P. 1
nbr 12654

nbr 12654

|Views: 338|Likes:
Published by warribecype
nbr 12654
nbr 12654

More info:

Published by: warribecype on Jan 09, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/21/2014

pdf

text

original

Cópia não autorizada

JUN 1992

NBR 12654

Controle tecnológico de materiais componentes do concreto
ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas
Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003-900 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (21) 210-3122 Fax: (21) 220-1762/220-6436 Endereço eletrônico: www.abnt.org.br

Copyright © 1992, ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Procedimento Origem: Projeto 18:305.01-001/1992 CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados CE-18:305.01 - Comissão de Estudo de Procedimentos para Controle de Qualidade do Concreto NBR 12654 - Concrete - Technological control of materials - Procedure Descriptors: Concrete. Technological control Incorpora Errata de Out 1992 Palavras-chave: Concreto. Controle tecnológico 1 página

Esta Errata nº 2 de MAR 2000 tem por objetivo corrigir na NBR 12654 o seguinte: - Em 4.4.2.2, alínea c): - onde se lê: "NBR 7212" - leia-se: "NBR 7222"

Cimento Portland .: PABX (021) 210 -3122 Telex: (021) 34333 ABNT .Determinação de resíduo insolúvel .Cimentos .Procedure Descriptors: Concrete. óxido de cálcio e óxido de magnésio NBR 5743 .2 Para aplicações especiais de concreto.Método de ensaio NBR 5753 . tais como concreto-massa.Cimento Portland resistente a sulfatos Especificação NBR 5738 .Cimento Portland .01-001/92 CB-18 .Método de ensaio NBR 5744 .Technological control of materials .Determinação de perda ao fogo .Comitê Brasileiro de Cimento.Comissão de Estudo de Procedimentos para Controle de Qualidade do Concreto NBR 12654 .Método de ensaio NBR 5742 . podem ser feitas exigências específicas.Extração e preparação de amostras .Cimentos . óxido de alumínio.Especificação NBR 5735 . concretos leves. ABNT–Associação Brasileira de Normas Técnicas Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados 1 Objetivo 1. Concreto e Agregados CE-18:305. concreto de pavimentação.Concrete .Análise química de cimento Portland Processos de arbitragem para determinação de dióxido de silício.BR Endereço Telegráfico: NORMATÉCNICA Procedimento Origem: Projeto 18:305. Controle tecnológico 6 páginas Copyright © 1992.Determinação de enxofre na forma de sulfeto .Método de ensaio 2 Documentos complementares Na aplicação desta Norma é necessário consultar: NBR 5732 . concretos sujeitos à ação de meios agressivos e outros.01 .Ensaio de compressão de corpos-deprova de concreto cilíndricos NBR 5740 . óxido férrico.Determinação de anidrido sulfúrico .Método de ensaio NBR 5745 .Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro .Cimento Portland .Determinação de óxido de sódio e óxido de potássio por fotometria de chama .Cimento Portland de alto-forno . Treze de Maio.Cimento Portland .Método de ensaio .Especificação NBR 5733 .Moldagem e cura de corpos-de-prova de concreto cilíndricos ou prismáticos . Technological control Incorpora Errata de Out 1992 Palavras-chave: Concreto.Cimento Portland . 13 .RJ Tel.Especificação NBR 5737 . 1.Cópia não autorizada JUN 1992 NBR 12654 Controle tecnológico de materiais componentes do concreto ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av.Cimento Portland de alta resistência inicial .1 Esta Norma fixa as condições exigíveis para realização do controle tecnológico dos materiais componentes do concreto.Método de ensaio NBR 5746 . NBR 5739 .Cimento Portland comum .Método de ensaio NBR 5747 .28º andar CEP 20003 .Especificação NBR 5736 .Método de determinação de atividade pozolânica em cimentos Portland pozolânico .Método de ensaio NBR 5741 .Cimento Portland pozolânico .Análise química de cimento Portland Disposições gerais .

Concreto fresco .Apreciação petrográfica de agregados Procedimento NBR 7809 .Método de ensaio NBR 7223 .Determinação de sais.Método de ensaio NBR 7217 .Determinação da área específica .Método de ensaio NBR 9832 .Método de ensaio NBR 6118 .Determinação do calor de hidratação a partir do calor de dissolução Método de ensaio NBR 9203 .Determinação da resistência à compressão .Verificação da reatividade potencial pelo método químico .Determinação do inchamento de agregado miúdo .Argamassa endurecida para alvenaria estrutural .Agregados .Método de ensaio NBR 9936 .Agregados .Agregados .Método de ensaio NBR 7251 .Agregados .Determinação da massa específica e do teor de ar pelo método gravimétrico .Determinação do teor de materiais pulverulentos .Método de ensaio NBR 9776 .Agregados .Concreto e argamassa .Método de ensaio NBR 7218 .Método de ensaio NBR 7224 .Análise química Método de referência .Agregado .Determinação da umidade superficial em agregados miúdos por meio do frasco de Chapman .Determinação do índice de forma pelo método do paquímetro .Determinação do teor de partículas leves .Agregados .Determinação de impurezas orgânicas húmicas em agregado miúdo .Cimento Portland comum e clínquer Análise química por complexometria .Determinação da absorção e da massa específica de agregado graúdo .Determinação da abrasão “Los Angeles” .Método de ensaio NBR 7220 .Agregados .Determinação da resistência ao esmagamento de agregados graúdos .Método de ensaio NBR 9774 .Determinação da consistência pelo abatimento do tronco de cone .Método de ensaio NBR 7188 .Método de ensaio NBR 7222 .Método de ensaio NBR 8490 .Cimento Portland .Cimento Portland .Reatividade potencial de álcalis em combinação cimento-agregado .Agregado em estado solto .Determinação dos tempos de pega por meio da resistência à penetração .Método de ensaio NBR 8347 .Agregados para concreto .Argamassa e concreto endurecido Determinação da absorção de água por imersão Índice de vazios e massa específica .Método de ensaio NBR 9937 .Método de ensaio NBR 9833 .Método de ensaio NBR 7219 .Determinação da massa específica de agregados miúdos por meio do frasco de Chapman .Método de ensaio NBR 8809 .Método de ensaio NBR 9777 .Determinação do teor de argila em torrões e materiais friáveis .Método de ensaio NBR 7227 .Especificação NBR 7215 .Carga móvel em ponte rodoviária e passarela de pedestre .Agregados .Agregado em estado compactado seco .Método de ensaio NBR 9778 .Agregados .Argamassas e concretos .Método de ensaio NBR 9773 . cimento Portland comum e cimento Portland composto com adições de materiais pozolânicos .Método de ensaio NBR 7221 .Agregados para concreto .Agregados .Ensaio de qualidade de agregado miúdo .Método de ensaio NBR 7810 .Método de ensaio NBR 9775 .Agregado .Determinação da massa unitária .Agregados .Retração por secagem .Projeto e execução de obras de concreto armado .Determinação por microscopia do teor de escória granulada .Cimento Portland e outros materiais em pó .Agregado graúdo .Determinação da absorção de água em agregados miúdos .Agregados .Concreto .Método de ensaio NBR 6467 .Cimento Portland comum (CPE) e cimento Portland de alto-forno (CPAF) .Determinação da massa unitária .Cimento Portland .Procedimento NBR 6465 .Determinação da composição granulométrica .Método de ensaio NBR 9938 .Método de ensaio NBR 9917 .Cópia não autorizada 2 NBR 12654/1992 NBR 5754 .Cimento Portland pozolânico.Agregado .Procedimento NBR 7211 .Método de ensaio NBR 7389 .Determinação da resistência à tração por compressão diametral de corpos-de-prova cilíndricos . cloretos e sulfatos solúveis .Determinação de óxido de cálcio livre pelo etilenoglicol .Método de ensaio .

Especificação NBR 12006 .Concreto . devem ser realizados ensaios de qualificação do cimento Portland em função dos requisitos e da localização da obra.Determinação da finura por meio da peneira 75 µm (nº 200) .2 Por ocasião da qualificação.Determinação da água da pasta de consistência normal .Método de ensaio NBR 11580 . d) expansibilidade a quente: NBR 11582.Cimento Portland .Verificação de desempenho de aditivos para concreto .2. 3.Cimento Portland .Cimento Portland .4 Ao término da obra deve ser elaborado um relatório conclusivo. 4.1.Cimento .1.3 Devem ser realizados em cada amostra os seguin- 3 Condições gerais 3. das condições agressivas existentes no local da obra. tais como: a) maior eficiência.1. deve ser coletada uma amostra de cimento como estabelecido na NBR 5741 e nos capítulos de inspeção das normas relacionadas em 4.Determinação da resistência à tração na flexão em corpos-de-prova prismáticos . contendo todos os resultados obtidos e análises efetuadas.Método de ensaio NBR 11582 . 3. NBR 5735 (CP III). Os ensaios devem ser executados em amostras deste material coletadas conforme a NBR 5741. conforme o seu tipo. b) outras características desejáveis em função das condições ambientais e de execução das obras.Método de ensaio NBR 10908 .2. menor calor de hidratação. CP II-Z e CP II-F).1. c) tempos de início e fim de pega: NBR 11581.1 Antes de ser iniciado o fornecimento. estabelecidas em 4.1.Agregados .Método de ensaio NBR 11583 . emitido pelo responsável pelo controle. conforme o cimento seja entregue.1 Cimento Portland 4. controle e recebimento .5. definida como a relação.Redução de amostra de campo de agregados para ensaio de laboratório . b) área específica (exceto nos cimentos tipos CP III e CP IV): NBR 7224. . Nota: Na escolha dos fornecedores podem ser considerados outros requisitos.NBR 12654/1992 Cópia não autorizada 3 NBR 9941 .Método de ensaio NBR 12317 .Cimento Portland composto . encerrando com um parecer conclusivo da qualidade dos materiais constituintes do concreto.Avaliação da reatividade potencial das rochas carbonáticas com os álcalis do cimento .2. NBR 5737 e NBR 11578 (CP II-E. deve atender aos requisitos das NBR 5732 (CP I e CP I-S).Perda de abatimento .Concreto fresco .Cimento Portland e matérias-primas Determinação de anidrido carbônico (CO2) por gasometria . contêiner ou a granel.1.Procedimento NBR 10340 .ARI).1. 4. 4.Concreto . em uma dada idade. devem possuir qualificação e experiência comprovadas nesta atividade.3 Os responsáveis pela programação e realização do controle tecnológico e o pessoal envolvido na sua execução.Método de ensaio NBR 11581 . Nota: Este relatório deve fazer parte dos documentos de aceitação da obra. a maior resistência química aos agentes agressivos.2 Ensaios de qualificação 4.Procedimento NBR 12655 .Determinação do calor de hidratação pelo método da garrafa de Langavant . entre a resistência à compressão obtida e o consumo de cimento no concreto. em sacos.Método de ensaio NBR 11578 .Preparo.Procedimento ASTM-C 232 .Aditivos para concreto de cimento Portland .Método de ensaio NBR 11768 .Aditivos para argamassa e concreto Ensaios de uniformidade .Método de ensaio NBR 12142 .1 O controle tecnológico deve comprovar que os materiais empregados na elaboração do concreto atendem aos requisitos exigidos nas normas respectivas.Determinação dos tempos de pega .1 a 4. maiores resistências a baixas idades e outras. tais como.075 mm: NBR 11579. NBR 5736 (CP IV). nas condições estabelecidas nesta Norma. 4 Condições específicas O controle tecnológico dos materiais componentes deve obedecer às condições específicas. 4. do conhecimento prévio das características dos materiais disponíveis para a execução das obras e outras condições estabelecidas pelos responsáveis por este controle.Método de ensaio NBR 10342 .Cimento Portland .Standard test methods for bleeding of concrete 3.2 O programa de controle tecnológico deve ser elaborado em função do grau de responsabilidade da estrutura.Especificação NBR 11579 .Determinação da expansibilidade de Le Chatelier . tes ensaios: a) finura da peneira 0.1 Tipos de cimento O cimento Portland. NBR 5733 (CP V .

