P. 1
A FILOSOFIA de Fichte Xaveir Leon

A FILOSOFIA de Fichte Xaveir Leon

|Views: 0|Likes:
Published by zaadig

More info:

Published by: zaadig on Feb 24, 2013
Copyright:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/24/2013

pdf

text

original

A FILOSOFIA DE

FICHTE
E SUAS RELAÇÕES COM A CONSCIÊNCIA CONTEMPORÂNEA POR

XAVIER LEÓN

_____________

PRECEDIDA DE UM PREFÁCIO DE

ÉMILE BOUTROUX

me esforcei. antes de publicar este livro. quanto a fim de conhecer. Por ela eu respondi a um dos votos expressos pelo relator do concurso. em particular. se eu deixei sem resposta outras críticas. a apreciação dos mestres que seriam meus juízes. sonharia publicar em breve meu livro.INTRODUÇÃO A presente obra é o fruto de dez anos de trabalho. a condensar certas partes do meu trabalho. Boutroux. os problemas levantados pela filosofia prática. o de uma certa “redundância” na exposição. eu deveria apressar a conclusão de minha obra. eu a refiz inteiramente e insisto sobre a importância que apresenta ainda hoje os principais problemas levantados pela filosofia de Fichte. notadamente aquela de haver descartado sistematicamente tudo aquilo que concerne à vida de Fichte. eu estava decidido me submeter a isto. da Moral e da Religião e de mostrar o que elas tem de atual e de vivo para a consciência contemporânea. tão honorável quanto fosse ela para mim. Sendo a aprovação favorável. Foi dessa forma que eu ensaiei de trazer à luz as conclusões que se desprenderam das teorias do Diteiro. que a Academia de ciências morais havia proposto como tema para o ano de 1900: A filosofia de Fichte. Se eu não trouxe nem mais um ponto de modificação à obra. Eu havia já terminado a composição quando vim a saber por sorte de uma conversa. Afim de não deixar expirar o prazo (31 de dezembro de 1899) fixado para o envio das memórias participantes do concurso. Este era o mesmo título do livro que eu havia escrito. O veredito deste júri verdadeiramente excepcional deveria ser aos meus olhos uma consagração ou uma condenação de minha obra. E. menos com vistas à obtenção de uma distinção. seja o que fosse. a influência do meio de onde ele XXXX como também o por em ação de sua doutrina e o que se pode chamar de atos do pensador . sua educação filosófica. e por tê-la em conta de uma crítica favorável que me foi endereçada neste mesmo relatório. Esta conclusão. eis o motivo. Eu resolvi submetê-lo à apreciação da Academia. como se me convidasse. quer dizer que ele não é um livro de circunstância feito tendo se em vista um concurso. Ele demorou mais de uma ano a aparecer.

You're Reading a Free Preview

Download
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->