O CONTO QUE NÃO PRESTA NO MUNDO Para se fazer um conto é necessário que se aprenda.

Sai quando não o queremos ver e fazer acerca de tudo. É preciso o vermos portanto vamos fazer de tudo. Fazer e falar de valor. O conto presta não se esmera é o autor um produto. Tendo facilidade e tendo sorte. A sorte de sermos de estudo. O conto presta menos. Não mas é fácil de prestar apenas o devemos ligar. Então e

para prestar. Deixá-lo no mundo apenas. Um vejo que sim e o conto é esquisito. Nessa altura rimos e demos o conto por normal e acabado. Seria o mundo o produto deste fundo. Ou seria o mundo o fundo e o conto o fizesse. Seria engraçado assim. Estamos a ver o mundo não o seu mundo. O conto está acabado. Porquê continuar. Nem sei eu vou a inventar mas sei a fazer o mundo talvez para ver o seu estudo. O mundo estaria surdo e o conto também.

Sim estamos no fim do mundo concluiu o seu conto. Então é um conto o fim do mundo. Não apenas respeitado o mundo. O mundo seria o seu conto se não fosse o meu estudo. Serei eu a minha história. Fácil portanto de ser Deus e importante. Quem não desejaria ver apenas o conto mais tarde. Ser assim é difícil porquê não o ver mais tarde. Rio e findo o conto.

O CONTO DE ESTUDO
ANDAVAM NUMA RODA VIVA NAQUELA HORA OS MESMOS MALANDROS CANGALHEIROS FAZENDO OS AJUSTES. ESTAVAM TODOS ENDEMOINHADOS NAQUELA NOITE. MAS OS SERVIÇOS LÁ SE IAM FAZENDO E OS MORTOS ACARTADOS TODOS ASSIM. NÃO SEI COMO POIS VIVIA APENAS NAQUELE ESPAÇO DADO A MIM DE VER. O VER A TUDO. A ÉPOCA ERA TARDIA POIS A VIA. PARECIA ATÉ SER DE DIA ATÉ MAIS TARDE. EIS QUE NO PÁTIO EM CIMA DE UM CAIXÃO RESGUARDADO E ESTENDIDO NO TOPO DO MESMO O NOVO HUMANO ASSIM FALOU. NÃO ME PARECE HAVER DESENGANO. AO QUE EXCLAMAM QUE NÃO ATENDESSE A SI PORTANTO POIS ERA DESENGANO E CONTINUAM AQUECENDO AS MÃO NO FOGO. E CALOU-SE E SE ESTICOU NOVAMENTE AO COMPRIDO POR CIMA DA CAIXA OUVINDO PASSOS

APRESSADOS E PESADOS DE QUEM OUTRO CARREGAVA. AO PASSAR DIANTE DESTE DA PORTA ENTREABERTA SAIU UM TOLO QUE LHE DISSE SEMPRE MEIO SENTADO AO PORQUE ESTAVA AINDA MORTO. ESTE NEM SE AGUENTOU E VOMITOU LOGO ALI DO TOPO DE SEU EMPREGO PENSEI EU. LOGO ALI ESTANDO MAL EXCLAMARAM OS OUTROS DOIS QUE SE PASSARA TÃO MAL QUE ESTE JÁ NEM ESTAVA AO QUE ESTE RESPONDE QUE SE LHE PASSARA UMA NÉVOA AO VER AS PALAVRAS DO OUTRO.

O CASO DO CANTEIRO
DESDE CEDO QUE SAIU À RUA. O MEDO ANDAVA DESCALÇO AINDA NA CALÇADA. O FRENESIM DA GUERRA ERA UMA CERTEZA. O CACHORRO DO GENERAL UM ROBOT MECÂNICO JÁ TINHA PASSADO NO FIM DO PÁTIO COM SEU RABINHO DE ANTENA ESPETDO. OFERTA AFINAL DA IDA DO PATRÃO DA OFICINA A ESTE EM VIRTUDE DO CALOR SER

