OSCAR NIEMEYER

Confira as frases célebres de Oscar Niemeyer
06/12/2012

Conheça as frases mais marcantes do arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer, que morreu na última quarta-feira (5), aos 104 anos. Niemeyer gostava de falar da sua paixão pelo trabalho
O arquiteto Oscar Niemeyer, que morreu na noite da última quarta-feira (5), aos 104 anos, no Rio de Janeiro, além de produzir construções conhecidas mundialmente, também era famoso pelas frases e pensamentos. Niemeyer gostava de falar sobre a sua paixão pelo trabalho e pelas obras que construiu pelo Brasil, além de tocar em assuntos mais delicados, como dinheiro e até mesmo a religião. » Entenda quem foi Oscar Niemeyer» 50 melhores blogs para estudantes de arquitetura » Um Pouco de Arte para sua Vida Confira algumas de

Crédito: Wikipédia

Niemeyer gostava de falar sobre a sua paixão pelo trabalho e pelas obras que construiu pelo Brasil

suas frases mais marcantes ao longo da vida: Sobre si mesmo:“Diria que é um ser humano como outro qualquer – que
nasceu, viveu e morreu. Sou um homem comum – que trabalhou como todos os outros. Passou a vida debruçado sobre uma prancheta. Interessou-se pelos mais pobres. Amou os amigos e a família. Nada de especial. Não tenho nada de extraordinário. É ridículo esse negócio de se dar importância.” Explicando como escreveria um verbete sobre si mesmo em uma enciclopédia, em entrevista a Geneton Moraes Neto, na TV Globo. “Fui sempre um revoltado. Da família católica eu esquecera os velhos preconceitos, e o mundo parecia-me injusto, inaceitável. Entrei para o partido comunista, abraçado pelo pensamento de Marx que sigo até hoje.” Em entrevista no ano de 2006 “Cem anos é uma bobagem, depois dos 70 a gente começa a se despedir dos amigos. O que vale é a vida inteira, cada minuto também, e acho que passei bem por ela.” Em entrevista aos 100 anos, completados em 2007. Sobre a vida:“A vida é um sopro, um minuto. A gente nasce, morre. O ser humano é um ser completamente abandonado...” Em entrevista à BBC Brasil, em 2001. “A vida não é justa. E o que justifica esse nosso curto passei é a solidariedade.” Sobre a ajuda que oferecia aos pobres, em entrevista em 2007. “Sou pessimista diante da ideia de que o homem, quando nasce, já começa a morrer, como notou Jean Paul Sartre. Mas, na vida caminhamos rindo e chorando o tempo todo: é preciso, então, aproveitar o lado bom da vida, usufruir o melhor possível e aceitar os outros como eles são. Sempre digo: o importante é o homem sentir como é insignificante, é o homem olhar para o céu e ver como somos pequeninos.
Copyright © 2012 Universia Brasil. Todos os direitos reservados. Página 1 de 3

ao lançar o livro “As igrejas de Oscar Niemeyer”. E eu fui criado num clima assim. haver solidariedade.Ultimamente. Todos os direitos reservados. me interessar pelas igrejas. os museus. No curso sinuoso dos sentidos. que tem 700 metros e tem uma arquibancada dos dois lados. Sobre os seus trabalhos“Era um protesto que eu levava como arquiteto. conhecer as pessoas. É preciso mudar a sociedade. Para mim o importante é a vida. "Meu trabalho nao tem importância." Sobre o Edifício Copam. Não basta fazer uma sociedade moderna.” Sobre seu interesse por igrejas. inflexível criada pelo homem. das curvas mais variadas. Então o importante é que funcione bem. lá é o Congresso. essa intenção de contestar a arquitetura retilínea que então predominava. Tudo isso será maior ainda porque todos deles poderão participar.” Sobre os seus traços. construído em Belo Horizonte. nem a arquitetura tem importância pra mim. morreu sem um tostão. de cobrir a igreja da Pampulha de curvas. "Não é o ângulo reto que me atrai. no ano de 2011. Tem uma avenida central. Ela ia crescendo. no entanto. “O que nós queremos na arquitetura. Esse passado junto da família me deixou com a ideia de que os católicos são bons. mesmo sendo comunista. com a mudança na sociedade. no ano de 1956. As casas de luxo serão menores. Página 2 de 3 . Brasília surgia como num passe de mágica. O resto. E a coisa é tão natural." Sobre o dinheiro:“Meu avô foi ministro do Supremo Tribunal. “Minha preocupação sempre é fazer uma coisa Copyright © 2012 Universia Brasil. Já disse que teria vergonha de ser um homem rico. a gente se abraçar. Como é imprevisível o que ela pode criar!” Em entrevista à TV Globo. De curvas é feito todo o universo. dura. Nem a linha reta. “Nós começávamos a imaginar quando é que Brasília iria surgir. uma arquitetura ligada às minhas raízes e ao meu país. no ano de 2007. A curva que encontro nas montanhas do meu país. Tinha até missa na minha casa. Depois apareciam os contornos e começávamos a dizer: ali é o Teatro. O que me atrai é a curva livre e sensual. Achei bonito ele morrer assim.” Por que a arte nos dá prazer? Sobre a religião:“As pessoas se espantam pelo fato de.” Sobre o projeto piloto para a capital do país. Eu morava com os meus avós. os teatros. um milagre. é conversa fiada. Considero o dinheiro uma coisa sórdida. aparecia uma mancha azul no horizonte. aos 100 anos.” Em entrevista à TV Globo. a Torre.” Sobre o Conjunto da Pampulha. Os grandes empreendimentos urbanos. Minas Gerais. pensar num mundo melhor. tenho me espantado como a inteligência do homem é fantástica! Tenho conversado sobre astronomia. que a visibilidade seja perfeita. que eram religiosos.” Em entrevista ao Jornal da Globo. De repente. nas nuvens do céu. “Faço arquitetura que me agrada. em 2007. no ano de 2007. "O Sambódromo é uma obra que quase dispensa explicação. construído em 1951 no centro de São Paulo. os cassinos. não é nada especial. No corpo da mulher preferida. que querem melhorar a vida e fazer um mundo melhor.

Todos os direitos reservados. Fonte: Universia Brasil Copyright © 2012 Universia Brasil.” Sobre o diferencial de sua obra. que provoque surpresa. Página 3 de 3 .diferente.