P. 1
Experiencia de Habilidades Psíquicas no Twitter (Filosofia da Ciência - Carlos SIlva)

Experiencia de Habilidades Psíquicas no Twitter (Filosofia da Ciência - Carlos SIlva)

|Views: 2|Likes:
Published by Carlos Silva
Experiencia de Habilidades Psíquicas no Twitter (Filosofia da Ciência - Carlos SIlva)
Experiencia de Habilidades Psíquicas no Twitter (Filosofia da Ciência - Carlos SIlva)

More info:

Published by: Carlos Silva on Jan 17, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/17/2013

pdf

text

original

Texto 06 – Por Carlos Silva – Dia 03/12/12 Experiência usou site de relacionamentos para testar habilidades psíquicas de seguidores Com

o objetivo de questionar a existência da paranormalidade, um psicólogo britânico coordenou uma experiência que possibilitasse respostas a esse questionamento, utilizando como principal ferramenta de teste o site de relacionamento Twitter. O professor Richard Wiseman, da Universidade de Hertfordshire, pesquisou e encontrou inúmeros voluntários que acreditavam ter poderes paranormais, e pediu que o “seguissem” no Twitter para participar do teste, que durariam quatro dias. Metodologia: A ideia principal era que psicólogo se dirigisse em varias oportunidade a lugares secretos e no mesmo momento enviasse uma mensagem no twitter questionando aos participantes quais as características, ou qualquer tipo de sentimento percebido daquele lugar secreto em que o psicólogo encontrava-se. Na mesma oportunidade, Wiseman através de outros twitter’s fornecia cinco fotos de localizações diferentes a qual poderia se encontrar, onde apenas uma delas era a verdadeira, e pedia aos participantes que por meio de uma votação escolhesse qual era a considerada verdadeira. A imagem mais votada era considerada como a escolhida pelo grupo. Com o teste idealizado e aplicado por Wiseman, acreditava-se que ao final, caso o grupo realmente fosse dotado de habilidades psíquicas, a maioria votaria na imagem correta em cada avaliação. “Na primeira tentativa eu estava olhando para um edifício extremamente moderno, mas a maior parte do grupo (35%) acreditou que eu estava em uma floresta. Em outra tentativa, eu estava sentado embaixo de uma cobertura bastante incomum, mas apenas 15% dos participantes escolheram a locação correta, enquanto 24% (a maior parte) acreditava que eu estava em um cemitério. Isso ocorreu em todas as tentativas”, afirmou Wiseman ao site BBC Brasil Wiseman acreditava que com esse teste chegar-se-ia a conclusões que provassem se realmente o grupo era dotado de habilidades paranormais, que nesse caso seria, especificamente, habilidades além do que as pessoas comuns têm. O site BBC Brasil informou que a experiência atraiu mais de mil participantes, com 38% deles indicando acreditar em fenômenos paranormais e 16% afirmando ter alguma habilidade psíquica.

Nas conclusões da pesquisa, não houve diferenças entre os participantes que se diziam paranormais ou céticos. Uma observação feita nos testes, foi que os que acreditavam em ter habilidades paranormais ao saber qual era a imagem correta, tentavam se convencer de incontáveis formas de alguma relação entre o que eles tinham visualizado e a real localização do psicólogo. Segundo a New Scientist,e publicado pela BBC Brasil, 31% dos participantes acreditavam ter “habilidades” indicando uma correspondência “considerável” entre o que eles “viram” e a locação verdadeira, em comparação com apenas 12% dos céticos. “Este tipo de pensamento criativo pode fazer com que as pessoas vejam relações ilusórias com o mundo real e poderia, por exemplo, ajudá-las a se convencer de que há semelhanças escondidas entre seus sonhos e eventos reais”, afirmou o professor. “Mas talvez, o mais interessante seja mostrar que milhares de pessoas toparam participar de um estudo instantaneamente no Twitter”, disse Wiseman.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->