INSUPORTÁVEL E ASSIM MESMO O ERA. ÉRAMOS GENERAIS NAQUELE QUARTEL. O CACHORRO ESTAVA GORDO POIS LHE MONTARAM UMA CAIXA DE BOLACHAS DOS LADOS. AO VÊ-LO DESAPARECER PUS MEU CAPACETE E NEM ACREDITEI NOS MEUS OUVIDOS. ARRANHÕES CONTÍNUOS SE SEGUIRAM. CONCLUSÃO ESQUILOS COMENDO NOZES OU TAMBÉM BRINCANDO TÃO PERTO ESTAVA DE UM GALHO AGORA TODO VERDE QUE SE RIAM DE CERTEZA DE NÃO OS VER EMBORA SENDO AMARELOS DE SOL LIMÃO. ESQUECIAM-SE DE MIM E EM BREVE SORRIAM A UM OUTRO. OLHEI NA DIREÇÃO DO MESMO BARULHO MECÂNICO QUE ANTES OUVIRA TAMBÉM E AINDA ESTAVA ABSORTO QUANDO OLHANDO MELHOR AINDA OBSERVAVA EU OS ESQUILOS E SUAS MALANDRICES E ESTE PUCHARA ÁGUA NO MESMO DIA NAS MINHAS PERNAS AO PASSAR. AZAR O MEU POIS ESTANDO CHEIO DE LIMONADA QUENTE ESTAVA FRIA. O DIA CRESCENDO NO MUNDO. ENFIM A DERROTA PRÁTICA. O AMOR DE UM LADO A CIDADE DE UMA RAZÃO. ADEUS. UM ATÉ BREVE.

SOMOS DO PORTO
FOI NO MUNDO ENCONTRADO O TOMBO DO DIA. ESTAVA O DIA FLORIDO E ASSIM SAIU NA SUA SINA DE SE VER ASSIM MUITO ENFEITADO E TUMBA LÁ CAIU O DIA. E CAIU NA RUA. CAIU CERTO NÃO COMO AGORA MAS DECERTO NA SUA ESPERA ERA O REI O MESMO DESDE ENTÃO. O HOMEM VIU E FUGIU. DISSE ASAS À SUA CONDIÇÃO. SE ATIROU DA PONTE COM UM GUARDA CHUVA E APENAS UMA PERNA PARTIU. SORTE QUE TEVE POIS PODERIA SERIA FATAL O SEU LUGAR. AINDA O ARRELIAM PARA QUE SE ATIRE DE NOVO MAS NÃO O QUIZ ATÉ ENTÃO. DE NOVO TORCE O NARIZ E DE NOVO O QUIZ DIZER. ATÉ QUE ENFIM SENHOR DOUTOR.

O VER
CONDESCENDÊNCIA NO MUNDO.

OS REIS E OS FARDOS
O TONTO DE UM REI ENCARNADO SE CASOU NUMA MANHÃ DESEJADA DE POLÍTICA. ERA MEU PRIMO E DEPOIS DE MUITO TEMPO MEU TIO. ORA SEMPRE DESEJADO POR TUDO O QUE FAZIA CASOU-SE UM DIA. DE NOITE CARPIA E DE DIA O REI MENTIA. E DE TANTO O FAZER FOI PARA O REINO VIVER. ORA ERA MUITO ALDRABÃO E COM OS HOMENS ANDAVA QUE DISSO MUITO CHEIRAVA. E DE RABO LOGO O CHAMARAM FAZENDO DE SI O MUITO. COMEÇOU A RECUAR E A UM RIO FOI PARAR

E ENVIUVOU. OS ANOS PASSARAM E O REI REGRESSAVA AOS BAILES E LÁ ENCONTROU SEU PAR E DE NOVO CASARAM E DE NOVO FELIZES OS FILHOS AMARAM E MUITO OS FIZERAM E FELIZES MUITO TAMBÉM. MUITOS ANOS PASSARAM E MUITO FELIZES OS REIS DO MUNDO ACABARAM.

COMEÇO DE PENSAMENTO
DEU-ME A IMPRESSÃO QUE ESTA REVESITANDO UM SONHO E O DEVERIA FALAR DE TODO. APENAS TINHA A IMAGEM DE MUITA GENTE SENTADA E ESTUDANDO COMO NUMA SALA. REVISÕES TALVEZ EM VÉSPERAS DE EXAMES TALVEZ. SERÃO CURTOS TAMBÉM. NUNCA FUI ESTUDANTE MAS TAMBÉM ELES NÃO AO QUE SEI. OS PROFESSORES SÃO ADIVINHOS. É SEU MISTER.

FALO PORQUE NUNCA ESTUDO NADA DO GÉNERO MAS NADA DEVERIA SER DE ADIVINHAR POIS AFINAL É UM TROÇO DESTE LUGAR MATÉRIA TÃO JÁ DE SI LONGE DE SE SABER AO CERTO. NESSE SONHO HAVIA UM MUNDO E O MEDO DE O VERMOS. O MUNDO ACABAVA NO HORIZONTE COMO UM HORIZONTE VIRTUAL. SERIA O MELHOR DO MUNDO E O MAIS ESPERTO DE SE PENSAR. APENAS NÃO É PERMITIDO ESTUDAR. O ESTUDO DIFICULTA A VIDA E A VISÃO DO MUNDO.

CONTO
O REINO DE UM REI TÃO TONTO VISITADO POR TANTO TONTO QUE PERGUNTARAM UM DIA QUE TINHA O REI FEITO ATÉ HOJE. NADA SABIAM. APENAS ADORAVA A SUA AMADA.

ELA A TODOS ENCANTAVA E BEIJAVA. O REI TONTO VENDIA SEGREDOS E SEU AÇÚCAR ADOÇAVA. NADA EXISTE ENTÃO NO MUNDO. ATÉ QUE O REI CAIU. QUE GRANDE TRAMBOLHÃO FICARAM TODOS OUVINDO O PEIDO MAIS QUE UM TROVÃO. ORA O REI ERA BURRO E NÃO SE IMPORTOU DE TANTO. ERA UM CASO DE ESTADO SERIA ASSIM TRATADO. O MUNDO VENCEU O CASO E O REI FOI PARA O DIABO. ASSIM FOI O TROVÃO. O CASO NUNCA FOI MUDADO MAS A HISTÓRIA ANSEIA QUE O BURRO ERA O REI E NÃO UMA VASILA TORTA. ORA ASSIM ESTAMOS MUDADOS E NUNCA O MUNDO ACABADO. SERIA A SUPERSTIÇÃO. NÃO APENAS DISSERAM QUE NÃO. ENTÃO ERA UMA PENA DE PATO E NÃO O ORIFÍCIO QUE MATO. O REI APITOU ENTÃO SERIA ENFIM CONFUSÃO. O REI MAIS O SEU IRMÃO. QUEM SERIA O VENCEDOR. APENAS SABENDO DOUTOR. DEUS E O MEU IRMÃO MATOU.

O SEGREDO DE UMA FÁBULA Um conto é uma estrada desviada de sua forma de amar pois nem sempre é entendido. Será como uma fábula um prejuízo para o perigo ou mesmo de uma fábula. Nem sei. Um conto é porventura um poeta um secritor um idiota escrevendo e mais não o sendo mas lendo. Nada disso apenas para chamar a sua atenção é anormal. Será porventura o mundo ou antes disso ou estudou. As colmeias se encheram de abelhas risonhas pois viram e nasceram novas formigas muito grandes que começando a comer pelo caminho vendo as cigarras magrinhas assim nascendo se foram engordando e crescendo. Estas jeitosas morrem de tédio e de riso pois antes de juízo agora de rainhas. E quem ganhou diante de todo o povo. Nada apenas mais as formigas mudando os contos para belas e as janelas para as cigarras. Assim é hoje as mandrionas acabaram e as formigas maiores que as cigarras tudo comem. Comem no inverno e no verão apenas não lhes falte o pão. Sei que a moralidade da fábula mudou apenas a inventou. A abelha entrou então e é a mais laboriosa pois então mas a história e a moral assim pensando e anormal deixou de ver a cigarra pois o seu trabalho atrapalha segundo esta vadia. De Deus e de tudo estamos no mundo afinal é assim o conto anormal. Será que eu estarei bem nisso.

O DIA DE OCASIÃO
DESDE QUE SE FEZ DIA APÓS TODO O VAPOR SE DISSIPAR QUE AS

COISAS SÃO ASSIM MAIS NORMAIS QUE INTERESSOU AO DESENHADOR SEU DESENHO ADULTO E SINCERO DE UMA NATUREZA MORTA. E ASSIM FOI AGARRANDO NA PALETA E PINCEL SE PÔS A PINTAR LOGO ALI NAQUELE LUGAR UMA NATUREZA MORTA DE TODO O TAMANHO. ESTÁVAMOS NO OUTONO E NUM MUNDO LIVRE POR ISSO NEM ADIANTA JULGAR MAS AO CERTO O MESMO SINCERO ESPERTO SE PÕS A JULGAR. QUE MAIS INTERESSARIA DO POVO PARA ELE FAZER EM CIMA DE UMA FRUTA OU DE UMA ABÓBORA E DE TANTO PENSAR NUMA MOSCA DE REPENTE A IDEÍA GENIAL. UM BRILHO INTENSO IGUAL AO DE UMA CHAPADA AGUADA. E ASSIM FOI E FEZ. UMA ESTRELA DE BICOS LINDA EM TODOS OS FRUTOS E LEGUMES. ASSIM NASCEU MUITO CEDO O MOVIMENTO CONTRA OS VEGETARIANOS POIS ESTES PREJUDICAVM E MALTRATAVAM POIS NADA DELES FAZEAM OU PROGREDIAM. E ASSIM NA HUMANIDADE SE REPERCUTIU E COMEÇOU O MOVIMENTO DE MASSA.

NÃO FALHOU. MAS NÃO ACERTOU AINDA. NESSE DIA ESSE PINTOR SUA

OBRA VIU E SORRIU. ALI MESMO O SEU BRILHO TAMBÉM SAIRA DA CASCA E VENCERA. EM SI E NA HUMANIDADE FELIZ. O MUNDO DE ÁGUA. VISTE PORQUE ELES OS LEGUMES EXISTEM E OS SERES HUMANOS SÃO ELES ASSIM TAMBÉM. OLHA Á TUA VOLTA E NÃO INSISTAS MAS EM JUÍZO. ESSE SIM ME SAISTE TU. O PINTOR É HOJE MUITO CONHECIDO NO MUNDO E RECONHECIDO DEVIDO À SUA PERDA DE JUÍZO MAS NO MUNDO AINDA O EXISTE.

CONTO REVISTO
NUMA SALA BEM GRANDE TODOS LIAM O MESMO LIVRO. GRANDE GROSSO ANTIGO. APENAS HOMENS E MESAS GRANDES DE TAMPOS HORIZONTAIS. SERIA UMA BIBLIOTECA POIS NÃO EXISTIA UM PROFESSOR. APENAS O MEU OLHAR CAMINHANDO TAMBÉM ASSIM COMO EU. CHAMOU-ME A ATENÇÃO AS PÁGINAS JÁ MUITO LIDAS EM TODOS E OS MEIOS ERAM AS PÁGINAS ABERTAS. COINCIDÊNCIAS. VEIO À BAILA A PALAVRA REVISIONISMO. COMUNISMO. DEUS ESTÁ DORMINDO MAS DEUS ACORDA CEDO.

O DIA DO ALDRABÃO
O MUNDO É UM SACO SEM FUNDO PARA TODO O ALDRABÃO MAS NÃO O DEVERIA SER OU PRECISO SER COMIDA E DORMIDA A SUA TEIMA. COITADOS SÃO HUMANOS E DEVERIAM SER PROTEGIDOS. OU DESPREZADOS CONSOANTE A SUA TEIMOSIA. NO ENTANTO A IDIOTICE SAIU Á RUA NA PELE DE UM DELES. SE APREGOOU NO MAIOR VENDEDOR DE BANHA DO MUNDO. MAS APENAS SE ENLEOU QUE METADE DO POVO O MALTRATAVA E O JOGARAM DALI PARA OUTRA CIDADE. AÍ CONTINUOU MAS NUNCA SE EMENDOU. DE REPENTE SE LEMBROU DE UM ATALHO NA SUA VIDA DE ESCRITOR. COMEÇOU A ESCREVER E NUNCA MAIS PAROU. APENAS SE ENREDOU E NUNCA MAIS SE LEMBROU. DEPOIS MORREU E ASSADO E FRITO FOI VENDIDO NO TALHO. DEPOIS DE TANTAS HORAS DE ESCRITA ACABOU NO MENÚ.

PRESUNTO E ESPÍRITO SANTO DE ORELHAS ESTAVAM NAS SUAS CONTAS. SIMPLESMENTE SE ESQUECEU QUE UM DIA MORREU. FOI ASSIM A HISTÓRIA DE DIVINO AMOR MAS NÃO DESTE DOUTOR. A MÃO DE PORCO O FALIU.

- O DIABO DA CRUZ-

COMPRARA UMA CASA NO CAMPO E PARA LÁ VIVIA E TUDO ME PARECIA TÃO PEQUENO DESDE QUE ME MUDARA. OS SULCOS DAS ÁGUAS E AS ROCHAS TUDO SE ASSEMELHAVAM AO ANDAR. ESTOU FALANDO DE UM SONHO MEU EM QUE DEPOIS DISTO TUDO RESOLVO IR A UM FUTEBOL DE NOITE. PENSANDO LÁ IR TER METO-ME A CAMINHO AINDA CEDO. ENTRO NUM BAR DEPOIS DE ALGO ANDAR E ME AVIZINHO DA PORTA NO OUTRO LADO EM QUE ENTRO PENSANDO ESTAR DE LÁ VINDO UM RAPAZ MAS ESTAVA NUMA ENTRADA DE MERCADORIA BASTANTE ALTA. SAIO E VEJO-ME NA MÃO COM O QUE COMPRARA E ME RIO DA MINHA NOVA COMPRA. PENSO ATÉ QUE A ROUBARA E SEM JEITO POIS SE MOLHARA EM PARTE

A PARTO E ATIRO PARA O CHÃO. ERA UM LÁPIS DE PAPEL PARA AMACIAR AS SOMBRAS EM DESENHOS E NESTE CASO SUBLIME VISÃO A MINHA COM A PARTICULARIDADE DE UMA PONTA CONTER COR. VERMELHO NESTE CASO. O MIÚDO DEPRESSA GALGOU A ESTRADA A SUBIR E INDO NESSA DIRECÇÃO LOGO VI QUE NÃO LÁ ESTAVA AO MEU DESTINO E VOLTANDO PARA TRÁS INGRESSO NO BAR. AO APROXIMAR-ME DO BALCÃO LÁ ESTAVA UMA MEIA CERVEJA ABANDONADA AO QUE PENSO MOMENTANEAMENTE. ME DIRIJO PARA O OUTRO LADO DO BALCÃO AO QUE PERGUNTO SE ERA POSSÍVEL UM CAFÉ. E LOGO RESPOSTA BEM FÁCIL QUE SIM SIM SENHOR PORQUE NÃO. BICA ME PERGUNTOU E PERCEBO O SEU RESTAURANTE PEQUENO DESTA DIREÇÃO. AO TTRAR A BICA JÁ SABE DESTES COMPUTADORES MAGALHÂES. SIM DISSE AO PASSO QUE CONTINUOU COM TOM IRADO QUE ATÉ ME ASSUSTO. IDÉIA DO PACÍFICO. GOSTARIA DE CONTINUAR MAS AS LUZES FALHARAM E ME DISTRAÍ TAMBÉM OBSERVANDO NÃO SER POSSÍVEL.

O AMANHÃ DE VERÃO

APENAS ESTE FARDO DE BACALHAU ESCAPARA AO POVO. DISSERA O MARINHEIRO CONTENTE POR O VENDER NO MOLHE. ESCAPARA AO FISCO. ESTAVA BÊBADO E O LEILOARA EM FRENTE DE TANTA GENTE PARA AS PESSOAS DO NAVIO. ESSE NAVIO ENTREGARA SUA MERCADORIA POR ENGANO DE UM ZERO A UM POVO QUE O TINHA RESTRICTO. ESTAVAM SATISFEITOS E O COMPRAVAM ASSIM PARA PETISCO NA MESSE. TUDO EM ORDEM. DOCUMENTOS FEITOS E PASSADOS A LIMPO NINGUÉM DUVIDAVA MAIS DO BENÉFICO ENGANO. VOLTAVAM PARA TRÁS COM O DINHEIRO FEITO. BOA VIAGEM A TODOS. SONHOS ESTAVAM POR VIR. ASSIM SE REDUZIAM AS CONTAS. CONTAS JÁ DESFEITAS. CONTINUA A OUVIR DIZIA O COZINHEIRO OLHANDO PARA O BACALHAU INTEIRO SALGADO E SECO. CONTINUA A OUVIR REPETIA O COZINHEIRO ESFREGANDO AS MÃOS. OUVIA MESMO DIZIA O BACALHAU.

www.ruaA

ugusta.pt

www.amandu.eu

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful