You are on page 1of 35

FUNDAÇÃO MARIA ULRICH Relatório Contas e Demonstração de Resultados

2008
FMU – RELATÓRIO 2008 1

Mensagem do Presidente
O ano de 2008 ficou marcado pelas comemorações do centenário do nascimento de Maria Ulrich. Durante quatro anos, e desde que assumi a Presidência do Conselho de Administração, preparámos com cuidado estas comemorações. Fizemos um Concerto anual, que tentámos que marcasse cada ano com alguma visibilidade. Todo este tempo fez as Escolas de Pais, as formações contínuas, que tão procuradas são, e que hoje são certificadas, as tertúlias de homens, as vendas de Natal, os ciclos de conferências temáticos, etc, etc. Claro que todas as iniciativas que realizámos, ficaram sempre aquém do desejado e também do merecido para celebrar os 100 anos de Maria. Mas, tendo em conta a sensível situação financeira da Fundação, estou certo de que em nada desvirtuamos esta instituição e muito menos a sua fundadora. A Fundação é hoje uma instituição financeiramente mais estável, e com projectos e iniciativas que se desenvolvem de forma consistente permanente no mundo da educação e da cultura, dando assim cumprimento ao objecto que a constitui. Agradeço a todos os que têm apoiado a nossa actividade, em particular aos nossos patrocinadores, que tornam possível a subsistência da Fundação, à Câmara Municipal de Lisboa nossa parceira, ao Conselho Fiscal e Conselho de Curadores, bem como à Direcção e aos nossos colaboradores.

Lisboa, 19 de Janeiro de 2009

Padre João Seabra Presidente do Conselho de Administração FMU – RELATÓRIO 2008 2

Órgãos sociais:
Conselho de Administração:
Presidente: Cónego João Seabra Tesoureiro: Pedro Correia Secretário: Manuel Nobre Gonçalves Vogais: Isabel Faria de Carvalho João Ulrich

Direcção:
Directora Executiva: Teresa Araújo Neves Vogal: Teresa Jardim de Oliveira

Conselho Fiscal:
Presidente: Manuel Frederico Lupi Bello Vogais: José Sousa Mendes Guilherme Almeida Brito

Conselho Consultivo:
FMU – RELATÓRIO 2008 3

Maria Berta Cerqueira Peixoto da Costa – Presidente; Juiz Conselheiro Dr. Armando Leandro Filipa Ulrich Garnel Dr. Mário Puppo Correia Drª Olga Alves Simões de Carvalho Prof. Drª Teresa Maria de Vasconcelos Teresa Gomes de Castro Simas Ana Vasconcelos Ana Maria Oliveira Martins João Alberto Pinto Basto José Sousa de Macedo

1.CENTENÁRIO DO NASCIMENTO DA MARIA ULRICH

1.1 – Recital pela ONT:

No dia 9 de Julho, pelas 21:30h, teve lugar no Salão Nobre da Casa Veva de Lima, gentilmente cedida para o efeito pela Associação Casa Veva de Lima e autorizada pela Câmara Municipal de Lisboa, um recital de Verão, aberto às famílias, com o seguinte programa: - Fred Fisher ……………………………………………………………………. Chicago

- Henry Mancini …......................................................................................... Moon River - Henry Mancini............................................................................. A Pantera cor-de-rosa

FMU – RELATÓRIO 2008

4

- Errol Garner ........................................................................................................... Misty - Astor Piazzolla ................................................................................... História do Tango - Bordel 1900 - Café 1930 - Nigth club 1960 - Concert d’aujourd’hui - Terence J. Thompson ……………………………………………... Suite – City Scenes 1. A Stroll in the City 2. Blowing the Blues 3. Hot Potato Boogie

1.2 – IV Concerto:

A Fundação realizou em 24 de Outubro o IV e último Concerto inserido nas comemorações do Centenário de Maria Ulrich.

O concerto foi interpretado pela Orquestra de Cascais e Oeiras e dirigida pelo Maestro Nikolay Lalov. A Orquestra teve uma prestação extraordinária que muito dignificou as comemorações que ao longo de quatro anos fizemos.

O programa foi o seguinte:

W. A. MOZART

Divertimento N.º 1 em Ré Maior Allegro Andante Presto

S. AZEVEDO FMU – RELATÓRIO 2008

Simple Airs & Simple Jigs 5

Danças: I. Red-Haired Boy & King of the Fairies II. Mrs. Jamieson’s Favourite III. Drowsy Maggie IV. Mary, Young and Fair V. Morpeth Rant VI. The Staffordshire Hornpipe VII. Red-Haired Boy & King of the Fairies

A. BORODIN

Sinfonía para cordas Allegro moderato Scherzo. Allegro Notturno. Andante Finale. Andante

1.3 – Lançamento da Colecção “Educação Século XXI”:

Também no dia 24 de Outubro foi lançada a colecção “Educação Século XXI”.

Esta colecção pretende editar e reeditar alguns livros referência no campo da educação.

O primeiro volume desta colecção, que a Fundação teve a honra de publicar, foi um trabalho sobre Maria Ulrich efectuado pela Dr.ª Luísa Vian. É um trabalho académico, e o mais antigo que conhecemos sobre Maria Ulrich. Por isso mesmo, quis a Fundação que fosse este o primeiro volume desta colecção.

FMU – RELATÓRIO 2008

6

Já está em preparação o segundo volume, este uma biografia sobre Maria Ulrich - “Uma Educadora para o Século XXI”. Um trabalho conjunto, que está a ser preparado pela Profª. Doutora Maria do Rosário Lupi Bello e pela Dr.ª Fátima Vizeu Pinheiro.

1.4 – Colaboração nas comemorações do centenário de Maria Ulrich, com as outras instituições por ela fundadas

A Fundação em colaboração com a Escola Superior de Educação Maria Ulrich, o Colégio Nosso Jardim e a Associação Casa Veva de Lima, promoveram as comemorações do Centenário do Nascimento de Maria Ulrich, tendo cada uma destas instituições promovido diversos eventos durante todo o ano.

1.5 – Exposição sobre a vida de Maria:

A Fundação durante este ano, fez uma exposição sobre a vida e obra de Maria Ulrich, e esteve exposta não só na sua sede como em todos os eventos que promoveu.

1.6 – Colóquio “A Esperança na Educação”:

A Fundação Maria Ulrich promoveu o Colóquio sobre a “Esperança na Educação”, no dia 4 de Abril, pelas 17 horas no Auditório Cardeal Medeiros da Universidade Católica de Lisboa.

Os oradores foram: Padre João Seabra, pela Fundação Maria Ulrich; Dr. José Manuel Fernandes, Prof. Dr. Marcelo Rebelo de Sousa e Dr. Francisco Vieira e Sousa, do Fórum para a Liberdade de Educação e Drª Aura Miguel – Moderadora.

FMU – RELATÓRIO 2008

7

1.7 – Painel de 25 de Novembro:

No dia 25 de Novembro, data do aniversário de Maria, a Fundação promoveu um painel sobre a vida e obra de Maria Ulrich. Este encontro contou com a presença de um grupo de grandes amigas que testemunharam a marca deixada pela Maria nas suas vidas e também na sociedade da época, particularmente em Lisboa. Fizeram parte deste painel:

1. Família: Filipa Ulrich; 2. JIC/Acção Católica/ Ramalhete – Isa Ulrich; 3. Escola: a) Seu Inicio: Maria Isabel Mendonça Soares; b) 1º Ano: Teresa Simas 4. Escola Hoje: Ana Ayres 5. Nosso Jardim: Luísa Vian 6. Casa Veva de Lima: Alfredo Magalhães Ramalho Foi também celebrada uma missa na Capela das Amoreiras, em sufrágio da sua alma, e foi presidida pelo Padre Figueira.

1.8- Sessão da Casa Veva de Lima:

No dia 26 de Novembro a Associação Casa Veva de Lima, no seu encontro quinzenal fez uma homenagem a Maria Ulrich, e convidou três das suas amigas : Teresa Simas, Teresa Sacadura Botte e Maria Isabel Pinto Basto.

FMU – RELATÓRIO 2008

8

O presidente da Associação, Dr. Alfredo Magalhães Ramalho anunciou a sessão com esta breve nota que juntamos:

“Passou em Março de 2008 o centenário do nascimento da nossa Fundadora; associando-nos às comemorações que ao longo deste ano a Fundação e a Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich têm vindo a promover, também a nossa Associação com o maior gosto quer cumprir o dever de gratidão de lhe dedicar uma sessão - e para isso escolhemos esta data, quase coincidente com o vigésimo aniversário da sua morte, em 25 de Novembro de 1988.

Deixando mais uma vez falar quem melhor do que eu o sabe fazer, peço licença para citar a descrição que na ocasião da sua morte dela fez o Jaime Nogueira Pinto, transcrita a pags. 143 / 144 do livro “Quem foi Maria Ulrich”, da Luísa Vian Alves, directora do “Nosso Jardim”, cuja publicação a Fundação agora promoveu :

“Maria Ulrich não era boazinha... era uma pessoa boa, duma bondade profunda, sem nada do smal talk caritativo ou auto contemplativo. Fazia coisas pelo bem dos outros, e sabia mandar fazê-las... Era uma realizadora, uma pessoa que se dava lucidamente às obras a que metia ombros, e sabia pedir e exigir aos outros que o fizessem.

Como o Cristo em que acreditava, era uma amiga difícil que pedia muito... e pedia mais a quem mais lhe dava, e particularmente eu tenho hoje muita pena de não lhe ter dado mais...

Tinha as virtudes teológicas: uma Fé inabalável, de mover montanhas e cruzar oceanos, o que numa personalidade activa de grande inteligência é uma marca de escolha. Tinha uma grande Esperança e actuava, no seu lugar, com uma energia, com uma alegria, com uma boa disposição, uma crença nas coisas – em Portugal, no futuro, nos mais novos, no poder da razão e da convicção – que fazia vergonha à nossa geração de construtores de aventuras de areia, às vezes apocalípticos, outras quase cínicos, à força de derrotas e pseudo-realismo. FMU – RELATÓRIO 2008 9

Muito habituados às celebridades festivas da política, das letras, do dinheiro, esquecemos às vezes o verdadeiro significado de ser gente, de passar pelo mundo, de o deixar um pouco melhor do que o encontrámos. O grande mistério cristão da vida e da morte é esse, Deus vê-nos, mesmo que os homens estejam a olhar para outro lado. E quando chegamos ao fim desta vida, deixamos na memória dos outros, impresso nas coisas, o nosso caminho neste mundo.

O caminho da Maria Ulrich foi admirável: é essa a palavra exacta.”

1.9- Escola Superior de Educação Maria Ulrich – “A coragem de Educar”

A Escola Superior de Educação Maria Ulrich realizou no dia 13 de Novembro um colóquio em que a Fundação participou activamente, na sua preparação e no seu desenvolvimento.

A Fundação foi representada pela Senhora D. Maria Isabel Faria de Carvalho, membro do nosso Conselho de Administração.

Neste colóquio fez-se a ponte entre o que foi o legado de Maria Ulrich na educação e os desafios e propostas actuais.

2. ACTIVIDADES DE FORMAÇÃO

2.1 – Continuação do Curso de Formação «O Bebé Competente e os Desafios Educativos I» destinado a profissionais com diferentes funções na Creche.

FMU – RELATÓRIO 2008

10

O curso realiza-se com uma periodicidade quinzenal. Tendo sido iniciado no mês de Outubro de 2007, terminou em 20 de Maio de 2008. Sessões em 2008: • 8 Janeiro: Psicologia e Pedagogia (2º ano de vida). Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. • 22 Janeiro: Neurociências (3º ano de vida). Formadores: Nuno Lobo Antunes • 12 Fevereiro: Psicologia e Pedagogia (3º ano de vida) Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. • 26 Fevereiro: Psicologia e Pedagogia (3º ano de vida). Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. • 11 Março: Atelier: Movimento e Intencionalidade. O desenvolvimento psico-motor infantil e o seu contributo na aprendizagem. Formadores: Carla Almeida • 8 Abril : Atelier: Linguagens e Linguagem. Bases biológicas, cognitivas e sociais das experiências de aquisição e desenvolvimento da pré-linguagem e da linguagem. Formadores: Ana Paula Rodrigues • 22 Abril: Atelier: Mundo dos Sons e Música. Pressupostos pedagógicos e actividades na perspectiva do desenvolvimento global e específico da música. Formadores: Ana Ferrão • 6 Maio: Atelier: Brincar e Brinquedo. A actividade lúdica como experiência transversal a todo o processo de desenvolvimento. Formadores: Mª Emília Nabuco • 20 Maio: Avaliação: Reflexão intra-grupal a partir dos registos pessoais e comunicação inter-grupal na perspectiva da valorização do entusiasmo e da motivação. Conclusão: O tecer da segurança e da eficácia na creche. Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. • No dia 19 de Fevereiro as responsáveis do curso realizaram uma visita à Creche da Assistência Infantil de Sta. Isabel. • No dia 4 de março realizou-se um seminário extra sobre «Funcionamento e organização na Creche», pela Dra. Anália Cascais. 2.2 - Curso de Formação «O Bebé Competente e os Desafios Educativos II» destinado a profissionais com diferentes funções na Creche. FMU – RELATÓRIO 2008 11

Mantém-se a periodicidade quinzenal. Tendo sido iniciado no dia 7 de Outubro, prolonga-se até 19 de Maio de 2009. Sessões em 2008: • 7 Outubro: Apresentação do Curso. Identificação de competências e estímulos adequados ao desenvolvimento nos domínios psicomotor, perceptivo, cognitivo, afectivo, social e espiritual, no 1º ano de vida. Jardim. • 21 Outubro: Identificação de competências e estímulos adequados ao desenvolvimento nos domínios psicomotor, perceptivo, cognitivo, afectivo, social e espiritual, no 1º ano de vida. Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. • 4 Novembro: Integração e amplitude das competências e estímulos no 2° ano de vida. Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim • 18 Novembro: Integração e amplitude das competências e estímulos no 2° ano de vida. Formadores: Teresa Jardim • 9 Dezembro: Integração e amplitude das competências e estímulos no 3° ano de vida e leitura da espiral do desenvolvimento e aprendizagem na primeira infância. Formadores: Deolinda Botelho e Teresa Jardim. Deolinda Botelho e Formadores: Deolinda Botelho e Teresa

O público-alvo é composto por 16 educadoras de infância, 17 auxiliares da acção educativa e 2 psicólogas. Dado o elevado número de inscrições iniciais (40) e uma lista de espera com 12 pessoas, no próximo ano estudaremos a hipótese da realização de 2 cursos em simultâneo.

2.3 – O Núcleo de Formação para a Educação e o Desenvolvimento (NFED) procedeu com êxito à renovação do processo de acreditação da FMU como instituição formadora, junto do Conselho Cientifico e Pedagógico da Formação Contínua (CCPFC).

FMU – RELATÓRIO 2008

12

2.4

– Colaboração com o Departamento da Catequese do Patriarcado de Lisboa e com a ESEI Maria Ulrich:

A Fundação integra a Equipa do Despertar da Fé e colabora nas áreas da formação e consultadoria pedagógica.

Durante este ano participou nas seguintes acções:

Formação sobre a espiritualidade da criança, na Paróquia de Sto. António de Nova Oeiras (19 de Janeiro). Jornada de um dia de formação em Coimbra, sobre o Despertar da Fé das crianças dos 0-6 anos, destinada a Educadores de Infância e Catequistas, organizada pelo Sr. Pe. Coelho do departamento da Catequese de Coimbra (21 de Fevereiro). Encontros de formação do projecto – Despertar da Fé - na Casa de Retiros da Buraca, destinados a educadores dos Centros Sociais Paroquiais, catequistas, e animadores pastorais. 4ª Encontro (23 de Janeiro de 2008, das 14.30-18h) Preparação da Quaresma e da Páscoa O sentido de caminho na Bíblia e na vida de Jesus Proposta pedagógica para a vivência da Quaresma e da Páscoa (pela «Equipa do Despertar»)

O ANO INTERNACIONAL DO PLANETA TERRA, ANO DE S. PAULO

1º Encontro (9 de Setembro de 2008, das 9.30-18h) Retiro Espiritual para educadores (a pedido de um grupo)

FMU – RELATÓRIO 2008

13

2º Encontro (15 de Outubro de 2008, das 14.30-18h) Educar para os valores da relação com a terra e interpessoais. Comunicação: Monsenhor Victor Feitor Pinto Prática Pedagógica e reflexão a partir das Ciências Educativas Assistência Infantil de Santa Isabel e Doutora Brigite da Cunha, professora Universitária. 3º Encontro (22 de Outubro de 2008, das 14.30-18h) Festa de Todos os Santos. S. Paulo e o modo como viveu na terra. Comunicação: D. Carlos Azevedo. Prática Pedagógica Intergeracional Partilha de uma Instituição Educativa e outras colaborações

4º Encontro (26 de Novembro de 2008, das 14.30-18h) Festa de Natal - O aniversário mais festejado na terra. Comunicação: Cónego Crespo Proposta pedagógica para a vivência do Advento e do Natal (Irmã Mª José Bruno, Pe. Vitor Gonçalves e Teresa Jardim) Curso de «Formação de Formadores para o Despertar da Fé», em parceria com a Escola Superior de Educadores de Infância Maria Ulrich. O curso destina-se a animadores pastorais, educadores de infância e auxiliares de educação, que tenham interesse em dinamizar esta área do desenvolvimento da criança, nas famílias, nas paróquias e nas instituições educativas. Teve início em Outubro de 2007 e terminou em Maio de 2008, num total de 45h. A avaliação dos alunos é da responsabilidade da Dra. Maria João Ataíde (ESEI) e da Dra. Teresa Jardim (FMU). O curso é acreditado pelo CCPFC.

Sessões em 2008: Bloco 2 FMU – RELATÓRIO 2008 14

DATAS 03/01/08

SESSÕES Sessão 1

CONTEÚDOS

FORMADORES

Seminário de integração dos conteúdos com a Irmã Mª José , experiência formadora. Mª João Ataíde, Teresa Jardim

10/01/08

Sessão 2

Os símbolos e os sinais na conquista da interioridade.

Deolinda Botelho Jorge Crespo, Pe. Paulo Malícia

17/01/08

Sessão 3

Simbologia Antropológica e Teológica. A dimensão simbólica e ritual da cultura (maneiras de pensar, sentir e agir) e a sua interiorização em estilos de vida e práticas. Os símbolos na bíblia e na liturgia.

24/01/09

Sessão 4

Planeamento da formação com base na Mª João Ataíde, experiência pessoal; avaliar e reformular; Teresa Jardim como delinear um projecto pedagógico na área da espiritualidade.

31/01/08

Sessão 5

Jesus Cristo – O Caminho para a Páscoa. As expressões cristãs aplicadas ao projecto de Quaresma e Páscoa.

Irmã Mª José , Mª João Ataíde, Teresa Jardim

Bloco 3 DATAS 3/04/08 SESSÕES Sessão 1 CONTEÚDOS Seminário de integração dos conteúdos com a FORMADORES Irmã Mª José , 15

FMU – RELATÓRIO 2008

experiência formadora. O contributo da Antropologia para uma Pedagogia do despertar da Fé. 10/04/08 Sessão 2 As experiências no dinamismo do conhecimento. 17/04/08 Sessão 3 O Espírito Santo, a Igreja e a espiritualidade cristã.

Mª João Ataíde, Teresa Jardim, Ana Ayres Deolinda Botelho Pe. Paulo Malícia, Mª João Ataíde, Teresa Jardim

8/05/08

Sessão 4

Integração

da

experiência

e

dos Mª João Ataíde,

conhecimentos interdisciplinares na formação Teresa Jardim de adultos e na educação de infância. 15/05/08 Sessão 5 Avaliação. Encerramento do curso. Irmã Mª José , Mª João Ataíde, Teresa Jardim

Colaboração com a Irmandade da Misericórdia de São Roque e a Santa Casa da Misericórdia de Lisboa na realização de um ciclo de encontros de sensibilização e formação sobre «A espiritualidade da criança, realizados na Sala de Extracções da SCML. II Encontro: «A educação da interioridade da criança dos 0 aos 6 anos» - Maria Emília Nabuco (30 Janeiro) III Encontro: “A educação para os afectos a afectividade e a sexualidade na criança» - Mons. Victor Feitor Pinto (21 de Fevereiro) IV Encontro: «Como encarar a questão da morte? Como falar da morte às crianças?» - Cristina Rodrigues (3 de Abril)

FMU – RELATÓRIO 2008

16

V Encontro: «Sexualidade e vida – o escandalo da pedofilia» - Maria João Ataíde e Maria Rita Mendes Leal (7 de Maio) VI Encontro: «Violência e maus-tratos na criança» – Carlos Neto (2 de Junho) VII Encontro: «A Educação para a Paz» - Pe. Peter Stilwell (8 Julho)
* O ciclo de formação tinha sido iniciado com o I Encontro: «A Espiritualidade na Criança» - Maria João Ataíde e Teresa Jardim (2 de Outubro de 2007).

2.5 - Ciclo de Conferências sobre o Desenvolvimento da Criança:

Durante este ano, a Fundação foi muitas vezes contactada por pais e educadores, dos mais diversos quadrantes, com o pedido de realizar umas conversas, conferencias ou debates sobre o desenvolvimento da criança. Neste sentido, e dando assim, a resposta possível ao solicitado, a Fundação elaborou um pequeno ciclo de conferencias, com os especialistas que entendeu melhor qualificados para o efeito, para falar sobre os temas propostos pelo nosso publico. Assim, e durante o último trimestre de 2008 e os dois primeiros trimestres de 2009, a Fundação, propõe este ciclo: - 29 Outubro: «Educar a vida toda», por Maria João Leitão - 17 Novembro: «A brincar também se aprende», por Cecília Galvão - 4 Dezembro: «A caminho do Natal», pelas educadoras do Colégio Amor de Deus

2.6 – Escola de Pais: A Fundação é muitas vezes contactada pelos pais e educadores em geral, para os ajudar na educação dos filhos e dos seus educandos. Esta é uma tarefa impossível. Não há regras e muito menos parâmetros. Mas, a verdade é que todos nós sentimos a FMU – RELATÓRIO 2008 17

urgência, o desafio e a responsabilidade de acompanhar o crescimento dos nossos filhos. Torna-se ainda mais relevante hoje, quando o ambiente e a cultura se fragmentaram e um enorme conjunto de solicitações e propostas torna difícil um juízo sereno e claro sobre a realidade. É neste enquadramento, tão difícil, que somos chamados à tarefa da educação. Com a mesma exigência com que abordamos os aspectos profissionais e sociais da nossa vida, não podemos deixar de questionar em que medida nos temos preparado para o desafio educativo. Estes encontros semanais pretendem apenas abordar temas específicos relacionados com a educação e a formação dos filhos. Assim, os temas e oradores escolhidos foram os seguintes: - 31 Março. A importância de educar: A resposta aos porquês, por Isabel Almeida e Brito. - 14 Abril. O perigo de não propor: a Televisão e a Internet, por João Pinto Coelho. - 21 Abril. Verificação: Amizades, e Tempos Livres, por Madalena Fontoura. - 28 Abril. A Autoridade, uma questão de prémios ou castigos? Por Joana Castelo Branco. 2.7 – Tertúlias de Homens: A Fundação Maria Ulrich iniciou este ano uma série de encontros temáticos, aos quais decidiu chamar de Tertúlias de Homens.

Relançamos estes encontros, que Maria Ulrich sempre promoveu no seu apartamento, no “Palácio Ulrich”, no ano em que completaria 100 anos.

Estes encontros pretendem apenas debater alguns assuntos de incontornável importância para Portugal e para a sociedade em geral. Visam criar uma reflexão com sentido por parte dos homens, nossos amigos, que há já alguns anos trabalham, constituíram família e assumem responsabilidades sociais. FMU – RELATÓRIO 2008 18

No primeiro encontro, realizado em Abril, contámos com a presença do Senhor General Rocha Vieira pessoa de indiscutível prestígio e que tanto fez pelo nosso país. O Senhor General testemunhou a sua passagem por Macau como Governador e a transferência deste território para a China.

No segundo encontro, dia 11 de Julho, contámos com a presença do Professor Virgílio Loureiro, Professor no Instituto de Agronomia de Lisboa, enólogo de reconhecido mérito nacional e internacional, deu-nos a conhecer os vinhos históricos portugueses, feitos hoje como há séculos atrás e que são um património único no mundo.

No dia 4 de Outubro, o Senhor Conselheiro Souto Moura falou-nos da “A Justiça, O Magistrado, O Procurador-Geral", um encontro muito concorrido, e que deixou entusiasmados todos aqueles que nele participaram.

2.8 – Formação a pedido de outras Instituições Formação sobre a temática dos valores na educação, destinada às auxiliares da acção educativa no Colégio das Escravas Teresa Jardim em 2 de Janeiro. Formação sobre a importância da Espiritualidade no desenvolvimento da criança, no Colégio do Bom Sucesso - Teresa Jardim em 5 de Março. Colaboração na organização de um ciclo de formação para os pais das crianças da Carmoteca (Paróquia de Nossa Senhora do Carmo do Alto do Lumiar) e formação sobre a importância da Espiritualidade no desenvolvimento da criança - Teresa Jardim em 11 de Abril Formação sobre a Espiritualidade da criança e o despertar da fé a pedido da comunidade dos Padres Franciscanos Capuchinhos de Gondomar - Teresa Jardim em 18 de Abril.

FMU – RELATÓRIO 2008

19

Formação sobre a importância da Espiritualidade no desenvolvimento da criança, no Centro da Sagrada Família das Irmãs Dominicanas - Teresa Jardim em 29 de Maio. Formação sobre a importância da Espiritualidade no desenvolvimento da criança, no Colégio Mira Rio - Teresa Jardim em 6 de Novembro. Formação sobre “O Sentido Religioso” , na Assistência Paroquial de Santos-o-Velho –Teresa Neves, de Janeiro a Junho.

3 – OUTRAS ACTIVIDADES E INICIATIVAS 3.1 – Participação em Encontros: Comemoração dos 50 anos do Colégio O Nosso Jardim (7 de Março) Lançamento do Livro/CD da Dra. Ana Ferrão, na Gulbenkian (5 de Maio) Festa de Fim do ano do Colégio O Nosso Jardim (27 de Junho) 3.2 - Venda Natal: Pelo terceiro ano consecutivo a Fundação realiza a Venda de Natal. Aconteceu no dia 28 de Novembro. 4 – AGRADECIMENTOS: A Fundação Maria Ulrich agradece a todos quantos colaboraram e particularmente aos seus patrocinadores e amigos. Sem o seu apoio as suas actividades não se teriam realizado. Os nossos patrocinadores foram: - BPI; - Central de Cervejas; - Academia de Ciências de Lisboa; - Rádio Renascença. - Fundação Maria Amélia Mello; - Instituto Vasco Villalva; - C.Miranda - Investifino. FMU – RELATÓRIO 2008 20

BALANÇO
(Euros)

Códigos das contas

Exercícios Activo 2008
Activo bruto Imobilizado Imobilizações incorpóreas Amortizações e ajustamentos Activo liquido

2007
Activo liquido

POCISSSS

431 432 433 443 449

Despesas de instalação Despesas de investigação e de desenvolvimento Propriedade industrial e outros direitos Imobilizações em curso Adiantamentos por conta de imobilizações incorpóreas

Imobilizações corpóreas
421 422 423 424 425 426 427 429 442 448

Terrenos e recursos naturais Edifícios e outras construções Equipamento básico Equipamento de transporte Ferramentas e utensílios Equipamento administrativo Taras e vasilhame Outras imobilizações corpóreas Imobilizações em curso Adiantamentos por conta de imobilizações corpóreas

15.041,78 645.538,21 1.729,99 499,97 13.588,08 134.472,92

373.768,84 1.001,25 499,97 13.377,08

15.041,78 271.769,37 728,74

15.041,78 288.845,25 1.047,06

211,00 134.472,92

853,58 134.472,92

810.870,95
Investimentos financeiros
411 412 413 414 415 441 447

388.647,14

422.223,81

440.260,59

Partes de capital em empresas do grupo Obrigações e títulos de participação Empréstimos de financiamento Investimentos em imóveis Outras aplicações financeiras Imobilizações em curso Adiantamentos por conta de investimentos financeiros

2.497,06

2.497,06

2.497,06

2.497,06
Circulante

2.497,06

2.497,06

FMU – RELATÓRIO 2008

21

Existências
36 35 34 33 32 37

Matérias-primas, subsidiarias e de consumo Produtos e trabalhos em curso Subprodutos, desperdícios, resíduos e refugos Produtos acabados e intermédios Mercadorias Adiantamentos por conta de compras

3.639,64 3.639,64

3.639,64 3.639,64

Dividas de terceiros - Médio e longo prazo
218

Clientes de cobrança duvidosa

Dividas de terceiros - Curto prazo
2811+2821 211 212 213 214 218 251 229 2619 24 265 262+266+267+268+221

Empréstimos concedidos Clientes, c/c Contribuintes c/c Utentes c/c Clientes, contribuintes e utentes - Títulos a receber Clientes, contribuintes e utentes de cobrança duvidosa Devedores pela execução do orçamento Adiantamentos a fornecedores Adiantamentos a fornecedores de imobilizado Estado e outros entes públicos Prestações sociais a repor Outros devedores

88,92

88,92

10.000,00

4.589,07 4.677,99

4.589,07 4.677,99

4.589,07 14.589,07

Títulos negociáveis
151 152 153 159 18

Acções Obrigações e títulos de participação Títulos de dívida pública Outros títulos Outras aplicações de tesouraria

Depósitos bancários e caixa
13 12 11

Conta no Tesouro Depósitos em Instituições Financeiras Caixa

16.127,42 107,65

16.127,42 107,65

23.916,51

FMU – RELATÓRIO 2008

22

16.235,07
Acréscimos e diferimentos
271 272

16.235,07 28.050,52 28,84 28.079,36 388.647,14 2.497,06 391.144,20

23.916,51

Acréscimos e proveitos Custos diferidos

28.050,52 28,84 28.079,36
Total de amortizações Total de ajustamentos Total do activo

28,84 28,84

866.000,07

474.855,87

481.292,07

O Técnico Oficial de Contas

A Direcção

FMU – RELATÓRIO 2008

23

FUNDAÇÃO MARIA ULRICH
Exercício 2008

BALANÇO
(Euros)

Códigos das contas

Exercícios Fundos Próprios e Passivo
Fundos próprios:

POCISSSS
51 55 56

2008 410.784,96

2007 410.784,96

Património Ajustamentos de partes de capital em empresas Reservas de reavaliação Reservas: Reservas legais Reservas estatutárias Reservas contratuais Reservas livres Subsídios Doações Reservas decorrentes da transferência de activos Subtotal Resultados transitados Resultado líquido do exercício Total do capital próprio Passivo Provisões para riscos e encargos

571 572 573 574 575 576 577

59 88

410.784,96 -99.352,68 24.256,98 335.689,26

410.784,96 -90.215,38 -9.137,30 311.432,28

29

Dividas a terceiros - Médio e longo prazo
231+12

Dividas a instituições de crédito

Dividas a terceiros - Curto prazo Empréstimos por obrigações:
2321 2322

Convertíveis Não convertíveis

FMU – RELATÓRIO 2008

24

233 231+12 269 221 228 222 2612 252 253+254 251+255 219 239 2611 24
262+263+264+265+267+268+211

Empréstimos por títulos de participação Dividas a instituições de crédito Adiantamentos por conta de vendas Fornecedores, c/c Fornecedores - Facturas em recepção e conferência Fornecedores - Títulos a pagar Fornecedores de imobilizado - Títulos a pagar Empresas do grupo Empresas participadas e participantes Outros accionistas (sócios) Adiantamentos de clientes Outros empréstimos obtidos Fornecedores de imobilizado Estado e outros entes públicos Outros credores

107.916,74 120,00

119.583,38

524,46 1.752,63 110.313,83

524,46 3.532,44 123.640,28 11.322,83 34.896,68 46.219,51 481.292,07

Acréscimos e diferimentos
273 274

Acréscimos de custos Proveitos diferidos

1.276,93 27.575,85 28.852,78
Total dos fundos próprios e do passivo

474.855,87

O Técnico Oficial de Contas

A Direcção

FMU – RELATÓRIO 2008

25

FUNDAÇÃO MARIA ULRICH
Exercício 2008

DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS
Códigos das contas

Exercícios 2008 2007

POCISSSS

Custos e perdas
61

Custo das mercadorias vendidas e das matérias consumidas Mercadorias Matérias Fornecimentos e serviços externos Custos com o pessoal: Remunerações Encargos sociais: Pensões Outros Amortizações e ajustamentos Provisões Impostos Outros custos perdas operacionais (A) Custos e perdas operacionais Perdas em empresas do grupo e associadas Amortizações e provisões de aplicações e investimentos financeiros Juros e custos similares Relativos a empresas do grupo Outros (C) Custos e perdas correntes Custos e perdas extraordinários (E) Custos e perdas do exercício 8.005,41 99.635,14 6.180,43 105.815,57 105.815,57 24.256,98 130.072,55 7.963,16 91.630,32 5.000,00 96.630,32 96.630,32 -9.137,30 87.493,02 8.005,41 7.963,16 7.076,36 7.076,36 91.629,73 27.218,36 27.218,36 7.236,37 7.236,37 83.667,16 24.424,51 24.424,51 1.026,56 1.026,56 56.308,45 52.006,28

62

641+642

643+644 645/8 66 67 63

65

682 683+684

681+685+686+687+688

69

86

Impostos sobre o rendimento do exercício (G) Custos totais Resultado liquido do exercício

88

FMU – RELATÓRIO 2008

26

Códigos das contas

Exercícios 2008 2007

POCISSSS

Proveitos e ganhos
71

Vendas: Mercadorias Produtos 1.541,00 1.541,00 210,00 210,00

72

Prestação de serviços Variação de produção Trabalhos para a própria empresa Proveitos suplementares Subsídios à exploração Outros proveitos e ganhos operacionais (B) Proveitos e ganhos operacionais Ganhos em empresas do grupo e associadas Rendimentos de participações de capital Rendimentos de títulos negociáveis e de outras aplicações financeiras: Relativos a empresas do grupo Outros 62.797,94 58.249,52

75 73 74 76

23.400,00 58.249,52 59.790,52 23.400,00 23.610,00

782 784 7812+7815+7816+783

56.401,02

7811+7813+7814+7818+ 785+786+787+788

Outros juros e proveitos similares: Relativos a empresas do grupo Outros (D) Proveitos e ganhos correntes Proveitos e ganhos extraordinários (F) Proveitos totais 62.797,94 122.588,46 7.484,09 130.072,55 56.401,02 80.011,02 7.482,00 87.493,02

79

RESUMO:
Resultados operacionais (B) - (A) = Resultados financeiros (D-B) - (C-A) = Resultados correntes (D) - (C) = Resultados antes de impostos (F) - (E) = Resultado liquido do exercício (F) - (G) = -31.839,21 54.792,53 22.953,32 24.256,98 24.256,98 -60.057,16 48.437,86 -11.619,30 -9.137,30 -9.137,30

FMU – RELATÓRIO 2008

27

NOTAS AO BALANÇO E À DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADOS Em 31 de Dezembro de 2008 Introdução As notas que se seguem respeitam à numeração definida no Plano Oficial de Contabilidade das Instituições do Sistema de Solidariedade e de Segurança Social (POCISSSS). As notas não aplicadas foram omitidas. Todos os valores são expressos em euros.

8.2.1.- Princípios contabilísticos As demonstrações financeiras foram preparadas segundo a convenção dos custos históricos, e na base da continuidade das operações da Empresa, em conformidade com os princípios contabilísticos fundamentais da prudência, consistência, substância sobre a forma, materialidade e especialização dos exercícios.

8.2.3. - Critérios valorimétricos e contabilísticos a) Imobilizações Corpóreas As imobilizações corpóreas estão registadas pelos valores que resultaram da sua aquisição ou dos valores constantes do Testamento de Maria Ulrich. As amortizações são calculadas pelo método das quotas constantes e de acordo com o decreto-lei 221/90 de 12 de Janeiro. São utilizadas as taxas mínimas no que respeita às obras do edifício da R. do Andaluz. b) Existências As existências estão registadas ao custo de aquisição. FMU – RELATÓRIO 2008 28

8.2.7. - Activo imobilizado Movimentos ocorridos nas rubricas do activo imobilizado constantes do balanço e nas respectivas amortizações e provisões, de acordo com os seguintes quadros discriminativos:

8.2.7.1 - Amortizações e ajustamentos
(EUROS)

Rubricas Imobilizações incorpóreas: Despesas de instalação Despesas de investigação e de desenvolvimento Propriedade industrial e outros direitos Trespasses Total Imobilizações corpóreas: Terrenos e recursos naturais Edifícios e outras construções Equipam ento básico Equipam ento de transporte Ferramentas e utensílios Equipam ento administrativo Taras e vasilham e Outras imobilizações corpóreas Total Investimentos financeiros: Títulos e outras aplicações financeiras Outros empréstimos concedidos Total

Sa ldo in icial

Re forço

Re gularizações

Sa ldo final

350 .008 ,44 682 ,93 499 ,97 12 .734 ,50

23 .760 ,40 318 ,32

37 3.76 8,84 1.00 1,25 49 9,97

642 ,58

1 3.37 7,08

363 .925 ,84

24 .721 ,30

38 8.64 7,14

FMU – RELATÓRIO 2008

29

8.2.7.2 - Activo bruto
(EUROS)
Rubricas Imobilizações incorpóreas: Despesas de instalação Despesas de investigação e desenvolvimento Propriedade industrial e outros direitos Trespasses Imobilizações em curso Adiantamentos por conta imobilizações incorpóreas T otal Imobilizações corpóreas: Terrenos e recursos naturais Edifícios e outras construções Equipamento básico Equipamento de transporte Ferramentas e utensílios Equipamento administrativo Taras e vasilhame Outras imobilizações corpóreas Imobilizações em curso Adiantamentos por conta imobilizações corpóreas T otal Investimentos financeiros Partes de capital em empresas do grupo Empréstimos a empresas do grupo Partes de capital em empresas associadas Empréstimos a empresas associadas Partes de capital em outras empresas Empréstimos a outras empresas Títulos e outras aplicações financeiras Outros empréstimos concedidos Imobilizações em curso Adiantamentos por conta investimentos financeiros T otal Saldo inicial Reavaliação/aju stamento Aumentos Alienações Transferências e abates Saldo final

15.041,78 638.853,69 1.729,99 499,97 13.588,08 134.472,92 6.684,52

15.041,78 645.538,21 1.729,99 499,97 13.588,08 134.472,92

804.186,43

6.684,52

810.870,95

2.497,06

2.497,06

2.497,06

2.497,06

FMU – RELATÓRIO 2008

30

8.2.12 - Imobilizações corpóreas e em curso O valor constante em edifícios diz respeito à R. do Andaluz, imóvel arrendado e principal rendimento da Fundação.

8.2.18 - Discriminação da conta «Outras aplicações financeiras» e «Obrigações e Títulos de Participação:
Outras Aplicações Financeiras
Acções Sonagi S.I Chocolates SPE C ª CC de Gados S. I Calçado Elite Sodimul Banco P. Brasil C ª Diamantes de Angola Emp. Cer. Lisboa T VI D iversas Ultramar

Quan tidade

Valor Nom inal

Valo r Ba lan ço

61 2 81 14 0 28 12 8 10 0 4 50 1.40 5

4 ,99 0 ,50 4 ,99 0 ,40 0 ,50 7 ,48 0 ,40 0 ,12 4 ,99

1.2 79,2 9 38,4 1 4 01,5 3 55,8 7 13,9 7 29,9 3 3,1 9 3 75,1 0 0,5 0 2 49,4 0 49,8 8 2.4 97,0 7 2.4 97,0 7

Ajustamento

Total

8.2.27 - Valor das dívidas a terceiros há mais de cinco anos. Empréstimo BCP Valor a mais de 5 anos Valor a menos de 5 anos FMU – RELATÓRIO 2008

49.583,54 euros 58.333,20 euros 31

8.2.28 - Valor das dívidas a terceiros cobertas por garantias reais Empréstimo BCP no valor de original de 140 mil euros coberto com garantia real – fracção do Prédio da R. do Andaluz.

8.2.29 - Descrição das responsabilidades da entidade por garantias prestadas Hipoteca de uma fracção do Prédio da R. do Andaluz a favor do BCP

8.2.32 - Movimentos dos Fundos próprios
(EUROS)

Rubricas
51 - Patrim ónio 59 - Resultados Transitados 88 - Resultado líquido do exercício

Sald o inicial 4 10.7 84,9 6 -90.2 15,3 8 -9.1 37,3 0 3 11.4 32,2 8

A um ento s

Dim inu içõe s

S aldo f ina l 410 .784 ,96

-9 .137 ,30 24 .256 ,98 15 .119 ,68 -9.1 37,3 0 -9.1 37,3 0

-99 .352 ,68 24 .256 ,98 335 .689 ,26

Total

8.2.37 - Demonstração dos resultados financeiros
(EUROS)

FMU – RELATÓRIO 2008

32

Custos e pe rd as 681-Juro s su porta dos 682-Perdas em em presas d o grupo e asso ciadas 683-Am ortiza çõ es de inve stim en tos em imóveis 684-Provisõe s para aplicações financeiras 685-Diferenças de câm bio desfavo ráveis 686-Desconto s de p ronto pagam ento conce did os 687-Perdas na alien ação de aplica ções de tesouraria 688-Outros custos e perdas financeiros Res ultados financeiros Total

Exercícios 2008 7.83 2,92 2007

Proveitos e Ganhos

Exercícios 2008 20 07

6.891,91 7 81-Juros ob tid os 7 82-Ganhos em empresas d o g ru po e associa das 7 83-Ren dime ntos de imó veis 7 84-Ren dime ntos de p articipações de capital 7 85-Diferença s de câm bio f avoráve is 7 86-Descontos de pronto p agame nto obtidos 7 87-Ganhos na alien ação de a plicações de te souraria 62.797, 94 56.401,02

17 2,49 54.79 2,53 62.79 7,94

7 88-Outros p roveitos e ga nhos 1.071,25 f ina nceiros 48.437,86 R esultados financeiros 56.401,02 Total 62.797, 94 56.401,02

8.2.38 - Demonstração dos resultados extraordinários
(EUROS)

FMU – RELATÓRIO 2008

33

Cu st os e p erdas 69 1-Dona tivos 69 2-Divid as incobráveis 69 3-Pe rd as em existê ncias 69 4-Pe rd as em imo bilizaçõe s 69 5-Multas e pen alida des 69 6-Au me ntos d e am ortiza çõ es e de p ro visões 69 7-Correcçõ es rela tivas a exercícios an teriores 69 8-Ou tros custos e perda s extraordinários Res ultados e xtraor dinári os Tota l

E xe rcícios 2 008 5. 980, 00 20 07

Proveitos e G anho s

E xercício s 2008 200 7

5.0 00,0 0 791 -R estit uição de im po st os 792 -R ecuperação de dívid as 793 -G an hos e m e xistências 794 -G an hos e m im obilizações 795 -B en eficios de pe nalida des contrat uais 796 -R eduçõe s de a mo rt izações e de provisões 797 -C orre cçõe s re lat ivas a exercícios an terio re s 798 -O ut ro s proveit os e g anh os extra ordinário s 2.4 82,0 0 Res ul ta dos ex tr aordi ná rios 7.4 82,0 0 Tot al 7.4 84, 09 7 .482 ,00

200, 00

0, 43 1. 303, 66 7. 484, 09

7.4 84, 09

7 .482 ,00

8.2.39 - Outras informações

Acréscimos e diferimentos Decomposição dos saldos evidenciados no balanço em 31 de Dezembro de 2008:
(EUROS)

FMU – RELATÓRIO 2008

34

A c ré s c im o d e p ro v eit o s S u b s ídio C M L 2 00 7 e 20 0 8 T o tal C u s t o s d ife r id o s S e g ur o s 2 0 0 9 T o tal A c ré s c im o s d e C u st o s E s g o tos 2 0 0 8 D e oli nd a B o te lh o T ip o g r af ia C or r e ia T o tal

2 8 .0 5 0,5 2 2 8 .0 5 0,5 2

2 8,8 4 2 8,8 4

2 2 3,2 6 5 0 0,0 0 5 5 3,6 7 1 .2 7 6,9 3

P r o v e it o s d ife r id o s S u b s ídio s p a r a in v e s tim e n tos n a R . A n d a lu z R e nd a s J a n e iro 2 0 0 9 T o tal

2 2 .4 4 5,6 8 5 .1 3 0,1 7 2 7 .5 7 5,8 5

O Técnico Oficial de Contas

A Direcção

_______________________

________________________

FMU – RELATÓRIO 2008

35