MANUFATURA PRODUTIVA TOTAL

TPM é um sistema de gestão abrangente, que transforma os modelos tradicionais de administração e busca a eliminação contínua das perdas, obtendo assim a evolução permanente da estrutura empresarial, pelo constante aperfeiçoamento das pessoas, dos meios de produção e da qualidade dos produtos e serviços. Vem do inglês “total Productive Management” ou, em português, Manufatura produtiva total
2

3 . A TPM é um modelo de gestão que busca a Eficiência máxima do sistema produtivo através da eliminação de perdas e do desenvolvimento do homem e sua relação com o equipamento.

no século passado. utilizando o mínimo de estoque.De onde vem o TPM ?  A TPM surgiu no Japão. tanto de matérias primas quanto produto acabado. empresas como como a Toyota já estavam tentando criar sistema de fornecimento “just in time” . Naquela época. no início da década de 70. 4 .

O Principal Foco Do Sistema É a Eliminação Das Grandes Perdas        Quebras e falhas Controle de mudanças de linha ( set up ) Pequenas paradas Defeitos de qualidade Operação em baixa velocidade Operação em vazio Perdas administrativas 5 .

Objetivos      Zero defeitos Zero acidentes Zero quebras/falhas Inexistencia de Retrabalho ou ajustes Ambiente de trabalho com segurança e conforto 6 .

Cinco Pontos Chaves do TPM     1.Envolve toda a força de trabalho da empresa 4.Abrange todos os setores e atividades  7 .Controle Total das Perdas 2.Trabalho em equipe 5.Cultura Prevencionista 3.

Efeitos Do TPM  Os efeitos do TPM podem ser medidos pelos indicadores de: P Produção Q Qualidade C Custo E Entrega S Segurança M Moral 8       .

Os oito Pilares da TPM 9 .

com o propósito de torná-los aptos a promover no seu ambiente de trabalho mudanças que garantam altos níveis de produtividade 10 . É o processo de capacitação dos operadores.

 Eliminação das fontes de sujeira e locais de difícil acesso. 4º passo.  Elaboração de normas provisórias de limpeza.  Inspeção geral. 7º passo. inspeção e lubrificação.  Limpeza Inicial.  Padronização. 6º passo. 3º passo.  Inspeção autônoma.  Gerenciamento autônomo. 2º passo.Sete Passos para Manutenção Autônoma 1º passo. 5º passo. 11 .

 A Manutenção Planejada desenvolve os mantenedores de forma que os mesmos possam estabelecer um sistema de manutenção mais efetivo e. possam eliminar as perdas relativas às quebras e falhas. 12 . juntamente com o pessoal da operação. falhas de operação. produtos defeituosos e chokoteis (pequenas paradas). retrabalhos de manutenção.

Sete Etapas para Manutenção Planejada 1º passo  Análise da diferença entre Condições Básicas e condição atual  2º Passo  Melhoria dos métodos de manutenção atuais 3º Passo  Preparação dos padrões de manutenção 4º Passo  Medidas para estender a vida útil e controlar as inconveniências 5º Passo  Melhoria da eficiência da inspeção e diagnóstico 6º Passo  Diagnóstico geral dos equipamentos 7º Passo  Uso do equipamento até o seu limite 13 .

obtendo. 14 . O pilar Melhorias Específicas tem como objetivo a eliminação das perdas existentes no sistema produtivo. assim a melhoria sa eficiência da produção.

Sete Grandes Perdas 15 .

Passo 6 Promoção da Produção sem Interferência Humana no período noturno. 16 - - .Seis Passos para Melhorias Específicas Passo 1 .Melhoria da Eficiência Global dos Equipamentos (OEE). Passo 2 . Passo 4 Promoção da Produção sem Interferência Humana (MTBT > 1h). Passo 3 Melhoria da produtividade do Trabalho Humano.Redução das sete maiores perdas que impedem a eficiência dos equipamentos. Passo 5 Promoção da redução de custos.

tornando-as aptas para o pleno desempenho de suas atividades e responsabilidades. O objetivo do pilar Educação & Treinamento é promover um sistema de capacitação de todas as pessoas. 17 . dentro um clima transparente e motivador.

