O impacto das redes sociais no processo de ensino e aprendizagem

Verônica Danieli de Lima Araújo1 (FUNDAJ)
Resumo: As fontes de informação e as formas de acesso as mesmas diversificaram-se nos últimos anos, após a inserção das TIC’s - Tecnologias da Informação e Comunicação em nossas atividades cotidianas; o aprendiz/aluno de hoje faz parte da “geração net ou geração digital” (TAPSCOTT,2010), a qual, imersa na “sociedade da informação” (CASTELLS,2000), não se reconhece enquanto sujeito da escola tradicional, apresentando enquanto desafio à educação uma demanda por atividades, conteúdos e avaliações os quais contemplem suas “inteligências múltiplas” (GARDNER,2000), e desenvolva o pensamento crítico e analítico. Nesse cenário, as redes sociais virtuais, as quais apresentam enquanto usuários um grande número destes jovens da geração digital pode ser um novo recurso no processo de ensino-aprendizagem. Considerando este contexto, temos por objetivo: discutir as possibilidades e os impactos do uso das redes sociais virtuais no processo de ensino aprendizagem. Metodologia: pesquisa bibliográfica. Resultados obtidos: o uso das redes virtuais (HARASIM, 2005; BRENNAND, 2006; GALLO, 2006; BOHN, 2010) proporciona mais dinamicidade, estimula a aprendizagem colaborativa e é um recurso o qual atrai e estimula os jovens da geração digital; há limitações didáticas, técnicas e metodológicas a serem superadas, mas os ganhos em relação ao processo de ensino-aprendizagem, se bem planejadas as atividades, são maiores do que as limitações. Palavras-chave: Redes Sociais, Ensino-aprendizagem, TIC’s na educação. Abstract: The information sources and ways to access the same diversified in recent years, after insertion of ICT - Information & Communication Tecnologies in our everyday activities, the learner/student of today is part of "Generation Net or digital generation" (TAPSCOTT, 2010), which, immersed in the "information society" (CASTELLS, 2000), not recognized as a subject of traditional school, while presenting a challenge to the demand for education activities, content and assessments which contemplate their "intelligences multiple "(GARDNER, 2000), and develop critical thinking and analytical. In this scenario, the virtual social networks, which show users as a large number of these young digital generation can be a new feature in the teaching-learning process. Considering this context, we aim: to discuss the possibilities and impacts of the use of virtual social networks in the process of teaching and learning. Methodology: literature search. Achievements: the use of virtual networks (HARASIM, 2005; BRENNAND, 2006; GALLO, 2006; BOHN, 2010) provides more dynamics, and encourages collaborative learning is a feature which attracts and encourages the young generation of digital, there are limitations educational, technical and methodological to overcome, but the gains in relation to teaching and learning, if well-planned activities are greater than the limitations. Keywords: Social networks, Teaching and Learning, ICT in education.

Universidade Federal de Pernambuco - Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação

-1-

etc. ou seja. hoje. jornal. o cenário comunicacional atual é repleto de mídias e outras fontes de informações (TV. as redes sociais estão num processo de expansão contínuo. principalmente as TIC’s a serviço de seus interesses – lazer. Universidade Federal de Pernambuco . havia uma certa defasagem entre um acontecimento e o acesso aos informes do mesmo pelo público em geral. os quais aprendem desde a infância a acessar e utilizar as tecnologias.Introdução O nosso acesso a informação hoje é indiscutivelmente maior do que o das gerações passadas. etc. estudos. A web hoje passou a ser um dos meios mais utilizados por estes jovens para se comunicar e obter acesso à informação. relacionamentos. as quais propiciam aos seus usuários um acesso quase que imediato aos dados sobre algum fato ou situação já ocorrido ou que ainda esteja ocorrendo em algum lugar do mundo. Com a diversificação das TIC’s – Tecnologias da Informação e da Comunicação. rádio. já que os meios de transmissão de informações ainda eram prioritariamente a mídia televisiva ou impressa. ou seja.) as quais possuem enquanto principais usuários a geração net (TAPSCOTT.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -2- . 2010).) Em relação às diversas modalidades de comunicação que estão se estabelecendo na então intitulada “sociedade da informação” (CASTELLS. internet. jovens e crianças que já nasceram e estão crescendo imersos numa sociedade cada vez mais tecnologizada. esse fato se explica por a net oferecer uma gama muito ampla de fontes de dados sobre algo e de forma mais rápida. etc. Myspace. obtermos informações simultâneas sobre os mesmos recorrendo a recursos tecnológicos diversos(celulares.).. Facebook. 2000). etc. as informações apresentavam um caráter mais estático. Haboo. Hi5. Antes da diversificação tecnológica. comunicações via satélite. e as redes sociais são um importante instrumento a serviço desses interesses. principalmente as redes sociais focadas em relacionamentos via WEB (Orkut. internet. computadores. podemos acompanhar eventos em tempo real.

possibilitando relacionamentos horizontais e não hierárquicos entre os participantes. a conexão fundamental entre as pessoas se dá através da identidade. atualizada e acessível possível. comunicam-se. a educação hoje se depara com um desafio: como estabelecer com a geração net uma relação de ensino-aprendizagem que concilie os interesses desse público com os objetivos pedagógicos da escola? As redes sociais das quais milhares de jovens são usuários podem ser um aliado do ensino? Considerando esses elementos. principalmente dos jovens. (. Os impactos das redes sociais na educação A definição de uma rede social é a de uma estrutura social composta por pessoas ou organizações. Muito embora um dos princípios da rede seja sua abertura e porosidade. porque é nela que eles se reconhecem.org/wiki/Rede_social) Hoje. porque o uso destas permite com que eles possam transpor seus interesses para o mundo virtual e assim a WEB passa a fazer parte do cotidiano das pessoas. focando especialmente as interferências.atualizada e acessível ao usuário do que a maioria dos livros e outros materiais impressos. interesses e esforços em busca de objetivos comuns.wikipedia. da forma a mais imediata. por ser uma ligação social. Nesse contexto. um dos locais em que as redes sociais mais tem se expandido é a web. os quais nem sempre acompanham o ritmo das informações da forma que esse público deseja. contribuições e limitações que o uso das mesmas podem trazer ao processo de ensino aprendizagem.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -3- . esse texto discute as redes sociais e seus impactos na educação. conhecimentos.) Um ponto em comum dentre os diversos tipos de rede social é o compartilhamento de informações. ou seja. as redes de relacionamento virtuais são um dos tipos de redes sociais em que mais tem crescido o número de usuários.. (http://pt.. Universidade Federal de Pernambuco . interagem e se informam. conectadas por um ou vários tipos de relações. que partilham valores e objetivos comuns. Uma das características fundamentais na definição das redes é a sua abertura e porosidade.

e uma forma eficiente de fazer isso é trazer para as práticas. nos conteúdos que estudam. uma perspectiva que surge para a educação é a de utilizar as tecnologias em seus processos.nas quais percebem que estão sendo contemplados em relação a essa multiplicidade de interesses e várias dimensões que compõem sua personalidade. professores e alunos. conteúdos. que nós possuímos capacidade de aprender e apresentar habilidades em relação a várias áreas do conhecimento. Assim. etc.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -4- . Gardner (2000) defende que não há uma inteligência. mas variando o leque de discussões e atividades para que se estimule todas as formas de inteligência e habilidades que podemos manifestar. Face a expansão do uso das redes sociais. tem interesse em vários em vários campos do saber. então a educação também deve se renovar para atender as novas demandas formativas que estão surgindo neste contexto. este público se envolve em várias atividades simultâneas. sendo as inteligências múltiplas. se é fato que estamos em uma configuração social diferente de todas as anteriores. ou seja. a escola deve diversificar suas formas de atuação. nas atividades que realizam no dia-a-dia da escola só consideram significativas as atividades. Mesclam-se nas redes informáticas. mas sim múltiplas inteligências humanas. principalmente as TIC’s. disciplinas. o processo educativo em si não pode ficar alheio ao papel que estas exercem nas formas de se expressar e relacionar da geração net. priorizando não só as áreas da linguagem ou do conhecimento lógico-matemático. e. As possibilidades comunicativas e a facilidade de acesso às informações favorecem a formação de equipes interdisciplinares de professores e alunos. a escola. sua integralidade enquanto seres.na própria situação de produção e aquisição de conhecimentos – autores e leitores. Devemos considerar que o ensino via redes pode ser uma ação dinâmica e motivadora. avaliações. orientadas para a elaboração de projetos que visem à superação de desafios ao Universidade Federal de Pernambuco . já que estas exercem tanto fascínio entre esse público. conteúdos e demais atividades da escola o uso das redes sociais..O modo como a escola está organizada atualmente não está mais se adequando ao perfil da geração net.

p. preconceito ou incapacidade de realizar uma transposição pedagógica de seus conteúdos para um meio que não seja a sala de aula presencial e seus recursos tradicionais – quadro. Mas. do qual a escola não pode se manter distante.conhecimento. procurando a melhor compreensão dos problemas e das situações encontradas nos ambientes em que vivem ou no contexto social geral da época em que vivemos. e portanto mais inclinadas a servirem a sociedade de uma maneira construtiva. equipes preocupadas com a articulação do ensino com a realidade em que os alunos se encontram. 2000.. livros didádicos.) se sentem mais engajadas e competentes.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -5- . simulações interativas. algo a ser considerado por estes é que os impactos deste processo[o uso da web e seus recursos. seria a de levar em conta que O propósito da escola deveria ser o de desenvolver as inteligências e ajudar as pessoas a atingirem objetivos de ocupação e passatempo adequados ao seu espectro particular de inteligências. etc. muitos profissionais apresentam sérias resistências ao uso das mesmas ou de quaisquer outros recursos tecnológicos na escola. considerando que o perfil do aprendiz não é mais o Universidade Federal de Pernambuco . Ou seja. Raciocínio. modelização digital. é válido que se utilizem recursos diferenciados no processo de ensino-aprendizagem. As pessoas que são ajudadas a fazer isso (. p.(BRENNAND. capacidade de representação mental e percepção estão sendo constantemente alteradas pelo contato com os bancos de dados. a utilização das redes sociais na escola ainda é uma discussão controversa. 2006. o pensamento crítico-analítico dos educandos.202) Assim. memória. seja por desconhecimento do funcionamento dos mesmos. projetores. uma das razões pelas quais a escola poderia utilizar as redes sociais em suas atividades. partindo da percepção de Gardner. p. (GARDNER.(KENSKI.74) Porém. como as redes sociais ] na capacidade de aprendizagem social dos sujeitos têm levado ao reconhecimento de que a sociedade em rede está modificando a maioria das nossas capacidades cognitivas. 2004.16) Na perspectiva de desenvolver as variadas formas de inteligência que o ser humano possui. giz. recursos estes mais “conectados” com a realidade desse público..

e que também as fontes de informação. troca de conhecimento e aprendizagem colaborativa.0.. p. pesquisas.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -6- . nas quais lhes é dado o papel de mais contemplar o saber do que participar da construção do mesmo. seminários. netbooks. interferem nas aulas e atividades. as redes sociais se entrelaçam ao cotidiano da escola. 2009. Aulas. questionadores e participantes em seu processo de aprendizagem. debates. as redes sociais oferecem um imenso potencial pedagógico. cabe ao professor o papel de saber utilizá-las para atrair o interesse dos jovens no uso dessas redes sociais favorecendo a sua própria aprendizagem de forma coletiva e interativa(BOHN. notebooks. os estímulos e desafios são mais variados. Mesmo que de forma indesejada. Mp’s. troca de arquivos.01) Universidade Federal de Pernambuco . através dos seus celulares. com tanta tecnologia e ferramentas gratuitas disponibilizadas na Web. porque assim como as ferramentas da Web 2..)Enfim.etc.) com pessoas relacionadas a algum tema em discussão. os alunos trazem para dentro da escola elementos de sua realidade externa. fazendo com que as crianças e jovens de hoje sejam mais ativos. Eles procuram conhecimentos que sejam válidos. contato(chat. Os membros podem abrir um novo tópico e interagir com outros membros compartilhando idéias(.mesmo de antes. tornando-se um elemento o qual pode e deve ser explorado pelos professores e demais profissionais no desenvolvimento das atividades da escola. essas são apenas algumas atividades que podem ser desenvolvidas através do uso das redes sociais na escola.troca de emails. Redes sociais: por que utilizá-las na educação? A inserção das redes sociais nas escolas enquanto uma ferramenta no processo de ensino-aprendizagem já é um fato que acontece em muitas instituições de ensino. úteis e relacionados às suas atividades e muitos não se identificam com perspectivas tradicionais de ensino. Uma das ferramentas de comunicação existentes em quase todas as redes sociais são os fóruns de discussão. trabalhos em grupos constituídos por alunos de escolas diferentes(até de países e culturas diferentes). usando os computadores da escola e outros recursos eletrônicos que lhes permitem manter essa conexão com os outros e com o mundo. Elas possibilitam o estudo em grupo.

fazem com que as redes sociais virtuais em sua maioria apresentem uma dinâmica de funcionamento que leva os usuários a terem interesse em acompanhar o que há de novo. contribuir com conteúdo e informações e assim interagir. os links que podem remeter a outras páginas. (GALLO. podemos junto com elas inovar o cotidiano das atividades da escola em relação aos seguintes aspectos:atratividade. etc. fazer-se presente neste meio. ou seja. p. sem dúvida podem servir como elemento motivador dos alunos em relação a Universidade Federal de Pernambuco . porém muitos passam a construir conhecimento por meio de recados (scrap) e ou pela discussão gerada pelas comunidades virtuais. entre outros.como ferramenta no processo de ensino-aprendizagem: Esta grande abrangência nos variados temas. a troca de informações. músicas. 2006. ao introduzirmos o uso das redes sociais na escola.Também em defesa das redes enquanto ferramenta de aprendizagem.) permitem com que seus usuários interajam entre si. a forma como são tratados diversos temas. Assim. diversidade. compartilhamento de fotos. vídeos. participar. O aspecto lúdico através da diversão. pois possibilita o encontro de pessoas com interesses semelhantes e múltiplos pontos de vista. a facilidade no manuseio e alta interligação entre os usuários fazem do Orkut uma ferramenta popular e de sucesso entre jovens e adultos. Gallo apresenta as contribuições e aspectos positivos do uso de uma rede virtual de relacionamentos . 49) Podemos perceber que os diversos elementos que compõem a maioria das redes virtuais (perfis. pode funcionar como aliado/parceiro. páginas de recados. sua aprendizagem. jogos. comunidades. inovação. Nesse sentido. gostos. os quais. torna-se importante ser um membro. a apresentação visual. interatividade. etc. que atualmente é a rede social de relacionamentos virtuais com maior número de usuários no Brasil .Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -7- .. favorecendo a comunicação e ampliando a cooperação e o reconhecimento do outro. vontades. compartilhem opiniões. descontração e espontaneidade faz com que o Orkut não seja visto também como um ambiente de aprendizagem e sim como um ambiente de relacionamento pelos usuários.o Orkut.

Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -8- . Um dos problemas mais apontados em relação ao uso das redes sociais é que as mesmas expõem seus usuários. devemos levar em conta que as redes sociais. etc. De acordo com Silva (2009). É fato que ao ingressarmos numa rede social virtual. necessitam ter uma proposta pedagógica norteando o seu uso na educação para que esse uso seja eficaz no processo de ensino-aprendizagem. trotes e outros procedimentos) desagradáveis. de forma a evitar que as mesmas nos levem a sermos alvos de ações criminosas. endereço. Por ainda serem uma alternativa didática cuja viabilidade está sendo alvo de estudos. assim como outros recursos. Outro elemento que gera resistência em relação ao uso das redes sociais é o fato de que as mesmas não são acessíveis a todos – escolas que não possuem um laboratório de informática em boas condições de funcionamento. mecanismos de contato (número de celular. uma vez que esses disponibilizam informações pessoais. principalmente se essa for externa.). porque as informações publicadas na rede nem sempre podem ser removidas ou editadas. violências diversas. etc.) como também presenciais (roubos. Outro problema detectado na realização de atividades pedagógicas através do uso das redes sociais é o fato de que é necessário um acompanhamento eficaz dos professores e outros profissionais. a qual a escola não pode garantir a privacidade de uso. alunos que não tem acesso a um computador potente ou a internet com velocidade e definição suficientes para que possam realizar e acompanhar as atividades propostas. Universidade Federal de Pernambuco . acabam se prejudicando em atividades que sejam desenvolvidas exclusivamente pelas redes sociais.Limitações no uso das redes sociais no processo de ensino aprendizagem Quando do uso das redes sociais no processo de ensino-aprendizagem na escola. é necessário se adotar precauções em relação a quais informações pessoais irão circular na rede. cyberbullying. sejam elas virtuais (assédio. há também restrições a serem consideradas em relação ao uso educacional das redes sociais.

principalmente aquelas de caráter avaliativo. o que pode gerar algum tipo de problema. na execução de procedimentos (downloads. uploads.tanto alunos como professores podem ter dificuldades no uso das redes ao se depararem com problemas técnicos tais como dificuldades no acesso. porque nem sempre podemos reformular ou remover essas informações”. os alunos necessitam de orientações claras e eficazes para não se prejudicarem na realização das atividades. entre outros. por exemplo) problemas de conexão. A “ansiedade de comunicação” – os usuários iniciantes ficam ansiosos em saber se suas mensagens chegaram e também em receber respostas imediatas aos seus questionamentos.“devemos ter cuidado com o que publicamos nas redes sociais (artigos. etc.). quando uma atividade na mesma é focada em algum objetivo Universidade Federal de Pernambuco . principalmente em atividades assíncronas. os usuários das redes virtuais devem saber que o “diálogo” apresenta diferenças em termos de velocidade entre perguntas e respostas. dificuldades no manuseio de softwares e aplicativos. como para quem é alvo daquela publicação. Além destes. tanto para quem publicou. há ainda outros problemas que podem surgir quando as redes sociais virtuais são utilizadas na educação. assim. conforme estudos de Harasim ET AL (2005): Ocorrência de dificuldades técnicas . de sobrecarga de informações na rede. respostas a outros usuários. dados pessoais. Excesso de informações na rede ou “Infoglut” – esse termo se refere ao problema de excesso. opiniões. determinados tipos de atividades na rede exigem um tempo diferenciado do real.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação -9- . comentários. ou seja.

porque um dos objetivos das atividades em rede é promover a cooperação entre os alunos. para evitar que informações que não são relacionadas aos objetivos da atividade acabem ocupando o espaço de outras mais necessárias e dessa forma confundam os alunos ou os tirem do foco do que estão fazendo.10 - . os alunos podem se desmotivar ou mesmo construir concepções equivocadas sobre algo. deve-se ter um controle. e para isso o planejamento do tempo é fundamental. tanto professores como alunos devem ter condições de acompanhar as atividades propostas. um filtro em relação à quantidade e tipo de informações que circulam na rede. etc. não estabelece objetivos claros a serem atingidos. Problemas na administração do tempo . para que contribuam no processo de ensino–aprendizagem necessitam ser planejadas de modo eficaz e de forma que sejam possíveis de serem realizadas pelos alunos.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação . trabalhos.) as diversas atividades que ocorrem nas redes. por isso é necessário um planejamento e controle mais rigoroso do tempo para evitar a dispersão ou mesmo a desistência em relação às atividades. não orienta os alunos. Dificuldades na condução das atividades (conversas. Desenvolvimento de competição ao invés de cooperação entre os alunos .as atividades em rede podem se tornar mais extensas do que as atividades presenciais. se o professor cobra demais ou de menos.é necessário cuidado no tipo de atividades solicitadas aos alunos e também na condução das mesmas. mas um dos equívocos mais comuns é com que sejam propostas atividades Universidade Federal de Pernambuco .educacional.

má comunicação. Conclusões Como todo instrumento que desponta enquanto alternativa a ser trabalhada no cenário educacional. pode trazer contribuições e avanços como também problemas e prejuízos para o cenário educacional. e por isso as mesmas nas diversas formas em que se materializam – como por exemplo.que promovem a competição. As tecnologias.11 - .Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação . as redes sociais virtuais – não podem ser ignoradas em relação as interferências que ocasionam em diversos segmentos da vida individual e coletiva. como discutimos aqui. um ganho na educação através do uso das redes no processo de ensino aprendizagem é o fato de que devemos considerar que estas já fazem parte do cotidiano de boa parte dos alunos e são utilizadas por estes em outros momentos. saindo da perspectiva de uma aprendizagem colaborativa. abrem um leque extenso de oportunidades e formas de comunicação e interação entre os indivíduos. mas as que foram apontadas aqui já são um indicativo que há muitos elementos a serem considerados para que o uso das redes. principalmente aquelas focadas em relacionamentos via web. O que vai garantir a eficácia. a rivalidade e o individualismo. principalmente as relacionadas a comunicação. principalmente as virtuais sejam uma opção válida no processo de ensino-aprendizagem. 2005) Poderíamos ainda elencar outras dificuldades. Dificuldades no estabelecimento da dinâmica de grupo. o uso das redes sociais. ausência de apoio institucional e de planejamento estratégico. participação desigual dos usuários. ou seja. a utilização das redes sociais na educação é algo Universidade Federal de Pernambuco . são ainda outros problemas apontados pelos autores (HARASIM ET AL.

ainda enfocando os profissionais da educação. Por fim. analisá-las e por fim transformá-las em conhecimentos válidos em seu universo pessoal e social. por ser uma instância significativa na vida da maioria deles. recursos. pela familiaridade e identificação que a geração net apresenta em relação as mesmas.rj. G.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação . Hipermídia e novas engenharias cognitivas nos espaços de formação. Recife: ENDIPE. obtê-las.gov. principalmente as TIC’s – Tecnologias da Informação e Comunicação.que. Edna G. Vanessa. IN: SILVA ET AL(Org. Referências Bibliográficas BOHN. terão um significado dentro do cotidiano desses alunos. Universidade Federal de Pernambuco . pode viabilizar uma melhora no rendimento dos mesmos em relação à aprendizagem.asp. e por isso as ações que forem desenvolvidas utilizando esse recurso. Também é preciso que os profissionais da educação busquem se inserir nesse novo cenário educacional – a educação mediada pelo uso das tecnologias. Disponível em: http://www. propondo atividades que foquem as diversas inteligências e habilidades dos alunos. possam ter condições de saber selecioná-las. técnicas e métodos necessários para que possam estabelecer uma situação comunicacional com a chamada geração net. apropriandose das linguagens. o elemento mais necessário para tornar viável o uso das redes na escola é o fato que haja sensibilidade por parte dos mesmos para que saibam explorar os recursos que as redes apresentam. BRENNAND.br/temas-especiais26h.) XIII ENDIPE – Encontro Nacional de Didática e Prática de Ensino. Acesso em: 08 de agosto de 2010.12 - . As redes sociais no ensino: ampliando as interações sociais na web.conexaoprofessor.2006. Políticas educacionais. de forma que esses se sintam desafiados e motivados na realização das atividades e que estas contribuam para que os mesmos frente a um universo repleto de informações. tecnologias e formação do educador: repercussões sobre a didática e as práticas de ensino.

Maceió: EDUFAL. Patrícia. <Disponível em: HTTP://revista.SP: Papirus. KENSKI. Profa. A Sociedade em Rede . TAPSCOTT. Don. Ms. Manuel. Luis Paulo Leopoldo (org. sociedade e cultura. Linda (Et al). Inteligências múltiplas: a teoria na prática. Porto Alegre: Artes Médicas. 2ª Ed. Vani Moreira. IN: MERCADO. GALLO.gov. Experiências com tecnologias de informação e comunicação na educação. Rio de Janeiro: Editora Agir. Redes de aprendizagem: um guia para ensino e aprendizagem on-line. (Tradução de Maria Adriana Veríssimo Veronese) HARASIM. IN: Revista Espírito Livre. Campinas. 2006. Tecnologias e ensino presencial e a distância. Dezembro de 2009. 2000. SILVA.13 - . A hora da geração digital.org> 1 Verônica Araújo. 2000.2010.a era da informação: economia. Orkut como ferramenta de aprendizagem. Howard. 2004. Jomar. São Paulo: Editora SENAC São Paulo.CASTELLS. Pp 28-32. em Educação (UFPE) Fundação Joaquim Nabuco (FUNDAJ) E-mail: veronica.espiritolivre. 2005. 10 cuidados que devemos tomar em redes sociais. GARDNER.br Universidade Federal de Pernambuco . São Paulo: Paz e Terra.Núcleo de Estudos de Hipertexto e Tecnologias na Educação .araujo@fundaj.).

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful