You are on page 1of 132

Lista 04 Dinâmica 1. (ITA - 1968) Um homem que sabe que seu peso é de 75 kg é encerrado num elevador de um edifício.

O elevador não tem janelas e seu funcionamento é perfeitamente silencioso. Ele sobe numa balança de molas que se encontra dentro do elevador e nota que ela, durante certo período, acusa 85 kg. Desta observação o viajante do elevador pode concluir que o elevador neste período: a) está subindo e o valor de sua velocidade está diminuindo; b) está subindo e o valor de sua velocidade é constante; c) está subindo e o valor de sua velocidade está crescendo; d) está descendo e o valor de sua velocidade é constante; e) pode estar subindo e neste caso o valor de sua velocidade está aumentando ou pode estar descendo e neste caso o valor de sua velocidade esta diminuindo. RespostaE

2. (ITA - 1968) Um cavalo mecânico que reboca uma jamanta esta acelerando numa estrada plana e reta. Nestas condições, a intensidade da força que o cavalo mecânico exerce sobre a jamanta é: a) igual à intensidade da força que a jamanta exerce sobre o cavalo mecânico; b) maior que à intensidade da força que a jamanta exerce sobre o cavalo mecânico; c) igual à intensidade da força que a jamanta exerce sobre a estrada; d) igual à intensidade da força que a estrada exerce sobre a jamanta; e) igual à intensidade da força que a estrada exerce sobre o cavalo mecânico. RespostaA

3. (ITA - 1968) Um carro roda por uma estrada com várias malas no portabagagem, sobre o seu teto. Numa curva fechada para esquerda, uma das malas que estava mal segura, é atirada para a direita do motorista. Um físico parado na beira da estrada explicaria o fato: a) pela força centrífuga; b) pela lei da gravidade; c) pela conservação da energia; d) pelo princípio de inércia; e) pelo princípio de ação e reação. RespostaD

4. (ITA - 1969) Um elevador de massa M sobe com velocidade cada vez menor (desaceleração constante igual a a). Após ter atingido sua posição máxima volta a descer com velocidade cada vez maior (aceleração constante igual a a). Sendo g a aceleração da gravidade local, a tensão no cabo do elevador vale: Na subida a) M (g - a) b) M (g + a) c) M (g - a) d) M (g - a) Na descida M (g + a) M (g - a) M (g - a) M (g + a)

e) Nenhuma das respostas acima RespostaC

5. (ITA - 1969) Um físico acha-se encerrado dentro de uma caixa hermeticamente fechada que é transportada para algum ponto do espaço

cósmico sem que ele saiba. Então, abandonando um objeto dentro da caixa ele percebe que o mesmo cai com movimento acelerado. Baseado em sua observação ele pode afirmar com segurança que: a) estou parado num planeta que exerce força gravitacional sobre os objetos de minha caixa; b) estou caindo sobre um planeta e é por isso que vejo o objeto caindo dentro da caixa c) minha caixa está acelerada no sentido contrário ao do movimento do objeto; d) não tenho elementos para julgar se o objeto cai porque a caixa sobe com o movimento acelerado ou se o objeto cai porque existe um campo gravitacional externo; e) qualquer das afirmações acima que o físico tenha feito está errada. RespostaD

6. (ITA - 1969) Um satélite artificial é lançado em órbita circular equatorial, no mesmo sentido da rotação da Terra de tal modo que o seu período se ja de 24 horas. Assim sendo, um observador situado no equador poderá ver o satélite parado sempre sobre sua cabeça. Referindo-se a um sistema de coordenadas, rigidamente ligado à Terra, esse observador dirá que isso acontece porque: a) sobre o satélite atua uma força centrífuga que equilibra a força da gravidade da Terra; b) existe uma forca tangente à órbita que dá ao satélite um movimento igual ao da Terra e que impede a sua queda; c) a força centrípeta que atua sobre o satélite é igual a força da gravidade; d) em relação ao Sol o satélite também esta parado; e) a essa distância em que o satélite se encontra seu peso é nulo.

num determinado instante t .8m/s2. pode-se afirmar que: a) a aceleração do foguete. necessariamente.8m/s2. e) nenhuma das afirmações anteriores é valida.8m/s2. b) a partícula se encontra em repouso. é nula em relação a um referencial inercial. (ITA . d) um corpo caindo dentro do foguete tem. é necessariamente maior que 9.1970) Com relação a um foguete que está subindo de uma plataforma de lançamento.RespostaC 7. uma aceleração maior que 9. e) nenhuma das afirmações anteriores é correta.1970) A velocidade de uma partícula. em relação à Terra. b) a aceleração do foguete. (ITA . é necessariamente menor que 9. Pode-se afirmar que no instante t : a) a resultante das forças que agem sobre a partícula é necessariamente nula. num local em que a aceleração da gravidade é 9. c) a resultante das forças que agem sobre a partícula pode não ser nula. RespostaC . c) qualquer corpo dentro do foguete tem peso praticamente nulo. d) a resultante das forças que agem sobre a partícula não pode ser nula. RespostaE 8. em relação à Terra. em relação a qualquer referencial inercial. em relação à Terra.8m/s2.

(ITA . RespostaD 10.90 H. podemos afirmar que: a) A quantidade de movimento só é conservada (muito aproximadamente) entre dois instantes imediatamente antes e imediatamente depois da explosão. desprezando a resistência do ar. e) Nenhum dos valores acima é correto. horizontal e rígida. d) A quantidade de movimento se conserva mesmo após terem alguns fragmentos atingido o solo. (ITA . c) A quantidade de movimento é conservada até que um dos fragmentos atinja o solo.82 H. b) 0.1971) Uma bola de golfe é deixada cair de uma altura H sobre uma superfície plana. Com relação a quantidade de movimento da granada e de seus fragmentos.92 H.9. b) A quantidade de movimento é a mesma antes e depois da explosão.10 H. sem as restrições do item a.1972) Uma granada explode enquanto descreve no espaço uma trajetória parabólica. e) A quantidade de movimento só é constante antes da explosão. RespostaA . d) 0. a bola voltará a uma altura aproximadamente igual a: a) 0. Supondo que a colisão com a superfície é perfeitamente elástica e que a força de atrito com o ar é constante em toda a trajetória e igual a 10% da força da gravidade. c) 0.

ela chega à borda do telhado e inicia uma queda livre.250 J e) Nenhuma das respostas acima.s-1. (ITA .82 J c) 2. RespostaB . d) 0. Refletindo na parede ela volta com a mesma velocidade horizontal. c) 0.25 J d) 2.04 kg m.4 kg m. qual é. onde chega horizontalmente com a velocidade de 20 m/s.2. Percorrendo uma distância de 5. e) 10 kg m. RespostaC 12.s-1.1972) Uma bola de tênis.s-1.s-1. Qual será sua energia cinética após ter caído 2.0m com um coeficiente de atrito cinético igual a 0. b) 0.11.82 J b) 1.s-1. (ITA .0 kg m.1973) Uma pedra de massa igual a 50 gramas desliza. Sabendo-se que a força média devida a parede atua sobre a bola durante o impacto é de 40 N. a variação da quantidade de movimento que a bola sofre na vertical devido a acão da gravidade.0 m? (suponha g = 10 m/s2) a) 0. é atirada contra uma parede. de massa igual a 100 g. aproximadamente. a partir do repouso.1 kg m. no intervalo de tempo do impacto? (g = 10 m/s2) a) 4. sobre um telhado inclinado de 300 com a horizontal.

(ITA . Dispomos de uma balança cuja menor leitura é 0. cm-3. cm-3. 69927 g .0 m. (ITA . cm-3.00 cm diâmetro = 2. b) 2. d) 2. RespostaD 15. qual é a distância aproximada da pedra à parede? (Suponha a parede na mesma linha da borda do telhado) a) 0. cm-3.699 g . c) 2.82 m.1975) Queremos determinar a densidade de um material e para isso dispomos de uma amostra em forma cilíndrica.1975) A variação da energia cinética de uma partícula em . e) Nenhuma das respostas acima. a dois metros de queda livre.00 cm a) 2. RespostaD 14.70 g.48 g altura = 1. e) Nenhuma das respostas acima. c) 2.2 m. (ITA . b) 1. 6993 g .13.01g.1973) Na questão anterior.82 m. e de um paquímetro cuja menor divisão é de 0. Os resultados das medidas foram: massa = 8.1 mm. d) 2.

d) II e III são corretas. a menos sinal. b) I e II são corretas.1977) Uma partícula se move sobre uma reta e seu movimento é observado de um referencial inercial. à variação da energia potencial entre esses dois pontos. num dado referencial inercial. quando a força resultante aplicada à partícula for conservativa. (ITA . e) Nenhuma das respostas acima é correta. ao trabalho da resultante das forças aplicadas à partícula para desloca-la entre esses dois pontos. II. RespostaD . à variação da energia potencial entre esses dois pontos. nos instantes t2 e t1 respectivamente: a) irá depender exclusivamente dos valore das forças que agem sbre a partícula nos instantes t1 (inicial) e t2 (final). entre dois pontos distintos P e Q é sempre igual I. c) irá depender exclusivamente do valor médio da força no intervalo de tempo t1 e t2. b) irá depender exclusivamente do impulso da força aplicada a partícula no intervalo t1. c) somente III é correta. RespostaD 16. A diferença V2 – V1 das velocidades desta partícula. t2 . III. e) somente II é correta. a) somente I é correta. d) será igual a a(t2 – t1) onde a é o valor médio da aceleração da partícula no intervalo t1 . t2 e da velocidade inicial.movimento.

(ITA . Nestas condições.5m distante do solo. b) princípio da conservação da energia mecânica. mede 8. o .17. (ITA . (ITA . tem o mesmo valor antes e após o choque).00m de altura. separadamente se conservam. e) Nenhuma das respostas anteriores é verdadeira.1977) Num choque não elástico entre duas partículas de massas iguais: a) As variações das velocidades das duas partículas são de módulos iguais. e) princípio de relatividade: “Todos os referenciais inerciais são equivalentes para a formulação da mecânica newtoniana” RespostaE 19. d) princípio da conservação do momento angular. O ângulo entre a direção do vento e a sua projeção no plano do cartaz é 30. RespostaE 18. b) A soma das energias cinética das duas partículas se conserva. está 1.00m de largura por 3. c) princípio da conservação da quantidade de movimento.6 km/h.1979) Um cartaz de beira de estrada sofre a acão constante de um vento regular que incide abliquamente sobre sua superfície a uma velocidade de 3.00. O cartaz é retangular. d) A soma vetorial das quantidades de movimento das duas partículas.1978) As leis fundamentais da Mecânica Newtoniana são formuladas em relação a um princípio fundamental denominado: a) princípio de inércia. c) A soma dos módulos das quantidades de movimento das partículas se conserva (isto é. assim como a soma das energias cinéticas das mesmas.

0m/s2 e considerando o choque inelástico.0kg acima do topo de uma estaca de massa 30. é igual a 3. move-se sobre uma reta. sujeita a uma força constante de 2.60N.00m.20N.5m e) x = 3. a) x = 1.1982) Um martelo de bate-estacas funciona levantando um corpo de pequenas dimensões e de massa 70. A variação da energia cinética da partícula. Calcular a distância entre A e B . Supondo uma aceleração da gravidade de 10.0m d) x = 2.m b) 15. entre dois A e B.1980) Uma partícula.m c) 46.3 Kg/m3 a) 16N.500m no solo. Quando a altura do corpo acima do topo da estaca é de 2.m d) 94N.0N. junto ao solo é: Dado: densidade do ar 1.0kg.0J.momento (torque) da força que o vento exerce sobre o cartaz com relação ao eixo horizontal que passa pelas bases dos suportes.5m c) x = 2.m RespostaC 20.8N.m e) 5.0m RespostaB 21. (ITA . podemos concluir que a força média de resistência à penetração da estaca é de: .0m b) x = 1. ela afunda de 0. (ITA .

600 MW (megawatt) de potência.8 m/s2) a) 1. que deve escoar em uma hora.50.1 6.96 x 103N.9 0 7. com velocidade vo = 10 m/s. Supondo que não haja absolutamente perdas e que toda a água que cai vai gerar energia elétrica. b) 2.7 x 103N.17 x 107m3 b) 1.96 x 103N.0 x 103N.1983) A Usina de Itaipú. para gerar aquela potência? ( g = 9. quando pronta. (ITA . (ITA . RespostaB 22.0 Kg desliza sobre uam superfície horizontal sem atrito.1983) Um bloco de massa m = 2. vai gerar 12.1 10 RespostaD 23. Pergunta-se: a) Qual é o trabalho (w) realizado pela força de atrito após ter o bloco percorrido 5. em metros cúbicos. sofrendo um desnível de 110m. d) 29.0m com atrito? b) Qual é a velocidade do bloco ao final desses 5.0 m? (g = 10m/s2) a) b) c) d) e) W (J) + 50 . qual deverá ser o volume de água. e) 29.a) 1. c) Não é possível determiná-la se não forem dadas dimensões da estaca. penetrando assim numa região onde existe atrito de coeficiente µ = 0.20 x 104m3 .50 + 100 .50 0 v (m/s) 7.

21 x 107m3 d) 4.1983) Num teste de salvamento. está sobre uma superfície sem atrito.0 kg dispara duas vezes horizontalmente à sua frente.0 kg de massa.3 m/s2.c) 4. um helicóptero levantava veticalmente uma massa de 100 kg através de uma corda. (ITA .6 m/s2. d) 7.19 x 108m3 e) 7. (ITA . Ele tem na mão um revólver cuja massa é de 1. Sua velocidade de recuo após os dois disparos será: a) 2. b) 4.01 x 108m3 RespostaC 24.50 x 10-2 m/s d) 2.1983) Um homem de 79.00 x 10-2 m/s c) 2.0 m/s2 e) 24 m/s2.53 x 10-2 m/s b) 5.0 g e velocidade inicial de 200 m/s. Cada projétil tem massa de 10. RespostaC . A aceleração máxima que esta corda suportará ao içar um homem de 70 kg será: a) 13 m/s2.06 x 10-2 m/s RespostaB 25.0m/s2 a corda se rompeu. Quando a aceleração atingiu 3.50 x 10-1 m/s e) 5. c) 8.

0m de altura.3 x 102 N 16 N 49 N Energia dissipada 2.6 x 102 N 8. (ITA .0 de altura e 300 m de comprimento.3 rad/s 7.00g/cm3 e a aceleração da gravidade é de 9. b) 235 x 105 W.00 m/s.9 x 104 J 2.5 x 105 J 4.53 as condições para que os dois cubos comecem a deslizar simultaneamente são: Distância do centro Distância do centro ao cubo de aço ao cubo de cobre a) b) c) d) e) RespostaE Velocidade angular 37 rad/s 6. A potência mecânica da queda d’água é: a) 2. O cubo que está mais próximo do centro está a uma distância de 10 cm. A massa específica da água é de 1. 00 W. (ITA . Se o coeficiente de atrito aço-aço é de 0.9 N 1.81 m/s2 . .1983) Um cubo de aço e um cubo de cobre com massas de 5g cada estão sobre um disco de aço e alinhados com o centro. (ITA . No final da ladeira a sua velocidade é de 7.5 x 105 J 4.26.3 rad/s 10 10 14 10 14 cm cm cm cm cm 14 14 10 14 10 cm cm cm cm cm 28.74 e o de cobre-aço 0. desce uma ladeira de 30.9 x 103 J 4.2 rad/s 8. A força de atrito e a energia dissipada são: a) b) c) d) e) Força de atrito médio 4.1983) Um automóvel de 900 kg inicialmente em repouso.1985) Uma queda d’água escoa 120m3 de água por minuto e tem 10.9 x 103 J RespostaC 27.6 rad/s 7.