3º passo  Elaboração do plano de Educação & Treinamento para Operadores e Mantenedores. 2º passo  Avaliação da situação atual e determinação dos "gaps" (desvios) existentes. 4º passo  Implantação do plano de Educação & Treinamento.Sete Etapas para Educação e Treinamento 1º passo  Determinação do perfil ideal dos Operadores e Mantenedores. 18 . 5º passo  Estabelecimento de um sistema de avaliação do aprendizado. 7º passo  Avaliação das atividades e estudo de métodos para atividades futuras. 6º passo  Criação de um ambiente de auto-desenvolvimento.

19 .

20 . quando ao seu final o equipamento é entregue ao departamento de produção para operação plena. comissionamento.O Que É Fase Inicial  Segundo a abordagem terotecnológica. podemos dividir o ciclo de vida dos equipamentos em algumas fases: especificação. projeto. instalação. Podemos entender como fase inicial o intervalo de tempo que compreende desde a fase de especificação até a fase de comissionamento ou partida. operação e substituição. fabricação.

Quatro Etapas para Fase Inicial 1ª Etapa  Análise da situação atual 2ª Etapa  Estabelecimento do sistema de gerenciamento da fase inicial 3ª Etapa  Aprimoramento e treinamento sobre o novo sistema estabelecido 4ª Etapa  Aplicação efetiva do novo sistema de gerenciamento da fase inicial 21 .

A partir desse momento. logo após o estabelecimento das condições básicas e operacionais dos equipamentos. como reflexo das melhorias feitas nos equipamentos. 22 . chagando em um determinado limite.  A redução dos defeitos ocorre naturalmente. o desenvolvimento das atividades do pilar manutenção da qualidade se torna necessário para dar continuidade à redução dos defeitos. à medida que este vai tendo suas condições básicas e operacionais estabelecidas.

Sete Etapas Do Looping Infinito Da Qualidade 1ª Etapa  Levantamento da Situação Atual da Qualidade 2ª Etapa  Restauração da Deterioração 3ª etapa  Análise da Causas 4ª etapa  Eliminação da Causas 5ª etapa  Estabelecimento das Condições Livres de Defeitos 6ª etapa  Controle das Condições Livres de Defeitos 7ª etapa  Melhoria das Condições Livres de Defeitos 23 .

Looping Infinito Da Qualidade 24 .

Doença Ocupacional Zero e Danos Ambientais Zero 25 . Saúde e MeioAmbiente) é o responsável pelo estabelecimento do sistema de gestão que proporcione à empresa a oportunidade de atingir Acidente Zero.(Segurança. O pilar SHE .

26 . 5º Passo  Inspeções de Segurança.Sete Etapas para Segurança . 2º Passo  Eliminação de Perigos e Aspectos. Saúde e Meio-ambiente 1º Passo  Identificação de Perigos. Saúde e Meio-ambiente. 4º Passo  Treinamento em Segurança. Aspectos. 6º Passo  Padronização. Impactos e Riscos. 3º Passo  Estabelecimento do sistema de controle de Impactos e Riscos (Implementação das ações 4T). 7º Passo  Gestão Autônoma.

Times de Melhorias   Forma de Atuação Os times atuam de forma integrada ao desenvolvimento do programa TPM. As atividades são desenvolvidas dentro do ciclo de melhoria do programa TPM. Iniciam suas atividades pelo Check. onde identificam as maiores perdas e analisam o potencial de ganho com redução das mesmas 27 . o ciclo CAP-Do.

através das melhorias que desenvolvem.Times de Melhorias  As atividades dos Times de Melhorias proporcionam às empresas reduções de desperdícios e lucros consideráveis. Não é difícil encontrar empresas com times trabalhando. retorno acima de um milhão de dólares por ano. 28 . as melhorias propostas pelos times pagam. Na maioria dos casos. por si só o investimento com o programa TPM. individualmente. cujos resultados proporcionaram.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful