Exemplo:
Livros em português: 2.ed.; 5.ed.
Livros em inglês: 2nd. ed.; 3rd. ed.; 5th. ed.
Livros em alemão: 3. Aufl.; 54. Aufl.
Livros em francês: 2éme. èd., 4.éme. èd.

5.6.4 Local de Publicação

O nome do local deve figurar como aparece na obra.


Ex.: São Paulo, Curitiba, New York, London, etc.

Para cidades homônimas, acrescentar a sigla do estado.


Ex.: Viçosa, AL; Viçosa, MG; Viçosa, RJ

Quando houver mais de um local para uma só editora, indica-se o


primeiro ou o mais destacado.
Ex.: São Paulo: Makron Books do Brasil.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
94

No livro São Paulo - Rio de Janeiro - Lisboa - Bogotá - Buenos Aires etc.
Quando a cidade não aparecer no documento, mais puder ser
identificada. Colocar entre colchetes.
Ex.: [São Paulo] SDF Editores
Se o local não puder ser determinado, utilizar entre colchetes [S.l.]

5.6.5 Editora

Os nomes das editoras devem ser indicados como figuram nos


documentos. Os prenomes devem ser abreviados e as palavras que indicam
natureza jurídica ou comercial, devem ser suprimidas, desde que sejam
dispensáveis para identificação.
• Editora Atlas - colocar Atlas
• Livraria José Olympio Editora - colocar J. Olympio
• Livraria Francisco Alves - Colocar F. Alves
• Editora do Brasil - colocar Editora do Brasil (para não ser confundido
com local)
Duas editoras e dois locais:
Primeiro local: Primeira editora; segundo local: Segunda editora
Petrópolis: Vozes; Bragança Paulista: EDUSF

Quando não se identificar a editora, coloca-se entre colchetes a


abreviatura [s.n.] de sine nome.
Quando não se identificar nem o local, nem a editora, coloca-se
[S.l. s.n.]
Quando a editora é a mesma da entidade responsável pela edição
não é necessário repeti-la como editora.
UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Catálogo de graduação,
1996-1997. Viçosa, MG, 1995.
1996-1997

5.6.6 Data de Publicação

A data de publicação deve ser sempre em números arábicos.A data é


elemento essencial e sempre deve constar da referência. Na falta desta, pode
ser também da distribuição, do copyright, da impressão, da apresentação de
trabalhos acadêmicos.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


95

Caso não se consiga nenhuma data, registra-se a data aproximada


entre colchetes, conforme exemplo:

[1987 ou 1988] Um ou outro

[2004] Data certa

[1940 e 1950] Usar sempre intervalos menores de 20 anos

[ca 2000] Data aproximada

[199-] Década certa

[199?] Década provável

[19--] Século certo

[19--?] Século provável

5.6.7 Datas em Periódicos

Os meses devem ser indicados de forma abreviada, no idioma original


da publicação. Se a publicação indicar em lugar dos meses, as estações do
ano, transcreve-se como aparecem no texto.
Ex.: v.24, n.2, primavera 1998.
v.2, n.1, Winter 2004.

Se as indicações forem apenas as divisões em trimestres, semestres,


devem ser abreviadas.
Ex.: v.3, n.3, 3. trim. 2003.
v.1, n.2, 2. sem. 1999.

5.6.8 Descrição Física

a) paginação: registram-se as páginas, folhas ou colunas respeitando


a forma encontrada.
Ex.: vii, 235p.
205, xxx p.
Se a obra tiver um só volume, colocam-se o nº total de paginas.
Ex.: 66p.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
96

Se tiver mais de um volume, coloca-se o nº total de volumes.


Ex.: 4v.
Parte de obra, colocar a pagina inicial e final da parte.
Para paginação irregular ou falta de paginação, indica-se essas
características.
Ex.: Paginação irregular.
Não paginado;

b) Ilustrações
Ilustrações: podem ser indicadas as ilustrações de qualquer natureza
pela abreviatura: il.
il. color. (para ilustrações coloridas)

c) Dimensões: pode-se indicar a altura do documento e a largura em


centímetros se forem de formatos excepcionais.

5.6.9 Séries e Coleções

Colocada após as indicações de paginação, ilustração e tamanho da


obra. Deve ser entre parênteses, separados por v.(volume) ou n. (número)
quando houver, sempre em algarismos arábicos.
Exemplo:
(Documentos brasileiros, v. 43)
(Texto para discussão, n.31)
(Biblioteca luso-brasileira. Série brasileira)

5.6.10 Notas Complementares

São colocadas no final da referência, sem destaque tipográfico, sempre


que seja necessária a identificação da obra.
Ex.: Mimeografado.
Trabalho apresentado no 1º Congresso Brasileiro de Administração
Para obras traduzidas indicar o título da tradução. Tradução de:
Competitive Advantage.

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


97

Separatas
Devem ser transcritas como figuram na publicação.
Bibliografia: p.511-523
ISBN 85-7164-411-2

5.7 APRESENTAÇÃO DAS REFERÊNCIAS

As referências são alinhadas pela margem esquerda. espaço simples


e separadas entre si por espaço duplo.
Quando aparecem em notas de rodapé, serão alinhadas a partir da
segunda linha da mesma referência, abaixo da primeira letra da primeira
palavra, de forma a destacar o expoente e sem espaço entre elas.
A pontuação segue padrões internacionais e deve ser uniforme em
todas as referências. As abreviaturas devem seguir normas da ABNT. Se optar
pelo uso de elementos complementares, os mesmos deverão ser colocados
em todas as referências da lista.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
98

REFERÊNCIAS

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023 6023: informação e


documentação: referencias, elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 24p.
_____. NBR 6024
6024: informação e documentação: numeração progressiva das
seções de um documento escrito: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 3p.
_____. NBR 6027
6027: informação e documentação: sumário: apresentação. Rio
de Janeiro, 2003. 2p.
_____. NBR 6028
6028: informação e documentação: apresentação. Rio de Janeiro,
2003. 2p.
_____. NBR 6034
6034: preparação de índices de publicação: procedimentos. Rio
de Janeiro, 1989. 4p.
_____. NBR 10520
10520: informação e documentação: citações em documentos:
apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 7p.
_____. NBR 12225
12225: título de lombada: procedimentos. Rio de Janeiro, 1992. 6p.
_____. NBR 14724
14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos:
apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 9p.
BEUREN, Ilse Maria (Org.). Como elaborar trabalhos monográficos em
contabilidade: teoria e prática. São Paulo: Atlas, 2003. 189p.
contabilidade
BOCCHI, João Ildebrando et al. Monografia para economia
economia. São Paulo:
Saraiva, 2004.
BORBA, CRUZ, Anamaria da Costa; PEROTA, Maria Luiza Loures Rocha;
MENDES, Maria Tereza Reis. Elaboração de referências (NBR 6023/2002).
2.ed. Rio de Janeiro: Interciência; Niterói: Intertexto, 2002. 89p.
CRUZ, Anamaria da Costa; CURTY, Marlene Gonçalves: MENDES, Maria
Tereza Reis. Publicações periódicas científicas impressas (NBR 6021 e 6022),
Niterói: Intertexto; São Paulo: Xamã, 2003. 95p.
CRUZ, Anamaria da Costa; MENDES, Maria Tereza Reis. Trabalhos
acadêmicos, dissertações e teses
teses: estrutura e apresentação (NBR 14724/
2002). 2.ed. Niterói: Intertexto, 2004. 134p.
FERREIRA, Maria Cristina. Normas para apresentação de trabalhos
acadêmicos. Curitiba: Fae Business School, 2003. 87p.
acadêmicos
FRANÇA, Júnia Lessa. Manual para normalização de publicações técnico
técnico--
científicas. 6.ed. ver. e ampl. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2003. 230p.
científicas

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


99

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Escola de Administração de Empresas de São


Paulo. Biblioteca Karl A. Boedecker. Normas para apresentação de
monografia
monografia. 4.ed. São Paulo, 2005. 97p.
IBGE. Normas de apresentação tabular
tabular. 3.ed. Rio de Janeiro, 1993.
LEITE, Eduardo de Oliveira. A monografia jurídica
jurídica. 6.ed. rev., atual., e ampl.
São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003. 574p.
MANDU, Eliane Maria Dolata. Normas para apresentação de documentos
científicos - gráficos. Curitiba: Ed. da UFPR, 2000.
MARTINS, Rosana Maria; CAMPOS, Valéria Cristina. Guia prático para
pesquisa científica
científica. 2.ed. rev. ampl. Rondonópolis: Unir, 2004. 108 p.
MARTINS, Rosilda Baron. Metodologia científica
científica: como tornar mais agradável
a elaboração de trabalhos acadêmicos. Curitiba: Juruá, 2004. 278p.
MENDES, Maria Tereza Reis; CRUZ, Anamaria da Costa; CURTY, Marlene
Gonçalves. Citações
Citações: quando onde e como usar (NBR 10520/2002) Niterói:
Intertexto, 2005. 63p.
PARANÁ. Secretaria do Planejamento e Coordenação Geral. Normas para
apresentação gráfica de dados
dados: tabelas. Curitiba: IPARDES, 1995. 52p.
SÁ, Elisabeth Schneider et al. Manual de normalização de trabalhos técnicos
científicos e culturais
culturais. Petrópolis: Vozes, 1994. 182 p.
SANTOS, Gildenir Carolino; PASSOS, Rosemary. Manual de organização de
referências e citações bibliográficas para documentos impressos e
eletrônicos
eletrônicos. Campinas: Autores Associados: UNICAMP, 2000. 92p.
SERRA NEGRA, Carlos Alberto; SERRA NEGRA, Elizabete Marinho. Manual de
trabalhos monográficos de graduação, especialização, mestrado e
doutorado. São Paulo: Atlas, 2003. 224 p.
SILVA, Antonio Carlos Ribeiro. Metodologia da pesquisa aplicada à
contabilidade: orientações de estudos, projetos, artigos, relatórios,
contabilidade
monografias, dissertações, teses. São Paulo: Atlas, 2003. 181p.
SILVA, Edna Lúcia da; MENEZES, Estera Muszkat. Metodologia da pesquisa e
elaboração de dissertação
dissertação. Florianópolis: Laboratório de Ensino a Distância da
UFSC, 2000. 118p.
SOARES, Edvaldo. Metodologia científica
científica: lógica, epistemologia e normas.
São Paulo: Atlas, 2003. 138p.
TAFNER, Malcon Anderson; TAFNER, José; FISCHER, Julianne. Metodologia do
trabalho acadêmico
acadêmico. Curitiba: Juruá, 2004. 171p.
UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ. Sistema de Biblioteca. Normas para
apresentação de documentos científicos
científicos. Curitiba, 2000. 8v.

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
101

ANEXO - EXEMPL
ANEXO O DE GRÁFICOS EST
EXEMPLO ATÍSTICOS
ESTATÍSTICOS,, FIGURA E MAPA
MAPA

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
103

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
104

Se não for incluída no gráfico a escala completa de valores, o fato


deve ser evidenciado por um corte indicado por um sinal convencional que
advertirá o leitor de que a escala está interrompida. De qualquer forma, a
origem (ponto 0,0) deve ser explicitada (MANDU, 2000, p.7).
Os sinais convencionais utilizados para indicar corte na escala são:

As escalas devem ser colocadas da esquerda para a direita e de baixo


para cima e a designação numérica deve ser colocada no lado externo dos
eixos. Os números devem figurar na posição normal (horizontalmente).

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


105

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
106

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


107

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
108

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


109

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
110

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


111

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES
112

Núcleo de Pesquisa Acadêmica - NPA


113

TRABALHOS ACADÊMICOS
NORMAS E ORIENTAÇÕES