1986) Um automóvel de massa m = 500 kg é acelerado uniformemente a partir do repouso até uma velocidade vo = 40 m . A potência média desenvolvida por este automóvel ao completar estes 10 primeiros segundos será: a) 160 KW b) 80 KW c) 40 KW d) 20 KW e) 3 KW .13 x 103 N. d) 3. (ITA . Adotando o valor g = 10m/s2 para a aceleração da gravidade podemos dizer que o tempo de freamento e a distância percorrida pelo veículo até parar foram estimados pelo autor do folheto em respectivamente: a) 0.96 x 102 W. e) 1.1985) Num folheto de orientação de trânsito afirma-se que numa colisão à 50km/h uma criança de massa 5.33 m c) 7 min e 990 m d) 12600 s e 29700 m e) 10-8s e 10-5 m RespostaB 30.05 s e 0. (ITA . RespostaC 29.0 kg exerce uma força equivalente a 150 kg contra os braços que a seguram. s-1em to = 10 segundos.5 min e 70 m b) 0.c) 196 KW.

Inicialmente eles estão ligados por um barbante. a) quaisquer que sejam as massas totais dos dois carrinhos. e) A velocidade desse ponto é tangencial à trajetória e tem módulo constante. Além disto os carrinhos foram carregados com massas adicionais. d) A velocidade desse ponto tem necessariamente um componente normal à trajetória. e acelerações iguais em módulo.. (ITA . c) desde que B tenha metade da massa total de A.1987) Considere um ponto material em movimento curvilíneo. suportando imãs permanentes. fixos nos carrinhos. Podemos afirmar que: a) Esse movimento é necessariamente plano. c) Esse ponto está submetido à ação de forças. o de A com intensidade o dobro do de B. (ITA . . RespostaC 32.RespostaC 31. b) A aceleração tangencial do ponto é diferente de zero.1968) Temos na figura dois carrinhos A e B sobre uma superfície horizontal. os carrinhos se afastarão com velocidades. Cortada a ligação. visto de um referencial inercial.. b) desde que as massas totais dos dois carrinhos sejam iguais.

Supondo que a energia total da partícula seja constante e igual a E podemos afirmar: a) nos pontos x1 e x2 a energia cinética da partícula é máxima b) a energia cinética da partícula entre x1 e x2é constante c) no ponto x0 a energia cinética da partícula é nula d) nos pontos x1 e x2.00 kg desliza sobre um plano horizontal sem atrito e choca-se com uma mola horizontal de massa . RespostaD O enunciado que segue refere-se às questões ( 34 ) e ( 35 ) 34. e) Somente se as massas totais de A e B forem iguais e se as intensidades dos imãs também forem iguais.1969) Uma partícula P move-se em linha reta em torno do ponto x0.1969) Um bloco de massa m = 4. (ITA . a energia cinética da partícula é nula e) nenhuma das opções é correta.d) desde que B tenha o dobro da massa total de A. RespostaB 33. (ITA . A figura abaixo ilustra a energia potencial da partícula em função da coordenada x do ponto P.

00 x 10-1 N. é 1.00 x 10-2 N.0 segundos a força média (em relação ao tempo).1969) E se o tempo de interação é de 1. (ITA . presa a uma parede vertical.00 x 10-1 N. que atua sobre o bloco será: a) 4.00 N/m. d) 4. c) 2.00 x 10-2 N.00 x 10-1 N. RespostaB .00 cm: a) a velocidade com que o bloco se afasta da mola. RespostaA 35.00 x 10-2m/s b) a energia cinética se conserva durante a interação c) a quantidade de movimento do bloco é a mesma durante a interação d) a energia potencial do bloco é máxima para uma compressão de 1.desprezível. b) 8. e constante elástica k = 1. Se a compressão máxima da mola é de 2. uma vez cessada a interação.00 cm da mola e) nenhuma das afirmações é correta. e) 8.

sem temor de ser atingido violentamente na volta da massa. (ITA . ele o abandonava em seguida. Trazendo o pêndulo para junto de sua cabeça. tem-se que: . e) segunda lei de Newton.1970) Para motivar os alunos a acreditarem nas leis da Física. c) conservação da energia. b) independência do período de oscilação em relação à amplitude. no instante em que a massa m passa pelo ponto mais baixo.1970) Um pêndulo simples é constituído por uma partícula de massa m preso à extremidade de um fio de comprimento L. RespostaC 37. permanecendo imóvel.36. d) independência do período do pêndulo em relação à massa. e chamando de T a tensão no fio. Abandonandose a massa m de uma posição indicada pela figura (a uma altura h acima do ponto mais baixo). um professor costumava fazer a seguinte experiência (ver figura): Um pêndulo de massa razoável (1 Kg ou mais) era preso no teto da sala. Ao fazer isso ele demonstrava confiança na seguinte lei física: a) conservação da quantidade de movimento. (ITA .

RespostaE 38.1970) Dois dinamômetros. c) T < mg. (ITA .a) T = mg. Valem as seguintes relações: a) F = F1 + F2 = 2 F1 b) F = F1 + F2 = 3 F2 c) F = F2 = 2 F1 d) F = F1 = F2 e) F = F1 = 2 F2 RespostaD . estão ligados como mostra a figura. qualquer que seja h. somente no caso em que h > L. A e B. d) T > mg. na extremidade livre do dinamômetro B. se h = L. b) T = mg. Sejam F1 e F2 as leituras nos dinamômetros A e B. e) T > mg. qualquer que seja h. quando se aplica uma força F. respectivamente.

1971) Um corpo de massa m está sobre uma superfície plana horizontal de coeficiente de atrito estático μe. (ITA . balança de braços. . A resposta correta é: a) I.1970) Qual dos seguintes instrumentos . poderia ser utilizado na Lua como balança. sem nova calibração? I. uma vez calibrado na Terra. A segunda lei de Newton (princípio fundamental da dinâmica). balança de mola. submetido a uma força paralela ao plano.39. aplica-se neste caso sob a seguinte forma: a) = b) Fa (força de atrito) = μe N (N= reação normal do plano) c) + + + = . II e III b) nenhum c) I e II d) III e) I e III RespostaE 40. II. menor que a força necessária para movê-lo.balança de Inércia. III. (ITA .

(ITA . b) 0. e) Nenhum dos valores acima é correto. e supondo que a bola continue pulando.82 H. a bola voltará a uma altura aproximadamente igual a: a) 0. após quantos pulos ela atinge aproximadamente a altura máxima de (log 2 a) 4 b) 6 c) 8 d) 10 e) 12 RespostaD 0.10 H. Supondo que a colisão com a superfície é perfeitamente elástica e que a força de atrito com o ar é constante em toda a trajetória e igual a 10% da força da gravidade.301) ? .1971) Uma bola de golfe é deixada cair de uma altura H sobre uma superfície plana. d) 0.90 H.d) F = μe N e) Nenhuma das expressões acima é correta. c) 0.1971) A partir do resultado que você obteve na questão anterior. horizontal e rígida. RespostaD 42. RespostaC 41.92 H. (ITA .

1972) Três forças de direções constantes são aplicadas num ponto material de massa m = 2. vale: a) 0 m/s2 b) c) m/s2 m/s2 . todos iguais entre si. (Os sentidos indicados em (a) são considerados como os sentidos positivos das forças). formando os ângulos da figura (a). o módulo da aceleração do ponto para t = 0.43. c) 2 N. RespostaD 44.0 kg. d) 0 N. No instante t = 4s o módulo da resultante vale: a) 6 N. b) 4 N. (ITA . e) 3 N.1972) Na questão anterior. Essas forças variam linearmente com o tempo na forma indicada no gráfico (b). (ITA .

RespostaC 46. (ITA . A mesa não oferece atrito ao deslocamento das bolas (não há rotação das mesmas). (ITA . e) Nenhuma das afirmações acima é correta.1972) Ainda com relação a questão 43. qual delas deve representar o que ocorre com as bolas após o choque? Os vetores estão em escala. duas delas estão paradas e a terceira dirige-se com velocidade vo = 2.d) 2 m/s2 e) 3 m/s2 RespostaB 45. conforme a figura. b) A aceleração do ponto material nunca se anula.0 m/s para uma colisão com as outras duas. .20 kg estão sobre uma mesa. Da configuração de velocidade abaixo.1972) Três bolas rígidas idênticas. c) A resultante das forças tem direção constante. podemos afirmar: a) A resultante das forças é um vetor constante. d) Para t = 4s a velocidade do ponto material é nula. de massa igual a 0.

a) b) c) d) e) .

38 0.40 1.66 2.38 1. (ITA .1972) No problema anterior. No trajeto de Q a R o bloco encontra uma mola horizontal de constante elástica k = 1. mas de Q a R a superfície oferece um coeficiente de atrito cinético igual a 0. Ta. até que o corpo chegue ao repouso comprimindo a mola.25. Nestas condições. os trabalhos realizados sobre o bloco pelas forças de gravidade. TM). de atrito e da mola (Tg.66 1. a partir do ponto P onde estava em repouso (ver figura).0 kg desce uma rampa. serão aproximadamente: a) b) c) d) e) Tg 60 -60 60 60 60 Ta 30 28 -30 30 -30 TM joules 30 41 26 30 -30 . De P até Q o atrito é nulo.40 2.0 RespostaC 48.0 1. os módulos das velocidades das bolas após o choque são respectivamente: a) b) c) d) e) V1(m/s) 0.0 v2(m/s) 0. (ITA .RespostaD 47.38 0.0 v3(m/s) 0.5 x 105 N/m.0 0.1972) Um bloco de massa m = 3.66 1.40 1.0 1.

pelo gráfico (Roé o comprimento da mola não deformada): .1972) Ainda na questão 48. em função do raio do círculo. d) 1. c) 1.20 m.0 m. c) 4. e) 0. Resposta 51. b) 0. Para diferentes velocidades angulares da partícula (em movimento sempre circular) a energia cinética desta (Ec) pode ser expressa.0 m.1972) Na questão anterior a mola sofre uma compressão de aproximadamente: a) 0. com velocidade angular constante. e) 2.0 cm.40 m. quando a mola lança o bloco de volta. (ITA . d) 2. (ITA . este sobe a rampa a uma altura h’ aproximadamente igual a: a) zero.33 m. RespostaE 50. b) 8 cm. (ITA . girando num círculo horizontal de raio R.RespostaE 49.1972) Uma partícula de massa m está presa a uma mola de constante elástica k.0 cm.0 cm.

a) b) c) d) .

Utiliza-se ao bloco uma força F de 20 N.4 N . a) 20 N b) 24.3 e cinético de 0.25.5 N c) 29. (ITA .1973) Na figura temos um bloco de massa igual a 10 kg sobre uma mesa que apresenta coeficientes de atrito estático de 0. Utilize a lei fundamental da dinâmica (2ª lei de Newton) para assinalar abaixo o valor da força de atrito (Fa) no sistema indicado (g= 9.e) RespostaB 52.8 m/s2). Aplica-se ao bloco uma força F de 20 N.

20 cm e) 0. m(x. qual a diferença entre R’ e R? 54.0 N e) Nenhuma das respostas anteriores.d) 6. RespostaA 53.0 m c) 2. .0 rd/s. (ITA – 1973) Um garoto dispõe de um elástico em cuja extremidade ele prende uma pedra de 10 gramas: Dando um raio R= 1.0 cm d) 0. em que m é a massa em quilogramas. 2).00 m (comprimento de repouso). Considerando-se agora que o novo raio do círculo. 4). 6). tais que: 2(3. x e y as posições em metros. é constante.25 cm RespostaE . 4(4. indique qual dos pontos do gráfico representa o centro de massa do sistema. 2(1. e que a constante elástica do elástico é k = 2.0 x 10-10 a) 2. (ITA – 1973) Dadas 3 partículas e respectivas posições.5 cm b) 2. R’. y). ele faz a pedra girar num círculo horizontal sobre sua cabeça com uma velocidade angular ω = 2.

durante um curto intervalo de tempo Δt ela sofre a ação de uma força impulsiva e o seu movimento. Em certo instante. passa a obedecer o gráfico (2). (ITA – 1973) Uma massa m = 5.0 kg desloca-se ao longo do eixo x em função do tempo conforme o gráfico (1).RespostaB 55. após essa ação. Qual foi o impulso dessa força sobre o corpo? .

m d) 12. incrustando-se nele. se Δt = 1. Qual é a amplitude do movimento que resulta desse impacto? .5 x 102 N e) 12.6 x 104 N/m podendo se deslocar sem atrito sobre a mesa em que se encontra. qual foi o valor médio da força? a) 7. (ITA – 1973) Na figura temos uma massa M= 132g. Atira-se uma bala de massa m = 12 g que encontra o bloco horizontalmente.a) 7.5 N .5 kg m/s RespostaA 56. presa a uma mola de constante k = 1.5 kg m/s b) 26.3 N c) 125 N d) 7.3 kg m/s c) 7. (ITA .1973) Na questão anterior. inicialmente em repouso.5 J e) 12.0 x 10-2s. com uma velocidade vo = 200 m/s.5 N RespostaD 57.5 N b) 26.

(ITA – 1974) Dois blocos são ligados por uma mola de constante elástica k. m = massa. p. Ep = energia potencial. a) F. Q = quantidade de movimento. W. F. ρ = densidade de massa. m. conforme a figura. W = trabalho de uma força. sem atrito. = aceleração angular. Q. d) P. Cessada instantaneamente a força de compressão: . v = velocidade. W. Assinale abaixo a opção que contém três grandezas escalares e três vetoriais. M e) I. Ec = energia cinética. RespostaC 58.0 cm d) 1. Q. Colocados sobre uma mesa. m b) . p I. ρ.I c) F. M = momento de força. RespostaE . Q.a) 25 cm b) 50 cm c) 5. W = trabalho de uma força. (ITA – 1974) Definindo: F = força. Ep.6 m e) Nenhum dos resultados acima. v. W. p. Q. ρ . M. I = impulso de uma força. p = pressão. eles são comprimidos contra uma parede. Ep. 59. M.

e) Não há movimento do sistema. d) O centro de massa do sistema desloca-se com velocidade constante para a direita. Assinale abaixo o gráfico que representa a energia potencial da partícula. com o bloco a sempre em contato com a parede. o gráfico da energia cinética da partícula está dado ao lado. RespostaD 60. enquanto os dois blocos oscilam. c) Os dois blocos oscilam de tal modo que o centro de massa fica parado e o bloco a em cada oscilação tangencia a parede. (ITA – 1974) Num problema de forças conservativas. sendo a linha pontilhada E o valor total da energia mecânica. a) .a) O sistema passa a oscilar. para uma partícula deslocando-se ao longo do eixo x. b) Os dois blocos deslocam-se para a direita com a mesma velocidade constante.

conforme a figura. de massa igual a 90 kg e que são dispostos um em seguida ao outro.) suporta como função do tempo? a) .b) c) d) e) Nenhum dos gráficos é correto. de distância entre eixos igual 2. (ITA – 1975) Um sistema de roletes.0 m. por ex. Os lingotes caminham com velocidade v = 0.20 m/s. Qual dos gráficos abaixo representa aproximadamente o peso que um rolete (R.0 m destina-se ao transporte de lingotes metálicos uniformes de comprimento igual a 4. RespostaC 61.

Após o choque sua nova velocidade ainda tem o mesmo módulo de v1 mas tem direção e sentido diferentes como se vê na figura (vetores em escala).b) c) d) e) RespostaB 62. Qual dos esquemas representa a velocidade inicial e a variaço Δ da velocidade? . (ITA – 1975) Uma bola de futebol com velocidade choca-se elasticamente com uma parede vertical lisa.

a) b) .

Podemos afirmar que: a) m1 v1’ sen b) m1 v1’ cos = m2 v2‘ cos = m2 v2‘ cos 1 1 2 2 c) m1 v1 = m1 v1’ + m2 v2 d) m1 v1’ sen e) N.d. que faz um ângulo . que faz um ângulo dirigida = .a 1 = m2 v2‘ sen 2 .c) d) e) N.d. (ITA – 1975) Uma partícula de massa m1 tem velocidade para outra partícula de massa m2 com velocidade m1 tem velocidade com . Depois do choque 1 e m2 adquire uma velocidade 2 com .a RespostaC 63.

O piso do elevador exerce sobre o bloco uma força . onde g é a aceleração da gravidade local. Pode-se afirmar que: a) o elevador deve estar descendo e F = 81 N b) o elevador deve estar subindo e F = 99 N c) o elevador pode estar subindo ou descendo e F = 81 N . RespostaD 65. o trabalho realizado pelas forças de atrito. Se a velocidade na parte inferior da tigela for 200 cm/s. sendo = 9.9 x 104 erg d) 1.0 kg apoiado no piso de um elevador que se desloca verticalmente com uma aceleração constante = . (ITA – 1975) Um bloco de gelo de 2. foi de aproximadamente.9 x 102 erg c) 5. em módulo: (despreze a variação de massa do gelo) a) zero b) 1.0 m/s2.RespostaD 64.9 x 104 erg e) outro valor.0 g escorrega em uma tigela hemisférica de raio 30 cm desde uma borda até a parte inferior. durante o trajeto. (ITA – 1976) Um bloco de 10.

(ITA – 1976) No sistema esquematizado são desprezíveis: o atrito. o momento de inércia da roldana e a massa do fio que liga as massas m1 e m2.d) o elevador pode estar subindo ou descendo e F = 99 N e) nenhuma dessas afirmações é correta. respectivamente. Resposta 66. Sabe-se que m1> m2 e que a aceleração da gravidade local é . dadas por: a) b) c) d) . A tensão T no fio e a aceleração da massa m1 são.

é igual à variação da energia cinética da partícula: a) somente se for constante. nesse deslocamento.1) b) F = m g (3 – 2cos c) F = m g (1 – 2 cos d) F = 2 m g (1 – cos e) F = m g ) ) ) . a força que a casca exerce sobre a partícula quando esta se encontra no ponto mais baixo de sua trajetória. (ITA – 1976) Uma partícula é deslocada de um ponto A até outro ponto B. (ITA – 1976) Abandona-se. c) seja conservativa ou não.e) Resposta 67. uma partícula de massa m. O trabalho realizado pela força resultante . Supondo que não haja atrito. Resposta 68. no interior de uma casca hemisférica. na posição definida pelo ângulo a (ver figura). é dada por: a) F = m g (2cosa . sob a ação de várias forças. com velocidade inicial nula. d) somente se a trajetória for retilínea. b) somente se for conservativa. e) em nenhum caso.

. dadas por: . em seguida. b) a posição mais baixa atingida pela massa m está a uma distância abaixo de 0. . abandonado da posição 0. c) a posição mais baixa atingida pela massa m está a uma distância abaixo de 0. = = = = e . respectivamente. Prendese nessa extremidade um corpo de massa m que é.Resposta 69. Após o choque as massas m e 2m têm. d) o sistema oscila com um período e) o sistema oscila com um período Resposta 70. (ITA – 1976) Uma esfera de massa m. Nesse caso: a) a posição mais baixa atingida pela massa m está a uma distância abaixo de 0. com velocidade inicial nula. com velocidade colide elasticamente. (ITA – 1976) Uma mola de constante elástica K e massa desprezível esta suspensa verticalmente com a extremidade livre na posição 0. velocidade a) b) c) d) = . A aceleração da gravidade local é g. ===. em colisão frontal. com outra esfera de massa 2m inicialmente em repouso.

0 kg e h = 5. “Um corpo inicialmente em repouso na posição A desce uma rampa cuja parte inferior apresenta uma secção vertical em forma de arco de circunferência de raio R = 90m. (ITA – 1977) A força que a rampa exerce no corpo.2 x 102 N c) F d) F 2. c) menor que o peso do corpo. Na figura o ponto B indica a posição mais alta atingida no lado oposto da rampa.6 x 102 N e) Nenhuma das respostas acima é correta. Considere o caso real em que há atrito e g = 10 m/s-2. e) nenhuma destas afirmações é correta. (ITA – 1977) A força exercida sobre a rampa na posição mais baixa do corpo é: a) independente do coeficiente de atrito.e) nenhuma das relações anteriores.0 x 102 N 1. . A massa do corpo é igual a 20.0 m. na sua posição mais baixa é: a) F 2.2 x 102 N b) F 2.72 e 73. 71. d) maior que o peso do corpo. b) igual ao peso do corpo. Resposta 72. Resposta A situação física descrita na figura é comum às questões 71.

0 x 107 kgf. Resposta 10N) . oposta ao .s-1 b) 5. e) Nenhuma destas afirmações é correta. Resposta 74. (ITA – 1977) Um corpo na água e após alguns segundos atinge uma velocidade praticamente constante (chamada velocidade limite) de 5.a massa do corpo é 8 g. esta potência será muito 75. (ITA – 1977) Num rio cuja vasão é de 5. c) Não depende do coeficiente de atrito.a força exercida pela água sobre o corpo é dissipativa. b) Nunca será maior que 1. Um cálculo simples permite determinar um limite superior da potência de uma central hidroelétrica que poderia ser construída neste rio. .0 m/s. d) Poderá ser muito maior que 1. (ITA – 1977) A relação das alturas h/h': a) Não depende dos ângulos a e b.Resposta 73.7 x 105 HP d) 5.0 x 106 litros por segundo há uma cachoeira de 10m de altura.m c) 3. Sabendo-se que: . Lembrando que 1 hp próxima de: (Dados: densidade da água 1Kg/l.0 x 107 W e) Nenhum dos valores acima é correto.m. 1kgf a) 5.0 x 108 N.

a = 0. Calcule o coeficiente a.50 x 10 N. quando o corpo atinge a velocidade limite a força total sobre o corpo é nula. que será: a) 16 Ns/m b) 1.0 kg. quando as tensões nas molas AB e BC forem respectivamente 1. .75 m/s2.6 x 10-3 kgf/s d) 1. B e C. b) aAB = 1. sem atrito.6 x 10-3 Ns/m e) Nenhum dos valores acima.0 kg. Pode-se afirmar que as acelerações “aAB” (do sistema constituído pelos corpos A e B) e “a” (do sistema constituído pelos três corpos A. a = 0 (nula).0 m/s2.movimento do corpo e proporcional à velocidade do mesmo. Resposta 76.00 x 10 N e 1. B e C) serão dadas por: a) aAB = 1. acham-se apoiados sobre uma superfície horizontal. 6. e são abandonados a partir da posição indicada na figura.5 m/s2. Estes corpos acham-se ligados por intermédio de molas de massas desprezíveis.0 kg e 8. (ITA – 1978) Três corpos A. a = 0.6 x 10-2 kg/s c) 1.81 m/s2. isto é = - . c) aAB = 1. com massas respectivamente iguais a 4.97 m/s2.

quando o primeiro fragmento tocar o solo.81 ms2 e) aAB = 1.M (centro de massa) de sistema atingirá: a) a posição “E” do solo.0 m/s2. é dada por: . que atingirão o solo nos pontos “C” e “D”. no instante em que a mesma abandona o prego. acha-se pendurada em um prego. Na posição “B” ela explode em dois fragmentos iguais. a = 0. c) o ponto “D”. e) nenhuma das afirmações acima é correta. visto que. o sistema estará sujeito a outra força externa. d) um ponto indeterminado.75 m/s2. (ITA – 1978) Uma corda uniforme de massa “M” e comprimento “L”. posição em que o fragmento de maior alcance atingirá o solo. pode-se afirmar que a velocidade “v” da corda.d) aAB = 1. a corda começa a deslizar.97 s2 Resposta 77. conforme a figura abaixo. Desprezando-se os atritos. b) o ponto médio entre “C” e “D” no solo. Resposta 78. conforme figura. (ITA – 1978) Uma bomba é atirada a partir da posição “A”. a = 0. Considere os choques dos fragmentos com o solo perfeitamente inelásticos. Pode-se afirmar que: o C. Devido a uma pequena perturbação.

(ITA – 1978) Um corpo de massa igual a 2.0 kg acha-se em movimento retilíneo. Num certo trecho de sua trajetória faz-se agir sobre ele uma força que tem a mesma direção do movimento e que varia com o tempo. pode-se afirmar que a variação da velocidade “Δv” do corpo será dada se afirmar que a variação da velocidade “Δv” do corpo será dada por: . Neste trecho e nestas condições.a) b) c) d) e) Resposta 79. conforme a figura abaixo.

após a colisão. devido à ação gravitacional. o mesmo colidirá com o outro. mas a energia mecânica não. d) Δv = 2. Para tal sistema.0 m/s. as duas esferas dos pêndulos caminharão aderida uma à outra. na posição indicada.5 m/s. a quantidade de movimento também não se conserva. Resposta 80.0 ms. c) Δv = 8. b) não é possível resolver este problema. pois a energia mecânica não é conservada e. e) Δv = 4.0 m/s.0 m/s. b) Δv = 5. Abandonando-se o da esquerda. . pode-se afirmar que: a) em qualquer instante de tempo a quantidade de movimento é conservada.a) Δv = 2. (ITA – 1978) Consideram-se dois pêndulos simples dispostos conforme a figura ao lado.

c) . . d) . é conservada. A massa “m” do garoto é igual à metade da massa “M” do conjunto barco-escorregador. Supondo que o sistema inicialmente esteja em repouso e desprezando os atritos. Resposta 81. no intervalo de tempo da colisão. e) .c) somente a componente horizontal da quantidade de movimento. a velocidade do barco será dada por: a) . O plano do escorregador forma um ângulo de 30º com o plano horizontal. a partir de uma altura “H” (ver figura). e) nenhuma das afirmações acima é correta. (ITA – 1978) Um garoto pode deslizar sobre um escorregador solidário com um barco. d) tanto a energia mecânica como a quantidade de movimento são conservadas. b) V = 0 (em repouso) . no instante em que o garoto atingir o ponto “A”.

(ITA – 1978) Na situação ilustrada na figura ao lado. pode-se afirmar que a distância “X” percorrida por “m” sobre “M”. pode-se concluir que: a) WACB> WADB. de massa “M” (ver figura abaixo). contada a partir do ponto “p”. sob a ação da gravidade. pois o trabalho realizado somente depende de “h” e “d”. c) O trabalho total ao longo de qualquer trajetória é nulo. visto que há equilíbrio entre a força gravitacional e a força de atrito. (ITA – 1978) Considera-se um bloco de massa “m” sobre outro. Se o bloco “M” puder deslizar sobre o plano horizontal sem qualquer atrito. deseja-se levar um corpo do ponto “A” ao ponto “B”. Resposta 83. e) Não é possível fazer nenhuma afirmação. com uma velocidade 0 . d) WACB = WADB . Sendo o coeficiente de atrito o mesmo para os dois caminhos e WACB e WADB os trabalhos ao longo das respectivas trajetórias. b) WACB< WADB. A partir do ponto “p” o coeficiente de atrito entre as duas superfícies em contato é não nulo (μ ≠ 0). Inicialmente “m” desliza sobre “M” sem atrito. será dada por: . Os caminhos a seguir serão ACB ou ADB.Resposta 82.

Abandonando. situação (a) é a de equilíbrio estável do sistema massa-mola e a situação (b) é a da mola em repouso. Resposta 84. pode-se afirmar que a máxima velocidade que o bloco “M” atingirá será dada por: .se o bloco “M” como indica a situação (b). a mola é ideal.a) X = { μ (m + M)2 g} b) X = { μ (m + M) g} c) X = { μ (m + M) g} d) X = 0 (distância nula). (ITA – 1978) Na figura. e) Nenhum dos valores acima.

velocidade e aceleração . Se a partícula descrever uma trajetória plana. (ITA – 1979) Seja a resultante das forças aplicadas a uma partícula de massa m. e é: a) b) c) .a) b) c) d) e) Resposta 85. indicada pela curva tracejada em cada um dos esquemas abaixo. segue-se que aquele que relaciona corretamente os vetores coplanares .

o centro de massa passa a ter. uma partícula de massa m1 com velocidade 1 choca-se com uma partícula de massa m2 que está parada. depois do choque.d) e) Resposta 86. (ITA – 1979) Num dado referencial inercial. o centro de massa terá sempre uma velocidade | | < | 1 | e) como uma das partículas está parada antes do choque. 1 b) depois do choque a velocidade do centro de massa independe de constante. Após a interação. as duas partículas movimentam-se juntas. uma velocidade em módulo não nula e maior do que | 1 | d) como uma das partículas está parada antes do choque. eé c) como as partículas se movimentam juntas após o choque. o centro de massa terá uma velocidade | | = | Resposta 1 | . Podese afirmar que: a) antes do choque a velocidade do centro de massa do sistema das duas partículas era = .

que passa entre as esferas. e) a posição de maior estabilidade ocorre quando as esferas estão nos extremos de um mesmo diâmetro. d) as alternativas (B) e (C) anteriores estão corretas. se 2(-) for o ângulo central cujo vértice é o centro do aro e cujos lados passam pelo centro das esferas.87. na posição de equilíbrio estável. Resposta . (ITA – 1979) Um aro metálico circular e duas esferas são acoplados conforme a figura ao lado. c) as esferas permanecem a distâncias r e de EE’ tal que. b) as esferas permanecem a distâncias r e de EE’ tal que. pode-se afirmar que: a) as esferas permanecem na parte inferior do aro porque esta é a posição de mínima energia potencial. a partir do repouso. . m a massa de cada esfera e desprezando-se os atritos. então. tan = estando as esferas abaixo do diâmetro horizontal do aro. . O aro começa a girar. As esferas dispõem de um furo diametral que lhes permite circular pelo aro. se 2(-) for o ângulo central cujo vértice é o centro do aro e cujos lados passam pelo centro das esferas. Sendo R o raio do aro. na posição de equilíbrio estável. em torno do diâmetro vertical EE’. então. tan = estando as esferas acima do diâmetro horizontal do aro. até atingir uma velocidade angular constante ω.

é igual a 5 o . são desprezíveis todos os atritos e o peso do fio que liga os blocos A e B. um de massa m e outro de massa 2m.Calcular a velocidade do outro fragmento. . A velocidade do fragmento menor. logo após a explosão. sendo m a massa de cada bloco e g a aceleração da gravidade. (ITA – 1980) Uma bomba tem velocidade o no instante em que explode e se divide em dois fragmentos. (ITA – 1980) No sistema dinâmico representado abaixo. a) b) c) d) e) Resposta 89.88. Calcular a tensão no fio. desprezando a ação da gravidade e a resistência do ar durante a explosão.

(ITA – 1980) Um vagão desloca-se horizontalmente. . sendo v = 11 m/s. calcular o valor médio da força exercida pelo bastão sobre a bola. Calcular a tensão F no fio do pêndulo. Supondo que o bastão esteve em contato com a bola durante 3 x 10-2s. (ITA – 1980) Uma bola de 1. a) F = 73.0 x 10-1 kg tem velocidade . Um pêndulo simples está suspenso do teto do vagão.3 N b) F = 3. com uma aceleração a constante.67 x 10 N e) F = 7 x 10 N Resposta 91.7 x 10 N c) F = 36. no instante em que é golpeada por um bastão é obrigada a voltar com velocidade igual a – .6 N d) F = 3. em linha reta.a) b) c) T = mg d) T = mg sen e) T = mg tg Resposta 90. O pêndulo na está oscilando e nessa posição de equilíbrio forma um ângulo com a vertical.

(ITA . A massa total do . Resposta 93. (ITA .1981) Considere um sistema bate-estacas desses usados em construção civil. d) o fato de modificarmos H ou mM não altera o poder de penetração da estaca. e) duplicando a massa do martelo estaremos duplicacando a quantidade de movimentos do sistema após o choque. c) a energia cinética do sitema é.a sen ) e) F = m(gsen + a cos ) Resposta 92. Considere o choque inelástico e despreze o atrito com ar. Qual das afirmativas está correta: a) Duplicando altura de queda do martelo também duplicamos sua velocidade no instante do impacto. Seja H a altura do martelo que tem massa mM e seja mE a massa da estaca a será cravada. menor quando duplicamos a massa do que quando duplicamos a altura da queda. Sabe-se que os degraus da escada estão distanciados de 20 cm um do outro e que homem galga um degrau por segundo.1981) No barco da figura há um homem de massa 60kg subindo uma escada solidária ao barco e inclinada de 60º sobre o plano horizontal.a) F = mg cos b) F = ma sen c) F = d) F = m(gcos . Desejamos aumentar a penetração a cada golpe e para isso podemos alterar H ou mM. após o choque. b) duplicando a massa do martelo estaremos duplicando a energia cinética do sitema martelo mais estaca imediatamente após o choque.

5 cm/s c) 1. de modo a se poder ligar as massas m e M por meio do outro fio. Na figura (b) o plano inclinado foi suspenso. Sabendo que inicialmente o barco e o homem estavam em repouso em relação a áagua.0 cm/s c) 2. uma das estremidades do fio está fixa ao solo.sistema barco mais escada é de 300g.5 cm/s b) 2.1981) A figura (a) representa um plano inclinado cujo ângulo de inclinação sobre o horizonte é sobre ele pode deslizar. (ITA . O contrapeso tem massa m. Desprezando os . um corpo de massa M.66 cm/s d) 10 cm/s Resposta 94. podemos concluir que a o barco passára a mover-se com velocidade de : a) 2. sem atrito.

Após a colisão ambos os blocos ficam grudados e sobem a rampa até comprimir a mola M de 0. h = 0.atritos nos suportes dos fios.m) / (M + m) no sentido descendente e) No caso (a) não há nenhuma posição possível de equilíbrio estático.4x103N.s-2.2x103N.0kg e velocidade de 8.2x103 N. a) 1.s1 colide com um bloco Identico B2.0x103N. inicialmente em repouso.50m e =30º.m-1 d) 3.m-1 c) 6.1x102N.10m. (ITA .0 m.1981) O bloco b1 de massa igual a 1.m-1 . podemos afirmar que: a) No caso (a) a posição de equilíbrio estático do sistema ocorre se e somente se M sen =m b) Tanto no caso (a) como no caso (b) o equilíbrio se estabelece quando e somente quando M = m c) No caso (b) o corpo m é tracionado em A por uma força TA= (m + M sen )g d) No caso (b) a aceleração do corpo M é g (M sen . Resposta 95. pergunta-se qual o valor da constante da mola. Desprezando os atritos e considerando g =10 m. desprezando a massa dos fios e sendo dada a aceleração da gravidade g.m e) 1.m-1 b) 1.

a corda suspende com movimento uniforme uma carga Q de 40.1982) Num teste realizado com um motor. (ITA .1982) O plano inclinado da figura 4 tem massa M e sobre ele se apoia um objeto de massa m. a potência desenvolvida pelo motor é. nem entre o plano inclinado e o apoio horizontal.500m e o motor realiza 240 rotações por minuto. uma corda se enrola sem escorregar em torno de um cilindro cujo eixo horizontal gira solidário com o eixo do motor. Ao mesmo tempo.00kg.Resposta 96. O cilindro tem raio 0. O ângulo de inclinação é a e não há atrito nem entre o plano inclinado e o objeto. em watts: a) 24. Sendo a aceleração de gravidade de g m. Dessa forma.0 b) 144 c) 160 d) 112 e) 184 g g g g g Resposta 97. (ITA .s-2. Aplica-se uma força F horizontal ao plano inclinado e constata-se que o sistema todo se move horizontalmente sem que o objeto .0kg. constata-se que o dinamômetro ao qual está presa a outra extremidade da corda acusa um esforço equivalente a 6.

0 x 103 N e) 29. Quando a altura do corpo acima do topo da estaca é de 2.7 x 103 N .0 m/s-2 e considerando o choque inelástico. Supondo uma aceleração da gravidade de 10. ela afunda de 0. podemos concluir que a força média de resistência à penetração da estaca é de: a) 1.00 m. Podemos afirmar que.500 m no solo.0 kg.1982) Um martelo de bate-estacas funciona levantando um corpo de pequenas dimensões e de massa 70.deslize em relação ao plano inclinado. sendo g a aceleração da gravidade local: a) F = mg b) F = (M + m) g c) F tem que ser infinitamente grande d) F = (M + m) g tg e) F = Mg sen Resposta 98. (ITA .96 x 103 N b) 2.96 x 103 N c) não é possível determiná-la se não forem dadas as dimensões da estaca d) 29.0 kg acima do topo de uma estaca de massa 30.

e cujo comprimento é l. por dentro do trilho.1982) Sobre um plano inclinado de um ângulo a sobre o horizonte fixa-se um trilho ABCDE composto das porções: AB = DE = (na direção do declive do plano inclinado) e da semicircunferência BCD de raio R. de massa desprezível. Podemos afirmar que: a) é certamente maior que (km)1/2 b) se l for desprezível e w = (k/m)1/2 estar localizado em qualquer ponto da mesa. graças apenas à ação de uma mola de constante elástica K. à qual AB e ED são tangentes. c) a elongação da mola é x = k (m 2 -1 ) d) a elongação da mola é proporcional a e) a aceleração tangencial do objeto é igual a K Resposta m-1 100.Resposta 99. Um objeto de massa m apoiado sobre a mesa gira com a mesma velocidade angular. (ITA . (ITA . podemos afirmar que a mínima velocidade inicial que permite que a bolinha descreva toda a semi-circunferência BCD é: .1981) A figura abaixo representa uma mesa horizontal muito lisa em torno de um eixo vertical com velocidade angular constante. A partir de A lança-se uma bolinha ao longo de AB. Desprezando todos os atritos e resistências. quando não solicitada.

a) b) c) qualquer velocidade inicial é suficiente d) e) nenhuma. É impossível que a bolinha faça esse percurso. Resposta

101. (ITA - 1983) Um cone de altura h e raio da base igual R é circundado por um trilhos em forma de parafuso, conforme a figura. Uma partícula é colocada sobre o trilho, no vértice do cone, deslizando, sem atrito, até a base. Com que velocidade angular, em relação ao eixo do cone, ela deixa o trilho, no plano da base?

h = 0,82 m

R = 0,20 m

g = 9,8 m/s2

a) 2p rad/s b) 4,0 rad/s c) 20p rad/s d) depende do número de voltas que ela dá em torno do eixo do cone e) 20 rad/s Resposta

102. (ITA - 1983) Um pêndulo de comprimento

é abandonado na posição

indicada na figura e, quando passa pelo ponto mais baixo da sua trajetória, tangencia a superfície de um líquido, perdendo em cada uma dessas passagens 30% da energia cinética que possui. Após uma oscilação completa, qual será, aproximadamente, o ângulo que o fio do pêndulo fará com a vertical?

a) 75º b) 60º c) 55º d) 45º e) 30º

Resposta

103. (ITA - 1983) Um corpo A de massa igual a m1 é abandonado no ponto O e escorrega por uma rampa. No plano horizontal, choca-se com outro corpo B de massa igual a m2 que estava em repouso. Os dois ficam grudados e continuam o movimento na mesma direção até atingir uma outra rampa na qual o conjunto pode subir. Considere o esquema da figura e despreze o atrito. Qual a altura x que os corpos atingirão na rampa?

Resposta

(ITA . 30 . 40 .1984) Fazendo experiência com uma mola submetida a sucessivos pesos.... 25 ... M2 e m estão ligados por cabos horizontais esticados.54 gf/mm e b 1.. 10 . um estudante registrou os seguintes dados: Peso (gf) 0 ... Sobre ele está apoiado o objeto de massa m.....0 gf d) p = kx = b com k e) p = kx .27 gf/mm e b 0. se M1 for tal que: .1 gf/mm 0... sendo µ o coeficiente de atrito cinético entre eles... 5 .....1 gf/mm 0..0gf ...... 35 .1984) A figura representa uma mesa horizontal de coeficiente de atito cinético µ1 sobre a qual se apoia o bloco de massa M2. que passam por uma roldana de massa desprezível... podemos afirmar que m se deslocará com velocidade constante em relação a um observador fixo na mesa.. 20 .1.54 gf/mm 1.b com k Resposta 105....104. Desprezando-se a resistência do ar e o atrito nas roldanas.... de massa desprezível. 15 . Deformaçã o (mm) 0 9 18 27 37 46 55 64 74 Nestas condições pode-se afirmar que a dependência entre o peso p em gf e a deformação x em mm é do tipo: a) p = 1/k x com k b) p = kx com k c) p = kx com k 1. (ITA ....................

d) é igual a e) é igual a pgAh2 . Eles estão inicialmente no solo horizontal. Em seguida são empilhados. b) é máximo se o bloco B1 for colocado no alto. o bloco B1 nomeio e o bloco B2 embaixo. (ITA . sendo h1 > h2 > h3.a) M1 = µm b) M1 = µ1(M2 + m) + 2 µm c) M1 = µ1 M2 + µm d) M1 = 2µm + 2 µ1 (M2 + m) e) M1 = µ1 (M2 + m) Resposta 106. h2 e h3. c) é mínimo se o bloco B3 estiver em cima. o bloco B2 no meio e o bloco B3 embaixo. B2 e B3 de mármore. Quanto ao trabalho realizado na operação de empilhar podemos afirmar que: a) é nulo. de mesma massa específica ? e mesma área de secção transversal A têm alturas respectivamente iguais a h1. formando uma coluna de altura h1+ h2 + h3 . A aceleração da gravidade é g.1985) Três blocos B1. porque a força peso é conservada. repousando sobre suas bases.

1985) O cachorrinho da figura tem massa 10 kg e move-se num terreno horizontal numa trajetória de raio de curvatura 1. Ao atingir a altura máxima lança horizontalmente para trás o corpo com velocidade 2. (ITA .0 kg carregando um corpo de 15.0 m/s2. Sabendo que a mão do dono está na vertical erguida do centro de curvatura.1985) Um atleta de massa 60.0 x 10-3 ms-2 b) 0.36 km/h e ele exerce contra o solo forças de 0. (ITA . sua velocidade é de 0.10 N (dirigida de A para o centro de curvatura C) e de 0. Num dado instante.0 kg dá um salto de inclinação 60º. em relação ao plano horizontal com velocidade inicial 10.23 e 5.01 ms-2 Resposta 108.0 x 10-3 ms-2 c) 196N e 5.050 N (tangencial).0 x 10-3 ms-2 d) 0.23N e 0. podemos afirmar que o atleta ganhará em alcance horizontal a distância: a) b) c) d) e) zero .0 m.00m/s em relação ao centro-de-massa do sistema formado por ele próprio mais o corpo.11N e 0.Resposta 107. podemos afirmar que a tensão na guia e aceleração tangencial do cachorrinho valem respectivamente: a) zero e 5. Adotando para a aceleração da gravidade o valor g = 10.0 m/s.01 ms-2 e) 0.

O bloco retorna a este ponto com uma velocidade de 3.: adotar para g 10.0 m/s2 . pode-se afirmar que a altura máxima atingida por m1 será: a) b) c) d) h e) Resposta 110. A partir de uma altura h deixa-se cair sobre m2 um corpo de massa m3.0 m/s.(ITA – 1986) Da posição mais baixa de um plano inclinado. lança-se um bloco de massa m 5. c 109. O ângulo do plano inclinado mede = /6 Calcular a distância “d” percorrida pelo bloco em sua ascensão. O corpo m1 repousa inicialmente sobre um apoio fixo. Sabendo-se que m1 > m2 + m3. com atrito desprezível. que gruda nele.0 kg com uma velocidade de 4.Resposta 108.1985) Dois corpos de massas m1 e m2 estão ligados por um fio inextensível que passa por uma polia. Obs.0 m/s no sentido ascendente. (ITA . sendo m1 > m2.

O bloco. enquanto que o projétil B.a) 0. que se desloca para a direita. fica aprisionado ao bloco. após atravessar o bloco de madeira é 100 ms-1. O projétil A. A velocidade do projétil B. Podemos afirmar que a velocidade final do bloco de massa será da ordem de: a) .0 m e) nenhum dos valores acima Resposta 111. e mantém a sua direção original. atravessa o bloco. conforme mostra a figura.2 ms-1 c) 9.0 m c) 1. movem-se em sentidos opostos e colidem simultaneamente com um bloco de madeira de massa 10 m0.75 m b) 1. . que se desloca para a esquerda.1 ms-1 d) 110 ms-1 e) indeterminado. inicialmente em repouso. (ITA – 1986) Dois projéteis de igual massa m0 e mesma velocidade. pode deslizar sem atrito sobre a superfície em que se apoia. pois não são conhecidas as posições e velocidades iniciais dos projéteis.2 ms-1 b) + 8.75 m d) 2.8.

c) a tartaruga e o centro de massa (C.) do sistema permanecerá em repouso. enquanto que a tartaruga descreverá órbitas circulares de raio r = MR / (m + M) e) nenhuma das afirmações acima está correta.) do sistema descreverão respectivamente órbitas circulares de raios r = R e RCM = mR/ (m + M) d) o centro de massa (C.< Resposta 113.0 kg e m2 2. (ITA . Somente o anel adquirirá um movimento de rotação em torno de seu centro de simetria. b) a tartaruga descreverá órbitas circulares em torno do centro do anel. Sobre este anel encontra-se em repouso uma tartaruga de massa “m”. as duas massas m1 1.M. Se a tartaruga caminhar sobre o anel. estão ligadas por um fio de massa desprezível que passa por uma polia .0 kg.Resposta 112. enquanto que o anel girará em sentido contrário em torno do seu centro. (ITA – 1986) Sobre uma superfície perfeitamente lisa. encontra-se em repouso um anel de massa M e raio R.M.1986) Na figura a seguir. podemos afirmar que: a) a tartaruga não irá se deslocar.

6 s d) 2. A haste é abandonada no repouso.4 s b) 1.: adotar para g 10. Nestas condições. e raio R.também de massa desprezível.0 kg.8 s e) 3.0 m indicada. quando o bloco passa pela . a tensão posição mais baixa. quando a mesma faz um ângulo = 60º com a vertical.0 m/s2 sobre a haste. é colocada em movimento ascendente.20 segundos para percorrer a distância d 1. gastando 0. vale: Obs.0 ms-2 a) 0.2 s Resposta 114. Inicialmente m2. Nessas condições m2 passará novamente pelo ponto “0” após aproximadamente: Obs – adotar para g 10.4 s c) 1. Na outra extremidade da haste acha-se fixado um bloco de massa m 4. (ITA – 1986) Uma haste rígida de comprimento “L” e massa desprezível é suspensa por uma das extremidades de tal maneira que a mesma possa oscilar sem atrito.

a) 40 N b) 80 N c) 160 N d) 190 N e) 210 N Resposta 115. o ângulo de sobrelevação deve ter o valor a. com uma certa velocidade. . a partir do ponto mais baixo A. o coeficiente de atrito estático entre os pneus e a pista deve ter no mínimo um certo valor µ (fig. numa estrada horizontal. numa estrada com sobrelevação (Fig. (ITA – 1987) A figura representa uma pista sem atrito cuja secção vertical forma. com o mesmo raio e com a mesma velocidade acima. (ITA – 1987) Para que um automóvel percorra uma curva horizontal de raio dado. Podemos afirmar que: a) = arctg µ b) = 45º c) = arcsen µ d) = 0 e) = µ (em radianos) Resposta 116. Um objeto de massa m é abandonado a partir de uma altura h que é a mínima que ainda lhe permite atingir o ponto B situado na vertical de A. sem ter tendência a derrapar. B). Para que o automóvel percorra uma curva horizontal. uma semi-circunferência de raio R. A).

T1 = mg R/2. podemos afirmar. (ITA . Podemos afirmar que: a) h1 h b) Se o choque for elástico e m1 = m2. a respeito de h. T1 = mg R/2. (ITA – 1987) O martelo da figura. Esta última (m1) ainda atinge a altura h1. inicialmente um repouso.Sendo T1 o trabalho da força peso T2 o trabalho da reação da pista ao longo dessa trajetória CAB. h1 =0 c) m1 gh = m2 v22 /2 d) m1 gh1 = m2 v22 / 2 e) a quantidade de calor gerada no choque é m1 gh – m2 v22 / 2 Resposta 118. no ponto mais baixo da trajetória de m1. b) h = 5 R/2. T2 = 0 d) h = 5 R/2. T2 só pode ser calculado conhecendo-se a forma detalhada da pista. foram fixadas nas extremidades de uma haste homogênea. T1 e T2 que: a) h = 5 R/2. c) h = 3 R/2.0 kg.0 kg e m2 = 1. T2 = .1988) As massas m1 = 3.mg R/2 Resposta 117. T1 = -mg R/2. cai de uma altura h e imprime velocidade v2 à massa m2 localizada.T2 = 0 e) h = 3 R/2. após o choque. cuja massa m1 pode ser considerada concentrada na sua extremidade. T1 e T2 só podem ser calculados conhecendo-se a forma detalhada da pista. de massa desprezível e 40 cm de . T1 = mg R/2.

comprimento. e abandonado. perfeitamente lisa.8 Resposta 120. A massa m1 colidirá com a superfície a uma distância x do ponto P dada por: a) x = 0 (no ponto P) b) x = 10 cm c) x = 20 cm d) x = 30 cm e) x = 40 cm Resposta 119. para o interior de um canhão de massa M.4 = 0.0 = 0. Porém. Pode-se mostrar que: a) cos b) cos c) sen d) sen e) cos = 1. ao qual se prende um corpo de massa m. conforme mostra a figura. no máximo uma tensão igual a 1.1988) Um pêndulo simples é constituído de um fio de comprimento L. (ITA . (ITA . rompe-se o fio.1988) Uma bola de massa m é lançada. suportando. O . Quando o pêndulo atinge a posição vertical. Este sistema foi colocado verticalmente sobre uma superfície plana.4 = 0.8 = 0. conforme mostra a figura. o fio não é suficientemente resistente. com velocidade inicial 0 . sendo g a aceleração da gravidade local. O pêndulo é abandonado de uma posição em que o fio forma um ângulo com a vertical.4 mg. que se acha inicialmente em repouso sobre uma superfície lisa e sem atrito.

que estava distendida. a fração da energia cinética inicial da bola que ficará armazenada em forma de energia potencial elástica será igual a: a) m/M b) M/m c) M/(m + M) d) m/(m + M) e) 1. da mola. mantendo a mola na posição de compressão máxima. Podemos afirmar que a velocidade do centro de massa VCM (antes e após a colisão). Supondo que a energia mecânica do sistema permaneça constante.0 Resposta 121. (ITA . Este conjunto acha-se sobre uma superfície horizontal perfeitamente lisa (sem atrito). Após a colisão.canhão é dotado de uma mola. Uma terceira partícula também de massa m e velocidade desliza sobre esta superfície numa direção perpendicular à haste e colide inelasticamente com uma das massas da haste. bem como o movimento do sistema após a colisão serão: . ficando colocada à mesma após a colisão.1988) Uma haste rígida e de massa desprezível possue presas em suas extremidades duas massas idênticas m. fica comprimida ao máximo e a bola fica aderida ao sistema.

como mostra .0 kg. acham-se presas as massas m1 e m2. Pode-se mostrar que: Resposta 123. (ITA . um corpo de massa m = 2. (ITA .VCM a) b) c) d) e) Resposta VCM (após) 0 v/3 v/3 v/3 0 Mov. a velocidade do centro da massa. o módulo da velocidade angular com que a haste se acha girando em torno de um eixo que passa pelo centro de massa. as velocidades dessas massas são. respectivamente. enquanto que a outra extremidade acha-se presa no ponto 0 de um plano inclinado. Subseqüente do sistema circular e uniforme translacional e rotacional só translacional translacional e rotacional só rotacional (antes) 0 0 0 v/3 v/3 122. de massa desprezível e comprimento L.0 m tem fixo em uma das extremidades. Seja em relação ao laboratório e seja CM 1 e 2 .Num dado instante.1988) Nas extremidades de uma haste homogênea. ortogonais à haste (ver figura).1988) Um fio de comprimento L = 1.

correspondente ao arco baixa que o corpo pode atingir. Calcular a energia dissipada por atrito. Inicialmente. Em seguida abandona-se o corpo com velocidade inicial nula.0 m/s inicia a descida de uma montanha de 60m de comprimento e 12m de altura. (ITA .1 J d) 10.3 J c) 3.0 J e) 16. sendo B a posição mais a) 6. atingindo a parte mais baixa da montanha com a velocidade de 10. O plano inclinado forma um ângulo = 30º com o plano horizontal. em que o fio está completamente esticado e paralelo ao plano horizontal.0 m/s. A energia mecânica que é transformada em calor será: (Considere g = 10 m/s2) .8 J Resposta 124. . o corpo é colocado na posição A.1988) Uma foca de 30kg sobre um trenó de 5kg. g = 10 m/s2. com uma velocidade inicial de 4.25.8 J b) 4.a figura. O coeficiente de atrito entre o corpo e a superfície do plano inclinado é µ = 0.

A massa total (motoqueiro + moto) é de 100kg.a) 8 400 J b) 4 200 J c) 2730 J d) 1 470 J e) Impossível de se determinar sem o conhecimento do coeficiente de atrito cinético entre o trenó e a superfície da montanha.6.5 0. da moto em relação à vertical. podemos afirmar que: a máxima força de atrito estático fa e a tangente trigonométrica do ângulo de inclinação .5 0.3 500 600 500 600 500 .6 0. (ITA . Resposta 125. Se o coeficiente de atrito estático entre o pavimento e o pneu da moto vale 0.6 0.1988) Um motoqueiro efetua uma curva de raio de curvatura de 80m a 20m/s num plano horizontal. serão dados respectivamente por: fa (N) a) b) c) d) e) Resposta tg 0.

y’ . z’) está em movimento relativamente ao primeiro . o sistema encontra-se submetido a uma força intensidade Fresultante. respectivamente: velocidade. z)? . e o assoalho do elevador atua sobre a pessoa com uma força de contato dada por: Resposta 127. x. Quando na ascenção. todas constantes. um dos quais (0. x. x’. z’) observam. z) é inercial e outro (0. e . x’. onde é a força que atua na partícula de massa m. nos seus referenciais. medida no referencial inercial (0. aceleração e velocidade angular.126. (ITA . Qual dos observadores poderá escrever a expressão = . (ITA . y’ . y .1989) As figuras representam sistemas de eixos.1988) Uma pessoa de massa m1 encontra-se no interior de um elevador de massa m2. Observadores ligados aos referenciais (0. y. uma partícula de massa m dotada de aceleração .

c) O sentido da velocidade do corpo pode ter mudado como pode ter permanecido inalterado.e) Nenhum deles poderá escrever a expressão = ma Resposta 128. d) O módulo da quantidade de movimento no corpo diminuiu.1989) Se o impulso de uma força aplicada a um corpo de massa m e velocidade durante um intervalo de tempo contrário ao da velocidade. Resposta t tem sentido . (ITA . b) O sentido da velocidade do corpo certamente permaneceu inalterado. podemos afirmar que: a) O sentido da velocidade do corpo mudou. e) O módulo da quantidade de movimento no corpo aumentou.

0 m/s e numa posição y2 sua velocidade é = 2. (ITA . (ITA .1989) Uma pedra de massa m presa a um barbante de comprimento L é mantida em rotação num plano vertical.1989) Um objeto de massa m = 1.1989) No caso anterior.0 kg é lançado de baixo para cima. na vertical. qual deve ser o módulo da força que aplicada ao corpo. Ao passar por uma posição y1 2 = 4.0 m/s.130. Desprezada a resistência do ar. (ITA . com velocidade inicial ele está com velocidade 1 0 . conduz o corpo para cima com velocidade constante? Resposta 131. o trabalho realizado pela força . Qual deve ser a menor velocidade tangencial da pedra no topo da trajetória (vm) para que o barbante ainda se mantenha esticado? Qual será a tensão (T) no barbante quando a pedra estiver no ponto mais baixo da trajetória? Resposta 132. paralelamente ao plano.

15 e a aceleração da gravidade vale 10. cujos coeficientes cinético e estático são.50kg e M3 = 0. Resposta .0 6.1990) A figura abaixo representa três blocos de massas M1 = 1.50kg.0 1.1. 0.0 . Entre os blocos e o piso que os apóia existe atrito.00N c)2. (ITA .25N b) 10. Neste caso a metralhadora ficará sujeita a uma força média. Cada bala tem 28g e uma velocidade de 60m/s.y2) são respectivamente: Wg (J) a) b) c) d) e) 6.1 x x x x 10-1 10-1 10-1 10-1 Resposta 133.m/s2. de: a) 0.1 1.00N.14 N Resposta b) 5.da gravidade (Wg) entre y1 e y2 e o deslocamento (y2 . Se ao bloco M1 for aplicada uma força F horinzontal de 10. resultante dos tiros.9 6.6N c) 55N d) 336N e) outro valor 134.1 . (ITA . M2 = 2.25N e) nenhuma das anteriores. respectivamente. pode-se afirmar que a força que o bloco 2 aplica sobre o bloco 3 vale: a) 0.6.0 5. respevtivamente.00kg.0 y1 e y2 (m) 6.1990) Uma metralhadora dispara 200 balas por minuto.10 e 0.0 .86N d) 1.6.

Supondo que a esfera percorra a região interior ao tubo sem atrito e acabe saindo horizontalmente pela extremidade. (ITA-1990) Um projétil de massa m e velocidade v atinge um objeto de massa M. colocado num plano vertical. como mostra figura. Nestas condições podemos afirmar que a velocidade inicial do projétil era de: . O corpo que foi atingido desliza por uma superfície sem atrito. recurvado. subindo uma rampa até a altura h.135. (ITA-1990) Uma pequena esfera penetra com velocidade v em um tubo oco. num local onde a aceleração da gravidade é g. O projétil atravessa o corpo de massa M e sai dele com velocidade v/2. pergunta-se: que distância x horizontal ela percorrerá até tocar o solo? Resposta 136. inicialmente imóvel.

1991) Uma haste rígida de peso desprezível e comprimento . (ITA . carrega uma massa 2m em sua extremidade. idêntica suporta uma massa m em seu ponto médio e outra massa m em sua extremidade.Resposta 138. As hastes podem girar ao redor do ponto fixo A.1991) Um pêndulo simples de comprimento e massa m é . Outra haste. conforme a figura. (ITA . Qual a velocidade horizontal mínima que deve ser comunicada às suas extremidades para que cada haste deflia até atingir a horizontal? Resposta 139.

posto a oscilar. Cada vez que o pêndulo o passa pela posição de equilíbrio atua sobre ele, durante um prqueno intervalo de tempo t, uma força F. Está força é constantemente ajustada para, a cada passagem, ter msma direção e sentido que a velocidade m. Quantas oscilações completas são necessárias para que o pêndulo forme um ângulo reto com a direção vertical de equilíbrio)

Resposta

140. (ITA - 1992) Na figura abaixo, a massa esférica M pende de um fio de comprimento mas está solicitada para a esquerda por uma força F que

mantém a massa apoiada contra uma parede vertical P, sem atrito. Determine os valores de F e de R (reação da parede). (O raio da esfera << )

Resposta

141. (ITA - 1992) Na questão 01:

a) Calcule o trabalho W realizado pela força F para fazer subir lentamente (V=0) a massa M em termos da variação da energia potencial de M, desde a posição em que o fio está na vertical até a situaçãoindicada no desenho. b) Verifique se é possível calcularesse trabalho como o produto de F, já calculada, pelodeslocamento d. (Na resolução do problema justifique a resposta b.)

a) a) 0,29 b) 0,13 c) 0,50 d) 0,13 e) 0,29
Resposta

Mg Mg Mg Mg Mg

b) Não. Sim. Não. Não. Sim.

142. (ITA - 1992) Um bloco de massa igual a 5,0 kg é puxado para cima por uma força F = 50 N sobre o plano inclinado da figura, partindo do repouso. Use g = 10 m/s2. O coeficiente de atrito cinético plano-bloco é = 0,25.

a) Calcule a energia cinética com que o bloco chega ao topo do plano. b) Calcule a aceleração do bloco em função do tempo. c) Escreva a velocidade do bloco em função do tempo.

Ec(J) a(m/s2)v(m/s) a) 20 b) 1,0 0,5 t2 25 1,2 0,6 t2 c) 2,4 1,2 t 50 1,2 1,2 t d) 1,0 0,4 t 25 e) 15
Resposta

143. (ITA - 1992) Seja a resultante das forças aplicadas a uma partícula de massa m, velocidade e aceleração . Se a partícula descrever uma trajetória plana, indicada pela curva tracejada em cada um dos esquemas a seguir, segue-se que aquele que relaciona corretamente os vetores coplanares, , e é:

Resposta

144. (ITA - 1992) Um aro metálico circular e duas esferas são acoplados conforme ilustra abaixo. As esferas dispõem de um furo diametral que lhes permite circular pelo aro. O aro começa a girar, a partir do repouso, em torno do diâmetro vertical EE' , que passa entre as esferas, até atingir uma velocidade angular constante . Sendo R o raio do aro, m a massa de cada

esfera e desprezando-se os atritos, pode-se afirmar que:

se 2 for o ângulo central cujo o vértice é o centro do aro e cujos lados passam pelo centro das esferas. estando as .a) as esferas permanecem na parte inferior do aro. calcule o desvio x que o objeto sofre ao atingir o solo. na posição de equilíbrio estável. estando as 145. b) as esferas permanecem a distâncias r de EE' tal que. em relação ao alvo pretendido. então tan = esferas acima do diâmetro horizontal do aro. se 2 for o ângulo central cujo vértice é o centro do aro e cujos lados passam pelos centros das esferas. e) A posição de maior estabilidade ocorre quando as esferas estão nos extremos de um mesmo diâmetro. . Ao final do 1º segundo de queda o objeto é atingido horizontalmente por um projétil de massa m e velocidade v.1992) Um objeto de massa M é deixado cair de uma altura h. porque esta é a posição de mínima energia potencial. d) As alternativas (b) e (c) anteriores estão corretas. c) As esferas permanecem a distâncias r de EE' tal que. na posição de equilíbrio estável. então tan = esferas abaixo do diâmetro horizontal do aro. (ITA . que nele se aloja. Resposta .

(ITA . Resposta . podemos afirmar que a frequência de queda é: a) b) 20 c) 1/60 bolas por segundo d) 103 bolas por segundo e) 102 bolas por segundo.Resposta 146. Sabendo que o ponteiro da balança indica. sendo imediatamente retiradas da plataforma. bolas de gude de 20g cada uma estão caindo.1992) No dispositivo da figura. 20 kg. Elas caem a intervalos de tempo iguais te após o choque estão praticamente paradas. sobre a plataforma de uma balança. em média. a partir do repouso. de uma altura de 1 metro. e que a aceleração da gravidade vale 10 ms-2.

a) Os dados fornecidos são insuficientes.7 N Resposta . = 1.0 N c) F = 17.1993) O módulo V1 da velocidade de um projétil no seu ponto de altura máxima é do valor da velocidade V2 no ponto onde altura é a metade da altura máxima. h = 0. b) /2 c) 1/2 d) e) /2 /3 Resposta 148. a) F = 1.1993) Um pequeno bloco de madeira de massa m = 2.0 kg se encontra sobre um plano inclinado que está fixo no chão.3 N b) F = 15. Qual é a força F com que devemos pressionar o bloco sobre o plano para que o mesmo permaneça em equilíbrio? O coeficiente de atrito entre o bloco e a superfície do plano inclinado é Dados: comprimento do plano inclinado. aceleração da gravidade.0 m.5 N d) F = 11. Obtenha o coseno do ângulo de lançamento com relação a horizontal. (ITA .2 N e) F = 10. g = 9.6 m.147.40. altura.8 m/s2 = 0. como mostra a figura. (ITA .

(ITA .O coeficinete de atrito cinético entre o corpo e a superfície é e a velocidade inicial do corpo é igual a zero. inclinada com relação a horizontal de um ângulo . Qual dos gráficos seguintes pode representar a energia cinética da partícula? . Quanto tempo demora o corpo para alcançar o final da superfície inclinada? Dado: g (aceleração da gravidade) Resposta 150. A variação da energia potencial (EP) com respeito ao tempo (t) é mostradda na figura abeixo. (ITA .1993) Um corpo de peso P desliza sobre uma superfície de comprimento .1993) Suponha uma partícula que se move sob ação de uma força conservativa.149.

00 m de largura. (ITA . Ambos estão trafegando a velocidade constate de 72 km/h quando o caminhão se detêm instantaneamente. perpendicularmente à carroceria. Resposta 151. pode representar a energia cinética da partícula.e) mais um gráfico mostrado acima. a que distância mínima ele deverá estar trafegando para evitar o choque apenas com mudança de . Se o tempo de reação do motociclista for 0. devido a uma colisão.1994) Um motociclista trafega em uma estrada reta e nivelada atrás de um caminhão de 4.50 s.

aceleração gravitacional g = 10. Considerando a aceleração gravitacional g = 10. a) 19. uma polia que suporta duas massas.8 km/h consumiu 2.10 o . Os fios tem massas desprezíveis e as polias são ideais.0 m e) 14.75 kg d) 1.6 m b) 79. m1= 3. a massa M deverá ser: a) 3. (ITA .80.50 kg Resposta 153.0 m/s2 e que a trajetória original o levaria a colidir-se no meio da carroceria. Se M gira com velocidade angular constante = 0.00 kg b) 4.tragetória? Considere os coeficientes de atrito entre o pneumático e o solo = 0.16 toneladas de carvão em um dia.80 m e a massa = 5.00 kg e em m2= 1. Sendo = 0.50 kg e) 2.0 m / s2.00 rad / s numa trajetória circular em torno do eixo vertical passando por C.3 m d) 24.1994) Um navio navegando à velocidade constante de 10.3 m c) 69.0 m Resposta 152.00 kg c) 0.00 kg unidas por um outro fio como mostra a figura. (ITA . observa-se que o trecho ABC do fio permanece imóvel.1994) Um fio tem presa uma massa M em uma das extremidades e na outra.

2 . a força de resitência oferecida pela água e pelo ar ao movimento do navio foi de: a) 2. e 3. (ITA .rendimento do motor e q = 3.5 x 104N Resposta 155. ACGFEB). 3 e VB1.2 x 102N e) 7.5 x 104N b) 2.1994) Na figura. podemos afirmar que: a) b) c) 3 3 3 > > = 2 2 2 > > = 1 1 1 e VB3 < VB2 < VB1 e VB3 = VB2 = VB1 e VB3 < VB2 < VB1 .00 x 107J / kg o poder calorífico de combustão do carvão.3 x 105N c) 5. VB3 os trabalhos realizados pela força de atrito e as velocidades no ponto B. 2. 1 o coeficiente de . Sendo g a aceleração gravitacional e atrito em qualquer trecho. VB2. correspondentes aos caminhos 1.0 x 104N d) 2. ACDEB. o objeto de massa m quando lançado horizontalmente do ponto A com velocidade VA atinge o ponto B após percorrer quaisquer dos três caminhos contidos num plano vertical (ACEB.

(ITA .d) e) 3 3 < = 2 2 < = 1 1 e VB3 > VB2 > VB1 e VB3 = VB2 = VB1 Resposta 155. 2 . correspondentes aos caminhos 1. Dependendurando-as de modo que M fique no extremo inferior o comprimento da mola é l1. podemos afirmar que: a) b) c) d) e) 3 3 3 3 3 > > = < = 2 2 2 2 2 > > = < = 1 1 1 1 1 e VB3 < VB2 < VB1 e VB3 = VB2 = VB1 e VB3 < VB2 < VB1 e VB3 >VB2 > VB1 e VB3 = VB2 = VB1 Resposta 156. VB3 os trabalhos realizados pela força de atrito e as velocidades no ponto B. ACDEB. Sendo g a aceleração gravitacional e atrito em qualquer trecho. (ITA . e 3. Invertendo as posições das .1994) Na figura. o objeto de massa m quando lançado horizontalmente do ponto A com velocidade VA atinge o ponto B após percorrer quaisquer dos três caminhos contidos num plano vertical (ACEB. VB2. ACGFEB). 1 o coeficiente de . m e M estão unidas uma à outra por meio de uma mola de constante k.1994) Duas massas. 2. 3 e VB1.

inicialmente em repouso.M) c) l0 = (Ml1 + ml2) / (m + M) d) l0 = (ml1 + Ml2) / (m + M) e) l0 = (Ml1 + ml2) / (m .F2) t1 + F2 t2] / m d) V2 = (F1 t1 .t1) (F1 .0 x 10-2 m/s colide frontal e elasticamente com outra massa m2 em .M) b) l0 = (Ml1 .1995) Uma massa m1 em movimento retilíneo com velocidade de 8.ml2) / (m .massas o comprimento da mola passa a ser l2.F2) t1 .1995) A figura mostra o gráfico da força resultante agindo numa partícula de massa m. No instante t2 a velocidade da partícula.M) Resposta 157.F2 )] / 2m Resposta 158. V2 será: a) V2 = [( F1 + F2) t1 .F2 t2)/ m e) V2 = [(t2 . O comprimento l0 da mola quando não submetido a força é: a) l0 = (ml1 .F2 t2] / m c) V2 = [( F1 . (ITA .F2 t2] / m b) V2 = [( F1 .Ml2) / (m . (ITA .

10-2 m/s.0 cm na direção do movimento.5 x 10-2 m/s podemos afirmar que a massa m1 é: a) 10 m2 d) 0. Resposta 160.5 cm. (ITA . (ITA .sen2 ) a2 b) g2 = (a2 + g2) sen2 c) a = g tg d) a = g sen cosv e) g2 = a2sen2 + g2cos2 . b) Se V = 600 m/s a penetração seria de 225 cm. Se a massa m2 adquire a velocidade de 7.5 m2 159.1995) Um projétil de massa m = 5.5 m2 c) 0.2 m2 e) 2.00 g atinge perpendicularmente uma parede com a velocidade V = 400 m/s e penetra 10. a relação entre o a. e g é: a) g2 = (1 .04 m2 Resposta b) 3.1995) Um pêndulo simples no interior de um avião tem a extremidade superior do fio fixa no teto. e) A intensidade da força imposta pela parede à penetração da bala é 2 N. d) Se V = 600 m/s a penetração seria de 150 cm. c) Se V = 600 m/s a penetração seria de 22. (Considerando constante a desaceleração do projétil na parede).repouso e sua velocidade passa a ser 5.0 cm.0. Quando o avião está parado o pêndulo fica na posição vertical. Sendo g a aceleração da gravidade. a) Se V = 600 m/s a penetração seria de 15. Durante a corrida para a decolagem a aceleração a do avião foi constante e o pêndulo fez um ângulo com a vertical.

1995) A figura ilustra um carrinho de massa m percorrendo um trecho de uma montanha russa. encostados um no outro com o bloco 1 acima do bloco 2.Resposta 161. e) 8.1995) Todo caçador ao atirar com um rifle. (ITA . b) 0. a aceleração a1 do bloco 1 e a força F12 que o bloco 1 exerce sobre o bloco 2 são respectivamente: a) 6.46m/s2. o menor valor de h para que o carrinho efetue a trajetória completa é: a) (3R)/2 d) b) (5R)/2 e) 3R c) 2R Resposta 163.6 respectivamente.40 e 2c = 0. para os blocos 1 e 2. c) 1. Considerando a aceleração da gravidade g = 10 m/s2. (ITA . 26N 42 N Resposta 162.1 m/s2.5 m/s2.0N 3. inclinado de 60º com relação à horizontal.2N 17N d) 8. Os coeficientes de atrito cinético entre o plano inclinado e os blocos são 1c = 0.5 m/s2.0 kg e m2 = 5. 2. Desprezando-se todos os atritos que agem sobre ele e supondo que o carrinho seja abandonado em A.0 m/s2. mantém a arma .1995) Dois blocos de massas m1 = 3.0 kg deslizam sobre um plano. (ITA .

0 x d) 5. Considere que a massa do atirador é 95.0 x 10-4 N. (ITA . 4.0 kg.1996) Um avião a jato se encontra na cabeceira da pista com sua turbina ligada e com os freios acionados. Nestas condições. Quando o piloto aciona a máxima potência.90 m/s.10 m/s.0 kg.5 x 10-2 m/s 164. Nessas condições: . que o impedem de se movimentar.0 10-2 J x 10-2 J e) 5.0 x 10 N.0 x 10-4 N.1995) Um pingo de chuva de massa 5. (ITA .0 x 10-4 J x 10-1 J -4 c) 5. 4.0 x 10-4 N.90 m/s.firmemente apertada contra o ombro evitando assim o bcoice da mesma.5 x 10-2 m/s Resposta b) 90. 6. sem que sua massa varie. Nestas condições a velocidade de recuo do rifle (Vr) quando se segura muito frouxamente a arma e a velocidade de recuo do atirador (Va) quando ele mantém a arma firmemente apoiada no ombro serão respectivamente: a) 0.0 b) 1. 4.0 m/s.0 m/s. 1. e a massa do projétil é 15.5 m/s e) 0. num local onde a aceleração da gravidade g é 10 m/s2. 5.0 g a qual é disparada a uma velocidade de 3. 1. a força de atrito Fado ar sobre a gota e a energia Ea dissipada durante a queda são respectivamente: a) 5.0 x 10-5 kg cai com velocidade constante de uma altitude de 120 m.7 x 10-2 m/s c) 90. Ea= 0J Resposta 165.00 x 104 cm/s.0 x 10-3 N. 4.7 m/s d) 0. 5. o ar é expelido a uma razão de 100 kg por segundo a uma velocidade de 600 m/s em relação ao avião. a massa do rifle é 5.

a) A força transmitida pelo ar expelido ao avião é nula. Resposta 167.força exercida pela outra mão sobre a madeira do arco.1996) Fazendo compras num supermercado. a força exercida sobre a corda pela mão do arqueiro é igual a: I. Surge então a seguinte dúvida quando o arco está esticado. (ITA . e) Somente II é verdadeira. b) Todas as afirmativas são falsas. c) Se a massa do avião é de 7 x 103 kg o coeficiente de atrito mínimo entre as rodas e o piso deve ser de 0. um estudante . Resposta 166.2.tensão da corda. d) Somente I e II são verdadeiras. c) Somente I e III são verdadeiras. II.1996) No campeonato mundial de arco e flecha dois concorrentes discutem sobre Física que está contida na arte do arqueiro. e) Nenhuma das afirmativas acima é verdadeira. II. d) Não é possível calcular a força sobre o avião com os dados fornecidos. no momento do lançamento da flecha. Neste caso: a) Todas as afirmativas são verdadeiras. pois um corpo não pode exercer força sobre si mesmo. (ITA . b) As rodas do avião devem suportar uma força horizontal igual a 60 kN.força exercida sobre a flecha pela corda no momento em que o arqueiro larga a corda.

utiliza dois carrinhos. Empurra o primeiro de massa m, com uma força F, horizontal, o qual, por sua vez, empurra outro de massa M sobre um assoalho plano e horizontal. Se o atrito entre os carrinhos e o assoalho puder ser desprezado, pode-se afirmar que a força que está aplicada sobre o segundo carrinho é: a) F b) c) d) e) Outra expressão diferente. Resposta

168.(ITA - 1996) Um corpo de massa M é lançado com velocidade inicial V formando com a horizontal um ângulo ?, num local onde a aceleração da gravidade é g. Suponha que o vento atue de forma favorável sobre o corpo durante todo o tempo(ajudando a ir mais longe), com uma força F horizontal constante. Considere t como sendo o tempo total de permanência no ar. Nessas condições, o alcance do corpo é: a) v2 /g.sen 2 /g

b) 2v t + F.t22m c) v2.sen 2 d) vt e) Outra expressão diferente das mencionadas. Resposta [1 + (F.tg )/Mg) ]/g

169. (ITA - 1996) Dois blocos de massa M estão unidos por um fio de massa desprezível que passa por uma roldana com um eixo fixo. Um

terceiro bloco de massa m é colocado suavemente sobre um dos blocos, como mostra a figura. Com que força esse pequeno bloco de massa m pressionará o bloco sobre o qual foi colocado?

a) b) m.g c) (m - M).g d) e) Outra expressão. Resposta

170. (ITA - 1996) Um avião, ao executar uma curva nivelada (sem subir ou descer) e equilibrada, o piloto deve inclina-lo com respeito a horizontal (à maneira de um ciclista em uma curva), de um ângulo . Se = 60 , a velocidade da aeronave é 100 m/s e a aceleração local da gravidade é 9,5 m/s2, qual é aproximadamente o raio de curvatura?

a) 600 m b) 750 m d) 350 m e) 1000 m
Resposta

c) 200 m

171. (ITA - 1997) No arranjo mostrado a seguir, do ponto A largamos com velocidade nula duas pequenas bolas que se moverão sob a influência da gravidade em um plano vertical, sem rolamento ou atrito, uma pelo trecho ABC e outra pelo pelo trecho ADC. As partes AD e BC dos trechos são paralelas e as partes AB e DC também. Os vértices B de ABC e D de ADC são suavemente arredondados para que cada bola não sofra uma mudança brusca na sua trajetória. Pode-se afirmar que: a) A bola que se move pelo trecho ABC chega ao ponto C primeiro. b) A bola que se move pelo trecho ADC chega ao ponto C primeiro.

c) As duas bolas chegam juntas ao ponto C. d) A bola de maior massa chega primeiro(e se tiverem a mesma massa, chegam juntas). e) É necessário saber as massas das bolas e os ângulos elativos à vertical de cada parte dos trechos para responder. Resposta

172. (ITA - 1997) Uma massa puntual se move, sob a influência da gravidade e sem atrito, com velocidade angular em um circulo a uma altura h 0 na superfície interna de um cone que forma um ângulo com seu eixo

central, como mostrado na figura. A altura h da massa em relação ao vértice do cone é:

a) b) c) d) e) Inexistente, pois a única posição de equilíbrio é h = 0.

Resposta

173. (ITA - 1997) Considere um bloco de base d e altura h em repouso sobre um plano inclinado de ângulo . Suponha que o coeficiente de atrito

estático seja suficientemente grande para que o bloco não deslize pelo plano. O valor máximo da altura h para que a base d permaneça em contato com o plano é:

entre o vaso e o forro tenham o valor e que o vaso pare no momento que toca na mesa. Você apostou que consegue puxar o forro com uma aceleração constante a (veja figura) de tal forma que o vaso não caia da mesa. Você ganhará a aposta se a magnitude da aceleração estiver dentro da faixa: a) b) c) a > g d) e) Resposta 175.1997) Um antigo vaso chinês está a uma distância d da extremidade de um forro sobre uma mesa. estático e cinético.1998) Considere uma partícula maciça que desce uma .a) d / b) d / sen c) d / sen2 d) d / cotg e) d cotg / sen Resposta 174. Considere que ambos os coeficientes de atrito. Essa extremidade. como mostrado na figura. se encontra a uma distância D de uma das bordas da mesa. por sua vez. Inicialmente tudo está em repouso. (ITA . (ITA .

ocorre que: a) a velocidade e a aceleração crescem. b) a velocidade cresce e a aceleração decresce. d) a velocidade e a aceleração decrescem. Dado que o coeficiente de atrito estático entre o caixote e o trilho é possível mover o caixote. a partir de qual seria e) ( ) (1 Resposta tan )W . como mostra a figura. o valor mínimo de F. c) a velocidade decresce e a aceleração cresce. e) a velocidade e a aceleração permanecem constantes. Na direção do movimento da partícula. sob a influência da gravidade.1998) Um caixote de peso W é puxado sobre um trilho horizontal por uma força de magnitude F que forma um ângulo em relação à horizontal. como mostra a figura. Resposta 176. (ITA .superfície côncava e sem atrito. é: .

a velocidade da parte m/3 depois da divisão seria: Resposta 178. Suponha que o coeficiente de atrito estático entre o bloco e o plano seja suficientemente grande para que o bloco não deslize pelo plano e que o . amarrada aos seus pés.1998) Uma massa m em repouso divide-se em duas partes.1998) Um 'bungee jumper' de 2 m de altura e 100 kg de massa pula de uma ponte usando uma 'bungee cord'.1998) Considere um bloco cúbico de lado d e massa m em repouso sobre um plano inclinado de ângulo . a corda atinge a extensão máxima sem que ele toque nas rochas embaixo. (ITA . uma com massa 2m/3 e outra com massa m/3. a partir da superfície da ponte. (ITA . Após a divisão. que impede o movimento de um cilindro de diâmetro d e massa m idêntica à do bloco. Na sua descida.177. como mostra a figura. Das opções abaixo. (ITA . a menor distância entre a superfície da ponte e as rochas é: a) 26 m d) 41 m Resposta b) 31 m e) 46 m c) 36 m 179. a parte com massa m/3 move-se para a direita com uma velocidade de módulo v1. de 18 m de comprimento quando não alongada. Se a massa m estivesse se movendo para a esquerda com velocidade de módulo v antes da divisão. constante elástica de 200 N/m e massa desprezível.

a potência requerida para mover o conjunto. Esse bloco colide com outro de massa m em repouso. conclui-se que a segunda bala penetra no bloco a uma profundidade de aproximadamente: a) 8. o movimento é mantido pela mesma força .2 cm Resposta b) 8.1998) Uma bala de massa 10 g é atirada horizontalmente contra um bloco de madeira de 100 g que está fixo. tal que o bloco de massa m permanece unido ao de massa M em equilíbrio vertical. Após a colisão. tal que o bloco de massa m não deslize sobre o outro. logo após a colisão. é dada pela relação: . é tal que: a) sen = b) tan = 1 c) tan 1/2 d) tan = 3 e) cotg =2 Resposta =2 180. para que a base do bloco permaneça em contato com o plano.0 cm d) 9.2 cm e) 9. Depois. devido ao coeficiente de atrito estático g a aceleração da gravidade e e existente entre os dois blocos. penetrando nele 10 cm até parar.8 cm 181. (ITA .1999) Um bloco de massa M desliza por uma superfície horizontal sem atrito. como mostra a figura abaixo. (ITA . Considerando a força de atrito entre a bala e a madeira em ambos os casos como sendo a mesma. Considerando 0 a velocidade instantânea do primeiro bloco logo antes da colisão. suspenso por uma argola de massa desprezível e também em atrito. o bloco é suspenso de tal forma que se possa mover livremente e uma bala idêntica à primeira é atirada contra ele. empurrado por uma força . O valor máximo do ângulo do plano inclinado.coeficiente de atrito estático entre o cilindro e o bloco seja desprezível.6 cm c) 8.

A traçãono fio. no instante em que o corpo deixa o plano.1999)Um pêndulo é constituído por uma partícula de massa m suspensa por um fio de massa desprezível. é: . Considere que o corpo abandona suavemente o plano no ponto B. e desliza sem atrito ao longo de um plano de inclinação . após percorrer uma distância d sobre ele. (ITA . de comprimento L. como mostra a figura. na posição A. flexível e inextensível. O pêndulo é solto a partir do repouso.a) c) d) e) Resposta 182.

. O módulo da força que o bloco 3 exerce sobre o bloco 2 é dado por: a) 3m(g + a) b) 3m(g . com uma aceleração de módulo a.2000) . vista de um sistema de referência inercial. Uma sonda espacial de 1000 kg. de mesma massa m.2000) .a) c) 2m(g + a) d) 2m(g .a) Resposta 184. os gases são ejetados a uma velocidade constante. seu propulsor é ligado e. (ITA . encontra-se em repouso no espaço.a) e) m(2g . durante o intervalo de tempo de 5 segundos. Num determinado instante. repousa sobre o piso de um elevador. (ITA .a) b) c) d) e) 3 m g Resposta 183. Uma pilha de seis blocos iguais.

tal que. O corpo é puxado até uma posição em que a mola seja distendida elasticamente a um comprimento L (L > C). ao ser liberado.8kg b) 4kg c) 5kg d) 20kg e) 25kg Resposta 185. com a sonda movendo-se a 20 m/s.2000). o bloco pode deslizar sem atrito sobre a superfície plana e horizontal em que se apoia. Um corpo de massa m desliza sem atrito sobre a superfície plana (e inclinada de um ângulo em relação à horizontal) de um bloco de massa M sob a ação da mola. de constante elástica k e comprimento natural C. mostrada na figura. Esta mola.em relação àsonda. (ITA . Nessa posição o módulo da velocidade do bloco é: a) b) . tem suas extremidades respectivamente fixadas ao corpo de massa m e ao bloco. o corpo passa pela posição em que a força elástica é nula. Por sua vez. de 5000 m/s. a massa aproximada de gases ejetados é: a) 0. No final desse processo.

requerida para manter a esteira movendo-se a 4. a formiga caminha para frente muito lentamente. como mostra a figura.0 m/s. é: a) 0 Resposta b) 3 c) 12 d) 24 e) 48 187. conclui-se que a potência em watts. .0 kg/s diretamente sobre uma esteira que se move na direção horizontal com velocidade .2000). de massa . Uma formiga considerada como um ponto. Considere que a camada de areia depositada sobre a esteira se locomove com a mesma velocidade . A extremidade esquerda da lâmina está a 1 cm de uma parede. devido ao atrito.c) d) e) 0 Resposta 186. Uma lâmina de material muito leve de massa m está em repouso sobre uma superfície sem atrito.2000). (ITA . Desprezando a existência de quaisquer outros atritos. está inicialmente em repouso sobre essa extremidade. Deixa-se cair continuamente areia de um reservatório a uma taxa de 3. A seguir. (ITA .

Resposta 189. para cima. Nestas condições. (ITA . com massa de 0.2000). uma segunda bola. para cima. a cada colisão sua energia decresce de um fator k. Uma bola de 0. com velocidade inicial de 15 m/s. (ITA . Sabemos que após 4 choques com o solo. para baixo. a partir do chão. perdendo parte de sua energia ao colidir com o solo. de uma altura h. As duas bolas movem-se ao longo de linhas muito próximas. b) ( ) 11 m/s.25 Kg. e) ( ) 20 m/s. é lançada verticalmente para cima. a velocidade do centro de massa do sistema constituído pelas duas bolas é de: a) ( ) 11 m/s. No mesmo instante.50 kg é abandonada a partir do repouso a uma altura de 25 m acima do chão. Após 2. Assim.sobre a lâmina. a bola repica até uma altura de 0. para baixo. o valor do fator k é: .64 h. c) ( ) 15 m/s. mas que não se tocam. a partir do repouso.0 segundos. d) ( ) 15 m/s. A que distância d da parede estará a formiga no momento em que a lâmina tocar a parede? a) 2 cm Resposta b) 3 cm c) 4 cm d) 5 cme) 6 cm 188.2001) Uma bola cai. para baixo.

Nestas condições.2001) Um bloco com massa de 0. o movimento de inércia em torno . Resposta 191. b) crescer quadraticamente com o tempo.60 m Resposta 192. é derrubado de uma altura de h = 1. o movimento de inércia de massa mede a dificuldade em se alterar o estado de rotação de um corpo rígido. a energia cinética da partícula deve: a) crescer linearmente com o tempo. (ITA .20 kg.2001) Uma partícula está submetida a uma força com as seguintes características: seu módulo é proporcional ao módulo da velocidade da partícula e atua numa direção perpendicular àquela do vetor velocidade. inicialmente em repouso.20 m sobre uma mola cuja constante de força é k = 19.54 m e) 0. (ITA . d) diminuir quadraticamente com o tempo. e) permanecer inalterada.6 N/m.48 m d) 0. Analogamente.a) d) Resposta b) e) c) 190. (ITA . c) diminuir linearmente com o tempo. a distância máxima que a mola será comprimida é: a) 0.2002)A massa inercial mede a dificuldade em se alterar o estado de movimento de uma partícula. Desprezando a massa da mola. No caso de uma esfera.24 m b) 0.32 m c) 0.

de um eixo que passa pelo seu centro é dado por I = MR2.0kg e raio R = 15. Para uma esfera de massa M = 25.0m e sen = 0. m2 Resposta 193.2002) Um sistema é composto por duas massas idênticas . (ITA . m2 d) 0. m2 b) 2. O centro de massa G da rampa tem coordenadas: XG = 2b/3 e yG = c/3. como mostra a figura.2 kg. m2 e) 22. Um bloco que pesa 80N. também em repouso. deslizando a seguir sobre a rampa.00 kg.0m d) 24.6m c) 4. a alternativa que melhor representa o seu momento de inércia é: a) 22.50 102 kg. Desprezando os possíveis atritos e as dimensões do bloco.8m 194. (ITA . em que M é a massa da esfera e R seu raio. é abandonado no ponto 1. São dados ainda: a = 15. m2 c) 0. é: a)16. pode-se afirmar que a distância percorrida pela rampa no solo.2002) Uma rampa rolante pesa 120N e se encontra inicialmente em repouso.225 kg.0m e) 9.0m Resposta b) 30.0cm. até o instante em que o bloco atinge o ponto 2.6.25 kg.

A energia despendida pelo ratinho durante um intervalo de tempo T para se manter na mesma posição enquanto corre é: a) b) E = M g2 T2 c) d) E = m g2 T2 e) n. Resposta 195.05s d) 0. Uma das massas é então aproximada da outra. lisa e horizontal. comprimindo 2. e repousa sobre uma superfície plana. Uma vez liberado. suposto correr sem resistência de qualquer natureza.a Resposta . o sistema inicial um movimento com o seu centro de massa deslocando com velocidade de 18. (ITA .0cm da mola.50s e) indeterminado.70s b) 0. O período de oscilação de cada massa é: a) 0.0cm/s numa determinada direção. nela permanecendo devido ao movimento giratório de reação do cilindro. Suponha-se que o ratinho alcance a posição indicada na figura imediatamente no início de sua corrida.d.2002) Um pequeno camundongo de massa M corre num plano vertical no interior de um cilindro de massa m e eixohorizontal.ligadas por uma mola de constante k. pois a constante da mola não é conhecida.35s c) 1.

. considerado como evidência da existência de matéria escura. é que estrelas giram em torno do centro de uma galáxia com a mesma velocidade angular. puxado para baixo. respectivamente. as porções de massa (uniformemente distribuída) da galáxia no interior de esferas de raios R e 2R. Nestas condições. b) a força não realiza trabalho. aplicando-se uma força . (ITA . que passa através de um orifício central de massa lisa. é preso a um fio leve. sem atrito. mostrado na figura. e) o corpo descreverá uma trajetória elíptica sobre a mesa. (ITA .196. O fio é. então. constante. inextensível.2002) Um dos fenômenos da dinâmica de galáxias. d) o trabalho de é igual à variação da energia cinética do corpo. Considere que inicialmente o corpo se move ao longo de uma circunferência. a sua extremidade livre. e M2.2002) Um corpo de massa M. pois é perpendicular à trajetória. c) a potência instantânea de é nula. a relação entre essas massas é dada por: a) M2 = M1 c) M2 = 4M1 e) M2 = 16M1 Resposta b) M2 = 2M1 d) M2 = 8M1 197. Sejam M1. independentemente de sua distância ao centro. Podemos afirmar que: a) o corpo permanecerá ao longo da mesma circunferência.

I e II. A partícula II é conectada a uma articulação O sobre o plano por meio de uma haste rígida que inicialmente é disposta na posição indicada na figura.Resposta 198. pode-se afirmar que. a partícula I desloca-se na direção II com velocidade uniforme B . Considere a haste rígida de comprimento L. Uma massa é liberada a partir do repouso de uma altura h acima do nível do solo e desliza sem atrito em uma pista que termina em loop de raio r. do raio r e da aceleração da gravidade g. conforme indicado na figura. Determine o ângulo relativo à vertical e ao ponto em que a massa perde o contato com a pista. Resposta 199. respectivamente. A seguir. inextensível e de massa desprezível. Expresse sua resposta como função da altura h. imediatamente após a colisão (elástica) das partículas. de massas M e m.2003) Sobre um plano liso horizontal repousa um sistema constituído de duas partículas. (ITA . que forma um ângulo com a haste. . Desprezando qualquer tipo de resistência ou atrito.

(ITA . Se é o coeficiente de atrito estático entre o bloco e a rampa.d.3. cujo coeficiente de atrito dinâmico é igual a 0. Após a colisão.2003) Quando solto na posição angular de 45º (mostrada nafigura).a. um pêndulo simples de massa m e comprimento L colide com um bloco de massa M. (ITA . . Sobre a rampa repousa um bloco de massa m. no qual o bloco permanecerá em repouso sobre a rampa. Considere que após a colisão. Resposta 201. determine o intervalo para o módulo de A . Resposta 200.a) a partícula II se movimenta na direção definida pelo vetor B b) o componente y do momento linear do sistema é conservado c) o componente x do momento linear do sistema é conservado d) a energia cinética do sistema é diferente do seu valor inicial e) n. ao retornar.2003) Na figura o carrinho com rampa movimenta-se com uma aceleração constante A . o bloco desliza sobre uma superfície rugosa.

dispondo seu corpo simetricamente em relação ao canto e mantendo seus braços horizontalmente alinhados. Determine a distância percorrida pelo bloco em função de m.d.o pêndulo alcança uma posição angular máxima de 30º. Sendo m a massa do corpo do atleta e o coeficiente de atrito estático interveniente. como mostra a figura. perpendiculares entre si.2004) Um atleta mantém-se suspenso em equilíbrio.a. Resposta 202. assinale a opção correta que indica o módulo mínimo da força exercida pelo atleta em cada parede. forçandoas mãos contra duas paredes verticais. M e L. . (ITA . a) b) c) d) e) n.

Da colisão tripla resultante.1 s 12 s 0.4 m/s d) 6. igual a 4. composto de dois trechos retilíneos (AB e EF).0 s 12 s 3.0 m/s b) 4.0 m/s Resposta 6. com velocidade escalar constante.0 m/s c) 9. Considere pontual o sistema ciclistabicicleta e que o percurso é completado no menor tempo. num plano horizontal. e de um trecho sinuoso intermediário formado por arcos de circunferências de mesmo diâmetro. que se aproximam com velocidades desprezíveis.Resposta 203. cada um com 6.22 s-1 0.0 m de comprimento. (ITA 2004) Atualmente.0 s 3.32 s-1 0. obtendo moléculas e átomos ultrafrios.17 s-1 6.0 s-1 204. a) 6. respectivamente. Se o coeficiente de atrito estático com o solo é = 0.0 m cujos centros se encontram numerados de 1 a 7. Considere três átomos ultrafrios de massa M. assinale a opção correta que indica. vários laboratórios.17 s-1 0.0 m/s e) 4. utilizando vários feixes de laser.2004) A figura representa o percurso de um ciclista. o tempo despendido no percurso e freqüência de zigue-zague no trecho BE. observada de um referencial situado no centro de massa do sistema. a velocidade do ciclista. são capazes de resfriar gases a temperaturas muito próximas do zero absoluto. formase uma molécula diatômica com liberação de certa .80. (ITA .

pode-se dizer que a mola sofreu uma variação de comprimento = 0 dada por: a) b) c) d) e) = mg sen / k = mg cos / k = mg/k = = Resposta 206. Resposta 205. o objeto sofre uma força de atrito de módulo constante dado por f = 7mg/4 .2005) Considere uma rampa de ângulo com a horizontal sobre a qual desce um vagão.quantidade de energia B. (ITA . Obtenha a velocidade final do átomo remanescente em função de B e M. com aceleração . horizontal. Considerando que éo comprimento natural da mola e que o sistema está em repouso com relação ao vagão. Para que o objeto se desprenda da . de massa desprezível e constante de mola k. de raio R. ( ITA . do topo de uma esfera em repouso. Ao escorregar pela superfície. 0 tendo uma massa m fixada na sua extremidade.2005) Um objeto pontual de massa m desliza com velocidade inicial . em cujo teto está dependurada uma mola de comprimento .

a quantidade de calor por unidade de massa recebido pelos grãos é: a) 15 J/kg b) 80 J/kg c) 100 J/kg d) 463 J/kg e) 578 J/kg Resposta . sem resistência de qualquer espécie ao movimento). despejada verticalmente a partir do repouso de uma altura de 6. a caçamba é preenchida com uma carga de grãos de massa igual a 4M. Supondo que toda a energia liberada no processo seja integralmente convertida em calor para o aquecimento exclusivo dos grãos.0 km/h (portanto. sua velocidade inicial deve ter o módulo de: a) b) c) d) e) Resposta 207.00m (veja figura). Em dado instante. então.superfície esférica após percorrer um arco de 60º (veja figura). (ITA .2005) Um vagão-caçamba de massa M se desprende da locomotiva e corre sobre trilhos horizontais com velocidade constante v = 72.

5R d) 7. e) mesmo tempo. Considerando que a única força interveniente seja a da atração gravitacional mútua. (ITA – 2006) Uma estação espacial em forma de um toróide. comparativamente ao carro que dele não dispõe. e que seja de 12 R a distância de separação inicial entre os centros dos corpos. O astronauta sente que seu “peso” aumenta de 20%. Resposta 210.2005) Dois corpos esféricos de massa M e 5M e raios R e 2R. o espaço percorrido pelo corpo menor até a colisão será de: a) 1. A proteção oferecida pelo air-bag. c) menor energia. de raio interno R1. d) menor velocidade e maior desaceleração. (ITA . com força menor. em torno do seu eixo central. gira. numa distância menor.0R Resposta 209.208.2005) Um automóvel pára quase que instantaneamente ao bater frontalmente numa árvore. numa região de gravidade nula. advém do fato de que a transferência para o carro de parte do momentum do motorista se dá em condição de: a) menor força em maior período de tempo. (ITA . com período P. são liberados no espaço livre. respectivamente.5R e) 10. com mesma aceleração.5R b) 2. então. b) menor velocidade. e externo R2.5R c) 4. quando corre com velocidade constante no interior desta .

a constante elástica da mola deve ser de: a) 3.5 × 103 N/m d) 1. (ITA – 2006) Um anel de peso 30 N está preso a uma mola e desliza sem atrito num fio circular situado num plano vertical.estação. ao longo de sua maior circunferência.0 × 104 N/m .2 × 104 N/m e) 3. conforme mostrado na figura.5 × 103 N/m c) 7. Assinale a expressão que indica o módulo dessa velocidade. Considerando que a mola não se deforma quando o anel se encontra na posição P e que a velocidade do anel seja a mesma nas posições P e Q. a) b) c) d) e) Resposta 211.0 × 103 N/m b) 4. conforme mostra a figura.

000 m/s2.75. cuja centro de massa está em C. movimentando-se num plano horizontal. c) 0. Resposta 214. Resposta 213. em sentidos opostos de uma mesma direção.40 N. (ITA – 2007) A partir do nível P.Resposta 212. Sabe-se que o coeficiente de atrito cinético entre o plano e o corpo é igual a .00 m/s2 b) 40 m/s2. (ITA – 2006) Considere um automóvel de peso P.8 m de comprimento. Considerando g = 10 m/s2. sendo o coeficiente de atrito entre os pneus e o piso igual a 0. (ITA – 2007) Sobre um corpo de 2.4 x 102 m/s2. duas forças de intensidades 150.0 m/s2. com tração nas rodas dianteiras.40 N e 50. respectivamente. com velocidade inicial de 5 m/s. A opção que oferece o módulo da aceleração resultante com o número correto de algarismos significativos é: a) 40.5 kg de massa atuam. d) 40. um corpo sobe a superfície de um plano inclinado PQ de 0. calcule a aceleração máxima que o automóvel pode atingir. e) 40.

c) 0. d) 0. Sendo g a aceleração da gravidade.8. e não havendo atrito e nem resistência de qualquer outra natureza. 215.24 s.48 s. O tempo mínimo de percurso do corpo para que se torne nulo o componente vertical de sua velocidade é: a) 0. conforme mostra a figura.1/3. (ITA – 2007) Uma bala de massa m e velocidade V0 é disparada contra um bloco de massa M.40 s. o módulo da velocidade com que o conjunto atinge o solo vale: .6 e que o ar não oferece resistência. cos = 0. cai no solo. sen = 0. e) 0. Resposta b) 0. que inicialmente se encontra em repouso na borda de um poste de altura h. Considere a aceleração da gravidade g = 10 m/s2. devido ao impacto.20 s.44 s. A bala aloja-se no bloco que.

217. Considere que o dispositivo forneça uma força vertical para cima de intensidade constante F. a ser transportado pelo elevador é: a) 7. de 70 kg cada um. Determine a altura h para que o homem pouse no solo com velocidade nula. da força F. e) 11. da massa m do sistema homemfoguete e da aceleração da gravidade g. Resposta b) 8. o número máximo de passageiros. onde o dispositivo a jato é acionado. Nessas condições. Considere seja de 370 kg a massa do elevador vazio e a aceleração da gravidade g = 10 m/s2.5 kW de seu motor.a) b) c) d) e) Resposta 216. o homem-foguete da figura cai livremente do alto de um edifício até uma altura h. (ITA – 2007) Equipado com um dispositivo a jato. (ITA – 2007) Projetado para subir com velocidade média constante a uma altura de 32 m em 40 s. . desprezando a resistência do ar e a alteração da massa m no acionamento do dispositivo. Expresse sua resposta como função da altura H. d) 10. c) 9. um elevador consome a potência de 8.

Indique a sua velocidade na descida ao passar pela posição inicial. conforme indicado na figura.Resposta 218. . Considere a aceleração da gravidade g. com velocidade inicial V0. (ITA – 2007) Um corpo de massa m e velocidade v0 a uma altura h desliza sem atrito sobre uma pista que termina em forma de semicircunferência de raio r. onde o corpo perde o contato com a pista. (ITA – 2008) Na figura. Considere µ o coeficiente de atrito entre o bloco e a superfície. Resposta 219. Determine a razão entre as coordenadas x e y do ponto P na semi-circunferência. um bloco sobe um plano inclinado.

um gato de massa m encontra-se parado próximo a uma das extremidades de uma prancha de massa M que flutua em repouso na superfície de um lago. Desprezando o atrito entre a água e a prancha. sendo o ângulo entre a velocidade inicial do gato e a horizontal. e g a aceleração da gravidade. A seguir. . (ITA – 2008) Na figura.a) b) c) d) e) Resposta 220. o gato salta e alcança uma nova posição na prancha. indique qual deve ser a velocidade u de deslocamento da prancha logo após o salto. à distância L.

o garoto (de massa M) lança-se por uma corda amarrada num galho de árvore num ponto de altura L acima do gatinho (de massa m) da figura. Sendo g . a 2 m de distância? Resposta 222. (ITA – 2008) Numa brincadeira de aventura. em m/s. que pretende resgatar.a) b) c) d) e) Resposta 221. qual deve ser sua velocidade. Soltando o aro do ponto P. constante elástica k = 10N/m e comprimento inicial Lo = 1 m quando não distendida. (ITA – 2008) Um aro de 1 kg de massa encontra-se preso a uma mola de massa desprezível. A figura mostra o aro numa posição P em uma barra horizontal fixa ao longo da qual o aro pode deslizar sem atrito. ao alcançar o ponto T. afixada no ponto O.

uma mosca de massa m está em repouso no fundo de um frasco de massa M. indique o valor da tensão na corda. Mostrar em que condições a mosca poderá voar dentro do frasco sem que o equilíbrio seja afetado. . (ITA – 2008) Num dos pratos de uma balança que se encontra em equilibrio estático.a aceleração da gravidade e H a altura da plataforma de onde se lança. a) b) c) d) e) Resposta 223. imediatamente após o garoto apanhar o gato para aterrisá-lo na outra margem do lago.

Calcule também o ângulo Resposta . calcule o módulo da velocidade ricocheteada. (ITA – 2008) A figura mostra uma bola de massa m que cai com velocidade 1 sobre a superfície de um suporte rígido.Resposta 224. e e. em função de 1 2 com que a bola é . . Sendo e o coeficiente de restituição para esse impacto. inclinada de um ângulo em relação ao plano horizontal.