1. f) óxido de cálcio livre: NBR 7227 e NBR 5742.1.4 Outros ensaios podem ser exigidos para melhor 4.3. 4.1.2. i) indicação dos compostos C3A e C4AF + C2F para o cimento CP V: NBR 9203 e NBR 5740. b) área específica (exceto nos cimentos tipos CP-III e CP-IV): NBR 7224.MgO (exceto cimento CP III): NBR 9203 e NBR 5742. d) resistência à compressão nas idades específicas para o tipo de cimento usado no estudo de dosagem: NBR 7215.1.2 Durante o recebimento. b) determinação da massa unitária em estado solto: NBR 7251.1.2. i) óxido de magnésio .1 Ensaios de qualificação caracterizar o tipo de cimento empregado na obra.1. 4.075 mm: NBR 11479. Nota: Para os requisitos de qualidade não estabelecidos na NBR 7211.2. d) determinação do teor de materais pulverulentos: NBR 7219. k) atividade pozolânica dos cimentos CP IV: NBR 5753. l) teor de pozolana nos cimentos CP IV e CP II-Z: NBR 5744. e) determinação do teor de partículas leves: NBR 9937. para verificar a ocorrência de outros elementos ou para analisar o comportamento do material sob a ação de agentes agressivos. h) trióxido de enxofre . g) calor de hidratação a partir do calor de dissolução: NBR 8809.2 As amostras de agregados devem ser coletadas de acordo com a NBR 7118 e reduzidas para ensaio em laboratório. h) calor de hidratação utilizando a Garrafa de Langavant: NBR 12006. . devem-se utilizar valores consagrados a serem acordados com os fornecedores dos agregados. e) óxido de sódio e de potássio: NBR 5747. conforme o cimento seja entregue em sacos. 4. c) determinação do teor de argila em torrões e materiais friáveis: NBR 7218. devem ser executados. e) determinação da absorção de água: NBR 9777.1 Independentemente da graduação dos agrega- dos.1 Por ocasião do recebimento devem ser coletadas amostras dos lotes ou partidas de cimento como estabelecidas na NBR 5741 e no capítulo de inspeção das normas relacionadas em 4. os seguintes ensaios: a) finura da peneira 0. devem ser realizados os seguintes ensaios para sua qualificação: a) determinação da composição granulométrica: NBR 7217. b) resíduo insolúvel no cimento (CP IV): NBR 8347.1. b) ensaio de qualidade do agregado: NBR 7221.2 Agregados Os agregados a empregar na elaboração do concreto devem atender ao estabelecido na NBR 7211. j) anidrido carbônico . j) teor de escória nos cimentos CP III e CP II-E: NBR 5754. 4. no mínimo. d) determinação da massa específica na condição saturada superfície seca: NBR 9776.3 Devem ainda ser realizados os seguintes ensaios nos agregados miúdos: a) determinação de impurezas orgânicas húmicas: NBR 7220.Cópia não autorizada 4 NBR 12654/1992 e) resistência à compressão nas idades especificadas para cada tipo de cimento: NBR 7215. 4. 4.2. f) perda ao fogo: NBR 5743.1.1. 4. contêiner ou a granel.SO3: NBR 5745. c) tempos de início e fim de pega: NBR 11581.3 Controle de recebimento 4.2. c) índice de consistência da argamassa normal: NBR 11580. segundo a NBR 9941. d) enxofre na forma de sulfato (para o cimento CP III): NBR 5746.3. g) resíduo insolúvel (exceto cimento CP IV): NBR 5744. f) determinação do teor de cloretos e sulfatos solúveis em água: NBR 9917. Estes ensaios são relacionados a seguir: a) expansibilidade a frio: NBR 11582. c) determinação do inchamento: NBR 6467.CO2: NBR 11583.

a coleta de amostras deve ser efetuada com o recipiente aproximadamente 15 cm abaixo do nível da corrente. O frasco deve ser ligado a uma massa e suspensopor um fio até a metade da altura da lâmina de água do poço.1. que deve ser submetida aos seguintes ensaios: a) determinação da composição granulométrica: NBR 7217. de acordo com o local. a critério do responsável pelo controle tecnológico. Nota: Na eventualidade de se notar alguma alteração nas características dos agregados. devem ser realizadas outras amostragens. além dos ensaios prescritos em 4. devem nos agregados graúdos: a) determinação da massa específica na condição saturada . 4. reservatórios ou cisternas.3. ou ainda.2.3. devendo ser evitada contami nação proveniente da mão do operador. o responsável pelo controle tecnológico deve realizar os ensaios descritos em 4.3.2 Coleta de amostras A coleta de amostras deve ser feita.2. durante a sua execução. No caso de não existir bomba.2.2.2. d) determinação do índice de forma pelo método do paquímetro: NBR 7809.3. b) determinação da absorção de água: NBR 9937. b) determinação da reatividade potencial de álcalis em combinação cimento-agregado: NBR 9733. b) em poços.1. c) verificação da reatividade potencial pelo método químico: NBR 9774. e) determinação da abrasão “Los Angeles”: NBR 6465.3. podem ser solicitados alguns dos ensaios ou análises seguintes: a) análise petrográfica: NBR 7389.3. a coleta deve ser rea lizada por meio de um recipiente dotado de um dispositivo que permita abri-lo dentro d’água. amostra.2. 5 L e ser coletada conforme o procedimento descrito em 4.2 Amostragem Quando a natureza mineralógica dos agregados é desconhecida ou há dúvidas quanto à sua durabilidade (tanto em estado natural.4 e 4.2 No caso específico dos agregados miúdos.3. aceitando-se o emprego de rolha de borracha ou cortiça.1.superfície seca: NBR 9937. Se.2. A coleta deve ser iniciada após 3 min a 5 min contados a partir da abertura da torneira.2 que julgar necessários para caracterizá-los.2. b) determinação da umidade superficial: NBR 9775. e) determinação da resistência ao esmagamento (somente para agregados graúdos): NBR 9938. Nota: A natureza mineralógica (ou análise petrográfica) indica quais dos ensaios relacionados de b) a e) são necessários para qualificar cada agregado.2. quando se deseja obter um conhecimento mais profundo sobre estes. c) determinação da massa unitária compactada seca: NBR 7810. Nota: As amostras devem ser coletadas por ocasião da seleção das fontes de abastecimento para a obra. devem ser escolhidos pontos representativos de todo o sistema.1. 4.4 Devem ainda ser realizados os seguintes ensaios 4. quanto nas condições específicas de utilização). durante o recebimento para a produção dos concretos. 4.3 Água 4. o procedimento adotado é o mesmo que o usado no sistema de distribuição no caso de existência de bomba. 4.3 Controle de recebimento 4.1 Em cada lote ou partida deve ser coletada uma A amostra de água deve ter.Cópia não autorizada NBR 12654/1992 5 4.1 e 4.1 Recipiente para amostras O recipiente e os dispositivos destinados à coleta da amostra devem ser previamente limpos e enxaguados várias vezes com a própria água a ser analisada.2. desde que seja envolvida em papel manilha antes de ser colocada no recipiente.3. 4. . 4.2.1 Qualificação das fontes A água destinada ao amassamento e cura do concreto deve atender aos requisitos exigidos na NBR 6118. da seguinte maneira: a) em sistema de distribuição.2 Outros ensaios de qualificação ser realizados. os seguintes ensaios: a) determinação de impurezas orgânicas húmicas: NBR 7220. 4. com sua boca voltada para jusante. d) avaliação da reatividade potencial das rochas carbonáticas com álcalis do cimento: NBR 10340. de acordo com as NBR 7118 e NBR 9941. Devem ser fechados. for observada alteração na qualidade da água.2. pelo menos. b) determinação do teor de argila em torrões e materiais friáveis: NBR 7218. selecionando-se torneiras limpas e sem vazamentos.3. c) em cursos d’água.2.3.2. c) determinação do teor de materiais pulverulentos: NBR 7219. d) determinação do teor de partículas leves: NBR 9936.

4. d) teor de ar incorporado: NBR 9833.2 Para verificação posterior da uniformidade e equi- valência dos lotes durante o fornecimento.4.3. nas dimensões de 100 mm x 100 mm x 285 mm. de acordo com 4.2 No concreto endurecido devem ser realizados os seguintes ensaios: a) massa específica: NBR 9778.4. c) massa específica: NBR 9833. d) teor de cloretos.3 Ensaio para qualificação 4.3.2.2 Deve-se ainda realizar.2. Estes ensaios devem ser realizados na temperatura ambiente do local da obra. d) sólidos dissolvidos. como as suas características físicas e químicas não devem apresentar variações superiores às tolerâncias admitidas nas respectivas normas. g) pH.5 Adições minerais 4. f) sólidos em suspensão. e) sólidos totais.3. pozolânica (materiais pozolânicos naturais ou artificiais que atendem às prescrições da NBR 5736) ou inertes (pigmentos de óxidos metálicos destinados a colorir integralmente o concreto com o objetivo estético). 4. Antes de iniciado o fornecimento.3.5. posteriormente.4. ocasião em que deve ser determinada a variação de comprimento. Para os efeitos desta Norma são consideradas as adições minerais de natureza hidráulica latente (escória básica granulada de alto forno que atende a NBR 5735). devem atender às NBR 10908. conforme a metodologia da NBR 10908: a) pH. tanto a dosagem do aditi- derar a presença de: a) sulfetos. Deve ser verificado o atendimento aos requisitos das normas específicas para cada tipo. os seguintes ensaios comparativos em pasta e argamassa em relação a uma água comprovadamente inócua: a) tempo de início e fim de pega: NBR 11581.2 Condições de utilização As adições minerais somente podem ser incorporadas ao concreto produzido em central e devem ser armazenadas e dosadas de acordo com a NBR 12655. para melhor caracterizar um tipo de aditivo. curados durante 14 dias em câmara úmida e. 14 dias ao ar.1 Qualificação dos fornecedores vo. c) densidade.1 ou 4. b) tempos de pega: NBR 9832.1 Na qualificação das fontes de água. nestes ensaios.4. 4.3.4.4 Controle de recebimento Para o controle de recebimento devem ser retiradas amostras de acordo com as características sazonais da região onde estiver sendo realizada a obra.3 Ensaio de qualificação 4. b) teor de sólidos.Cópia não autorizada 6 NBR 12654/1992 4. Nota: Os corpos-de-prova para o ensaio de variações de comprimento devem ser prismáticos. ou seja. c) resistência à tração por compressão diametral: NBR 7212. 4. . 4.2. e) variações de comprimento: NBR 8490.4.2.1. b) resistência à compressão: NBR 7215. conforme o seu tipo.4.1 Definições A amostragem e ensaios para qualificação de aditivos devem ser feitos conforme as NBR 11768 e NBR 12317.2 Amostragem e ensaios de qualificação 4. 4.3.3.1 No concreto fresco devem ser realizados os se- guintes ensaios: a) consistência: NBR 7223.3. 4. Deve ser ensaiada conforme 4. moldados conforme a NBR 5738. sempre que houver indícios ou suspeitas de alteração na qualidade da água.4 Aditivos Os aditivos. devem ser executados os seguintes ensaios.3. d) resistência à tração na flexão: NBR 12142. 4. b) resistência à compressão axial: NBR 5739.2. As adições minerais somente podem ser usadas em concreto com base nos subsídios decorrentes de estudo experimental prévio.2. b) cloretos. 4.3.5. NBR 11768 e NBR 12317.4.3. c) quantidade de matéria orgânica presente (expressa em oxigênio consumido). e) exsudação: ASTM-C 232.3. com comprimento efetivo de medida de 250 mm. além dos ensaios prescri- tos em 4. concretos e argamassas executadas com os materiais empregados na obra e a dosagem do aditivo indicada pelo fornecedor. pode-se recorrer à determinação da composição química mediante o método de espectrofotometria de infravermelho.3. f) perda de abatimento: NBR 10342. devem ser realizados ensaios de qualificação dos tipos de aditivos empregados na obra. utilizando. deve-se consi- 4. 4.2. Nota: Em casos específicos. adotando o mesmo procedimento de coleta de 4.1 Durante o fornecimento.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->